Blog

associações

Vendo Artigos etiquetados em: associações

Portimão: XIII Encontro Internacional de Capoeira

Portugal, Portimão: XIII Encontro Internacional de Capoeira dia 14

Vai decorrer no Auditório Municipal de Portimão, dia 14 de Novembro o XIII Encontro Internacional de Capoeira, promovido pela Associação de Capoeira do Distrito de Faro e com o apoio da Câmara Municipal de Portimão.

Estarão presentes na competição, que arranca às 14:00 horas, 60 atletas provenientes de 11 entidades convidadas:

Capoeira Internacional de Raiz (Alemanha), Associação de Capoeira Oriazambi e Grupo de Capoeira Libertação (Espanha), Escola de Arte Circense Chapitô, Sporting Clube de Portugal e Grupo União na Capoeira (Lisboa), Associação Cultural e Recreativa Ajax e Associação Cultural e Recreativa do Patameira (Odivelas), Associação de Capoeira Lagoa da Saudade II (Porto), Alforria Capoeira (Santarém) e Grupo Capoeira Raízes (Quarteira).

Também colaboram neste evento as associações nacionais de capoeira de Leiria e Castelo Branco, a Associação de Capoeira Agbara de Lisboa e a Companhia Contemporânea de Capoeira, segundo o divulgado em comunicado.

 

Fonte: Diário Digital – http://diariodigital.sapo.pt

Aconteceu: Campeonato Paraense 2008

A Federação Paraense de Capoeira – FEPAC realizou no dia 13 de julho o campeonato paraense 2008. Segundo avaliação do Diretor de Arbitragem, Mestre Docinho, foi uma inesquecível maratona de 11 horas de jogos, entre apresentações de conjuntos, duplas e as tradicionais disputas homem x homem e mulher x mulher.

A competição, que vem sendo realizada anualmente desde 1999, tem entre seus objetivos a divulgação e fomento da prática da Capoeira no Estado do Pará. A Federação, apesar das dificuldades, tem cumprido seu papel. Pelo menos é o que indica o número de participantes: nove associações representadas por 180 atletas cobrindo todas as fases da vida, das categorias mirim até terceira idade, segundo informou o Formado Ivan “Bareta”, Vice-Presidente da Entidade.

FEPACÁrbitros e atletas durante a execução do Hino Nacional Brasileiro na abertura do Campeonato Paraense de Capoeira 2008, em Belém-PA.

Os campeonatos anuais da FEPAC são bastante apreciados pelos praticantes. Não há impedimento algum à participação, exceto quanto a exigência de que o grupo esteja devidamente legalizado e se apresente com seus atletas e técnicos.

 

Quem mais ganhou com o campeonato este ano foram as pessoas que compõem as nove Associações participantes:

• Vitória Régia
• Rei
• Luta Nossa
• Zambo
• Ginga Pará
• Pará Capoeira
• Berimbau Brasil
• Helena Coutinho
• Guerreiros da Libertação

Essas associações possuem em seus quadros vários campeões brasileiros, atletas muito experientes e árbitros que vêm participando dos eventos da Confederação Brasileira de Capoeira – CBC desde 1998.
Isto somado à experiência local agrega valor social à Capoeira paraense e promove o reconhecimento dela como importante elemento de formação humana. Tal benefício se estende a todos os praticantes de Capoeira do Pará, mesmo aos não filiados.

FEPACEsteve presente na abertura do evento, também, o Mestre Bezerra, pioneiro na organização desportiva da Capoeira no Pará.

Considerado hoje o Mestre da Capoeira Angola do Pará, Mestre Bezerra, que também é fundador, árbitro da Federação e vice-campeão brasileiro master da CBC, não pode atuar este ano no Paraense por que estava se preparando para viagem a Salvador onde participaria do ato de registro da Capoeira como Patrimônio Cultural do Brasil.

É de se acreditar, pelo visto, que a capoeiragem paraense está preparada para os desafios que estão postos à Capoeira moderna, seja no campo da organização e prática desportiva, seja no da preservação dessa jóia da cultura brasileira.

A galera do Pará tem muito axé!

(fotos por Fernando Rabelo)

Sorocaba: Made in Brazil

Um jogo, uma dança, uma luta e esporte. Tudo isso é a capoeira, genuinamente brasileira, que vem ganhando adeptos ao redor do mundo. Nascida nas senzalas e quilombos no período da escravidão, ela deixa de ser marginalizada e ganha espaço ao lado dos esportes.

Aquilo que foi criado para ser uma defesa contra o inimigo, se transformou em esporte e cultura.

Manoel Troiano dos Santos, o mestre Cuco, contou que em Sorocaba existem cerca de 50 núcleos de capoeira, divididos em oito associações. “São mais de 10 mil praticantes em toda a cidade.”

Entre eles está Regina França, capoeirista há seis anos. “Assisti uma apresentação na praça e quis praticar”, lembra. Para ela, o esporte sempre traz novos desafios a serem superados, além de manter o corpo em forma. Regina joga capoeira durante duas horas, três ou quatro vezes por semana.

Mestre Cuco acredita que é preciso tirar da capoeira a imagem do preconceito. “A capoeira hoje é instrumento educativo. Ela saiu das ruas e da marginalidade para entrar nas escolas e nas casas das pessoas.”

Modelo exportação

De acordo com Cuco, a capoeira já é pratica em 150 países, sempre com as regras e o formato criando no Brasil. “A música é brasileira e as cores dos cordões representam a bandeira do país.”

O esporte, que já fez um campeonato mundial, busca agora a inclusão nas Olimpíadas. Para isso, precisa realizar cinco competições desse nível.

Assim como nas artes marciais, o atleta que aumenta de nível, troca de cordão, até chegar ao branco, usado pelos mestres.

Benefícios

A prática da capoeira representa um grande benefício para o organismo. Cuco, que é formado em Educação Física, disse que duas horas de treino representa a perda de 700 calorias. Ele acrescentou que o esporte permite um fortalecimento ósseo e muscular. “Existem pessoas que praticam a capoeira até os 80 anos.”

Para os iniciantes, a aula começa com orientações sobre os fundamentos e golpes. Em cerca de três meses, disse o mestre, o capoerista já pode participar da roda.

Cuco deixa claro que a capoeira apenas simula uma lita, mas não há agressão entre os participantes.

Liga Regional na cidade

Com o objetivo de integrar as associações de Sorocaba e região, foi criada este ano a Liga Regional Sorocabana de Capoeira. “Queremos regularizar e oferecer um suporte aos praticantes”, explica o presidente, Manoel dos Santos, o mestre Cuco.

Ao todo, 72 cidades fazem parte da área de cobertura da Liga. Cuco explicou que a entidade, que é filiada à Fecaesp (Federação de Capoeira do Estado de São Paulo) vai organizar cursos de capacitação e regulamentar o trabalho realizado na região. “Através de nós, as associações também poderão participar das competições.”

O vice-presidente da Liga, José Aparecido Mendes, o mestre Cupim, diz que a entidade vai realizar seletivas regionais para indicar atletas para campeonatos importantes. “Dessa forma poderemos levar os melhores da nossa região.” Cupim é o atual campeão brasileiro na categoria peso pesado.

Capoeira não tem idade

Com apenas seis anos, Matheus Almeida, pratica a capoeira há um ano e meio. Ao lado de Nathália Almeida, 8, ele já aprende os primeiros golpes. “Parei de fazer futebol porque não dava tempo e gosto mais da capoeira”, conta o menino.

Nathália sabe que não é comum uma menina jogar capoeira, mas ela não se importa. Os dois farão seu primeiro batizado (mudança de cordão) ainda este mês.

A presença de crianças nas aulas mostra que, além de não representar nenhum risco, a capoeira é um instrumento educativo. O esporte já é praticado em muitas escolas de Sorocaba.

O mestre Cuco explicou que a capoeira tem um caráter educativo e disciplinar muito importante no desenvolvimento da criança. “Muitas crianças melhoram seu temperamento quando fazem capoeira.”

Jacqueline França – jacqueline.franca@bomdiasorocaba.com.br