Blog

julho

Vendo Artigos etiquetados em: julho

Grupo Negaça Capoeira Angola 15 anos de fundação

O Grupo Negaça Capoeira Angola foi fundado em 01/07/1995 sob coordenação do Mestre Cavaco no bairro paulistano da Bela Vista.

Hoje o espaço está localizado no bairro da Vila Guilherme e a quase 7 anos é desenvolvido neste local uma Roda Mensal onde recebemos amigos de diversas regiões de São Paulo, Brasil e de outros países, sendo um dos principais pontos de encontro da Capoeira Angola na Capital de São Paulo.

Este espaço recebeu o nome de Barracão da Fábrica do Mestre Cavaco, pois além das Rodas Mensais e Aulas M. Cavaco trabalha em um Barracão onde funciona sua fábrica instrumentos musicais artesanais.

No dia 03 de julho o Grupo Negaça Capoeira Angola irá comemorar 15 anos de fundação, onde M. Cavaco, C.M Gaúcho e o Prof. Ratão permanecem desde sua fundação. Neste mesmo dia M. Cavaco estará formando seu aluno C.M Gaúcho á Mestre Gaúcho sendo seu primeiro aluno a chegar a essa graduação.

Fica aqui nosso convite a todos que queiram participar da nossa Festa do dia 03/julho e dos nossos encontros mensais  (realizado todo primeiro sábado de cada mês), acompanhe nossa programação, fotos, histórico no site: www.negaca.com.br

Prof. Ratão
Barracão da Fábrica do Mestre Cavaco
Rua Marieta da Silva 197 – Vila Guilherme – SP – CEP: 01507-007
Fone: 11-2905-2903 – e-mail: negaca@negaca.com.br

A Revolução de 2 de Julho de 1823

Às margens do Ipiranga nada. Foi no Recôncavo que o Brasil se libertou.

Se não fosse pela Bahia, a independência do Brasil não teria ocorrido. Duvida?

Em 7 de setembro de 1822, quando D. Pedro lançava para a História o seu famoso mote, apenas um pedaço do país podia se considerar de fato livre. “Independência ou morte” ainda era a sangrenta aspiração de várias outras províncias. As batalhas tomaram conta da Bahia em fevereiro daquele ano, e só terminariam em 2 de julho de 1823.

Por que, então, os baianos deveriam celebrar o Sete de Setembro? Dois de Julho é sua festa oficial — a maior e mais popular. As comemorações têm início no município de Cachoeira, onde é acesa uma tocha simbólica em homenagem aos heróis. Prosseguem pelas cidades de Saubara, Santo Amaro da Purificação, São Francisco do Conde, Candeias e Simões Filho até chegar ao bairro do Pirajá, em Salvador, ainda no dia 1º. Ao amanhecer do dia 2, o cortejo segue para a Lapinha onde ocorre o “encontro dos caboclos”. Após percorrer as ruas do Centro Histórico, terminam no Campo Grande, com o acendimento da pira dentro do Parthenon, junto aos restos mortais do general Pedro Labatut – mártir da independência.

Em 2008, pela primeira vez a capital do estado é transferida simbolicamente para Cachoeira, principal núcleo de resistência às tropas de Lisboa. Lá, o governador se reúne com representantes dos municípios que à época reconheceram a autoridade soberana do príncipe D. Pedro. Para os próximos anos, a transferência da capital está incorporada ao calendário da festa.

E o sol da liberdade, em raios fúlgidos, brilha mesmo é no céu do Recôncavo.

O exelente texto de Filipe Monteiro e Mariana Benjamin ( Revista de História da Biblioteca Nacional), acima apresentado, foi a inspiração para acionar o amigo e parceiro, sediado em Salvador, prof. Acúrsio Esteves o qual acompanhado pelo Prof. Luciano Meron nos brindou com esta fantástica reflexão sobre o contexto histórico e a Independência da Bahia.

Matéria Especial de Aniversário.

 

A Revolução de 2 de Julho de 1823

Prof. Acúrsio esteves / Prof. Luciano Meron – Julho 2009

A Missão

Recebi de Milani a tarefa de verificar possíveis indícios de participação de capoeiristas nas lutas pela independência da Bahia. Diligente, fui pesquisar nas bibliotecas de Salvador e no Instituto Histórico e Geográfico da Bahia, presidido pela historiadora professora Consuelo Pondé, e não encontrei um registro sequer de tal participação de forma organizada ou reconhecida, como foi na Guerra do Paraguai.

É óbvio, porém, que as batalhas acontecendo em Salvador e recôncavo baiano, – Cachoeira, São Félix, Maragogipe, Santo Amaro, Itaparica, São Francisco do Conde dentre outras cidades – berço dos capoeiristas mais famosos da Bahia, eles estavam com certeza presentes nas referidas contendas. Esta certeza se dá porque as tropas brasileiras eram compostas de pessoas comuns, brasileiros baianos que se revoltaram com a situação de jugo e literalmente “partiram pra cima” dos lusitanos. Entre eles, é claro, devia haver muitos capoeiras.

Porém, não temos elementos factuais, históricos, para afirmar que esta participação foi resultado de uma ação organizada dos capoeiras. Eles também estavam lá como o lavrador, o boiadeiro, o sapateiro e o escravo.

Porém, temos a certeza de que se não tivesse havido a revolta dos baianos contra os portugueses que insistiam em permanecer no Brasil após o grito de independência dado por D. Pedro I às margens do riacho Ipiranga, o mapa do nosso país seria hoje muito diferente do que é.

Um Pouco de História

Madrugada de 2 de julho de 1823. As tropas portuguesas que permaneceram no Brasil ocupando a Bahia após o “grito de independência” dado por D.Pedro I em 7 de setembro de 1822, desocupam a cidade do Salvador e evadem pelo porto. Depois de 18 meses de batalhas os cidadãos baianos voltam a ter controle sobre sua capital, a segunda mais importante cidade do Brasil no século XVIII. As tropas de Madeira de Melo perdiam a batalha.

Os gritos de independência ecoavam na Bahia décadas antes do movimento separatista de 1822. A Conjuração Baiana, de 1798, já conclamava a população a lutar pela independência. A ebulição política provocada pelo retorno de D. João VI, em abril de 1821, a Portugal e a posição das elites lusitanas de manter o Brasil como colônia ressuscitaram o velho ideal separatista.

À medida que se formava um bloco político ao redor de D. Pedro I, no intuito de consolidar os interesses nacionais, as relações entre portugueses e brasileiros se deterioravam. Autoridades portuguesas, especialmente militares, se colocavam abertamente contra lideranças brasileiras que criticavam o domínio lusitano. Na Bahia os atritos chegariam às ruas e confrontos entre unidades militares portuguesas e brasileiras começaram a ocorrer. Populares baianos apedrejavam portugueses em ruas da cidade. O clima era tenso.

Prevendo o pior, as autoridades portuguesas modificam o comando das forças estacionadas na Bahia, em janeiro de 1822. É nomeado o brigadeiro Inácio Luís Madeira de Melo como Comandante das Armas da província. Este procuraria apoio nos portugueses que viviam na cidade, especialmente comerciantes, que eram favoráveis á manutenção da dominação. Os primeiros atritos ocorreriam neste período, com a guarnição do Forte de São Pedro se rebelando e tiroteios sendo deflagrados pela cidade. À caça de revoltosos, tropas portuguesas invadiriam o Convento da Lapa, acarretando na morte da abadessa Joana Angélica.

Os conflitos provocaram o esvaziamento da cidade e a chegada de tropas – vindas do Rio de Janeiro – para reforçar as unidades lusitanas apressaram o processo. A guerra estava a um passo.

Cachoeira: Adesão à D. Pedro

A tensão política e os primeiros conflitos na Cidade do Salvador culminaram com a ruptura em relação à metrópole. A vila de Cachoeira manifesta-se favorável a que a Bahia passasse para a regência de D. PedroI, no Rio, ato que é logo seguido por outras vilas do recôncavo.

Uma Junta Conciliatória de Defesa é formada na cidade, aonde voluntários vindos do interior passam a ser treinados e defesas começam a ser organizadas em pontos estratégicos. As tropas profissionais que havia no Brasil eram predominantemente portuguesas, o que criou uma série de dificuldades para os separatistas. Era necessário treinar homens sem a menor experiência militar para lutar contra soldados experimentados e protegidos por fortalezas que cercavam a cidade. Daí a razão para a contratação de militares estrangeiros, como o oficial francês Pierre Labatut.

Ainda no recôncavo baiano seriam travados combates e escaramuças do tipo guerrilha, onde estes voluntários teriam grande importância. É nesta época que surge a figura de Maria Quitéria, que se travestiria de homem para se juntar às unidades que combatiam os portugueses.

Ainda em Cachoeira é organizado um novo governo, para comandar a resistência, a 22 de setembro de 1822, sob a presidência de Miguel Calmon do Pin e Almeida, futuro Marquês de Abrantes.

A Luta por Salvador

O Gen. Madeira de Melo tinha a vantagem de ter o porto como uma porta de entrada e saída da cidade em seu poder, mas, em contra partida tinha a península sob a ameaça das forças que vinham do recôncavo.
Neste contexto, dominar a Estrada das Boiadas era fundamental para sitiar a cidade. Esta estrada ligava Salvador ao norte da Bahia, num ponto em que hoje é conhecido como Pirajá, além disso, o domínio dessa região permitiria controle sobre a enseada de Itapagipe.

Desenho alusivo à Independência da Bahia, representando a participação do nativo brasileiro nas batalhas que levaram este estado à completa emancipação de Portugal. A Mesmo mal armados, com tropas heterogêneas _ contanto até com escravos _ predominando pessoas do povo, as forças patrióticas resistiram e aos poucos fecharam o cerco sobre a cidade. Soldados convergiam de várias áreas no esforço contra as unidades lusitanas, que tinham a confiança na vitória, já que predominava a inexperiência entre os brasileiros.  

No início de novembro de 1822, Madeira de Melo tentou romper o cerco: Ao amanhecer de 8, a Infantaria portuguesa desembarcou em Itacaranha e Plataforma; Ao mesmo tempo outras tropas atacaram Cabrito, ameaçando a retaguarda brasileira. Após cinco horas de violentos combates, sem um resultado decisivo, as tropas brasileiras começaram a recuar. Temiam um envolvimento e, conseqüentemente, um cerco. Neste instante ocorreu um fato duvidoso, mas extremamente curioso. O corneteiro Luis Lopes ao invés de tocar o recuo, ordenou o avanço da cavalaria com o som de “avançar e degolar”.

As forças lusitanas se aterrorizaram, acreditando haver reservas de cavalaria entre os nacionalistas. A confusão foi geral. Os oficias brasileiros perceberam a oportunidade de passaram à posição ofensiva, forçando as unidades de Madeira de Melo a abandonarem o campo de batalha.

Desesperado e na defensiva, Madeira de Melo ainda tentaria um assalto à Ilha de Itaparica, em janeiro de 1823, mas as forças locais resistiram ao assalto das embarcações de guerra e da infantaria lusitana. No mês seguinte algo parecido seria tentado pela região de Itapoã, mas, mais uma vez, as forças sitiadas fracassaram. O fim era uma questão de tempo.

A reviravolta se deu plenamente com a chegada de uma frota, vinda do Rio de Janeiro, com oito embarcações que apoiariam os baianos. Como ocorreu com o exército patriótico, a força naval necessitava de homens e oficiais experimentados, assim à frente dessa pequena esquadra estava o almirante inglês Lord Thomas Cochrane.

Com um cerco de mais de 11 mil homens e vários navios, Madeira de Melo se via sem alternativas. Em fins de junho decide por abandonar a cidade e aproveitando brechas no cerco naval evacua seus homens. Salvador passava novamente às mãos dos brasileiros e o Brasil, verdadeiramente livre.

 


  • Outras Informações (Fontes Externas):

Personagens Relevantes:

Caboclo e Cabocla:

Estas figuras simbólicas foram criadas para homenagear os batalhões e os heróis de 1823 que, pela bravura e coragem, lutaram pela liberdade do Brasil. A história conta que o povo resolveu fazer sua própria comemoração e, em 1826, levou uma escultura de um índio para representar as tropas, já que não poderia ser um homem branco, porque lembrava os portugueses, nem os negros que, na época, não eram valorizados. Vinte anos depois, a Cabocla foi incluída nas comemorações.

Maria Quitéria:

A maior heroína nas lutas pela independência do Brasil, na Bahia. Maria, ao ficar sabendo das movimentações sobre as lutas da independência, conseguiu uma farda do exército e se alistou para combater as tropas portuguesas. Participou de diversas batalhas e foi consagrada solenemente na chegada do exército à Salvador.

Joana Angélica:

Abadessa no convento da Lapa, Joana tentou proteger os soldados brasileiros contra a invasão do convento, mas acabou sendo morta.

Brigadeiro Ignácio Luiz Madeira de Mello:

Vindo de Portugal, assumiu o governo das Armas por imposição portuguesa. Tomou posse utilizando a força bruta e dominando a cidade de Salvador. Fortaleceu a relação entre Portugal e Bahia. Lutou contra o exército brasileiro.

General Pedro Labatut:

Foi quem assumiu o exército brasileiro das mãos do coronel Joaquim Pires de Carvalho e começou a enfrentar o exército português. Um homem duro, Labatut conseguiu reestruturar as tropas e reerguer a vontade pela liberdade do Brasil.

Coronel José Joaquim de Lima e Silva:

Assumiu o comando geral do exército brasileiro depois da prisão do general Pedro Labatut. Fez uma intensa ofensiva às tropas portuguesas. Conseguiu derrubar Madeira de Mello e assumir de volta a cidade de Salvador, vencendo a guerra.

 

O Brasão:

Com a independência política da Bahia foi necessário criar um Brasão de Armas. Ele tinha que representar os valores materiais e simbólicos da conquista, sem esquecer das batalhas e lutas que foram necessárias. Muitos estudos foram realizados e o povo teve a oportunidade de interferir. As idéias populares tornaram-se projetos na Assembléia Legislativa, em 1947.

Depois de analisados os projetos, a Câmara dos Deputados teve,em mãos, um projeto que reunia todos os pontos de vista, quer heráldico, político, espiritual ou tradicional e assim foi criado o Brasão ao 2 de Julho.

Curiosidades:

Uma luta tão duradoura, tão visceralmente ligada às aspirações de um povo, deixou um variado legado no folclore.

O historiador José Calasans registrou algumas quadrinhas que eram cantadas, de ambos os lados (portugueses e brasileiros):

Alegoria do “Caboclo”
* Dos portugueses, parodiando o Hino do Brasil:

Brava gente brasileira
Do gentio da Guiné
Que deixou as cinco chagas
Pelos ramos do café.

“cinco chagas” referia-se à bandeira portuguesa
“ramos do café”, alusão à bandeira adotada por Pedro I.

* Dos brasileiros, contra seus adversários, as quadrinhas:

Labatut jurou a Pedro,
Quando lhe beijou a mão,
Botar fora da Bahia
Esta maldita nação!

O Madeira queria
se coroar!
Botou uma sorte,
Saiu-lhe um azar!

 

Fontes:

http://www.revistadehistoria.com.br

http://ibahia.globo.com/especiais/2dejulho/

Alagoas sedia Encontro Internacional de Capoeira

De 31 de julho a 03 de agosto, acontece nos municípios de Maceió e União dos Palmares o I Muzenzumbi – "Capoeira na Terra de Zumbi"

Já faz uma semana do reconhecimento da capoeira como Patrimônio Nacional, mas a festa ainda continua. Alagoas sediará o I Muzenzumbi Capoeira Internacional – "Capoeira na Terra de Zumbi", nos dias 31 de julho a 03 de agosto, nas cidades de Maceió e União dos Palmares. A atividade é organizada pelo Grupo Muzenza.

Participam Mestres, professores e alunos de capoeira de Alagoas, Sergipe, Pernambuco, Bahia, Pará, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul e Israel. A estimativa é reunir 500 participantes, as inscrições são gratuitas e também estão disponíveis para simpatizantes.

A programação inicia com uma palestra sobre "Religião de Matriz Africana" ministrada pelo historiador e babalorixá Célio Rodrigues, às 20h, no Centro de Treinamento (sede) – localizado na Rua da Saudade, nº 60, Clima Bom 1. E na sexta-feira, acontecem rodas de capoeira às 17h no calçadão do comércio de Maceió, e às 20h, na sede do Muzenza.

Durante o final de semana, as atividades continuam em União dos Palmares. No sábado (02) às 18h, será inaugurado no bairro Jatobá o Centro de Treinamento do município. Os participantes terão a oportunidade de visitar à Serra da Barriga, local sagrado e palco da resistência negra, no domingo pela manhã. O encontro encerra às 15h, na Praça Basiliano Sarmento, com aulão de capoeira, batizado e trocas de cordas.

De acordo com Marcelo Cardoso (Mestre Girafa), coordenador do Grupo Muzenza em Alagoas, o encontro estimulará o intercâmbio sócio-desportivo e cultural. "Iremos mostrar um pouquinho da capoeira alagoana para o mundo". Afirmou ainda a importância do evento para o crescimento da capoeira local. "Esse evento tem grande importância porque fortalece a capoeira de Alagoas, ao trazer mestres e contra-mestres de vários Estados que possuem experiência nacional e internacional. A maioria dos mestres que estão vindo, ministram cursos em diversos países do mundo. O Mestre Burguês (coordenador nacional do grupo) chega no sábado, vem direto da Europa", declarou.

O evento conta o apoio da Fundação Cultural Palmares/Ministério da Cultura; Secretaria Estadual da Mulher, Cidadania e Direitos Humanos; Fundação Municipal de Ação Cultural de Maceió; e a Prefeitura de União dos Palmares.

Muzenza

A Associação Muzenza de Capoeira é um dos grupos mais conhecidos e tradicionais da modalidade. Fundado em 05 de maio de 1972, busca desenvolver o nível técnico, teórico e didático-pedagógico dos capoeiristas, além de valorizar os Mestres experientes.

Encontra-se em todo território nacional e 45 países (04 continentes), introduziu a capoeira em clubes, quartéis, escolas, academias, comunidades carentes e negras. Já realizou 03 campeonatos mundiais, 06 Opens de capoeira e diversos eventos no Brasil e no mundo.

No estado de Alagoas, o grupo encontra-se em Maceió (Clima Bom, Complexo do Benedito Bentes, Jacintinho, Chã da Jaqueira, Feitosa, Pestalozzi) e nos municípios de União dos Palmares, Delmiro Gouveia e Arapiraca. Há 13 anos utiliza a capoeira como ferramenta de inclusão social e educacional, realizando um amplo trabalho na periferia, em escolas das redes particulares e públicas; inclusive, com portadores de necessidades especiais.

Capoeira

A capoeira é uma das principais riquezas da cultura afro-brasileira une dança, música e luta. Praticada em mais de 150 países, por capoeiristas das mais variadas classes sociais e faixas etárias, sem discriminação quanto à religião, raça e gênero. Divide-se em dois estilos angola e regional, além de ter outras manifestações como: Maculelê, Puxada de Rede, Samba Duro e de Roda.

No dia 15 de julho, a capoeira foi eleita Patrimônio Cultural, pelo Conselho Consultivo do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Entrou na lista dos 14 patrimônios culturais do País, e o processo de registro inclui a roda de capoeira no Livro das Formas de Expressão e a criação de um plano de previdência especial para os "velhos mestres".

SERVIÇOS

Associação Muzenza de Capoeira – AL

Rua da Saudade, Nº 60, Clima Bom I. Tabuleiro Dos Martins. Cep: 57071-870 / Maceió-AL

Contatos: (82) 3033-3833 / 8814-4366 / 8816-6143 / 8808-9366

Texto: Helciane Angélica (Jornalista – 1102 MTE/AL)

Fotos: Grupo Muzenza (Divulgação)

I Festival Internacional de Capoeira do Grupo Ginga Camará 2008

PROGRAMAÇÃO

Dia 11 de Julho (sexta-feira)

10h-12h – Aulão na Praia da Nazaré (Prof. Marcha Lenta)
Tarde – Convivio na Praia da Nazaré
19h – Animação de Rua (Praça Principal da Nazaré)

Dia 12 de Julho (sábado)

10h – Workshop de capoeira com Mestre Robson Bocão e com Mestre Marcelo
13h – Almoço
15h – Workshop de Capoeira com Mestre Robson Bocão e com Mestre Marcelo
18h – Roda Aberta
20h – Jantar

Dia 13 de Julho (Domingo)

15h – Abertura
15:30 – Exibição do vídeo-documentário Memórias do Recôncavo: Besouro e outros Capoeiras, (Pedro Abib)
16h30 – Roda de Professores e Mestres convidados
17h – Formatura dos graduados
17h30 – Cerimonia de entrega de graduações
19h – Roda de encerramento

NOTAS:

Os cursos no Sábado vão ser divididos em iniciantes e avançados, ficando uma turma com cada Mestre de manhã e à tarde as turmas trocam de Mestre.

Os workshops serão Sexta e Sábado e terão um custo de 20 €.
Temos alojamento para alunos, mas é necessário trazer saco cama.

 

Urb. Quinta do Amparo, Edifício Bela-Vista R/c Esq. – 2415-583 Leiria

TLM: 91 4435862 / 91 3970930

www.ginga-camara.com – papagaiocamara@hotmail.com

Rio de Janeiro: Cordel & Capoeira para criança

Caros amigos,

No sábado e domingo próximo (28 e 29 de julho) as 14 horas no Parque Lage, estarei apresentando LITERATURA DE CORDEL & CAPOEIRA para crianças dentro da programação do FESTIVAL INTERCÂMBIO DE LINGUAGENS.

Haverá contação de história do folclore através da literatura de cordel, mini-aula e roda de capoeira.

Também estarei lançando o folheto ABC DA CAPOEIRA PARA CRIANÇAS.

Convidem seus alunos, filhos, sobrinhos etc…

Os capoeiristas adultos também são bem vindos para ajudar e participar da roda de capoeira.

DATA: SÁBADO E DOMINGO
28 E 29 DE JULHO DE 2007
 
HORA: 14 HORAS

ENDEREÇO: PARQUE LAGE – RUA JARDIM BOTÂNICO, 414
 

ENTRADA FRANCA!

Victor Garcia – "Lobisomem"
victorlobisomem@yahoo.com.br

Leiria: 5º Batizado e Troca de Graduações do Grupo Ginga Camará Capoeira

Papagaio, um grande camarada, está organizando o seu 5º evento em Leiria – Portugal.
 
Vale a dica de boa capoeira e animação garantida!!!
 
 
Programação:
 
Dia 20 de julho (sexta-feira):
 
19h – Recepção dos convidados (no ginásio Mais Corpo)
23h – Animação de rua: Roda na Fonte Luminosa
 
Dia 21 de julh (sábado):
 
10h – 13h – Workshop com Mestre Marcelo e Mestre Bocão
15h – 18h – Workshop com Mestre Bocão e Mestre Marcelo
20h – Jantar
22h – Animação de Rua
 
Dia 22 de Julho (domingo):
 
15h – Início do Baptizado no IPJ
19h – Lanche de encerramento do evento
 
Visite o site do Grupo: http://ginga-camara.com

Mestre Nininho: Festival de Música e Encontro de Capoeira

No último final de semana, no evento de Mestre Cotta (evento que em breve estaremos publicando uma matéria especial), em Benavente, uma Vila da região do Ribatejo, tive a oportunidade de estar novamente em contato com Mestre Nininho, um grande capoeirista, um lutador, um guerreiro de personalidade forte que "marca sua presença" conquistando a todos a sua volta com seu apurado senso de humor e alegria (apesar de sua cara amarada e feições sérias), que já havia conhecido em Lisboa durante o lançamento europeu do filme: Mestre Bimba a Capoeira Iluminada.
 
Na ocasião conversamos muito sobre a capoeiragem, as tendências e novas possibilidades, conversamos sobre grandes "mestres" do passado e do presente… mais acima de tudo trocamos informações buscando sempre uma maior interação inter-grupos no interesse da "nossa arte/luta".
 
No próximo final de semana (13 / 14 de Julho, Mestre Nininho, estará organizando em Portugal, um festival de música e encontro de amigos da capoeira, para o qual tive a honra de ser convidado para fazer parte da comissão julgadora.
 
Uma ótima oportunidade de convivência, troca e aprendizado!!!
Grupo AGBARA Capoeira
 
Festival e Encontro de Capoeira
13 / 14 De Julho
 
 

• Para participar do evento será cobrada uma taxa de 20 €, e no dia a taxa será de 25€;
 
• As inscrições para o encontro e o festival devem ser feitas com antecedência, para que todos tenham direito ao alojamento e alimentação;
 
• O prémio do festival de música será em dinheiro;
 
• Sua presença é muito importante para o êxito desse evento, venha participar com os seus alunos, quem sabe você não poderá ser um dos vencedores do festival de música de capoeira.
 
• As músicas podem ser Chulas, Ladaínhas, Quadras, e Corridos.
 
 
Informações/Inscrições:
 
Mestre Nininho: 91 773 84 69
 
Sininho: 91 947 59 45 / 96 334 09 26 –  catia.sininho@netcabo.pt
 
* Obs: Trazer saco cama

Capoeira Carioca: Articulação & Movimento Capoeira é PAN

Capoeira também faz parte do Pan
25/06/2007 – GloboEsporte.com
 
Um grupo de 20 idosos capoeiristas do programa Farmácia Popular, do Governo do Estado do Rio de Janeiro, irão participar dos Jogos Pan-americanos Rio 2007. Eles não são atletas, mas farão um evento paralelo, no dia 18 de julho, no Circo Voador, na abertura do “Capoeira é Pan 2007”. Promovido pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer do Rio de Janeiro, o evento acontecerá também na Leopoldina, na zona portuária da cidade e na praia de Copacabana, onde haverá um aulão de capoeira, com palestras, oficinas, shows e telões com filmes sobre o tema. Para a maioria, a capoeira é mais do que um divertimento, é uma verdadeira terapia.
 
– Além dos efeitos físicos e clínicos, a capoterapia melhora a auto-estima e socialização do idoso – afirma o professor Renato Bastos, o mestre Baiano, da Federação de Capoeira do Rio de Janeiro.
Os idosos, que fazem aulas três vezes por semana, foram convidados para carregar a tocha pan-americana em Parati no dia 9 de julho. 
 
 
Capoeira Carioca: Articulação & Movimento Capoeira é PAN
 
Aguardando o momento dos XV Jogos PAN-AMERICANOS do Rio de janeiro, no período de 13 a 29 de julho de 2007, aqui na cidade maravilhosa, a capoeira articula-se para bem representar, como bela anfitriã que é, a nossa cultura tão multifacetada e que mostra por demais a cara e o jeito do povo brasileiro. Não é que a capoeira queira ser a mais representativa das manifestações folclóricas, longe de disso, pois seus integrantes também atuam em outras frentes de resistências culturais, mas é que somos ousados e gostamos de dar saltos e floreios à frente das manifestações oficiais organizadas pela classe dominante e, como festeiros que somos, estamos a nos organizar para mostrar a beleza exuberante de uma das muitas manifestações folclóricas (e que também é manisfestação desportiva quando quer) que este nosso país tem a apresentar para o mundo se maravilhar.
 
Os integrantes desta reunião de caráter organizador do evento CAPOEIRA É PAN, estipularam o período de 18 a 22 de julho de 2007, dentro da ebulição dos Jogos Pan-americanos, para a realização da programação que está sendo elaborada.
 
Locais de importâncias históricas e culturais estão disponibilizados por seus administradores para a comissão se servir deles da melhor maneira para que o público local e turístico possa se sintonizar e se harmonizar e aprender mais sobre o nosso passado e o que o Rio de Janeiro representa para a capoeira e vice-versa.
 
CAPOEIRA É PAN 2007A mídia da Secretaria de Cultura e da Secretaria de Esporte e Lazer da Cidade do Rio de Janeiro está à disposição deste grandioso evento capoeirístico dentro do PAN, bem como a Casa Rosa da Rua Alice em Laranjeiras e o Ponto de Cultura Estação Barão de Mauá, lá na reunião, através de seus administradores, se disponibilizaram para o evento.
 
A próxima reunião para andamento e fechamento das propostas será agendada pela comissão organizadora, composta pela Federação de Capoeira Desportiva do Estado do Rio de janeiro (a centralizadora junto às entidades governamentais ), Federação de Capoeira do Estado do Rio de janeiro, Federação Fluminense de Capoeira, Grupo Muzenza de Capoeira, Grupo Capoeira Brasil e Centro Cultural Senzala.
 
Depois então todos serão convidados a compor uma numerosa assembléia para discutir e aprovar (ou não) os pontos de pauta apresentados pela comissão organizadora.
 
 
Evento e Passeata
 
CAPOEIRA É PAN 2007 (considerado de : PRÉ PAN DA CAPOEIRA). 
 
CAPOEIRA É PAN 2007Esse evento vai homenagear:
MESTRES DA CAPOEIRAGEM,TERÁ PRESENÇA DE AUTORIDADES, PALESTRAS E DEBATES, OFICINAS DE INTRODUÇÃO, PARA OS ADMIRADORES DE COMPETIÇÕES, TERÁ COMPETIÇÕES NA MODALIDADE, CONJUNTO E DUPLAS, AULÃO NA AVENIDA ATLANTICA, COM UMA GRANDE PASSEATA DA CAPOEIRAGEM, TENDO A PRESENÇA DE MESTRES E DISCIPULOS E ADMIRADORES, CONTAREMOS COM A PRESENÇA DA BATERIA DA ESCOLA DE SAMBA ESTAÇÃO PRIMEIRA DE MANGUEIRA.
 
Mestre Arerê

Portugal – Mestre Cotta: “3º Campeonato Internacional de Floreio dentro do Jogo da Capoeira”

A Capoeira é hoje uma modalidade desportiva que tem vindo a ganhar uma expressão significativa em todo o mundo. A língua que os portugueses levaram para o Brasil, percorre hoje o mundo inteiro através da capoeira: pelas músicas na roda, pela história, pela ânsia de saber mais sobre a língua e a cultura destes dois países.
A Associação de Capoeira é um dos grandes percursores desta modalidade, desenvolvendo já um trabalho Internacional com atletas formados espalhados por toda a parte.
Com uma grande tradição na organização de Campeonatos, a Associação de Capoeira Raiz do Brasil pretende com estes prestar um serviço de evolução à modalidade. A Competição força a uma dedicação muito grande por parte dos atletas, aproxima estes do profissionalismo e ainda permite todo um convívio e intercâmbio entre estes.
A Associação vem assim este ano realizar uma vez mais o “Campeonato Internacional de Floreio dentro do Jogo da Capoeira”, um campeonato cujo objectivo é dentro de um jogo de capoeira explorar ao máximo as capacidades acrobáticas dos atletas.
 
Visite o site oficial do EVENTO: http://www.raizdobrasil.net/
 
Programação:
 
6 de Julho (Sexta-Feira)
18:00 – Recepção dos convidados
19:00 – Roda de Abertura
20:00 – Jantar
23:00 – Encerramento
00:30 – Roda de Rua (Vila Franca de Xira)
 
7 de Julho (Sábado)
08:00 – Pequeno-almoço
10:00 – Workshops com os Mestres Convidados
12:00 – Almoço
14:00 – Apresentação das Equipas
14:30 – Inicio do Campeonato
20:00 – Jantar
21:00 – Troca de Graduações e Baptizado
22:00 – Roda (livre)
22:30 – Entrega de Prémios
23:00 – Encerramento
23:30 – Festa de confraternização (Local a Designar)
 
8 de Julho (Domingo)
08:00 – Pequeno-almoço
10:00 – Roda de Encerramento
12:00 – Almoço de Convívio
Pack´s
 
Pack Completo
Camisa, Alojamento, Workshops, Refeições(Sábado) e Campeonato – 35€
 
Pack Desportivo
Camisa, Alojamento, Workshops e Campeonato – 25€
 
Pack Visitante –
Camisa, Alojamento e Workshops – 15€
 
Pack Atleta
Camisa e Campeonato – 10€
 
Pack Público
Camisa – 5€
Inscrições até às 13:00 do dia 8 de Julho
Alojamento – Centro de Estágios de Benavente
(10 minutos a pé do local do evento)
• Cama
• WC
• Sala Convivio
 
Refeições (cada)- 10€
Pequeno Almoço (Galão ou Sumo + 1 Sandes) – 2€
Observação:
As marcações para as refeições (Pequeno-Almoço, Almoço e Jantar)
serão efectuadas antecipadamente.
 
Local:
 
Pavilhão Gimnodesportivo da Escola Secundária de Benavente
• Balneários
• Bancadas
• Bar
• Posto Médico
• Estacionamento
 
Observação:
O espaço reservado ao evento (Campeonato, Workshops, Rodas) é expressamente proibido o uso de calçado não apropriado.
Confirmação de Presença:
A Associação de Capoeira Raiz do Brasil, vem assim convidá-lo a estar presente neste evento, para tal agradeciamos a confirmação da sua presença.
Contamos com a sua presença e para garantir a sua melhor estadia, agradeciamos a sua confirmação de presença. Qualquer dúvida ou outro assunto, não hesite em contactar-nos.
 
Mestre Cotta
Telem.  +351 963764912

Portugal - Mestre Cotta: 3º Campeonato Internacional de Floreio dentro do Jogo da Capoeira A Associação de Capoeira Raiz do Brasil, vem este ano a realizar o "3ºCampeonato de Floreio dentro do Jogo da Capoeira", contamos a com a presença de todos os atletas desta modalidade.
 
Caso esteja interessado em fazer sua inscrição com antecedência e assim garantir a sua vaga no Campeonato, Alojamento e T-Shirt do evento, agradecemos que entre em contacto afim de receber o nosso NIB e proceder à inscrição via e-mail.
 
• Não é necessária a participação do Campeonato para participar no evento em geral
• Inscrições com antecedência, solicitar NIB
• É expressamente proibido filmar total ou parcialmente o evento
• Todo o Capoeirista interessado em participar mas que tenha alguma dúvida, não hesite em contactar-nos
• Agradecemos a todos os Professores e Mestres que avisem atempadamente a estimativa de atletas presentes e tamanhos para as T-Shirts
Suely Costa – Monitora Fada
Telem. +351 963468604

Espanha: Reencontro da Senzala

Salve para quem é de Salve !
Axé para que for de Axé !
O Capoeira velejando contra a maré.
Venho trazendo informações sobre o nosso  "Reencontro da Senzala" do dia 14 ao 22 de Julho em Costa Brava na Espanha.  Esse apelo que faço aqui atravéz desse informativo é sem intenção financeira.   Pela minha vontade propria e com a benção do nosso Mestre Sombra, eu conto com os meus Camaradas dessa familia Senzala que aqui estão na Europa.Juntos daremos a ocasião de reecontrar aquilo que sempre fez de nos uma familia Senzala de Santos. Graças a  nossa amizade, nosso respeito, nossa confiança, nossa adimiração que temos pela pessoa de  Mestre Sombra.
 
A Capoeira nos abriu os caminhos das nossas vidas até o dia de hoje. E cada um de nos temos o futuro traçado por ela. Porem é hora de abrir nossos corações . Para que num futuro proximo voltemos a compartilhar o que nos uniu ao redor do nosso Mestre Sombra.
 
Esse Reencontro vai ser feito num Acampamento.  Esses valores estão incluindo o Café da manha, almoço, hospedagem no Camping e o Estàgio de Capoeira.
 
                                                    Tarifa    Não rembolsavel Data limite de pagamento
Pré inscrição antes do dia 15 de abril    350€    100€                   15 de Junho
Pré inscrição antes do dia 15 de Maio    375€    100€                   15 de Junho
Pré inscrição antes do dia 15 de Junho  400€    100€                     1° de Julho
Inscrição apartir do dia 16 de Junho      450€                                1° de Julho
 
 
O preço para os responsaveis dos grupos é de 200€, esse valor minimo serve para cobrir as despesas de cada um. Os que são acompanhados de filhos com menos de 5 anos seram alojados em apartamentos. (Para o bem estar das Crianças). Contamos com o bom senso de cada um.
 
As inscrições ficam à critério de cada responsavel das associações para com o seus alunos. Ao final das datas limites, por favor, entrem em contato por telefone ou por e-mail  para mantêr-me informado de quantos ja estao inscritos em suas associaçãoes. Temos um limite de participantes. Por esta razão, conto com todos a me  manter informado até as datas limites de inscrição.
 
Junto a esse informativo vai uma ficha de inscrição que cada um deve pré-enchê-la e nos entregar junto do pagamento dos seus alunos ao chegar no dia 14 de julho na Espanha.
 
Se por acaso as informações não foram suficientes, entrem em contato por e-mail ou telefone.  
 
Agradeço a todos pela atenção e conto com a presença de todos.
 
Axé para quem for de Axé !
 
MESTRE BEIJAFLOR