Blog

homenagens

Vendo Artigos etiquetados em: homenagens

Bahia: Cordão Cultural AfroPop nas ruas, promove encontros e recebe homenagens

Margareth Menezes coloca Cordão Cultural AfroPop nas ruas, promove encontros e recebe homenagens

O circuito Barra-Ondina, em Salvador, assistiu a uma verdadeira celebração pelos 25 anos de carreira da cantora Margareth Menezes. A artista, que chegou no domingo, vinda de uma série de shows em Pernambuco, colocou o seu Cordão Cultural AfroPop nas ruas em plena segunda de Carnaval com diversos convidados, promoveu encontros e recebeu homenagens. Para abrir o desfile, a artista cantou sua nova música de trabalho, Bonapá.

Vestida de Tieta, Margareth dividiu os vocais ao longo do percurso com Márcia Short, ex-cantora da Banda Mel, e o sertanejo carioca João Gabriel. Com eles, Margareth cantou sucessos seus, como Dandalunda, Toté de Maianga, Selei (Saudação ao Caboclo) e Elegibô, além de canções da Banda Mel, como Crença e Fé, e canções sertanejas como Tem Que Ser Você e Borboletas. No trio, estiveram a atriz Cris Viana (a Deusa, de Fina Estampa), o ator Paulinho Serra (humorista do Quinta Categoria, da MTV) e o estilista Fause Haten. O Cordão Cutlural também recebeu o axé de uma ala de baianas e a presença de componentes do Zambiã, grupo afro de Lauro de Freitas.

Quarteto – O primeiro dia de desfile do Cordão Cultural AfroPop foi marcado por um encontro mágico em frente ao camarote Expresso 2222. Magareth, que trouxe em seu trio Diego Figueiredo, considerado um dos melhores guitarristas da atualidade, foi recebida por Gilberto Gil, ainda vestido com os trajes de Gandhy, e a cantora Márcia Castro, que se apresentava na Varanda Elétrica. “Existem muitas cantoras na Bahia, cada uma com sua qualidade, mas eu posso dizer que eletrizante deste jeito, só tem uma. Margareth, você é eletrizante”, disse Gil do camarote. Contente, Margareth comandou o quarteto nas músicas Toda Menina Baiana, Samba da Minha Terra e O que é o que é. 

Já em Ondina, a artista falou sobre a importância de combater a violência doméstica, campanha que abraçou neste carnaval. Recado dado, ela embalou lambadas, marchinhas de Carnaval e fez uma homenagem ao Rio de Janeiro cantando Aquele Abraço. Próximo ao final do circuito, ao passar por um estúdio de televisão, a cantora assistiu a um vídeo sobre seus 25 anos de carreira. A homenagem surpresa, com depoimentos de artistas e familiares, a levou às lágrimas. Para delírio geral, a artista agradeceu cantando Faraó, música que a projetou internacionalmente em 1987. Já na dispersão, a cantora deu adeus aos foliões com Banho de Cheiro e Andança. Nesta terça-feira (21), segundo dia de desfile do Cordão Cultural AfroPop, o grande homenageado será Jorge Amado. Margareth vem vestida de Gabriela Cravo e Canela, ao lado de Sandra de Sá e Targino Gondim, a partir das 19h30, no circuito Barra-Ondina.

3 de Agosto: Dia do Capoeirista & Homenagens na Capital Paulista – Materia II

Matéria Publicada no Jornal do Capoeira em Agosto de 2005
Hoje, 03 de Agosto, comemora-se o Dia do Capoeirista. A Câmara Municipal da Cidade de São Paulo prestará homenagem solene aos Capoeiras da Terra da Garoa, com direito à Coquetel e Roda de Encerramento.
Sampa, 03.Agosto.2005
Corre Nacional e Internacionalmente a informação, e as comemorações, do Dia do Capoeirista. Nada mais justo comemorar. É no mínimo uma oportunidade política, quando os Capoeiras reúnem-se em auditórios governamentais para ouvir os representantes do poder falar:
o quão importante somos para a história do Brasil – o que já sabemos!;
que a Capoeira é o esporte que o Brasil precisa – mas não legislam eficientemente para isto;
que nossa arte promove inclusão social – principalmente inclusão a lá mensalões e exclusão dos mais necessitados; 

Dia do Capoeirista que se preze deveria ser um dia de reflexão inteligente sobre nosso real papel na sociedade, sobre como formar, principalmente na periferia, morros e guetos, jovens conscientes de seus direitos, dotados de extrema sensibilidade para o que vem ser, na prática, o sentido de cidadania.

Quando o saudoso Mestre Paulo Gomes, baiano formado na capoeira carioca pelo Mestre Artur Emídio, à frente da ABRACAP – Associação Brasileira de Capoeira -, alcançou transformar em Lei Estadual (válida, portanto, apenas para São Paulo) o Dia do Capoeira, certamente ele não estava pensando em ser apenas um “dia político”. Na época, Paulo Gomes era assessor do ex-Governador e também saudoso Mário Covas. Acredito que o que ele almejava mesmo era unir a classe – sempre fragmentada – em torno de uma causa única. Na época, Paulo Gomes lutava pela profissionalização da Capoeira.
Pois bem, o dia 3 de Agosto está, ano após ano, sendo consagrado como nosso Dia. O amigo Luciano Milani (www.lminani.com), inclusive, acaba de publicar uma crítica ao “Porque o Dia do Capoeirista? Se todos os dias são nossos dias!?”. Por e-mail, recebemos em nossa Redação um mensagem onde uma jovem identificada apenas por Viviane, questionou o “Porque 03 de Agosto?”. Sinceramente não encontramos, até o momento, uma justificativa plausível para tal.
Mas curiosamente, ao conversar com alguns mestres de renome da Capital Paulista, alguns envolvidos com as entidades de Administração  Capoeira, percebemos que existem diversas datas em que se comemora do Dia do Capoeirista. Segundo me foi passado, após o estabelecimento do dia 03 de Agosto como a data comemorativa para o Estado de São Paulo, houve um esforço de se adotar por lei a mesma data nos municípios. Aí virou comédia, pois cada município acabou adotando uma data diferente.
É, realmente é complicado estabelecer consenso entre nossos pares.


Sorocaba Shopping & Dia do Capoeirista
Um bom exemplo está dando hoje o Shopping de Sorocaba – www.sorocabashopping.com, que abriu espaço para três grupos da cidade (Cultura Brasileira, Associação Liberdade e Bem Brasil) para se apresentarem ao povo. Será logo mais a noite, a partir das 19h00. Relevem a repetição, mas a Administração do Sorocaba Shopping está de parabéns por ter incluído nossa Arte na agenda do dia, e por se lembrarem do Dia do Capoeirista.

Câmara Municipal da São Paulo Homenageia Mestres da Capoeira Paulistana
Por fax, e depois confirmada por telefone junto à própria Câmara Municipal, recebemos o seguinte comunicado:
A Câmara Municipal de São Paulo, convida a todos capoeiristas para a Cerimônia de Comemoração do Dia da Capoeira, a realizar-se no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo, Viaduto Jacareí, 100, 8º andar, as 19:00 horas do dia 03 de Agosto de 2005. Onde serão prestadas homenagens a personalidades do mundo da Capoeira e realizado um Coquetel de Comemoração.
Presença confirmada de grandes Mestres da Capoeira de São Paulo.
Segundo os assessores do vice-presidente da Câmara Municipal, senhor vereador Aurélio Miguel, dentre os mestres que receberão a homenagem estão: Mestre Ananias, Mestre Suassuna, Mestre Joel e Mestre Guilhermão. Certamente a lista é mais extensa, uma vez que eles almejam homenagear todos os mestres que já tinham tal título em 1980. Estamos aguardando a lista completa, para que possamos então divulgar a todos.
Por coincidência, Mestre Marquinhos entrou em contato solicitando algumas sugestões para o Congresso Estadual de Capoeira, a ser realizado em Setembro de 2005. Uma de nossas sugestões foi a de se prestar homenagens, com Carta e Placa de Agradecimento por relevantes serviços prestados à Capoeira em São Paulo. Em nossa lista preliminar sugerimos:  Mestre Toniquinho Batuqueiro, Mestre Damião, Mestre Ananias, Mestre Augusto Mário Guga, Mestre Zé de Freitas, Mestre Valdemar Angoleiro, Mestre Pinatti, Mestre Joel, Mestre Brasília, Mestre Suassuna,  Mestre Joel, Mestre Limãozinho, Mestre Natanael, Mestre Zumbi, Mestre Quilombo e Mestre Rudolf Hermanny.
Sugerimos ainda homenagens póstumas aos seguintes mestres: (sendo que a Carta e a Placa de Agradecimento deverão ser entregues à representantes ou familiares): Mestre Paulo dos Anjos, Mestre Caiçara, Mestre Paulo Gomes, Mestre Gilvan, Mestre Silvestre, Mestre Limão e Mestre Sinhozinho
Ano passado, a Câmara Municipal entregou à alguns Mestres da capital o título de Cidadão Paulistano, dentre eles Mestre Miguel Machado (Cativeiro), Mestre Dinho Nascimento – o Berimbau Blues, e Mestra Janja (NZINGA).

Fonte: Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br