Blog

ramos

Vendo Artigos etiquetados em: ramos

Lázaro Ramos grava cena de luta: capoeira x jiu-jítsu

Trama retoma episódio histórico que marcou a popularização da capoeira

Lázaro Ramos ensaia coreografia de luta com Walter, Cocoroca (boné) e o dublê Rodrigo Oyie (de costas)

Um combate emocionante entre a capoeira e o jiu-jítsu, em Lado a Lado. De um lado do ringue, Zé Maria (Lázaro Ramos), do outro, o grande campeão de artes marciais Jun Murakami, professor de luta contratado pela Marinha. A gravação dessa cena exigiu espírito guerreiro de todos: Lázaro Ramos ensaiou exaustivamente todas as coreografias, foram recrutados 150 figurantes e montado um cenário que reproduz um pavilhão de lutas em 1910. Seriam os primórdios do MMA (sigla para Artes Marciais Mistas, em inglês)?

“A gente sempre se pergunta: o que acontece se uma pessoa de um estilo de luta enfrentar outra, de outro estilo? Inclusive eu fiquei sem entender como é que ia funcionar a cena, mas acabou indo bem”, conta Lázaro Ramos. A mistura de estilo de lutas está presente até no texto da cena, como lembra o ator: “Tem uma frase do texto que é boa, que o Jonas fala: ‘Imagina se alguém um dia junta jiu-jítsu com capoeira? Vai ser imbatível!’. No ensaio a gente falava de brincadeira: ‘Pô, Anderson Silva!’. De qualquer forma, quem for fã de MMA, vai se inspirar.”

 

Fonte: http://tvg.globo.com

Taís Araújo tem aulas de capoeira com mestre de Lázaro Ramos

Para viver a golpista Sheila no seriado “O Dentista Mascarado”, Taís Araújo recorreu à capoeira. A revelação foi feita pela atriz durante coletiva para apresentar o seriado realizada nesta segunda (18) em um hotel na zona sul do Rio.

“O seriado tem muitas cenas de ação e sento necessidade de ter um melhor condicionamento físico”, contou Taís, que tem feito aulas com o mesmo professor que treinou o marido, Lázaro Ramos, para a novela “Lado a Lado”. Na trama o ator interpretou o capoeirista Zé Maria.

“Eu já havia feito capoeira quando fiz a Preta de ‘Da Cor do Pecado’. Está sendo ótimo”, frisou a atriz, que abriu mão das férias de três meses pelo seriado.

“Tinha planejado viajar com o Lázaro e o João, mas não consegui recusar esse trabalho. O texto é maravilhoso e o elenco incrível. É também uma coisa nova na minha carreira”, opinou ela referindo-se a fazer parte de uma série cômica.

“Lázaro é um grande parceiro e entendeu que era importante para mim”, disse Taís quando indagada se o parceiro não ficou decepcionado em adiar a viagem.

Sobre o filho, João Vicente, ela garantiu que o menino é “levado” e que tem tido tempo para acompanhar todo seu desenvolvimento.

“Ele já fala e é uma graça. Ainda não colocamos ele na escola, mas tenho tempo para ficar com ele, em um seriado gravamos menos”, explicou a atriz que afirmou que a mudança de visual não confundiu o filho.

“João já é um bofe, nem repara nessas coisas de cabelo. Cheguei em casa depois de ter cortado e ele me pegou na mão e me levou ao quarto dele como se nada tivesse acontecido”, relembrou Taís aos risos.

“O Dentista Mascarado” é escrito por Alexandre Machado e Fernanda Young e tem direção de José Alvarenga. A estreia acontece no dia 5 de abril.

 

Fonte: http://celebridades.uol.com.br

Novela: Zé Maria surge com ares de super-herói

Lázaro Ramos diz que personagem em ‘Lado a Lado’ é homem do povo. Porém, novela não tem boa audiência

Com uma fantasia colada e vermelha, cenas de ação em câmera lenta e um caráter incorruptível, Zé Maria (Lázaro Ramos) surgiu com ares de super-herói na estreia de “Lado a Lado”, na última semana. Resta saber se esse heroísmo vai levantar os índices da mais nova novela de época da Globo, que marcou 18 pontos de audiência em seu primeiro capítulo, no dia 10 – as anteriores marcaram 23, em média.

“O legal dele é não ser super-herói, mas um cara comum. A gente às vezes fala dos grandes revolucionários, mas não do povo, que está ali lutando para sobreviver. Ele é um herói do povo” define Lázaro Ramos, que só usa dublê em cenas de muito texto.

Para não fazer feio nesse heroísmo, Lázaro treina com Mestre Cocoroca, de 34 anos, desde julho, aproveitando a experiência que ganhou na capoeira para o filme “Madame Satã”, de 2002. Marcello Melo Jr, o Caniço na trama, também participa das aulas. “São três por semana e o Lázaro leva muito jeito”, conta o mestre, recordista mundial em estrelas de capoeira, com 61 seguidas: “As cenas de luta dão trabalho. Levamos até um dia para ensaiá-las”.

Mestre Cocoroca explica que os passos de capoeira de Zé Maria e Caniço são inspirados nos do início do século passado, antes de a luta ter sido descriminalizada, em 1930. A legalização só ocorreu depois que um mestre da modalidade se apresentou para o presidente Getúlio Vargas, que se encantou.

Com tanta história para contar em uma trama com linda fotografia, figurino impecável e um elenco de primeira, agora é esperar para que deslanche.

 

http://diariosp.com.br

Lado a Lado: Isabel e Zé Maria: um amor de samba e capoeira

Lado a Lado nova novela das seis da Rede Globo

Camila Pitanga e Lázaro Ramos dão vida ao casal apaixonado da trama

Em Lado a Lado Isabel (Camila Pitanga) é uma moça sonhadora. Ela sonha com a liberdade, a igualdade e o amor. Vive em um cortiço com seu pai, Seu Afonso (Milton Gonçalves), um ex-escravo, homem trabalhador que exerce o ofício de barbeiro e dedicou sua vida para criá-la da melhor maneira.

Seguindo o exemplo do pai, desde os 14 anos Isabel trabalha na casa de Madame Besançon (Beatriz Segall) como criada. Foi com ela que aprendeu boas maneiras e também algumas palavras de francês. A vida nunca foi fácil mas a moça, batalhadora que é, nunca se deixou abater diante dos problemas e sempre lutou por seus ideais.

É na roda de samba que Isabel espanta seus males e alimenta sua ânsia de viver. Entrega-se de corpo e alma à dança e encanta a todos com seu gingado. E foi em um dia desses, na cadência do samba, transbordando alegria, que ela conhece Zé Maria (Lázaro Ramos). Ele apaixona-se logo à primeira vista. Ela, tinhosa, a princípio não lhe dá muita confiança. Mas o jeito sedutor do moço acaba acendendo uma luz em seu coração.

Zé trabalha na barbearia com Seu Afonso, mas guarda um segredo que não confessa nem para sua amada: é capoeirista, e dos mais habilidosos. Porém, no início do século XX, os “capoeiras” são sinônimo de bandidagem. É esse lado oculto que fará com que ele se envolva em algumas – injustas – confusões, que poderão abalar a relação dos dois.

‘Lado a Lado’ é a próxima novela das seis, de João Ximenes Braga e Claudia Lage, com direção de núcleo de Dennis Carvalho e direção geral de Vinícius Coimbra, com estreia prevista para setembro.

 

Fonte: http://redeglobo.globo.com

Literatura de Cordel: Bloco Cacique de Ramos

LITERATURA DE CORDEL CONTA A TRAJETÓRIA DO BLOCO CACIQUE DE RAMOS

 

 

Em 20 de janeiro de 1961 um grupo de jovens de Ramos, Olaria e Bonsucesso, fundava um pequeno bloco sem maiores pretensões. 50 anos depois, este bloco tornou-se um mito do carnaval brasileiro e sua quadra abriga um pagode onde passaram os maiores nomes do samba brasileiro e muitos ali foram revelados. É o Cacique de Ramos, patrimônio cultural do Rio de Janeiro. E pra contar a sua trajetória, o poeta popular Victor Alvim, conhecido também como “Lobisomem”, escreveu sua história no formato da tradicional LITERATURA DE CORDEL.

 

“Freqüentador da roda de samba do Cacique de Ramos, o autor tinha o rascunho deste cordel guardado há cerca de 5 anos e decidiu continuar a missão de terminar o texto para homenagear o bloco no seu cinqüentenário

 

 

“…O Brasil é terra rica

Na arte e na cultura

E tudo que vem do povo

Na sua expressão mais pura

É obra que emociona

Até a alma mais dura

 

E foi um dos grandes blocos

Que me chamou atenção

Despertou meu interesse

E tocou meu coração

Se tornando para mim

Fonte de inspiração

 

 

Um bloco muito animado

E também tradicional

Que arrasta multidões

Fenômeno sem igual

É o Cacique de Ramos

Um dos reis do carnaval…”

 

 

 

Pesquisando em livros, discos, jornais, vídeos e conversando com integrantes novos e antigos da agremiação, Victor reuniu as informações básicas que precisava para escrever. A origem das 3 famílias que fundaram o bloco; a rivalidade com o bloco “Bafo da Onça” do bairro do Catumbi; grandes nomes que passaram pela sua quadra e outros detalhes importantes.

 

 

“…E com essas três famílias

De Ramos e Olaria

Um capítulo importante

Do carnaval surgiria

Mas isso naquele tempo

Ninguém imaginaria

 

As mulheres já queriam

Dos grupos participar

As irmãs e namoradas

Foram reivindicar

Rapidamente atendidas Conquistaram seu lugar

 

E assim dessa maneira

Um novo bloco nasceu

O “Cacique Boa Boca”

De repente apareceu

Em homenagem aos índios

Esse nome se escolheu

 

 


Na década de 60

 

Começou a sua história

No ano 61

Registrado na memória

O Cacique começou

Sua carreira com glória…”

 

 

 

Conversas com Bira Presidente e Sereno, fundadores do bloco e integrantes do grupo Fundo de Quintal, foram primordiais para esclarecer dúvidas sobre nomes e fatos importantes.

 

 

“ …Na fundação do Cacique

Também temos que lembrar

De Ênio, Mendes e Dida

Everaldo e Alomar

E outras tantas figuras

Que é difícil enumerar…”

 

 

Membros da diretoria do Cacique como Tuninho Cabral, Ronaldo Felipe e Renatinho Partideiro, membros da diretoria e apaixonados pelo Cacique foram grandes colaboradores e incentivadores para que o cordelista publicasse o livreto ainda em tempo para as comemorações dos 50 anos do Cacique de Ramos que começam na próxima quinta feira dia 20 de janeiro na sede da Rua Uranos, 1326.

 

 

“…O bloco que começou

Somente por diversão

De uma turma de jovens

Sem nenhuma pretensão

Que jamais imaginavam

Que cumpriam uma missão

 

Que começou no subúrbio

Do velho Rio de Janeiro

Cresceu, ficou conhecido

Por esse Brasil inteiro

Transformando-se num mito

Do carnaval brasileiro

 

O Cacique é referência

Na música brasileira

Vem gente do Brasil todo

E até de terra estrangeira

Pra conhecer o Cacique

E a sua tamarineira

 

Desejamos ao Cacique

Um feliz aniversário

Parabéns por sua história

E pelo cinquentário

Vida longa e muito samba

Aguardando o centenário! …”

 

 

 

 

O AUTOR

 

 

“Lobisomem” é o apelido de Victor Alvim Itahim Garcia nascido no Rio de Janeiro em 21 de dezembro de 1973 na maternidade São Sebastião, filho de Joe Garcia e Nádia Itahim Garcia.

É capoeirista, discípulo de Mestre Camisa e membro da ABADÁ-CAPOEIRA. Compositor e poeta popular, foi eleito em 2007 para ocupar, na Academia Brasileira de Literatura de Cordel, a cadeira de nº. 27, tendo como patrono o poeta pernambucano Severino Milanês.

Publicou recentemente os folhetos “A Fantástica História de Zeca Pagodinho e o Disco Voador” e “O Maravilhoso Encontro de São Jorge com Jorge Benjor”.

Tem como objetivo maior sempre divulgar e elevar o nome da capoeira, do samba, da literatura de cordel e de toda a cultura popular brasileira.

 

 

Conheça nosso blog e torne-se tambem um seguidor:

 

www.quintal-do-lobisomem.blogspot.com

V Fórum de Capoeira e Cidadania e II Festival de Capoeira Inclusiva

Nos dias 13 e 14 de novembro, o Núcleo de Formação Cidadã (NFC) da Metodista realizará o V Fórum de Capoeira e Cidadania e o II Festival de Capoeira Inclusiva, coordenados pelo Prof. Ms. Eduardo Okuhara.

Nesta 5ª edição, o evento abordará a história da capoeira e contará com a presença do Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares, professor adjunto da Universidade Federal da Bahia, que destaca em seus trabalhos a história da escravidão africana no Brasil e atua principalmente nos temas Capoeira e Escravidão.

A entrada é franca. Confira abaixo a programação:

Dia 13 de novembro

Horário: das 19h30 às 22h
Local: Auditório Sigma
Capoeira: mitos e fatos – Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares
Homenagem ao mestre Capoeirista Cidadão 2009
Participação do Grupo Capoeirando na Metô

Dia 14 de novembro

Horário: das 10h às 14h
Local: Ginásio do Complexo Esportivo
II Festival de Capoeira Inclusiva
Cerimônia de Batizado dos integrantes do grupo Capoeirando na Metô.

Não é necessário realizar inscrição antecipada.

Parceiros:

Núcleo de Artes, Assessoria Pedagógica para Inclusão, Cátedra Gestão de Cidades, Projeto Capoeirando na Metô, Espaço Consciência Negra, V.I.V.A Capoeira e Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo.

Local: Universidade Metodista de São Paulo
Campus Rudge Ramos
Rua Alfeu Tavares, 149 – Rudge Ramos
São Bernardo do Campo-SP.

Mais informações:
Núcleo de Formação Cidadã
Telefones: (11) 4366 5968 / (11) 4366 5216

Bailarinos do Axé são convidados da Quinta da Dança

Crianças e adolescentes que integram o Projeto Axé Capoeira, serão a próxima atração do Quinta da Dança, projeto semanal na programação permanente do Pelourinho Cultural. A apresentação será na quinta-feira, dia 13, às 20h, no Largo Pedro Archanjo, sob a direção de Ivete Ramos da Cia. de Dança Gicá do Projeto Axé.

Intitulado Da Rua para a Lua terá, o espetáculo que será mostrado conta com a participação da Orquestra de Berimbau, formada por membros do Axé Capoeira com a supervisão de Gui Alcântara e sob a regência de Sylvia Britto.

O coreógrafo Eduardo Vieira reservou, ainda, uma mostra performática com alunos do projeto e a participação criativa de bailarinos da Escola de Dança do Axé Capoeira. Também a Cia. de Dança Gicá do Projeto Axé, titular do espetáculo, preparou três coreografias exclusivas para o Projeto Quinta da Dança, realizado em parceria com a Fundação Cultural do Estado da Bahia.

A noite contará com as apresentações das coreografias de Ivete Ramos, Nordeste Derradeiro e Capoeira Bicho. Para o encerramento, será encenada a performance que dá nome ao espetáculo, Da Rua para a Lua, coreografia de Marcelo Moacir, adaptada por Ivete Ramos.

Fonte: http://www.atarde.com.br

Capocabana: idosos do DF fazem aulão na orla carioca

Associação Brasileira de Capoterapia realiza o curso para capoeiristas que desejam atuar com terceira idade

Uma caravana de grupos de terceira idade do Distrito Federal visita o Rio de Janeiro de 28 a 30 de novembro. Mas não é apenas mais um passeio turístico. Eles participarão da demonstração prática do curso de Capoterapia, que será ministrado por Mestre Gilvan, idealizador dessa terapia e presidente da Associação Brasileira de Capoterapia (ABC).

Com 15 horas de duração, o curso terá a participação de 50 idosos que freqüentam, na capital federal, oficinas de capoterapia em centros de saúde, ongs e instituições de ensino. Durante o curso, serão qualificados e licenciados para atuação, profissionais interessados em difundir a proposta da capoterapia em sua região.

Promovido pela ABC, o Capocabana – como está sendo chamado o curso – acontecerá na orla carioca e nas dependências do Sesc Ramos, onde ocorre a parte teórica. O evento tem o apoio da Federação de Capoeira Desportiva do Rio de Janeiro. Confira a programação e conheça mais o trabalho da ABC no site www.capoterapia.com. Inscreva-se e não deixe de participar desse importante curso.

Programação do Curso Teórico e Prático de Capoterapia

28 de novembro, sexta

18 h – Aulão de Capoterapia em Copacabana (em frente ao Copacabana Palace)

Dia 29 de novembro, sábado

9 as 12 h – Aulão de Capoterapia em Ipanema (em frente ao Barril)

14 às 19 h – Curso de Capoterapia no SESC Ramos

Dia 30 de novembro, domingo

9 às 12 h – Capoterapia em Copacabana (em frente ao Copacabana Palace)

Informações e inscrições

GILVAN ALVES DE ANDRADE
Presidente da ABC (61) 9962 2511 – 3475 2511

MANO LIMA
Assessor de Comunicação da Associação de Capoeira Ladainha
(61) 8407 7960 – mano.lima@yahoo.com.br

Nota de Falecimento: Mestre Azeite

Aos amigos Capoeiristas,

Infelizmente, foi embora mais um grande amigo e um histórico capoeirista.

Faleceu hoje, MESTRE AZEITE, do Grupo Senzala, formado em 2006 por Mestre Peixinho.

Saudades de um grande amigo… Sem palavras!!!

 

Mestre Ramos

Aconteceu: “Mulher, Educação e Movimentos Sociais”

CAPOEIRA ANGOLA NA UFRGS
No dia 06 de Março de 2007, Obá Oloriobá e Inajara Ramos participaram do Seminário "Mulher, Educação e Movimentos Sociais", realizado pelo DAFE da UFRGS.
Oloriobá falou sobre "Mulheres e manifestações culturais afrodescendentes em uma proposta de educação étnico-social", ao lado de Maria Conceição da ONG Maria Mulher, que explanou sobre as Mulheres negras e a Educação.
 
Ao final das palestras, teve momento artístico-cultural onde Inajara e Oloriobá tocaram berimbau e jogaram capoeira angola em memória à Acotirene, N'zinga, Dandara e a todas as mulheres guerreiras de nosso País.
 
 
ANGOLEIRAS À FLOR DA PELE
 
Poesia criada por Inajahra Ramos
 
"Somos mulheres angoleiras, por natureza guerreiras.
Vivemos no mundo da capoeira angola.
Capoeira angola, que ajuda a contruir identidades, autonomia, respeito ao próximo.
O berimbau comanda a trilha sonora de um vida, onde se aprende a perder e também a ganhar.
Compartilhar os saberes, a respeitar o mais velho ou aquele que possui mais conhecimento, adquirido ao longo de sua trajetória. "O valor dos ancestrais'.
A capoeira nos leva a uma viagem imáginária à África existente dentro de todos nós brasileiras/os.
Com a Áfricanamente conquistamos nosso espaço de mulheres multiplicadoras, expressando linguísticamente e corporalmente os saberes infinitos do universo da capoeira."
Postado por AFRICANAMENTE no AFRICANAMENTE ESCOLA DE CAPOEIRA ANGOLA: http://africanamenteescoladecapoeiraangola.blogspot.com