Blog

contou

Vendo Artigos etiquetados em: contou

Projeto leva aulas de capoeira a alunos das escolas municipais

A atividade desta semana foi um piloto, que contou com a ajuda de toda a equipe do Centro da Juventude

Cerca de 90 alunos de escolas municipais de Apucarana receberam nesta semana noções de capoeira, em atividade realizada nas dependências do Centro da Juventude. O “aulão de capoeira”, como está sendo denominado, é um projeto-piloto que envolveu alunos de 4ª e 5ª séries da rede municipal de ensino. A intenção é ampliar gradativamente a participação das escolas, atingindo até o segundo semestre deste ano cerca de 600 estudantes.

De acordo com Cristiano Skada, professor de capoeira que ministrou a aula, neste primeiro momento participaram alunos das escolas municipais Albino Biacchi, Marcos Freire, Dr. Joaquim Vicente de Castro, Karel Kober e José de Alencar. “A atividade teve uma palestra sobre os fundamentos históricos da capoeira, além de apresentações, sorteio de brindes, premiação para alunos destaque e claro muito jogo de capoeira”, relata.

O professor afirma ainda que os alunos puderam interagir com colegas das outras escolas através de 3 rodas simultâneas. “A capoeira está sendo implantada em 5 escolas dentro do programa de ensino em tempo integral. A atividade desta semana foi um piloto, que contou com a ajuda de toda a equipe do Centro da Juventude. Agora a intenção é ampliar o projeto, atingindo mais alunos”, projeta.

 

Fontye: Portal da Prefeitura Municipal de Apucarana

Grupo de capoeira mobiliza comunidade no combate à dengue

Ação consistiu em recolher materiais que acumulam água parada, limpeza e conscientização da comunidade

O Centro Cultural de Capoeira Águia Branca, com apoio da Zoonoses e da Secretaria Municipal de Saúde de Uberaba, promoveu, ação de combate ao mosquito da dengue no bairro Fabrício e proximidades.

A mobilização contou com a participação de alunos, familiares, amigos e profissionais da Zoonoses, e consistiu em recolher materiais que acumulam água parada, limpeza e conscientização da comunidade. A ideia partiu de Ubiracy Galvão, o Mestre Café, que pretende realizar esse movimento nos próximos sábados, cada dia em um ponto diferente.

De acordo com Núbia Nogueira, mais conhecida como Professora Puma, que também faz parte da organização, o intuito é alertar a população para a gravidade do problema na cidade.

No fechamento das visitas, haverá uma roda de capoeira aberta. “É mais para chamar a atenção, pois a dengue é um problema preocupante e o mestre observou que passam os anos e sempre o ciclo da doença volta. Se não houver campanhas educativas será difícil combater, pois é uma questão que a comunidade precisa se sensibilizar para a necessidade de prevenir o desenvolvimento do mosquito. Mais importante do que a coleta de materiais é essa conscientização de cada um”, destacou Núbia.

A professora contou que o grupo passou de casa em casa levando informações sobre como combater o mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue. “Tivemos um profissional da Zoonoses acompanhando o grupo e a Secretaria cedeu luvas, sacos de lixo e um caminhão para recolhermos aquelas coisas que não dá para colocar no saco de lixo. Além disso, anotamos os casos de caixas d’água sem tampa, que nós não pudemos resolver e vamos repassar à Zoonoses, para que coloquem as tampas que faltam.

Os locais que apresentaram risco ou que o morador não quis receber o grupo também indicamos. Não podemos manipular o larvicida, por isso foi necessário o profissional nos acompanhando”, esclareceu Núbia Nogueira.

 

Fonte: http://www.jmonline.com.br

México: Mania de Vadiar 2012

Regado de axé, capoeira e boa energia, o 2º evento Mania de Vadiar, com a Realização do capoeira Berim Brasil Internacional e que contou com a Organização do Instrutor Monge e Monitor Bujão, esta edição 2012 aconteceu nos dias 11 a 14 de outubro, em Tepotzotlán (México) e contou com grandes nomes da capoeira:

  • Mestre Wellington – Capoeira Berim Brasil São Paulo Brasil
  • Mestre King – Grupo Aprendizes Rio de Janeiro Brasil
  • Mestre Girafa – Capoeira Muzenza Alagoas Brasil
  • Mestre Calango – Grupo União Capoeira São Paulo BrasilMestre Madona – Capoeira Muzenza Toluca México
  • Contramestre Busca Longe – Capoeira Muzenza São Paulo Brasil
  • Contramestre Monise – Capoeira Berim Brasil São Paulo Brasil
  • Contra Mestre Grilo – Caçua Capoeira – México
  • Professor Onça – Atitude Capoeira Xalapa – México
  • Professor Ferrão – Filhos de Bimba – México
  • Professor Mandinga – Abolição México
  • Professor Ponteiro – Jacaranda Capoeira – México
  • Professor Bolinha – Terreiro Capoeira – GDL – México
  • Graduado Mão de Pedra (Thiago) Capoeira Berim Brasil – São Paulo Brasil

Trazendo para o México as melhores aulas e rodas, num ambiente aberto e agradável, o Mania de Vadiar proporcionou a interação da capoeira Brasil e México, contando inclusive com participantes dos EUA.

Ver os rostos cansados em aulas difíceis regidas por grandes mestres, porém com um gás de vontade exalando foi surpreendente. Os risos contidos e olhares de admiração ao verem os contramestres e mestres jogando foi cena constante.

São desses momentos que tiramos as melhores experiências, não só de capoeira, mas de vida. A capoeira une as pessoas, une sentimentos, e tudo isso aconteceu em um dos melhores ambientes possíveis, com a natureza ao redor.

Pra quem foi, temos a plena certeza que saíram realizados e pra quem perdeu talvez seja a hora de se programar para os próximos.

Texto By: Luciana Van Meenen – http://berimbrasil.com.br

Festas e rituais da Bahia são homenageados em samba enredo da Portela

“Madureira sobe o Pelô, tem capoeira / Na batida do tambor, samba ioiô / Rola o toque de olodum… lá na Ribeira / A Bahia me chamou”.

Era esse o som que se ouvia na quadra do River Futebol Clube na tarde deste sábado (03/12), no Rio de Janeiro. O estado da Bahia, representado pela Bahiatursa – na pessoa de Domingos Leonelli, secretário de turismo da Bahia -, foi homenageado pela escola de samba Portela no samba enredo do Carnaval 2012.

Na feijoada do Grupo Recreativo Escola de Samba Portela, a Bahiatursa e mais de 200 operadores e agentes de viagens baianos eram convidados especiais. Com muita alegria, Leonelli contou que a Bahia será destaque na “passarela do samba” durante 160 minutos no Carnaval do ano que vem.

“Em 2012, nosso Estado será homenageado por duas escolas de samba cariocas. A Portela homenageia com o enredo sobre rituais e festas baianos. Já a Imperatriz Leopoldinense destaca a Bahia ao homenagear Jorge Amado. É uma exposição extraordinária, além de ser uma honra, é claro”, disse.

Muito além do enredo, que deixa o Estado em evidência na mídia internacional por conta da visibilidade do Carnaval do Rio, a Secretaria de Turismo da Bahia tem realizado muitas ações para aproveitar ao máximo a exposição.

“É uma sorte muito grande e precisamos maximizar os efeitos desse momento. Estivemos com a Portela na última Abav, no Soccerex e,hoje, na feijoada. Convidamos mais de 200 agentes e operadores da Bahia. Em breve, a Bahiatursa também estará na reinauguração da quadra da Portela. E a Portela, aliás, também tem participado de ações na Bahia e participará do Salão de Turismo em março do ano que vem. Ontem, o Diogo Nogueira, sambista e portelense, participou de uma ação no Elevador Lacerda, em Salvador. E não pararemos por aí. Estamos trabalhando nas ações para o pós-Carnaval”, contou o secretário.

A presença da Bahia no Carnaval carioca atrai atenção para o Estado, divulga sua cultura e agrega benefícios econômicos. Entretanto, Leonelli destaca outro aspecto que é beneficiado. “É muito bom ver a Bahia, que é terra do samba, presente no Carnaval do Rio. O turismo se beneficia, é claro, mas essas oportunidades despertam o que o setor tem de melhor: as relações interpessoais”, comentou.

Quem estava presente também era Luiz Carlos Brasileiro, secretário de Cultura e Turismo de Maragojipe, a 120 quilômetros de Salvador. Ele contou que o a cidade terá uma ala exclusiva no desfile da Portela. “Nosso Carnaval é muito tradicional, com mascarados e tudo mais. A essência do samba nasceu no recôncavo baiano e agora tem reconhecimento internacional”, contou.

“Está ouvindo? Esse é o melhor samba enredo do Carnaval de 2012. Vai ganhar, com certeza!”, despediu-se Leonelli. Eram esperadas 3 mil pessoas no evento, que contou com a presença de representantes da Bahiatursa; da diretoria, bateria e musas da Portela; da rainha de bateria e atriz, Sheron Menezes; e do compositor baiano Nelson Rufino, além de show de Gilsinho e Seus Capangas.

 

Fonte: http://www.mercadoeeventos.com.br

Registro sedia o 1º Jogos de Verão de Capoeira

A tarde do último sábado foi marcada pela edição dos Jogos de Verão de Capoeira. Mais de 100 crianças, entre elas muitas meninas,participaram do evento voltado para a capoeira de Angola e que contou com a presença de Dierrin e a esposa Cláudia Hengler, considerados mestres da capoeira de Angola.

A prefeita Sandra Kennedy foi prestigiar o evento e destacou a importância da Inclusão social pelo esporte, principalmente com a Integração das equipes de Esporte, Assistência Social e Cultura da Prefeitura de Registro que deram todo o apoio ao evento.

Organizado pelo professor de capoeira do CRAS do Bloco B, Ednei da Silva Cruz, o Pezão, a atividade contou também com a presença de voluntários, colaboradores e com o Projeto Segundo Tempo. Na oportunidade, outros professores de capoeira também da região ressaltaram a importância do esporte e contaram um pouco da história da capoeira como as diferenças entre a capoeira de angola e a regional. Estiveram presentes os professores Judiação, da Vila Nova, Rogério, Roni e Robinho.

A Prefeitura também disponibiliza aulas de capoeira no CRAS da Vila Nova, do Jardim Paulistano, Arapongal com professores capacitados. Os interessados em participar podem entrar em contato no CRAS que atende a região da comunidade onde moram.

 

Fonte: http://diariodeiguape.com

“África em Nós” resgata cultura e esporte em torneio

Dentro do projeto Cultura em Movimento, o Departamento de Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura de Registro, promoveu o Torneio G4 de Capoeira do Vale do Ribeira, “África em Nós”, que busca o resgate da cultura africana no Brasil, por meio do esporte e cultura, promovido pelo Grupo de Capoeira Nosso Senhor do Bonfim. A cidade de Cananeia foi a grande campeã, seguido por Registro, Iguape e Pariquera.

A abertura aconteceu no último domingo e envolveu desde crianças a partir dos cinco anos, até homens e mulheres até 60 anos que participaram das atividades. A abertura contou com a prefeita de Registro, Sandra Kennedy Viana, que em sua fala enfatizou a importância do esporte para a união e desenvolvimento disciplinar e pedagógico do cidadão.

O Torneio teve a participação de capoeiristas das cidades de Cananeia, Registro, Iguape, Pariquera Açu e foi coordenado pelo professor Gilson de Jesus Silva e contou com cerca de 400 pessoas e contou com o patrocínio também do Primu´s e Ciclo Ribeira. Conforme o educador físico, a idéia inicial de realizar o torneio é de Registro, da necessidade de se desenvolver a capoeira na cidade e promover mais atividades. “Nós queremos integrar essas e outras cidades dentro da capoeira”.

Além do torneio de capoeira, aconteceram as apresentações de maculelê com os grupos Filho de Cananeia e Samba de Roda Maracatu Princesa do Litoral de Iguape. Em Registro, as aulas de capoeira, por meio do Cultura em Movimento acontecem no Centro Social urbano, Bloco B, Arapongal e Vila São Francisco.

Fonte: http://diariodeiguape.com/

Aconteceu: Encontrão de capoeira em Nova Iguaçu

A prefeitura de Nova Iguaçu realizou o 1º Encontrão de Capoeira pelo Meio ambiente do Programa Escola Aberta, que reuniu centenas de pessoas no sábado, 25 de setembro, na Vila Olímpica de Nova Iguaçu.

Foram 25 grupos de capoeira representando a cultura afro-brasileira, que conquista jovens, crianças e adultos. O evento foi aberto pela secretária de Educação, Dilcéia Quintela. “Estou feliz em abrir o primeiro encontrão de capoeira. Precisamos fazer com que chegue às 125 escolas, pois o esporte é fundamental para o desenvolvimento das crianças”, explicou.

O ginásio de esportes mais parecia um grande terreirão com os gingados e lutas dos capoeiristas. O encontro reuniu mestres, mestrandos e professores de capoeira do Escola Aberta, que formaram três grandes rodas representando as categorias infantil, feminina e adulto num belo espetáculo de dança e luta ao som de berimbaus, tambores e cânticos. Todas as apresentações foram acompanhadas pelo secretário Adjunto Pedagógico, Reginaldo Bastos e coordenadoras do Escola Aberta, Denise Andrade e Luciana Matta.

O presidente da Federação de Capoeira da Baixada Fluminense, Reginaldo Alves de Almeida, parabenizou a iniciativa da Secretaria de Educação em promover o encontro “A capoeira no Escola Aberta está ajudando a tirar muitas crianças da rua. Ela disciplina e ajuda a formar homens íntegros”, disse mestre Almeida.

Emerson de Oliveira, 14 anos e mais três irmãos praticam capoeira na Escola Municipal Nabor Otuki. “Antes da capoeira eu era brigão e passava muito tempo na rua. Agora estou disciplinado e trouxe minhas irmãs para o grupo”, contou o menino.

Quem esteve no local também participou de oficinas de artesanato, todas voltadas para o reaproveitamento. Além disso, a organização do evento inovou com o brinquedo “Vai e Vem” feito de garrafa pet, flores com galhos secos, reaproveitamento de jornal, bijuterias, pintura e pula-pula para a criançada. O encontrão contou com a participação das 55 escolas que desenvolvem o Escola Aberta, que é um programa do governo federal em parceria com as prefeituras e abre as escola aos sábados e domingos para a comunidade.

Fonte: http://noticias.sitedabaixada.com.br/

Rio de Janeiro: Berimbau com sotaque

A roda de capoeira já estava armada na área externa da Academia Bamp, no Recreio, quando a equipe do GLOBO-Barra chegou. O professor Marcelo Santos, mais conhecido como Pulmão, logo nos perguntou: “Dos que estão com os instrumentos na mão, quem é o sérvio?”. Na quinta tentativa, desistimos. Aqueles gringos só tinham a Sérvia, no passaporte. O ritmo e o gingado são brasileiros. Sem sombra de dúvidas.

Mas essa brasilidade toda não começou naquele jogo, entre martelo,meia-lua e voo do morcego. O trabalho de Pulmão na Sérvia já dura seis anos. Lá, ele tem mais de 150 alunos que não só aprendem a jogar capoeira, como também fazem aulas de português. Em novembro do ano passado, o mestre promoveu a Semana Cultural Brasileira na Sérvia e levou 40 brazucas para lá. O evento contou com jogos de capoeira; apresentações de forró, frevo, maculelê e samba; e degustação de comidas típicas. A história deu tão certo que agora ele recebe 12 sérvios para conhecer o que o Brasil tem. Para ler mais sobre a experiência dessa turma aqui no Rio, acesse o GLOBO Digital – só para assinantes. Abaixo, assista a roda de capoeira que eles jogaram no Recreio.

Fonte: http://oglobo.globo.com/

Caruru e Capoeira na Fazenda Grande!

Evento de Mestre Virgílio comemorou seus 55 anos de capoeira angola

Uma grande festa marcou o aniversário de Mestre Virgílio, e a comemoração dos seus 55 anos de capoeira angola. Realizado no domingo, 20 de dezembro, na Fazenda Grande do Retiro, o evento contou também com o lançamento do CD “Capoeira Angola na Travessia do Mar”, gravado na Austrália em parceria com Mestre Roxinho.

Os trabalhos foram abertos com uma oficina de capoeira angola ministrada por Mestre Roxinho. Edielson da Silva Miranda, iniciado na capoeira angola em 1979 por Mestre Virgílio, é fundador e presidente da Ecamar – Escola de  Capoeira Angola Mato Rasteiro, e reside desde 2006 em Sydney, na Austrália, onde desenvolve o projeto Bantu com crianças e jovens refugiados africanos e aborígenes.

As atividades continuaram com um debate sobre “A Tradição da Capoeira Angola como Educação e Resgate Social”. Iniciada com uma exposição do Mestre Roxinho, a roda de conversa contou com a participação dos mestres Virgílio, Moraes, Jaime de Mar Grande e Gildo Alfinete. A necessidade de preservação das tradições ancestrais, com os sentidos de ritualidade, continuidade e hierarquia, foi ressaltada por todos, que lembraram seus tempos de criança, quando o respeito aos mais velhos era um valor fundamental instituído pela família. As dificuldades para ensinar jovens com famílias desestruturadas, que desrespeitam seus pais e familiares; a resistência que estas crianças e adolescentes têm em relação à disciplina e o papel do Mestre de capoeira angola no resgate e fortalecimento destes valores ancestrais foram consenso entre os mestres. A difícil relação com o Estado, que registrou a capoeira como patrimônio sem ouvir os seus guardiões (que no dia da festa não foram convidados para a mesa, reservada para acadêmicos) também foi apontada pelos presentes, cientes de que a histórica repressão aos capoeiristas continua de outras formas (mais sutis e disfarçadas).

A roda de capoeira angola foi animada e contou com a participação de mais convidados, dentre eles os mestres Pelé da Bomba, Caboré, Uildes, Faísca, Boa Gente, Nal e os contramestres Neguinho e Gutinho. Um delicioso caruru deu força aos presentes para continuar a festa com a participação de músicos convidados.

Virgílio Maximiano Ferreira foi iniciado na capoeira angola por seu pai, o célebre Mestre Espinho Remoso, na década de 50, na Jaqueira do Carneiro, atrás do Retiro. “Ele não tinha escola de capoeira, tinha um quiosque e dia de domingo todos os amigos dele iam lá jogar”, relata Mestre Virgílio. Tendo treinado brevemente com Mestre Caiçara, Virgílio recebeu o título de Mestre de Capoeira Angola das mãos do finado Mestre Paulo dos Anjos, discípulo de Mestre Canjiquinha. Após o falecimento de seu pai, ele começou a dar aulas de capoeira na comunidade da Fazenda Grande do Retiro, na Escola Profissional 1º de maio.

Atualmente, Mestre Virgílio é o presidente da ABCA (Associação Brasileira de Capoeira Angola), entidade fundada em 1987 que reúne os antigos mestres, guardiões desta tradição ancestral. Desde 1998 a ABCA promove anualmente sua Roda da Paz, com o objetivo de promover a união entre os praticantes desta arte-luta. A 12ª Roda da Paz da ABCA será realizada no dia 29 de dezembro de 2009, terça-feira. Após uma breve concentração a partir das 18:00 na sede da entidade (Rua Maciel de Baixo, em frente ao Teatro Miguel Santana) os capoeiristas sairão em cortejo até o Largo de São Francisco, onde será realizada a tradicional roda de capoeira angola. Tod@s estão convidados para esta grande festa. Axé!!!

Paulo A. Magalhães Fº

Jornalista, mestrando em Ciências Sociais
http://lattes.cnpq.br/9776286470259455

Canoas: Capoeira estimula pessoas com necessidades especiais

Os alunos do Centro de Educação e Inclusão e Acessibilidade de Canoas (Ceia) receberam, ontem à tarde, a visita do idealizador do projeto Capoeira Inclusiva, Eraldo Gabriel de Souza. O mestre Beija-Flor, como é conhecido, trouxe a proposta para a cidade em 2005, quando ocorreram as primeiras aulas dirigidas a pessoas com deficiência. O encontro, que faz parte das atividades do Mês da Pessoa com Deficiência, contou ainda com a participação de tradicionalistas gaúchos e de um grupo de funk. A moradora do bairro Harmonia Jeisa Carolina Ávila, 25 anos, participa das aulas de capoeira desde quando o projeto foi implantado na cidade. ‘‘O que mais gosto é da ginga da capoeira’’, contou. Segundo Eraldo, o Capoeira Inclusiva estimula crianças, jovens e adultos com deficiência a superar limites. ‘‘A capoeira estimula a consciência corporal e eleva a autoestima.

É uma terapia para a inclusão’’, destacou. O projeto existe há 14 anos e é realizado em diversos locais como Minas Gerais, Ceará, Sergipe e Maranhão. Ontem o Ceia também realizou Mostra de Artes e Feira de Folclore. Na oportunidade, foram expostos os trabalhos feitos pelos alunos do Educação para Jovens e Adultos (EJA). Entre as obras de arte estavam trabalhos com uma nova leitura dos quadros do pintor brasileiro Cândido Portinari. A moradora do Mathias Velho Neide de Souza Dias, 48, foi uma das artistas. ‘‘Gosto dos trabalhos manuais.’’ Os alunos do Centro de Educação e Inclusão e Acessibilidade de Canoas (Ceia) receberam, ontem à tarde, a visita do idealizador do projeto Capoeira Inclusiva, Eraldo Gabriel de Souza. O mestre Beija-Flor, como é conhecido, trouxe a proposta para a cidade em 2005, quando ocorreram as primeiras aulas dirigidas a pessoas com deficiência. O encontro, que faz parte das atividades do Mês da Pessoa com Deficiência, contou ainda com a participação de tradicionalistas gaúchos e de um grupo de funk.

A moradora do bairro Harmonia Jeisa Carolina Ávila, 25 anos, participa das aulas de capoeira desde quando o projeto foi implantado na cidade. ‘‘O que mais gosto é da ginga da capoeira’’, contou. Segundo Eraldo, o Capoeira Inclusiva estimula crianças, jovens e adultos com deficiência a superar limites. ‘‘A capoeira estimula a consciência corporal e eleva a autoestima. É uma terapia para a inclusão’’, destacou. O projeto existe há 14 anos e é realizado em diversos locais como Minas Gerais, Ceará, Sergipe e Maranhão.

Ontem o Ceia também realizou Mostra de Artes e Feira de Folclore. Na oportunidade, foram expostos os trabalhos feitos pelos alunos do Educação para Jovens e Adultos (EJA). Entre as obras de arte estavam trabalhos com uma nova leitura dos quadros do pintor brasileiro Cândido Portinari. A moradora do Mathias Velho Neide de Souza Dias, 48, foi uma das artistas. ‘‘Gosto dos trabalhos manuais.’’