Blog

necessidade

Vendo Artigos etiquetados em: necessidade

Secretária de Políticas para Mulheres destaca o “Outubro Rosa”

Considerando dados estatísticos que apontam as mulheres como maioria populacional no Brasil (52%), a secretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Vera Lúcia Barbosa, destacou hoje (27) a campanha do governo estadual de massificação do exame de mamografia em toda a Bahia. A iniciativa faz parte do chamado “Outubro Rosa”, movimento popular realizado mundialmente contra o câncer de mama.

Em audiência pública promovida na Assembléia Legislativa, a secretária disse que “o governo está fazendo a sua parte”, ao se incorporar à luta de movimentos sociais e de mulheres para a detecção e tratamento eficaz da doença. Ela citou o mutirão realizado pela Secretaria Estadual de Saúde do Estado, que vai percorrer 28 microrregiões nos próximos meses.

A senadora Lídice da Mata reforçou a necessidade de promover a saúde integral das mulheres. “O câncer de mama e de útero são as principais causas da mortalidade de mães no Brasil. Precisamos de uma atenção especial para esta questão”, disse. O deputado estadual Rosemberg Pinto, proponente do debate, reforçou: “Se detectarmos precocemente o câncer, vamos salvar a vida de muitas mulheres”, frisou.

 

Assessoria de Imprensa:

Kleidir Costa  – 71 3117- 2819 / 8224-2737

Nota de Falecimento: Mestre Bigodinho

Morre um dos maiores representantes da cultura popular da Bahia.

Morreu, nesta terça-feira (05/04/11), no hospital  em Santo Amaro, Mestre Bigodinho, conhecido por seu trabalho na capoeira, um Mestre conceituado

O enterro será realizado na Quinta dos Lazaros.

O mestre nos deixa a lembrança da importância de se valorizar e se reconhecer os constituintes da nossa cultura popular enquanto vivos.

Mestre Bigodinho

Reinaldo Santana – Mestre Bigodinho, Exímio cantador e tocador de berimbau, nascido em 13 de setembro de 1933 na cidade de Santo Amaro, na Bahia, começou na capoeira em 1950 com Mestre Waldemar Rodrigues da Paixão, permanecendo até 1970, onde se afastou devido a repressão e discriminação sofrida na época.

Em 1997, incentivado por seu amigo – o Mestre Lua Rasta, retornou ao convívio da capoeira, para a satisfação de todos que admiram essa nobre arte.

Mestre Bigodinho reside atualmente em Salvador/BA e viaja por todo o mundo levando seu conhecimento e amor pela capoeira.

 

“A Capoeira é uma defesa pessoal e cada qual se defende como pode na hora da necessidade. A capoeira não é valentia”.

“Faça pouco bem feito do que muito mal feito”.

 

Nossos mais sinceros pesames a todos os “membros da familia Santana” e nossa singela homenagem a um dos mais conceituados e respeitados mestres da nossa capoeiragem… Um cantador de timbre único e entoação ímpar… Muita paz para continuar gingando nesta “eterna roda da vida”.

Portal Capoeira


Capoeira muda a vida de crianças, jovens e adultos na periferia de Petrolina

Foi a necessidade de ajudar a comunidade onde vive que incentivou Frank Torres a desenvolver um projeto social; a iniciativa tem dois meses e já atraiu mais de 20 alunos.

No Sertão pernambucano, um mestre dedica parte de seu tempo para ensinar crianças, jovens e adultos, da periferia de Petrolina, os segredos e as lições da capoeira. Foi a necessidade de ajudar a comunidade onde vive que incentivou Frank Torres a desenvolver um projeto social.

“A capoeira não é muito valorizada aqui em Petrolina e eu quero mudar isso. Ajudando o próximo, acho que todos nós nos sentimos realizados pessoalmente”, conta o mestre de capoeira. A iniciativa tem apenas dois meses e já atraiu mais de 20 alunos.

O trabalho é voluntário, mas traz um lucro imenso para quem ensina e para quem aprende.

“A capoeira é uma dança muito bonita. Ela transformou muito a minha vida. Me tirou das brigas nas ruas, de fazer maldades.

Hoje estou aqui na capoeira, fazendo muitas coisas”, conta o aluno Álvaro, de apenas 10 anos.

 

Fonte: pe360graus.com

Onjó Angoma a Casa do Tambor

“A música me ama
ela me deixa fazê-la
a música é uma estrela
deitada em minha cama”
Paulo Cesar Pinheiro

Há muitos, mas não tantos anos, descobri o quanto a música me era importante. Especialmente a música popular, de raiz – aquela criada com caldo de sururu, mugunzá, canjiquinha e feijoada. Música da terra brasileira, da estância, do sertão, do banhado, do alagado, da mata, da serra, da caatinga, do quilombo e da praia.

Onjó Angoma nasceu do prazer, mas também da necessidade e da sorte. O prazer de ouvir o couro rufar, de sentir rolar o rolo, de chocalhar o ganzá, de sapatear na catira e gingar na capoeira. A necessidade de colocar o pão na mesa, rechear o bucho. E a sorte de conhecer o grande artesão que é Fernando Gupiara.

Fernando trabalha construindo instrumentos musicais há quase duas décadas. Atabaques, caixas de folia, pandeiros, berimbaus, xequerês, zabumbas, pandeiros, caxixis, cuícas – com todos eles se entende, a todos eles dá vida.

Onjó Angoma é um lugar para poetizar, e também uma loja. Cada produto exposto está à venda, a menos que explicitamente informado o contrário. Com umas poucas exceções, cada instrumento é feito artesanalmente, e por isso nunca haverá dois iguais.

Aceitamos encomendas de qualquer porte, e despachamos para qualquer lugar do mundo.

Agora deixe de cerimônia, e passeie um bocado. Seja bem-vindo para ver, ouvir e batucar !

Axé,
Teimosia

 

Onjó, s. f. Casa, rancho, cafua. Do umbundo “onjó”, casa. Angoma, s. f. (1) Nome genérico, no Brasil, dos tambores da área banta. (2) Do termo multilingüístico “ngoma”, tambor, através do quimbundo ou do quicongo.

A Confraria Carioca de Capoeira – C.C.C.

A CONFRARIA CARIOCA DE CAPOEIRA – (C.C.C.)

Nasceu de um grupo de amigos e com iniciativa do Mestres Burguês – Hulk – Arerê – Columar – King – Gegê – Edvaldo Baiano – Martins – Lua – Montana

A partir da necessidade de unir seus grupos com as seguintes propostas:

1- Trabalhar juntos com ideologias diferentes em prol da CAPOEIRA . (Esse é o nosso grande desafio)

2- Respeitar a individualidade de cada Grupo e de cada Mestre.

3- Enfocar uma comunidade de CAPOEIRA.

4- Os trabalhos de cada Grupo ou Mestre continuam individualmente mais, o objetivo principal é de reunir.

5- Juntar o saber popular com o saber academico.

6- Objetivo coletividade e não ao individualismo.

7- Pensar mais na CAPOEIRA e não no seu grupo.

8- O nosso grande instrumento é o diálogo.

9- Amadurecer a ideia de fazer um evento todos juntos.

10- NOSSO LEMA:

– RESPEITAR AS DIFERENÇAS

– HUMILDADE

– UNIÃO

A necessidade de manter o respeito aos fundamentos, o compromisso e seriedade com a Capoeira. A história da capoeira no Rio de Janeiro passa a ser vista com mais credibilidade quando há  forças, de companheiros com  o compromisso da nossa CAPOEIRA.  Respeitar as diferenças , humildade, união e seriedade com a capoeira. Isto é  a  CONFRARIA CARIOCA DE CAPOEIRA – (C.C.C.)

A CONFRARIA CARIOCA DE CAPOEIRA – C.C.C.

FUNDADORES:

EDVALDO BAIANO – MARTINS – KING – MONTANA – GEGÊ – COLUMA – ARERÊ – HULK – LUA E BURGUÊS.

LANÇAMENTO DA CONFRARIA DIA 27 DE FEVEREIRO DE 2010 GRANDE RODA NA PEDRA DO SAL (PRAÇA MAUÁ, Rio de Janeiro/RJ, Brasil)

O COLEGIADO DA C.C.C

CONFRARIA DE ESCRAVOS VOLTADA PARA A LIBERTAÇÃO DE OUTROS ESCRAVOS

Programa Social da Capoterapia e Nova Praça de Taguatinga

Nova Praça de Taguatinga
 
PRAÇA DA CAPOTERAPIA
NOVO CARTÃO PORTAL DA CIDADE
 
A Administração Regional de Taguatinga, na gestão do Sr. José Humberto, em reconhecimento ao Programa Social da Capoterapia (capoeira adaptada para a 3ª idade) ministrada por Mestre Gilvan há 9 anos, presenteou-os com a construção de uma linda Praça na Avenida Hélio Prates/QNL 23 em Taguatinga Norte, onde também beneficiará toda a comunidade com: calçadão de 1.600m para caminhadas e coopers, playgroud, espaço para vivências de diversas atividades físicas. O espaço contará também com palco de forma redonda para práticas da capoeira, mesas e bancos ao redor, muitas árvores, uma calçada criada para homenagear nomes de Mestres já falecidos "in memorian", que contribuíram na história da arte contagiante da capoeira.
 
Iniciativas como a do Ex-Administrador José Humberto, sensível a necessidade de espaços culturais de nossa cidade, onde através da construção deste espaço, vem valorizar ainda mais a grandeza da cultura genuinamente brasileira, a CAPOEIRA.
 
Gostaríamos que todos compartilhassem com este grandioso feito, participando do 1º Aulão de Capoterapia no dia 03 de junho de 7 às 9h com distribuição de 5.000 bolas de sorvete.
 
Maiore Informações: 61 3475-2511/9962-2511

CENTRO DE CONVIVÊNCIA DA CAPOTERAPIA

Nova Praça de Taguatinga
 
CENTRO DE CONVIVÊNCIA DA CAPOTERAPIA – NOVO CARTÃO PORTAL DA CIDADE

A Administração Regional de Taguatinga, na gestão do Sr. José Humberto, em reconhecimento ao Programa Social da Capoterapia (capoeira adaptada para a 3ª idade) ministrada por Mestre Gilvan há 9 anos, presenteou-os com a construção de uma linda Praça na Avenida Hélio Prates/QNL 23 em Taguatinga Norte, onde também beneficiará toda a comunidade com: calçadão de 1.600m para caminhadas e coopers, playgroud, espaço para vivências de diversas atividades físicas. O espaço contará também com palco de forma redonda para práticas da capoeira, mesas e bancos ao redor, muitas árvores, uma calçada criada para homenagear nomes de Mestres já falecidos “in memorian”, que contribuíram na história da arte contagiante da capoeira.
Iniciativas como a do Sr. Administrador José Humberto, sensível a necessidade de espaços culturais de nossa cidade, onde através da construção deste espaço, vem valorizar ainda mais a grandeza da cultura genuinamente brasileira, a CAPOEIRA.
Gostaríamos que todos compartilhassem com este grandioso feito, enviando E.MAILs de opiniões construtivas, no intuito de incentivar outros, sensibilizando-os na construção e valorização cultural da cidade.

Fone 061 34512546
administracaoregional@taguatinga.df.gov.br
www.taguatinga.df.gov.br