Blog

famosos

Vendo Artigos etiquetados em: famosos

Lançamento 2ª edição do livro “Mestres e capoeiras famosos da Bahia” – Pedro Abib

Mestres e capoeiras famosos da Bahia (2ª edição), de Pedro Abib, no Lançamento Coletivo EDUFBA – Abril de 2013

Realizado através de pesquisa coordenada por Pedro Abib, Mestres e capoeiras famosos da Bahia é um dos livros que compõe a programação do Lançamento Coletivo EDUFBA – Abril de 2013. Dando continuidade às comemorações dos 20 anos da Editora, o lançamento coletivo deste mês acontecerá no auditório da Faculdade de Comunicação (FACOM-UFBA), das 17h30 às 20h30, no dia 02 de abril. Além de sessão de autógrafos, o evento contará com uma mesa-redonda, na qual autores e organizadores poderão interagir com o público. O acesso é gratuito.

“Sem a lembrança dos antepassados (serão ancestrais?), a capoeira não tem (en)canto”, afirma Frederico José de Abreu no prefácio da obra, e tal lembrança é a principal característica do livro. Ao longo de seus capítulos, são trazidos diversos nomes de importantes mestres para a história da capoeira baiana, como Besouro, Bimba, Pastinha, Bobó, Ferrerinha de Santo Amaro, entre outros.

O livro é resultado das pesquisas realizadas pelo Grupo MEL – Mídia, Memória, Educação e Lazer da Faculdade de Educação da UFBA. Atualmente, Pedro Abib é coordenador do Grupo GRIÔ: Culturas Populares, Diásporas Africanas e Educação, da Faculdade de Educação da UFBA

 

Serviço

O quê: Lançamento Coletivo EDUFBA – Abril de 2013

Quando: 02 de abril, terça-feira, das 17h30 às 20h30

Onde: Auditório da Faculdade de Comunicação – UFBA (Campus Ondina, Rua Barão de Jeremoabo, s/n, Ondina – Salvador, Bahia)

Quanto: entrada gratuita

 

Informações adicionais sobre o livro

ISBN: 978-85-232-0562-1

Ano: 2013

Área: Artes cênicas e recreativas; esportes

Número de páginas: 188 p.

Formato: 17 x 24 cm

Preço de lançamento: R$ 30,00

 

Daniele Marques
Assessoria de Comunicação
Editora da Universidade Federal da Bahia

Rodrigo Simas conta como a capoeira o ajuda a dançar

Rodrigo Simas no Fashion Rio Verão 2013

Com samba no pé e sua experiência com a capoeira, Rodrigo Simas supera um pequeno ferimento dos treinos para a Dança dos Famosos e se prepara para mostrar que é pé de valsa neste domingo, 27

Filho de capoeirista e em contato com a luta desde muito pequeno, o ator Rodrigo Simas (20) tem utilizado suas habilidades marciais para aprender melhor os passos de suas apresentações da Dança dos Famosos, quadro do programa Domingão do Faustão do qual participa – e o que não falta é animação para dançar bem em seus números.

Estou ansioso para amanhã. Gosto de dança, mas não tinha experiência. O que tenho é samba no pé, adoro carnaval. E a capoeira dá flexibilidade, noção corporal”, afirmou durante passagem pelo Fashion Rio / Verão 2013 na noite deste sábado, 26, na cidade maravilhosa.

Depois de um pequeno acidente durante os treinamentos para sua apresentação na Dança dos Famosos, Rodrigo Simas se considera preparado. “Machuquei o joelho esquerdo, mas foi só uma raladinha, faz parte ficar roxo. Não desistiria da competição por causa disso. Todo mundo entra pra ganhar, mas os outros também são bons e ainda estou ensaiando, então não quero falar muito”, fez mistério.

Fonte: http://caras.uol.com.br

Cobrinha Verde: o discípulo de Besouro

Muito se diz sobre Besouro Mangangá. Muitas histórias, feitos, crendices. Pouco se sabe sobre sua vida de capoeirista, se procurava transmitir seus conhecimentos na capoeiragem, se tinha alunos. Muitos mestres antigos reivindicam inclusive parentesco com Besouro. Porém, do que se tem conhecimento, somente um reivindica ter sido seu aluno. Estamos falando do famoso Cobrinha Verde.

 

Em Santo Amaro, onde nasceu e cresceu, muitas outras pessoas o ensinaram capoeira, entre eles também os famosos Espinho Remoso, Canário Pardo e Siri de Mangue, mas segundo ele, foi com Besouro que aprendeu o principal. Nascido Rafael Alves França, Cobrinha Verde recebeu esse apelido de Besouro pela sua agilidade e destreza com as pernas, que era tanta que, em certa feita, ele enfrentou sozinho oito policiais com um facão de 18 polegadas, segundo conta o próprio.

 

Cobrinha Verde sai de Santo Amaro e ganha o mundo, mudando de cidade em cidade, procurando pouso em casas de parentes e em bandos de cangaceiros do sertão, como o de Horácio de Matos. Muitas aventuras, muitas cidades e amores até voltar para a Bahia

 

E, como todo mundo sabe, capoeira é boa pra se defender, mas não livra ninguém de bala, nem de morte, por isso fortalecer suas defesas com fé e orações foi o caminho escolhido por Cobrinha Verde. Conta Cobrinha que ele possuía um breve, também conhecido como patuá, que o livrava de muitos problemas. Como da vez que dispararam contra ele uma enorme quantidade de balas, e ele desviou todas na ponta de seu facão. Essas mandingas ele aprendeu em Santo Amaro com o velho Pascoal, um africano que era vizinho da sua avó, e segundo contava Cobrinha, esse breve que possuía era vivo e ficava pulando, quando era deixado num prato virgem, depois de utilizado por ele. Mas certo dia, conta Cobrinha, que o breve foi embora e o deixou, depois de um erro que ele havia cometido

Ter sido aluno de Besouro Mangangá é um privilégio para poucos, e assim ensinar se tornava um chamado da arte. Em 1937 começa a ensinar de graça, como gostava de enfatizar, na Fazenda Garcia, depois de ter saído do exército. Nessa época convivia com Bimba e outros capoeiras famosos como Aberrê. Mas com o passar dos anos e morte de muitos dos seus contemporâneos, ele foi o mais velho capoeirista em atividade no Brasil, e um dos únicos a conhecer a técnica de jogar com navalhas entre os dedos do pé.

Na sua vida de professor, muitos capoeiras famosos beberam na fonte desse mestre; João Grande é um deles, que diz ter treinado com ele no Chame-Chame nos domingos pela manhã. Como dividia trabalhos com Pastinha, outros capoeiras como João Pequeno também beberam da fonte desse mestre. Como conta mestre João Grande, freqüentavam esses treinos também Gato Preto, Didi, Bom Cabrito, Rege de Santo Amaro, entre outros.

Vida e obra de um capoeira nesse mundo não são reconhecidas, então o maior medo de um capoeira como Cobrinha Verde, era morrer a míngua como Pastinha e Bimba. Sua profissão de pedreiro tinha rendido uma mísera aposentadoria, que não dava pra nada, mas que pelo menos não o deixava na mão. Sua fé também ajudava a não adoecer. O capoeira pra ter uma boa velhice, tem que trabalhar com outras coisas e não só viver da arte… Ô mundo injusto!

Livro: “MESTRES E CAPOEIRAS FAMOSOS DA BAHIA”

RELEASE DO LIVRO: “MESTRES E CAPOEIRAS FAMOSOS DA BAHIA”

Autor/Coordenador: Pedro Abib 

O livro MESTRES E CAPOEIRAS FAMOSOS DA BAHIA, foi lançado no último mês de março no Forte da Capoeira em Salvador-Bahia. Esse livro se baseou numa pesquisa histórica apoiando-se também em referências sócio-antropológicas, que realizou um levantamento biográfico sobre 50 mestres e capoeiras da Bahia já falecidos, entre os mais representativos dessa manifestação.. 

A execução da pesquisa ficou a cargo do Grupo MEL (Mídia, Memória, Educação e Lazer) da Faculdade de Educação da Universidade Federal da Bahia, sob a coordenação do Prof. Pedro Abib, residindo atualmente em Lisboa-Portugal e que é também capoeirista há 20 anos, formado pelo mestre João Pequeno de Pastinha. Participaram como pesquisadores, uma equipe multidisciplinar de alunos da graduação e pós-graduação de várias áreas do conhecimento (Educação Física, Artes Plásticas, Pedagogia, Comunicação). 

Esse livro busca recuperar a memória dos tempos áureos da capoeira baiana através de histórias e casos envolvendo os capoeiristas mais famosos, como os mestres Pastinha, Bimba e Besouro Mangangá, alguns mais conhecidos como Noronha, Cobrinha Verde, Canjiquinha e Valdemar, mas também outros menos lembrados, como Pedro Mineiro, Inocêncio Sete Mortes, Caboclinho, Duquinha, Pedro Porreta, Aberrê, Samuel Querido de Deus e Noca de Jacó, sem também esquecermos de algumas mulheres, como Maria Doze Homens, Cattu, Salomé e Angélica Endiabrada, entre outros tantos personagens. 

Procuramos utilizar, como fontes dessa pesquisa, todas as vozes a que poderíamos ter acesso: aquelas que surgem de documentos, livros, registros, notas de jornais, manuscritos, fotografias, filmes, gravuras e desenhos; mas também, aquelas vozes que surgem de relatos orais, “causos”, cantigas, mitos, lendas e do depoimento de pessoas que foram contemporâneas e, de certa forma, conviveram com muitos dos personagens enfocados neste trabalho. Uma busca difícil e minuciosa por traços de um passado ainda a ser melhor compreendido pelas gerações do presente e do futuro.  

Muito se tem ainda, a pesquisar sobre essa fonte inesgotável que é a história dessa gente marginalizada que deu dignidade e reconhecimento à capoeira. Recuperar esse passado é uma tarefa que ainda se faz necessária. Essa pesquisa foi apenas um passo inicial. 

COMO ADQUIRIR O LIVRO

Contatos:

NO BRASIL: com a editora [email protected]

NO EXTERIOR: com o autor [email protected] Tel. em Portugal: (351) 965577554

Lançamento livro: Mestres e Capoeiras Famosos da Bahia

Amigos, convido a todos para o lançamento do livro “Mestres e Capoeiras Famosos da Bahia”, sobre a biografia dos grandes mestres de capoeira da Bahia já falecidos. Esse livro foi elaborado a partir de pesquisa coordenada por mim, que teve como participantes os pesquisadores do Grupo MEL – Midia, Memória, Educação e Lazer da Faculdade de Educação da UFBA.
 
O lançamento será no próximo dia 12 de março (quinta-feira) no Forte da Capoeira – no Largo de Santo Antonio além do Carmo, em Salvador, a partir das 19 horas.

Segue anexo o convite. Peço que ajudem na divulgação
 
Abraços
 
Pedro Abib
(71)8150-2882

ESPANHA: Capoeira, Dança, Futebol e F1

OVIEDO, ESPANHA – Campeão mundial de Fórmula 1 em 2005, o espanhol Fernando Alonso foi a grande atração da oitava edição do “Dia da Solidariedade”, evento realizado na manã deste sábado, em Oviedo, para arrecadar recursos em benefício de crianças carentes da região. A partida de futebol de salão entre esportistas locais, incluindo jogadores do Oviedo e Sporting de Gijón, foi o momento mais esperado do dia. O piloto da Renault participou do evento em 2004 e este ano repetiu o feito de distribuir brinquedos para as centenas de crianças que compareceram ao Palacio de los Deportes, todas atrás também de um contato mais próximo com o ídolo. Mas a festa não se resumiu ao jogo entre os famosos, com os colégios de Oviedo realizando apresentações. O evenco começou com uma demonstração de capoeira e houve ainda apresentação de dança do Colegio Ventanielles, partidas de futebol entre alunos de escolas municipais, competição de ginástica realizado pelo Gimnasio Oviedo Sport, show de artes marciais e diversos eventos com as crianças de Oviedo.