Blog

cavalo

Vendo Artigos etiquetados em: cavalo

V Festival Brasília de Cultura Popular

O maior festejo da cultura popular candanga acontece no mês de novembro nos gramados da Funarte com área coberta.

O Festival também reabre as inscrições para oficinas de dança e percussão!!!

Sexta-Feira – 20/11

20h Maracatu Piaba de Ouro (PE)
21h Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro –  A Roda (DF)
23h Samba de Coco Raizes de Arcoverde (PE)

Sábado – 21/11

16h Roda de Palhaços
17 Mambembrincantes (DF)
18h Cacuriá Filha Herdeira (DF)
19h Passarinhos do Cerrado (GO)
20h Vozes da Mussuca (SE)
21h Maciel Salú (PE)
22h Carimbó Quente da Madrugada (PA)
23h Mariene de Castro (BA)
Intervenção cultural com Pé de Cerrado (DF) e Delirantes (DF)

Domingo 22/11

16h Roda de Mamulengo
17h Baianas do Coqueiro Seco (AL)
18h Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro – lançamento do CD (DF)
19h Paito e Los Gaiteros de Punta Brava (COL)
20h Ilê Aiyê (BA)
Intervenção cultural com Mestre Zé do Pife e as Juvelinas (DF) e Cia Fluxo (DF)

OFICINAS DE DANÇA E PERCUSSÃO

* Cavalo Marinho Boi Pintado
* Afoxé Alafin Oyó

De 17 a 19 de novembro, das 9h às 12h horas

* Seu Estrelo e o Fuá do Terreiro

Dias 18 e 19 de novembro, das 19h às 22h

As aulas serão realizadas no Complexo Cultural da Funarte.

Inscrição gratuita!!!
Solicite sua ficha pelo e-mail: brasiliabrincante@gmail.com

www.seuestrelo.art.br

Aniversário de Mestre Bimba!!!

Viva seu Bimba!!!

Em homenagem ao aniversário de Mestre Bimba, que nasceu em 23 de Novembro de 1900 (segundo documento obtido na Comissão de Desportos da Aeronáutica no Estado da Guanabara) separamos uma coletânea de matérias, livros, músicas, videos e arquivos disponíveis no Portal Capoeira que falam sobre Mestre Bimba, uma das mais importantes figuras da capoeira.


Leia, pesquise e conheça mais sobre este ícone da cultura Brasileira…

Separamos em tópicos as nossas sugestões de leitura e entretenimento:

 

  • Livros
  • Músicas
  • Videos
  • Fotos
  • Artigos e Publicações
Alguns depoimentos (*retidados do filme “MESTRE BIMBA, A CAPOEIRA ILUMINADA”) de personagens importantes da capoeira:

Frede Abreu, historiador

sobre o “Marketing” pessoal de Bimba:

“Mestre Bimba surpreende a sociedade, com um outro tipo de comportamento. O que era a expectativa da sociedade em torno de um capoeirista, ele contraria. Ele aparece como um homem direito, como um homem sério.”

Carlos Eugênio Líbano, antropólogo

sobre o projeto de Bimba de dar dignidade à capoeira:

“Mestre Bimba tinha uma inteligência viva, muito superior à maioria. Ele tinha uma visão de longo prazo que poucos tinham. Ele percebe que a capoeira estava enredada na repressão. Então, ele se vê como o redentor da capoeira, como o modernizador da capoeira. Ela tem que deixar de ser uma coisa marginalizada, proibida, reprimida, descriminada.”

Americano (Muniz Sodré), aluno de Bimba

Sobre as prisões de capoeiristas na Bahia do século passado:

“Do que eu sei, do que eu ouvi Bimba contar, negro que era capoeirista na rua era amarrado no rabo do cavalo e era levado até o quartel de modo que se dizia que era melhor brigar perto do quartel porque aí a distância que lhe amarravam no cavalo não era tão grande.”

Mestre Itapoan, aluno de Bimba

Sobre a fase “Capoeirista de Rua” de Bimba:

“Mestre Bimba teve uma fase de capoeirista de rua. Chegou ao ponto inclusive, teve preso tantas outras vezes, que o delegado chamou ele uma vez e quis botar ele como inspetor de quarteirão do bairro que ele morava, porque aí, ele ia se policiar porque era o inspetor e não ia brigar entendeu? Ia ficar mais calmo. Mas ele disse que não que capoeira sempre teve contra a polícia, como é que ele ia ficar do lado da polícia?”

Mestre Decanio, aluno de Bimba

Sobre a atividade de estivador de Bimba:

Ele era ajudante de carregador. O trabalho dele principal qual era?
carregar a faca dos estivadores. Como? Ele subia o elevador do taboão. Onde tinha um posto policial, que, correr os estivadores, que eram conhecidos como valentões, como brigões, pra pegar as facas.

Comprava um pão de um quilo, isso ele me contou foi assim cortava no meio, enfiava fazia um buraco e botava o cabo, enfiava do outro lado e emendava o pão. Passado o posto policial, ele entregava os pães a cada estivador e ia embora.

 

Selecione o tópico e saboreie as nossas sugestões de leitura e entretenimento:

Americano (Muniz Sodré), aluno de Bimba

Americano (Muniz Sodré),  aluno de Bimba, no filme “MESTRE BIMBA, A CAPOEIRA ILUMINADA”
 
Sobre as prisões de capoeiristas na Bahia do século passado :

“Do que eu sei, do que eu ouvi Bimba contar, negro que era capoeirista na rua era amarrado no rabo do cavalo e era levado até o quartel de modo  que se dizia que era melhor brigar perto do quartel porque aí a distância que lhe amarravam no cavalo não era tão grande.”

Ladainhas, de Mestre Mintirinha

Eu até chorei
Quando vieram me avisar
Que o Grande Capoeira partiu para nunca mais voltar
Prepare a manta mamãe…
Prepare o cavalo meu irmão…
A distancia é tão grande
Mas eu tenho que ir pra lá…
Vou, vou correndo como vou
E como vou
Meu cavalo como trota na ladeira
É a última homenagem que presto a esse Capoeira
E quando eu cheguei
Olha, eu não suportei
Sou cabra rude, macho e forte
Mas assim mesmo chorei
A tristeza era tão grande
Que o atabaque até furou
O pandeiro inconsolável para sempre se calou
Reco-reco amargurado caiu no chão, se quebrou
Somente o berimbau foi o que continuou
Prestando a sua homenagem a seu dono, seu senhor
Iê chora o berimbau
Iê chora o berimbau, Camará…
Iê lamenta o pandeiro
Iê lamenta o pandeiro, Camará…

E lá vou eu
Por esse mundo afora
Não tem dia nem tem hora
Agora é só eu e Deus
Viver sozinho
É a força do destino
Recordar essa lembrança
No meu peito a esperança
De ter você
Novamente nos meus braços
Te beijando, te abraçando
Louco, louco te amando
Agora é só eu e Deus
Agora é só eu e Deus, camará…

Luís Américo da Silva
Mestre Mintirinha