Blog

ivan

Vendo Artigos etiquetados em: ivan

Aconteceu: II° SEMINÁRIO INTEGRADO DE CAPOEIRA EM PORTO ALEGRE

Dia 25 de setembro de 2010 marcará mais uma vez a história da Capoeira no Rio Grande do Sul. Com a participação das principais escolas, associações e grupos gaúchos, realizou-se no Teatro Glenio Perez da Câmara de Vereadores de Porto Alegre, o II Seminário Integrado de Capoeira do Rio Grande do Sul. Sob a coordenação da Federação Riograndense de Capoeira e da Liga Regional de Capoeira RS, presidida pelo Mestre Gavião, com o apoio da Super Liga Riograndina de Capoeira do presidente Graduado Pipoca, Liga Metropolitana de Gravataí do presidente Mestre Klaity e Metropolitana Liga de Capoeira de São Leopoldo do presidente Mestre Soneka. O evento teve a presença do Secretário de Esportes do Município de Porto Alegre o Senhor Edgar MeurerSecretário de Esportes de Eldorado do Sul senhor Paulo Sérgio BaicoaSecretário de Assitencia Social CRAS da Prefeitura de Tramandaí senhor Fernando Lopes Silva, representante do Deputado Federal Raul Carrion o companheiro Professor e Quilombola Waldemar Moura Lima (Pernambuco) .

Estiveram presentes mais de 150 lideranças da capoeira do Estado do Rio Grande do Sul cidades; Santo Ângelo, São Sepé, São José do Norte, Canoas, Esteio, Gravataí, São Leopoldo, Cachoeira do Sul.

Os objetivos do evento – valorização dos mestres de Capoeira; afirmação dos valores e dos fundamentos da capoeira perante a sociedade; integração dos capoeiristas das diferentes entidades e troca de experiências entre os participantes – foram alcançados com êxito.

Dia 25 de setembro de 2010

Iniciou as 09:00h – da manhã com a apresentação do Mestre Klaity que divulgou seu livro infantil “O Menino Mestre e o Rei Zumbi – arte da capoeira – abrindo um debate sobre o trabalho pedagógico na escola.

“O Menino Mestre e o Rei Zumbi é fruto do trabalho de pessoas que acreditam no potencial da capoeira, das crianças, no potencial dos sonhos e da fora que cada um carrega dentro de si. Conta nossa história, fala sobre o nosso povo, revive nossa origem e transmite sua mensagem com imensa beleza e amor.

As 10:00 – Após ouve um bate papo aonde a Federação Riograndense de Capoeira ouviu os anseios e necessidades do capoeirista local, a dificuldade de conseguir espaços para ministrar aulas de capoeira o comprometimento com a capoeira, foi discutido também a formação continuada para profissionais da área.

As 14:00 – Iniciou-se a palestra da Professora Adélia Kervalt Costa Atti (Didi).

Palestra “A Prática da Capoeira nas Escolas Especiais da Rede Municipal de Ensino de Porto Alegre, Rio Grande do Sul.”

Este Trabalho foi a monografia de conclusão de Curso de Educação Física na UFRGS, recebendo conceito (A) pela banca.

“Procuro descrever como se deu a inclusão da prática da Capoeira nas Escolas da Rede Municipal em POA.Desde seu Projeto inicial, Escolas beneficiadas, implementação

da Lei 10.639/ 11.645, luta das lideranças da Capoeira. Descrevo com mais profundidade as Escolas Especiais,com relato de observações, fotos e filmagens.

Logo após o Slides da apresentação a professora Adélia Kervalt Costa Atti recebeu nas mãos do Presidente da FERGS CAPOEIRA Mestre Gavião o Certificado de Honra ao Mérito pela luta de Políticas Públicas para Capoeira, recebendo também um presente da entidade.

As 15:00h – Foi aberta a Palestra do professor Ivan Dourado que palestrou sobre As Afirmações Afirmativas Para o Povo Negro, em uma profunda reflexão dos participantes do evento, na qual ouve um acirrado debate pela proposta apresentada, onde o companheiro Professor e Quilombola Waldemar Moura Lima (Pernambuco) e Mestre Gavião,saíram em defesa da palestra muito bem ministrada pelo Professor Ivan Dourado.

As 16:00h – Teve a entrega para o Mestre Vladimir Farias da cidade de Santo Ângelo e do Mestre Jean Batista Cleber Mestre Churrasco Certificado e medalha 52ª Legislatura da Assembléia do Estado do Rio Grande do Sul por serviços prestados pela luta de Políticas Públicas para capoeira.

As 17:00h – Tivemos a abertura do II Seminário de Capoeira com a participação de todos os colegas onde decidimos continuar com a luta do Movimento da Capoeira em todo o estado lutando pela inclusão da capoeira na Rede Escolar a nível estadual através da Lei 10.639/03 e também do estatuto da Igualdade Racial.

Após o Encerramento os colegas foram confraternizar na Banda da Saldanha, aonde foi realizado um churrasco e muito pagode.

Dia 26 de setembro de 2010.

Os capoeiristas se reuniram pela manhã para praticar um aulão e depois finalizar com a roda de capoeira, tivemos o apoio da Secretaria de Cultura na qual cedeu o som e microfones a Secretaria de Esportes entrou com Ônibus Brincalhão aonde as crianças e adultos puderam se divertir com jogos de ping pong cama elástica e muitas brincadeiras com os recreacionista da Secretaria de Esportes.

 

“Gostaria de agradecer o convite e afirmar que foi uma experiência maravilhosa e me sentí muito bem acolhido.

Quero agradecer o carinho de todos os mestres e futuros mestres de capoeira,

Parabenizar também a organização do evento, com a qualidade dos integrantes desse movimento social que luta, pela melhoria da educação pública  inserindo a capoeira no contexto formal de educação”.

Um abraço á todos e estamos em movimento e na luta,

Contem comigo.

Ivan Dourado

Mestre Gavião,

Muito obrigado!

Só tenho que agradecer, pela oportunidade de apresentar e de assistir a palestra do Ivan, que tensionou na medida certa, problematizando e levantando questões importantes!

O Evento, sem dúvida foi um sucesso!

Percebi a vibração de vários Grupos, que se tornaram um só, coeso, num só desejo…

…de crescer e evoluir com Capoeira aqui no Sul.

Todos foram valorizados pelo seu importante papel na Comunidade capoeiristica e foram ouvidos.

Isto é importante, dar ouvidos.

Pq ali se encontraram autoridades da Capoeira, conhecimento de causa.

Parabéns, pq foi um grande sucesso.

Um abraço,

Professora Didi

Olá Mestre, no momento que lhe cumprimento, aproveito a oportunidade para agradecer o convite para o II Seminário de Capoeira ocorrido no último sábado, Seminário promovido pela FERGS. Acredito que são momentos como estes que fortalecerão a Capoeira, bem como todo o capoeirista. Pois é, sem dúvidas, através de debates e troca de idéias é que faremos as mudanças necessárias que visão integrar de uma vez por todas a cultura da capoeira nas políticas públicas.

Fernando Lopes da Silva

Secretário Casa da Cidadania de Tramandaí

Mestre quero  parabenizar pelo  evento  meus alunos estiveram  e falaram muito  bem  eu  estava em  Foz do  Iguaçu em  outro  evento.

Se poder mande seus contatos vou realizar um  encontro  de capoeira em  novembro  ok  abraço! fabiano silveira silva Kabeça Muzenza

A Federação Riograndense de Capoeira agradece todos participantes que fizeram deste evento o maior encontro da Capoeira gaúcha das últimas décadas e convida seus filiados à participar das discussões da formação do Centro de Pesquisa da Capoeira do Rio Grande do Sul. Este Centro de Pesquisa será referência nacional nas pesquisas realizadas sobre a Capoeira no Brasil. Participe conosco da construção desta nova realidade da Capoeira gaúcha, filie-se à Federação Riograndense de Capoeira!

Participaram do evento capoeiristas da cidades: Caxias do Sul, Esteio, Gravataí, Santo Ângelo, Teotônia, Panambi, Uruguaiana, São Leopoldo, Sapucaia do Sul, Canoas, Eldorado do Sul, Cachoeira do Sul, Viamão, Rio Grande, Pelotas, São Sepé, Santo Augusto,  Lajeado, São Sepé, São José do Norte, Canoas, Cachoeira do Sul.

 

Entre em contato com Mestre Gavião FERGS CAPOEIRA (051)8400.5500 Entre nessa luta!

Att,

Mestre Gavião,

Presidente da Federação Riograndense de Capoeira,

Liga Regional de Capoeira RS

FONE: (051) 8400.5500

 

AGRADECIMENTO ESPECIAIS:

VEREADOR JOÃO BOSCO VAZ, DEP. RAUL CARRION, SECRETÁRIO DE ESPORTES EDGAR MEURER, SECRETÁRIA ADJUNTA DA CULTURA ANA FAGUNDESCOORDENAÇÃO DA DESCENTRALIZAÇÃO LUTTI PEREIRA, COORDENADOR DA USINA CACO COELHO, COORDENADOR DO TRANSPORTES DA PREFEITURA CTAROBERTO COSTA, COORDENADOR ETNIA MANOEL JOSÉ ÁVILA DA SILVA PALESTRANTES: IVAN DOURADO E PROFESSORA ADÉLIA KERVALT COSTA, SECRETÁRIO DE ESPORTES DE ELDORADO DO SUL SENHOR PAULO SÉRGIO BAICOA, SECRETÁRIO AÇÃO SOCIAL DE TRAMANDAÍ FERNANDO LOPES SILVA, AO INCANSAVEL COMPANHEIRO E VICE PRESIDENTE DA FERGS ROBERTO COSTA DE ÁVILA (MESTRE TUCANO)  AOS FUNCIONÁRIOS DA SME, SMC, TCA , CAMARA DE VEREADORES DE PORTO ALEGRE E AOS CAPOEIRISTAS EM GERAL QUE PARTICIPARAM DO NOSSO EVENTO.

Berimbô: O berimbau robô

Não é qualquer coisa que me surpreende, mas por essa eu não esperava: um robô que toca berimbau! O Berimbô foi criado pelos baianos Ivan Monsão e Paulo Libonati.

Vi o vídeo (confira no final do post) no blog da Rabo de Arraia, e parti em busca de mais informações. Descobri no Época Negócios que o robô tocador de berimbau foi, em janeiro, uma das atrações Campus Party, o maior evento de inovação tecnológica, Internet e entretenimento eletrônico em rede do mundo.

Segundo o blog Tekpointer, do próprio Ivan Monsão, idealizador do projeto, o Berimbô não precisa de programação, basta tocar um berimbau na sua frente que ele capta a música, armazena em sua memória e reproduz o som.

É o mundo da capoeira no foco da tecnologia!

{youtube}uOEMwtNLTlk{/youtube}

 

Fonte: http://capoeiradevenus.blogspot.com

3° Encontro de Capoeira do Recôncavo

O 3° Encontro de Capoeira do Recôncavo homenageia Mestre Felipe de Santo Amaro da Purificação, importante mestre da velha guarda, artesão e cantador da capoeira.

Esta é uma proposta itinerante que busca revelar e valorizar o movimento existente entre a capoeira urbana e a rural do Recôncavo Baiano.
O evento acontecerá em Salvador, Santo Amaro e Santiago do Iguape, pequena vila de pescadores e agricultores quilombolas, entre os dias 27 e 29 de novembro 2009.

PROGRAMAÇÃO DO EVENTO :

1º Dia – 27/11 – SALVADOR

10:00 – Abertura e recepção das crianças capoeiristas alunos de Mestre Ivan (ACANA)
vindas de Santo Amaro, na Faculdade de Educação/UFBA
10:30 – Exibição e bate papo sobre o DVD “A CAPOEIRA DE UM MESTRE E O
SEU BANDO ANUNCIADOR” na Sala de Cinema da UFBA/Faced.
14:00 – Oficina de Percussão com Mestre Lua / Praça do Pelourinho
16:00 – Atividade lúdica para as crianças (pintura da faixa em homenagem a Mestre Felipe);
18:00 – Desfile do BANDO ANUNCIADOR
com o grupo de crianças capoeiristas de Santo Amaro;
20:00 – Roda de Capoeira no Terreiro de Jesus;
22:00 – Confraternização com mesa de frutas após a Roda.

2º Dia – 28/11 – SANTO AMARO

8:00 – Saída para Santo Amaro;
11:00 – Chegada na Praça da Matriz com Roda de boas vindas;
14:30 – Oficinas de Capoeira Angola com Mestre Ivan e
Maculelê com Prof. Erisivaldo no Barracão de Mestre Ivan;
16:00 – Lanche e atividade lúdica para crianças (brincadeira de ciranda, cantigas e pintura);
17:00 – Bate papo no Barracão, com Mestre Felipe e velhos mestres
de capoeira do Recôncavo – Roda
20:30 – Mostra Cine Cult Pop Afro-Brasileiro:
“Tributo a Mestre Bigodinho” e “Umbigada” (Praça da Matriz)

3º Dia – 29/11 – SANTIAGO DO IGUAPE

9:00 – Café coletivo na Casa do Samba
9:40 – Saída para Santiago do Iguape;
10:30 – Chegada + Roda de capoeira e confraternização
com velhos mestres da comunidade;
13:00 – Almoço em Santiago do Iguape
14:00 – Oficina de Berimbau e Cantigas com Mestre Felipe
16:00 – Retorno para Santo Amaro;
17:00 – Roda de encerramento na Casa do Samba
18:30 – Retorno para Salvador.
VALOR DA INSCRIÇÃO R$ 130.00
incluindo alimentação, transporte, hospedagem , oficinas e camisa.

Postado por LUA RASTA

Bahia: Tributo a Mestre Bigodinho

Tributo a Mestre Bigodinho

Mestre Bigodinho, exímo cantador e tocador de berimbau, nasceu em Acupe de Santo Amaro em setembro de 1933. Ele començou na capoeira em 1950 com o Mestre Waldemar da Paixão. Nos anos 70, afastou-se devido a repressão e discriminação sofrida na epoca. Em 97, incentivado por seu amigo, o Mestre Lua Rasta, retornou ao convívio da capoeira para a satisfação de todos que admiram essa arte.
O Mestre reside atualmente em Salvador e leva seu conhecimento e amor pela capoeira a todos que se aproximam dele.

O Mestre Ivan de Santo Amaro da Associação de capoeira Netos de Angola
(ACANA) e o Ateliê Percussivo do Mestre Lua Rasta convidam a comunidade da capoeira a participar do:

Programação :

Sexta-feira, 22/08, em Salvador

10:00 : Lançamento do documentário "Memórias do Recôncavo : Besouro e outros capoeiras", de Pedro Abib, na Sala de Arte da Faculdade de Educação na UFBA com a presença das crianças capoeiristas de Santo Amaro.

15:00 : Apresentação e roda das crianças capoeiristas de Santo Amaro no Terreiro de Jesus, Pelourinho.

20:00 : Roda de rua com presença de Mestres e confraternização no Terreiro de Jesus, Pelourinho

Sábado, 23/08, em Santo Amaro

8:00 : Saída de Salvador para Santo Amaro

11:00 : Roda de Boas vindas na Praça da Matriz.

14:30 : Oficinas na Casa do Samba de Santo Amaro

– Mestre Ivan : Capoeira Angola

– Samba de Roda de Dona Nicinha

18:00 : Bate-papo no Barracão com Mestre Bigodinho e velhos mestres do Recôncavo – Roda

19:30 : Exibição do DVD doTributo ao Mestre Ferreirinha, evento realizados em 2007 em Santo Amaro

Domingo, 24/08, em Santo Amaro e Acupe

9:00 : Café coletivo no Barracão

9:40 : Saída para Acupe, cidade natal de Mestre Bigodinho

10:30 : Roda de capoeira em Acupe

11:30 : Oficina de maculelê com Mestre Adó

14:00 : Retorno para Santo Amaro

17:00 : Roda no Passeio da Matriz

18:30 : Retorno para Salvador

Inscrição:

R$ 60,00 para residentes no Brasil

R$ 100,00 para residentes no exterior

A inscrição dará direito à camisa do evento, participação nas oficinas, transporte entre Salvador, Santo Amaro e Acupe e café da manhã coletivo no domingo, 24/08.

*Atenção ! Esta taxa não cobre as despesas com alimentação e hospedagem durante as atividades realizadas em Salvador, no dia 22/08, bem como não cobre as despesas referentes a almoço e jantar em Santo Amaro. No entanto indicaremos locais parceiros para alimentação dos participantes.

Contato e informação para inscrição :

Atelier Percussivo do Mestre Lua Rasta
Rua Inacio Aciolli, no 3
Pelourinho – Salvador – Bahia

Tel : (71) 3322 67 50 – 8786 32 03

Crônica: Pensando bem, aprendi mais do que ensinei!

Deficientes. Insuficientes?  Imperfeitos? Aqui vão alguns exemplos.
 
Quando ouvi este termo pela primeira vez imaginava algo anormal e o sentimento que me tomava era o de pena. Então comecei a vê-los pelas ruas. Transitando em suas cadeiras de rodas, com ajuda de tutores e bengalas. Caminhando com dificuldades, porém sempre presentes em todos os cantos.
 
Fui crescendo e comecei a morar perto de alguns, estudar com outros e dividir os mesmo espaços de trabalho e lazer. Percebi que nos seus olhares havia algo diferente. Talvez piedade? Talvez compaixão? Não! Certamente estes não eram os sentimentos que brilhavam em suas pupilas.
 
Então, eu já escutava o que tinham para falar. Alguns não falavam, expressavam-se corporalmente. Outros falavam demais, pois ninguém os queria ouvir. Mas alguma mensagem sempre ficava na minha mente. Cadeirantes, na maioria das vezes com seqüelas de acidentes ou paralisias na infância comunicam-se perfeitamente. Com tudo em pessoas com problemas mentais e dependendo do nível da deficiência, o diálogo se torna mais difícil, porém não menos perfeito. O corpo fala e para bom entendedor pingo é letra. Tem muita gente que fala, fala e tu não entendes é nada!
 
{jgxtimg src:=[http://www.portalcapoeira.com/images/stories/Capoeira/Diversos/criancas/beijaflor100fronteiras.jpg] width:=[250]}
Na foto a aluna Luciana e o professor Beija Flor
Clique na Imagem para ampliar…

Um dia, conheci pelas ruas o Paulinho. Depois fiquei sabendo que se tratava do Mestre Paulo Duarte da academia Zumbi dos Palmares. Uma das primeiras do ABC Paulista, pioneira mesmo. Cadeirante, Mestre Paulo trabalha atualmente na Prefeitura de São Bernardo do Campo, nas bibliotecas públicas. Vítima de um grave acidente de carro, Paulinho ficou paraplégico. Memória viva da capoeira aparece em fotos ao lado de Pastinha. Há algum tempo atrás, ele cruzou a América Latina a bordo de um carro. Um Gol 1000. Adaptado por ele e sem nenhum conforto. Detalhe; sozinho e sem algum tipo de patrocínio. Agora está prestes a sair em aventura até os Estados Unidos. A bordo de seu carro! Cruzará o oceano de navio e seguirá viajem. Pergunto-me qual é a dificuldade dele. Às vezes não vamos daqui até ali por preguiça ou um simples resfriado. Mas certamente a história do Mestre Paulo Duarte está registrada em poucas mentes.
 
Sempre lembro do Paulinho e suas convicções. Uma delas é a de que “você tem surpresas na vida e ela te coloca em caminhos nunca antes percorridos”. Foi bem assim que aconteceu no momento que finalizei uma aula de educação corporal para alunos do ensino médio de uma grande rede de ensino privado na cidade de Santo André em São Paulo. Alunos ditos “normais” e que me davam um enorme trabalho pela rebeldia e falta de compromisso com o futuro. A escola tinha um programa de atividades com a APAE, que oferece tratamento a deficientes físicos e mentais, e enquanto saíamos, cerca de trinta portadores das mais diversas disfunções mentais entravam para começar a atividade com uma terapeuta. A minha sorte foi que ela não pôde chegar e ministrei uma aula de iniciação à capoeira para a turma. Incluindo prática corporal e instrumentação.      
 
Guardo esta aula como uma das melhores. Foi incrível o retorno desta galera, que me deu menos trabalho que a anterior e enorme satisfação. Experimentaram novas propostas de aprendizagem, enxergaram o mundo de cabeça para baixo e aproveitaram ao máximo todas as possibilidades que a capoeira contempla. Ao final, o que mais me tocou foi uma gota. Sim uma gota. Uma garota, que devia ter por volta dos seus 17 anos com deficiência mental moderada insistiu durante uma hora para segurar o berimbau. Às vezes eu me aproximava dela e dava uma dica. Mas percebi que ela queria solucionar o problema sozinha. Deixei; mas não tirava o olho de sua luta. Foi então que ela tirou três notas do instrumento. E por mais simples que pareça, isto a emocionou e a fez derrubar uma lágrima. Conclui com isto que pequenas bobagens para alguns são grandes conquistas para outros! Isto me fez refletir sobre a importância que “deficientes” demonstram perante a vida e suas conquistas. Como minha querida aluna formada Luciana e seu parceiro de treinamento o Ivan. A Lú, está com 22 anos e o Ivan com 45 anos. São portadores de síndrome de down e a capacidade de aprendizado deles é surpreendente. Dias com aulas de capoeira são os dias mais importantes da semana. Respondem muito bem do ponto de vista motor e cognitivo. Sem falar do lado afetivo aflorado. Se eles simpatizam com alguém, são amigos para sempre.
 
O Ivan por estes dias, conseguiu realizar um macaco, movimento característico da capoeira. Ao jeito, dele. Mas foi o macaco mais comemorado que já vi. Na roda, tenho que alertá-lo para não soltar toda hora, pois ele gostou mesmo do movimento.
 
A história dos dois é algo curioso. O Sr.Roberto, pai da Lú, saiu da maternidade transtornado com a notícia de que sua filha era down. Isto no nascimento da Luciana; há 22 anos atrás. Ficou abalado e dirigindo pelas ruas atropelou um garoto com cerca de 20 e poucos anos. Desceu do carro para prestar o socorro e se deparou com o Ivan, down também, levantando do chão com dificuldades e meio atordoado. Aquele pai, desiludido com a notícia que acabara de receber, se emocionou e perguntou ao garoto o que podia fazer a mais por ele além do socorro. O Ivan respondeu que seu grande sonho era ser músico. E então, o Sr.Roberto passou a ensinar o que sabia sobre ritmo e música ao mais novo amigo. E mais, este fato o deu força para aceitar e se orgulhar de sua maravilhosa filha que acabava de chegar ao mundo.
 
O Ivan está até hoje próximo do Sr.Roberto e de sua família. Ele é quem conta o maior número de histórias interessantes lá na academia em dia de treino. É campeão de patinação in line e já viajou por todos continentes. Assim como a Lú.
Ela, por sua vez, já se formou na capoeira e tenho muito orgulho de vê-la desenvolvendo o seu jogo dentro da roda. De fato, necessitam cuidados particulares do ponto de vista anatômico e fisiológico. Mas o ensino é realizado juntamente com os demais alunos da academia. Sem nenhuma diferenciação. Os dois portadores de síndrome de down. Os dois portadores de muita alegria e ótimo bom astral.
 
Com um pouco mais de dificuldades em se locomover, porém com a mesma coragem, recordo de meu amigo Renato. Vítima de um acidente enquanto mergulhava de uma pedra em alguma cachoeira, Renato teve um comprometimento medular grave o que prejudicou drasticamente os seus movimentos. Cursei o ensino médio com ele e nossa sala era no quarto andar. Até hoje não entendo como nossos “engenheiros” não pensam neste pequeno detalhe ao construir estes prédios sem adaptação alguma aos que necessitam. E como é “burrocrático” (desculpe o neologismo) para alguns a simples mudança de uma sala de aula. Subíamos com o Renato as escadas até a sala todos os dias e descíamos ao final. Ele não tinha controle sobre os músculos da bexiga e usava um reservatório com uma adaptação para eliminar a urina. Tinha uma criatividade incrível. Como não dominava também os movimentos da mão, construiu um adaptador para que pudesse escrever.
Hoje o Renato é um advogado respeitado e muito requisitado. Como ver um cadeirante, nestas condições, se expressando na roda de capoeira e não se emocionar? Cantando, tocando o berimbau, fazendo das rodas as suas pernas e muitas vezes até saindo da cadeira para jogar e conhecendo novas perspectivas. E com isto, não quebrarmos as nossas fronteiras para entendermos que tudo é uma questão de força de vontade e otimismo.
 
Assim, quando recebi o convite do Luciano Milani para contribuir com esta coluna, me senti muito emocionado em poder falar do Mestre Paulo, da Luciana e do Ivan, da galerinha da APAE, do Renato e de muitos outros exemplos que tive de superação e de companheirismo. Pensei em escrever sobre métodos, procedimentos e características sobre e trabalho adaptado com a capoeira. Mas no momento que comecei a refletir sobre o tema capoeira sem fronteiras, me deu uma enorme vontade de mostrar o lado humano, vitorioso e na maioria das vezes despercebido desta gente. Uma galera que se supera. Dança, canta, ginga, joga, ensina e vive com uma intensidade ímpar.
E quando você enxergar na roda de capoeira uma luz enorme iluminando um jogador, não se espante, é o dedo do criador que está derrubando as fronteiras do preconceito!
 
Muito Axé e Saúde a todos!
 
Professor Beija-Flor
Ricardo Costa
São Bernardo do Campo/SP
 
 

Brasília DF: Violência e Morte – A Capoeira chora!!!

Mais uma triste notícia envolvendo a capoeira nos jornais… Desta vez o berimbau chorou lá pelos bandas de Brasília, a capital de nosso país, onde o conceituado Jornal Correio Brasiliense, através de sua edição online noticiou a morte de Ivan da Costa, um promotor de Eventos de 29 anos de idade. Ivan foi violentamente atacado por MONSTROS pois acredito não poder usar o termo "capoeiristas" conforme cita o Jornal, pois nós sabemos que um verdadeiro capoeirista não iria tomar esta atitude!!!
 
É lamentável ver a capoeira envolvida e citada de forma tão triste nos jornais…  e ainda mais triste é ver que alguns dos acusados eram professores de capoeira (é preciso saber separar o joio do trigo! é preciso ressaltar o quanto é digna a nossa missão pois um verdadeiro PROFESSOR, UM VERDADEIRO CAPOEIRISTA é acima de tudo um EDUCADOR!!!)… mais o fato é que a violência esta ai, se fez presente e vitimou am jovem cidadão… que fique bem claro o nosso repúdio a toda e qualquer ação envolvendo a violência seja ela qual for…
Que este caso seja tratado pelas autoridades e que os acusados sejam tratados com todo o rigor da lei!!!
 
Luciano Milani
 
Segue a matéria publicada no Correio Brasiliense:

Agressores de Ivan da Costa mostram frieza na delegacia
Renato Alvez
Do Correio Braziliense – http://noticias.correioweb.com.br
Reprodução/Edilson Rodrigues/ Paulo de Oliveira/CB
01/09/2006 – 08h13: Em uma conversa com o delegado Antônio Coelho, titular da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte), os capoeiristas Francisco Edilson Rodrigues de Sousa Júnior, 21 anos, e Fernando Marques Robias, 26, explicitaram o nível de brutalidade que levou à morte o promotor de eventos Ivan Rodrigo da Costa, 29. “Bati. Bati legal”, disse o primeiro, o Macumba (3). “Se pudesse, batia de novo”, afirmou o segundo, conhecido como Lacraia (2).
Segundo o delegado, três dos cinco acusados de agredir Ivan, contaram, ontem, os detalhes do espancamento sofrido pelo promotor de eventos na madrugada de 21 de agosto. A vítima morreu nove dias depois. “O que mais me impressionou foi a frieza do Francisco e do Fernando. Eles não demonstraram arrependimento”, afirmou Coelho.
 
Nenhum dos acusados, porém, aceitou depor formalmente. Orientados por três advogados, alegaram que só falarão em juízo. Os cinco são moradores do Cruzeiro Novo, colegas de infância. Quatro têm o nome como suspeito em ocorrências policias. Três são professores de capoeira (leia quadro). Todos estão presos. Serão indiciados por homicídio triplamente qualificado – ação em grupo que teve motivo fútil sem chance de defesa à vítima. Se condenados, poderão pegar até 30 anos de cadeia cada um.
 
A prisão preventiva dos cinco foi decretada pelo juiz Edilberto Martins de Oliveira, do Tribunal do Júri de Brasília, na noite de quarta-feira. Em sua decisão, o magistrado destaca que, para dificultar a ação da polícia, os suspeitos retiraram as fotografias do Orkut – site de relacionamento – no dia seguinte às agressões contra o promotor de eventos. “Por outro lado,o potencial de periculosidade revelado pelo comportamento impiedoso e brutal que se atribui aos indiciados, que, por motivo banal, espancaram uma das vítimas até que ela desfalecesse, faz com que se presuma o risco a que estará, aparentemente, submetido o corpo social, na hipótese de serem mantidos em liberdade”, destacou o juiz.
Socos e pontapés
 
O laudo de exame de corpo de delito de Ivan, assinado por dois peritos do Instituto de Medicina Legal (IML) da Polícia Civil comprova que o jovem morreu de infecção generalizada e politraumatismo, decorrentes das agressões. Mostra que a vítima levou socos e pontapés na parte superior do corpo e teve ferimentos externos e internos (veja infografia).
Ivan, que tinha 1,71m e 79kg, foi agredido pelos cinco homens na saída da boate Fashion Club, no Setor Comercial Norte. Os acusados têm de 1,78m a 1,90m, de 85kg a 98kg. Eles haviam saído da boate depois que Ivan. O promotor de eventos, a namorada e o amigo Luiz Roberto Lopes, 23, trocavam o pneu do carro e acabaram surpreendidos por uma Parati que fazia manobras bruscas em marcha a ré no estacionamento. Luiz deu uma batida de alerta no vidro traseiro do veículo. Foi o suficiente para os cinco suspeitos descerem do carro e atacá-los com golpes de capoeira. As pancadas em Ivan provocaram ferimentos na cabeça e ruptura no intestino.
 
Os cinco agressores foram filmados pelo circuito interno de tevê da boate entrando e saindo juntos do estabelecimento. Eles teriam sido expulsos da casa noturna por causa de uma briga, segundo funcionários da Fashion Club. “As imagens não mostram isso. Vamos ouvir os seguranças da boate para saber o que houve realmente”, disse ontem Antônio Coelho.
 
Alexandre Nascimento e Edson Junior, os últimos a se entregarem à polícia – apareceram na 2ª DP às 14h30 de quarta-feira – passaram a madrugada , manhã e tarde de ontem na delegacia. No começo da noite, seguiram para a carceragem do Departamento de Polícia Especializada (DPE), no Sudoeste. Hoje devem ir para o Complexo Penitenciário da Papuda, onde os outros três acusados estão desde quarta.
Seqüestro-relâmpago
 
Edson é o que tem o nome envolvido no crime mais grave, ocorrido antes da morte de Ivan. Ele é apontado como suspeito de seqüestro-relâmpago ocorrido em 5 de janeiro de 2004, no Sudoeste. Segundo a ocorrência 83/2004 da 3ª DP (Cruzeiro), Édson e um garoto de 16 anos na época, renderam um casal no estacionamento do Supermercado Bom Motivo, na Avenida Comercial do Sudoeste.
Dizendo ter uma arma sob a camisa, a dupla obrigou o homem e a mulher a entrar no carro e seguir até um caixa eletrônico, onde tiveram que sacar R$ 1 mil. As vítimas foram abandonadas perto da Granja do Torto. O caso ainda não foi julgado.

 

Capoeira como ponte para o português

Aula de capoeira não é mais novidade na Europa.
Junto com a prática do esporte, alunos europeus se interessam em estudar a língua portuguesa.
Hoje em dia, já é muito comum encontrar academias de capoeira em diversos lugares da Europa, inclusive em pequenas cidades.
Um dos países onde a capoeira vem se expandindo é a Alemanha. Porém, os alunos vêm se interessando também em aprender a língua-mãe da "dança".
Read More

Show para gravação do DVD/CD promocional de Mestre Lourimbau

O espetáculo será realizado no Teatro Sesi Rio Vermelho nos dias 20 e 27 de Outubro, a partir das 21hs.
 
Lourimbau
é músico, cantor, compositor e artesão. Desenvolveu uma técnica de composição musical que extrapola o caráter monocórdico do berimbau, fundindo-o ao jazz. As canções da sua autoria e cantadas pela sua própria voz, são apoiadas por um trio de guitarra e baixo jazzisticas, sendo o toque diferencial – além do berimbau como lead-instrument – a substituição da tradicional bateria do jazz pelo poderoso set percussivo, tão comum às raízes afro-baianas.
 
Os melhores percussionistas do cenário nacional, tais como Carlinhos Brown, Naná Vasconcelos e Ramiro Mussoto, utilizam os instrumentos de autoria de Lourimbau como ferramenta de trabalho nas suas turnês, sendo considerado pelos entendidos como o verdadeiro " Lutier " do instrumento no Brasil.
 
No final da década de 80, é convidado por produtores estrangeiros e embarca com um grupo de artistas baianos rumo a Suiça e Alemanha. Depois veio o convite do Goethe-Institut para participar do grupo Pata-Masters, onde músicos baianos e alemães, num processo de work in progress, realizaram o projeto Pata-Bahia, com direito a disco e programa de TV. Das 12 faixas do CD, 3 são da sua autoria. Em 2001, Lourimbau foi convidado por Marcos Suzano para abrir o seu show e o de Luís Melodia no Sesc Pompéia em São Paulo.
 
O Show intitulado Mestre Lourimbau terá como objetivo o registro ao vivo em áudio e vídeo dos espetáculos, originando a posteriori dois produtos : CD e DVD que visam a promoção e divulgação do trabalho do artista no mercado nacional e internacional.
 
Além de Lourimbau no berimbau e voz, acompanhando o artista estarão os músicos Ivan Bastos ( baixo ), Paulo Mutti ( Guitarras ) e Giba Conceição ( Percussão ). O projeto do CD e DVD Mestre Lourimbau é uma realização conjunta da Procria Comunicação e DocDoma Filmes com a colaboração de Ivan Huol e Rodrigo Alzueta contando também com o apoio cultural do Teatro do Sesi Rio Vermelho.
 
Evento: Mestre Lourimbau. Show para gravação do DVD ao vivo.
 
Local: Teatro Sesi – Rio Vermelho Data: 20/10 e 27/10
 
Horário: A partir das 21 h
 
Preço: R$ 10 (Inteira) R$ 5 ( Meia)
 
Maiores Informações: João Rodrigo Mattos – 8818 1696
 
Daniel Rangel – 8867-2276
 
Bau Carvalho – 8849 – 1636