Blog

alimentos

Vendo Artigos etiquetados em: alimentos

Grupo Cativeiro entrega alimentos arrecadados em Charqueada

O Grupo de Capoeira “Cativeiro” que iniciou suas atividades em Charqueada em Maio deste ano, realizou um importante trabalho social no município.

Por intermédio  de seu instrutor Reginaldo “Marrom” e sob a coordenação do contramestre Rodrigo “Fofão” o grupo de capoeira, reuniu seus alunos e arrecadou alimentos para serem doados  à  famílias carentes do município.

O resultado foi mais de 100 kg de alimentos de diversos tipos arrecadados e entregues para as representantes e assistentes sociais do CRAS de Charqueada, que irão distribuir os produtos para famílias necessitadas e cadastradas na entidade. Já a prefeitura, por meio  do próprio CRAS, doou nove uniformes para capoeiristas carentes do grupo, ou seja, uma grande parceria.

Para os interessados em fazer parte do Grupo de Capoeira “Cativeiro”, as aulas são gratuitas e ministradas às Terças e Quintas -feiras das 19:00h as 21:30h no NAPE do Jd. Bandeirantes, situado a Rua João Baptista Calegaro, n° 225.

 

Fonte: http://www.folhadesaopedro.com.br

Banda de Belo Horizonte se apresenta em Hartford

O Berimbrown promete agitar o público no Trynity College.

A banda mineira Berimbrown está nos Estados Unidos para uma série de apresentações em Connecticut e Massachusetts. O último show acontece no sábado (8), das 12pm às 4pm, durante o Fourth Annual Samba Fest no Trinity College em Hartford. Produzido pelo Professor de Música Eric Galm, o evento traz outras atrações brasileiras.

Participam também o Trinity Samba Ensemble, tendo como convidado especial o cantor José Paulo, e o Ginga Brasileira, grupo de capoeira de New Haven. A festa conta ainda com o Tierra Mestiza, com músicas do México, América do Sul e América Central, além de ter atividades infantis.

Em entrevista por e-mail ao Comunidade News, o fundador do Berimbrown, Mestre Negoativo, disse que os Estados Unidos são uma referência musical para o grupo. Para o Samba Fest, o grupo preparou um repertório que mescla capoeira ao reggae, soul, samba e rock, com composições próprias e versões de músicos famosos. “A expectativa é de muita positividade, e é sempre bom dividir o palco com outros artistas”, disse ele.

Para o músico, é fundamental trazer as culturas mineira e afro-brasileira para o país. “Mostrarmos e falarmos de nossa cultura, nossa realidade e de nossa proposta musical”. Além disso, os músicos estarão em contato com americanos de ascendência africana e de outras raças. “E os brasileiros que contribuirão com a gente para fazermos um ‘carnaval berimbrownzado’”.

Mistura brasileira que conquista

Nascido de um projeto sócio-cultural na Comunidade Maria Goretti, o Berimbrown mistura samba, soul, reggae e tambores com instrumentos de sopro, baixo e bateria, criando um groove dançante. A banda é composta por Berico, Adriano George, Mestre Negoativo, Ronilson, Marconi, DJ A Coisa, Toninho Trombone, Marcinho Monteiro, BomBom e Warley.

Nas 5 turnês realizadas na Europa, o grupo conseguiu contagiar o público. Segundo Negoativo, o Velho Continente é muito aberto a conhecer novas culturas. “Nossa música e a cultura são diversificadas”. Na opinião dele, o Brasil é privilegiado não só pelo conjunto das raças, mas também pelo clima e natureza.

A entrada para o Samba Fest é franca. A única contribuição que o Trinity College solicita são alimentos não perecíveis para uma organização que doa alimentos aos necessitados. O Trinity College fica no 300 Summit College. Informações adicionais pelo telefone (860) 297-2199 ou pelo website www.trincoll.edu/artsattrinity.

 

Da redação do ComunidadeNews.com

LIVRO BRASIL, NEGRO POR DECENDÊNCIA

Esta obra, visa levar ao conhecimento dos leitores, acontecimentos que marcaram nossa cultura, durante o período escravista e visa esclarecer o comportamento estabelecido pelos colonos portugueses, políticos, e ate mesmo pela igreja. Atos e conseqüências que levou a construção de projetos de leis, algumas aprovadas e cumpridas, outras vetadas. Leis estas contraditórias que gerou atos enlouquecentes para com a sociedade constituída por afro-descendentes.

Povo guerreiro, enviado ao Brasil como escravos, foram vendidos como mercadoria, procedentes de países como Angola, Benguela, Cabinda e Moçambique entre tantos outros. Ao chegar aqui, construíram historia, incrementaram a culinária brasileira, trouxeram alimentos como; a manga, o coco, o jerimum, a galinha d’angola, o azeite de dendê entre tantos outros que constitui necessários ao padrão de vida do consumidor brasileiro. Inovadores e criativos eles foram. Adaptaram aqui, formas de sobrevivências, como por exemplo: as vendas ambulantes, de verduras, peixes, roupas, calçados e artesanato. Costumes que ainda podem ser vistos pelas ruas do Brasil. Tudo isso se da devido à herança cultural deste povo.

Colaboradores da colonização do país, e com a miscigenação dos brasileiros, a constituição do mulato, cor em que o brasileiro é identificado quase em toda sua maioria. Introduziram palavras dos dialetos africanos na língua portuguesa, herdada da presença dos portugueses no Brasil em seu descobrimento no século XV.

Salve! Salve! Os índios, importantes edificadores de nosso país, grande influenciadores na culinária brasileira, com diversos alimentos como; a mandioca, o milho, a batata-doce, o cará, pinhão, cacau, amendoim, palmito, mamão e o caju, estas são parte das influências indígenas na alimentação brasileira.

Foram escravizados antes dos negros africanos, forçados ao trabalho escravo, no período do pau-brasil. Grandes contribuintes com nossa cultura brasileira, suas danças, lutas, costumes, culinária e até mesmo a língua, titulada “tupi-guarani”, que nomeou uma das maiores expressões culturais brasileira, hoje reconhecida internacionalmente, a caa-pu-eera (mato ralo) hoje introduzida como “a capoeira”.

Axé a todos os capoeiras, que bravamente escreveram sua historia no cenário brasileiro, em meio as dificuldades impostas pelo império, e mais tarde, pelo próprio governo, ainda sim sobreviveram e enrriqueceram a nossa cultura, hoje patrimônio do nosso Brasil, e de todos os que se orgulham de ser brasileiros.

Salve! A todos que lutaram bravamente em todas as guerras, como a do Paraguai, e em todas aquelas que passaram despercebida pela sociedade, e que nunca foram reconhecidas pelo poder público. Guerra essa travada entre si próprio, pelo fato de ser descendente de uma classe social menos favorecida, parabéns a todos os brasileiros, índios , africanos e descendentes, que moram nas favelas, nos morros, e que com unhas e dentes, sobrevivem a guerra do dia a dia e da descriminação.

 

Darcy Junior de Aguiar (Cascão)

Saúde: Comida demais

Agência FAPESP – O que tem contribuído mais para a epidemia de obesidade: a ingestão excessiva de alimentos ou o sedentarismo? A questão vem sendo discutida há tempos, mas, segundo um estudo que acaba de ser divulgado, a culpa é principalmente do primeiro item.

A pesquisa foi apresentada na sexta-feira (8/5) no Congresso Europeu de Obesidade. Segundo o trabalho, feito por um grupo internacional, o aumento na obesidade nos Estados Unidos desde a década de 1970 se deve quase que completamente ao aumento na ingestão de calorias.

De acordo com a Associação Europeia para o Estudo da Obesidade, o estudo inova ao examinar a questão das contribuições proporcionais à epidemia de obesidade ao combinar relações metabólicas e dados epidemiológicos e agrícolas, entre outros.

“Há muitas sugestões de que tanto a redução da atividade física como o aumento na ingestão de calorias têm sido os principais vetores da obesidade. Mas, até agora, ninguém havia proposto como quantificar as contribuições relativas desses dois pontos”, disse Boyd Swinburn, diretor do Centro de Prevenção da Obesidade da Universidade Deakin, na Austrália, órgão que atua junto à Organização Mundial de Saúde.

“O novo estudo demonstra que o ganho de peso na população norte-americana parece ser explicado totalmente pela ingestão de mais calorias. Aparentemente, as mudanças nas frequências de atividades físicas têm um papel mínimo”, afirmou.

Os pesquisadores examinaram inicialmente 1.399 adultos e 963 crianças para determinar quantas calorias seus corpos queimam no total em circunstâncias normais. Após obterem as taxas de queima de calorias de cada um dos voluntários, Swinburn e colegas calcularam quanto os adultos precisam comer de modo a que mantenham um peso estável e quanto as crianças necessitam para que estejam em uma curva de crescimento normal.

Em seguida, foi feita a análise de quanto os norte-americanos comem, por meio de dados nacionais da disponibilidade de alimentos (a quantidade de alimento produzida e importada menos o total exportado, desperdiçado e usado em animais ou em outras situações), desde a década de 1970.

A ideia era estimar qual seria o peso aproximado 30 anos depois levando em conta apenas a ingestão de alimentos. Para isso, também usaram dados de outro estudo nacional sobre o peso médio dos habitantes dos Estados Unidos. “Se o aumento de peso real se mostrasse o mesmo que a estimativa havia apontado, isso implicaria que a ingestão de alimentos era a responsável.

Se isso não ocorresse, significaria que mudanças na atividade física também tiveram papel importante”, disse Swinburn. Os resultados mostraram que, em crianças, o peso estimado e o real eram exatamente o mesmo, indicando que o consumo calórico sozinho poderia explicar o aumento de peso médio observado no período. “Para os adultos, estimamos que eles estariam em média 10,8 quilos mais pesados, mas o aumento ficou em 8,6 quilos.

Isso sugere que o excesso na ingestão de alimentos ainda explica o ganho de peso, mas que houve melhorias na atividade física nesses 30 anos que evitaram um crescimento ainda maior”, afirmou. Segundo Swinburn, para que o peso médio retorne aos valores da década de 1970, seria preciso diminuir a ingestão calórica em cerca de 350 calorias por dia para crianças e em 500 calorias (um sanduíche grande) para adultos.

“Uma alternativa para atingir resultados semelhantes seria aumentar a atividade física em 150 minutos por dia para crianças e 110 para adultos. Realisticamente, embora a combinação dos dois fatores seja o ideal, o foco deve estar principalmente na redução da ingestão calórica”, disse.

O pesquisador enfatiza que a atividade física não pode ser ignorada como um importante fator para auxiliar na redução da obesidade e que deve continuar a ser promovida por conta de diversos outros benefícios à saúde .

Entretanto, Swinburn destaca que as expectativas em relação ao que pode ser atingido por meio de exercícios devem ser diminuídas e as políticas públicas de saúde precisam ser dirigidas mais no sentido de encorajar a população a comer menos.

 

http://www.easo.org/eco2009/ 

 

Laercio Elias Pereira
http://cev.org.br/qq/laercio/
(82) 9913 8811 – Maceio’

Os males da Dioxina

Redação/Editoração/Formatação modificadas por AADF

 

 

Não é a toa que a Coca-Cola está voltando com as garrafas de vidro!

 

 

A Dioxina é uma substância carcinogênica que causa principalmente câncer de mama

Dioxinas são carcinógenos altamente tóxicos

 

 

.

 

 

Edward Fujimoto, médico e gerente do Programa de Bem Estar/Programa de Promoção da Saúde do Castle Hospital, entrevistado por um programa de TV fez as seguintes advertências:

 

 

Ø      Não congele a sua água em garrafas ou utensílios de plástico, pois isso provoca a liberação de dioxina do plástico.

Ø   Não esquente alimentos em vasilhames de plástico no forno de microondas, especialmente alimentos que contêm gordura.

o        A combinação de gordura, alta temperatura e plástico, libera a dioxina no alimento que vai parar nas células do nosso corpo.

o        Use vasos de vidro refratário, pirex ou porcelana para aquecer alimentos.

§         Você tem o mesmo resultado… sem as dioxinas.

Ø   Sopas Lamen que adicionam água quente no invólucro de isopor ou qualquer tipo de comida semi-pronta/congelada com invólucro de plástico, próprio para ir ao forno ou microondas, devem ser removidas para um tipo de vasilhame mencionado acima para serem aquecidas.

o        Invólucro de papel não é ruim, mas não sabemos o que o papel pode conter, pelo que é mais seguro utilizar refratário de vidro, pirex ou porcelana.

o        Alguns restaurantes fast-food (MacDonalds) trocaram o invólucro de isopor pelo de papel por causa da dioxina.

Ø   O filme-plástico (saran wrap) utilizado para proteger e cobrir alimentos, quando aquecidos podem na verdade liberar, junto com o vapor condensado, a toxina do plástico no alimento.

o        Use papel toalha, é mais seguro.

Passe esta informação para os seus amigos e parentes

 

 

 

 

Prof. Luiz Fernando cref1 2873-T / RJ

Suplementação Nutricional

Revista NutriWebl

Quando a seleção de alimentos em uma dieta é limitada, a suplementação de nutrientes pode ser útil para se alcançar as Doses Diárias Recomendadas (as chamadas RDA).

Exemplos incluem suplementação de vitamina B12 para:

  • vegetarianos que eliminam todos os produtos animais da dieta;
  • ácido fólico, ferro e cálcio para mulheres grávidas; mulheres que possuem fluxo aumentado durante a menstruação podem precisar de ferro adicional;
  • vitamina D para aqueles com baixa ingestão de leite e pouca exposição aos raios solares; e um suplemento multivitamínico e mineral para aqueles que seguem dietas para redução de peso severas.

A suplementação terapêutica é indicada para tratar ou prevenir deficiências de nutrientes em uma variedade de situações clínicas específicas. 
Uma variedade de pessoas podem precisar de suplementação vitamínica e mineral. No entanto, pesquisas têm mostrado que as pessoas que mais tomam suplementos são aquelas que já têm dietas adequadas. A Associação Dietética Americana (ADA) afirma que a melhor estratégia nutricional para promover a saúde e reduzir o risco de doença crônica é a obtenção de nutrientes através de uma variedade de alimentos.
A suplementação vitamínico/mineral deve ser bem analisada e mostrar evidências científicas de segurança e efetividade.
A ADA afirma ainda que, embora os suplementos de nutrientes não devam ser usados como substituto de uma dieta saudável, algumas evidências sugerem que usuários de suplementos consomem menos nutrientes provenientes de alimentos do que aqueles que não usam suplementos. E além disso, em determinados casos, a suplementação de nutrientes pode causar um desequilíbrio ocasionando toxicidade ao organismo.
Muitos problemas associados com altas doses de um único nutriente pode refletir interações que resultam em deficiência relativa de outro nutriente. Por exemplo, altas doses de Vitamina E pode interferir na ação da vitamina K e aumentar o efeito de drogas anticoagulantes, o que pode causar hemorragia. Altas doses de cálcio inibe a absorção de ferro e, possivelmente, outros elementos traços (minerais). Ácido fólico pode mascarar sinais hematológicos da deficiência da vitamina B12, que se não for tratada, pode resultar em danos neurológicos irreversíveis. Ácido fólico também pode interagir adversamente com medicações anticonvulsivantes. Suplementação com Zinco pode reduzir o Cobre, prejudicar as respostas imunes e diminuir os níveis de HDL (colesterol bom).
A toxicidade causada pelo desequilíbrio dos nutrientes é menos provável acontecer quando os nutrientes derivam dos alimentos. A maioria das toxicidades por nutrientes ocorrem devido à suplementação. Muitas vezes as doses ingeridas ultrapassam 25 a 50 vezes o recomendado para as vitaminas C e E, por exemplo. A toxicidade de altas doses de nutrientes como Vitamina A, B6 e D; niacina, ferro, e selênio são bem estabelecidas, ou seja, doses extremamente altas desses nutrientes podem levar a problemas de saúde em vez de trazer benefícios.
Segundo a ADA, comer uma variedade de alimentos é a melhor saída para se obter nutrientes essenciais, mas reconhece que existem aqueles que optam por suplementos, e recomenda a essas pessoas que utilizem suplementos com baixos níveis de nutrientes os quais não devem ultrapassem as RDA (Doses Diárias Recomendadas), visto que tais pessoas também recebem nutrientes provenientes dos alimentos.

Suplementação Nutricional para Atletas

Muitos atletas usam suplementos nutricionais para melhorar a performance.
No entanto, algumas pessoas chegam a tomar vários tipos de suplementos sem saber para que servem e acabam por cometer excessos, colocando a saúde em risco.
Os atletas que têm dietas adequadas não têm muitos motivos para se preocuparem, as deficiências dietéticas de vitaminas são mais comuns naqueles que limitam a ingestão de comida para manter o peso corporal. O objetivo da atividade física para perda de peso, tanto para atletas como não atletas, é reduzir a gordura corporal e manter os músculos. No entanto, deve-se evitar a rápida perda de peso que pode levar a perda de tecido muscular e aumenta a probabilidade da pessoa ganhar peso novamente, além de comprometer a função cardíaca e regulação da temperatura corporal.
Para a população em geral, um programa de exercício aeróbico regular (sessões de 20 a 30 minutos / 3 vezes por semana), combinada com uma dieta hipocalórica e com baixo teor de gordura é o programa mais efetivo para alcançar mudanças desejáveis na composição e peso corporal.
Quando a dieta está deficiente, a suplementação vitamínica pode melhorar a performance. E, em determinadas situações, a suplementação mineral também se faz necessária, como por exemplo: algumas jovens atletas que possuem uma baixa ingestão de cálcio, correm o risco de uma redução do pico da massa óssea, sendo necessária uma suplementação; a deficiência de ferro pode prejudicar a performance, e precisa ser corrigida com a suplementação deste mineral, bem como outros casos específicos que devem ser reconhecidos e avaliados por um médico. Outros suplementos muito procurados por atletas são os anabólicos ou construtores de músculos, os ergogênicos e os termogênicos.

Creatina Monohidratada

Um suplemento anabólico que tem conquistado popularidade nos últimos dois anos é a creatina monohidratada. No corpo, a creatina monohidratada é convertida em creatina fosfato que é uma substância de ocorrência natural no músculo e que é usada durante os primeiros segundos (8-10s) em uma explosão rápida de energia, quase o suficiente para uma corrida de 100 metros. Estudos concluíram que a suplementação de creatina melhora a performance dos atletas em exercícios de alta-intensidade e proporciona um aumento da massa corporal magra (músculos). A suplementação de creatina é amplamente utilizada por atletas em muitos esportes e não constitui doping.

Hormônios Androgênios

A testosterona secretada pelos testículos exerce potente efeito anabólico, determinando aumento acentuado da deposição de proteína em todo o corpo, sobretudo nos músculos.
Por aumentar a força muscular, esses hormônios podem aumentar o desempenho atlético em algumas condições, sobretudo em mulheres e alguns homens que secretam pouca testosterona.
Infelizmente, algumas preparações sintéticas de análogos da testosterona, podem causar lesão hepática e, inclusive, câncer hepático.
Nos homens, qualquer tipo de preparado de hormônios sexuais também podem resultar em diminuição da função testicular, incluindo menor formação de espermatozóides e secreção diminuída de testosterona que podem ter efeitos para o resto de suas vidas.
Na mulher, podem ocorrer efeitos ainda mais deletérios, visto que ela normalmente não está adaptada ao hormônio sexual masculino, resultando em aparecimento de pêlos no rosto, voz grossa, ruborização da pele e interrupção da menstruação.
Outro potencialmente útil suplemento para construção de massa muscular é o DHEA (dehydroepiandrosterone), um hormônio esteróide que é produzido naturalmente pelo corpo e que é precursor de testosterona e estrógeno.
No entanto, excesso de DHEA está associado com câncer de próstata, danos no fígado e pode diminuir os níveis de HDL (colesterol "bom").

Aminoácidos

Um aminoácido bastante utilizado é a Carnitina que atua no metabolismo dos ácidos graxos de cadeia longa, transformando a gordura armazenada em energia.
Existem dois tipos de carnitina a L-carnitina e a D-carnitina. Em contrapartida, a D-carnitina pode causar cãibras, náuseas e diarréia.
Além do mais, a suplementação de carnitina pode custar caro.
Alguns produtos derivados de aminoácidos também são utilizados, como é o caso do HMB (beta-hidroxy-beta-metilpiruvato), um subproduto do aminoácido leucina que estimula a liberação dos precursores da gliconeogênese (formação de glicose a partir de proteínas e gorduras) e síntese de proteína no músculo.

Ginseng

É uma erva muito utilizada na medicina chinesa. Quando utilizada em conjunto com vitamina B, acredita-se aumentar a função neuroendócrina e a  neurotransmissão no cérebro, bem como melhorar o metabolismo de carboidratos e proteínas. No entanto, altas doses podem aumentar a pressão sanguínea.

Anti-oxidantes

São agentes que previnem os danos celulares causados pelos radicais livres.
Podem conter uma variedade de potentes anti-oxidantes tais como as Vitaminas A, C e E, bem como minerais (zinco, selênio, etc) e extratos naturais de plantas, chá verde entre outros.

GABA (ácido gama- aminobutírico)

Naturalmente estimula a produção e liberação do hormônio do crescimento humano (GnH) que, segundo estudos realizados, doses elevadas desse hormônio promove o crescimento muscular e utilização da gordura corporal.
O GABA também é um efetivo analgésico e pode diminuir dores nos músculos e articulações.

Conclusões

Existem outras substâncias utilizadas como suplementos tais como : cromo, HMB, glucosamina sulfato, proteínas do soro do leite, otimizadores metabólicos, piruvato, condroitina sulfato, dentre outros.
As funções dessas substâncias, no geral, são bem conhecidas. No entanto, é necessário que haja mais estudos para se achar outras respostas tais como:

  • dosagens seguras
  • efeitos do uso a longo prazo
  • efeitos das altas dosagens
  • efeitos colaterais
  • a necessidade de utilização (indicação) etc.

O ideal é que exista uma equipe multidisciplinar (nutricionista, médico e treinador físico) no momento da escolha da suplementação a ser utilizada e, principalmente, analisar se ela é realmente necessária. Nunca esquecendo que acima de tudo deve existir uma dieta bem balanceada.

Fontes

  • Choosing Your Bodybuilding Supplements
  • Sports Supplement Glossary
  • Vitamins – Who needs what ?
  • Position of the American Dietetic Association : Vitamin and mineral supplementation
  • Vitamin and Mineral supplementation to athletes, Haymes EM, Int J Sport Nutr 1991
  • Position of the American Dietetic Association : Nutrition for Physical fitness and athletic performance for adults
  • Creatine supplementation and exercise performance, Maughan RJ, Int J Sport Nutr 1995
 

 

Andréa Karla de Lima Alves – Nutricionista/Pesquisadora  Associada NIB/UNICAMP

ADOÇANTE SINTÉTICO

Pessoas que adoram alimentos e bebidas doces, mas temem ganhar calorias extras, terão em breve uma nova opção: a sucralose, que é 600 vezes mais doce do que o açúcar, mas não tem calorias nem causa danos aos dentes. A substância foi aprovada pela Administração de Drogas e Alimentos dos Estados Unidos (FDA), depois da análise de mais de cem estudos conduzidos durante 20 anos. A sucralose foi desenvolvida em 1976.
A sucralose é feita do açúcar e tem o mesmo sabor dele. A adição de cloro, porém, faz com que o adoçante não seja digerido e possa ser integralmente excretado pelo organismo – disse Neil Polo, gerente de uma empresa que está produzindo sucralose em Nova Jersey.
A sucralose foi aprovada para uso em bebidas não alcoólicas, chicletes, café e chá, gorduras e óleos, sobremesas congeladas, sorvetes de frutas, gelatinas, pudins, sucos de frutas, substitutos do açúcar, molhos doces e xaropes. O produto também poderá ser adicionado diretamente à comida pelos consumidores.
Os testes feitos com animais em laboratório não mostraram nenhum efeito cancerígeno da substância.
De acordo com especialistas da FDA, como a sucralose não altera os níveis de açúcar no sangue, ela poderá ser utilizada sem risco por pessoas diabéticas.

COLESTEROL E ALIMENTOS

ENTENDA POR QUE O COLESTEROL FAZ MAL

Todo mundo fala de colesterol – que ele traz problemas ao coração, que não pode comer isso, não pode comer aquilo… mas você sabe direito porque ele faz mal?

Em primeiro lugar: um nível de colesterol no sangue superior a 240 mg/dL eleva, sim, os riscos de uma pessoa ter doenças do coração (que podem levar ao infarto), e também de ter derrame cerebral e outros problemas circulatórios, como trombose.

Isto acontece porque essas doenças são causadas por aterosclerose (quando substâncias gordurosas se acumulam nas artérias, estreitando ou entupindo-as).

É por isso que devemos limitar o consumo de alimentos que contenham colesterol. Mas não basta cortar a gordura, é preciso manter uma dieta de baixa caloria, porque todo nutriente em excesso é transformado em gordura dentro do corpo.

Como os sintomas do colesterol alto só são percebidos quando começam as complicações, é importante monitorar sempre os níveis de colesterol através de exames de sangue. Além disso, consulte sempre seu médico. Ninguém melhor que ele para orientá-lo sobre como cuidar da saúde.

SAIBA O O QUE SÃO O COLESTEROL BOM E O COLESTEROL RUIM

As substâncias que transportam o colesterol dentro do corpo são chamadas de lipoproteínas. Elas são de dois tipos. Um é o chamado "colesterol ruim", que causa o entupimento das artérias. Outro é o "colesterol bom", que ajuda a evitar esse processo.

O LDL e VLDL (lipoproteínas de baixa e muito baixa densidade), ou "colesterol ruim", contêm os maiores componentes de gordura. As LDL têm normalmente de 60 a 80% do colesterol total. Elas ajudam a carregar o colesterol para dentro do tecido arterial e são as responsáveis pelo estreitamento e entupimento das artérias.

O HDL (lipoproteínas de alta densidade), ou "colesterol bom", contém a menor quantidade de colesterol e pode proteger as artérias de duas maneiras: levando o colesterol para longe da parede arterial, a fim de ser transformado em bile no fígado e excretado pelo intestino, e competindo com o LDL para ingressar nas células da parede arterial.

Mas mesmo o colesterol ruim é útil ao corpo. O colesterol é necessário em muitas funções corporais complexas, incluindo a síntese do estrogênio, androgênio e progesterona, que são os hormônios responsáveis pelas características sexuais secundárias, masculinas e femininas. Ele também desempenha um papel importante na formação das secreções biliares que emulsificam a gordura durante a digestão.

Mas isso não significa que a gente deva incluir o colesterol da alimentação. Isso porque até mesmo um indivíduo que consome uma dieta isenta de colesterol tem colesterol no corpo, já que ele é sintetizado (produzido) pelo nosso organismo.

Redação Terra com informações da nutricionista Alessandra Caviglia

Conheça os alimentos que protegem seu coração

Você já deve saber que a gente não deve comer certos alimentos para não aumentar a taxa de colesterol no sangue, certo? Mas você sabia que também existem alimentos que podem ajudar a combater o colesterol e melhorar sua saúde como um todo?

Esses alimentos protegem o coração de diversas maneiras. Ele podem, por exemplo, diminuir a taxa do colesterol ruim, ou aumentar a taxa do colesterol bom. Conheça quais são eles e inclua-os em sua dieta:
 

  • Alcachofra
  • Aveia
  • Azeite
  • Chá
  • Farelos e cereais integrais
  • Laranja
  • Oleaginosas
  • Peixe
  • Soja
  • Vinho

Redação Terra

CAMPEÕES DE SAÚDE: AZEITE

Desde a década de 70, a baixa incidência de doenças cardíacas nas regiões banhadas pelo Mediterrâneo (Itália, Espanha, Sul da França, Grécia) chamou a atenção de pesquisadores. Eles acabaram por descobrir que o azeite de oliva era um dos principais ingredientes de sua culinária.

As propriedades benéficas do azeite, principalmente virgem, são:
 

  • diminuir o colesterol das artérias (levando-o de volta ao fígado) e, conseqüentemente, ajudar no combate de doenças cardíacas;
  • combater a hipertensão e alguns tipos de câncer
  • proteger e fortalecer os aparelhos digestivo e imunológico

Mas atenção: o azeite deve ser usado sempre cru, para dar sabor e finalizar os pratos. Se você usá-lo para cozinhar, ele vai saturar muito rápido, transformando tudo que tem de bom em ruim. Para cozinhar, use óleos de girassol, canola ou milho.

Bianca Piragibe/Redação Terra

CAMPEÕES DE SAÚDE: FARELOS E CEREAIS INTEGRAIS

Os cereais – como o arroz e o trigo – são uma excelente fonte de carboidratos ricos em amidos e fibras. Os farelos são compostos pela casca externa indigerível destes grãos.

Os benefícios que eles trazem à saúde são:
 

  • ajudar a prevenir a prisão de ventre;
  • ajudar a diminuir as taxas de colesterol no sangue;
  • gerar uma sensação de saciedade que pode levar à perda de peso; e
  • reduzir o risco de alguns tipos de câncer, especialmente os associados à obesidade (no intestino e no estômago).

Mas não exagere: o excesso de farelo reduz a absorção de cálcio, ferro e zinco e pode causar irritação intestinal, distensão abdominal e flatulência. O ideal mesmo é consumí-lo não puro, mas em alimentos que o contenham, como o arroz integral e o pão integral.

Bianca Piragibe/Redação Terra

CAMPEÕES DE SAÚDE: FRUTAS CÍTRICAS

Este é o grupo de alimentos mais famoso no combate a doenças. Afinal, quem não sabe que o melhor remédio para a gripe é "vitamina C e cama"?

Os alimentos que se destacam são o limão, a laranja e a acerola, que podem ser usados em molhos, sucos, sorvetes, doces, geléias, compotas…

Em 100 gramas da parte comestível da acerola, pode-se encontrar até 80 vezes mais vitamina C que na mesma quantidade de limão ou laranja. Nem é preciso tanto! Uma laranja de tamanho médio contém cerca de 70 miligramas desta vitamina – uma quantidade maior do que as necessidades diárias de um adulto.

A vitamina C:
 

  • protege contra o envelhecimento das células; e
  • ajuda a reduzir o risco de certos tipos de câncer, ataques do coração, doenças pulmonares e derrames cerebrais.

A acerola também está relacionada ao combate de diabetes, disfunções do fígado, cicatrizações difíceis e disenterias, a laranja pode ajudar a reduzir o colesterol e o limão atua contra inflamações e alguns tipos de câncer.

Campeões de saúde: Oleaginosas

Nozes, amêndoas, castanhas… são todos famosos por serem muito calóricos e, inevitavelmente acabam expulsos das dietas de quem busca mais saúde. Então, o que eles fazem nesta lista?

Bem, só para começar: as nozes são o alimento vegetal que apresenta uma maior quantidade de antioxidantes, responsáveis por combater o envelhecimento celular e prevenir muitas doenças, como:
 

  • doenças coronárias;
  • diversos tipos de câncer; e
  • loucura.

A lista de benefícios não pára por aí. Se consumidas sem exagero, as oleaginosas não engordam e ainda:
 

  • diminuem o risco de morte súbita associada à parada cardíaca;
  • diminuem e o nível de colesterol no sangue; e
  • podem ajudar a prevenir alguns tipos de câncer.

Campeões de saúde: Peixe

O peixe é uma excelente fonte de proteínas completas, ferro e outros minerais, além de conter os célebres ácidos graxos ômega-3. São eles os grande responsáveis por grande parte da enorme lista de benefícios à saúde que ele traz.

O consumo regular de peixe:
 

  • diminui o desenvolvimento de doenças do coração e aterosclerose;
  • em idosos, diminui o risco de desenvolvimento do mal de Alzheimer e outros tipos de demência, ao reduzir a inflamação do cérebro e ajudar no desenvolvimento cerebral e na regeneração das células nervosas;
  • provavelmente por motivos semelhantes, proporciona um melhor desempenho acadêmico das crianças,
  • ajuda a aliviar os sintomas de depressão, como tristeza, ansiedade e problemas no sono;
  • tem influência no controle da pressão arterial;
  • colabora com a coagulação do sangue;
  • alivia os sintomas da artrite reumatóide; e
  • protege a pele contra raios UV e inflamações
 

Campeões de saúde: Soja

A soja é uma das plantas mais nutritivas e versáteis. É uma boa fonte vegetal de proteína, ferro e outros minerais e pobre em calorias e gorduras.

Estudos indicam que ela:

  • aumenta o colesterol bom e diminui ruim no sangue e, com ele, o risco de doenças do coração;
  • previne algumas formas de câncer, em especial o de mama;
  • as isoflavonas, presentes na soja, combatem sintomas da menopausa, como o fogacho (calorões), e podem evitar osteoporose. Seu uso é muito indicado principalmente para mulheres que não podem ou não querem fazer a reposição hormonal.