Blog

joel

Vendo Artigos etiquetados em: joel

Menino Joel vai ganhar filme sobre sua vida

O pequeno capoerista, que morreu dentro de casa por bala perdida, ficou conhecido como garoto-propaganda em uma campanha do Governo do Estado

Lembra do pequeno Joel, que sonhava em ser mestre de capoeira assim como seu pai e morreu, aos 10 anos, dentro do próprio quarto, com duas balas perdidas, possivelmente vindas da polícia militar, no Nordeste de Amaralina? A história comovente deste baianinho, que fez o Brasil chorar com sua morte, vai virar o filme ‘Menino Joel’, assinado pelo cineasta Max Gaggino. No documentário, estão depoimentos do seu irmão e da mãe. 

“Um dia antes de falecer, ele acordou dizendo pra meu pai que ia estudar e que ia juntar a família dele e ia tirar daqui, porque aqui não tava dando pra viver mais; ele não queria crescer vendo o cotidiano da forma que estava sendo levado”, revela o irmão do garoto no filme.

Em um post na página oficial da produtora MaxFilmes, o diretor resume: “Gravação do documentário do Menino Joel…esperamos que seja algo revolucionário!”

{youtube}ZSEp6-e3Cb0{youtube}

Capoeirista de 10 anos morto em ação da polícia é homenageado

Denúncia contra envolvidos no crime é comemorada com capoeira

Trajando camisas com estampa “Eu só queria ser como meu pai, mestre de capoeira”, familiares, capoeiristas e o cantor e mestre de capoeira Tonho Matéria se reuniram ontem, na Escola Estadual Alfredo Magalhães, no Rio Vermelho, para mais uma homenagem ao menino Joel, 10 anos, morto durante ação policial na madrugada de 22 de novembro.

No local, funciona a escola de capoeira de Mestre Boa Gente, tio do garoto. Na ocasião, houve cerimônia de troca de cordão de outros meninos da mesma faixa etária de Joel. Segundo o pai do garoto, Joel Castro, 43, a criança queria ser capoeirista como ele e participava todos os anos do batizado, quando os alunos têm o grau elevado.

Na cerimônia, familiares de Joel comemoraram a decisão do Ministério Público de denunciar, por homicídio e omissão de socorro, os nove policiais militares da 40ª Companhia Independente da PM (Nordeste de Amaralina), envolvidos no crime. “Acreditamos na Justiça”, disse Joel Castro.

“Os policiais que fizeram isso com meu filho precisam ser julgados por crime comum”, afirmou.

 

Fonte: http://www.correio24horas.com.br

Aconteceu: SESC–Niterói/RJ – 1º Festival Interbairros de Capoeira Estilo Livre

1º Festival Interbairros de Capoeira Estilo Livre reuniu trezentos capoeiristas e aficcionados no SESC–Niterói/RJ, Brasil.

Com a finalidade de congraçamento entre os capoeiristas dos diversos bairros de Niterói e convidados das cidades vizinhas, realizou-se sábado, dia 26 de setembro, nas dependências do SESC (Serviço Social do Comércio) de Niterói o I Festival Interbairros de Capoeira Estilo Livre.

Promovido pela Liga Niterói de Capoeira, Federação Fluminense de Capoeira e Instituto Brasileiro dos Profissionais de Capoeira, com parceria do SESC e apoio das Secretarias Municipais de Cultura, de Esportes, e da Neltur — Empresa de Turismo de Niterói, o evento, conforme esperado, reuniu não apenas os capoeiristas, mas também suas famílias, que puderam desfrutar, na ocasião, de atividades paralelas como banho de piscina, recreação infantil e massoterapia, entre outras.

PRESENÇA EXPRESSIVA DE MESTRES TROUXE BRILHO EXTRA AO EVENTO

Os Mestres de Capoeira Aranha, Branca, Carlinhos, César, Chita, Coringa, Ferro, Jacaré, Joel, Lelo, Líu, Mais Velho, Marcos, Mendonça, Mestiço, Miquinho, Naval, Niterói, Sid, Tio Régis, Tio Russo, Tonelada, Zezeu e Zumba aplaudiram bastante quando sete outros mestres foram agraciados pela organização do evento com belíssimos troféus de Honra ao Mérito especialmente confeccionados para a ocasião: os cariocas Daniel “Barba Rala”, Derly (de Jacarepaguá) e Paulão Muzenza; Machado, de São Gonçalo; e Mestres Gegê (de Caxias), Gil (Niterói) e Travassos (Itaboraí). É raro um evento de Capoeira reunir tantos dos mais expressivos mestres do nosso tempo.

Além dos 31 mestres presentes — sete dos quais agraciados com o Troféu de Honra ao Mérito como reconhecimento pelo seu trabalho e pelas suas vidas — o evento também conferiu troféus para as maiores delegações de bairros presentes, tanto as de Niterói (1º. lugar Fonseca; 2º., Vital Brasil; 3º. Icaraí), quanto as dos municípios (1º. Santa Luzia, São Gonça-lo; 2º. Papucaia, Cachoeiras do Macacú; 3º. Jacarepaguá, Rio de Janeiro).

Dois Troféus de Destaque foram conferidos ainda ao Mestre Joel Pires Marques, de Cabo Frio/RJ, criador da comunidade “Papoeira, conversa de capoeira” da Internet, e ao Mestre Paulão da Muzenza, fundador do Grupo Muzenza de Capoeira. Mestre Joel mencionou e agradeceu publicamente a ajuda que recebe dos dois maiores divulgadores mundiais da capoeira na Internet: Mestre Jeronimo (da Austrália) e mestre Luciano Milani (de Portugal), como também do mestre André Lacé, a seu ver o atual maior conhecedor de capoeira (do Rio de Janeiro).

A INTEGRAÇÃO DE RAÇAS E DE CREDOS MANTÉM VIVO O “ESPÍRITO DA CAPOEIRA”

“No I Festival de Capoeira Estilo Livre houve a total integração de pessoas de variadas faixas etárias e situações econômicas e religiosas, como sempre acontece na Capoeira, que é o meio mais barato, rápido e seguro de promover o bem estar físico e a sudável convivência entre as pessoas”, assegura Mestre Zezeu, que coordenou o evento juntamente com o IZC — Instituto Zezeu de Capoeira Livre.

O Festival teve ainda o apoio da Ouvidoria Municipal de Niterói.

Joel Pires Marques

http://groups.google.com.br/group/papoeira/
CREF1 022152-G/RJ (Ed.Física)
Boxe; Capoeira; Kickboxing & Muaythai.
tel.: (22) 26295032 e (22) 99727403 e (22) 81540658
Cabo Frio/RJ-Brasil.

X FIC de Brasília exibe filme de Joel Zito sobre exploração sexual

Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado tem o apoio da Fundação Cultural Palmares

O documentário "Cinderelas, lobos e um príncipe encantado" – dirigido pelo cineasta Joel Zito Araújo e financiado pela Fundação Cultural Palmares, debate algumas das mazelas sociais mais preocupantes do cenário brasileiro, como o turismo sexual, o racismo e a pedofilia.

O diretor percorreu algumas capitais nordestinas, chegando à Itália e Alemanha, revelando a trajetória e o sonho de muitas meninas em encontrar seu príncipe encantado, o que na maioria das vezes se torna um grande pesadelo.

Não só a prostituição faz parte do cenário de Cinderelas, lobos e um príncipe encantado, como também o tema do racismo é fortemente abordado. Afinal, a maioria das "cinderelas" são mulheres negras. "Meu filme é sobre mulheres pobres, três quartos das quais são afro-descendentes", afirma o diretor.

Mas não se trata só disso. O documentário faz uma abordagem geral sobre a emigração de mulheres brasileiras. "Algumas se tornam trabalhadoras do sexo, outras não. Meu filme também trata sobre a imigração na Europa e muitos outros assuntos", ressalta.

O filme será exibido em quatro sessões durante o FIC Brasília, confira:

Dia 31/10 – sexta-feira – Sala 10, Academia de Tênis, às 17h.
Dia 02/11 – domingo, Sala 10, Academia de Tênis, às 19h40.
Dia 04/11 – terça-feira – Sala 10 – 19h50
Dia 07/11 – sexta-feira – Sala 03 – 19h20

Na última exibição do documentário (07/11) haverá também, um debate com o diretor Joel Zito Araújo.

Sobre o diretor

Joel Zito é professor da Escola de Comunicações e Artes da USP, e já em 2000, havia transformado sua tese de doutorado no filme "A Negação do Brasil" – onde documentou a histórica discriminação racial na televisão brasileira. Retomou a temática com um longa-metragem de ficção formado por um elenco todo negro: "As Filhas do Vento" – de 2004 – que recebeu seis prêmios em Gramado, inclusive melhor filme, diretor e prêmio da crítica.

Joel Zito coordenou também, a pesquisa "Onde está o negro na TV pública?" – encomendada pela Fundação Cultural Palmares, cujo objetivo é discutir a democratização da tv pública brasileira e a participação do negro nesse meio de comunicação.

Filme recebeu 6 prêmios no Festival de Gramado

Serviço:

X Festival Internacional do Cinema de Brasília

Data: 29 de outubro a 09 de novembro de 2008
Local: Academia de Tênis José Farani (Setor de Clubes Esportivos Sul – SCES Trecho 4, Conjunto 05, Lote 1B)
Quanto: Abertura: R$20 (inteira) / R$10 (meia);
Demais sessões: R$12 (inteira) / R$6 (meia)
Informações: www.ficbrasilia.com.br ou (61) 3316-6475/6227/6887.

Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Marília Matias de Oliveira – marilia.oliveira@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
wwww.palmares.gov.br

Entrevista: Mestre Mintirinha

Mestre Mintirinha – Luiz Américo da Silva – Grupo Terra o estilo Barravento.

Nascido aos 28 de agosto de 1950, desde os seis anos de idade praticando capoeira, teve como mestre o angoleiro Oswaldo Lisboa dos Santos, Mestre Paraná, excelente tocador de berimbau, que lhe passou os dotes musicais para o berimbau e também para o atabaque. Aos dezesseis anos já ministrava aulas de capoeira na academia do mestre Mário dos Santos, no Jacarezinho, Rio de Janeiro/RJ. Fundou o grupo Kapoarte de Obaluaê, Muzenza, Esporte Nacional (mais tarde Cruzeiro do Sul) e, atualmente, dirige o grupo Terra, em Olaria, Rio de Janeiro/RJ.

Constituído de excepcional forma física e dotado de uma velocidade extraordinária, uniu uma à outra e, na capoeira, com movimentos rápidos e viris, quase sem gingar – tal é o imediato entrelaçar de um golpe ao outro, a um toque rápido de berimbau e atabaque – o estilo Barravento (v. MARINHO, p.34) mostra seu poderio e beleza nas muitas rodas de capoeira que os seus alunos participam.

Read More

Marília: Batizado traz mestre Joel para curso no Negro Fujão

Aconteceu: Marília, São Paulo: Batizado traz mestre Joel para curso no Negro Fujão
 
A presença do mestre Joel, atual presidente da Associação Brasileira de Capoeira (Abracap), foi a principal atração da 3ª edição do Batizado e Troca de Graduação do grupo Negro Fujão de Marília realizado domingo no distrito de Padre Nóbrega, na zona norte.
Segundo informou o co-organizador do evento, o instrutor Fábio Luiz Mattos Ribeiro, 20 anos, o ‘Dunga’, o mestre Joel aproveitou a passagem por Marília para ministrar um curso sobre capoeira regional e uma palestra a respeito do que é ser um mestre de capoeira.
“Nas caminhadas que o mestre faz pelo País e o mundo, ele notou que muita gente tem assumido a condição de mestre com pouco mais de dez anos de prática de capoeira”, lembrou ‘Dunga’. “Na verdade, esse título cabe para quem tem mais de 20, 30 anos”.
 
O instrutor disse ter ficado surpreso com a presença do mestre Joel entre os 150 capoeiristas participantes do evento – pelo menos 100 vieram juntos com ele da matriz do Negro Fujão, com sede em Guarulhos. Os demais foram alunos das filiais de Marília e Padre Nóbrega.
“Não é sempre que nós contamos aqui na cidade com personalidades tão importantes do nosso meio”, afirmou ‘Dunga’ que lamentou a participação de apenas dois monitores de outros grupos fixados na cidade. “Mandei convites para todos”, garantiu.
 
Filiais – Atualmente, o instrutor ministra as suas aulas em um barracão construído em sua própria residência na rua Leonel Benevides de Rezende, 325, no Santa Antonieta às 2ªs, 4ªs e 6ªs, das 19hs às 20h30 e aos sábados e domingos das 10 às 12 horas.
De abril de 2004 até fevereiro deste ano ele mantinha as atividades no Centro Comunitário do Poliesportivo “Nhô Constâncio”. “O apoio que tínhamos lá sumiu e aí decidir trazer as aulas para casa”, contou. A filial de Padre Nóbrega é dirigida por Eduardo Cândido da Silva, 25 anos.
 
Associação Brasileira de Capoeira – ABRACAP
Rua Dona Germaine Burchard 451 – 7 Andar – SP – Cep: 05002-062
Presidente: Mestre Joel

3 de Agosto: Dia do Capoeirista & Homenagens na Capital Paulista – Materia II

Matéria Publicada no Jornal do Capoeira em Agosto de 2005
Hoje, 03 de Agosto, comemora-se o Dia do Capoeirista. A Câmara Municipal da Cidade de São Paulo prestará homenagem solene aos Capoeiras da Terra da Garoa, com direito à Coquetel e Roda de Encerramento.
Sampa, 03.Agosto.2005
Corre Nacional e Internacionalmente a informação, e as comemorações, do Dia do Capoeirista. Nada mais justo comemorar. É no mínimo uma oportunidade política, quando os Capoeiras reúnem-se em auditórios governamentais para ouvir os representantes do poder falar:
o quão importante somos para a história do Brasil – o que já sabemos!;
que a Capoeira é o esporte que o Brasil precisa – mas não legislam eficientemente para isto;
que nossa arte promove inclusão social – principalmente inclusão a lá mensalões e exclusão dos mais necessitados; 

Dia do Capoeirista que se preze deveria ser um dia de reflexão inteligente sobre nosso real papel na sociedade, sobre como formar, principalmente na periferia, morros e guetos, jovens conscientes de seus direitos, dotados de extrema sensibilidade para o que vem ser, na prática, o sentido de cidadania.

Quando o saudoso Mestre Paulo Gomes, baiano formado na capoeira carioca pelo Mestre Artur Emídio, à frente da ABRACAP – Associação Brasileira de Capoeira -, alcançou transformar em Lei Estadual (válida, portanto, apenas para São Paulo) o Dia do Capoeira, certamente ele não estava pensando em ser apenas um “dia político”. Na época, Paulo Gomes era assessor do ex-Governador e também saudoso Mário Covas. Acredito que o que ele almejava mesmo era unir a classe – sempre fragmentada – em torno de uma causa única. Na época, Paulo Gomes lutava pela profissionalização da Capoeira.
Pois bem, o dia 3 de Agosto está, ano após ano, sendo consagrado como nosso Dia. O amigo Luciano Milani (www.lminani.com), inclusive, acaba de publicar uma crítica ao “Porque o Dia do Capoeirista? Se todos os dias são nossos dias!?”. Por e-mail, recebemos em nossa Redação um mensagem onde uma jovem identificada apenas por Viviane, questionou o “Porque 03 de Agosto?”. Sinceramente não encontramos, até o momento, uma justificativa plausível para tal.
Mas curiosamente, ao conversar com alguns mestres de renome da Capital Paulista, alguns envolvidos com as entidades de Administração  Capoeira, percebemos que existem diversas datas em que se comemora do Dia do Capoeirista. Segundo me foi passado, após o estabelecimento do dia 03 de Agosto como a data comemorativa para o Estado de São Paulo, houve um esforço de se adotar por lei a mesma data nos municípios. Aí virou comédia, pois cada município acabou adotando uma data diferente.
É, realmente é complicado estabelecer consenso entre nossos pares.


Sorocaba Shopping & Dia do Capoeirista
Um bom exemplo está dando hoje o Shopping de Sorocaba – www.sorocabashopping.com, que abriu espaço para três grupos da cidade (Cultura Brasileira, Associação Liberdade e Bem Brasil) para se apresentarem ao povo. Será logo mais a noite, a partir das 19h00. Relevem a repetição, mas a Administração do Sorocaba Shopping está de parabéns por ter incluído nossa Arte na agenda do dia, e por se lembrarem do Dia do Capoeirista.

Câmara Municipal da São Paulo Homenageia Mestres da Capoeira Paulistana
Por fax, e depois confirmada por telefone junto à própria Câmara Municipal, recebemos o seguinte comunicado:
A Câmara Municipal de São Paulo, convida a todos capoeiristas para a Cerimônia de Comemoração do Dia da Capoeira, a realizar-se no Salão Nobre da Câmara Municipal de São Paulo, Viaduto Jacareí, 100, 8º andar, as 19:00 horas do dia 03 de Agosto de 2005. Onde serão prestadas homenagens a personalidades do mundo da Capoeira e realizado um Coquetel de Comemoração.
Presença confirmada de grandes Mestres da Capoeira de São Paulo.
Segundo os assessores do vice-presidente da Câmara Municipal, senhor vereador Aurélio Miguel, dentre os mestres que receberão a homenagem estão: Mestre Ananias, Mestre Suassuna, Mestre Joel e Mestre Guilhermão. Certamente a lista é mais extensa, uma vez que eles almejam homenagear todos os mestres que já tinham tal título em 1980. Estamos aguardando a lista completa, para que possamos então divulgar a todos.
Por coincidência, Mestre Marquinhos entrou em contato solicitando algumas sugestões para o Congresso Estadual de Capoeira, a ser realizado em Setembro de 2005. Uma de nossas sugestões foi a de se prestar homenagens, com Carta e Placa de Agradecimento por relevantes serviços prestados à Capoeira em São Paulo. Em nossa lista preliminar sugerimos:  Mestre Toniquinho Batuqueiro, Mestre Damião, Mestre Ananias, Mestre Augusto Mário Guga, Mestre Zé de Freitas, Mestre Valdemar Angoleiro, Mestre Pinatti, Mestre Joel, Mestre Brasília, Mestre Suassuna,  Mestre Joel, Mestre Limãozinho, Mestre Natanael, Mestre Zumbi, Mestre Quilombo e Mestre Rudolf Hermanny.
Sugerimos ainda homenagens póstumas aos seguintes mestres: (sendo que a Carta e a Placa de Agradecimento deverão ser entregues à representantes ou familiares): Mestre Paulo dos Anjos, Mestre Caiçara, Mestre Paulo Gomes, Mestre Gilvan, Mestre Silvestre, Mestre Limão e Mestre Sinhozinho
Ano passado, a Câmara Municipal entregou à alguns Mestres da capital o título de Cidadão Paulistano, dentre eles Mestre Miguel Machado (Cativeiro), Mestre Dinho Nascimento – o Berimbau Blues, e Mestra Janja (NZINGA).

Fonte: Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br