Blog

acompanhar

Vendo Artigos etiquetados em: acompanhar

São Paulo: Megan Fox se entusiasma com capoeira na favela de Heliópolis

A atriz Megan Fox (“Transformers”) desembarcou em São Paulo acompanhada do marido, o ator Brian Austin Green (série “Terminator: The Sarah Connor Chronicles”), e do filho Noah. E aproveitou a tarde para visitar a favela de Heliopólis.

A atriz foi conhecer os projetos sociais do local e assistiu entusiasmada a uma apresentação de capoeira, ao lado do marido.

Megan esteve no Brasil para acompanhar o Carnaval e gravar num comercial para uma marca de cerveja.

A Atriz e seu marido ficaram deslumbrados com a plasticidade e harmonia da capoeira.

Lançamento da Delegacia Digital

A Delegacia Digital, lançada nesta terça-feira, 9, já está funcionando e registrou oito ocorrências nesta manhã.

Através da unidade virtual, a população poderá registrar, pela internet, furto de veículos, objetos e documentos, perda e extravio de documentos e objetos e
desaparecimento de pessoas maiores de idade.

Não poderão ser registradas ocorrências de roubo quando há ameaça à vítima, ou furto ou perda de produtos controlados pela polícias, como armas, explosivos, carteira funcional policial e coletes. Outra restrição é que o fato denunciado também precisa ter acontecido no território baiano.

Cerca de 30 minutos após o registro, o internauta recebe a ocorrência por e-mail. Também é possível acompanhar o caso pela internet.
Cinco equipes serão responsáveis pelo registro e por encaminhar a ocorrência para a delegacia responsável.

A Delegacia Digital foi apresentada nesta terça pelo secretário de Segurança Pública, César Nunes. A cúpula das polícias civil e militar também estavam presentes.

Este modelo de delegacia já é utilizado em São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba e Rio Grande do Sul. O objetivo é facilitar o registro da ocorrência, já que dispensa a presença da pessoa na delegacia.

Site da delegacia:

http://www.delegaciadigital.ssp.ba.gov.br/main/

Astro Jet Li filma no Brasil

O ator chinês Jet Li desembarcou no Galeão, aeroporto internacional do Rio de Janeiro, no sábado 18, por volta das 21h40. Escoltado por seguranças, ele seguiu direto para um hotel no bairro de Copacabana, onde ficará hospedado até o final de sua participação no filme Os Mercenários, de Sylvester Stallone.

O ator, que deve ficar no País por duas semanas, disse que está muito interessado em acompanhar lutas de capoeira.

Nas cenas, Jet Li deverá filmar em lugares como a praia de Mangaratiba e o Parque Lage, no Rio.

 

Fonte: http://www.terra.com.br/istoegente/edicoes/502/astro-jet-li-filma-no-brasil-132167-1.htm

Cronica: O Espírito de um Capoeira

O Camarada Shion, lá da Parnaíba – Piauí, nos enviou esta cronica, que nós do Portal Capoeira esperamos que seja a primeira de muitas… onde o autor nos retrata a visão e o sentimento do "Espírito de um capoeira"…


Tudo começa em um momento de quase acaso. Passeando em uma praça arborizada, repleta de sons de pássaros ao fim de uma tarde. Os raios do sol estão mansos, provocam uma sensação formidável com seu calor terno. Em um repente, apenas um barulho produzido por um instrumento curioso, acompanhado de palmas e cantos num ritmo que anima e prende a atenção. Pais, mães e filhos são direcionados – parecendo uma ação inconsciente – àquela curiosa roda formada por pessoas contentes e sincronizando um mesmo pensamento.
 
Como se fossem guiados por uma força estranha, quem estar de fora dessa roda sente-se atraído e convidado a acompanhar – mesmo q sendo na simples batida do pé – uma música que é entoada com emoção e força.
 
Sob olhares curiosos e surpreendidos, pernas e braços realizam acrobacias e movimentos que encantam e fascinam quem participa daquela roda. A musicalidade parece a força motriz de toda aquela gente que canta e luta num ritmo da ginga característica.
 
Este é um cenário típico da nossa arte Capoeira. Uma atividade que fortalece nossas capacidades físicas e, conseqüentemente, enaltece nossas faculdades mentais.
 
Sempre gostei de acompanhar rodas de capoeira. Sentia-me bem – mesmo q só observando – em presenciar aquelas manifestações de alegria e festividade. Infelizmente, por conta de limitações de minha saúde – à época  – não era possível minha participação de forma efetiva e direta.
 
Hoje, sadio, pratico capoeira. Satisfação enorme em estar em contato com essa arte! A cada dia crio novos vínculos amistosos e me perco na imensidão de informações que faz dessa arte algo ímpar. Estórias, lendas e mitos fazem dessa arte um “não sei o quê” de mistérios, causos e surpresas!
 
Quando vem a reflexão, confirmo que minha atração pela capoeira se deva pela simplicidade que una todos no microcosmo da roda de axé. Costumamos dá vazão às coisas complexas e sem utilidade, ao fim. E a capoeira nos faz seguir sempre na retidão da igualdade. Dentro de uma roda, Mestres, Graduados e Novatos respiram o mesmo ar e escutam a mesma música, sem distinções. Todos são iguais naquele momento. Preto- branco, rico-pobre… não há espaços para padrões sociais de segregação.
 
Confesso que a capoeira me redirecionou  às trilhas do “ser simples”. Particularmente, minhas atividades cotidianas me faziam distantes das coisas simples que compõem a vida. Sinto que estou em voga novamente. Graças ao esforço pessoal por meio da capoeira.
 
A capoeira em sua totalidade não cabe em algumas linhas, definitivamente. Mas também sei que essa mesma capoeira permite manifestações que preencham livros e livros ou apenas uma frase – esta q seja dita com satisfação e verdade.
 
Talvez seja por isso que nossa arte abrace todos! A arte-ginga não se resume a este ou aquele grupo… a capoeira é bem mais significativa, por mais que alguns acreditem no contrário. Uma minoria, felizmente!
 
Façamos então nossa parte em retribuição aos grandes Mestres do passado e aos atuais! Valorizemos os esforços colossais para uma imagem limpa e sem rasuras da nossa arte! Façamos por onde! Ações!
 
Precisamos mostrar para todos aqueles que insistem, que a capoeira é uma ferramenta importantíssima na imprescindível tarefa da educação. Os pais precisam de um reflexo nos boletins dos filhos, para que exista uma motivação. Os envolvidos na capoeira devem incentivar os respectivos alunos para que estes permaneçam a otimizar seus desempenhos nas salas de aula. A educação é a passagem mais fácil e eficaz na construção de um cidadão nato e firme nas próprias opiniões.
 
Dessa forma, quem trabalha na capoeira de coração poderá tirar dessa mesma o próprio sustento. Assim como qualquer outro ofício, viver da Capoeira para quem a ama, é a realização. E é apenas dessa forma educadora que um dia esta realidade será testemunhada. 
 
Vamos agir, colega velho! Cada camarada possui uma qualidade que o define. Usemos nossos atributos dentro e fora da roda. Vamos falar, expandir, corrigir, errar e acertar! O que não vale é a morosidade e a acomodação. Cada grupo de capoeira possui uma força enorme! Basta atentar para tal fato.
 
“Capoeira é defesa e ataque, é ginga no corpo, é malandragem! É licuri que quebra dendê! E quem não conhece capoeira, não pode dá seu valor!”
 
Iê, Capoeira!
 
Shion
Grupo Muzenza
Parnaíba – Piauí

FOTOANÁLISE – GINGADO Bel e Decanio

Bel e Decanio

A maneira como Bimba  ensinava o gingado era  muito simples. Executava os movimentos com todo aprumo para que o novato apreendesse uma idéia geral do movimento. A seguir pegava suavemente nas mãos do aluno e introduzia o princípio fundamental do gingado – o vai-e-vem sem abandonar o terreno – como se demonstrasse o ‘quando eu entrar você sai… ‘quando eu sair você entra…’
Detalhes muito importantes eram o empurrão sútil e a puxada gentil, acompanhando o afastamento e a  aproximação do Mestre no ir-e-vir do gingado, mantendo sempre o neófito próximo ao seu corpo – como estivessem a bailar em parceria, com os pés sem perderem a leveza, apesar de manterem a planta apoiada ao solo.

Para manter a curta distância poderá o instrutor colocar uma das mãos sobre o ombro do aprendiz, como num passe de dança, sugerindo discretamente em linguagem corporal a manutenção da proximidade entre os parceiros.

A proximidade "parceiro"  obriga o aluno a acompanhar a direção do segmento corporal que ataca, criando o reflexo de esquiva.. sempre fugindo  do perigo que se aproxima… o que Bimba resumia na expressão "quem espera tempo ruim é o jegue!" Deve-se acentuar que o braço esquerdo de Bel não está bloqueando o percurso da mão que se aproxima e sim, procurando acompanhar a direção na qual o ataque se avizinha; iniciando-se assim o desvio de todo corpo do campo do possível impacto, em movimento espiralado, serpentino, elicóide…