Blog

sete

Vendo Artigos etiquetados em: sete

Carnaval na Bahia: Mestre Tonho Matéria em dose dupla

Tonho Matéria em dose dupla na segunda-feira: Cantor sai às 12h30 no Campo Grande e à noite no Movimento Afropop Brasileiro, como convidado de Margareth Menezes

Após começar o Carnaval com o bloco da Capoeira, no circuito Osmar (Campo Grande), Tonho Matéria se prepara jornada dupla na segunda-feira. Depois de fazer um show em Correntina (BA) no sábado, primeiro o cantor vai puxar um trio independente no Campo Grande, ao meio dia e meia. Às 20h30 ele participa do Movimento Afropop Brasileiro, bloco sem cordas de Margareth Menezes no circuito Dodô (Barra-Ondina). “Vai ser ótimo sair num horário tão legal, num trio sem cordas. Vai ter muito samba-reggae, ijexá e músicas ligadas a capoeira!”, diz Tonho sobre o desfile no Campo Grande.

O Bloco da Capoeira saiu, em seu quarto ano, às 21h da quinta-feira (03), com o tema meio ambiente e com sete alas: água, fogo, terra, ar, fauna, flora e vida. Cerca de duas mil pessoas – entre capoeiristas, percussionistas , dançarinos e foliões – participaram do desfile, que serviu de base para captação de imagens para o DVD de Tonho Matéria, com previsão de lançamento esse ano. O figurino de Matéria e das alas foi todo feito com material reciclado, pelos alunos da associação cultural Capoeira Mangangá, que o artista mantém no bairro de sete de abril.

Tonho Matéria:

Foi vocalista do Ara Ketu, Olodum e, entre bandas e carreira solo, já lançou sete álbuns. Compositor, tem mais de 600 músicas registradas – várias gravadas por nomes como Daniela Mercury (Olha o Gandhy aíVulcão da Liberdade), Ivete Sangalo (Pra abalarTimbaleiro) e Chiclete com Banana (Se me chamar eu vouMenina me dá seu amor), Asa de Águia, Beth Carvalho, Margareth Menezes, Olodum e Banda Eva.

Mestre capoeirista, Tonho mantém, desde 2001, a Associação Cultural de Capoeira Mangangá, que proporciona gratuitamente a jovens de comunidades aulas de capoeira, percussão, dança afro e curso pré-vestibular. O nome Mangangá é homenagem ao mestre de capoeira Manoel Henrique Pereira, o Besouro Mangangá.

 

Victor Villarpando 
71 8867.6107 | 71 7813.8814

Guaratinguetá: Aulas gratuitas de capoeira

Guaratinguetá realiza aulas gratuitas de capoeira

Em Guaratinguetá quem quiser aprender capoeira pode se inscrever no Ginásio Municipal do Pedregulho. As aulas acontecem às terças e sextas-feiras, das 8h às 9h e, depois, das 17h às 6h da tarde.

Podem participar homens e mulheres a partir de sete anos de idade. Os interessados devem procurar o professor direto no ginásio, as aulas são gratuitas.

Documentário: Slum, Drums and Capoeira

É com satisfação que anunciamos em anunciar que o Kabula estará exibindo o documentário “Slum, Drums and Capoeira” (Favela, Percussão e Capoeira). Esta festa se destina a todos os membros do Kabula e também a toda comunidade da capoeira em Londres e UK. O intuito maior dessa celebração visa a arrecadação de fundos para o projeto do Kabula no Reino Unido, o Projeto JINGA.

Slum, Drums e Capoeira conduz você a uma viagem única de descoberta dentro do universo dessa antiga arte. Desde suas origens até a favela mais famosa do Rio de Janeiro e assim vivendo o espírito da capoeira no Brasil moderno.


Na Rocinha – maior favela do Rio de Janeiro, que tem suas ruas estreitas manchadas com o sangue de tráfico de drogas, encontramos

Tiane, uma capoeirista talentosa e jovem, que perdeu seu irmão para a violência. Nós seguimos a sua jornada mostrando como ela luta para estabelecer uma escola de capoeira na favela para proporcionar as crianças a possibilidade de caminho alternativo.

Sua história está entrelaçada com a dos antigos mestres de Salvador um dos berços da Capoeira no Brazil. Com imagens raras de Mestre Bimba e Mestre Pastinha (os pais da moderna Capoeira) e entrevistas dos mestres mais respeitados de hoje (Mestre Curió, Nenel, Bamba, Moraes Bola Sete e muitos mais). Favela, Percussão e Capoeira capta a verdadeira essência da capoeira no Brasil de hoje.


Após a projeção, termos uma performance com uma orquestra de berimbau (por isso, por favor traga o seu próprio berimbau se você pretende participar). Em seguida acontecerá uma roda e também um festa com DJs tocando uma mistura eclética de música brasileira. Cópias do filme também estarão disponíveis para venda em DVD em £10 (normal price £ 15), com 50% das vendas revertidas ao Kabula.

O Projeto Kabula JINGA projetado para escolas e espaços comunitários para jovens, refugiados e público em geral tem como finalidade maior utilizar a capoeira como uma ferramenta para a transformação pessoal e social, inspiradas na filosofia da capoeira Angola.

Esperamos que você possa para participar conosco deste evento especial … se inspirar, se divertir e contribuir para uma boa causa.



O quê? Projeção de filme e festa de angariação de fundos para o projeto Kabula Jinga!


Onde: Favela Chic (Londres)

Quando: 06 de dezembro

Horário: das 7pm em diante

Custo: doação de £ 3 (recomendado)

 

 

Film Screening: “Slums, Drums and Capoeira” & Fundraising Party

 

(Link: http://slumsdrums.com/)

We’re delighted to announce that Kabula will be hosting the premier screening of the documentary film Slums, Drums and Capoeira. This will be a party for Kabula members and the wider capoeira community and others to raise funds for the work of Kabula in the UK and Brazil.
Slums, Drums and Capoeira takes you on a unique journey of discovery into this ancient art form. From its origins in Salvador to Rio’s most notorious slum, we see the spirit of capoeira alive in modern Brazil.
Rocinha – the largest slum in Rio de Janeiro, where the narrow alleys are stained with the blood of drug trafficking. Here we meet
Tiane, a gifted young capoeirista who lost her brother to the violence. We follow her journey as she fights to establish a capoeira school in the slum to provide the kids with a different path.
Their story is interwoven with that of the old masters from Salvador the home of Capoeira. With rare footage of Mestre Bimba and Mestre Pastinha (the fathers of modern day Capoeira) and interviews from today’s most respected masters (Mestre Curio, Nenel, Bamba, Moraes Bola Sete and many more). Slums, Drums and Capoeira captures the true essence of capoeira in today’s Brazil.
After the screening we will have a berimbau orchestra (so please bring your berimbau if you want to play), a roda and a party with great DJs playing an eclectic mix of Brazilian music. Copies of the film will also be available for for sale on DVD for £10 (normal rrp £15), with 50% of sales going to Kabula.
Kabula works in schools and community settings with young people, refugees and the general public to use capoeira as a tool for personal and social change, inspired by the philosophy of capoeira Angola.
We hope you can attend this special event, be inspired, have fun and contribute to a good cause.

What: A film screening & fundraising party for Kabula!

Where: Favela Chic (London)
When: 6th Dec.
Time: from 7pm onwards
Cost: Recommended donation £3 to Kabula

Associação de Capoeira de Socorro é Hepta Campeão Sergipano

O campeonato acontecerá em Goiânia e os 15 atletas de Socorro que se classificaram estarão presentes. “Estamos muito felizes por mais um campeonato conquistado. Foram sete vitórias consecutivas. A capoeira de Socorro hoje é a melhor do Estado. E não posso deixar de agradecer a Prefeitura de Socorro pelo apoio que tem nos dado. No mês de novembro completaremos 27 anos e estaremos comemorando com um grande evento na sede da associação”, falou o mestre Edson.

A capoeira de Nossa Senhora do Socorro é a melhor do estado de Sergipe. Isso porque a Associação de Capoeira Sete Quedas participou do 12° Campeonato Sergipano de Capoeira, realizado no Colégio Estadual Governador Valadares, no último dia 5 de setembro, e conquistou o hepta campeonato. Com o título, os atletas socorrenses que ficaram nos primeiros e segundos lugares em suas categorias se classificaram para o Campeonato Brasileiro.

O campeonato acontecerá em Goiânia e os 15 atletas de Socorro que se classificaram estarão presentes. “Estamos muito felizes por mais um campeonato conquistado. Foram sete vitórias consecutivas. A capoeira de Socorro hoje é a melhor do Estado. E não posso deixar de agradecer a Prefeitura de Socorro pelo apoio que tem nos dado. No mês de novembro completaremos 27 anos e estaremos comemorando com um grande evento na sede da associação”, falou o mestre Edson.

A associação está situada na Escola Estadual Marinalva Alves, no Conjunto Marcos Freire II, e os treinos são realizados nas terças e quintas-feiras das 19h às 21 horas e aos sábados das 14h às 17h30. “Quem quiser entrar no grupo é só comparecer nos dias de treinamento que faremos as inscrições”, informou o mestre.

O grupo Sete Quedes é composto por 150 atletas entre crianças e adolescentes e conta com um projeto chamado Gingando para vida. “Este projeto tem objetivo de incentivar os adolescentes com a prática da capoeira melhorando o condicionamento físico-psíquico, para que os jovens possam ter um futuro melhor”, informou mestre Edson, responsável pela Associação.

Ainda dentro do projeto Gingando para vida existe uma fiscalização quando o assunto é Educação. “A cada três meses peço o boletim escolar dos alunos para fazer um acompanhamento das notas e quando vejo que alguns está com rendimento baixo procuro os pais e tento saber o motivo desse rendimento. Permanecendo afastamos temporariamente do projeto”.

Federações esportivas se unem na campanha Natal da Cidade 2009

Entidades de sete esportes farão mobilização por doação de sangue no dia 18 de dezembro.

A campanha Natal da Cidade 2009 ganhou um time forte para conseguir mais doadores no Piauí. Dirigentes e atletas de pelo menos sete federações esportivas já confirmaram presença no programa especial do dia 18 de dezembro. O grupo estará no ginásio do Sesc Ilhotas doando sangue, literalmente, e pedindo para que as pessoas participem da campanha.

Já confirmaram participação as federações de Natação, Capoeira, Jiu-Jitsu, Kung-fu, Judô, Vôlei, e ainda o time de basquete em cadeira de rodas. Todas estiveram reunidas na TV Cidade Verde para reafirmar seu compromisso com a campanha de doação de órgãos e doação de sangue. Além de pedirem para que as pessoas compareçam ao Hemopi, todos os que puderem irão doar sangue na próxima sexta-feira.

Competições esportivas e demonstrações das modalidades irão acontecer simultaneamente no ginásio e na piscina do Sesc Ilhotas.

No Judô, o presidente da federação, Danys Queiroz, lembrou que toda a família é doadora de sangue. “Eu já doei mais de 20 vezes. Lá em casa todo mundo doa”, disse.

Fábio Lima
fabiolima@cidadeverde.com

Capoeira de luto pelo Mestre Negrito

Morreu no último sábado, 04 de julho, em acidente na estrada que liga Sete Lagoas a Fortuna de Minas, Márcio Antônio Fernandes, 47 anos, mais conhecido como Negrito. Deixou um legado que nem mesmo a morte pode apagar. Sua história de vida se tornou um grande exemplo a todos aqueles que conviveram com o capoeirista e tiveram o privilégio de conhecê-lo bem. Durante quase trinta anos, Mestre Negrito vivenciou a capoeira como poucos e transmitiu a verdadeira essência da arte àqueles que encontravam-se ao seu redor.

Segundo a terminologia, Mestre é todo o indivíduo que adquire um conhecimento especializado sobre determinada área do conhecimento humano. Apesar do título, poucas pessoas conseguem extrapolar o real sentido do termo. Dentre os raros exemplos, podemos citar o caso de Márcio Antônio Fernandes, 47 anos, mais conhecido como Mestre Negrito. Falecido no último sábado, 04 de julho, em um acidente na estrada que liga Sete Lagoas à Fortuna de Minas, Negrito deixou um legado que nem mesmo a morte pode apagar. Sua história de vida se tornou um grande exemplo a todos aqueles que conviveram com o capoeirista e tiveram o privilégio de conhecê-lo bem. Durante quase trinta anos, Mestre Negrito vivenciou a capoeira como poucos e transmitiu a verdadeira essência da arte àqueles que encontravam-se ao seu redor.

A capoeira entrou em sua vida no início dos anos 80, quando Negrito começou a aprender a arte na Escola Berimbau de Ouro, época em que a academia foi fundada pelo Mestre Marreta. Em 1989, o dedicado aluno se formou, recebendo o título de professor. De lá para cá, Negrito começou a ministrar aulas em diversas entidades locais. Vários jovens aprenderam mais do que passos da capoeira com Mestre Negrito, aprenderam, acima de tudo, exemplos de conduta e formação ética. E não foram poucas as pessoas que participaram de suas aulas. Alunos dos Colégios Caetano, Dom Silvério, Cenecista e SERPAF (Serviço de Proteção ao Menor e à Família), além de jovens do CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), SESI (Serviço Social da Indústria) e de diversos outros núcleos, como os das cidades de Papagaio, Pompéu, Três Marias, Fortuna de Minas, Cachoeira da Prata, dentre outras, também cresceram ouvindo as lições de Negrito.

Em 1996, Mestre Negrito estabeleceu uma parceria com o SESC (Serviço Social do Comércio) e iniciou suas aulas no local. Nessa época, Negrito fundou a Escola de Capoeira Grupo Ogum. Claudete Simone Guimarães, diretora da entidade, lembra que Negrito ajudou a divulgar e desmistificar a arte da capoeira na cidade. Para ela, antes de qualquer coisa, Negrito era um legítimo educador, que deixou lições de humildade e coragem. “O Negrito tinha um laço de amizade muito forte com seus alunos. Meus três filhos tiveram aulas de capoeira com ele e aprenderam muito no período. A preocupação com os jovens também continuava após o período de aula. Além disso, sua coragem é um grande exemplo a todos. Ele enfrentou todas as dificuldades por amor à capoeira e nos deixou uma lição a ser seguida. Hoje, há uma lacuna, pois, além de ótimo profissional, Negrito era um grande amigo de todas as horas”, afirma Simone.

Negrito sempre dizia: “Capoeira não é somente jogar as pernas para o ar. Para ser um grande capoeirista é preciso conhecer a abrangência de representações que o termo envolve, como a arte, a dança, casos do maculelê e samba de roda, o folclore e seus personagens e a união entre povos que a arte da capoeira causou”. Mestre Negrito também era contra qualquer forma de violência, fosse ela verbal, física ou comportamental. “A luta está presente na capoeira e fez parte do processo de libertação dos negros, entretanto, o respeito pelo outro é importante e sempre deve prevalecer à violência”, afirmava o Mestre. Suas lições atraíam pessoas de todas as idades, credos e classes sociais. O conhecimento de Mestre Negrito era transmitido a gerações diferentes de muitas famílias. Os pais, ex-alunos do professor, levavam os filhos para as aulas de capoeira com o Mestre. Negrito também gostava de pagode, samba de roda, maculelê e dos aulões e rodas de capoeira que participava. Ele, inclusive, era conhecido por alguns como Negritinho do repilique, por ser um dos exímios tocadores do instrumento. Negrito também tinha grande facilidade de tocar atabaque, pandeiro e berimbau. O conhecimento foi passado aos alunos.

Durante toda a sua vida, o professor foi conhecido por sua educação, paciência e tranqüilidade. Ele valorizava muito a família e fazia questão de ajudar a todos. Negrito sempre foi um grande exemplo para os familiares. Para ele, a família ia muito além dos laços de sangue. “O que mais chamava a atenção dos alunos era a forma como ele conduzia seu trabalho. Ele dizia que nós éramos uma família. Sempre que chegava um novo aluno, Negrito dizia: ‘você está entrando para uma família de capoeiristas’. Em suas aulas, Mestre Negrito trabalhava com a verdadeira essência da capoeira, enquanto arte, folclore, dança, luta, jogo, terapia, união, força. Seu objetivo maior era formar cidadãos”, afirma Luís Carlos da Costa, conhecido como Sombra, ex-aluno e amigo de Negrito.

Para André Luís Gomes da Silva, o Cascudo, ex-aluno de Mestre Negrito, a convivência com Negrito ajudou a superar uma fase conturbada da vida. “Ele me ajudou muito durante a adolescência, sempre ensinando o que era correto. Mestre Negrito era como um segundo pai para mim. Além do respeito que tínhamos por ele como professor, como mestre, também tínhamos o respeito pelo amigo, porque éramos muito unidos”, afirma Cascudo. Segundo alunos, durante as aulas do Mestre Negrito a seriedade e disciplina devia prevalecer. Porém, ao fim dos encontros, Negrito era um homem expansivo e brincalhão. Seu grande carisma contagiava a todos. Para Luciano Fernandes Pereira, o Lobo, Mestre Negrito deu um verdadeiro exemplo de amor à profissão. “Negrito era um educador através da capoeira. Ele dizia que não devíamos levar a vida para a capoeira, mas a capoeira para a nossa vida. Ele sempre fez questão de desenvolver um trabalho bem feito, tanto que dedicou sua vida à capoeira. Ele viveu da arte e abriu mão de desempenhar funções em outros segmentos. Tudo para realizar um serviço de boa qualidade”, afirma o amigo e ex-aluno.

As lições do professor ultrapassaram fronteiras e foram transmitidas a pessoas de diversos países, como França, Dinamarca, Estados Unidos, Inglaterra, Alemanha, dentre outros. “O Mestre Negrito deixou uma legião de fãs, não só em Sete Lagoas , mas em diversas regiões do estado e em outros países. Ele foi uma pessoa que vivenciou a capoeira de uma maneira diferente. Talvez, Negrito seja o único capoeirista da cidade que teve amizade e influência nos mais variados grupos de Sete Lagoas, desde a época da capoeira de rua até hoje (época das academias). Ele é um dos poucos que passou por essas etapas sendo respeitado por todos, desde os mais velhos até os mais novos”, afirma o amigo Sombra.

Apesar do fim prematuro, Mestre Negrito deixa uma vasta herança cultural. Negrito foi um agente que transmitiu e divulgou como poucos as diversas formas de representação dos afro descendentes no país. Talvez, sua história esteja associada ao orixá que deu nome ao grupo de capoeira fundado por ele. Ogum, o orixá ferreiro na mitologia yorubá, forjava suas próprias ferramentas e foi considerado o primeiro dos orixás a descer do Orun (o céu) para o Aiye (a Terra). Acredita-se que ele tenha wo ile sun, que significa “afundar na terra e não morrer”. No caso do Mestre Negrito não foi diferente. Ele forjou suas armas para lutar pelos excluídos e por aquilo que mais amava, a capoeira, e deixou um legado cravado no coração dos que viveram à sua volta, como uma chama que jamais há de se apagar. Quem sabe, por um capricho, Olorun, o Deus supremo, estivesse procurando um guerreiro de verdade em Aiye (Terra), para compensar a falta que Ogum fazia em seu Orun (céu). Neste caso, Olorun escolheu o homem certo.

Paulo Henrique de Souza
Paulinho do Boi

Falar do Mestre Negrito é fácil devido sua fantástica obra, difícil é explicar sua partida prematura. Ao longo de nossa convivência vimos que o exercício de seu professorado, na arte da capoeira, trazia para os alunos um estreitamento de sabedoria paterna aliado à convivência respeitosa colocada pela sutileza de seus exemplos. Assim, a condução de suas ações o fazia mestre em todos os sentidos. As atitudes em prol do outro edificava e ainda edifica, em nossa alma, uma obra inesquecível e inimaginável a serviço do bem. Só quem experimentou esse espaço pequeno da vida do Mestre Negrito, sabe que o exercício do amor exigente foi a condução de sua filosofia de vida. Para nós, colegas de causa, colegas de trabalho, amigos de ações, alunos e professores fica a responsabilidade de continuar sua obra nos corações de todos que pudermos contagiar com a filosofia que ele plantou em nossos espíritos. A grande obra do Mestre Negrito foi, sem dúvida, a obra que ele construiu em nossas mentes. Sete Lagoas perdeu um heroi que agia em silêncio em prol de uma justiça social perfeita.

Missa de 7º Dia
Dia: Sexta-feira, 10 de julho
Local: Igreja de Santa Luzia e Igreja de Nossa Senhora das Graças
Horário: 19h

Dante Xavier
Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Sete Lagoas

Teatro: Besouro Cordão de Ouro em Vila Velha

BESOURO CORDÃO DE OURO NO TEATRO VILA VELHA

Av. Sete de Setembro, s/n, Passeio Público
Campo Grande | 40 080-570
Salvador . Bahia . Brasil
Dias 13 e 14 de outubro(segunda e terça)as 20h

R$ 10 (inteira)
R$ 5 (meia)
Atenção ingressos limitados já a venda no local

GARANTA JÁ O SEU PRA NAO FICAR DE FORA!!!

Besouro Cordão de Ouro é um musical de Paulo Cesar Pinheiro em homenagem ao capoeirista mitológico que assim era conhecido. O palco se transforma numa grande roda de capoeira com atabaques, berimbaus, pandeiros e caxixis, numa verdadeira transposição da arte e das circunstâncias que consagraram o santoamarense Besouro Mangangá como mestre lendário. Um passeio pela formação de nosso povo, sua coragem, criatividade e resistência.

Veja o trailer da peça em: http://blogdovila.blogspot.com/

http://br.youtube.com/profile_videos?user=millermultitvldb&p=v

Ana Paula Black
Cridemar Aquino
Maurício Tizumba
Raphael Sil
Sérgio Pererê
William de Paula
Wilson Rabelo
Gilberto Santos da Silva "Laborio"
Letícia Soares
Marcelo Capobiango
Valéria Monã
Victor Alvim "Lobisomem"
Alanzinho Rocha
Iléa Ferraz
Direção:João das Neves
Direção musical: Luciana Rabello

TEATRO VILA VELHA
Av. Sete de Setembro, s/n, Passeio Público
Campo Grande | 40 080-570
Salvador . Bahia . Brasil
Referências: Próximo ao Hotel Tropical da Bahia
Palácio da Aclamação
Casa D’Itália

Arpa ou berimbau?

 

O Prof. André Carvalho, em resposta a infeliz notícia* protagonizada pelo prof. Antonio Dantas, 69, responsável pelo curso de medicina da UFBA, que segundo Mestre Moraes já foi destituido do cargo,nos escreveu esta bem humorada e incisiva crônica.

* "Berimbau é instrumento de quem tem poucos neurônios", diz coordenador de medicina da UFBA

Leiam e reflitam…

Arpa ou berimbau?

Por André Carvalho

Mesmo sendo baiano da gema, acabo de comprar uma harpa. Fi-lo porque qui-lo, como diria o inteligentíssimo mato-grossense Jânio Quadros. Foi complicado encontrar uma harpa à venda aqui, na bendita cidade do Salvador.

Baiano não é muito chegado a essas coisas. As poucas existentes estão em museus e, sabe-se de uma, em casa de um professor, doutor, coordenador universitário.
Minha harpa tem quarenta e seis cordas e sete pedais e seu desenho é semelhante àquele usado nas harpas dos Caldeus, em 600 a.C.. Tive alguma dificuldade em contar todas as suas cordas. Confesso, escabreado, que me confundi umas três ou quatro vezes e que foi necessária a ajuda de um amigo, o Antônio, muito mais sagaz que eu, para a consecução da tarefa.

Apesar da passagem pela Universidade Federal da Bahia, nos idos de 70, empaco em coisas que dizem respeito à aritmética. A UFBA não tem culpa alguma, pois a questão é de QI. Também pudera, acostumado ao berimbaumonocó rdio, não podia ser diferente.

Optei pela harpa na esperança de elevar meu QI a números estratosféricos, seguindo uma nova teoria evolucionista que vem sendo elaborada e desenvolvida por médicos aqui da Bahia. Nunca dantes se viu coisa igual. A tese é a seguinte: quanto mais cordas você tocar, mais inteligente você é. Portanto, violonista que toca violão de doze cordas é mais inteligente do que o bandolinista que toca em oito cordas, que por sua vez é mais inteligente do que o baixista que é tão inteligente quanto o cavaquinista, e assim sucessivamente.

Como você já percebeu, na base da pirâmide do intelecto estão os tocadores de berimbau.

O que me encanta nos estudos científicos é a profusão de novas e revolucionárias idéias. Claro, pesquisa serve mesmo para isso. Pena o Brasil ter que reformar apartamentos de reitores magníficos e sobrar pouco recurso para as pesquisas. Com mais dinheiro poderíamos estudar a influência da percussão no resultado dos vestibulares, por exemplo. Bum, bum, bum, bum, bum ajuda ou atrapalha o batuqueiro a ingressar na universidade? Se ajudar, o faz mais em medicina ou engenharia? Outra pesquisa interessante seria relacionar curso a instrumento musical. Para direito é melhor tocar um instrumento de sopro, clarinete, talvez. Quer sucesso nas ciências econômicas, então toque oboé, e assim por diante.

Comprovadas estas hipóteses, melhorar-se- ia muito o desempenho dos alunos nos exames avaliatórios, tipo ENADE e OAB.

Apenas uma coisinha me intriga quanto ao resultado de tudo isso. É que dentre os instrumentos que conheço, o mais parecido com a harpa é o berimbau. Na verdade o berimbau é uma harpa de corda única. É uma prova de inteligência dos seus inventores; substituir quarenta e cinco cordas e sete pedais por uma cabaça, uma vareta, um caxixi e uma pedra, e tirar daí, os sons necessários para uma existência feliz é fantástico. O berimbau é mais barato, mais leve, portátil, de fácil manutenção e mercadologicamente mais demandado. Tirante eu ou outro insano qualquer, ninguém compra uma harpa eleva pra casa, mas todo o mundo compra um berimbauzinho de lembrança, não é mesmo?

Tocar berimbau não é para qualquer um. Dizem que é um dom de Deus. Extrair de uma única corda a profusão de sons que os tocadores conseguem deve ser mesmo obra dos deuses. Imagino um berimbau tocando os famosos e harmônicos temas natalinos!!! Maravilha!!! Ansioso, espero o desenrolar das novas etapas da pesquisa.

Fonte: Mestre Cobra Mansa – mestrecobramansa@yahoo.com.br

Sergipe: Associação de Capoeira do Marcos Freire conquista o tetra

A Federação de Capoeira do Estado de Sergipe, gestão Genivaldo dos Santos; Mestre Papuá realizou nesse final de semana dias 28 e 29, o VIII Campeonato Sergipano de Capoeira. O evento aconteceu no Ginásio Charles Moritz pertencente ao SESC, situado no centro de Aracaju  e  contou com mais de 200 capoeiristas e o ginásio ficou lotado de expectadores e grupos de capoeira.
 
 A Associação de Capoeira Sete Quedas administrada pelo Mestre Coragem tem 23 anos de existência, situada no Conjunto Marcos Freire II,, foi classificada como o melhor grupo de Maculêlê do Baixo Cotinguiba, foi campeã e vice-campeã respectivamente das Copas Mirins do Estado de Sergipe(2005-2006), já representou Socorro e Sergipe em São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro, inclusive trazendo medalhas, tem a campeã do Campeonato Nacional de Capoeira, mais uma vez conquistou espaço de destaque na competição, alcançando o primeiro lugar com 177 pontos no cômputo geral, além de segundo lugar nas modalidades de conjunto e duplas. A conquista pela quarta vez consecutiva  leva o Grupo Sete Quedas  ao tetra  campeonato. Esse ano em substituição ao Mestre Coragem, o técnico ad hoc foi o capoeirista corda amarela Salvador Filho.
 
A cidade de N.S.Socorro teve dois representantes porém a Associação de Capoeira Sete Quedas foi destaque relevante e com a contagem geral dos pontos sagrou-se TETRACAMPEÃ.
 
Fonte: Infonet – Aracajú – www.infonet.com.br

Luta pela Paz premiada

Luke Dowdney, coordenador do Luta Pela Paz, recebeu nesta segunda, 2, o prêmio Laureus na categoria "Esporte do Bem" em noite de gala para o esporte mundial, em Barcelona, Espanha.

Conhecido como o Oscar do esporte, o prêmio Laureus, é distribuído desde 2000 aos melhores do ano e reúne atletas e celebridades, incluindo o Rei da Espanha, Juan Carlos, que abriu a cerimônia deste ano.
 
Dowdney recebeu o prêmio das mãos do campeão mundial de boxe, Marvin Hagler
 
A premiação é o reconhecimento do sucesso de sete anos de trabalho no Complexo da Maré para a integração social dos jovens através do boxe, capoeira e luta livre. Mais uma importante vitória para o projeto.

O Luta Pela Paz

Luta pela Paz é um projeto esportivo e educacional, onde são treinados crianças e jovens entre sete e 25 anos em boxe, luta livre e capoeira. Além do treinamento esportivo, as crianças e jovens têm aulas semanais sobre cidadania e resolução pacífica de conflitos.
 
Com o foco na prevenção do envolvimento dos jovens na violência urbana, a academia segue dois objetivos principais: criar campeões na vida pelo investimento nos jovens fora do ringue e criar campeões de boxe pelo treinamento com a melhor estrutura esportiva. O projeto canaliza a agressividade positivamente através do esporte e cria oportunidades para jovens de comunidades de baixa renda para um futuro melhor.