Blog

camaradas

Vendo Artigos etiquetados em: camaradas

3 de Agosto, Dia do Capoeirista, repercussões…

Dia do Capoeirista, repercussões…

Minha caixa de email está mais cheia do que o habitual…

são diversas mensagens de parabenização e congratulações pelo dia do capoeirista…

Mais do que nunca sinto uma forte alegria por saber que a capoeira continua crescendo e se expandindo… ao mesmo tempo fico preocupado mais sempre confiante no ser humano, no “SER CAPOEIRISTA” pois a responsabilidade e o peso de carregar esta bandeira chamada capoeira é uma missão diária,  de todo e qualquer capoeirista e não apenas em uma data…

De repente recebo uma mensagem da qual irei tratar em uma matéria em separado devido a importância e a surpresa que foi para nós do Portal Capoeira receber tamanha homenagem e consideração…. no dia do capoeirista. De São Paulo chegam mais novidades… os camaradas se organizando e se unindo para um fim comum… comemorar o “dia do capoeirista” Do Rio o pessoal da Tamanduá Capoeira (RJ) logo se apresenta para colaborar com as matérias… Da Parnaíba – Piauí, o camarada Shion e a turma da Munzenza também entra na roda… Aqui em Portugal a conversa com camaradas… a aula durante a noite e a palestra sobre o tema para os alunos…

E como num jogo de capoeira como que regidos pelo berimbau… todo este balé de informações toda esta ginga de recursos… vai tomando forma!

Muito Obrigado a todos que participaram de forma direta ou indireta neste processo.

Muito Obrigado a todos os (as) CAPOEIRISTAS  do Mundo!!!

 


Abaixo duas mensagens recebidas de dois grandes camaradas que tem a capoeira no coração:

Milani,
Fizemos ontem uma paralisaçâo e um aulâo aberto na praça central de nossa cidade, onde contamos com aproximadamente 200 capoeiristas entre crianças, jovens, adolecentes, senhoras e senhores, estaremos mandando fotos e relatos para avaliaçao e possivel divulgaçao no portal.
Mestre Urso.

(Nós do Portal Capoeira e todos os nossos leitores e visitantes iremos aguardar este material)

Caro Amigo Milani,
Hoje, para todos nós que amamos a capoeira, é um dia de muita festa. Mas deve também ser um dia de muita reflexão sobre essa manifestação cultural/esporte/jogo e tudo o mais que quisermos, que em um momento das nossas vidas nos chamou para o pé do berimbau. O seu crescimento mundial é muito grande e vem se dando de forma rápida e quase ao sabor dos ventos apenas. Mas será que é isso o que queremos? Se é uma manifestação cultural genuína e pura do povo brasileiro, por quê a ensinamos para estrangeiros? Se a vocação da capoeira é internacional, por quê não nos organizamos, de forma democrática e ampla antes que os gringos o façam? Se todo o capoeirista é irmão e tem um só ideal, por quê preferimos às vezes destruir as coisas que muitos constroem ou tentam construir em vez de nos juntarmos para que a capoeira cresça como um todo? Se muitos de nós exigimos que nos chamem de Mestres, por quê nem sempre queremos as imensas responsabilidades que um título como esse nos traz?

É apenas uma proposta de auto-reflexão, não acho que devamos responder publicamente a essas questões, mas a nós mesmos, nesse dia tão importante para a capoeira e para o capoeirista. Se a cada dia 3 de agosto pensarmos um pouquinho na capoeira e menos nas pessoas dentro dela que nos incomodam, estaremos crescendo e ajudando-a a crescer ainda mais. FELIZ DIA DO CAPOEIRISTA  a todos que se orgulham de pertencer ao mundo da capoeira.
Um forte abraço do amigo

Luiz Fernando Goulart
MESTRE BIMBA, A CAPOEIRA ILUMINADA

Capoeira Valencia 2009 – Uma Festa de Camaradas

O Grande amigo e camarada Careca, que ao longo dos anos vem amadurecendo e desenvolvendo um fantástico trabalho com a “Luta Regional Baiana” a Regional de Bimba em terras Ibéricas e também no Canadá, convida a todos os amigos e parceiros para o seu evento anual o qual já tive o prazer de participar onde a alegria e a amizade imperam…
 
Vale ainda ressaltar a importância deste evento que tem uma cariz bastante cultural, sempre buscando divulgar as tradições ligadas direta ou indiretamente a Capoeira Regional.
Uma Boa dica para os amantes da capoeira!
Luciano Milani
Convite:

“Capoeira Valencia 2009 – Uma Festa de Camaradas”

O Festival apresenta a Comunidade Valenciana toda a riqueza da cultura Brasileira, tendo a Capoeira como transmissora da mesma. Durantes os 4 dias de festival serão realizados cursos, palestras, espetáculos, rodas, dentre outras atividades realizadas por convidados vindos do Brasil e diversas partes do mundo, alguns dos mais representativos nomes da arte-luta brasileira se encontram, fazendo com que Valencia seja o centro das atenções da capoeira na España.

Data: 30 de Abril à 3 de Maio.
Local: Valencia, Benaguasil, Vilamarxant.
Organiza: Careca – Centro Cultural Capoeira Baiana
Contato:(34) 654 23 24 64
www.capoeirabaiana.net

 

Semana Decanio: Uma Homenagem ao Mestre

Angelo Augusto Decanio Filho, nascido numa segunda feira, 12/02/1923, completa este ano 86 voltas ao mundo…

O Portal Capoeira, seus colaboradores, parceiros e amigos iniciam uma singela homenagem a este discípulo de Mestre Bimba, a este grande cidadão da Bahia e do Mundo e um dos principais mentores deste Projeto.

Mais do que um aluno do grande Mestre, Decanio, foi sem duvida um dos companheiros mais chegados de Manuel dos Reis Machado…

Foi médico, amigo, conselheiro, filho, irmão e um dos principais responsáveis pela criação e documentação da “Luta Regional Baiana”.

Durante a SEMANA DECANIO, publicaremos textos de sua autoria, selecionados pelos amigos e camaradas de Mestre Decanio, juntamente com homenagens, fotos e pequenos fragmentos de média.

Uma importante dica é a visita obrigatória ao site CAPOEIRA DA BAHIA, organizado pelo dinâmico e incansável Mestre Decanio

Mestre Decanio, a quem considero um grande amigo, um exemplo… e acima de tudo o Pai do Portal Capoeira!!!

 

Leia todos os artigos relacionados:

Semana Decanio, uma homenagem ao Mestre.
11/02/2009 até 19/02/2008 no Portal Capoeira.

Luciano Milani

 

Capoeira e Cantoria para todos

INFORMATIVO CULTURAL DO BRASIL REAL

Bom dia a todos, Saúde e Paz Sempre…

SÃO BENTO GRANDE E SANTA MARIA… (Homens e mulheres de bem com a vida )

O COURO NA MARCAÇÃO, AI O BERIMBAU APARECE, JUNTO COM O CAPOEIRISTA…

O gunga pergunta e a viola arenga, somente se souber o tocador.

Todos os jogadores, tocadores e mandingueiros estão convidados.

Todas as jogadoras, tocadoras e mandingueiras estão convidadas.

A praça é do povo que quer a praça. É assim a capoeira, do povo para o povo…

Neste sábado 25 de outubro das 16 as 18 horas,
continuamos com capoeira, ritmo, cantoria e jogo de camaradas.

ESTAMOS NA DÉCIMA RODA DO PASSEIO…

PUBLICAREMOS UMA RELAÇÃO DOS QUE JÁ ESTIVERAM NESTA FESTA.

VAMOS ATÉ DEZEMBRO DESTE ANO…

Um abraço Fraterno a todos e a todas…
Walter Júnior ( Capoeirista )

Cronica: Qual o valor da Capoeira?

O camarada leitor certamente imaginou uma resposta tendente ao subjetivismo, pensou naquilo que a valorização da capoeira pode oferecer em essência, em sentimento e paixão.
 Mas peço que responda na acepção literal da palavra “valor”. Peço que defina em números ( pode ser em real, euro, dólar… fique à vontade!), o quanto a Capoeira vale.
 
 O assunto é polêmico e, muitas vezes, tem o insistente verniz da hipocrisia. Discursos diversos apoiando e criticando respostas inundam fóruns de net e algumas rodas de capoeira. Afinal, a Capoeira pode se desvencilhar de uma realidade capitalista globalizada? O capoeirista pode “viver” da Capoeira?
 
 Mesmo com as agruras e injustiças sociais que o sistema capitalista sustenta, ainda acho a forma mais plena de viver em uma sociedade de consumo. Ok…ok..Digo isso porque usufruo das benesses que esse mesmo sistema oferece, e eu seria bastante hipócrita em criticar o sistema e, ao mesmo tempo, desfrutar de todas as maravilhas que o capitalismo constrói. E quem não usufrui? E o pobre miserável que não tem chance de ascender socialmente? Bem… será mesmo o câncer do sistema ou a forma como o sistema é gerenciado? A necessidade humana em acumular – vinda desde os primórdios – não teria um papel relevante diante dessa realidade injusta e cruel?
 
Retomemos ao intuito da explanação…
 
 É justo criticar o capoeirista que cobra alguma quantia para ensinar o que sabe sobre a Capoeira? E quanto a forma comercial explorada por vendas de artigos e instrumentos comercializados ( às vezes de forma abusiva ) relativos à Capoeira? Resposta aparentemente simples, mas que ainda acende fogueiras de revolta e falso moralismo no universo capoeirístico.
 
Particularmente, nada contra. Mas condeno os abusos! E o faço de forma impetuosa!
 
 Os exemplos falam por si só… vez ou outra nos deparamos com casos de Mestres que, “em nome da expansão e divulgação da nossa arte-capoeira brasileira” enchem os bolsos de euros e dólares em terras do velho mundo na maior cara de pau e ainda fazem chacotas com quem ficou nesses lados tupiniquins fazendo projetos sociais voluntários.
 
 Acho que a questão é bem mais complexa. Envolve caráter, valores e princípios. Vai além de esperteza e malandragem de um capoeira. E isso fica a critério de cada um. Não dá para medir o que um ser humano pode chegar quando não possui vergonha ou escrúpulos. 
 
 Disso, tem-se um fato confortante: sabemos que estes indivíduos aproveitadores nunca participarão do rol grandioso onde apenas os verdadeiros Mestres de Capoeira terão os nomes imortalizados.
 
 A dose é o que diferencia o veneno de um remédio. E é bom que esses falsos capoeiras saibam dessa máxima, que mais cedo ou mais tarde, acabarão por serem atingidos.
 
“… quem não conhece Capoeira, não pode dá o ser valor!…”
 
 
Abraços, camaradas!
 

Nova Galeria de Fotos: Fotos Históricas

{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/zoom/BimbaGO/viewsize/foto_bimba.jpg] width:=[200]}  

O Portal Capoeira esta inaugurando uma galeria dedicada a fotos históricas da capoeira.
 
Como primeira publicação, escolhemos uma série de fotos de uma viagem de Mestre Bimba à Goiania, de autoria de Sariguê, obtidas na casa do professor Acúrsio Esteves, Salvador – Bahia.
 
Vamos deixar a porta aberta para que outros camaradas nos enviem mais fotos, utilizando o nosso albúm de fotos como meio de compartilhar imagens impares…
 


Mestre Bimba: Viagem a Goiania
 
Fotos de: Renato Souza da Silva- Sariguê
 

Berlim, Alemanha: Afoxé Loni comemora 10 anos

Da Alemanha, mais precisamente do Cazuá do meu "irmão" Marcio Araújo, mais conhecido na capoeiragem como contra mestre Perna, nos chegam notícias em que no ano da copa do mundo, o país sede já esta inundado de brasilidade e cultura popular…  Antes mesmo de desembarquarem naquelas bandas os camaradas da "seleção canarinho", (aproveitando a deixa pra gente desejar muito sucesso e axé pra nossa seleção!!!).
Pois na luta do dia a dia… no duro trabalho de resistencia… existem muitos camaradas que dão o sangue e se desdobram para implementar um trabalho de base com responsabilidade e coerencia… construindo uma casa em alicerce seguro…
 
Fica aqui a homenagem do Portal a todos os BRASILEIROS, que assim como: Murah, Perna, Ciquinho, Jeronimo, Umoi, Bigodinho, Dorado, Nestor, Loka, João e tantos outros  que tiveram a oportunidade de dar esta volta ao mundo… Nos representando e nos fazendo sentir orgulho da nossa arte e cultura… Axé meus camaradas!!!
 
Afoxé LoniNo aniversário de 10 anos do AFOXÉ LONI, sob a batuta do Mestre Murah, que tive o prazer de conhecer em 2005 em Bremen, Alemanha, quartel general da Família Cazuá, o Afoxé invadiu as ruas de Berlim no carnaval das bandas de lá… e como convidados de honra, estiveram presentes os Irmãos Guerreiros, representando a nossa capoeira mãe…
 
Um grande axé para o camarada Murah, meu amigo e grande "mestre da dança e embaixador da nossa cultura em Berlim"
 

Site Oficial do Afoxé Loni: http://www.afoxe-loni.de
 
Site do Mestre Murah: http://www.murah-soares-dance.com
 
Site do Cazuá – Contra mestre Perna: www.capoeira-angola-bremen.de

Cronica: Quando um “capoeira” não é da Capoeira

“Pára a roda, capoeira! Pára, vai ter que parar!”
 
     O verso acima pode ser citado como típico exemplo do que ocorre na maioria das rodas de capoeira, espalhadas por todo o nosso território tupiniquim e que também atravessa oceanos… 
 
     Jogar Capoeira numa roda “estranha” mais parece um desafio do que um prazer condicionado pela própria ginga. Em teoria, tudo parece sincronizado: vou para uma roda de um grupo diferente seja para me divertir, saber “como estou” numa roda alheia, conhecer novos camaradas ou – o q é mais comum – simplesmente fazer baderna.  
 
     Sabe-se que o ser humano possui em sua essência o fator de competir, isso nos faz melhores pessoas e elenca nossas capacidades de superação, concretizando, assim, nossas ambições nos mais variados campos da vida. Quando filtramos para a capoeira, algo parece incoerente.  
 
     Camarada que é camarada sabe que jogar capoeira é atividade que nunca se esgota e cada roda é uma estória nova para se viver. 
 
     Quando chegamos numa “roda alheia”, um misto de medo e desconfiança paira sobre nossos pensamentos… Mas já que “capoeira que tem sangue na veia não pode escutar um berimbau…” logo trata de ir “estudando” os movimentos e comportamentos de todos os presentes na roda, na espreita de entrar na roda. Começa a observar quem permite a entrada no jogo… os supostos “destaques” ( ou potenciais rivais, como queira ), com quem pode encontrar mais um floreio ou um jogo mais “de contato”.  
 
     O fato é que já estar jogando. O espírito capoeira não consegue se desviar do som do berimbau. O som entra diretamente no cérebro sem passar por tímpano algum. Não adianta resistir.  
 
     Jogando, tudo parece ser diferente. Afinal, está em meio “aos camaradas que não são do meu grupo” ( fique livre para interpretar esta frase ). 
 
     Num repente, em meio às negativas, rolês e aús, já buscando algum fôlego em meio ao floreio bonito e cadente, observa um “zum-zum-zum” e movimentos estranhos na roda…. 
 
     Parece que um jogo bonito e diferente não consegue agradar todos. Desperta as mais vis sensações de inveja e incapacidade de alguns naquela roda. 
 
     O jogo, até certo ponto cadente e tranqüilo, se transforma em um show de pontapés e socos. Pára a roda, Capoeira! Pois isso não é mais roda. É ringue! 
 
     O Mestre ( “Menino quem foi teu Mestre?” ) parece reger as ações dos mais “graduados’ com um olhar conivente e parcial. Lamentável se não fosse tão deprimente. O “Mestre” comandante da roda está com a sensação do dever cumprido, e depois de muita “não-capoeira”, declara: “Aqui na minha roda quem comanda sou eu! Ninguém vem cantar de galo aqui!”. 
 
     O camarada, que queria apenas uma diversão nutrida com muito axé num ambiente de outro grupo, sai com a mão na coxa dormente de tanta pancada, arrastando um pé e com uma marca de um “martelo” maldoso bem direcionado no lado esquerdo do rosto… 
 
     Esta parece ser a tônica: Competição entre grupos. E não condeno tal realidade. Mas que esta competição seja para alimentar o espírito da capoeira como um todo. Mostrando – aos grupos “rivais” – eventos bem realizados, divulgados e participativos.  
 
     E grupos com essas ações e propósitos existem muitos por todo o globo e é por essas e outras que acredito na total dissolução dos poucos grupos que remam contra a maré do desenvolvimento da capoeira. E que infelizmente, ainda mancham a imagem de uma capoeira como ferramenta de modificação social.  
 
     Pancadarias ao receber um convidado de outro grupo ou em rodas de apresentação, onde estão presentes setores sociais que já olham de forma atravessada para nossa  arte-ginga, definitivamente, não irão contribuir.  
 
 
“Pára a roda, Capoeira! Pára, vai ter que parar!” 
 
     E que o verso acima, apesar desses contratempos, venha sempre acompanhado deste outro verso:
 
“A roda não pára de jeito nenhum porque sou filho de Ogum e de meu Pai Oxalá, vamos lá!”
 
Axé, camaradas!
 
Shion
Parnaíba – Piauí

Capoeira: na essência da informação

É com imenso orgulho e felicidade que nós do Portal Capoeira, site Irmão e parceiro do Jornal do Capoeira (www.capoeira.jex.com.br) publicamos esta  Crônia especial de inauguração do contramestre Eurico para o Jornal do Capoeira, onde o jovem mestre relata de forma apaixonada e integral a sua dedicação e seu respeito pela nossa arte…
O Contra Mestre Eurico está iniciando uma parceria em prol da capoeiragem com o excelente Jornal do Capoeira, que esperamos que seja duradoura e que os frutos sejam suculentos e saborosos!!!
Boa Sorte Eurico, sucesso em sua jornada que esta experiencia de troca e soma possa fomentar a vontade e a "sede" de saber em nossos camaradas.
Aproveitando para agradecer a inclusão de nosso Portal como referencia de Informação e seriedade.
Luciano Milani

Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br
Edição 70 – de 23 a 29 de Abril de 2006
 
Nota do Editor:
 
        Há algum tempo que o professor de Educação Física e contramestre de Capoeira Eurico Barreto Viana, do grupo Cordão de Ouro de Brasília, DF, tem acompanhado e contribuído com "releases" para este nosso Semanário Capoeirístico. Neste processo, Eurico e eu passamos a "papoeirar" sobre assuntos diversos envoltos à nossa arte. Fiz o convite para que Eurico passasse a compor nosso time editorial e ele, de pronto, assumiu um dos gungas deste Jornal. O contramestre Eurico assumiu, mais precisamente, uma coluna para escrever sobre assuntos diversos de nossa arte e, é claro, escreverá também um pouco sobre as capoeiras que acontecem em Brasília. Nas próximas edições Eurico escreverá sobre o "Projeto Social Aprendendo com a Cultura Brasileira"; sobre a Capoeira como instrumento de integração social, num contexto de intercâmbio Brasil-Suécia; e sobre a Capoeira como elemento de Educação e Inclusão Social.
        Aos camaradas do Distrito Federal, nosso grande Axé! Ao camarada Eurico, bem vindo à Roda da Informação!
 
            Capoeiristicamente,
 
                    Miltinho Astronauta

Crônia especial de inauguração do contramestre Eurico:
Eurico Barreto Viana
Brasília, Distrito Federal
 – 16 de Abril de 2006 –
Camaradas,
 
É com grande prazer que escrevo ao nosso Jornal do Capoeira. Após acompanhar algumas publicações e receber apoio deste Jornal para divulgação de um evento que realizamos ano passado, passei a acompanhar mais de perto as notícias e artigos publicados no site.
 
Recentemente estive em contato com o Miltinho, e aproveite a oportunidade para parabenizá-lo pelo excelente trabalho em prol da Capoeira. Acabamos por discutir a escassez de periódicos que levassem mais a sério a Capoeira como meio de educação e expressão cultural. Dessa conversa surgiu a idéia de realizarmos uma parceria para noticiar assuntos referentes a esses temas, numa tentativa de incentivar outras iniciativas e a troca de experiências que tanto fortalecem a nossa cultura.
Com a massificação da Capoeira e a reprodução de modelos opressivos, do mais forte contra o mais fraco, veiculados em alguns meios de comunicação, os jovens perdem a chance de se expressar dentro da cultura da capoeira. O que contribui para a perda gradativa de sua cultura de resistência e sapiência popular. A informação veiculada sobre esses aspectos da Capoeira não pode ser igualmente alienada. Faltam-nos periódicos que tratem da capoeira de modo a desfazer este processo adverso que de tempos em tempos se instaura na capoeira.
 
Temos excelentes trabalhos de mestres e pesquisadores que se dedicam a produzir material de qualidade com a esperança de contribuir para o crescimento e evolução da Capoeira. Mas a maioria dos canais de divulgação que atingem o público jovem e disposto a aprender são também desprovidos de integridade no que compete à formação dos referenciais culturais pela experiência e dedicação. Nestes, a capoeira torna-se pouca e a propaganda muita!
 
Apesar de estar havendo uma comercialização de subprodutos atrelados à informação inexpressiva da cultura da capoeira, é possível ter acesso a material de qualidade sem sermos expostos à tanta propaganda! Exemplos disto são portais como o do Mestre Doutor Decânio – Capoeira da Bahia – ( paginas.terra.com.br/esporte/capoeiradabahia ), o Portal Capoeira, Editado por Luciano Milani ( www.portalcapoeira.com ) e este Jornal do Capoeira ( www.capoeira.jex.com.br ), que disponibilizam notícias e textos gratuitamente, incluindo obras completas.
 
Muitos capoeiristas ainda não possuem os recursos que a Internet exige, mas o meio virtual tem sido importante na divulgação da prática e trabalho com a Capoeira. Divulgar trabalhos sérios como o deste Jornal deve ser uma atitude freqüente em prol de uma Capoeira mais inteligente, mais educativa e informativa.
A essência da Capoeira transmitida pelos mestres que fazem desta arte-educação um ofício precisa de mais meios de comunicação para chegar aos vários praticantes e educadores que se formam a cada dia. Veicular esta informação a todos os capoeiras sem perder a qualidade depende de uma estratégia simples!: Tratar da capoeira com o mesmo respeito – sagrado – que os Mestres mais antigos têm, buscando seus fundamentos e filosofia, com ética e cidadania.
 
Através da divulgação de eventos de intercâmbio, aulas práticas, periódicos, portais ou qualquer outra forma de fruição do conhecimento, o importante é que os meios de comunicação possibilitem que todos fiquem em sintonia com os Mestres de Capoeira, com suas agendas de atividades e eventos, com seus objetivos e linhas de trabalho e com sua produção cultural. É assim que ficamos sabendo dos trabalhos sérios que se desenvolvem em cada lugar, através da mídia que possui responsabilidade com o seu público e com o objeto  noticiado.
 
Em Brasília são vários os Mestres que estão trabalhando com artigos, palestras e movimentos de conscientização sobre a Capoeira, seja como instrumento de arte-educação, ou como objeto de pesquisa histórica. Dentre eles podemos citar o Mestre Squisito (Cia Terreiro) que têm batalhado junto ao governo para a implantação do ensino obrigatório da Capoeira em todos os níveis do ensino público e o Mestre Cláudio Danadinho (Fundador do Grupo Senzala) que tem promovido em suas aulas e palestras um conhecimento histórico específico sobre a Capoeira Carioca, o Batuque e os trabalhos dos Mestres Waldemar e Bimba, com os quais conviveu muito em sua juventude. Além destes podemos citar ainda, os bate-papos informais com o Mestre Angoleiro (aluno do Mestre Bimba) que são verdadeiras aulas de cultura popular.
 
Coloco-me, desta forma, à disposição dos camaradas que acessam o Jornal do Capoeira, para discutirmos estes e outros assuntos tão importantes à formação de nossos profissionais e capoeiras juntamente com todos os colunistas e Mestres parceiros deste Jornal. Será um prazer discutir e somar para uma prática mais consciente da Capoeira.
 
Parabéns ao Jornal do Capoeira pelo seu compromisso e qualidade de trabalho com a Capoeira.
Grande abraço e axé a todos os irmãos de jornada!


Contra-Mestre Eurico
O Contramestre Eurico Neto é Professor de Educação Física, com especialização pela Universidade de Brasília. Aluno do Mestre Suassuna, coordena o Grupo Cordão de Ouro em Brasília. Fundou o Instituto Volta Por Cima – Capoeira, Educação e Cultura, através do qual realiza o Projeto Social – Aprendendo com a Cultura Brasileira e o Programa de Intercâmbio Brasil – Suécia. Para mais informações visite www.cordaodeouro.org
 
Academia Cordão de Ouro | Instituto Volta por Cima | CLN 107, Bloco "A", Ap. 208
CEP 70743-510 Brasília DF, Brasil | +55 61  3443.8450 | 8111.0647
 

Mestra Cigana: CENTRO DE MEMÓRIA DA CAPOEIRA DO RIO DE JANEIRO

Fátima Colombiano, mais conhecida no mundo da capoeiragem como Mestra Cigana, esta propondo a criação de um Centro de Memória da Capoeira do Rio de Janeiro, para isto está pedindo a colaboração dos camaradas…
É isso ai Mestra!!! Ao meu ver a senhora está no bom caminho pois só com a participação aberta e democratica e com humildade é que poderá obter sucesso nesta empreitada.
Nós do Portal Capoeira, nos colocamos a inteira disposição para ajudar no que for preciso e fica aqui a sugestão de informatizar o CMCRJ, colocando os documentos e todo o material na Internet, usando o Portal Capoeira como ferramenta e meio de divulgação.
 
Um grande abraço e sucesso!!!

Luciano Milani


 
Salve, Camaradas!
 
Gostaria de começar a montar o CENTRO DE MEMÓRIA DA CAPOEIRA DO RIO DE
JANEIRO, tendo em vista que o Rio tem importancia suprema na historia da
capoeira do Brasil.
 
Logo, solicito TUDO que puderem contribuir sobre NOMES, HISTORICO etc e até
mesmo um apanhado da história feminina.
 
Pretendemos fazer este centro histórico em TODOS os Est. do Brasil,
começando pelo DIREITO, com o Rio de Janeiro
Quem tiver ORKUT, podem enviar direto pra COMUNIDADE   "Federação de
Capoeira Est. RJ"
 
Obrigada
FEDERAÇÃO DE CAPOEIRA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO
Presidente: Profª Fatima Colombiano (Mestra Cigana) Gestão 2004/2008
Endereço: Estádio Caio Martins – Rua Pres. Backer s/n – Icaraí –
21051-470 – Niterói – RJ
Telefone: Tel (21) 2564 5542/ 9709 3020/ (24) 98413714
Fax: (21) 2564 5542