Blog

freitas

Vendo Artigos etiquetados em: freitas

Capoeira Ginga Brasilia “Aprendendo mais pela Paz”

Festa de Encerramento do Ano de 2009

Na oportunidade estamos contando com a presença do Mestre Cafuné, aluno do Mestre Bimba.
Como já é do conhecimento de uma boa parte dos capoeiristas,

os trabalhos realizados por mim, tem como objetivo ampliar os conhecimentos, desmestificar alguns pontos na capoeira e organizar, para que esta arte se mantenha no seu maior estado de pureza possível.

PROGRAMAÇÃO

• 9:00h às 13:00h – aulas de toques de berimbau (trazer o seu berimbau) – sequências, movimentos desequilibrantes e balões

• 13:00h às 14:00h – almoço

• 14:00 às 17:00h – roda, batizado e troca de cordões

Mestre Brasilia

Antônio Cardoso Andrade, Mestre Brasília, nascido em 29-05-1942, é também um dos pioneiros da Capoeira paulista. Aprendeu com mestre Canjiquinha, de quem foi discípulo e amigo dedicado.

Veio para São Paulo, gostou, acabou ficando. Praticava capoeira na antiga CMTC, com mestre Melo, e na academia do mestre Zé de Freitas, no Brás. Conheceu então mestre Suassuna, e juntos fundaram uma academia, a “Cordão de Ouro”, que viria a se tornar no pólo principal da Capoeira paulista.

 

Joga com extrema elegância e habilidade.

 

Local

Local: Escola Vera Cruz
Endereço: Rua Baumann, 73 – Vila Leopoldina
Data: 20/12/2009 – Domingo
Telefone: 9395-3907.

Investimento

Valor: R$ 30,00 para depósito até dia 15/12
banco Itaú – Ag: 0185 – c/corrente:14193-4 – Antonio Cardoso Andrade
R$ 50,00 no dia 20/12.

Bahia: Caminhada leva 2 mil capoeiristas às ruas de Lauro de Freitas

Dança, jogo e luta. Isto é a capoeira, que neste final de semana atraiu mais de 2 mil capoeiristas às ruas de Lauro de Freitas (BA), para comemorar o Dia Municipal do esporte, neste sábado (26/9). Sob sol forte, a caminhada saiu do Parque São Paulo e seguiu até o Largo do Caranguejo, onde mestres, contramestres e alunos se exibiram para um grande público. O evento contou com apoio das Secretarias municipais de Educação (Semed), Cultura e Turismo (Secult), e Trabalho Esporte e Lazer (Setrel).

Com percurso de 4 quilômetros, a caminhada comandada pelo Mestre Sérgio despertou a atenção de moradores e comerciantes para as rodas de capoeira formadas ao longo de todo o trajeto. Um destaque foi a apresentação de macuculê, com alunos dos Programas Escola Aberta e Segundo Tempo, em coreografias comandadas pela professora Railda Barbosa, da Divisão de Projetos e Ações Complementares (Divipac) da Semed.

A Caminhada abriu a programação do 3º Encontro Nacional do Grupo de Capoeira Filhos da Bahia, que com palestras sobre os temas “Capoeira é Inclusão” e “Capoeira de Angola e Regional”, até o dia 2 de outubro, na sede da grupo Filhos da Bahia, em Itinga. No sábado (3/10), as atividades se concentram no Ginásio de Esportes com o 1° Encontro de Capoeira do Projeto Escola Aberta, às 13h, o Batizado de Capoeira do Projeto Divipac e da Escola de Cadetes Mirins.

Segundo o secretario municipal de Cultura, Antônio Lírio, em cinco anos a atual gestão implementou projetos como o Pólo de Capoeira, em parceria com o Sebrae, que capacita os capoeiristas e os torna empreendedores. De acordo com Lírio, em 2005, a cidade abrigava 3 mil capoeiristas em atividade, hoje chega a 4 mil.

Marcio Gomes, 14 anos, mostrou toda ginga e graça do esporte na caminhada e foi muito aplaudido. O jovem não esconde sua paixão pela capoeira. “Pratico desde criança, quero manter viva esta arte que é uma importante ferramenta contra marginalidade. Ajuda a retirar as crianças das ruas, além manifestar a cultura popular”.

Satisfeito com a participação ativa dos capoeiristas, Mestre Sérgio disse que a capoeira faz parte da identidade do povo de Lauro de Freitas. “A capoeira agrega muito mais que dança, jogo e luta. É uma ferramenta de inclusão social. Temos mais de 2.800 associados, cerca de 80% são jovens carentes que já se envolveram com as drogas e hoje vivem outra realidade”.

Fonte: Prefeitura de Lauro de Freitas – http://www.vermelho.org.br/

São Paulo: Homenagem a Mestre Zé de Freitas

Capoeiristas de São Paulo convidam para roda em homenagem a Mestre Zé  de Freitas e gravação de DVD

A história da capoeira não está nos livros, mas na cabeça de muitos mestres antigos e de quem conviveu com eles. Preservar essa história tem a ver com a sobrevivência e o fortalecimento da capoeira e também com o cuidado com esses mestres. No domingo, 16, a capoeiragem de São Paulo vai se reunir para conhecer um pouco mais sobre  Mestre Zé de Freitas, baiano de Alagoinhas e um dos precursores da capoeira no estado. O encontro acontecerá a partir das 11h, na Escola Vera Cruz, e irá resultar em um DVD sobre o Mestre.

Em uma mesa redonda, capoeiristas e pessoas próximas do Mestre Freitas contarão histórias e memórias de fatos ocorridos com ele, que treinou com Waldemar da Paixão e que chegou em São Paulo em 1959, voltando para sua terra Natal em 1999. Logo após os relatos, Mestre Brasília ministrará uma aula de capoeira, que servirá de aquecimento para uma grande roda em homenagem a Zé de Freitas. Será cobrada uma entrada de R$ 10 por pessoa, com renda destinada ao homenageado. Haverá ainda uma apresentação sobre a Ação Griô, com projetos de resgate da memória da capoeira, feita por Mestre Alcides.

Mestre Zé de Freitas

Ao longo dos 40 anos que viveu na capital paulista, Zé de Freitas foi uma figura importante para o desenvolvimento da capoeira na cidade. Ele foi aglutinador dos capoeiristas. Suas aulas no CMTC Clube, onde além de capoeira ensinava luta livre, tornaram-se referência para os que chegavam na cidade. Foi ali que capoeiristas como Mestre Brasília, Mestre Suassuna, Mestre Joel se encontraram pela primeira vez. Foi com ele também que Mestre Pinatti, um dos poucos paulistas que se dedicava à capoeira nos anos 60, consolidou seu aprendizado de capoeira e encontrou-se com os baianos.

Mestre Freitas também participou de novelas; trabalhou como segurança de Manoel da Nóbrega, o principal humorista da Praça da Alegria; foi um dos treinadores do jogador Pelé para o filme A marcha de Chico Bondade, de 1972. Também em São Paulo fundou sua academia, a Associação de Lutas Unidas Capoeira Freitas, no bairro do Sapopemba.

Hoje, aos 83 anos, completados em abril, Mestre Zé de Freitas já não ensina por conta de problemas com a visão. No domingo, 16, parte da sua história estará sendo contada e seu legado revivido. Todo o material do encontro de domingo será gravado e usado na produção de um DVD sobre sua obra. O DVD será vendido e a renda revertida para o Mestre, que, a exemplo de muitos outros, como Pastinha e Bimba, chegaram à sua velhice sem boas condições financeiras.

Serviço

O que: Roda em homenagem a Mestre Zé de Freitas

Quando: domingo, 16 de agosto de 2009 – das 11h às 15h

Onde: Escola Vera Cruz – Rua Baumann, 73 – Vila Leopoldina (próxima ao Ceagesp)

Valor: R$ 10 (a renda será destinada ao Mestre)

Programa:

11h – Mestre Alcides e a Ação Griô

11h30 – Mesa redonda sobre Mestre Freitas

12h30 – Aula com Mestre Brasília

13h30 às 15h – Roda de Capoeira

Maiores informações: (11) 93953907 com Mestre Brasília

Presidente da FCP participa de debate sobre igualdade racial

Zulu Araújo falará sobre "A cultura afro-brasileira como patrimônio imaterial"  no projeto Forúm Jornal de Brasília

Amanhã, 9 de dezembro, o projeto Fórum Jornal de Brasília terá por tema a igualdade racial, entre as 9 e as 17 horas, no auditório da UDF (antiga UniDF), na 904 Sul. O ciclo de Fóruns do Jornal de Brasília tem o objetivo de promover a discussão entre imprensa, população e autoridades dos principais problemas do Distrito Federal.

No próximo Fórum, que contará, especialmente, com o apoio da Comissão de Jornalista pela Igualdade Racial do Distrito Federal (Cojira-DF), serão focadas as seguintes questões: políticas de superação do racismo no Distrito Federal (11h), o desafio da imprensa e políticas de igualdade racial (14h) e um painel sobre o patrimônio imaterial da cultura afro-brasileira (16h). O evento se iniciará com uma palestra do ministro da Promoção da Igualdade Racial, Edson Santos, às 9h.

O presidente da Fundação Cultural Palmares, Zulu Araújo, comporá a mesa, às 16h, que vai debater a cultura afro-brasileira como patrimônio imaterial, e que terá como mediador o jornalisa Jorge Eduardo, editor-chefe do Jornal de Brasília, e os debatedores Rose Coimbra, presidente do Conselho de Cultura do Distrito Federal, e Giorge Patrick, antropólogo da Superintência Regional do Distrito Federal do Iphan.

Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Marília Matias de Oliveira – marilia.oliveira@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
wwww.palmares.gov.br

Fundação Palmares participa de Encontro Quilombola

O diretor do Departamento de Proteção do Patrimônio Afro-brasileiro (DPA) da Fundação Cultural Palmares, Maurício Reis, participa durante toda a semana do III Encontro das Comunidades Quilombolas de Minas Gerais.

O evento tem o objetivo de discutir a situação dos quilombolas no Estado, as políticas de apoio aos quilombos, informar as populações tradicionais sobre alguns de seus direitos, bem como, ouvir as necessidades e anseios das populações remanescentes de escravos.

O diretor da DPA aproveita a ocasião para distribuir a algumas das comunidades mineiras presentes, as certidões de autoreconhecimento como comunidades remanescentes de quilombo.

Os quilombos autoreconhecidos que receberão as certidões são:

Fazenda Sertãozinho; Buieié; Comunidade Negra de Quilombo; Mocó dos pretos; Gravata; Chacrinha dos Pretos; Água Limpa de Baixo, Água Limpa de Cima; Comunidade Quilombolas; Brejo Grande; Dr. Campolina; Ferreiras; Moça Santa; Bebedouro; Alto Caititu; Catito do Meio; Boa Morte e Muzambinho.

O Encontro será realizado entre os dias 27 e 30 deste mês, no Sesc de Contagem. Entre os temas discutidos, estão: A importância da organização da comunidade quilombola para a busca de seus direitos; Políticas públicas e Direitos Humanos das Comunidades quilombolas: problemas, reivindicações, possibilidades e instrumentos institucionais e jurídicos; Política social de segurança alimentar em comunidades quilombolas; Política Ambiental e conflitos fundiários: a relação entre o meio ambiente e os direitos das comunidades quilombolas; A Federação N’Golo e a luta por melhores condições de representatividade das comunidades quilombolas;

Durante o evento serão apresentados o filme Quilombo (1984), dirigido por Cacá Diegues e roteiro baseado nos livros Ganga Zumba, de João Felício dos Santos, e Palmares, de Décio de Freitas; e o documentário Comunidades Quilombolas de Minas Gerais no séc. XXI. Também será lança a cartilha Quilombos de Minas: Manual de Orientação Jurídica para a Criação de Associações Quilombolas.

Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Marília Matias de Oliveira – marilia.oliveira@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
wwww.palmares.gov.br

Brasil e Timor

Fundação Cultural Palmares integra delegação brasileira que visita o Timor Leste esta semana.

Uma delegação brasileira chegou nesta segunda-feira (11) ao Timor Leste para uma missão cultural de aproximação entre os dois países. O presidente da Fundação Cultural Palmares, Zulu Araújo, e o diretor de Relações Internacionais do Ministério da Cultura, Marcelo Coutinho, foram convidados a fazer parte da delegação que passará uma semana no país. O objetivo é conhecer mais sobre a cultura do Timor, para, posteriormente, promover um evento cultural no Brasil. Também fazem parte da delegação brasileira representantes do Ministério das Relações Exteriores (MRE) do Brasil.

O interesse da delegação brasileira no Timor está relacionado aos projetos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). Como no Timor Leste, apenas 10% da população falam português, o Brasil tem a intenção de promover atividades mais sistematizadas de estudo da língua portuguesa. Além disso, um projeto a ser implantado na CPLP é o DOC-TV. Por meio do DOC-TV, os países produzem documentários sobre algum aspecto de suas realidades, que, posteriormente, são transmitidos simultaneamente em todos os países. Para o Timor, de modo especial, esse projeto contribuiria para quebrar a hegemonia da Indonésia na televisão timorense.

O MRE considerou ser um momento propício para visitar o Timor, visto que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve no país há um mês. A delegação se reunirá nesta segunda-feira (11) com o ministro da Educação do Timor, João Câncio Freitas. Durante toda a semana, a delegação brasileira se reunirá com autoridades timorenses e conhecerá as principais manifestações culturais do país. A volta ao Brasil será no dia 16 de agosto.

Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Luisa Picanço – luisa.miranda@palmares.gov.br
Marília Matias de Oliveira – marilia.oliveira@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
wwww.palmares.gov.br

 

Salvador: Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas & Sauípe S/A

Costa do Sauípe ganha loja temática de capoeira 
Sexta-feira, 01/09/2006 – 09:36
www.jornaldamidia.com.br/
 
Salvador – A meta de transformar a capoeira numa atividade economicamente rentável começa a se tornar uma realidade com a inauguração de uma loja temática na Vila Nova da Praia, no complexo hoteleiro de Costa do Sauípe, no próximo dia oito, a partir das 18h30min. O empreendimento é o resultado de uma parceria da Sauípe S/A com o Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas, que conta com o apoio da prefeitura municipal e do Sebrae.
 
No estabelecimento serão comercializados desde instrumentos da arte-dança afro-brasileira feitos no Pólo à coleção de moda com motivos da capoeira desenvolvida pela confecção baiana Coco Doce, além de serviços de apresentação de shows de maculelê, samba de roda e puxada de rede. De acordo com a coordenadora do projeto de cultura do Sebrae, Luciana Santana, a loja temática vai comercializar produtos e serviços realizados pelas quase três mil pessoas que participam do Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas.
 
"A capoeira estimula vários pequenos empreendimentos gerando trabalho e renda", afirma Luciana, destacando a importância da iniciativa em parceria com a Sauípe S/A. Segundo ela, além do efeito econômico e social para a comunidade ligada à capoeira, o empreendimento inovador agrega valor cultural ao complexo hoteleiro, que atrai dezenas de milhares de turistas de todo o mundo anualmente. "Os turistas que visitam Sauípe terão acesso direto a produtos e serviços da cultura baiana".
 
Para Luciana, a loja temática é uma ação que consolida o Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas, criando um forte atrativo turístico cultural, que por si só amplia as oportunidades de negócios para a população. " O Pólo de Capoeira pretende crescer além das fronteiras municipais, no estado e no Brasil, para tornar-se um centro de atividades de excelência, exportador de valores para outros países, onde a capoeira já é bastante conhecida", diz.
 
 
Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas
 
O Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas tem como objetivo resgatar, valorizar e divulgar a capoeira, unindo no mesmo espaço, sua história, a história de seus mestres, seus cantos e toques, sua indumentária e seus instrumentos, tornando-se atração turística e gerando, através de pequenos empreendimentos, o desenvolvimento social, cultural e econômico do município.
No Pólo de Capoeira de Lauro de Freitas é possível estudar, vivenciar e praticar a capoeira na sua origem.
 
Parceiros
Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas – Secretaria Municipal de Cultura Esporte e Lazer.
 
Gestores
Associações de Capoeira de Lauro de Freitas.
 
Maiores informações podem ser obtidas através do tel. (71) 3320-4455.