Blog

risco

Vendo Artigos etiquetados em: risco

Ladeira da Montanha: Moradias e Estabelecimentos em risco

Moradores se recusam a desocupar casarões: Ocupantes dos imóveis preferem o risco do que ir parar em abrigos

Depois de o juiz Paulo Pimenta, da 16ª Vara Federal, ter deferido em parte o pedido de liminar feito pelos ministérios públicos Estadual e Federal para desocupar e interditar os casarões apontados pela Defesa Civil (Codesal) como de alto risco, muitos moradores demonstram que vão dar trabalho para sair.

Ontem, o CORREIO visitou a Rua do Julião, no Comércio, onde segundo o relatório da Codesal de 2009 há a maior concentração dos imóveis considerados de alto risco, com 13 casarões em uma única rua. No casarão de nº 57, o líder comunitário Onassis Brito vive há 40 anos e diz que não pretende sair do imóvel.

“Nós não queremos abrigo. Por que eles não viram essa situação antes? Abrigo não é solução para ninguém. Tem que encaminhar a gente para o programa Minha Casa, Minha Vida e dar moradia com dignidade para quem não pode pagar”, reclamou.

Já no casarão 49 da Ladeira da Montanha, descrito pela Codesal com “fachada com desprendimento de reboco, infiltrações e esquadrias soltas” e que também estaria desabitado, funciona hoje o Centro Cultural Mistura Africana.

“Eu moro aqui há mais de 30 anos e a gente paga IPTU. O casarão está sendo reformado por mim mesmo e não tem problema nenhum”, disse o comerciante Luís Carlos Salvador, 54 anos. “Não há governo nenhum que vá tirar meu povo daqui. Aqui não tem nada pingando. Nada quebrado”, complementou o mestre de capoeira, Raimundo Vital, 44. Segundo ele, no local é ensinado capoeira, percussão, samba de roda e maculelê.

Defasado


Em 2009, ano em que foi elaborado o relatório que serviu de base para a ação judicial, cerca de 40% dos 111 casarões avaliados como de alto risco estavam habitados. Quase dois anos depois, a Codesal admite que o relatório está defasado e não corresponde à situação atual e que não sabe quantos estão habitados.

“Ainda não temos resultado desse novo mapeamento, pois é um trabalho minucioso e delicado. Estamos num momento delicado, de Operação Chuva, por isso o novo estudo ainda não foi realizado”, informou a Codesal, através da assessoria.

Liminar  De acordo com a decisão do  juiz da 16ª Vara Federal, a Prefeitura e a Codesal devem cadastrar todos os moradores dos casarões em risco pra que eles sejam encaminhados para novas habitações. Além disso, a Defesa Civil tem que elaborar placas indicando o nível do risco do imóvel.

Segundo a liminar, ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), à União e ao Estado cabem realizar as intervenções na estrutura física dos imóveis. O não cumprimento da liminar implicará em multa de R$ 1 mil por dia.

A assessoria da Advocacia-Geral da União informou que já foi notificada, no entanto, só irá se manifestar “após analisar a decisão”. Já o governo do estado informou que os técnicos da  Companhia de Desenvolvimento Urbano  analisam a situação individual de cada imóvel para adotar medidas preventivas, mas o órgão não informou quais medidas implementará para executar a decisão da liminar.  Procurados pelo CORREIO, nenhum representante do Iphan não se manifestou até o fechamento desta edição.

http://www.correio24horas.com.br/

Haiti em uma palavra? Esperança

Os tremores hoje são como acontecimentos quase que naturais. Agora há pouco foram dois; o primeiro aparentemente forte. Estava em minha mesa imprimindo alguns documentos, e por um momento pensei que fosse a impressora. Mas, ao olhar para a mesa ao lado e ver um monitor balançando, compreendi que não era a impressora e sai rapidamente. Por fim, não sei se a terra realmente está tremendo ou se o meu corpo é que não parou de tremer desde o primeiro.

No momento do tremor, a sensação é de que o cérebro automaticamente acessa as informações do primeiro, as lembranças chegam em uma fração de segundo. E com elas, o medo de que este seja tão forte quanto o primeiro, que alcançou 7.2 graus na escala Richter. E a diferença de força entre um e outro é bem grande; o de 7.2 chega a ser 22 vezes mais forte. Aparentemente, teremos de conviver por algum tempo com os tremores. Espero em Deus que não sejam tão fortes quanto o primeiro, pois isso iria ampliar os problemas para um grau que não podemos prever, como ainda não podemos prever a extensão das consequência do primeiro.

Aos poucos, notamos que algumas pessoas estão deixando a capital, indo para as províncias, para as áreas rurais. O que abre precedente para tornar a ajuda mais rápida. Talvez seja possível, ao invéis de centralizar toda ajuda em Porto-Principe, criar campos de apoio nestas cidades, com toda estrutura possível, e remover as famílas que hoje ocupam as praças. Isso ampliaria também o campo de trabalho para a remoção dos escombros e resgate das vítimas, bem como diminuiria as possibilidades de uma epidemia, um risco grande aqui.

Quanto a nós, seguimos com o trabalho, dentro das nossas limitações. Com o risco eminente, continuamos dormindo no quintal da casa; brasileiros, haitianos, noruegueses. Onde temos uma visão fantástica do céu, das estrelas. O sentimento em mim é de que não estamos sozinhos, nem desprotegidos. E parece que ouço uma voz dizer que tudo ficará bem…

Haiti, 21 de janeiro, 11:30 am

Aos poucos, a situação parece apresentar sinais de melhoria, apesar de muitos escombros estarem ainda por serem removidos. O volume de trabalho é grande, bem maior do que a infra-estrutura disponível no momento. Mas, já podemos ver que a situação é bem diferente de alguns dias atrás. Não tenho dúvida de que as equipes de resgate estão empenhando ao máximo as suas forças para tornar o trabalho mais ágil, e minimizar ao máximo o sofrimento dos que ainda ainda esperam por ajuda sob os escombros.

E ainda que existam aqueles que se valem da necessidade e da fome para promover a violência e o desespero, ferindo ainda mais a sua própria gente.

Ainda que existam aqueles que poderiam ajudar (fazer a diferença), mas que preferem assistir tudo de longe, entre as quatro paredes da sua sala refrigerada, cujo a proximidade maior do problema não vai além do alcance do seu controle remoto ou do cursor do seu computador.

Ainda que existam aqueles cruéis o bastante para de dizer que a raça ou o credo é o causador de tanto sofrimento…

Existem aqueles que movem todos os seus recursos e esforços para garantir o mínimo de segurança e dignidade para aqueles que sobreviveram, para minimizar o sofrimento das pessoas e cuidar de suas feridas.

Existem aqueles que deixaram seu país, o conforto e a segurança do seu lar, o carinho da família para estar ao lado de pessoas que sequer conheciam.

Existem aqueles que são humanizados o suficiente para exergar no próximo o laço incontestável da família terrena.

Existem aqueles “loucos” que acreditam, seguem em frente, e com a sua loucura contagiante arrebanha multidões para o bem.

E é por esses e outros que a confiança aumenta a cada dia, que a nossa força cresce. É através de exemplos como esses que seguimos acreditando que a  vida é ainda mais forte do que qualquer coisa e que a esperança sobrevive às piores provações.

Fonte: http://flaviosaudade.files.wordpress.com

 

Cidadania: Gingando pela Paz no Haiti – Relatos de um capoeirista em terras haitianas

O GINGANDO PELA PAZ nasceu de atividades realizadas ao longo de quatro anos em diversas comunidades do Rio de Janeiro que tinham como foco a mobilização popular para temas de interesse público. A inspiração surgiu com a participação do Contramestre Saudade, à época com 21 anos de idade e professor em capoeira, no Serviço Civil Voluntário, projeto oferecido pelo Viva Rio que objetivava ser uma alternativa ao Serviço Militar obrigatório, e estava direcionado para jovens em situação de risco social que ainda não tinham concluído o ensino fundamental. O contato com disciplinas como Direitos Humanos e Cidadania, a participação em ações voluntárias em comunidades como as Campanhas contra a Dengue e de Paz no Trânsito, somada a experiências internacionais em países como Zimbabwe, África do Sul, Alemanha e Espanha, levou-o a idealizar um projeto que objetivasse fortalecer a atuação da capoeira para o desenvolvimento social.

 

Cultura, música e diversão: ONG realiza trabalho social com crianças e jovens em Atibaia

Em Atibaia, uma organização não-governamental está levando cultura, diversão e música para crianças de um bairro da cidade. O trabalho social deu tão certo que alguns ex-alunos se tornaram monitores dos mais jovens.

O dia começa cedo, com uma oração e um hino, mas o que elas querem mesmo é brincar. “Aqui tem brincadeiras, tem artes, tem capoeira, tem música”, disse a aluna, Talia Cristina Souza, 11 anos.

A ONG Curumim cuida de cerca de 100 crianças entre sete e 14 anos que moram na região do bairro Caetetuba, em Atibaia. Em 14 anos de existência, são mais de duas mil crianças atendidas. “O grande sentido desse trabalho, são as crianças e os adolescentes”, disse o presidente da ONG, Paulo Arthur Malvasi, presidente da ONG. “Que a gente possa construir uma cultura de paz, em territórios marcados por situações de risco, de exclusão e de violências de todo o tipo”, completou.

Paulo conheceu o Curumim quando tinha 12 anos. Hoje com 26, é monitor da ONG, e um exemplo pra criançada. “O Curumim conseguiu me mostrar um pouco do dom que a gente tem, é um pouco do que eu tento mostrar para as crianças nas oficinas”, falou o monitor, Paulo César Dias.

 

Fonte: http://www.vnews.com.br

Capoeira na Nova Zelândia

O Grupo de Capoeira Cordão de Ouro, representado pelo professor de Capoeira e pedagogo Ely Alves e mais quatro alunos, participa do Brazilian Arts Festival em Christchurch, maior cidade da Ilha Sul da Nova Zelândia. Eles passarão fevereiro dando aulas e fazendo apresentações no País. Também participarão de um final de semana de apresentações em Wellington, capital da Nova Zelândia, a convite da Embaixada Brasileira.

O trabalho do grupo começou em Brasília com projetos que atendiam crianças e adolescentes em situação de risco social em abrigos da cidade. A capoeira é usada para promover a inclusão social desses jovens. Os alunos da ONG que representarão o Brasil no evento estão indo com recursos próprios.

Instituto Volta Por Cima: Capoeira por uma sociedade melhor

Instituto Volta por Cima promove encontro de três dias para mostrar que a capoeira é um belo elemento de inclusão social.
 
Começa nesta quinta-feira (21), às 19h, e vai até do dia 23/6 o Festival Cultural Cordão de Ouro. O Instituto Volta Por Cima – Capoeira Educação e Cultura e a Academia Cordão de Ouro realizam o Festival. A programação do evento contará com palestras, aulas de dança folclórica e de Capoeira, além de Batizado de Capoeira e exibição para convidados.
O maior objetivo dos organizadores é difundir a cultura brasileira e levá-la até jovens carentes que vivem em situação de risco como opção de fulga da violência e da marginalidade, promovendo a inclusão social através do esporte.
"A nossa ONG desenvolve trabalhos desde 2001, procuramos promover um contato maior dos jovens com a identidade brasileira. A história da capoeira está ligada a história do Brasil e de seu povo. Esperamos em torno de 300 pessoas para os três dias evento", conta Eurico Lopes Barreto, Mestre de Capoeira e participante da ONG Cordão de Ouro.
 
Mestre Cláudio Danadinho, professor de Arquitetura da UnB, abre o Festival com palestra sobre sua tese de doutorado que aborda a capoeira e a arquitetura como sistemas culturais de suma importância para a cultura mundial.
 
Quem comanda a Oficina de Capoeira Regional é o Mestre Onça Negra, reconhecido e respeitado por quem entende de capoeira. E não é para menos, Onça Negra é filho de Mestre Binha, primeiro mestre a metodizar o ensino do esporte. A Oficina de danças Folclóricas fica por conta do professor Ferpa, que veio de Campinas, SP, especialmente para o Festival.
 
O Instituto Volta Por Cima coordena o Programa de Intercâmbio Brasil Suécia – que fomenta a prática da Capoeira na Suécia  e o Projeto Social Aprendendo com a Cultura Brasileira – que atende crianças e jovens em situação de risco em Brasília.
 
Com um número cada vez mais significativo de praticantes no estrangeiro, a Capoeira hoje está presente em mais de 156 países. Só o trabalho do Grupo Cordão de Ouro em Israel, conta com 5.000 alunos. Na Suécia, o número de praticantes no grupo passa dos 100.
 
No Brasil, a capoeira vem sendo utilizada com sucesso como instrumento de arte-educação e inclusão social. É o caso do projeto social “Aprendendo com a Cultura Brasileira” desenvolvido pelo Instituto Volta Por Cima em parceria com a Academia Cordão de Ouro. Em funcionamento desde 2002, o projeto atende a 60 jovens e crianças abrigadas e/ou em situação de risco no DF.
 
A abordagem do Projeto utiliza a identidade cultural brasileira como forma de educação e inclusão social. O impacto positivo é comprovado pelo depoimento das “mães sociais” que atestam a melhoria nos âmbitos familiares e escolar.

ONG, em Brasília, promove aulas gratuitas de capoeira para a comunidade


ONG, em Brasília, promove aulas gratuitas de capoeira para a comunidade e crianças em situação de risco social como forma de promover a inclusão social.


Nota à Imprensa
 

Associação Cordão de Ouro lança Programa de Resgate e Promoção da Cultura Popular com 08 Oficinas abertas à comunidade e vagas gratuitas.
 
Com o Objetivo de promover a Cultura Popular, a Associação Cordão de Ouro lançou um Programa com 08 Oficinas de Capoeira e Maculelê abertas à comunidade de Brasília e com vagas gratuitas.
As oficinas visam apresentar a capoeira para o público leigo, e que tem interesse em conhecer essa arte levando em conta seus rituais e raízes.
O último período de oficinas de julho a setembro de 2006 encerra o Programa em conjunto com o III Encontro de Intercâmbio Brasil Suécia. Na programação: palestras, oficinas e debates para estrangeiros e brasileiros praticantes de capoeira. Obs: As oficinas, assim como toda a programação do Evento serão abertas a toda a comunidade de Brasília.
 
Para maiores informações visitem o link:
 
http://www.cordaodeouro.org/index.php?secao=secoes.php&sc=3&id=160
 
Projeto Aprendendo com a Cultura Brasileira comemora 04 anos e renova programa de educação e inclusão social para jovens em situação de risco por mais um ano.
 
No Brasil, a capoeira vem sendo utilizada com sucesso como instrumento de educação e de inclusão social. É o caso do projeto social “Aprendendo com a Cultura Brasileira”. Em funcionamento desde 2002, o projeto atende a 60 jovens e crianças em situação de risco no DF, contribuindo para seu desenvolvimento físico e psíquico e para sua inclusão social por meio do relacionamento com os outros alunos do grupo. O impacto positivo também ficou claro para as “mães sociais”. As crianças atendidas, além da vivência cultural, obtiveram melhorias nos âmbitos escolar e familiar. Atualmente, o projeto atende quarenta crianças e conta com três profissionais que utilizam as potencialidades educacionais da capoeira e do folclore Brasileiro para promover a educação e inclusão desses jovens.
 
Felipe - João Grande - Na Volta por Cima...
Academia Cordão de Ouro | Instituto Volta por Cima
CLN 107, Bloco "A", Ap. 208 CEP 70743-510 Brasília DF, Brasil
+55 61 3443.8450 | 8111.0647 | www.cordaodeouro.org

COLESTEROL E ALIMENTOS

ENTENDA POR QUE O COLESTEROL FAZ MAL

Todo mundo fala de colesterol – que ele traz problemas ao coração, que não pode comer isso, não pode comer aquilo… mas você sabe direito porque ele faz mal?

Em primeiro lugar: um nível de colesterol no sangue superior a 240 mg/dL eleva, sim, os riscos de uma pessoa ter doenças do coração (que podem levar ao infarto), e também de ter derrame cerebral e outros problemas circulatórios, como trombose.

Isto acontece porque essas doenças são causadas por aterosclerose (quando substâncias gordurosas se acumulam nas artérias, estreitando ou entupindo-as).

É por isso que devemos limitar o consumo de alimentos que contenham colesterol. Mas não basta cortar a gordura, é preciso manter uma dieta de baixa caloria, porque todo nutriente em excesso é transformado em gordura dentro do corpo.

Como os sintomas do colesterol alto só são percebidos quando começam as complicações, é importante monitorar sempre os níveis de colesterol através de exames de sangue. Além disso, consulte sempre seu médico. Ninguém melhor que ele para orientá-lo sobre como cuidar da saúde.

SAIBA O O QUE SÃO O COLESTEROL BOM E O COLESTEROL RUIM

As substâncias que transportam o colesterol dentro do corpo são chamadas de lipoproteínas. Elas são de dois tipos. Um é o chamado "colesterol ruim", que causa o entupimento das artérias. Outro é o "colesterol bom", que ajuda a evitar esse processo.

O LDL e VLDL (lipoproteínas de baixa e muito baixa densidade), ou "colesterol ruim", contêm os maiores componentes de gordura. As LDL têm normalmente de 60 a 80% do colesterol total. Elas ajudam a carregar o colesterol para dentro do tecido arterial e são as responsáveis pelo estreitamento e entupimento das artérias.

O HDL (lipoproteínas de alta densidade), ou "colesterol bom", contém a menor quantidade de colesterol e pode proteger as artérias de duas maneiras: levando o colesterol para longe da parede arterial, a fim de ser transformado em bile no fígado e excretado pelo intestino, e competindo com o LDL para ingressar nas células da parede arterial.

Mas mesmo o colesterol ruim é útil ao corpo. O colesterol é necessário em muitas funções corporais complexas, incluindo a síntese do estrogênio, androgênio e progesterona, que são os hormônios responsáveis pelas características sexuais secundárias, masculinas e femininas. Ele também desempenha um papel importante na formação das secreções biliares que emulsificam a gordura durante a digestão.

Mas isso não significa que a gente deva incluir o colesterol da alimentação. Isso porque até mesmo um indivíduo que consome uma dieta isenta de colesterol tem colesterol no corpo, já que ele é sintetizado (produzido) pelo nosso organismo.

Redação Terra com informações da nutricionista Alessandra Caviglia

Conheça os alimentos que protegem seu coração

Você já deve saber que a gente não deve comer certos alimentos para não aumentar a taxa de colesterol no sangue, certo? Mas você sabia que também existem alimentos que podem ajudar a combater o colesterol e melhorar sua saúde como um todo?

Esses alimentos protegem o coração de diversas maneiras. Ele podem, por exemplo, diminuir a taxa do colesterol ruim, ou aumentar a taxa do colesterol bom. Conheça quais são eles e inclua-os em sua dieta:
 

  • Alcachofra
  • Aveia
  • Azeite
  • Chá
  • Farelos e cereais integrais
  • Laranja
  • Oleaginosas
  • Peixe
  • Soja
  • Vinho

Redação Terra

CAMPEÕES DE SAÚDE: AZEITE

Desde a década de 70, a baixa incidência de doenças cardíacas nas regiões banhadas pelo Mediterrâneo (Itália, Espanha, Sul da França, Grécia) chamou a atenção de pesquisadores. Eles acabaram por descobrir que o azeite de oliva era um dos principais ingredientes de sua culinária.

As propriedades benéficas do azeite, principalmente virgem, são:
 

  • diminuir o colesterol das artérias (levando-o de volta ao fígado) e, conseqüentemente, ajudar no combate de doenças cardíacas;
  • combater a hipertensão e alguns tipos de câncer
  • proteger e fortalecer os aparelhos digestivo e imunológico

Mas atenção: o azeite deve ser usado sempre cru, para dar sabor e finalizar os pratos. Se você usá-lo para cozinhar, ele vai saturar muito rápido, transformando tudo que tem de bom em ruim. Para cozinhar, use óleos de girassol, canola ou milho.

Bianca Piragibe/Redação Terra

CAMPEÕES DE SAÚDE: FARELOS E CEREAIS INTEGRAIS

Os cereais – como o arroz e o trigo – são uma excelente fonte de carboidratos ricos em amidos e fibras. Os farelos são compostos pela casca externa indigerível destes grãos.

Os benefícios que eles trazem à saúde são:
 

  • ajudar a prevenir a prisão de ventre;
  • ajudar a diminuir as taxas de colesterol no sangue;
  • gerar uma sensação de saciedade que pode levar à perda de peso; e
  • reduzir o risco de alguns tipos de câncer, especialmente os associados à obesidade (no intestino e no estômago).

Mas não exagere: o excesso de farelo reduz a absorção de cálcio, ferro e zinco e pode causar irritação intestinal, distensão abdominal e flatulência. O ideal mesmo é consumí-lo não puro, mas em alimentos que o contenham, como o arroz integral e o pão integral.

Bianca Piragibe/Redação Terra

CAMPEÕES DE SAÚDE: FRUTAS CÍTRICAS

Este é o grupo de alimentos mais famoso no combate a doenças. Afinal, quem não sabe que o melhor remédio para a gripe é "vitamina C e cama"?

Os alimentos que se destacam são o limão, a laranja e a acerola, que podem ser usados em molhos, sucos, sorvetes, doces, geléias, compotas…

Em 100 gramas da parte comestível da acerola, pode-se encontrar até 80 vezes mais vitamina C que na mesma quantidade de limão ou laranja. Nem é preciso tanto! Uma laranja de tamanho médio contém cerca de 70 miligramas desta vitamina – uma quantidade maior do que as necessidades diárias de um adulto.

A vitamina C:
 

  • protege contra o envelhecimento das células; e
  • ajuda a reduzir o risco de certos tipos de câncer, ataques do coração, doenças pulmonares e derrames cerebrais.

A acerola também está relacionada ao combate de diabetes, disfunções do fígado, cicatrizações difíceis e disenterias, a laranja pode ajudar a reduzir o colesterol e o limão atua contra inflamações e alguns tipos de câncer.

Campeões de saúde: Oleaginosas

Nozes, amêndoas, castanhas… são todos famosos por serem muito calóricos e, inevitavelmente acabam expulsos das dietas de quem busca mais saúde. Então, o que eles fazem nesta lista?

Bem, só para começar: as nozes são o alimento vegetal que apresenta uma maior quantidade de antioxidantes, responsáveis por combater o envelhecimento celular e prevenir muitas doenças, como:
 

  • doenças coronárias;
  • diversos tipos de câncer; e
  • loucura.

A lista de benefícios não pára por aí. Se consumidas sem exagero, as oleaginosas não engordam e ainda:
 

  • diminuem o risco de morte súbita associada à parada cardíaca;
  • diminuem e o nível de colesterol no sangue; e
  • podem ajudar a prevenir alguns tipos de câncer.

Campeões de saúde: Peixe

O peixe é uma excelente fonte de proteínas completas, ferro e outros minerais, além de conter os célebres ácidos graxos ômega-3. São eles os grande responsáveis por grande parte da enorme lista de benefícios à saúde que ele traz.

O consumo regular de peixe:
 

  • diminui o desenvolvimento de doenças do coração e aterosclerose;
  • em idosos, diminui o risco de desenvolvimento do mal de Alzheimer e outros tipos de demência, ao reduzir a inflamação do cérebro e ajudar no desenvolvimento cerebral e na regeneração das células nervosas;
  • provavelmente por motivos semelhantes, proporciona um melhor desempenho acadêmico das crianças,
  • ajuda a aliviar os sintomas de depressão, como tristeza, ansiedade e problemas no sono;
  • tem influência no controle da pressão arterial;
  • colabora com a coagulação do sangue;
  • alivia os sintomas da artrite reumatóide; e
  • protege a pele contra raios UV e inflamações
 

Campeões de saúde: Soja

A soja é uma das plantas mais nutritivas e versáteis. É uma boa fonte vegetal de proteína, ferro e outros minerais e pobre em calorias e gorduras.

Estudos indicam que ela:

  • aumenta o colesterol bom e diminui ruim no sangue e, com ele, o risco de doenças do coração;
  • previne algumas formas de câncer, em especial o de mama;
  • as isoflavonas, presentes na soja, combatem sintomas da menopausa, como o fogacho (calorões), e podem evitar osteoporose. Seu uso é muito indicado principalmente para mulheres que não podem ou não querem fazer a reposição hormonal.