Blog

costas

Vendo Artigos etiquetados em: costas

Capoeiristas de Piracicaba conquistaram o recorde de Maior Salto Mortal de Costas

O irmãos Vagner e Marcos Farias mostraram total interação no palco do programa dominical da TV Record, Tudo é Possível, apresentado por Eliana Lima, e conquistaram o recorde de “Maior salto mortal de costas em dupla”. Os dois realizaram um salto simultâneo de 1,80 de altura sob o olhar atendo do auditor do RankBrasil, Luciano Cadari, e da platéia presente na gravação.

Vagner tem 26 anos e é caldeireiro. Marcos, que já esteve no programa apresentando o recorde de “Amador com maior salto mortal de costas”, tem 21 anos e é metalúrgico. Ambos moram em Piracicaba, interior de São Paulo, onde também dão aulas de capoeira no grupo “Estilo Acrobático”. Antes de executarem o salto recordista, eles deram uma mostra do seu talento com uma apresentação de capoeira no palco do programa.

Os irmãos dizem se sentiram realizados com a conquista do recorde que exigiu muito empenho. “Consideramos este recorde o resultado de muito treinamento e esforço combinados ao apoio de nossa família, que está sempre nos motivando”, declara Vagner.

Redação: Keyla Barros – http://www.rankbrasil.com.br

Capoeirista & superação do recorde “Amador com Maior Salto Mortal de Costas”

RankBrasil, sob os olhos atentos do auditor Cadari, registra novamente a superação do recorde “Amador com Maior Salto Mortal de Costas”.

Após apresentar a superação de Rogério Marques dos Santos de sua própria marca no recorde de “Amador com Maior Salto Mortal de Costas”, ao passar do salto de 1,60m para o de 1,70m, o RankBrasil e o programa Tudo é Possível, da rede Record, apresentam um novo recordista na categoria, Marcos Vinícius Farias. O recorde de Marcos, 2m, foi registrado pelo auditor, Luciano Cadari e a apresentadora Eliana.

Aos 21 anos, casado e trabalhando como metalúrgico este paulista de Piracicaba, interior do Estado, não conquistou o recorde por acaso, uma vez que é necessário treinamento, agilidade e certa resistência física para os saltos. “Jogo capoeira desde os quatro anos de idade e faço parte do grupo ‘Estilo Acrobático Capoeira’”, relata o recordista.

Redação: Keyla Barros

Rio Preto: Velhice com ginga e saúde

Idosos provam pela capoeira que faltam limites para o corpo humano de quem exercita a mente; prática reduz consumo de medicamentos e incidência de doenças

Com uma rasteira, os sintomas das mais variadas doenças caíram por chão. Ao aplicar uma tesoura, eles cortaram o consumo de remédios em até quatro vezes. Num rabo-de-arraia, eles mostram que elasticidade pode fazer parte da vida de pessoas de todas as idades.

Os idosos que participam do projeto Capoeira Sem Limites dão show de simpatia e alegria, além, claro, de ginga e dança. Não à toa, pois todos sentem efeitos benéficos no tratamento de problemas como diabetes, derrame, dores nas costas, insônia ou cirurgia no coração.

A aposentada Vera Pires, 57 anos, já teve quatro derrames. Ela chegou a consumir 17 comprimidos por turno do dia, ou seja, 51.

Depois que virou capoeirista, ela reduziu a quantidade de remédios para quatro por turno. “Também já emagreci 12 quilos e estou me sentindo uma gatinha”, revela Vera, mostrando também os benefícios para o corpo.

O professor Antônio Marcos da Silva, o Ceará, conta que o projeto segue o modelo Lian Gong, um tipo de ginástica terapêutica chinesa. Além de dar mais confiança aos participantes, os exercícios aumentam a elasticidade, mesmo daqueles que nunca fizeram alongamento na vida.

É o caso do ex-trabalhador braçal José Batista da Costa, 62. Quando entrou na capoeira, ele mal conseguia levantar o braço. Após um ano e meio, Batista faz coisas que até então considerava impossíveis.

“Agora minha mulher não precisa nem mesmo lavar as minhas costas”, conta em tom de brincadeira.

O grupo de 11 pessoas que treina na Policlínica Santo Antônio em Rio Preto tem idade entre 44 e 74 anos. A mais “vovó” da turma, Maria Lopes, 74, já passou por cirurgia da carótida, teve derrame e passou 15 dias em coma. Logo depois que se recuperou, ela entrou no projeto e hoje é uma das mais alegres participantes.

De mudança para Campinas, dona Maria não se vê mais fora de uma roda. “Terei de procurar algum lugar para praticar capoeira por lá também”, decreta.

O projeto também contribui com a resolução de outro problema da terceira idade: a socialização depois da aposentadoria. “Às vezes cuidamos só dos netos e não de nós mesmos. Aqui, somos amigos até demais, como em uma segunda família”, conta dona Maria.

Projeto da prefeitura existe há dois anos
O projeto Capoeira Sem Limites faz parte do programa Saúde em Movimento, desenvolvido pela Prefeitura de Rio Preto desde 2000. O objetivo é controlar doenças na terceira idade pela atividade física.

Segundo o coordenador do programa, Antônio Caldeira, são mais de 50 grupos na cidade, que buscam reduzir o consumo de medicamentos através de tipos de ginática terapêutica.

Ele conta que outras prefeituras estão desenvolvendo a mesma experiência. “Temos de envolver usuários do SUS para que se responsabilizem pela própria saúde. Quem depende só do médico não se aplica.”

‘A capoeira mudou minha vida’

• Isaura Pereira, 52
Isaura Pereira conviveu com a epilepsia por cinco anos. Nos piores momentos, ela chegou a ter 15 crises por dia, quase uma por hora em que passava acordada. Sem encontrar solução, Isaura chegou a entrar em depressão. Desde que entrou na capoeira, ela não toma mais remédios ou sofre alguma crise

• Marlene Miranda, 44

A mais nova do grupo da Policlínica do Santo Antônio sofreu a vida toda com insônia. Sem conseguir solução em qualquer outra terapia, Marlene entrou na capoeira e em outros grupos do tipo Lian Gong, os quais pratica quatro vezes por semana. Hoje ela dorme melhor e mais rapidamente

• Vera Pires, 57
Vera Pires já sofreu quatro derrames, problema que a obrigou a tomar 17 comprimidos em cada turno do dia. Dos 51 que tomava, ela passou a consumir apenas 12 após entrar no projeto Capoeira Sem Limites. A auto-estima de Vera também aumentou, já que ela perdeu 12 quilos

• Dalva da Silva, 45
Dalva da Silva sofreu com dores nas costas e pressão baixa por oito anos. Ela tentou acupuntura e fisioterapia, sem sucesso. Ao entrar na capoeira, a dor passou. Ela parou e a dor voltou. Hoje, ela está no grupo e não pretende sair

Fonte: Bom Dia Rio Preto – http://www.bomdiariopreto.com.br

Jogo de Balões – Cintura Desprezada

Jogo de balões criado por Mestre Bimba, é uma seqüência de golpes ligados e balões, também conhecidos como Movimentos de Projeção da Capoeira, onde o capoeirista projeta o companheiro, que deverá cair em pé ou agachado jamais sentado. Tem o objetivo de desenvolver a auto-confiança, o senso de cooperação, responsabilidade, agilidade e destreza.
Definição segundo o Doutor Angelo Augusto Decanio Filho, Mestre Decanio, em seu livro: “A HERANÇA DE MESTRE BIMBA – Lógica e Filosofia Africanas da Capoeira", da Coleção São Salomão.
 
SEQÜÊNCIA DE BALÕES:
 
… ensina… a saltar ante a ameaça duma projeção… a cair com segurança e
elegância…
—evidencia a interdependência dos jogadores…
… sem a qual não se joga, nem aprende a capoeira!
deve ser executada no início de cada treino…
… com pele ainda seca… camisa de malha de algodão…
… em piso firme… não escorregadio.
…nas primeiras sessões o calouro deve praticar com o mestre…
… o contra-mestre… ou um formado confiável…
… para evitar acidentes.
nas sessões subseqüentes… um veterano mais hábil
poderá colaborar neste exercício.
compõe-se dos seguintes movimentos:
cintura desprezada, balão cinturado, balão de lado e balão em pé.
 
CINTURA DESPREZADA
O calouro dá um aú bem espichado… em direção ao contra-mestre…
… o qual avança, agachado, de modo a receber e equilibrar sobre um dos
ombros
a sua cintura durante um instante…
… a seguir o contra-mestre levanta-se… segurando a cintura do calouro
com o braço
e o lança… cuidadosamente… para o alto, de modo a que venha a cair em
pé…
… sem fazer ruído… como gato preto em telhado de zinco!
… diria Erico Verissimo se jogasse capoeira…
 
BALÃO CINTURADO, BALÃO DE LADO E BALÃO EM PÉ
1ª. Parte – Balão cinturado:
o contra-mestre pede um arpão de cabeça…
e o calouro simula aplicar uma boca-de-calça…
à aproximação do calouro… o contra-mestre se abaixa,
abraça o calouro pela cintura, o levanta do solo eo projeta para trás…
… por cima dos ombros, de modo que caia…
suavemente, em pé…
 
2ª. Parte – Balão de lado:
… enquanto o calouro completa o percurso aéreo,
o contra-mestre se desloca para a frente do mesmo,
ficando de costas, com os joelhos em ligeira flexão…
… e levemente inclinado por diante deste…
… e simultaneamente aplica um colar de força alto no calouro…
e o projeta para diante num giro sobre o seu (do contra-mestre) quadril,
pela inclinação e rotação do tronco para diante…
… enquanto estende os joelhos…
… durante a projeção, o atacante deve
apoiar o pescoço do parceiro para evitar acidentes,
queda de costas ou de cabeça!
 
3ª. Parte – Balão em pé:

novamente, o contra-mestre passa à frente do calouro,
joelhos em semiflexão, aplica uma gravata cinturada alta,
e o projeta para a frente, pela inclinação do tronco para diante
e extensão das pernas…
durante a projeção o atacante deve apoiar o pescoço do parceiro,
para evitar acidentes, queda de costas ou de cabeça!
… o calouro deve tocar o solo com a ponta dos pés,
joelhos em flexão discreta, coluna relaxada e
levemente fletida para diante…
… jamais com os calcanhares,
nem com os joelhos e coluna enrijecidos!

 


Texto extraído de “A HERANÇA DE MESTRE BIMBA – Lógica e Filosofia Africanas da Capoeira", da Coleção São Salomão, escrita e editada pelo autor – Doutor Angelo Augusto Decanio Filho, Mestre Decanio. Este livro, a verdadeira Bíblia da Capoeira, deveria ser conhecido e lido por todos os capoeiristas do mundo.
Read More