Blog

dona

Vendo Artigos etiquetados em: dona

Festival Cultural da Melhor Idade reunirá cerca de 300 idosos

Festival Cultural da Melhor Idade reunirá cerca de 300 idosos no próximo dia 08 de dezembro, que farão apresentações de puxada de rede, samba de roda e capoeira

O projeto de Capoeira adaptada, fomentado pelo Grupo de Capoeira Mandinga e a Ong JUNTOS, avança e proporciona novidades para seus alunos da terceira idade

Dona Terezinha não perde uma aula. Sagradamente, duas vezes por semana, ela deixa de lado a rotina usual de dona de casa para praticar uma atividade um tanto inusitada para alguém com mais de 60 anos: a capoeira. Num primeiro contato, Terezinha pensou que não daria certo. Como uma atividade que pede pulos, ginga e sincronia de movimentos caberia a um idoso?

 

Cabe. Hoje, três anos depois, Dona Terezinha – ou Maria Terezinha do Nascimento, de 63 anos – aguarda ansiosa suas aulas de capoeira adaptada, atividade feita graças à iniciativa da ONG JUNTOS (Jardins Unidos No Trabalho de Obras Sociais) e do projeto Tempo da União, braço cultural da Associação de Capoeira Mandinga, que atua em diversas regiões com seus projetos sociais e culturais.

 

Terezinha faz parte de um grupo que atualmente conta com 380 idosos. Todos, segundo a própria praticante, descobriram os benefícios da terapia. As aulas de capoeira adaptada aos idosos começaram na sede da ONG JUNTOS, situada na zona leste da capital, com cerca de 60 idosos, que até então participavam de terapias ocupacionais pouco aeróbicas, como a musicoterapia.

 

Da capoeira para o interesse a práticas da cultura afro descendente, foi uma questão de tempo. No próximo dia 08 de dezembro, o grupo fará apresentações de bate latas, dança do coco, puxada de rede, teatro focando a temática da escravidão, samba de roda e maculelê. Após as apresentações haverá um campeonato de capoeira com premiação para os primeiros três colocados. “Os resultados desse trabalho são gratificantes. Não somente em termos de qualidade de vida, mas pelas lições, pela vivacidade que eu presencio no convívio diário” – afirma Cibele Moura, capoeirista há 17 anos e professora da turma, que tem seu aluno mais novo com 60 anos e, o mais velho, 94.

 

 

Sobre o evento

 

I Festival Cultural da Melhor Idade

 

 

Organização Grupo Capoeira Mandinga – ONG Juntos

Dia 08 de dezembro às 10h

Local: Sede da ONG Juntos – Rua Cânfora, 90 – Jardim Brasília.

O evento será aberto ao público e contará com a presença do Mestre Maurão, a frente do Grupo de Capoeira Mandinga e um dos maiores nomes dessa cultura no mundo.

 

“É o terceiro evento que realizamos para essa turma tão especial. No entanto, para essa edição, colocamos mais atividades culturais, uma vez que os alunos foram inseridos na capoeira, que é uma prática mantenedora das culturas regionais brasileiras que serão apresentadas.” – sinaliza Mestre Maurão.

 

Baobá Comunicação erika.balbino@baobacomunicacao.com

380 idosos são batizados na capoeira e recebem graduação no próximo dia 07 de julho

Capoeira adaptada, projeto fomentado pelo Grupo de Capoeira Mandinga e a Ong JUNTOS, batiza turma da terceira idade. O aluno mais novo tem 60 anos e, o mais velho, 94

Dona Terezinha não perde uma aula. Sagradamente, duas vezes por semana, ela deixa de lado a rotina usual de dona de casa para praticar uma atividade um tanto inusitada para alguém com mais de 60 anos: a capoeira. Num primeiro contato, Terezinha pensou que não daria certo. Como uma atividade que pede pulos, ginga e sincronia de movimentos caberia a um idoso?

Cabe. Hoje, dois anos depois, Dona Terezinha – ou Maria Terezinha do Nascimento, de 63 anos – aguarda ansiosa suas aulas de capoeira adaptada, atividade feita graças à iniciativa da ONG JUNTOS (Jardins Unidos No Trabalho de Obras Sociais) e do projeto Tempo da União, braço cultural da Associação de Capoeira Mandinga, que atua em diversas regiões com seus projetos sociais e culturais.

Terezinha faz parte de um grupo que atualmente conta com 380 idosos. Todos, segundo a própria praticante, descobriram os benefícios da terapia. “Ter a capoeira adaptada para nós, idosos, é maravilhoso. Mexer o corpo e fazer atividade é a melhor coisa que podemos buscar. Minhas articulações estão muito bem, e eu sou outra pessoa!”, diz Terezinha.

As aulas de capoeira adaptada aos idosos começaram na sede da ONG JUNTOS, situada na zona leste da capital, com cerca de 60 idosos, que até então participavam de terapias ocupacionais pouco aeróbicas, como a musicoterapia. A aceitação era pequena. “Eles não gostavam da musicoterapia e se queixavam por querer algo mais dinâmico. Inclusive, alguns idosos jogavam dominó durante a aula justamente por não gostarem dela. Agora a realidade, felizmente, é bem diferente”, afirma Cibele Moura, capoeirista há 16 anos e professora da turma.

 

Batizado

O primeiro batizado da turma de idosos aconteceu no dia 30 de abril de 2011, em frente à arena de eventos do Museu Afro, no parque do Ibirapuera, reunindo um total de 360 alunos.

Esse ano o evento acontecerá no dia 07 de julho, das 9h às 12h, no SESC Itaquera. Serão batizados 180 alunos com a segunda graduação, corda amarela; e 200 alunos com a primeira graduação de cor verde.

O evento será aberto ao público e contará com a roda de capoeira do Mestre Maurão, a frente do Grupo de Capoeira Mandinga e um dos maiores nomes dessa cultura no mundo.

“Nosso primeiro evento ocorreu em um espaço público e agora estamos dentro de uma instituição que prima pelo respeito aos idosos, pela prática de esportes e pela manutenção e fomento da cultura tradicional. Só posso estar feliz” – sinaliza Mestre Maurão.

 

Batizado dos 380 alunos da terceira idade – Projeto Tempo de União – Grupo de Capoeira Mandinga e ONG JUNTOS

 

Data: Dia 07 de julho

Horário: das 09h às 12h00

Local: Sesc Itaquera – Avenida Fernando Espírito Santo Alves de Mattos, 100

 

Projeto Tempo de União

O projeto Tempo de União é um braço dentro da Associação de Capoeira Mandinga destinado a crianças e adolescentes que atua em diferentes comunidades da capital paulista, e que fomenta atividades culturais e sociais com foco na Capoeira e tradições regionais.

 

Erika Alexandra Balbino

Baobá Comunicação, Cultura e Conteúdo

Rua Porangaba, nº 149, Bosque da Saúde

04136-020 – São Paulo – SP

+55 11 3482-2510+55 11 3482-6908

O samba tem “Dona”, e ela comemora 90 anos!

Hoje, os pandeiros e cavaquinhos de todo o Brasil dão parabéns cadenciados para aquela que se consagrou na música popular brasileira com uma das maiores sambistas de todos os tempos. Yvonne Lara da Costa, mais conhecida como Dona Ivone Lara, preparou muito samba, feijão e uma página na internet para comemorar os 90 anos de idade.

Há 70 anos, quando as rodas de samba eram dominadas por homens e às mulheres sobrava o papel de do ritmo no pé, Dona Ivone Lara ousou conquistar um lugar ao sol. O preconceito era tanto, que os sambas que ela compunha eram mostrados aos sambistas como se fossem de autoria do primo Mestre Fuleiro. Mesmo assim, Dona Ivone se consagrou com a primeira mulher a compor Samba Enredo no Brasil.

Apesar dos anos vividos, Dona Ivone Lara carrega a mesma alegria da juventude. “Ela é incansável, saímos de um show e ela já pergunta onde é o próximo”, conta a amiga e produtora há 17 anos Miriam Souza. A produtora faz questão de ressaltar o orgulho que sente da sambista. “Mesmo com idade avançada e depois de fraturar o fêmur, ela renasceu das cinzas e voltou a brilhar”.

E é com toda essa jovialidade que Dona Ivone Lara encontrou um jeito bem moderno de comemorar seus 90 anos. Em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro e da Refazenda Produções, lança seu primeiro site, o www.donaivonelara.com.br. Acesse e descubra por que ela é considerada um patrimônio vivo da cultura afro-brasileira!

PERFIL

Nascida em Botafogo, no Rio de Janeiro, em 13 de abril de 1921, Dona Ivone Lara é filha de uma cantora de rancho e começou a compor aos 12 anos de idade. Uma de suas primeiras músicas foi o estribilho de partido-alto Tiê-tiê (nome de um pássaro de que gosta muito).

Estudou no colégio municipal Orsina da Fonseca, de onde saiu, com 17 anos, para morar na casa do tio Dioniso Bento da Silva, pois seus pais haviam falecido. O tio pertencia a um grupo de chorões, e com ele aprendeu a tocar cavaquinho. Em outubro de 1947, foi morar em Madureira e começou a freqüentar a extinta escola de samba Prazer da Serrinha.

Em 1965, o samba-enredo Os cinco bailes da corte, ou Os cinco bailes tradicionais da história do Rio (Dona Ivone Lara, Silas de Oliveira e Bacalhau) classificou-se em quarto lugar no desfile de escolas de samba.

Dona Ivone Lara é madrinha da ala dos compositores de sua escola (Império Serrano) e desfilou desde 1968 pela ala das baianas. Em 1982, ganhou o Estandarte de Ouro como destaque da ala das baianas da Cidade Alta do Império Serrano.

O ano de 1970 foi, sem dúvida, de grande importância para sua carreira de intérprete e compositora, pois gravou o primeiro disco pela gravadora Copacabana “SAMBÃO 70”, produzido por Sargenteli e Adelson Alves. Gravou também na Odeon, Copacabana, Warner, Som Livre e RGE.

 

Fonte: Produção Dona Ivone Lara

2011 foi instituído pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Ano Internacional dos Povos Afrodescendentes.

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional: Lista de Habilitados – Prêmio Viva Meu Mestre – Edição 2010.

O Prêmio Viva Meu Mestre tem como objetivo reconhecer e fortalecer a tradição cultural da Capoeira por meio da premiação de Mestres e Mestras de Capoeira, com idade igual ou superior a 55 anos, cuja trajetória de vida tenha contribuído de maneira fundamental para a transmissão e continuidade da Capoeira no Brasil.

O Prêmio Viva Meu Mestre é uma política de reconhecimento e valorização dos “patrimônios vivos” e proporcionará uma ampla visibilidade na sociedade brasileira de uma expressão cultural reconhecida como Patrimônio Cultural do Brasil. O objetivo primeiro do prêmio está integrado ao Programa de Salvaguarda e Incentivo à Capoeira – Pró – Capoeira e visa o reconhecimento, valorização e divulgação dos mestres que tenham larga experiência acumulada na prática e transmissão dos saberes sobre a capoeira, desempenham ou desempenharam papel fundamental em suas comunidades e se dedicaram a manter vivo esse patrimônio nacional.

Poderão concorrer ao Prêmio Viva Meu Mestre 2010 Mestres e Mestras de Capoeira, de qualquer vertente ou estilo com reconhecida experiência e conhecimento nos saberes e fazeres da Capoeira.

As inscrições deverão ser apresentadas período de 29/10/2010 a 17/11/2010, de acordo com as condições e exigências estabelecidas no edital e seus anexos disponíveis abaixo.

 

Edital Premio Viva Meu Mestre – Mestres e Mestras de Capoeira 2010  

Resultado: inscrições habilitadas para Prêmio Viva Meu Mestre – Edição 2010

Foi publicada na edição desta quarta-feira (6) do Diário Oficial da União a relação das inscrições habilitadas e não-habilitadas, conforme as regras estabelecidas no Edital de Premiação 001/2010 – Prêmio Viva Meu Mestre. A lista de candidatos e sua situação está disponível abaixo, no arquivo em anexo.

A seleção dos mestres e mestras de capoeira que serão premiados será finalizada pela Comissão de Seleção, que pontuará as inscrições habilitadas de acordo com os critérios indicados no edital. A reunião da Comissão de Seleção será realizada após a liberação de recursos financeiros pelo Ministério da Cultura.

Fonte: DPI / Ascom Iphan

LISTA DE CANDIDATOS HABILITADOS

1.Adalberto Conceição da Silva – Zumbi Bahia – São Luis/MA

2.Adalgiza Muniz Ribeiro – Dona Daja – Santa Rita/MA

3.Adenilson Bemvindo dos Santos – Mestre Biquinho – Rio de Janeiro/RJ

4.Ailton Fiúza da Conceição – Mestre Dedé – Salvador/BA

5.Alberto José de Freitas – Mestre Sombrinha – Guarujá/SP

6.Albino de Brito Veras – Mestre Albino – Teresina/PI

7.Alcides de Lima – Mestre Alcides – São Paulo/SP

8.Alexandre dos Santos Marques – Mestre Gege – Duque de Caxias/RJ

9.Alípio Souza Oliveira – Mestre Alípio – São Bernardo do Campo/SP

10.Almerindo Francisco dos Santos – Mestre Azambuja – Embu/SP

11.Almerito Almeida dos Santos – Mestre Kenura – Cotia/SP

12.Aloízio de Souza Píton – Mestre Píton – Curitiba/PR

13.Américo Araújo Brandão – Mestre Brandão – Salvador/BA

14.Ananias Ferreira – Mestre Ananias – São Paulo/SP

15.Antenor Neres – Mestre Runda – Santa Rita/MA

16.Antônio Batista Pinto Zulu – Mestre Zulu – Sobradinho/DF

17.Antônio Bezerra dos Santos – Mestre Bezerra – Belém/PA

18.Antônio Cardoso Andrade – Mestre Brasília – São Paulo/SP

19.Antônio Carlos Pereira dos Santos – Mestre Pimpão – Salvador/BA

20.Antônio Conceição Pereira – Mestre Bigode – Feira de Santana/BA

21.Antônio de Castro Muniz – Seo Antônio Viola – Santa Rita/MA

22.Antônio dos Santos – Mestre Carcará – Santo Amaro/BA

23.Antônio Ferreira da Silva – Mestre Butt – Nova Iguaçu/RJ

24.Antônio José da Conceição Ramos – Mestre Patinho – São Luis/MA

25.Antônio Oliveira Bemvindo – Mestre Touro – Rio de Janeiro/RJ

26.Antônio Rodrigues Santos – Mestre Sergipe – São José dos Pinhais/PR

27.Antônio Rosemberg Santos Coelho – Mestre Berg Yourubá – Rio de Janeiro/RJ

28.Artur Emídio de Oliveira – Mestre Artur Emídio – Rio de janeiro/RJ

29.Bendito Pires Belfort – Seo Benedito de Anastácio – Itapecuru mirim/MA

30.Carlos Augusto Cruz Peixoto – Timbó – Campos/RJ

31.Celso Carvalho do Nascimento – Mestre Celso – Rio de Janeiro/RJ

32.Damionor Ribeiro de Mendonça – Mestre Mendonça – Niterói/RJ

33.Djalma Alves de Souza – Mestre Djalma – Teixeira de Freitas/BA

34.Domingos de Lau do Nascimento – Mestre Cavaco – São Paulo/SP

35.Domingos dos Santos Serejo – Seo Domingos de Zé de Honório – Bacabeira/BA

36.Edgar Francisco das Chagas – Mestre Chaguinha – Manaus/AM

37.Ediney de Sena – Adó – Santo Amaro/BA

38.Eduardo Wilso Nascimento – Canhoto – Rio de Janeiro/RJ

39.Edvaldo Borges da Cruz – Mestre Lua de Bobó – Salvador/BA

40.Eli Pimenta – Mestre Eli – São Paulo/SP

41.Eliseu Etelvino dos Santos – Eliseu Trovoada – Salvador/BA

42.Ercília de Assunção – Dona Ercília – Santa Rita/MA

43.Euzébio Ferreira dos Santos – Seo Zebão – Itapecuru mirim/MA

44.Edvaldo Evangelista Matias – Mestre João D’Barro – Salvador/BA

45.Everaldo Bispo de Souza – Mestre Lobão – São José dos Campos/SP

46.Felipe Santiago – Mestre Felipe – Santo Amaro/BA

47.Fernando Campelo Cavalcanti de Albuquerque – Gato – Rio de Janeiro/RJ

48.Filomena Dutra dos Santos – Dona Ló – Anajatuba/MA –

49.Firmino Diniz – Mestre Diniz – São Luis/MA

50.Firmino Rosa Oliveira – Seo Firmininho – Santa Rita/MA

51.Flávio Cardoso de Mendonça – Mestre Flávio Mendonça – Rio de Janeiro/RJ

52.Francisco Tomé dos Santos Filho – Mestre Bigo ou Francisco 45 – São Paulo/SP

53.Frederico Alexandre das Candeias – Mestre Jequié – Ubatuba/SP

54.Gil Clementino Cavalcanti de Albuquerque Filho – Mestre Gil Velho – Recife/PE

55.Gilson Fernandes – Mestre Lua Rasta – Salvador/BA

56.Itamar da Conceição Magalhães – Mestre Chita – São Gonçalo/RJ

57.Itamar da Silva Miranda – sem apelido – Rio de Janeiro/RJ

58.Izidório dos Santos – Seo Izidório – Cantanhede/MA

59.Jaime Martins dos Santos – Mestre Curió – Salvador/BA

60.Jair Correia da Silva – sem apelido – Caucaia/CE

61.Jelon Gomes Vieira Filho – Mestre Jelon Vieira – Salvador/BA

62.Joana Muniz Carvalho – Joana de Pitoca – Santa Rita/MA

63.João da Mata Frazão – Seu João de João Pedro- Anajatuba/MA

64.João Marcos Vieira da Gama – sem apelido – Rio de Janeiro/RJ

65.João Mendes Barbosa Filho – Mestre Jô – Juiz de Fora/MG

66.João Pereira dos Santos – Mestre João Pequeno de Pastinha – Salvador/BA

67.Joel de Souza Menezes – Mestre Joel – Guarulhos/SP

68.Jorge Roberto Siqueira Coutinho – Mestre Criolo – Rio de Janeiro/RJ

69.Jorge Satiro da Conceição – Mestre Jorge Satélite – Salvador/BA

70.José Andrade – Mestre Andrade – Santo André/SP

71.José Antônio Pinheiro Silva – Mestre Pinheiro – Juiz de Fora/MG

72.José Carlos Alberto – Tinta Forte – São José dos Campos/RJ

73.José Carlos Portes Pereira – Mestre Portes – Ubatuba/SP

74.José Carlos Santana – Mestre Santana – São Paulo/SP

75.José dos Santos Pinto – Mestre Zumbi – São Paulo/SP

76.José Eloy de Oliveira – Mestre Baixinho – São Paulo/SP

77.José Izidro de Carvalho – Mestre Gajé – Salvador/BA

78.José Luiz Oliveira Cruz – Mestre Bola Sete – Salvador/BA

79.José Maria Cardoso da Costa – Mestre Ousado – Singapura

80.José Porfírio Martins – Seo Zezinho – Itapecuru Mirim/MA

81.José Renato Vasconcelos de Carvalho – Mestre Zé Renato – Fortaleza/CE

82.José Ribamar de Carvalho Filho – Mestre Ribaldo Branco – São Luis/MA

83.José Serafim Ferreira Júnior – Geni – Salvador/BA

84.José Virgílio dos Santos – Mestre Virgílio de Ilhéus – Ilhéus/BA

85.José Walter Santa Rosa – Santa Rosa – Salvador/BA

86.Júlio Romão da Silva Filho – Mestre Romão – Ananindeuá/PA

87.Julival do Espírito Santo – Mestre Gato – Presidente Figueiredo/AM

88.Juvêncio Pires – Seo Juvenal – Itapecuru mirim/MA

89.Lázaro Martins dos Santos – Mestre Lazinho – Cantanhede/MA

90.Leda Muniz Carvalho – Mãe Ledoca – Santa Rita/MA

91.Leilza Viana Launé – Dona Lalá – Santa Rita/MA

92.Liberino Brandão Azevedo – Mestre Liberino – Salvador/BA

93.Lourival Fernando Alves Leite – Mestre Pop – Florianópolis/SC

94.Luiz Alberto Siqueira Amarante – Mestre Mineiro – Nova Lima/MG

95.Luiz Américo da Silva – Mestre Mintirinha – Rio de Janeiro/RJ

96.Manuel Mercês Martins – Seo Manuel de Daniel – Itapecuru Mirim/MA

97.Manoel Missias Pereira – Seu Misse – Santo Antônio/BA

98.Manoel Pio de Sales – Mestre Sabú – Aparecida de Goiânia/GO

99.Manoel Silva – Mestre Boca Rica – Salvador/BA

100.Marcelino Neto de Azevedo – Sapão/Netinho – Caicó/RN

101.Marcelo Azevedo Guimarães – Mestre Peixinho – Rio de Janeiro/RJ

102.Márcio Fernando dos Santos Cunha – Mestre Pipoca – Rio de Janeiro/RJ

103.Marcondes Luiz Ferreira da Silva – Mestre Pirajá – Feira de Santana/BA

104.Marcos Aurélio Moreira – Mestre Marcos Coca Cola – Olinda/PE

105.Maria da Natividade Launé – Dona Dada – Santa Rita/MA

106.Maria de Jesus Belfort – Dona Maria Grande – Itapecuru Mirim/MA

107.Maria do Rosário Frazão Sampaio – Dona Mocinha – Anajatuba/MA

108.Maria dos Anjos Vianna Pereira – Dona Tatá Velha – Rosário/MA

109.Maria Inácia Fonseca – Dona Maria Preta – Anajatuba/MA

110.Mário Alves dos Santos – Mestre Guerreiro – Dourados/MS

111.Mário dos Santos – Mestre Busca Pé – São Francisco do Conde/BA

112.Maximiana Carvalho – Dona Mássica – Santa Rita/MA

113.Milton de Sousa – Passo Preto – Goiânia/GO

114.Móisés Alves dos Santos – Mestre Sucuiuba ou Mestre Moisés – Salvador/BA

115.Natalício Neves da Silva – Mestre Pelé da Bomba – Salvador/BA

116.Neilton Moreira Nascimento – Mestre China – Salvador/BA

117.Nestor Sezefredo dos Passos Neto – Mestre Nestor Capoeira – Rio de Janeiro/RJ

118.Norival Moreira de Oliveira – Mestre Nô – Salvador/BA

119.Olavo Paixão dos Santos – Mestre Olavo – Salvador/BA

120.Osvaldo da Conceição Santana – Mestre Baixinho – Salvador/BA

121.Paulo Ferreira – Paulo Brasa – Rio de Janeiro/RJ

122.Paulo Sérgio da Silva – Mestre Paulão da Muzenza – Rio de Janeiro/RJ

123.Pedro Alves da Silva – Mestre Pedrinho – São Gonçalo do Rio Preto/MG

124.Pedro Moraes Trindade – Mestre Moraes – Salvador/BA

125.Pedro Viana – Seo Pedro Queixinho – Rosário/MA

126.Raimunda Nonata Pinto Nascimento – Dona Raimundinha de Mário – Cantanhede/MA

127.Raimundo da Silva Frazão – Seo Raimundo de Henrique – Anajatuba/MA

128.Raimundo Lopes – Seo Chico Sarapião – Cantanhede/MA

129.Raimundo Nonato Barbosa – Mestre Nonato – Feira de Santana/BA

130.Raimundo Santana de Sena – Mestre Petróleo – Camaçari/BA

131.Raimundo Silva Filho – Raimundo Filho – Duque de Caxias/RJ

132.Reinaldo Santana – Mestre Bigodinho – Salvador/BA

133.Reginaldo Consolatrix Maia – Mestre Reginaldo Velho – Timóteo/MG

134.Reginaldo da Silveira Costa – Mestre Squisito – Brasília/DF

135.Reginaldo Laurêncio Bispo – Mestre Regis – Salvador/BA

136.Renildo Onofre dos Santos – Mestre Espanto – Guarulhos/SP

137.Roberto Alves Barbosa – Mestre Carangueijo – São Paulo/SP

138.Roberto Teles de Oliveira – Mestre Sombra – Guarujá/SP

139.Rogério Soares Peixoto – Mestre Rogério – Belo Horizonte/MG

140.Romualdo Rosário da Costa – Mestre Moa do Katendê – Salvador/BA

141.Roque Mendes dos Santos – Mestre Roque – São João de Meriti/RJ

142.Rudney Ribeiro Carias – Mestre Noventa – Belo Horizonte/MG

143.Salvador Francisco Rodrigues – Alfaiate – Santana/BA

144.Salvador Pereira de Souza – Mestre Orlando – Itaberaba/BA

145.Sérgio Augusto Sacramento – Mestre Garrincha – Rio de Janeiro/RJ

146.Sinésio Souza Góes – Gato Góes – Santo Amaro/BA

147.Valdenor Silva dos Santos – Mestre Valdenor – Santo André/São Paulo

148.Vicente Braga Brasil – Mestre Pirrita – São Luis/MA

149.Vilmar da Cruz Brito – Vilmar – Rio de Janeiro/RJ

150.Vivaldo Rodrigues da Conceição – Mestre Boa Gente – Salvador/BA

151.Virgílio Maximiano Ferreira – Mestre Virgílio da Fazenda Grande – Salvador/BA

152.Waldir José da Costa – Mestre Sorriso – Rio de Janeiro/RJ

 

LISTA DE CANDIDATOS NÃO-HABILITADOS

1.Ananilson de Souza – Mestre Monsueto – Sombrio/SC

2.André Luiz Gonçalves – Mestre Moreno – Caconde/SP

3.Antônio Alves de Almeida – Mestre Gago – Feira de Santana/BA

4.Antônio Carlos de Jesus Amorim – Mestre Roque Rio – Feira de Santana/BA

5.Antônio Maria Cavaliere – Grão Mestre Toninho Cavaliere – Belo Horizonte/MG

6.Benedito Felix dos Anjos – Mestre Amigo – Cruz das Almas/BA

7.Derli da Silva Costa – Mestre Derli – Rio de Janeiro/RJ

8.Djamir Pinatti – Mestre Pinatti – São Paulo/SP

9.Eron Miguel Bezerra – Mestre Eron – Cuiabá/MT

10.Fátima Aparecida Colombiano – Mestra Cigana – Angra dos Reis/RJ

11.Gerson de Jesus Cruz – Mestre Keu – Feira de Santana/BA

12.Hélio Tabosa de Moraes – Mestre Tabosa – Brasília/DF

13.Isac Inácio da Silva – Mestre Angolinha – Belfort Roxo/RJ

14.Ivo Domingos de Arruda – Sombra – Cuiabá/MT

15.Jean Batista Cleber Teixeira Santos – Churrasco – Caxias do Sul/RS

16.João Jesus de Souza – Mestre João – Teixeira de Freitas/BA

17.José Eduardo Correa – Mestre Bareta – Guaxupé/MG

18.José Luiz Gonçalves Torres – Mestre Torres – Bicas/MG

19.José Nunes Filho – Mestre Mais Velho – Itaboraí/RJ

20.José Oliveira da Conceição – Mestre Oliveira – Camaçari/BA

21.Luiz Carlos Pinto da Silva – Sorriso – Teresópolis/RJ

22.Raimundo Dias – Salvador/BA

23.Sérgio Rogério Cesário Costa – Zumbi – São Paulo/SP

24.Sidecleyse Mota Costa – Paço do Lumiar/MA

Graduação da 1ª mestra Pernambucana de capoeira

A Federação Pernambucana de Capoeira tem a honra de CONVIDAR a você,  seus CAMARADAS e ALUNOS, para este importante e histórico momento da CAPOEIRA PERNAMBUCANA.

DONA ISA,  capoeirista desde os anos 80, representa um importantíssimo segmento de nossas tradições, O FEMININO. Precursora Feminina, fundadora do Grupo Malê, da ACAJAGUAR (que funcionou no quintal de sua casa por 17 anos), e da Federação Pernambucana de Capoeira. Árbitra Nacional e Estadual, Competidora Tri-Campeã Pernambucana – Categoria Monografia. Toca, canta e joga. Palestrante, Fundadora do Conselho Pernambucano de Capoeira em 04/01/2009, promotora de Batismos, Graduações e Competições, sendo em todos esses aspectos PIONEIRA PERNAMBUCANA, sem direcionamentos à Grupos, Associações ou Federações.

Merece nosso reconhecimento e incentivo.

 

DONA ISA MULATINHO

NOME DE BATISMO: OUBERÉM OBÁ (RAINHA)

 

LOCAL: CASCAVEL: Rua Maria Digna Gameiro, 237 – Candeias

DIA: 26/09/2010  (Domingo).

HORA: 08:00 às 12:00 horas.

Presença do BATUQUE DOS MESTRES.

 

Grato por sua presença.

Atenciosamente,

 

Mestre Mulatinho

Recife, 15 de setembro de 2010.

RankBrasil: Capoerista mais idosa em atividade

Fica a menção honrosa ao pessoal do RankingBrasil pela homologação do “recorde” conquistado por Maria Luiza Coelho da Silva, de 60 anos que segundo a entidade é a “Capoeirista Mais idosa do Brasil”. Porem acredito que existam muitas outras Capoeiristas em atividade que merecam esta homenagem…

Luciano Milani

 

O RankBrasil homologou o recorde conquistado por Maria Luiza Coelho da Silva, de 60 anos, ela é a “Capoeirista Mais idosa do Brasil”.

Maria Luiza é natural da cidade de Jacobina – BA, mas começou a praticar a capoeira na cidade de Rio Grande – RS com 53 anos de idade incentivada pela filha Cláudia que também praticava o esporte.

Dona Maria Luiza confessa que no começo encontrou um pouco de dificuldade, mas que todas foram superadas, e que hoje em termos de esporte a capoeira representa tudo pra ela, “é bom ter uma atividade física, principalmente quando a idade vem chegando, faz bem para todo o meu sistema, corpo, mente e saúde”.

Além de capoeirista Dona Maria Luiza faz dança do ventre, está terminando um cursinho pré-vestibular para química e pretende cursar educação física já que praticando a capoeira descobriu o amor pelos esportes.

Para a recordista entrar para o RankBrasil é poder deixar um legado para a capoeira e para todos os capoeiristas, e dedica seu feito também para os netos e bisnetos.

O Livro dos Recordes Brasileiros parabeniza a conquista de Dona Maria Luiza e deseja muitas felicidades e realizações em seus próximos objetivos.

 

Redação: Raquel Susin – http://www.rankbrasil.com.br/Recordes/

 

SIDMinC divulga lista de selecionados no Prêmio Culturas Populares 2009

O Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural (SID/MinC), publicou nesta quarta-feira, 3 de fevereiro, no Diário Oficial da União (Seção 3 págs. 10 a 13), o Edital de Resultados nº 2, de 02 de fevereiro de 2010, com a lista dos selecionados no Concurso Público Prêmio Culturas Populares 2009 – Edição Mestra Dona Isabel. O Prêmio, que tem investimentos de cerca de R$ 2 milhões do MinC, contemplará, nesta edição, 195 representantes das culturas populares brasileiras, entres mestres e representantes de grupos/comunidades informais e formais.

O Prêmio Culturas Populares 2009 homenageia a artesã ceramista do Vale do Jequitinhonha Dona Isabel Mendes da Cunha, e teve 2.833 iniciativas inscritas, 2.308 das quais foram habilitadas. As iniciativas vieram de todo o país, sendo assim distribuídas: 51% da região Nordeste, 30% do Sudeste, 8% do Sul, 7% do Norte e 4% do Centro-Oeste. Em relação à categoria, 1.159 projetos foram de mestres; 872 de integrantes de grupos/comunidades informais e 277 de integrantes de grupos/comunidades formais.

Os premiados foram escolhidos por uma Comissão de Seleção, composta por 32 membros e formada por artistas, pesquisadores, técnicos e/ou dirigentes do Sistema MinC, que esteve reunida  entre os dias 1º e 5 de dezembro, em Brasília. A Comissão avaliou, individualmente, todas as propostas apresentadas pelos candidatos habilitados no concurso, utilizando critérios de pontuação e avaliação de quesitos de acordo com cada categoria. Cada proposta foi avaliada por, no mínimo, dois membros da Comissão.

Os 195 prêmios, de R$ 10 mil cada, foram distribuídos entre 60 mestres e 135 integrantes de grupos/comunidades formais e informais. A Secretaria da Identidade e Diversidade Cultural concederá ainda um prêmio especial à Mestra Dona Isabel, homenageada nesta Edição do Prêmio Culturas Populares.  A lista dos premiados foi elaborada seguindo-se a ordem decrescente da nota final obtida pelo candidato em cada categoria. A nota final é resultante da soma da pontuação atribuída de acordo com o Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDH-M) do município no qual a atividade foi desenvolvida, e das notas obtidas na avaliação dos quesitos.

Entre os 1.113 mestres inscritos no Prêmio Culturas Populares 2009 – Edição Mestra Dona Isabel, Antônio Luiz de Matos, o Mestre Antônio, foi um dos premiados. Artesão da cidade mineira de Minas Novas, Mestre Antônio trabalha com a confecção artesanal de instrumentos musicais utilizados nas cerimônias de Congada e de Folia da região. Além de fabricar tambores, caixas, pandeiros, tamborins, reco-recos e xique-xiques, Mestre Antônio também realiza oficinas de artes e ofícios.

A Irmandade de Carimbó de São Benedito, do município de Santarém Novo, no Pará, foi um dos grupos premiados no concurso pelo trabalho cultural desenvolvido junto à comunidade local. O grupo participa todos os anos das Festividades de Carimbó de São Benedito, realizadas de 21 a 31 de dezembro, em Santarém Novo, e no mês de dezembro, do Fest Rimbó, do Encontro de Mestres de Carimbó e da Oficina de Saberes e Fazeres Carimbó.

Para conferir o edital com o resultado final, a lista dos habilitados e selecionados e o formulário de recursos clique aqui.

 

Comunicação SID/MinC

Telefone: (61) 2024-2379

E-mail: identidadecultural@cultura.gov.br

Acesse: www.cultura.gov.br/sid

Nosso Blog: blogs.cultura.gov.br/diversidade_cultural

Nosso Twitter: twitter.com/diversidademinc

Bahia: Lavagem de Santo Amaro reúne 50 mil pessoas e 300 baianas

Especial de Santo Amaro da Purificação: A lavagem da escadaria da igreja matriz foi feita por baianas

Ao som de É D’Oxum tocado pela charanga, o cortejo formado por mais de 300 baianas de todas as idades, em trajes típicos, partiu levando o estandarte em direção à escadaria da Igreja da Purificação. Até crianças de colo ingressam na fé dos festejos e envergam seus trajes africanos para participar da Lavagem de Santo Amaro (a 71 km de Salvador), que aconteceu neste domingo, 31 na cidade mais famosa do Recôncavo baiano.

Muitos dos que acompanhavam as filhas e filhos-de-santo no pequeno trajeto empunhavam lanças de flor de cana-de-açúcar. “Venho todos os anos, desde que me entendo por gente, pedir as bênçãos de minha mãe. É ela quem me vale nos momentos de aperto e enche minha vida de graças”, declara Valdelice Antunes, dona de casa, 52 anos.

Fugindo do calor e  empurra-empurra da concentração para a saída, muitas baianas esperaram o cortejo já na igreja, com seus cântaros de água de cheiro. Alguns pais e mães-de-santo desde cedo ofereciam seu axé, com banhos de folhas, milho e pipoca, na escadaria.

Também representando a forte cultura negra do Recôncavo baiano, se apresentaram grupos folclóricos de maculelê e rodas de capoeira. De acordo com a organização do evento, representantes de 40 terreiros de candomblé diferentes marcavam presença na festa.

Após breve discurso do prefeito da cidade, Ricardo Machado, do pedido de paz da baiana Nicinha do Samba e da lavagem do adro da igreja matriz, a charanga levou os participantes até a  Igreja do Nosso Senhor do Bonfim, onde as baianas fizeram as últimas oferendas.

Quem se encarregou de animar os foliões (estimados em 50 mil) na parte profana da festa foram as bandas Chita Fina, Tribahia, Banda Clã, Banda Cactus e On The Floor. A Timbalada e o grupo de pagode Saiddy Bamba comandaram o bloco Tô na Aba.

Nesta segunda-feira, 1º, quem faz show na cidade é: Odoiá, Namoro Novo e Frank e Alex. A festa segue até terça, 2, com Reizinho, Eduardo Alves, Seu Maxixe e Silvano Salles.

Este ano, a sambista Dona Edith do Prato, morta no ano passado, foi homenageada. Seu nome e rosto estampavam placas espalhadas pela cidade.

Dona Canô – Na porta de casa, dona Canô, 102 anos, sentada numa cadeira de rodas, aguardava. Ela que sempre esteve à frente dos festejos de Nossa Senhora da Purificação, este ano precisou se contentar em ser mera observadora da Lavagem de Santo Amaro.

Ao lado da filha Maria Bethânia, cercada de convidados, familiares e curiosos que se acotovelavam e tentavam fotografá-la, a matriarca da família Velloso só pôde ver a saída do cortejo das baianas e da charanga. Ainda que um pouco contrariada por não acompanhar a festa do jeito que gosta, dona Canô parecia animada.

Por conta de uma queda no início do mês, que lhe causou uma fissura no fêmur, pela primeira vez ela não participou das novenas iniciadas 26 de janeiro, nem da tradicional lavagem que acontecem todos os anos durante a Festa da Purificação de Santo Amaro. Diante da situação atípica, sua família montou uma espécie de camarote em frente à casa.

Fonte: A Tarde – http://www.atarde.com.br/

O Samba de Botequim de Pedrão

Pedro Abib, conhecido como Pedrão, é um compositor paulista de quase dois metros de altura que zanzou entre Campinas e São Paulo antes de se mudar para Salvador e fincar raízes por lá. Se o samba já fazia parte de sua vida há quase 20 anos, foi na Bahia que a música encontrou terreno fértil para crescer em forma de trabalho autoral e virar disco – o bom Samba de Botequim, que acaba de ser lançado de forma independente.

Gravado de maio a outubro de 2008, o CD apresenta o Grupo Botequim, fundado há três anos por Pedrão com o objetivo de pesquisar e divulgar a obra de sambistas baianos, como Batatinha, Edil Pacheco, Ederaldo Gentil e Riachão. “A indústria do axé music é muito forte e praticamente acabou com o samba na Bahia. Por isso, a importância do resgate”, diz Ênio Bernardes, ex-integrante do grupo Cupinzeiro e parceiro de Pedrão em Tem Que Se Cuidar, de longe a melhor faixa do álbum.
Apesar da proposta do grupo ser a valorização da cultura baiana e seus compositores, o disco não se limita à geografia local: Pedrão canta suas origens paulistas em Samba da Benção 2, interpretada por Regiane Pomares. Na faixa, feita com Edu de Maria, ele recusa a ideia de que São Paulo é o “túmulo do samba” e rebate a frase dita por Vinicius de Moraes: “Faço samba sim, poetinha/ e o batuque daqui ecoa, ecoa/ com a benção de todos os sambistas/ desta terra da garoa”.
Um dos pontos altos do CD é o encontro de Pedrão e Walmir Lima, sambista que fez relativo sucesso nos anos 70 e depois desapareceu. Ambos assinam e dividem a faixa Quebra-Mar, um partido-alto recheado de versos irreverentes e tocado sem a correria habitual, na cadência baiana: “A lua quando fica nova/ sinal que a maré tá vazante/ a onda na reviravolta/ carrega o siri arrogante”.
Outro representante da velha guarda a participar do disco é Edil Pacheco, em Tenda de Babalaô: “Cheguei então sorrateiro/ Na Baixa do Sapateiro/ No Largo de São Miguel/ Ao som do cavaco e pandeiro/ Ergui as mãos ao céu”. Em Casa de Dona Cabocla, que reproduz o clima de um tradicional reduto boêmio na Bahia, diz a letra: “Me serviram cambuí/ depois um gengibre que veio gelado/ Dona Cabocla abriu a cerveja/ e Rosenilda me trouxe um traçado”.
Apenas duas faixas destoam do conjunto da obra: Meu Lugar e Ceci trazem melodias repetitivas e até mesmo enfadonhas. No geral, porém, Samba de Botequim preserva e respeita o melhor da tradição do gênero, seja nos arranjos, seja na formação instrumental (“cozinha” composta por pandeiro de couro, tamborim, surdo e repique de anel). O título do álbum não é aleatório: gravado num clima informal, o repertório é a trilha sonora perfeita para a mesa do bar.

Fonte: Bruno Ribeiro – http://botequimdobruno.blogspot.com

Pedro Abib é colunista do Portal Capoeira, responsável pela rúbrica Crônicas da Capoeiragem

Aconteceu: Caetano e Dona Canô vão a festa de comemoração à abolição dos escravos

Acompanhado Dona Canô e Clara Veloso, Caetano Veloso participou nesta quarta, 13, da Bembé do Mercado, festa de comemoração à abolição da escravatura, em Santo Amaro da Purificação, Bahia.

O evento acontece há 120 anos e conta com várias manifestações tradicionais, como o Maculelê, a Capoeira e o Samba de Roda.

Fonte: http://ego.globo.com/