Blog

falc

Vendo Artigos etiquetados em: falc

V Fórum Alagoano de Capoeira

Acontece hoje (05.11) às 19h, a solenidade de abertura do V Fórum Alagoano de Capoeira, no auditório do Espaço Cultural da Universidade Federal de Alagoas localizado em frente à Praça Sinimbu em Maceió-AL. A atividade é promovida pela Federação Alagoana de Capoeira (FALC) e conta com o apoio do Núcleo Zero, Secretaria Estadual de Cultura (Secult), Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semel) e da Secretaria Estadual de Educação e Esporte. O tema central deste ano discutirá “Capoeira, Cultura e Esporte Olímpico” e as atividades serão desenvolvidas na capital alagoana e no município de União dos Palmares.

Para iniciar as discussões, terá a mesa de honra seguida de uma conferência sobre “A capoeira como prática esportiva – Olimpíadas no Brasil” ministrada pelo professor Higino José dos Santos, que é Especialista em Fundamentos Sócio Culturais da Educação Física, Esporte e Lazer. A atividade é aberta ao público e logo depois será servido um coquetel para os presentes.

Neste fim de semana, as palestras continuam no Colégio Theonilo Gama no bairro do Jacintinho, das 8h às 17h, com um curso de formação de árbitro oficial, além de explanações sobre condicionamento físico e o esporte, alimentação do atleta e alongamentos. Estarão presentes o Mestre Papuá, Presidente da Federação Sergipana de Capoeira e Árbitro Nacional da Confederação Brasileira de Capoeira (CBC); os árbitros nacionais da CBC, Mestre Elias e Mestre Antonio Paulo (Morcego); e o Contra-Mestre Márcio Rodrigues, Coordenador do Projeto Capoeira na Escola em Santos (SP).

Nos dias 14 e 15, terá a segunda etapa do Fórum, no auditório da Prefeitura de União dos Palmares, com as palestras sobre condicionamento físico e o esporte, alimentação do atleta e alongamentos, e no Espaço Cultural Acotirene terá uma oficina e simulação técnica de Campeonato de Capoeira. O evento é destinado para mestres de capoeira, contra-mestres, capoeiristas de vários grupos, acadêmicos de Educação Física e representantes de outras entidades do movimento social negro de Alagoas. Para participar de todo o Fórum, podem se inscrever no local: R$20 para membros filiados e R$40 para demais interessados.

 

FALC

De acordo com o Presidente da FALC e contra-mestre de capoeira, Marco Antonio Santos (Marco Baiano), o evento integra a programação celebrativa do mês da consciência negra, serve para exaltar a importância da capoeira e promover o intercâmbio entre os grupos oriundos de várias partes do Estado. Atualmente a instituição encontra-se com a gestão “Uma luta com responsabilidade” (2008-2012) e conta com 35 grupos filiados. Tem promovido várias atividades de formação para os capoeiristas e promovendo todo o primeiro e terceiro sábado de cada mês, rodas de capoeira no Memorial da República no bairro do Jaraguá em Maceió.

A capoeira une música, dança e luta. Foi intitulada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) em julho de 2009, como Patrimônio Cultural do Brasil. Praticada em mais de 150 países, trata-se de um segmento afro que congrega indivíduos das mais diversas faixas etárias, condições financeiras, ideológicas, religiosas e políticas.

 

SERVIÇO

O que? Abertura do V Fórum Alagoano de Capoeira

Onde: Auditório do Espaço Cultural, Praça Sinimbu – Centro – Maceió/AL

Horário: 19h

Aberto ao público!

Mais informações: (82) 9302-3272 (Marco Baiano) / 9381-7765 (Leto) / 8858-6771 (Denis)

http://federacaoalagoanadecapoeira.blogspot.com

 

Por: Helciane Angélica

Jornalista e integrante da COJIRA-AL

Nota de Falecimento: Mestrando Provolone

 

A Federação Alagoana de Capoeira – FALC – Vem por meio desta, informar o Falecimento de Jorge Lourenço dos Santos, 32 anos- Mestrando Provolone – Da Associação de Capoeira Guerreiros de Aruanda, residente na cidade de Luziápolis – Alagoas.

 

O falecimento ocorreu após acidente de moto na cidade de Luziápolis – Alagoas.

 

 

O Mestrando Provolone iniciou a prática da Capoeira em 1996 com o Mestre Metralha em Santa Barbara do Oeste – São Paulo. Em Alagoas, começou a ensinar capoeira em 2002 na cidade de seu nascimento, dividindo a responsabilidade do grupo, aqui em Alagoas, com o Contra-Mestre Ceará e Instrutor Alemão.

 

 

Aos seus familiares, alunos, professores e Mestre da Associação Guerreiros de Aruanda o nosso pesar e profundos sentimentos.

 

A Capoeira de Alagoas perde um excelente capoeirista, ser humano e cidadão.

 

 

Marco Baiano

Presidente da Federação Alagoana de Capoeira – FALC

FALC derruba edital que excluiu capoeira de processo seletivo

FALC E FENAL derrubam edital da SEE – CORAC/AL que excluiu a capoeira do processo seletivo para agentes culturais.

Caros camaradas,

Nos últimos quatro dias, a Federação Alagoana de Capoeira (FALC) e representantes do Fórum de Entidades Negras de Alagoas (FENAL) travaram uma luta histórica junto a uma das instâncias do poder institucional do Estado de Alagoas.

Através do edital 03/2008, da Secretária Estadual da Educação e do Esporte, fomos surpreendidos com a abertura de concurso público para agentes culturais da Coordenadoria de Ação Cultural (CORAC), do qual a capoeira foi excluída das atividades realizadas por esta coordenadoria.

Nos últimos sete anos, a pratica da capoeira vem sendo ensinada em escolas públicas alagoanas, através de contrato verbal com a CORAC. O mesmo acontece com a música, o teatro, balé, folguedos populares, artes plásticas, cinema, maestro de bandas. Neste tempo, a capoeira revelou-se peça fundamental na inclusão da cultura afro-brasileira nas escolas.

Diante de tal situação que caracterizou a exclusão por questões étnico-racial e descumprimento às Leis 10.639 e 6.814 a FALC com apoio do FENAL articulou as seguintes ações:

* Formação de comissão para contato direto e urgente com a CORAC e com a Secretaria de Educação do Estado de Alagoas. Os contatos foram feitos com Suely Cavalcante, diretora da CORAC e com Márcia Valéria Lima Santana, Secretária Estadual da Educação.

* Elaboração de carta e encaminhamento para a secretaria Márcia Valéria Lima Santana, solicitando a anulação ou aditamento do edital n° 03/2008, no intuito de incluir a capoeira no processo seletivo desta coordenadoria.

* Solicitação de estudo e viabilidade junto ao advogado da FALC e do advogado Betinho, para impetrar Mandato de Segurança no sentido de impedir a realização do processo seletivo;

* Contato com a Gerência de Educação Étnico-Racial – Arísia Barros, para solicitar a participação na reunião com a diretoria do CORAC;

* Reunião com a diretora do CORAC, exposição dos fatos, solicitação de cumprimento às leis, requerimento de inclusão da capoeira neste processo seletivo como ação inegociável, visão da capoeira dentro do processo de inclusão social, e disseminadora da cultura afro-brasileira no Brasil e no mundo.

Como resultado da nossa articulação e comprometimento pela igualdade de direitos e ocupação de espaços pela cultura afro-descendente tivemos:

* Reconhecimento que a capoeira, na sua prática e seu contexto histórico-social, muito tem contribuído no auxílio da educação dentro das premissas da CORAC;

* Entendimento da Secretaria do equivoco cometido na elaboração do edital;

* Comprometimento em abertura de vagas, neste processo seletivo, para capoeira com as mesmas cargas horárias dos últimos trabalhos;

* Correção do edital e republicação incluindo as vagas para agentes culturais de capoeira e ampliação do prazo de inscrição;

* Documento de compromisso do cumprimento das ações definidas junto à comissão formada pela FALC e a Gerência de Educação Étnico-Racial.

Esta é uma conquista histórica que representa, por uma lado, a força dos seguimentos afro-brasileiros quando unidos e conhecedor dos seus direitos, por outro lado, que os poderes institucionais tendem, se solicitado, a atender as nossas reivindicações pautadas nas leis e necessidades socias.

Mostrou também que, com urgência, se faz necessário a buscar constante da aplicação das Leis 10.9639 e 6.8114. E isto depende muito de nós, seguimentos do FENAL no sentido de buscar soluções e caminhos para que isto aconteça. Uma oportunidade está na capoeira como forma de ensinar a história e cultura Afro-Brasileira nas escolas, mas muitas outras deverão participar.

Como capoeiristas afirmamos a posição desta arte, movimento de luta legitima, rico no seu contexto histórico-social.

Quem é afro-descendente, quem é capoeirista, quem se identifica com a causa do nosso herói nacional – ZUMBI DOS PALMARES – Acredita e não abre mão da crença que: quando em situações adversas, não pudermos dar um passo à frente, é questão de vida, não darmos um passo atrás. Resistir sempre.

Agradeço a todos que direta ou indiretamente participaram desta conquista.

Comissão:

* Contra-Mestre Marco Baiano, Mestre Dumel, Professor Denis, Contra-mestre Leto, Professor Marcão, Professor Devagar, Prof. Arísia Barros –(Gerência de Educação Étnico-Racial), Dr. Reginaldo Gomes, Dr Alberto (Betinho)

Um grande abraço a todos.

Marco Baiano.

PRESIDENTE DA FALC