Blog

cintura

Vendo Artigos etiquetados em: cintura

Homem de Gelo no Botafogo, Jefferson vira Gato Negro na capoeira

Goleiro mostra desenvoltura no esporte e diz que é preciso ter muito jogo de cintura para passar por determinadas situações do futebol

Agilidade, flexibilidade, concentração e disposição. Tudo isso contribui para o sucesso de um bom goleiro. Mas essas características também podem influenciar no bom desempenho em outro esporte: a capoeira. O show visual proporcionado pelo jogo pode ser comparado, inclusive, às defesas de um profissional do futebol. Que o diga Jefferson, camisa 1 do Botafogo.

Nascido na Bahia, onde a capoeira tem raízes fortes, ele pratica o esporte desde os sete anos. O goleiro conta que dividia o tempo entre as peladas com os amigos e as rodas ainda em São Vicente, em São Paulo. Porém, teve que deixar o hobby de lado, pois, desde os 15 anos, vive do futebol. Mas voltou a sentir o gostinho da capoeira na manhã desta quinta-feira, no Aterro do Flamengo, um dia após a vitória por 4 a 1 sobre o Madureira, no Engenhão, pela terceira rodada da Taça Guanabara.

Conhecido como Homem de Gelo, tamanha sua frieza durante os jogos e treinos em General Severiano e no Engenhão, Jefferson deixou para trás o semblante fechado, o olhar fixo e o estilo de poucas palavras para relembrar a infância. Vestiu o novo uniforme, colocou a corda e foi mostrar seu gingado. Tudo banhado a muitos sorrisos e brincadeiras com os 20 jogadores do grupo Abadá-Capoeira, que tem sede no Humaitá, Zona Sul do Rio de Janeiro.

– No futebol, os treinos e os jogos exigem mais um pouco de concentração e seriedade. Não pode levar tudo na brincadeira. Mas, ao sair do futebol, somos outros, precisamos de algo como a capoeira para distrair. É isso que faço. Nas horas de lazer procuro me distrair um pouco – disse o goleiro, que chegou acompanhado de sua esposa Michele e a filha Nicole, de dois anos.

Nem mesmo o 1,90m atrapalhou o goleiro. Acostumado a voar debaixo das balizas, Jefferson fez estripulias no Aterro do Flamengo. Depois de sua exibição, ganhou o apelido do grupo: Gato Negro. O giro no ar também foi batizado: o pulo do gato. Cansado após sua participação, ele disse se sentir mais preparado para os treinos físicos e saiu satisfeito de voltar a praticar capoeira.

– Cansa, exige muito, mas é legal. Faz parte. Só é preciso ter cuidado, porque ajuda, mas pode causar lesões – disse o goleiro, que garantiu que o técnico Joel Santana sabia do jogo de capoeira.

A ginga que mostrou na roda de capoeira é a mesma que o ajuda a sair de situações complicadas no dia a dia do futebol. Jogo de cintura não falta ao goleiro, que é um dos líderes da equipe alvinegra e ídolo da torcida.

– Tem que ter ginga em todos os sentidos para administrar algumas coisas que acontecem no futebol.

É preciso também ter jogo de cintura com as brincadeiras dos integrantes do Abadá-Capoeira. Havia apenas um botafoguense entre os 20 jogadores que se encontravam na roda. Logo de cara, o goleiro avisou que só jogaria com o alvinegro. Depois de ouvir algumas provocações do flamenguista Anderson Silva, o professor Parafuso, o camisa 1 foi defendido por Leonardo Lenine, o Barata.

– Eles estão é preocupados, se sentindo ameaçados.

 

Sonho com a volta para Seleção

 

O sucesso com a camisa do Botafogo em 2010 fez com que Jefferson fosse convocado por Mano Menezes para a Seleção Brasileira. Porém, ficou fora da última lista, já que o treinador optou por não convocar atletas que atuam no Brasil. Mas um nome chamou a atenção. O goleiro Julio César, do Inter de Milão, que defendeu a amarelinha nos últimos anos e participou da Copa do Mundo na África do Sul, voltou a ser chamado.

– Desde que fui convocado, sabia que o Julio César ia voltar. Mas também penso em voltar à Seleção e vou continuar trabalhando no Botafogo para ter novas oportunidades.

 

Fonte: http://globoesporte.globo.com

Desenvolvimento de força

 

         Podemos definir força muscular como:

 

“O trabalho que um músculo, ou um grupo muscular, pode exercer contra uma resistência em um esforço único”. (1)

 

Este trabalho pode ou não gerar movimento. Quando não gera temos então um trabalho de força estática, quando o trabalho gera movimento temos força dinâmica.

O desenvolvimento de força estática não nos interessa na medida em que nossa linguagem corporal (A capoeira) não prevê em nenhum momento movimentos estáticos, o que não é o caso de outras linguagens corporais.     Para podermos entender melhor os métodos de treinamento para o trabalho de força convém ressaltar que as nossas fibras musculares de dividem em Brancas e Vermelhas.

As Brancas são responsáveis pelos nossos movimentos velozes, rápidos e as Vermelhas pelos movimentos de força pura ( os mais lentos).          Então dependendo do objetivo cabe ao treinador optar um método que privilegie o desenvolvimento de determinada fibra.

Segundo este parâmetro dividimos a força dinâmica em:

Força pura: supremacia das fibras Vermelhas.

Explosão: supremacia das fibras Brancas.

Resistência: equivalência entre as fibras. 

Ora, se analisarmos os movimentos de um jogo normal de capoeira temos que nos membros superiores e cintura escapular a predominância de movimentos que exigem força pura (jogo de chão, paradas de mão, saltos, etc…) já nos membros inferiores temos o trabalho de explosão para a execução de golpes que sejam eficazes e a resistência para o desenvolvimento do jogo enquanto tal.

Assim sendo o nosso treinamento de força prevê objetivos diferentes para cada segmento do corpo.

Para força pura (poucas repetições com alta carga), explosão ( média repetição, carga média, máxima velocidade de execução) resistência ( carga leve, ritmo cadenciado de repetições, grande quantidade nas execuções) que tanto podem ser trabalhadas com o peso do corpo quanto com sobrecarga.

Porém a sobrecarga é realmente importante?

         De Fox temos: "Força muscular e endurance (resistência) podem ser muito aprimoradas com programas de exercícios corretamente planejados e cuja resistência é representada por pesos" (1) e é só olhar ao redor, em outras práticas desportivas, literalmente todos os desportistas que visam aumentar seus rendimentos em todos os desportos lançam mão um trabalho de sobrecarga usando pesos, da Ginástica Olímpica até o Karatê já existe este consenso. Porém se estamos admitindo o trabalho com pesos na preparação de um capoeirista é importante notar o que não se pode admitir: O USO DE ANABOLIZANTES E OUTROS PRODUTOS QUÍMICOS com o intuito de ganhar massa muscular, além de todas as contra-indicações sobejamente demonstradas pela literatura temos que ter consciência que o treinamento de pesos visa AUMENTAR A QUALIDADE TÉCNICA DO ATLETA PARA O JOGO DA CAPOEIRA, o que isto vem a ser é o que iremos tratar a seguir: 

        

Tomando em consideração as necessidades físicas do Capoeirista iremos apresentar agora alguns exercícios tanto para o desenvolvimento da cintura escapular quanto dos membros inferiores.

 

 

Read More

GINGANDO COM PESO

A prática dos movimentos de capoeira carregando halteres auxilia o desenvolvimento muscular, naturalmente com pesos adequados (permitindo os movimentos naturais a partir da cintura), como vemos Decanio procurando recuperar uma lesão dos ombros (atrofia dos músculos do ombro). Devemos lembrar o movimento é realizado no balanço do gingado, a partir da cintura e envolvendo todo a musculatura corpórea.

BIMBA FOI “ANGOLEIRO”?

Bimba foi "angoleiro"?

Detalhe ampliado da fotografia de Mestre Bimba "jogando" capoeira com Asclépios Ferrer, no início dos anos 30, encontrada à página 19 do livro "Mestre Bimba, a crônica da capoeiragem" de Jair Moura (Salvador, 1991).
Observar a descontração, a postura em meia-guarda (muzenza), a face zombeteira, sorridente, o balanço do tronco, os ombros soltos, com braços relaxados, punhos fletidos, mãos em concha. Membros superiores em movimento de varredura protegendo a cabeça e o ventre, equilíbrio centralizado na cintura.
Posição de animal semi-agachado, prestes ao ataque, fuga ou salto; compatível com número imprevisível de movimentos, rápidos e velozes; esquiva, cabeçada, giros, ataques usando membros superiores ou inferiores.
Foto exibindo a semelhança, entre os movimentos do estilo ensinado pelo Mestre Bimba até os anos 40, com o "jogo de capoeira", "vadiação" ou "brincadeira"; que alguns preferem chamar de capoeira tradicional; a matriz dos estilos chamados de Angola pelo Mestre Pastinha e de Regional pelos seguidores de Mestre Bimba.

FOTO-ANÁLISE Au e cintura desprezada de atleta especial

PINGO DE OURO

Pingo de Ouro, um capoeirista especial, aluno de Mestre Nenel, demonstrando que o apoio exatamente sob o Centro de Gravidade do parceiro permite executar a Cintura Desprezada com perfeição, apesar das limitações decorrentes da paraplegia.

"Pingo de Ouro" apesar da paraplegia (seqüela de paralisia infantil) não lhe permitir ficar em pé sem o apoio de muletas, consegue jogar capoeira e realizar o au com perfeição, comprovando que em estado modificado de consciência (transe capoeirano)  os capoeiristas realizam movimentos que em estado normal de consciência não executam.
A foto deixa perceber nitidamente a atrofia dos membros inferiores e o contraste com o desenvolvimento do tronco e dos membros superiores.

Jogo de Balões – Cintura Desprezada

Jogo de balões criado por Mestre Bimba, é uma seqüência de golpes ligados e balões, também conhecidos como Movimentos de Projeção da Capoeira, onde o capoeirista projeta o companheiro, que deverá cair em pé ou agachado jamais sentado. Tem o objetivo de desenvolver a auto-confiança, o senso de cooperação, responsabilidade, agilidade e destreza.
Definição segundo o Doutor Angelo Augusto Decanio Filho, Mestre Decanio, em seu livro: “A HERANÇA DE MESTRE BIMBA – Lógica e Filosofia Africanas da Capoeira", da Coleção São Salomão.
 
SEQÜÊNCIA DE BALÕES:
 
… ensina… a saltar ante a ameaça duma projeção… a cair com segurança e
elegância…
—evidencia a interdependência dos jogadores…
… sem a qual não se joga, nem aprende a capoeira!
deve ser executada no início de cada treino…
… com pele ainda seca… camisa de malha de algodão…
… em piso firme… não escorregadio.
…nas primeiras sessões o calouro deve praticar com o mestre…
… o contra-mestre… ou um formado confiável…
… para evitar acidentes.
nas sessões subseqüentes… um veterano mais hábil
poderá colaborar neste exercício.
compõe-se dos seguintes movimentos:
cintura desprezada, balão cinturado, balão de lado e balão em pé.
 
CINTURA DESPREZADA
O calouro dá um aú bem espichado… em direção ao contra-mestre…
… o qual avança, agachado, de modo a receber e equilibrar sobre um dos
ombros
a sua cintura durante um instante…
… a seguir o contra-mestre levanta-se… segurando a cintura do calouro
com o braço
e o lança… cuidadosamente… para o alto, de modo a que venha a cair em
pé…
… sem fazer ruído… como gato preto em telhado de zinco!
… diria Erico Verissimo se jogasse capoeira…
 
BALÃO CINTURADO, BALÃO DE LADO E BALÃO EM PÉ
1ª. Parte – Balão cinturado:
o contra-mestre pede um arpão de cabeça…
e o calouro simula aplicar uma boca-de-calça…
à aproximação do calouro… o contra-mestre se abaixa,
abraça o calouro pela cintura, o levanta do solo eo projeta para trás…
… por cima dos ombros, de modo que caia…
suavemente, em pé…
 
2ª. Parte – Balão de lado:
… enquanto o calouro completa o percurso aéreo,
o contra-mestre se desloca para a frente do mesmo,
ficando de costas, com os joelhos em ligeira flexão…
… e levemente inclinado por diante deste…
… e simultaneamente aplica um colar de força alto no calouro…
e o projeta para diante num giro sobre o seu (do contra-mestre) quadril,
pela inclinação e rotação do tronco para diante…
… enquanto estende os joelhos…
… durante a projeção, o atacante deve
apoiar o pescoço do parceiro para evitar acidentes,
queda de costas ou de cabeça!
 
3ª. Parte – Balão em pé:

novamente, o contra-mestre passa à frente do calouro,
joelhos em semiflexão, aplica uma gravata cinturada alta,
e o projeta para a frente, pela inclinação do tronco para diante
e extensão das pernas…
durante a projeção o atacante deve apoiar o pescoço do parceiro,
para evitar acidentes, queda de costas ou de cabeça!
… o calouro deve tocar o solo com a ponta dos pés,
joelhos em flexão discreta, coluna relaxada e
levemente fletida para diante…
… jamais com os calcanhares,
nem com os joelhos e coluna enrijecidos!

 


Texto extraído de “A HERANÇA DE MESTRE BIMBA – Lógica e Filosofia Africanas da Capoeira", da Coleção São Salomão, escrita e editada pelo autor – Doutor Angelo Augusto Decanio Filho, Mestre Decanio. Este livro, a verdadeira Bíblia da Capoeira, deveria ser conhecido e lido por todos os capoeiristas do mundo.
Read More