Blog

ritmo

Vendo Artigos etiquetados em: ritmo

Capoterapia oferece 2,5 mil vagas para idosos no DF e no Entorno

Estão abertas 2,5 mil vagas gratuitas para Capoterapia, terapia que adapta capoeira a pessoas da 3ª idade, em 25 locais do DF e do Entorno. As atividades são realizadas por professores voluntários(confira os locais).

Atividades são gratuitas e realizadas por professores voluntários.
Diferença para a capoeira tradicional está no ritmo e na intensidade.

Uma das diferenças da capoeira tradicional para esse novo método está no ritmo e na intensidade. Assim como na capoeira, na capoterapia há a ginga, movimento tradicional da capoeira, e os alunos têm pequenas noções da esquiva, que é o ato de se desviar de um golpe. No entanto, não há saltos nem golpes mais contundentes.

A atividade também é indicada para cegos, pessoas com deficiência mental e cadeirantes. Já quem tem doença cardíaca deve evitá-la.

De acordo com o grupo, que divulga as atividades em um site, as vantagens para idosos são a diminuição da dependência química de remédios para hipertensão, diabetes, colesterol e a recuperação do vigor e ampliação da força e tonicidade muscular. Além disso, faz integração social e amplia o círculo de amizades.

Fonte: http://g1.globo.com/

Transe de Orixás

 

O encéfalo humano ao entrar em sintonia ou ressonância com determinados ritmo-melodias tem o potencial de modificar o estado de consciência, manifestando então propriedades psicossomáticas ou padrões de comportamento  individuais ligados à estrutura e ao funcionamento do Sistema Nervoso  Central (SNC), vinculados sobretudo à constituição anatômica e funções do tronco cerebral.

A estes padrões de comportamento induzidos pelo efeito mântrico do ritmo-melodia do atabaque e cânticos, os antigos africanos denominaram de “orixás”, “inquices”, “vodus”, etc. de acordo com os diferentes dialetos e grupos lingüísticos.

As diversas categorias de comportamento foram agrupadas consoante paradigmas  comportamentais de personagens míticas, históricas ou ancestrais, cujas características pessoais aparentemente eram assumidas (manifestadas) pelo personagem atual.

Tudo se processava como se o ancestral retornasse do mundo oculto (imanifesto) e assumisse o controle do corpo do personagem atual, caracterizando-se então o arquétipo como uma divindade.

No Brasil os adeptos do candomblé e de umbanda denominaram de “estado de santo” ao estado modificado de consciência induzido pelo ritmo-melodia adequado.

De modo similar, o ritmo “ijexá” [1] conduz os capoeiristas a um estado similar, que denominamos de “estado transicional de capoeira” ou “estado de capoeira”, diferenciando-se este último por não obedecer a  padrões comportamentais padronizados e sim pela manifestação das características individuais de cada praticante.

O fenômeno aparentemente consiste na manifestação pelo ator de suas propriedades ou características humanas individuais, especificas ou particulares, ligadas à estrutura e funções do seu paleocórtex (cérebro interno, Innere Gehirne de Kleist) liberadas do controle das estruturas mais recentes do neocórtex, responsáveis pelas superestruturas psicossociais (Gemeinschaft-Ich e  Welt-Ich, Eu Moral e Eu Social, de Kleist).

Ø      Em outras palavras, o ritmo ijexá libera o cérebro emocional do controle das funções racionais e permite a manifestação do arquétipo humano (hominal) através a linguagem gestual da capoeira, pelo bloqueio do controle dos circuitos responsáveis pelos freios psicossociais.

o       Processo que abre a perspectiva de criação de circuitos vicariantes capazes de suprir deficiência ou ausência de outros lesados e/ou deficientes, que poderão posteriormente ser adicionados aos lobos frontais, tornando possível retomar os controles voluntários, tornando compreensíveis algumas melhoras clínicas inexplicáveis sem esta hipótese.

Observações finais:

Pesquisar e desenvolver a importância relativa de:

 

  • Infra-sons do atabaque

 

o       Existem?

o       Impressionam o tato?

 

  • De outros instrumentos musicais
  • Da palavra e solfejo
  • Sensibilidade individual
  • Influência carismática do líder
  • Influência interpessoal da comunidade (campo mental coletivo)
  • Papel do equalizador emocional

 

Transe de orixás

Transe de Orixás

 

[1] Um dos toques musicais de candomblé, raiz musical de várias manifestações populares áfrico-brasileiras (capoeira, batuque, samba de roda, afoxé)

Decanio Filho, A. A.

7/1/2001

Frevo: 105 anos de resistência popular

O ritmo frenético com influências do maxixe e elementos da capoeira completa nesta quinta-feira (9) 105 anos de sua autenticidade.

O termo de origem frevo era a gíria que designava algo que estava fervendo ou na linguagem popular “frevendo”, o que lembrava milhares de pessoas com gingado inconfundível de passos soltos fervendo nas ladeiras de Olinda.

O frevo é a essência do carnaval pernambucano cantado em uníssono pelas troças carnavalescas e está presente na musicalidade de vários compositores e intérpretes da música Brasileira. Canções como “Não Puxa Maroca” pela orquestra Vitor brasileira comandada por Pixinguinha, “Frevo Mulher” de Zé ramalho, “Frevo rasgado” por Gilberto Gil e Bruno Ferreira e “Frevo Diabo” por Chico Buarque e Edu Lobo entre outros clássicos.

Apesar da comercialização do carnaval, o frevo permanece com suas raízes evidenciando um verdadeiro fenômeno de resistência popular que vem conquistando adeptos em todo mundo. Dessa forma a paixão dos brasileiros pelo ritmo que mais representa a maior festa popular está declarada nas canções de Alceu Valença.

Os 105 anos de Frevo-de-Rua, Frevo-Canção e Frevo-de-Bloco será comemorado em todo país com blocos, troças e bailes traduzidos numa manifestação musicalmente e coreograficamente pela legitimidade do nosso patrimônio cultural. A comemoração vai para além da quarta-feira de cinzas, a quarta-feira ingrata que nos deixa saudade “Quem tem saudade, não está sozinho. Tem o carinho, da recordação”, dizia os mestres do frevo, Nelson Ferreira e Aldemar Paiva no canção “Frevo da Saudade”.

Supervisão: Thayanne Magalhães

Fonte: http://primeiraedicao.com.br

Espanha: A Experiência Pedagógica da Capoeira

Centro de Estudos Brasileiros oferece um espaço para estudantes de doutorado brasileiros expostos à comunidade universitária e seus projetos de pesquisa.

Dentro desta área, próxima sexta-feira, 18 de novembro apresenta o seminário “A experiênciametodológica e pedagógica a arte da Capoeira em escolas públicas e privadas na cidade de Salvador de Bahia, Brasil“, de Jorge Odilon Daltro de Góes.

A capoeira é uma arte interdisciplinar que inclui várias educacionais, culturais, artes marciais e esportes. A arte da capoeira é história, filosofia de vida, música, dança, jogo, luta, ritmo, educação, cultura é a arte de brincar com nossos corpos no tempo e no espaço, não só do ponto de vista de habilidades motoras, mas a contextualização de sua própria identidadehistórica.

O seminário tem como objetivo discutir as bases históricas e ideológicas que fundamentam a arte da capoeira como educação formal, a partir da análise do processo de integração desse fenômeno no contexto escolar. Odilon Góes é advogado, professor e mestre da arte da capoeira, criador da técnica Hidrocapoeira.

programa

Perspectiva histórica comparativa, política e educação eo direito de propriedade pela Universidade de Salamanca.

A entrada é gratuita

Seminario: La experiencia pedagógica de la Capoeira

 

 

Lugar: Palacio de Maldonado-Plaza de San Benito, 1Fechas/Horarios 18/11/2011 – 18/11/2011 12:00

Organiza: Centro de Estudios Brasileños

Contenido: El Centro de Estudios Brasileños ofrece un espacio para que los doctorandos brasileños expongan a la comunidad universitaria sus investigaciones y proyectos. Dentro de ese ámbito, el próximo viernes, 18 de noviembre, se presenta el seminario “La experiencia metodológica y pedagógica del arte de la Capoeira en centros de enseñanza públicos y privados en la ciudad de Salvador de Bahia-Brasil”, impartido por Odilon Jorge Daltro de Góes. La capoiera es un arte interdisciplinar que incluye varios aspectos educativos, culturales, marciales, deportivos y artísticos. El arte de la capoeira es historia, filosofía de vida, música, danza, juego, lucha, ritmo, educación, cultura… es el arte de jugar con nuestro cuerpo en el tiempo y en el espacio, no sólo desde el punto de vista de la psicomotricidad, sino de la contextualización de su propia identidad histórica. El objetivo del seminario es discutir las bases históricas e ideológicas que fundamentan el arte de la capoeira como educación no formal, a partir del análisis del proceso de inserción de este fenómeno en el contexto escolar. Odilon Góes es Abogado, Profesor y maestro del arte de la capoeira, creador de la técnica Hidrocapoeira. Doctorando del programa Perspectivas Históricas Comparadas, la Política y la Educación y Derecho patrimonial” por la USAL. La entrada es libre hasta completar el aforo.

 

Correo: egambi@usal.es

Fax:Teléfono: 923 29 48 25

Persona: Esther Gambi

 


Pernambuco: Roda à Fantasia – Capoeira São Salomão

Em Pernambuco, que é um dos pólos históricos da Capoeira, uma das características dessa manifestação é a ligação dos seus sujeitos com os festejos populares e em especial com o carnaval. O passo do frevo é uma invenção dos capoeiras (conhecidos como brabos e valentões), que a frente das bandas de música desfilavam nas ruas estreitas do Recife. Suas coreografias seguiam o ritmo das marchinhas e dobrados que se aligeiravam e misturadas aos ritmos da moda (habanera, polca, maxixe, entre outros), acabaram por criar uma música própria que fazia o povo ferver (frever).

Música e dança nascem como expressão da liberdade do povo na rua. Sendo assim, nós do Centro de Capoeira São Salomão temos em nosso sangue esse sentimento carnavalesco, por sermos pernambucanos e por sermos capoeiristas.

{youtube}BapI21y9aG0{/youtube}

Há quatro anos atrás incorporamos em nosso calendário a roda à fantasia que tem a intenção de festejar a festa de momo, ao mesmo tempo que serve como forma de manter as nossas tradições e nossos elos com a ancestralidade da capoeira pernambucana viva e pulsante, que faz o passo no compasso fervente de um ritmo que é nossa marca .

Recife, 07 de março de 2011.

Mestre Mago

Aconteceu: Encontro Cultural Capoeira Angola Brasil

O Evento ocorreu  com muita energia muito aprendizado, agradecemos a todos pela participação, mesmo aqueles que não estavam presente Obrigado…

Mestre Felipe 83 anos com muita disposição de fazer capoeira mostrando sua persistencia e resistencia da continuação da Capoeira. Obrigado MESTRE FELIPE.

Mestre Nô com seus 65 anos com  uma grande vivencia na arte da capoeira nos deixou  sua sabedoria das rodas da ” Capoeira na roda e na vida”OBRIGADO MESTRE NÔ

Mestre Braulino com seus 57 anos de idade mostrando sua Capoeira No Jogo, No Ritmo e no Canto demonstrando sua simplicidade de ser CAPOEIRA “Simplesmente   SER Capoeira” OBRIGADO MESTRE BRAULINO

Mestre Heitor com sua personalidade e responsabilidade na Capoeira e na Vida OBRIGADO MESTRE EITOR

Mestre Alfredo mesmo com sua  maneira de ser ausente e acompanhar tudo sem compromisso, tambem contrubuiu deixando o evento com mais vida e deixando os convidados bem a vontade OBRIGADO MESTRE ALFREDO

 

Alemanha: CAMARADAGEM 2010

 

Este é o nome do evento de capoeira de porte internacional, que será realizado em Mönchengladbach – Alemanha, com o objetivo de reunir capoeiristas, pesquisadores e admiradores da arte.

Como o nome camaradagem já diz tudo, a ideia é reunir capoeiristas de vários segmentos, possibilitando uma integração entre distintas escolas. Aliás capoeira é uma arte de se fazer camaradas.

A programação acontecerá em dois lugares, na sede do CAPOEIRA IBECA – EU dia 8 de Outubro, Sophienstraße 15 – Mönchengladbach e na sala de esporte, MG Neuwerk, Gathersweg 55 em Mönchengladbach, dias 9 e 10 de Outubro 2010.

Contaremos com a participação de mestres e professores da capoeira (angola, regional e contemporânea) – rodas de capoeira, mostras audiovisuais, bate-papos, oficinas de danças brasileiras como: maculelê, frevo, forró, cavalo marinho, ciranda, ritmo, samba de roda e muito mais…

Você não pode ficar de fora dessa!

Um dos maiores encontro de capoeira da europa acontecerá dias 8,9 e 10 de Outubro de 2010 em Moenchengladbach – Alemanha.

Mais de 50 mestres e professores, e muitos alunos juntos, fazendo camaradagem.

Confirme sua presença no www.camaradagem.de


CAMARADAGEM 2010 (deutsch)

Dies ist der Name des internationalen Capoeira-Events, der in Mönchengladbach – Deutschland realisiert wird mit dem Ziel, Capoeiristas, Forscher und Bewunderer der Kunst zusammenzubringen.
Wie der Name CAMARADAGEM bereits verdeutlicht, ist die Idee Capoeiristas aus verschiedenen Teilen zu vereinen und die Integration verschiedener Schulen zu nutzen. Ohnehin ist Capoeira eine Kunst, die Freunde macht.
Das Programm wird an zwei Orten stattfinden, im Hauptsitz von IBECA – EU am 8. Oktober, Sophienstraße 15 – Mönchengladbach und in der Sporthalle, Gathersweg 55, MG Neuwerk, am 9. und 10. Oktober 2010.

Wir erwarten verschiedene Capoeira-Meister und Lehrer (Angola, Regional und zeitgenössische Capoeira) – Capoeira-Rodas, Videopräsentationen, Diskussionen, Unterricht brasilianischer Tänze wie: Maculelê, Frevo, Forró, Cavalo Marinho, Ciranda, Ritmo, Samba de Roda und viel mehr….

CAMARADAGEM 2010 (english)

This is the name of the international capoeira event, taking place in Mönchengladbach-Germany, with the goal of bringing together capoeiristas, admirers and researchers of this art.
The idea, like the name CAMARADAGEM already indicates, is to unite capoeiristas of different backgrounds and to realise this through the integration of different schools. Anyhow, capoeira is an art that creates friendships.

The program will take place at two venues: at the IBECA – EU headquarters on the 8th October, Sophienstraße 15, Mönchengladbach and in the gymnasium, Gathersweg 55, MG Neuwerk, on the 9th and 10th October 2010.

We are expecting various capoeira masters and teachers (angola, regional and contemporary capoeira) – capoeira rodas, video presentations, discussions, brazilian dance lessons including: Maculelê, Frevo, Forró, Cavalo Marinho, Ciranda, Ritmo, Samba de Roda and much more…


Tiago de Camargo – Contramestre Formiga
CAPOEIRA IBECA
Lessons, Clinics, Demo’s, Shows, Events, Gear, Musical instruments, Travel
0031 64 300 70 58
www.capoeiraibeca.com

Norte-americano escreve livro sobre o berimbau

Em “The Berimbau: Soul of Brazilian Music”, Eric Galm explora a fundo a cultura e música brasileiras.

Uma obra que introduz o berimbau como muito mais do que o símbolo da capoeira. É o livro “The Berimbau: Soul of Brazilian Music”, de autoria do americano Eric Galm. Nas páginas, o professor conta a relação do instrumento baiano com vários ritmos brasileiros, incluído a bossa nova.

A publicação é da editora University Press of Mississipi e foi escrita em inglês. Nela, Galm conta como o berimbau ganhou destaque como símbolo nacional e explora a fundo a história do instrumento de origem africana.

Falando português com sotaque e muita simpatia, o professor explicou que quer mostrar o berimbau como integrante da cultura nacional brasileira. “Através da bossa nova, MPB, música erudita e artes visuais”, disse ele, complementando que o berimbau está mais global. “É um símbolo no exterior, que está mantendo a identidade brasileira”.

Além de retratar o berimbau como este símbolo, a obra expõe o instrumento como herança africana no Brasil inteiro. “Não somente a capoeira”. Os livros para crianças, esculturas e jornais, segundo o professor, também ajudam a mostrar esta herança.

O interesse em escrever sobre o berimbau nasceu em casa. Na década de 70, Eric morou no Brasil por conta do trabalho do pai, o qual foi lecionar percussão de técnica erudita. “Cresci conhecendo o berimbau e a batucada”. Os conhecimentos foram aprofundados na escola, em 1977, e também através do trabalho do pai, que leciona na Universidade do Colorado. Na instituição, criou um programa de percussão e musicologia.

O livro promete surpreender aos músicos e ao público em geral. Mas as boas reações já começaram no ano de 2000, durante a pesquisa de campo, quando o trabalho foi mostrado para um musicólogo de uma universidade brasileira. “Ele ficou surpreso. Naquele momento apoiou muito meu trabalho”. Eric credita grande importância para o músico Naná Vasconcellos. “Foi ele quem trouxe o berimbau para a área do jazz global”.

Segundo o professor, Vasconcellos influenciou também o percussionista argentino Ramiro Musotto, um dos entrevistados de Eric. Apaixonado pelo berimbau, Musotto mudou para a Bahia, onde faleceu aos 45 anos, vítima de câncer no pâncreas.

Música que enche corações

Americano de alma brasileira, Galm está realizado com a publicação. “Me sinto ótimo. É uma coisa muito forte para mim.”. O livro ajudará os próprios alunos dele, muitos dos quais não conhecem nada do Brasil e da música brasileira. “Mas através do aprendizado do ritmo de percussão brasileira e as músicas, estão aprendendo o ritmo da cultura brasileira, tocando o ritmo da vida da cultura brasileira”.

Professor Assistente de Música e Etnomusicologia do Trinity College em Hartford, Connecticut, Galm foi convidado para dar uma palestra na Universidade Federal do Rio de Janeiro, para a série “Música em Debate”. Segundo o professor, a percussão nas universidades brasileiras é mostrada somente dentro do contexto do folclore. “Acho que uma parte do meu trabalho, que é muito forte, é o uso da percussão brasileira como referência ao valor das comunidades que criaram estas músicas e ritmos”.

Eric enfatizou que todas coisas que ensina e gosta estão fazendo a diferença na vida dos alunos. “Está abrindo os olhos e os corações deles para pensar sobre o sentido da letra de uma música”. Como exemplo, citou a famosa “Carinhoso”, do saudoso Pixinguinha.

O professor aproveitou para falar sobre a poesia que vem das favelas, contando as histórias da vida. “Acho que dá muito mais crédito para o próprio povo brasileiro, do que aquilo que sai na imprensa”.
Ainda não houve lançamento oficial do livro, mas ele já está disponível no site amazon.com.

Por: Angela Schreiber – Comunidade News – http://www.comunidadenews.com

Jesus, Vigotisky, Capoeira e Cidadania

Angelo Augusto Decanio Filho, Mestre Decanio: Um dos principais mentores de meu trabalho, uma das pessoas mais brilhantes e ímpares que já conheci…

Sugiro de coração aberto e com toda a minha paixão pela capoeiragem e por seu trabalho a visita a um dos mais importantes sites da CAPOEIRA: “Capoeira da Bahia – A Capoeira é uma Escola de Cidadania”

Segue o Artigo que segundo o próprio Mestre Decanio: “… uma das coisas mais lindas que já escrevi sobre a capoeira…”

 

Jesus, Vigotisky, Capoeira e Cidadania

 

Ø Jesus pregou a cidadania como Lei Divina
# Somos todos irmãos

Ø Vigotisky concebeu a cidadania como decorrência lógica da vida em sociedade e cooperação inter-pares
# A vida em sociedade ou grupo baseia-se na cooperação entre seus membros ou pares
1
# Nenhum homem se constrói HOMEM sem a cooperação de OUTRO HOMEM
2

Ø A capoeira materializa a cidadania pela indispensabilidade de respeito e confiança mútua entre os seus praticantes
# A Capoeira parece um embate de corpos, mas é um encontro de corações em clima de harmonia, felicidade e amor
3

 

A Capoeira é uma escola de Cidadania (Luciano Milani)

Mais do que uma luta, a capoeira é hoje também dança, música, história e cidadania. É uma arte desportiva genuinamente brasileira que, de dia para dia, cativa cada vez mais jovens por todo o mundo, passando uma mensagem de vida, parceria e integração, na luta do dia-a-dia.

O Ministro da Cultura do Brasil, Gilberto Gil, em seu discurso de agosto de 2004 na ONU, em Genebra afirmou:

” … Atualmente, a capoeira já é praticada em mais de 150 países. Nas Américas, no Japão, na China, em Israel, na Coréia, na Austrália, na África e em praticamente toda a Europa. A capoeira disseminou-se pelo mundo com entusiasmo. Mesmo sem falar português, um chinês, um árabe, um judeu ou um americano podem repetir o compasso da mesma música, a arte do mesmo passo e a ginga do mesmo toque.”

A luta está sempre presente, até pelas suas origens – desenvolvida pelos escravos do Brasil como forma de resistir aos opressores, praticada em segredo e recorrendo à “ginga”, movimento que lembra a dança e à música, para assim “enganar” os patrões (Escravistas / Senhores de Engenho / Grandes Fazendeiros, etc…).
“Respeito, malícia, disputa, brincadeira” são elementos presentes durante o jogo onde as canções são marcadas ao ritmo do berimbau, instrumento “rei” da capoeira, sob um ritmo contagiante e profundo.

Quem entra na roda para jogar, entende que o respeito e a cidadania, inerentes do “JOGO”, são fundamentais dentro do universo da capoeiragem, pois a capoeira deve ser praticada dentro de um preceito básico, determinado por 3 PILARES FUNDAMENTAIS:

RITMO, RITUAL e RESPEITO

1 Peer em inglês – 2 Vigotisky – 3 AADF

Jesus, Vigotisky, Capoeira e Cidadania

Ø      Jesus pregou a cidadania como Lei Divina
o        Somos todos irmãos
Ø      Vigotisky concebeu a cidadania como decorrência lógica da vida em sociedade e cooperação inter-pares
o        A vida em sociedade ou grupo baseia-se na cooperação entre seus membros ou pares1
o        Nenhum homem se constrói HOMEM sem a cooperação de OUTRO HOMEM2
Ø      A capoeira materializa a cidadania pela indispensabilidade de respeito e confiança mútua entre os seus praticantes
o        A Capoeira parece um embate de corpos, mas é um encontro de corações em clima de harmonia, felicidade e amor3

 

A Capoeira é uma escola de Cidadania

 

Mais do que uma luta, a capoeira é hoje também dança, música, história e cidadania. É uma arte desportiva genuinamente brasileira que, de dia para dia, cativa cada vez mais jovens por todo o mundo, passando uma mensagem de vida, parceria e integração, na luta do dia-a-dia.

O Ministro da Cultura do Brasil, Gilberto Gil, em seu discurso de agosto de 2004 na ONU, em Genebra afirmou:

” … Atualmente, a capoeira já é praticada em mais de 150 países. Nas Américas, no Japão, na China, em Israel, na Coréia, na Austrália, na África e em praticamente toda a Europa. A capoeira disseminou-se pelo mundo com entusiasmo. Mesmo sem falar português, um chinês, um árabe, um judeu ou um americano podem repetir o compasso da mesma música, a arte do mesmo passo e a ginga do mesmo toque.”

A luta está sempre presente, até pelas suas origens – desenvolvida pelos escravos do Brasil como forma de resistir aos opressores, praticada em segredo e recorrendo à “ginga”, movimento que lembra a dança e à música, para assim “enganar” os patrões (Escravistas / Senhores de Engenho / Grandes Fazendeiros, etc…).
“Respeito, malícia, disputa, brincadeira” são elementos presentes durante o jogo onde as canções são marcadas ao ritmo do berimbau, instrumento “rei” da capoeira, sob um ritmo contagiante e profundo.

Quem entra na roda para jogar, entende que o respeito e a cidadania, inerentes do “JOGO”, são fundamentais dentro do universo da capoeiragem, pois a capoeira deve ser praticada dentro de um preceito básico, determinado por 3 PILARES FUNDAMENTAIS:

RITMO, RITUAL e RESPEITO

TRÊS “ERRES” FUNDAMENTAIS

“Capoeira é uma palavra estranha…
que se escreve com um “rê” suave…
e se pratica com três “erres”…
o primeiro é o RITMO… o segundo o RITUAL..
o terceiro é o RESPEITO…
sem os quais não se joga capoeira!”


1 Peer em inglês – 2 Vigotisky – 3 AADF