Blog

bento

Vendo Artigos etiquetados em: bento

Mestre Pinatti 80 Voltas ao Mundo

O internacionalmente conhecido Mestre Djamir Pinatti, um dos veteranos da capoeira paulistana, irá comemorar no próximo dia 13 de abril sua 80ª Volta do Mundo.
A roda-festa terá lugar no Terreiro de São Bento Pequeno. Sua roda de aniversário já se tornou tradição na cidade.
A cada ano que passa mestre Pinatti faz questão de jogar com um número maior de convidados. Neste ano, por completar 80 anos de vida, Pinatti irá realizar 80 jogos ininterruptos, sendo alguns na base da malandragem, outros na base do jogo mesmo.

Luciano Milani


Caro amigo Milani, quero lembra-lo que faço em 13/04, terça feira, a noite, com inicio as 19 horas, uma grande roda, para comemorar meus 80 anos, e quando jogarei com 80 convidados, como é já tradicional na minha Academia, sita a rua Vergueiro, 2684, metrô Ana Rosa. Gostaria que voce colocasse no seu famoso PORTAL. Por outro lado aproveito o ensejo para lhe desejar muita saude e muito sucesso nesse seu trabalho incessante pela nossa CAPOEIRA.!!! Pinatti

 

Pinatti, Capoeira Paulista… Sim Senhor!!!

Mestre Pinatti, que no próximo mes irá completar oitenta anos de “estrada” e cerca de meio século de Capoeira.

Pinatti, Nasceu em Orlândia, interior de Sâo Paulo, em 13 de abril de 1930.

Em meados de 1948 foi jogador de futebol semi-profissional jogando como meio campo em várias equipes da zona sul da capital de São Paulo, destacando-se o Estrêla da Saúde.

Entre os anos 50 e 60, foi fisiculturista (halterofilismo) no auge dessa modalidade. Nesta mesma época chegou a faixa prêta de Karatê, estilo Shotokan, integurando a primeira turma de Mestres formados da América Latina.

A partir de de 1962, motivado pela obra de Lamartine Pereira da Costa, em um livro sobre a prática da Capoeira, iniciou-se nessa arte. Fruto da nova paixão esportiva, cultural e marcial, foi um dos criadores da ACADEMIA DE CAPOEIRA REGIONAL DE ELITE DE SÃO PAULO.

Conta ainda em seu histórico o fato de ter fundado e presidido a FEDERAÇÃO PAULISTA DE CAPOEIRA nos anos 70, realizando e participando de diversos campeonatos estaduais e brasileiros. Citado em várias obras sobre capoeira, além de inúmeras revistas do gênero. Por ser um dos nomes mais respeitados da modalidade, é constantemente chamado para homenagens e participações em eventos da capoeira em todo o Brasil e exterior.

Em 1969 fundou a ASSOCIAÇÃO DE CAPOEIRA SÃO BENTO PEQUENO juntamente com Mestre Limão, evidenciando o estilo de jogo CAPOEIRA ANGOLINHA, eclético entre os estilos Regional e Angola.

Até hoje por sua sua academia, Mestre Pinatti já formou mais de 180 alunos, por sete gerações, que encontram-se espalhados pelo Brasil e exterior.

Read More

II Jogos Geração Interativa de Capoeira

DIA 20 DE SETEMBRO DE 2009
HORÁRIO: DAS 09:00 ÀS 18:00 HORAS
LOCAL: GINÁSIO MUNICIPAL DE ESPORTES DR. LAURO POZZI
CEFE PRESIDENTE MÉDICE – AV. PRESIDENTE MÉDICE S/Nº – JD.
CARLOS GOMES – PIRASSUNUNBGA-SP

REALIZAÇÃO: APACAP PIRASSUNUNGA
APÔIO: SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTES E PREFEITURA MUNICIPAL

DIREÇÃO: MESTRE LUIZÃO

PROGRAMAÇÃO:

09:00 hs – Abertura com desfile das equipes, execução do Hino Nacional e juramento dos atletas;
09:30 hs – Início das Competições – Categorias Pré Mirim, Mirim, Infantil e Infanto Juvenil (Jogo no ritmo de São Bento Grande);
12:00 hs – Intervalo para almoço;
13:30 hs – Reinicio das Competições – Categorias Juvenil, Adultos e Graduados – (Jogo de Benguela e São Bento Grande);
18:00 hs – Encerranento com entrega de troféus e medalhas aos atletas e equipes vencedoras.

REGULAMENTO:

1)-Das inscrições:

Não será nescessário o preenchimento de fichas para inscrição, basta os participantes pertencerem a um dos grupos convidados, comparecendo no dia, horário e local do evento. Tambem não serão cobradas nenhum tipo de taxa de participação.

Obs: Para comprovação de idade, os atletas deverão, no dia da competição, portar o RG ou RA escolar.

2)-Das Categorias:

a) Pré Mirim: de 6 á 8 anos
b) Mirim: 9 e 10 anos
c) Infantil: 11 e 12 anos
d) Infanto-Juvenil: 13 e 14 anos
e) Juvenil: de 15 á 17 anos
f) Adulto: 18 anos acima

Idade completada até o dia da competição.

CATEGORIA GRADUADOS:

g) Formados, Monitores, Instrutores, Professôres e Contra-Mestres

Idade mínima: 18 anos completados até o dia da competição

3)-Regras de competição

Individual:

A roda será formada aleatóriamente.

Será cronometrado o tempo de um minuto para cada volta.

Os atletas classificados seguem para a fase posterior até que seja apurado os vencedores de cada categoria.

4)-Da Arbitragem e Classificação:

Haverá um arbitro central, o qual deverá conduzir o jogo quanto ao seu início e termino, e tambem aplicar as advertências que se acharem necessárias e no mínimo treis jurados que classificarão ou desclassificarão os vencedores utilizando-se do sistema de bandeiras, nas mesmas cores das cordas usadas pelos competidores. Vence aquele que tiver um maior numero de bandeiras erguidas nas cores a seu favor.

A mesa de jurados será composta em numero mínimo de treis jurados, sendo “um” Mestre ou representante qualificado de cada grupo convidado.

5)-Critérios de Avaliação:

Nas categorias: Pré Mirim, Mirim, Infantil e Infanto Juvenil, os participantes irão competir em jogo no ritmo de São Bento Grande; já nas categorias: Juvenil, Adultos e Graduados, os atletas competirão em jogos nos ritmos de Benguela e São Bento Grande.

Nas categorias Juvenil, Adultos e Graduados, serão classificados e premiados os atletas que somarem a maior quantidade de pontos nos jogos de Benguela e São Bento Grande.

Os Jurados irão julgar o conjunto de movimentos baseados na tecnica, destreza, malícia, volume de jogo e harmonia, fundamentados no estilo contemporâneo e composto em: ginga, negaça, floreios, golpes, contra-golpes, fintas, esquivas, entradas e saídas. Não serão computados pontos para movimentos especificos e sim pelo conjunto dos movimentos.

Serão proibidos quaisquer gestos ou atitudes anti-desportiva, assim como ficam proibidos os golpes contra-golpes e entradas aplicados com intensidade de forma que possa comprometer a integridade física ou moral o companheiro de jogo.

Serão proibidos movimentos excessivos que venham coibir o companheiro de desenvolver os seus movimentos. O competidor joga com o seu companheiro de jogo e não contra ele. Caberá apenas aos jurados julgar quem desenvolveu o melhor jogo tendo o melhor aproveitamento naquele momento.

6)-Da Pontuação individual e por as equipes:

Atletas cassificados em:

1º lugar: 5 pontos
2º lugar: 3 pontos
3º lugar: 2 pontos
4º lugar: 1 ponto

Para apurar-se os vencedores individuais em cada categoria, serão somados os pontos conquistados em cada modalidade, sagrando-se vencedores os atletas que mais somarem pontos.

7)-Da Premiação:

Medalhas para os treis atletas melhores classificados em cada categoria.
Troféus para as treis equipes que somarem mais pontos.

Santos: Cidade realiza seletiva de capoeira

A Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel) irá realizar seletiva aberta de capoeira no próximo dia 26, a partir das 8h30, no Ginásio Magic Paula (esquina da Avenida dos Trabalhadores com a Rua Leila Maria de Barros Monteiro, Bairro Antártica).
 O evento objetiva formar seleção municipal, para a disputa dos Jogos Regionais de Santo André, que ocorrem em julho. “Todas as academias e associações da Cidade podem participar, com no máximo, dois atletas por categoria”, afirmou o coordenador de artes marciais Jorge Yoshimura.

No dia da peneira, os atletas devem levar carteira de identidade (RG ou habilitação), título de eleitor, cadastro de pessoa física (CPF) e comprovante de residência. O certame destina-se a competidores de 18 a 42 anos, que devem dançar dois ritmos: São Bento Pequeno de Angola e São Bento Grande.

No feminino, estarão em disputa as categorias leve (até 53 quilos), médio (53,01 a 59,5 quilos), meio-pesado (59,6 a 66 quilos) e pesado (mais de 66 quilos). No masculino entram em ação os pesos leve (até 68 quilos), médio (68,01 a 77,5 quilos), meio-pesado (77,51 a 87 quilos) e pesado (mais de 87 quilos).

Lista – Para a seletiva, 10 entidades já se cadastraram na Sejel.

 
Outras informações podem ser obtidas nos telefones 3496-5418 (Ginásio Magic Paula) e 3496-5400 (Ginásio Sejel); e no endereço eletrônico jorgeyoshimura@uol.com.br
 
Fonte: http://atribunadigital.globo.com

Capoeira inclusiva estimula crianças a superar limites

Capoeira inclusiva. É um projeto desenvolvido no município de Maranguape, na Região Metropolitana de Fortaleza, que reúne crianças de escolas públicas e da Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais

Meninos e meninas se organizam numa roda, batem palmas, gritam, cantam e assim começa o jogo. O movimento das pernas e braços acompanha o som que vem do berimbau, do atabaque, do caxixi. Os pequenos capoeiristas se divertem e mostram habilidade nas acrobacias próprias do jogo. No grupo, crianças muito especiais: surdas, autistas, com paralisia, Síndrome de Down e deficiências múltiplas. A garotada pratica, há um ano, capoeira inclusiva, na sede da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Maranguape.

É um projeto pioneiro no Pais batizado com esse nome pelo professor Eraldo Gabriel de Sousa, o Mestre Beija-Flor. O sergipano fica no meio da roda das crianças orientando, incentivando e consegue tornar o jogo da capoeira igual para todos. "O nosso trabalho sempre é feito com a perspectiva da inclusão. Ajudamos as crianças no seu desenvolvimento psicomotor, no seu equilíbrio, afetividade e socialização. A capoeira inclusiva trabalha desde a consciência corporal até a elevação da auto-estima", diz Mestre Beija-Flor, que já deu cursos, palestras e aulas em várias cidades do Brasil divulgando esse projeto de harmonia social.

"Aqui (em Maranguape), a Secretaria da Educação acreditou no projeto e o adotou, especialmente a coordenadora do Núcleo de Educação Especial, a professora Virgínia Queiroz. Estamos encerrando o contrato de um ano", relata Mestre Beija-Flor que, mesmo indo embora da cidade, deixa uma pessoa preparada para dar continuidade à capoeira inclusiva. Deu todas as orientações para Antonio Renato da Silva Oliveira, o Renato Gigante, que vai trabalhar com as crianças. Ao todo são 680 alunos de escolas municipais e da Apae de Maranguape.

A prática da capoeira inclusiva, segundo Eraldo Gabriel, já foi implantada em Sergipe, Pernambuco, São Paulo, Alagoas, Minas Gerais, Pará, Maranhão e Rio Grande do Sul. No próximo mês, após o II Encontro Maranguapense de Capoeira Inclusiva, na sede da Apae, Mestre Beija-Flor segue para Manaus (AM). Depois, anuncia, viaja para Portugal e países da América Latina para difundir o projeto terapêutico.

A capoeira inclusiva é feita com pessoas cegas, surdas, com hidrocefalia, paralisia cerebral, déficit de aprendizagem e com idosos. "Queremos quebrar preconceitos, enfrentar as barreiras que essas pessoas encontram. Estimular uma cultura de paz. Esse projeto já foi levado para universidades, foi motivo de cursos, fóruns e palestras". Segundo ele, a capoeira estimula as crianças a vencerem seus próprios limites. Eraldo diz que, por onde anda, forma multiplicadores para que trabalhem a inclusão dentro das escolas.

DICIONÁRIO

O caxixi é um instrumento idiofone do tipo chocalho, de origem africana. É um pequeno cesto de palha trançada, em forma de campânula (sino).

O atabaque (ou tabaque) é um instrumento musical de percussão. O nome é de origem árabe: at-tabaq (prato). Constitui-se de um tambor cilíndrico ou ligeiramente cônico, com uma das bocas cobertas de couro de boi, veado ou bode.

SAIBA MAIS

A capoeira é uma técnica esportiva e cultural desenvolvida na África e trazida para o Brasil pelos escravos. Por muito tempo foi proibida, porque no período colonial buscavam reprimir a cultura negra. Esse fato se agravou quando se deu a abolição da escravatura, pois os negros, sem condições de sobrevivência, organizavam bandos e esquematizavam roubos.

Em 1932, a capoeira foi renovada por Mestre Bimba. Ele acrescentou movimentos existentes nas artes marciais e levou a capoeira a ser conhecida sem apresentar ligações com marginais. O esporte se estendeu, ao longo do tempo, por todo o País.

Para jogar capoeira é necessária a música tocada pelo berimbau, pandeiro, atabaque, caxixi, agogô e cantada pelos capoeiristas da roda. A música determina o ritmo e o estilo do jogo.

Os movimentos básicos da capoeira são: ginga, aú, queda de quatro, cocorinha, negativa, queda de rim e resistência.

Os toques mais conhecidos são: Angola (São Bento Grande), São Bento Pequeno (Angolinha), Iúna (Lamento), Amazonas (Cavalaria), Santa Maria (Benguela), Idalina (Maculelê), Samba de Roda (Samba de Angola), São Bento Grande de Bimba (Samango), Valsa (Samba de Enredo) e São Bento Corrido (Choro).

FONTE: www.brasilescola.com

Foto: TALITA ROCHA

Mês da Consciência Negra tem programação especial & Capoeira

A festa para o Mês da Consciência Negra será comemorado em Ribeirão com vários eventos, realizados entre 10 a 27 de novembro. A abertura do dia 10 terá a manifestação cultural africana Tambu-Jongo, às 11h, na esplanada do Theatro Pedro II. No mesmo dia, às 18h, no auditório da Casa da Cultura alto do São Bento, haverá a palestra “Religiosidade de Matriz Africana e Legislação”.

Na quadra da Escola de Samba “Bambas”, acontece, no dia 11, às 10h30, uma oficina de capoeira.
Às 15h, acontecerá a palestra “Capoeira e cultura afro-brasileira. As atividades serão ministradas pelo mestre de capoeira Pedro Moraes Trindade (Mestre Moraes).

O ator Giovani da Silva realiza, no período de 15 a 19 de novembro, às 19h, a Oficina de Teatro e Literatura, no Centro Cultural Órunmila. No dia 20, data em que se comemora o Dia da Consciência Negra, uma Feira Afro-brasileira acontece no Teatro de Arena (Alto do São Bento). A partir das 16h, acontecerão apresentações de capoeira, maculelê, hip-hop, samba, reggae, teatro e comercialização de comidas típicas.

A ONG Fala Preta promoverá, no dia 23, às 19h, no auditório da casa da cultura, a palestra “Trajetória de Mulheres Africanas e Negras no Brasil”. No dia 24, das 9h às 12h e das 14h às 17h, no Centro Cultural Órunmila, um ciclo de palestras abordando os tópicos “Violência Contra a Mulher” (Lei Maria da Penha), “Tráfico de Pessoas – Recorde Racial e de Gênero”, “Mulher Negra e Mercado de Trabalho” e “Lei 10.639 e Relação de Gênero”.

O lançamento dos sambas enredo da União das entidades Carnavalescas – Nenê da Vila Matilde, grupo Chega pra Sambar, afoxé Omo Orunmila, Bambas e Tradição, também será no dia 24, na quadra da Escola “Bambas”. A programação será encerrada dia 27, durante o Café Filosófico, a partir das 19h, na Câmara Municipal de Ribeirão Preto (avenida Jerônimo Gonçalves, 1.200), com participação de Nei Lopes, que fala sobre Samba, cultura Afro-brasileira e a Lei 10.639/03.

Fundação AlphaVille promove batizado de capoeira do grupo Renascer

Capoeira pode ser luta, dança, esporte, jogo, defesa pessoal, ginástica, folclore, arte, educação física, brincadeira, arte marcial, dentre outras definições. Berimbau, pandeiro, atabaque, reco-reco, agogô são os instrumentos usados para ritmar este bailado que era praticado, escondido, nas senzalas como uma brincadeira de Angola, e atualmente é uma manifestação da cultura brasileira, uma forma bonita e alegre de expressão física e intelectual. A capoeira é também fator de transformação social e isto será comprovado, amanhã, 24 de fevereiro, às 18h00, no Centro de Referência Sócio Ambiental e Cultural Cuiabano da Fundação AlphaVille, braço social da AlphaVille Urbanismo. 
     
Num clima de alegria a comunidade assistirá o primeiro batizado da turma de capoeira do bairro Renascer. O grupo foi formado no ano passado para atender uma das reivindicações da população da região, durante o Fórum de Desenvolvimento Local realizado pela Fundação AlphaVille. 
     
Miriam Sewo, agente de Desenvolvimento do Centro de Referência Sócio Ambiental e Cultural Cuiabano, disse que o grupo foi formado em novembro do ano passado e conta com 20 integrantes entre adultos, jovens e crianças. “A capoeira foi muito bem aceita por todos no bairro. Neste curto período de atuação, já percebemos mudanças positivas nas atitudes dos integrantes, mais comprometimento, respeito e integração”, ressalta. 
     
O batizado de capoeira é uma festa de integração do calouro, é sua estréia na roda de capoeira. Durante o batizado do grupo Renascer os alunos jogarão com o mestre de Mirassol do Oeste, Valmir Salustiano – Jacaré, e o professor José Sidney Gonçalves de Oliveira que irão “batizá-los”, com a faixa da primeira graduação.
     
      Toques & instrumentos 
     
O toque dos instrumentos comanda o ritmo e as características do jogo. Entretanto, nem todos os toques que dizem ser da capoeira são utilizados nas rodas com jogos específicos para eles. Os toques têm uma característica interessante. Muitos deles têm nomes de santos católicos, como é caso do São Bento Pequeno, São Bento Grande, Santa Maria e Ave Maria. 
     
O Berimbau, instrumento africano, é o principal utilizado na capoeira, dita o ritmo do jogo, é ele que comanda o toque a ser executado. O pandeiro é uma evolução do adufe, um instrumento de proveniência mourisca e de termo árabe, e chegou no Brasil através dos portugueses. O Atabaque, é instrumento oriental muito antigo entre os persas e árabes, já era usado na poética medieval e era um dos preferidos dos reis, que o utilizavam em festas, jograis e nos conjuntos musicais. 
      
O Reco-Reco é feito de gomo de bambu com sulcos transversais sobre o qual se passeia uma haste. Existe um outro Reco- Reco, industrializado, de metal, mas seu som não serve para a capoeira. O Agogô é instrumento musical de percussão de ferro, entrou no Brasil por via africana. É bastante utilizado nos folguedos populares, no samba e nas cerimônias religiosas. 
     
A música também é um importante ingrediente numa roda, estimula os jogadores, agita o público e transmite mensagens através de suas letras. A capoeira é a única luta do mundo que tem acompanhamento musical. Atualmente os capoeiristas estão cada vez mais criativos. Na disputa de um novo mercado, o das gravações de CDs, muitas músicas têm surgido com temas bastante variados.

Peça Músical: Besouro Mangangá

Besouro Mangangá
 

O lendário capoeirista, que tem dedicado um capítulo em Mar Morto de Jorge Amado e que tem versos seus no samba ganhador da I Bienal do Samba, em 1968, "Lapinha" composição de Baden Powell e Paulo Cesar Pinheiro, cantada por Elis Regina: "Quando eu morrer me enterrem na Lapinha, calça culote, paletó almofadinha …", ganhará uma peça musical de autoria de Paulo Cesar Pinheiro.
 
Será a estréia do letrista Paulo Cesar Pinheiro como autor teatral. A pesquisa começou em Santo Amaro da Purificação (BA), onde ele encontrou antigas histórias que revelam um herói popular. O espetáculo terá 14 músicas do próprio autor, ritmicamente inspiradas nos toques do berimbau: São Bento, angola, cavalaria, benguela, barravento, iúna, samango e por aí vai …
 
A estréia será em dezembro no Teatro III do Centro Cultural do Banco do Brasil do Rio de Janeiro.


Nota repassada da Comunidade DA Incubadora AFRO BRASILEIRA
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=9220740

O Portal RS Capoeira: Bento & Angolinha I – Junho 2006

O Portal RS Capoeira ( Rio Grande do Sul –  www.rs.portalcapoeira.com ) vem com uma novidade…
 
Depois de ter lançado oficialmente os "mascotes" do Portal RS e de ter levado a público a decisão da escolha dos nomes dos personagens, Bento & Angolinha, a turma do SUL sugere uma homenagem a um mestre, escolhido pelos internautas.
Visitem o site e opinem…
 
Texto: Tairone Walzer Sant’ Ana (Instr. Gigante); Desenho: Juliano Cardoso

Mestre Pinatti comemora 76 voltas do mundo

 
O internacionalmente conhecido Mestre Djamir Pinatti, um dos veteranos da capoeira paulistana, comemorou no dia 13 de abril sua 76a. Volta do Mundo.
 
Apesar do aniversário ter sido no dia 13, foi somente ontem, dia 26, que o Terreiro de São Bento Pequeno realizou a festa.
 
Foi uma Roda-festa mais precisamente. Sua roda de aniversário já se tornou tradição na cidade.
 
 
A cada ano que passa mestre Pinatti faz questão de jogar com um número maior de convidados. Neste ano, por completar 76 anos de vida, Pinatti realizou 76 jogos ininterruptos, sendo alguns na base da malandragem, outros na base do jogo mesmo.
 
 
 Por e-mail, mais precisamente de Nova Iorque, recebemos em nossa Redação a solicitação de informações de como adquirir um exemplar do livro que mestre Pinatti está editando. Tão logo a obra "Capoeiras de São Paulo: da gestão federativa a capoeiragem livre como o vento" fique pronta, mestre Pinatti enviará alguns exemplares para serem sorteados entre nossos amigos leitores.
 

 

        Sobre a roda-festa de ontem, segundo nosso correspondente em exercício, Luciano Milani – do Portal Capoeira -, estiveram presentes na São Bento Pequeno os seguintes camaradas: Bugalu & alunos, representando o Mestre Aberrê; Barriga, Coruja, Cói, Carlos Caboclo, algumas "meninas" do Mestre Adelmo, os formados da casa e, é claro, o próprio Milani.
 


 
Mestre Pinatti e Milani
 
Miltinho Astronauta
Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br
2006 – Ano Internacional da Mulher Capoeirista no Jornal do Capoeira

Guarujá- SP: Prof. Montanha e o 3º CD do Grupo Canto e Magia

Em seu mais recente trabalho musical , "Músicas de Capoeira Vol. 3", o Professor Montanha conta com as participações especiais de M. Ricardo (SP), Presidente de Fundador do Grupo Canto e Magia de Capoeira e M. Pinatti (SP) Grupo São Bento Pequeno.
 
Entre músicas inéditas e tradicionais na Capoeira, podemos encontrar também
um House Remix (Angola), tocada em um encontro de DJ’s Latinos (Ibiza -Espanha – 2005)
 
Destaque para a valorização de um dos grandes ícones da Capoeira Paulista, Djamir Pinatti,  a qualidade musical do CD e a boa voz do Professor Montanha.

Fica ai a dica para a sua coleção. Para comprar o CD, clique aqui.
 
Músicas

1 – Depoimento e Ladainha – M. Pinatti
2 – Aidê – M. Pinatti
3 – Angola me chama – Profº Montanha
4 – Flor da Bahia – Prof º Montanha -:- {mmp3}Flor_da_Bahia.mp3{/mmp3}
5 – Bahia manda seu axé – Prof º Montanha
6 – Canarinho da Alemanha – Prof º Montanha
7 – Vem jogar mais eu – Prof º Montanha
8 – Senhor São Bento – Prof º Montanha
9 – Lembra do barro vermelho – Prof º Montanha
10 – Santo Antônio protetor – Prof º Montanha
11 – Bem miudinho – Prof º Montanha
12 – Se arrasta no chão – Prof º Montanha
13 – Lailê – M. Ricardo
14 – Quando o Gunga me chama -M. Ricardo
15 – Nego Nagô – Prof º Montanha
16 – Capoeira Canto e Magia – Prof º Montanha
17 – Dor do Capoeira – Prof º Montanha
18 – Batida do Gunga – Prof º Montanha
19 – Menina mandingueira – Prof º Montanha (Montanha)
20 –
Capoeira na beira do mar – Prof º Montanha
21 – Auê Pinatti – M. Pinatti – (C.M. Arraia – RJ)
22 – Depoimento M. Ricardo
23 –
Faixa Extra – Flor da Bahia – Prof º Montanha
       Versão: REMIX HOUSE – By Dj Allyson Roberth

 
Estamos disponibilizando duas (2) faixas do CD para voce ouvir e conhecer o trabalho deste grande camarada:

Read More