Blog

estará

Vendo Artigos etiquetados em: estará

Rio de Janeiro: Lançamento de Livro e Mesa Redonda

LANÇAMENTO DO LIVRO * O IMAGINÁRIO CANTADO NAS RODAS DE CAPOEIRA *  AUTOR JORGE FELIPE COLUMÁ (MESTRE COLUMÁ) DIA 29 DE OUTUBRO ÁS 14:00 HS NA LOJA DE CAPOEIRA LAPA RIO – CENTRO – RIO DE JANEIRO.

MAIORES INFORMAÇÕES: (21) 7822.5167  RADIO  23* 25688


NO DIA 29 DE OUTUBRO ÁS 19:30 HS NA UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA A CONFRARIA CARIOCA ESTARÁ REALIZANDO UMA MESA REDONDA SOBRE O TEMA *QUAL A CAPOEIRA QUE O RIO DE JANEIRO JOGA*

INFORMAÇÕES: (21) 9190.3234

CONTAMOS COM A PRESENÇA DOS AMIGOS PARA O ENGRANDECIMENTO DA NOSSA ARTE-LUTA.

SAUDAÇÕES CAPOEIRISTAS

MESTRE BURGUÊS

 


Évora – PT: Nosso Reencontro

Caro capoeira, mestre, contramestre ou professor,

se aproxima a data do nosso reencontro de Évora. Será nos dias 13, 14, 15 e 16 de Setembro e a ideia é fazer dessa data, um momento dedicado à capoeiragem que une, de forma não tendenciosa, as diferentes correntes existentes na arte da Capoeira.

Esse ano, teremos a presença do jornalista e escritor Mano Lima que estará, junto com o professor Luciano Milani, fazendo a cobertura jornalística do evento e lançando seu mais novo livro “Eu, Você e a Capoeira”. O Jornalista Mano Lima é o idealizador e escritor do Dicionário da Capoeira, já em segunda edição.

O mestre Ousado também estará presente lançando o livro que fala da sua trajetória na capoeira. O mestre Ousado, hoje, vive e trabalha em Singapura.

Teremos a participação de muitos capoeiristas do Leste Europeu, Europa Central, além dos já habituais participantes vindos de países mais próximos a Portugal. Contaremos também com uma delegação do Brasil dos Estados de São Paulo, Goiás e da nossa capital Brasília.

De Portugal, esperamos receber um número significativo que já abraça e encara o Nosso Encontro, como um evento feito por e para todos nós, sem a defesa de nenhuma estampa que simboliza alguma entidade.

Estamos reunindo esforços para termos, também, uma representação cabo-verdiana e angolana no nosso Reencontro.

Temos a confirmação, pra esse ano, de dois representantes asiáticos vindos de Singapura e de Macau. Isso será muito importante na medida em que teremos, unidos pela capoeira, representantes das Américas (Brasil e Canadá), Africa (Angola e Cabo Verde), Europa e Ásia.

Peço a você que realize a divulgação junto aos seus alunos e demais conhecidos capoeiristas, informando-lhes o endereço de inscrição online que dou à seguir: www.nossoreencontro.portalcapoeira.com


Com um abraço amigo, me despeço e fico na expectativa do nosso reencontro.
Umoi Souza

Capoeira: Esporte Olímpico ???

A capoeira como sabemos, não pode ser interpretada de forma simplista e reducionista. Dentre as suas várias possibilidades, ela pode ser caracterizada como jogo, luta, brincadeira, dança, arte, cultura, filosofia, educação. Alguns a consideram também como esporte. A riqueza de referências contidas na capoeira, permite essa diversidade de interpretações.

Gostaria de tecer aqui, algumas considerações sobre a caracterização da capoeira como esporte. Antes de mais nada, é preciso também esclarecer que o fenômeno “esporte” também possui vários sentidos e possibilidades de interpretação. O esporte tanto pode ser visto como atividade voltada para o lazer, visando a busca pela saúde e a educação das pessoas, o desenvolvimento da cooperação e da sociabilidade daqueles que o praticam, como também pode ser visto como uma prática altamente competitiva, excludente, discriminatória (pois só os mais fortes e habilidosos tem vez) em busca da vitória “a qualquer custo”, ou seja, mais um produto dessa nossa cruel sociedade capitalista.

Pois é, aqueles que defendem a capoeira como esporte, têm que deixar claro a que tipo de concepção de esporte estão se referindo. Se for a uma concepção de esporte que busque a integração, o prazer, a inclusão, a socialização das pessoas, aí então posso concordar com essa visão. Mas do contrário, sou muito crítico àquela visão que associa a capoeira ao esporte competitivo, onde campeonatos são organizados para se eleger o melhor, o mais forte, o mais habilidoso, o mais acrobático, onde juízes e regras vão transformando a alegria e espontaneidade de um jogo de capoeira, num clima tenso e pesado onde é travada uma batalha feroz e muitas vezes violenta.

A capoeira não pode ser reduzida a isso !  Gosto de ver um jogo de capoeira onde as pessoas sorriem e se divertem jogando. Onde há espaço para uma brincadeira marota, uma dissimulação, uma mandinga, uma “gaiatice” como se diz aqui na Bahia. Me pergunto como isso seria julgado por um juiz num desses campeonatos ? Quantos pontos valeria uma mandinga ou uma gaiatice de um capoeira malandro ? Por que um jogo de capoeira tem que ter um perdedor e um ganhador ?  Quem vai estabelecer os critérios do que é bom e o que é ruim num jogo de capoeira, para se definir a pontuação ?  É possível alguém definir isso em se tratando de uma prática tão complexa, rica e diversa como a capoeira ???

Nessa direção, muito me preocupa um certo movimento de querer transformar a capoeira em esporte olímpico. Aí seria, na minha opinião, a sentença de morte para a capoeira enquanto livre expressão do povo brasileiro. A capoeira tem beleza e valor, justamente por possuir essa diversidade, essa espontaneidade, essa alegria. No momento em que enclausurarmos a capoeira dentro de regras internacionais rígidas e competitivas – pois é isso que se exige de um esporte olímpico – a capoeira estará sendo destituída de seus elementos mais ricos, mais belos, estará perdendo a sua alma !!! Se o saudoso mestre Pastinha por aqui estivesse, certamente iria bradar contra isso.

Certo dia desses, fui convidado a um evento de capoeira onde, entre outras atividades, houve um campeonato. Fiquei observando de longe as reações, o clima de tensão, os semblantes fechados, as adversidades e as animosidades que aquilo tudo produzia nas pessoas que participavam do tal campeonato. Mas tive certeza mesmo dos malefícios que aquilo trazia, quando presenciei o choro inconsolável de uma menina de 10 anos, que perdera a final para uma outra menina um pouco mais velha. O jogo bonito que ela apresentou não lhe serviu de nada. A garota mais velha, para os juízes, foi mais “agressiva”. A medalha foi para ela !!!

É nisso que queremos que a nossa capoeira se transforme ????

Lançamento: Mestre Gigante – O Canto do Berimbauman

No dia 19, uma terça-feira, Mestre Gigante estará lançando novo CD: O Canto do Berimbauman, na Casa da Mandinga, em Salvador.

O trabalho intitulado O Canto do Berimbauman, foi produzido com apoio do Projeto Capoeira Viva, que tem o objetivo de fomentar políticas públicas para a valorização e a promoção da Capoeira como bem constituinte do patrimônio cultural brasileiro.

A cerimônia de lançamento está marcada para as 10h e será seguida de feijoada e roda de capoeira.

A Casa da Mandinga fica na Rua Comendador José Alves Ferreira, 160, Garcia.

 

O CD de Mestre Gigante estará a venda no local a R$ 20,00

Dia da Mulher será comemorado com festival de capoeira

Capoeiristas de Goiás, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul vão realizar neste 8 de março,  Dia Internacional da Mulher, a 6ª edição do Festival de Capoeira.

A programação conta com o apoio da Agência Goiana de Esporte e Lazer e será dividida entre o ginásio Rio Vermelho e Feira Hippie. No Rio Vermelho uma equipe de cabeleireiros e maquiadores estará à disposição das atletas, com tudo de graça. Mestre Pena Negra, presidente da Federação Goiana lembra que é esperada a participação de 150 atletas.

Mais informações: (62) 3201-6068.

Aconteceu: 1ª Roda de Estudos: Os Processos de Institucionalização da Capoeira

Universidade Federal do Paraná (UFPR): A Capoeira que ajuda a formar cidadãos

1ª. Roda de Estudos: Os Processos de Institucionalização da Capoeira, evento teve entrada franca, do Departamento de Antropologia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), com a presença de Mestres da Velha Guarda da Capoeira do Paraná e convidados de Brasília, Santa Catarina, Rio de Janeiro e Recife. O encontro faz parte da programação de 15 anos do Grupo Força da Capoeira, cuja cerimônia de troca de cordas será no sábado. Mestre Kinkas, fundador do Grupo, participa da primeira mesa, sobre história da luta brasileira. Junto, estará seu Mestre, o engenheiro Mario Ricardo Furtado, o Birilo, de Recife. Ele conta que em um dos berços da capoeira um problema é o crescimento desordenado, o que gera distorções. As pessoas não se deram conta, diz, de que o tombamento cultural foi “do saber do mestre e da roda”. “Valoriza o Mestre. É importante ressaltar isso porque tem muita gente que acha que já aprendeu tudo e não precisa mais deles”, observa, acrescentando uma alfinetada. “O tombamento como patrimônio cultural imaterial brasileiro se deu por força da Bahia, que já tinha feito isso antes, então ficou chato”.

Para ele, a globalização chegou na capoeira e trouxe um lado ruim, que é a perdas se perde a “gíria de cada local”. “Tem gente que se filia a um grupo que não é de sua cidade e nem conhece seu mestre”, comenta, indo contra, ainda, da unificação da graduação, que provocaria mais perda de personalidade. Questões, aponta, relacionadas a (falta de) Educação em geral. “Estava comprando sombrinha de frevo pra trazer e ninguém sabia, em Recife, que o frevo nasceu da capoeira”, indigna-se ele, que tem 30 anos de capoeiragem e é Mestre desde 85.A Capoeira que ajuda a formar cidadãos

Na mesa da 14h, estará o primeiro mestre formado pelo Força, José Edélzio, o Xangô, do Jogar Capoeira, de Niterói. O tema, A Capoeira nas Escolas e Universidades, é assunto que ele entende. A mestra Portuguesa, sua parceira, criou há 15 anos um método de educação infantil com capoeira para crianças a partir de 1 ano. A estratégia é: atividades lúdicas. “Brincadeiras com objetivo, que dão limites, noções de respeito, tudo com música”, explica. O olhar garante a fidelidade dos pequenos e abriu caminhos profissionais para o grupo, que está em 30 escolas.O envolvimento com o grupo acaba sendo natural porque os pais notam os resultados e levam as crianças para os eventos do Jogar.

Em várias escolas também, a capoeira do Jogar virou currícular. Nesta mesa estará também o catarinense Jose Luiz C. Falcão, da Universidade Federal de Santa Catarina. Entre os dados que traz está a informação de que 25 universidades brasileiras têm capoeira no currículo. “Não tem muita visibilidade, mas estão se desenvolvendo. E desde os anos 80 foram 83 dissertações e teses. A perspectiva da capoeira de trabalhar o ser de forma mais lúdica e integrada, de certa forma, questiona a formalidade exagerada de algumas instituições”, comenta, confirmando que “o conhecimento do mestre tradional está sendo preservado”. “Porém toda manifestação passa por resignificações e é impossível em sala de aula reproduzir o ambiente cultural de uma roda; são traduções”.

Só na grande Florianópolis, um levantamento apontou 32 grupos. “Que se articulam em entidades como a Confraria Catarinense da Capoeira, que trabalha com o resgate do saber popular, da cultura dos mestres, e de maneira bastante descontraída e informal”, diz. Quando ele veio de Brasília estava sensibilizado com a dificuldade de juntar forças e investiu nisso. “Farei um panorama histórico da escolarização, desde o começo do século retrasado, até a consolidação no século 20”, adianta Mestre Falcão.

Serviço
1ª Roda de Estudos. Dias 5 e 6 às 9h. Entrada franca. Anfiteatro 100 – Reitoria (R. Gal. Carneiro, 460).
Batizados: Hoje: 19h: Escola Rio Negro ( Sítio Cercado).
Dia 06: 15h – Grupo Força , com apresentações de coco, maculelê e frevo. Memorial de Curitiba (Largo da Ordem).
Ingresso: R$ 2( 1kg de alimento que será doado para as vítimas da enchentes em Santa Catarina)

Portal Inaugura nova Editoria – Pedagogia

 

Pensando em unir experiências, estudos e conhecimentos referentes ao ensino da capoeiragem, o Portal Capoeira inaugura uma nova seção de serviços para registrar dicas, projetos, planos de aula e de ensino, movimentos, jogos e aulas adaptadas, brincadeiras e ludicidade, modelos de metodologias, musicalidades e afins.

Esta iniciativa tem como objetivo multiplicar e socializar as informações para contribuir na qualidade das aulas que um educador leva ao seu aluno. Este espaço estará aberto para o registro de pedagogias de ensino assim como abordagens e procedimentos utilizados durante o processo.

Venha somar com sua contribuição, certamente ele ajudará no processo de legitimação de nossa arte capoeira dentro da pedagogia e da educação!

 

Serviço:

Seção PEDAGOGIA – Visite, leia, participe!!!

* Para enviar sua contribuição para esta ou qualquer seção do Portal Capoeira basta entrar em contato através do e-mail: [email protected]

Campo Mourão: Encontro Interno de Capoeira

O grupo de capoeira Maculelê, de Campo Mourão estará realizando hoje o 2º Encontro Interno de Capoeira, na praça central da cidade. O evento terá início às 16 horas e vai reunir cerca de 100 capoeiristas de toda a região, além de mestres renomados na modalidade. Entre os mestres presentes estará Valmir Fernandes de Lima, o mestre "Azulão", de Foz do Iguaçu.
Ele já chegou na quinta-feira em Campo Mourão para fazer uma espécie de atualização da capoeira. "Estou sempre visitando as cidades de todo o País, para fazer uma atualização e um resgate dos movimentos mais antigos da capoeira para aquelas pessoas que estão pegando corda (iniciando na modalidade)", diz o mestre Azulão.
 
Mestre Azulão está de viagem agendada para os Estados Unidos, onde vai ministrar cursos e divulgar as novidades do grupo Maculelê. "A mensagem que deixo é que as pessoas tenham um pouco mais de consciência quando fizerem o batizado. Pensem mais no futuro da capoeira e tenham humildade. Sempre digo que com humildade, malícia e razão, a gente entra e sai em todos os locais do mundo", completa.
 
O capoeirista mourãoense Ronaldo Aparecido Ramos, um dos organizadores do evento em Campo Mourão disse espera a participação também de pessoas que ainda não conheceram a capoeira. "Deixo o convite a todos, inclusive para aquelas pessoas que já fizeram capoeira mas que por um motivo de força maior tiveram que desistir. Esse encontro tem por objetivo também divulgar capoeira, pois muitas pessoas nem sabem que existe essa modalidade em Campo Mourão", finaliza. O evento marcará a troca de corda de alguns capoeiristas e o batismo de outros.
 
http://www.tribunadointerior.com.br

I Ciclo de Palestras do Forte da Capoeira

O Forte da Capoeira estará realizando um ciclo de palestras com diversos Ícones e assumidades da capoeira, uma ótima oportunidade para quem tiver interesse em aumentar sua bagagem capoeirística e estar frente a frente com grandes nomes da capoeiragem.
As palestras irão abordar diversos assuntos relevantes no contexto da capoeira e irão acontecer em um espaço mágico da Bahia, a ABCA – Associação Brasileira de Capoeira Angola,  casa de tradição no Pelourinho, Salvador.
 
Luciano MIlani
Nos dias 23 a 27/10/2006 o Forte da Capoeira estará realizando seu I CICLO DE PALESTRAS.
 
Inscrições gratuítas e vagas limitadas.
 
Inscreva-se pelo tel: 71 3321-7587 ou pelo e-mail: [email protected]
 
(envie seu nome, RG e telefone para contato).
 
Programação:
 
Período: 23 a 27/10/2006
Local: ABCA – Associação Brasileira de Capoeira Angola
Rua Gregório de Matos, nº38 – Pelourinho
 
23/10 (segunda – feira)
14:00h – Forte da Capoeira: Perspectivas de Educação, Cultura e Cidadania no Universo da Capoeira.
Palestrante: José Augusto de Azevedo Leal – Superintendente do Forte da Capoeira
 
24/10 (terça – feira)
14:00h – Influências da Religiosidade Africana na Capoeira.
Palestrante: Dr. Ângelo Augusto Decânio – Mestre Decânio
 
16:00h – Preservação do Patrimônio Histórico e Artístico-Cultural.
Palestrante: Claudia Trindade
 
25/10 (quarta – feira)
14:00h – A Saga do Mestre Pastinha.
Palestrantes: Mestre Gildo Alfinete e Mestre Bola Sete
 
16:00h – A Herança de Mestre Bimba – Panorama da Capoeira Regional no Brasil e no Mundo..
Palestrante: Mestre Itapoan
 
26/10 (quinta – feira)
14:00h – A Importância do Estudo e da Pesquisa para a preservação da Capoeira.
Palestrante: Prof. Dr. Pedro Abib
 
16:00h – A Capoeira como Instrumento de Combate à Violência e a Intolerância. Experiência na Comunidade do Vale das Pedrinhas.
Palestrante: Mestre Boa Gente
 
27/10 (sexta – feira)
14:00h – A Recriação do Centro de Cultura Física Regional.
Palestrantes: Manoel Nascimento Machado – Mestre Nenel e a Turma de Bimba
 
16:00h – Projeto Quilombo N’Ganga – Ilha de Maré.
Palestrante: Omo Ogum Keji Asipá – Mestre Moraes
 
Forte da Capoeira

OIA Capoeira participa de Ação Social

Dia 12 último a OIA Capoeira e parte de seus alunos apresentaram-se na Ação Social, promovida pela ONG Parceiros Voluntários. O evento contou com várias atividades educativas, recreativas e voltadas para a saúde, a exemplo de várias oficinas para adultos e crianças, medição de pressão arterial e distribuição de lanches confeccionados pelas voluntárias, entre elas a gourmet Adeir Coutinho. A coordenadora da Parceiros Voluntários, Amalis Marques, programou juntamente com vários voluntários, inúmeras atividades voltadas para a comunidade que reside próxima ao Camping Minicipal do Cassino. "Várias famílias foram cadastradas entretanto um número bem pequeno de pessoas teve a sensibilidade para perceber que o evento havia sido organizado com muito carinho e trabalho, para oferecer o melhor aquela comunidade. Esperamos que as próximas comunidades a serem comtempladas com a Ação Social saibam aproveitar tudo de bom que lhes será oferecido", avaliou a titular da OIA, Annelise Enke.. 


Academia de Capoeira

 
A partir desta semana , a Academia de Capoeira Annelise Enke estará oferecendo aulas de dança com o professor Marquinhos, do Swing Black Moleke, com os mais variados ritmos. Estas aulas se estenderão por todo ano. Já as aulas de boxe com o pugilista Clainton Trassante, permanecem com turmas masculinas e femininas.  No domingo, em comemoração ao aniversário da cidade, aconteceram a Rústica, Maratoninha e Supermaratona Cidade de Rio Grande. A OIA Capoeira mais uma vez esteve junto apoiando o evento. No mês de março a OIA Capoeira estará recebendo de seus novos patrocinadores, FONINI Estética Canina e Difference Israel Cabelereiros, mais duzentas camisetas que serão vendidas e doadas a parte dos alunos da OIA. 

 
http://www.jornalagora.com.br/2402esporte3.html