Blog

belém

Vendo Artigos etiquetados em: belém

Pará: Ato público mobiliza a sociedade

Gente da música, da dança, do teatro, do cinema, da capoeira e de infinitas outras expressões culturais se reúne para tentar mais uma vez mobilizar a cidade para a criação de um projeto de lei, de iniciativa popular, para a implantação do Sistema Municipal de Cultura. O ato ocorrerá na Praça da República, a partir das 9 horas, e tem a proposta também de coletar novas assinaturas para o documento que pode ajudar na instalação do sistema.

Esse não é o primeiro ato dos setores culturais da cidade. No início de março, Músicos, atores, dançarinos, produtores culturais, além do público que circulava no domingo na Praça da República, no centro da capital, assinaram o documento ao longo da manhã de domingo. Para terem validade, as assinaturas – que devem representar 5% da população eleitoral do município (o equivalente a 50 mil assinaturas) -, precisam estar acompanhados do número do eleitor. E mais, só pode assinar quem vota em Belém e distritos. Região Metropolitana nem pensar. É lei. Simples assim. Várias entidades e instituições da cidade já funcionam como ponto de coleta ei. Simples assim. O projeto de lei foi lançado foi lançado na Câmara dos Vereadores em fevereiro. A meta do Fórum Municipal de Cultura, que em parceria com a Comissão de Cultura da Câmara, lidera a mobilização, é coletar tudo até 19 de abril.

Com a instalação do Sistema Municipal de Cultura, Belém poderá ter acesso aos recursos do Fundo Nacional de Cultura, o equivalente a 40%. partir da criação do Sistema Municipal de Cultura, serão implementados o Conselho Municipal de Política Cultural, o Fundo, o Plano e a Conferência Municipal de Cultura e Orçamento Participativo da Cultura. Esses elementos servirão para se articular, gerir, informar, formar e promover as políticas públicas para cultura, com a distribuição democrática dos recursos através da participação e controle da sociedade. O Sistema prevê políticas públicas para um período de dez anos, com planos de ações para atender às principais demandas a serem atendidas de cada segmento.

 

Pontos de coleta

 

Quem deseja colaborar com o Projeto pode ir até os pontos de coleta levando o seu título de eleitor. A coleta de assinaturas iniciou nos Restaurantes Universitários e continua no Instituto Universidade Popular (Unipop), no Espaço Experimental de Dança, no Espaço Cultural Coisas de Negro e na DAC/Proex. Nesta última, os formulários estão disponíveis até o dia 18 de abril e, além de assinarem, as pessoas também podem distribuí-los.

 

ACESSE: forumculturabelem.blogspot.com

Cabralzinho Capoeira

Nos momentos que antecederam as eleições para escolher os representantes do Pará no Congresso Nacional Constituinte houve a intensificação das discussões e trocas de acusações entre os partidos políticos conflitantes. Tais discussões referiam-se tanto aos acontecimentos ocorridos na capital quanto àqueles que ocorreram nos municípios e localidades do interior do Estado.

O jornal A República de 01/05/1890 publicou um artigo intitulado “Os Democratas Anarchisando”, no qual se atribuía aos integrantes do PRD a autoria de distúrbios na Colônia de Santa Izabel. Foram acusados pelos redatores: o presidente dos democratas, Vicente Chermont, juntamente com o democrata, Agostinho Reis e o comerciante e capoeira Francisco Xavier da Veiga Cabral (A REPÚBLICA. Belém, 01/05/90. p. 1), que era conhecido como Cabralzinho. Os acusados, acompanhados de capangas, teriam promovido provocações e ameaças levando a intensos desentendimentos que ocasionaram o disparo de um tiro que atingiu gravemente um morador do município que assistia ao comício do Partido Republicano do Pará.

Em outra edição de A República, novamente se atribui o conflito aos democratas Agostinho dos Reis e Veiga Cabral. Estes, por liderarem um grupo de capangas, seriam também responsáveis pela crise nervosa que atingiu uma senhora gestante (A REPÚBLICA. Belém, 02/05/90. p. 1). O Democrata, em defesa de Reis e Cabralzinho, argumentava que os dois foram vítimas do governo quando retornavam da localidade de Caraparu, na Colônia de Santa Izabel. Reis e Cabralzinho teriam sido atacados por um grupo liderado pelo subdelegado Antônio Souza Leal que também militava no PRP.

Os democratas eram também acusados (A REPÚBLICA. Belém, 14/06/90. p. 1) de fazer campanha contra o governo pelo interior do Estado, a exemplo de Benevides, onde Agostinho Reis utilizava como arma de campanha política o argumento de que o governo republicano tinha como objetivo acabar com a religião católica. Ao se defenderem, os republicanos – após alguns argumentos – divulgaram o programa do PRD, que também defendia no seu artigo XVIII a separação entre Igreja e Estado.

No documento*, a acusação recaía sobre o subdelegado Antonio de Souza Leal, que teria atingido o Dr. Agostinho Reis com golpes de faca, enquanto a escolta comandada pelo subdelegado segurava Cabralzinho que tentava evitar que seu companheiro fosse atingido. Tanto Reis como Cabralzinho ainda teriam tentado escapar, mas não foram bem sucedidos. O médico democrata tropeçou e ao cair foi imobilizado por Antonio de Souza Leal que “… colocou o pé em sua garganta e com uma faca fez um golpe no peito de Reis.

O cônego Muniz tentou impedir a agressão e também foi ameaçado …” (Auto de perguntas feitas ao Dr. Agostinho Reis e Francisco Xavier da Veiga Cabral em 1890. Cabralzinho travou luta com os homens da escolta, mas acabou sendo agarrado e levado para delegacia.

 

 

 

Fonte: http://www.revistas.ufg.br

Pará: 8° Festival de Carimbó

Dias 19 e 20 de dezembro em Santarém Novo, no Pará

Acontece, nos dias 19 e 20 de dezembro, na cidade de Santarém Novo, na região do Salgado paraense, o 8° Festival de Carimbó.

O Festival tem como bandeira principal ‘o reconhecimento do Carimbó como Patrimônio Cultural Brasileiro’, revelando ao Pará e ao Brasil toda a beleza, força e originalidade do Carimbó, apresentando as suas diversas expressões, ricas em timbres e estilos, dando visibilidade aos mestres tradicionais e estimulando os jovens músicos e dançarinos que são a garantia de sua continuidade e renovação.

Realizado desde 2002 pela Irmandade de Carimbó de São Benedito, o evento é fruto de uma parceria entre Ponto de Cultura Iaçá e o Centro Cultural Solidariedade, com o apoio da Secretaria de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura, por meio do Programa Cultura Viva, da Secretaria de Estado de Cultura-SECULT, da Fundação Curro Velho, do Instituto de Artes do Pará, do SESC Regional Pará, da Câmara Municipal de Santarém Novo e da Secretaria Municipal de Educação.

A programação de 2009 inclui a 8ª versão do Concurso Regional de Carimbó, agora chamado Troféu Mestre Celé em homenagem a um dos mestres da Irmandade já falecido, que é aberto para grupos de todo o Pará nos estilos raiz (ou tradicional, pau-e-corda) e o livre (que permite releituras e fusões). As composições inscritas no concurso são todas originais e inéditas, contribuindo para estimular a renovação do repertório de Carimbó da região.

O Festival oferece ainda Oficinas de Saberes e Fazeres do Carimbó, ministradas por mestres da Irmandade, que se inserem no esforço da comunidade em transmitir sua tradição oral aos mais jovens e assim assegurar sua preservação e continuidade.

Entre a programação do festival estão inseridas atividades como Arrastões de Carimbó e Roda de Tambores, Festa no Barracão, Alvoradas, Taberna da Cultura Popular, Cine-clube Comunitário e animados bailes e shows com grupos regionais, como o Grupo Iaçá (Belém) e locais, como o Grupo Os Quentes da Madrugada.

 

As inscrições para o “Troféu Mestre Celé”- 8º Concurso Regional de Carimbó e para as demais atividades ficam abertas até o dia 15 de dezembro e  podem ser efetuadas nos seguintes endereços e telefones:

 

Em Santarém Novo:

Secretaria do Festival: Centro Solidariedade, Centro, CEP 68.720-000, Santarém Novo/PA

Telefone: (91) 9995-4422 ou 9623-6878

Correio eletrônico: [email protected] ou

[email protected]

 

Contatos da Coordenação:

Isaac Loureiro (9998-5321)

Solange Loureiro (9623-6878)

Correio eletrônico: [email protected]

 

Confira a programação completa:

 

PROGRAMAÇÃO GERAL

 

Dia 19/dez – Sábado

06:00 – Alvorada do Festival com fogos e cantorias;

09:00 às 14:00 – 5º Seminário da Campanha “Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro”.

Tema: Carimbó e Natureza.

Convidados: Prof. Dr. Antônio Francisco Maciel (pesquisador e educador/Belém), Esperança Alves (Mana-Mani/Belém), Mestre Maninho (Resex Mãe Grande/Curuçá), Isaac Loureiro (Irmandade de S. Benedito/Santarém Novo), Dorotéa Lima (IPHAN/Belém), Lélia Fernandes (DPAT-SECULT/Belém);

17:00 – Arrastão do Carimbó – grande cortejo cultural de abertura do Festival com todos os grupos presentes;

18:00 – Mística de Chegança – Grupo Os Quentes da Madrugada/Irmandade de São Benedito (Santarém Novo) e grupo de idosos “Reviver” (Maracanã);

18:30 – Mini Festival – Mostra de Grupos Mirins de Carimbó – Grupos Trinca Ferro Mirim (Santarém Novo) e Tio Milico (Fortalezinha);

19:30 – Etapa Eliminatória do Troféu “Mestre Celé” de Carimbó (Estilo Raiz);

22:30 – Etapa Eliminatória do Troféu “Mestre Celé” de Carimbó (Estilo Livre);

00:00 – Festa de Carimbó no Barracão da Irmandade – Grupos Os Quentes da Madrugada (Santarém Novo) e Sancari (Belém).

 

Dia 20/dez – Domingo

06:00 – Alvorada do Festival com fogos e cantorias;

09:00 às 14:00 – 5º Encontro dos Mestres de Carimbó: Roda de Saberes e Fazeres – Lançamento da Campanha pela Lei Griô Nacional e pela Lei dos Tesouros Humanos do Pará;

Convidados: Mestres e Mestras, Ação Griô Nacional, Delson Cruz (Ministério da Cultura), Prof. Edilson Moura (SECULT/Belém);

16:00 – Arrastão Cultural “Carimbó Patrimônio Cultural Brasileiro: nós queremos!”;

17:00 – Roda de Carimbó com Mestres do Salgado e grupo de idosos “Reviver” (Maracanã);

17:30 – Cordão Tradicional “Os Pretinhos” (S. Novo);

18:00 – Orquestra de Carimbó de Santarém Novo;

18:30 – Mini Festival – Grupos Alegria Mirim (Cafezal) e Zimba Mirim (Maracanã);

19:30 – Entrega da chama da Lei Griô Nacional a todos os(as) mestres(as) presentes;

20:00 – Etapa Final Troféu “Mestre Celé” de Carimbó (Estilos Raiz e Livre);

00:00 – Show do Grupo de Cultura Regional “Iaçá” (Belém);

00:40 – Resultado e Premiações do Festival;

01:00 – Encerramento do 8º FEST RIMBÓFesta de Carimbó no Barracão da Irmandade;

OUTRAS ATIVIDADES

Oficinas de Saberes e Fazeres do Carimbo

Parceria com a Fundação Curro Velho

1. Confecção de Instrumentos Tradicionais do Carimbó

  • Instrutor: Mestre Sabá (Irmandade de S. Benedito/S. Novo)
  • Período: 09 a 18/dezembro/2009
  • 15 vagas

2. Danças Tradicionais de Carimbó

  • Instrutora: Solange Loureiro (Irmandade de S. Benedito/S. Novo)
  • Período: 14 a 18/dezembro/2009
  • 20 vagas

3. Percussão Tradicional do Carimbó

  • Instrutor: Mestre Dico Boi (Irmandade de S. Benedito/S. Novo)
  • Período: 14 a 18 de dezembro/2009
  • 15 vagas

 

 

Comunicação SID/MinC

Telefone: (61) 2024-2379

E-mail: [email protected]

Acesse: www.cultura.gov.br/sid

Nosso Blog: blogs.cultura.gov.br/diversidade_cultural

Nosso Twitter: twitter.com/diversidademinc

Morre aos 93 anos de idade um dos maiores representantes da cultura popular paraense e brasileira

Morreu, nesta terça-feira (03), Mestre Verequete, conhecido por seu trabalho de promoção do Carimbó, batuque e dança ancestral dos negros característico do Pará.
 
Internado desde domingo no Hospital João de Barros Barreto, em Belém, Augusto Gomes Rodrigues, seu verdadeiro nome, não resistiu à insuficiência respiratória aguda e infecção generalizada.
 
O Mestre ganhou o nome de Verequete após se mudar de Bragança para trabalhar na Base Aérea de Belém. “Eu gostava de uma moça; então ela me convidou para ir ao batuque que eu nunca tinha visto. Umas certas horas da madrugada o Pai de Santo cantou ‘Chama Verequete’. Eu era capataz da base aérea de Belém, na época da construção, cheguei na hora do almoço e contei a história do batuque… Quando acabei de contar, me chamaram de Verequete’, disse o carimbozeiro ao mestre em música pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Paulo Murilo Guerreiro do Amaral.
 
Homenageado até pelo presidente Lula como Comendador da Ordem do Mérito Cultural, uma das mais importantes honrarias do governo federal, e vencedor do Prêmio Culturas Populares 2008 – Mestre Humberto de Maracanã, realizado pela Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural do Ministério da Cultura.  Mestre Verequete teve seu primeiro contato com o Carimbó aos 24 anos, quando convidou um grupo para dançar em um bar que tinha na época.  Posteriormente, tornou a convidar o grupo para dançar numa festa de passagem de ano, mas o convite foi recusado. Diante disso, Mestre Verequete decidiu criar outro conjunto do gênero. Fundou-se então, no dia 2 de outubro de 1971, o Conjunto de Carimbó Uirapuru do Verequete, que permanece até os dias atuais e já possui mais de 10 discos gravados, entre eles, o famoso ‘Carimbó Uirapuru do Verequete (Só podia ser)’.
 
Apesar das homenagens e do sucesso, Mestre Verequete teve uma vida marcada pela pobreza material. Para os amigos e familiares vai deixar saudade e exemplo de sabedoria e humildade, como conta o neto Felipe Rodrigues, de 18 anos. Para o Brasil, mais do que riqueza cultural, o mestre deixa a lembrança da importância de se valorizar e se reconhecer os constituintes da nossa cultura popular enquanto vivos.

Projeto Social de capoeira fabrica campeões

O projeto Social Comunidade Capoeira de Belém do Pará, participou nos dias 30 e 31 de maio de 2009, do 2° Jogos Intermunicipal de capoeira, realizado na cidade de Marituba (Região metropolitana de Belém).

O projeto Social participou da competição com 5 integrantes  e obtiveram um ótimo resultado. Consagrando a atleta Marinete do Carmo, conhecida nas rodas de Capoeira como Neth Muzenza como Bi – Campeã de Capoeira  na categoria Adulto, peso médio. E o atleta Jhonici da silva (Pitt Bul), como Vice Campeão da categoria adulto, peso médio. Os dois atletas pertencentes ao Grupo Muzenza Capoeira.

A Competição foi realizado pelo Mestre Chaguinha e pelo Professor Paulo, ambos da Associação de Capoeira Luta Nossa do Pará, e contaram com o patrocinio da Secdel(secretaria de esporte e lazer de Marituba) e o apoio da Federação Paraense de capoeira.

O evento teve a participação expressiva do publico paraense e das academias de várias cidades do Pará, que lotaram o Ginasio municipal.
Um dos momentos mais marcantes da Competição foi a homenagem ao Grã-Mestre Bezerra, que foi pioneiro na organização da capoeira no Estado e um dos mais importantes Mestre da atualidade.

O Projeto social Comunidade Capoeira, foi criado e desenvolvido pelo Monitor Mac Iver(Grupo Muzenza Capoeira), que atende gratuitamente crianças carentes na Escola Jarbas passarinho(Souza), aos sábados e domingos às 16:00 horas e conta com atividades socio-culturais, com a realização de apresentações nos parques e jardins botanicos de Belém, além das já tradicionais apresentações folcloricas na praça da republica.

O telefone de contato é através do telefone: (91) 3231-6556 / 9115-2965 ou do E-mail: [email protected].

Aconteceu: Fórum Social de Capoeira

Foi realizado nos dias 06 a 09 de novembro de 2008, o Fórum Social de Capoeira, na cidade de Belém do Pará. Evento este que marcou a capoeira, pois trouxe inovações na maneira de se fazer eventos de capoeira no Estado. Com o objetivo de alcançar todas as classes na capoeira(Mestres, pais, alunos e etc), foram realizados 4 dias de muito capoeira, sendo iniciado na quinta – feira, dia 06 de novembro com palestra sobre o tema: Leis de incentivo a cultura, ministrada pelo chefe da representação do Ministério da Cultura(MINC), Delson Cruz. No qual mostrou as leis que incentivam a cultura em nosso país e sobre a importancia de como confeccionar bons projetos para a captação de recursos, também foi ensinado como legalizar as associações e os grupos de capoeira já existentes.

Na sexta – feira, foi realizado pela manhã, no museu Paraense Emiliu Goeld um passeio no qual o objetivo era a da preservação ambiental de nossa fauna e flora, após foi realizado uma oficina de maculelê e apresentações de capoeira angola. Pela tarde foi realizado a exibição do Filme: Mestre Bimba e a capoeira iluminada, longa-metragem que mostra a vida do criador da capoeira regional, com entrevistas com alunos de Bimba, filhos e esposas.

Segundo Nazaré Dias(Diretora do Espaço Cultural Cinema Olimpia), este evento foi pioneiro na historia da capoeira no Pará, pois possibilitou a exibição de um documentário/filme de capoeira no Estado, sendo que isso nunca havia acontecido antes, tendo um peso maior, pois o "Olimpia" é o cinema mais antigo em funcionamento do Brasil…esperamos que proxímas oportunidades apareçam(…) Após a exibição do filme foi realizada uma roda com as pessoas que foram prestigiar o evento.

No Sábado, dia 09 foi realizado passeio pelo Jardim Botânico de Belém(Bosque Rodrigues Alves), sendo realizada uma grande roda de capoeira nas ruinas de forte amazônico, a noite foi realizada o batismo e a troca de corda no centro histórico de Belém, a casa das 11 janelas e contou com a participação de vários capoeiristas.

Acho que o objetivo principal foi alcançado neste evento, pois trabalhamos o social como está no nome do evento, a cultura, tivemos atividades voltadas para crianças, professores de capoeira, Mestres e etc. Foi muito valioso este evento. Em 2009 todos estão convidados para o 2° Fórum Social de Capoeira, que será realizado sempre na segunda semana de novembro.

Axé a todos.

MAC IVER BECKMAN

Capoeiristas participam de encontro em Belém do Pará

O grupo de Capoeira Angola Pai e Filho, juntamente com outros mestres e contramestres de capoeira de Salvador, irão participar do I Encontro de Capoeira Norte e Nordeste, com o apoio do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura. O evento será realizado entre os dias 14 e 21 do mês corrente, em Belém do Pará.

O I Encontro de Capoeira Norte e Nordeste tem o objetivo de promover a troca de experiências entre os participantes. Durante o encontro serão realizadas oficinas de capoeira, batizados e palestras com grandes mestres de capoeira do Brasil.

Veja abaixo relação dos mestres que irão representar a Bahia:

Pelé da Bomba / Tonho Matéria
Baixinho / Angola
Santa Rosa / Carlinhos
Faísca / Máximo / Sasá
Pequeno Mestre / Já Morreu

Nota de falecimeno Mestre Waldeci – Belém-PA

Camaradas,

A Federação Paraense de Capoeira – FEPAC comunicou hoje o falecimento do Mestre Waldeci, ocorrido em Manaus – AM.
Ainda segundo o informe, o corpo está vindo para Belém – PA e será enterrado no bairro de Icoaraci, amanhã, 14.05.08.

Mestre Waldeci é um dos grandes capoeiristas formados por Mestre Bezerra, na década de 70, aqui em Belém. Teve como seu
aluno formado, entre outros, o atual Presidente da FEPAC, Mestre Nazareno.

Ele tem um significao importante, também, para mim, pois foi meu "padrinho" quando recebi um cordel verde-amarelo em
batizado, 1981, ao final de estágio que fiz no Grupo Rei Zumbi de Capoeira aqui em Belém-PA (1). Além disso, como Engenheiro Civil, em 1999, elaborou a primeira planta da minha Academia de Capoeira Cambará e foi comigo registrar a obra no Conselho de Engenharia. A Cambará acabou saindo com outra planta, de outro engenheiro, mas com a fundamental orientação do Mestre Valdeci.

 
Deus o guarde junto aos grandes da Capoeira.

Fernando Rabelo
Belém-PA

 

(1)Mestre Valdeci aparece jogando num filme que mandei fazer, em 1981, inclusive me "batizando".

É o jovem de calça azul com uma listra branca na perna, sem camisa:

{youtube}8HDf8DB-yds{/youtube}

O outro jovem de calça azul (sem listra) e camisa branca é o próprio Mestre Bezerra que, posteriormente, em 1994, me chamou
para criarmos a Federação Paraense.

 

UFBA lança livro sobre capoeira no Pará

O livro “A política da capoeiragem: a história social da capoeira e do boi-bumbá no Pará republicano (1888-1906)”, de Luiz Augusto Pinheiro Leal e publicado pela Editora da UFBA (Edufba), será lançado no Hotel Sol Vitória Marina, no dia 19, às 19h.

A obra trata da capoeira no Brasil no início do século XX. O foco é a região do Pará, onde a capoeira tem peculiaridades diferentes da Bahia e do Rio de Janeiro. O livro é dividido em três capítulos e mostra a relação da capoeira com o Boi-bumbá e a capanagem. Revela, também, a participação da capoeiragem na implantação da República no Brasil e as campanhas repressivas à capoeira e à “vagabundagem” na cidade de Belém.

Fonte: Tarde on Line

http://www.atarde.com.br/vestibular/noticia.jsf?id=852674

Fernando Rabelo
Belém-PA

 

Aconteceu: Belém-PA – Mestre Pelé da Bomba

A capoeiragem de Belém-PA estes dias, de 17 a 24.02.07, foi brindada com a presença do Mestre Pelé da Bomba o Gogó-de-ouro-internacional e sua Contramestre que conheço por Dona Neca.  Ele minstrou aula de movimentos, cantoria, ritmo e, principalmente, mostrou, pelo exemplo, como devem ser conduzidos trabalhos de Capoeira.

Não bastasse isso,o Prof. Luiz Augusto Pinheiro Leal apresentou seu recém lançado livro "A política da capoeiragem". Mais informações podem ser vistas no "Jornal do Feio":

Mas não pararam por aí os momentos de alegria da galera da Capoeira de Belém-PA. Durante minha presença lá foram realizadas atividades de convivência com os Mestres Romão e Bezerra, pioneiros, além de Mestres da geração que os segue: Walcir, Laíca, Silvério, Bimba, Carlinhos, Paulo, Docinho, Ferro-do-Pé, Romildo, Fernando Rabelo e outros que não pude identificar.

Estiveram presentes, também, contramestres, mais de uma centena de alunos e alunas, outros docentes e simpatizantes. Enfim, uma grande festa.

O evento teve como tema "Homenagem aos Educadores da Capoeira" e foi realizado pelos grupos:

Asociação de Capoeira Senzala – Assocase – Mestre Walcir;
Associação Aruã Capoeira – Mestre Silvério;
Centro Cultural e social Zambo Capoeira – Mestre Laíca.

Slogan do evento: "Paz e união para todos"

Abraço

Fernando Rabelo