Blog

núcleo

Vendo Artigos etiquetados em: núcleo

Cubatão: Cidadania, Intercâmbio e Capoeiragem…

Grupo de Capoeira Meninos Guerreiros inaugura núcleo no Residencial Rubens Lara

O Centro de Esporte e Cultura da Capoeira Meninos Guerreiros Brasil/Suíça terá a partir de domingo, dia 11, mais um núcleo montado em Cubatão, na quadra esportiva da escola construída no Conjunto Residencial Rubens Lara, ao lado do IFSP – Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, no Jardim Casqueiro.

Conforme Fábio de Oliveira Reis, o mestre Cabrito, a aula inaugural deste domingo terá início às 19 horas, com a presença de vários mestres, contra-mestres e professores da região. O evento estará aberto para todos os interessados em conhecer a capoeira, reconhecida como a única luta genuinamente brasileira.

O Grupo Meninos Guerreiros existe desde 1982, tendo iniciado suas atividades na extinta Vila Parisi, em Cubatão. Hoje conta com 13 núcleos no município, mais dois em São Vicente, um em Pernambuco, um em Campinas e outro em Clermont Ferrand, na França, todos sob o comando dos mestres André e Geraldo.

O mestre informa ainda que as aulas serão gratuitas e realizadas aos sábados e domingos, das 19h às 22 horas. Mestre Cabrito destaca ainda o apoio que a entidade recebe da Coopertec.

Para mais informações os interessados podem entrar em contato pelo endereço de correio eletrônico fabio_cabrito@hotmail.com ou pelos telefones (13) 9719-4603, ou 7816-6182, ID13*916230.

 

Texto: Lula Terras – MTb. 13.553

Laboratórios de Capoeira e Cultura Popular gratuitos no Teatro Escola SESC

Estão abertas inscrições para os Laboratório de Capoeira e para o de Cultura Popular no Teatro Escola SESC (Uzina)- Gratuita

Manifestações culturais

CapoeiraBuscar, através do contato com nossa arte popular, um desenvolvimento integral dos participantes (dimensões do corpo, mente, emoções), onde estes, além de praticarem uma atividade lúdica e prazerosa, possam resgatar as suas raízes e reafirmar a sua brasilidade. Necessita de uniforme especifico.

Ministrantes:
Marcus Macul
É professor de Educação Física (UCB), especialista em Marketing e Administração Esportiva (FAMATH) e em Abordagem Transdisciplinar Holística pela UNIPAZ-RJ/FSJT, massoterapeuta, professor do Centro Cultural Senzala de Capoeira e coordenador do Núcleo de Cultura Popular para a Paz.
Barbara Tinoco Garotti (Pantera)
É graduada em Produção Cultural (UFF), especialista em Abordagem Transdisciplinar Holística da UNIPAZ-RJ/FSJT, professora do Centro Cultural Senzala de Capoeira, integrante do Núcleo de Cultura Popular para a Paz.
Cecília Einsfeld
É professora de Música (Conservatório de Música do Rio de Janeiro), graduada em Produção Cultural (UFF), especialista em Abordagem Transdisciplinar Holística pela UNIPAZ-RJ/FSJT, professora do Centro Cultural Senzala de Capoeira, integrante do Núcleo de Cultura Popular para a Paz.

Dias e horários: sábado das 16h30min às 18h30min. 
Local: Praça glória 
Carga horária: abril: 08 horas/aula – maio: 08 horas/ aula – junho: 08 horas /aula – Total: 24 horas / aula
Vagas: 30 vagas

AULA ABERTA – DEMONSTRAÇÃO
Dia 19/03/2011 às 15 horas. 

Danças Populares

Visa despertar a atenção dos envolvidos para a nossa riqueza cultural expressada pelo meio de danças: Jongo, Coco, Ciranda Pernambucana, Samba de roda do Recôncavo, Samba Chula e Maculelê. Necessita de uniforme específico.

Ministrantes 
Marcus Macul 
É professor de Educação Física (UCB), especialista em Marketing e Administração Esportiva (FAMATH) e em Abordagem Transdisciplinar Holística pela UNIPAZ-RJ/FSJT, massoterapeuta, professor do Centro Cultural Senzala de Capoeira e coordenador do Núcleo de Cultura Popular para a Paz.
Barbara Tinoco Garotti (Pantera)
É graduação em Produção Cultural (UFF), especialista em Abordagem Transdisciplinar Holística da UNIPAZ-RJ/FSJT, professora do Centro Cultural Senzala de Capoeira, integrante do Núcleo de Cultura Popular para a Paz.
Cecília Einsfeld
É professora de Música (Conservatório de Música do Rio de Janeiro), graduada em Produção Cultural (UFF), especialista em Abordagem Transdisciplinar Holística pela UNIPAZ-RJ/FSJT, professora do Centro Cultural Senzala de Capoeira, integrante do Núcleo de Cultura Popular para a Paz.

Dias e horários: domingo das 14h00min às 16h00min.
Local: Sala de dança
Carga horária: abril: 08 horas/aula – maio: 08 horas/ aula – junho: 08 horas /aula – Total: 24 horas / aula
Vagas: 30 vagas

 

Nosso trabalho com as diversas manifestações culturais brasileiras, é estruturado em uma nova metodologia de ensino que une a metodologia e a tradição do C.C. Senzala, com a metodologia da UNIPAZ – Universidade Holística Internacional,pioneira em trazer os conceitos holísticos e transdisciplinares ao Brasil. Esta metodologia criada pelo Professor Feinho tem como finalidade criar uma cultura de paz, possibilitando uma consciência holística.

FICHA DE INSCRIÇÃO PARA OS LABORATÓRIOS DO UZINA

As fichas deverão ser impressas, preenchidas e entregues com a cópia do documento de identidade (RG) na Assessoria de Cultura do Teatro SESC, situada na Av. Ayrton Senna, 5677 – Jacarepaguá, Rio de Janeiro, conforme previsto no item 2 das Normas de Inscrição do UZINA, a partir do dia 15/MAR.

*NÃO HAVERÁ INSCRIÇÃO ONLINE*

LINKS PARA FICHA DE INSCRIÇÃO:
http://www.4shared.com/file/5SOk8gqN/Ficha_de_inscrio_-_Laboratrios.html (.docx)
http://www.4shared.com/document/5RNGQM1I/Ficha_de_inscrio_-_Laboratrios.html (.pdf)
http://www.4shared.com/document/FCjpRgbJ/Ficha_de_inscrio_-_Laboratrios.html (.doc)

Grupo Meninos Guerreiros reúne mais de 250 capoeiristas no Centro Esportivo Castelo Branco

O Centro Esportivo Castelo Branco foi tomado por mais de 250 capoeiristas neste domingo, dia 4, por ocasião do 2º Aulão Aberto de Capoeira, promovido pelo Grupo Meninos Guerreiros. Segundo o mestre Cabrito, um dos organizadores, o evento serviu ainda para a entrega dos 300 uniformes (calça de helanca branca e camiseta branca de algodão), doados pela Petrobras ao Grupo, que conta hoje com 10 núcleos de capoeira em vários pontos de Cubatão. Em seu discurso, mestre Cabrito agradeceu o apoio da prefeita Marcia Rosa, representada no evento pelo secretário municipal de Educação, Fábio Inácio de Oliveira. Também estiveram presentes o mestre Cícero e professor Flávio, integrantes da Associação de Capoeira Senzala, de Guarujá.

Além da entrega dos uniformes, mestre Cabrito diz que aconteceu um aulão aberto de capoeira ministrado pelo mestre Geraldo, mestre Beto, contra mestre Kleiton, contra mestre Amaral, contra mestre Liminha, contra mestre Abridor, monitor Tatu e contra mestre Bruno, com a participação de cerca de 200 alunos com idades de 4 a 79 anos.

“Prefeitura entregou uniformes doados pela Petrobras

O Grupo Meninos Guerreiros representará a cidade nos Jogos Regionais de 2010, a serem realizados em julho na cidade de Guarujá. O grupo (formado por oito atletas, sendo quatro homens e quatro mulheres) tentará repetir o sucesso de 2009, quando se sagrou campeão da 2ª Divisão e conquistou medalha de ouro com o mestre Águia, do grupo Aliança.

 

História – O Grupo de Capoeira Meninos Guerreiros nasceu na antiga Vila Parisi, no dia 1º de abril de 1984, no Projeto PLIMEC. Este projeto tinha por objetivo atender as crianças e jovens do extinto bairro na intenção de dar a eles a oportunidade da escolha de um futuro melhor. O fundador e presidente do grupo é José Geraldo de Oliveira, tendo como vice-presidente, André Luiz dos Santos Ribeiro, e administradora, Cristina dos Santos Ribeiro.

O grupo conta com cerca de 260 alunos, divididos em 10 núcleos de ensino: Núcleo Cota 200, responsável Mestre Bilé (Hermenegildo); Núcleo UME Estado de Alagoas, responsável professor Coelho (Marivaldo); Núcleos Bolsão 7, 8 e 9, responsável contramestre Tabú (Edicarlos); Núcleo Conjunto São Judas Tadeu, responsável Formado Chapa; Núcleo UME Princesa Isabel, responsável contramestre Liminha (David); Núcleo Ilha Bela, responsável monitor Morcego (Aldenir); Núcleo Vila Esperança, responsável mestre Cabrito (Fábio); Núcleo Vila São José, responsável mestre Capoeira (Edilson). As aulas são ministradas gratuitamente. Mais informações pelos telefones 9719-4603 ou 8845-0663, com mestre Cabrito.


Texto: Lula Terras – http://www.cubatao.sp.gov.br

V Fórum de Capoeira e Cidadania e II Festival de Capoeira Inclusiva

Nos dias 13 e 14 de novembro, o Núcleo de Formação Cidadã (NFC) da Metodista realizará o V Fórum de Capoeira e Cidadania e o II Festival de Capoeira Inclusiva, coordenados pelo Prof. Ms. Eduardo Okuhara.

Nesta 5ª edição, o evento abordará a história da capoeira e contará com a presença do Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares, professor adjunto da Universidade Federal da Bahia, que destaca em seus trabalhos a história da escravidão africana no Brasil e atua principalmente nos temas Capoeira e Escravidão.

A entrada é franca. Confira abaixo a programação:

Dia 13 de novembro

Horário: das 19h30 às 22h
Local: Auditório Sigma
Capoeira: mitos e fatos – Prof. Dr. Carlos Eugênio Líbano Soares
Homenagem ao mestre Capoeirista Cidadão 2009
Participação do Grupo Capoeirando na Metô

Dia 14 de novembro

Horário: das 10h às 14h
Local: Ginásio do Complexo Esportivo
II Festival de Capoeira Inclusiva
Cerimônia de Batizado dos integrantes do grupo Capoeirando na Metô.

Não é necessário realizar inscrição antecipada.

Parceiros:

Núcleo de Artes, Assessoria Pedagógica para Inclusão, Cátedra Gestão de Cidades, Projeto Capoeirando na Metô, Espaço Consciência Negra, V.I.V.A Capoeira e Prefeitura Municipal de São Bernardo do Campo.

Local: Universidade Metodista de São Paulo
Campus Rudge Ramos
Rua Alfeu Tavares, 149 – Rudge Ramos
São Bernardo do Campo-SP.

Mais informações:
Núcleo de Formação Cidadã
Telefones: (11) 4366 5968 / (11) 4366 5216

Cultura apontada como o principal elo entre o Brasil e Angola

O bom entendimento deve-se, principalmente, ao facto de os dois povos falarem a mesma língua e terem uma história comum. "São dois povos com história comum", destacou embaixador do Brasil em Luanda.

Luanda – O embaixador do Brasil em Angola, Afonso Cardoso, destacou, quinta-feira (6), em Luanda, a cultura como um dos principais elos de ligação entre os dois países.

Falando aos jornalistas por ocasião do lançamento do livro "Capoeira", no Centro de Formação de Jornalistas (Cefojor), o diplomata adiantou que, apesar da vertente económica ser forte nas relações entre os dois estados, é o lado cultural que mais se tem feito sentir na cooperação.

“Textos do Brasil 14 Capoeira”, editado pelo Ministério das Relações Exteriores do Brasil.

A edição traz fotografias de Pierre Verger e desenhos do Carybé, que ilustram entrevistas e artigos de pesquisadores, mestres de capoeira e autoridades ligadas à cultura brasileira, na qual se destacam as significativas implicações da capoeira para a cultura e a vida social, como modalidade de jogo, dança, música e oportunidade para inserção social.

A capoeira é um arte que está fortemente relacionada com a história africana e que marcou profundamente a cultura brasileira.

A obra será apresentada pelo mestre Vila Isabel, do Núcleo de Capoeiragem Beribazau de Brasília e dois mestres brasileiros de capoeira de Angola, mestre Cobra Mansa e Mestra Janja. Para quem quiser apreciar a arte, será realizada uma roda de capoeira pelo grupo de capoeira Abadá, do Núcleo da Casa de Cultura Brasil-Angola.

"É na cultura que os dois povos mais se entendem. É um facto que temos comprovado com a vinda de artistas brasileiros a Angola e a ida de angolanos ao Brasil. Todos eles são bem recebidos e os seus produtos são bem entendidos e consumidos", realçou.

Segundo o diplomata, o bom entendimento deve-se, principalmente, ao facto de os dois povos falarem a mesma língua e terem uma história comum. "São dois povos com história comum e que se entendem perfeitamente", adiantou Afonso Cardoso.

O lançamento do livro faz parte da programação da semana do Brasil em Angola, que tem o seu ponto alto com a realização de um espectáculo, com a artista Elba Ramalho, e um show de humor com Renato Piaba. As informações são da Angop.

 

Prêmio Território Quilombolas

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) lançou em Goiânia, a edição 2008 do Prêmio Territórios Quilombolas, durante a realização do V Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros. Participaram da cerimônia representantes do MDA, Incra, Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), Associação Brasileira de Antropologia, Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS) e Associação Brasileira de Pesquisadores Negros.

Serão distribuídos 15 prêmios para a produção de ensaios e redações em três categorias: ensaios acadêmicos, para pesquisadores ligados às áreas de Ciências Humanas, Sociais, Jurídicas, Agrárias e Afins; ensaios para técnicos que trabalham com as comunidades quilombolas e redação com relatos de experiências e memórias. A edição 2008 do Prêmio traz como novidade a inclusão da categoria experiências e memórias, voltada aos participantes quilombolas.

Além da premiação em dinheiro, os contemplados terão os trabalhos publicados e receberão, ainda, um kit com publicações. Os textos deverão ser inéditos e entregues até 15 de janeiro de 2009. O edital, o formulário de inscrição e demais informações podem ser acessados nas páginas eletrônicas do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), do Programa de Promoção da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia, do Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural (NEAD). Os premiados serão conhecidos até o dia 21 de março de 2009 e a entrega da premiação acontece em maio de 2009.

Mais informações

Letícia Núñez Almeida
Núcleo de Políticas Públicas para o Povo Negro
Coordenação de Direitos Humanos
SMDHSU- Prefeitura de Porto Alegre
Tels: 51 32897037, 32897049, 32897017

Aconteceu: VIII Ginga Fest

Batizado e troca de cordas – Capoeira Luanda Mogi Mirim-SP

Em parcerias com a Prefeitura Municipal de Mogi Mirim (Departamento de Promoção Social e Departamento de Cultura e Turismo) aconteceu o oitavo Ginga Fest organizado pelo Núcleo Capoeira Luanda – Mogi Mirim.

O Projeto Capoeiragem começou em janeiro de 2005 com a Supervisão do Contra Mestre Guerreiro e do Instrutor Xavante e com a coordenação da pedagoga Graziete Bronzatto.

Desde seu início e até hoje as aulas de Capoeira e Danças afro-brasileiras são ministradas voluntariamente por Luciano Jannuzzi, Graduado Sofrimento,instrutor de capoeira e professor de Educação Física.
Esse ano participaram do evento cerca de 80 alunos com idade entre 3 e 18 anos.

No dia seguinte, 22 de junho aconteceu o quinto batizado e troca de cordas em Andrada/MG onde o Instrutor Marcão (núcleo-Capoeira Luanda- Andrada) no clima de maior festa, batizou mais de 100 aluninhos com idade entre 4 e 18 anos.

Alagoas: Capoeira na Praça Palmares

Integrantes do Núcleo de Apoio e Desenvolvimento da Capoeira (NADEC) e convidados participarão hoje ( 09.11) de uma roda de capoeira na Praça Palmares, a partir das 17hs no Centro de Maceió. A atividade visa o resgate afro-cultural da praça e integra as comemorações alusivas ao mês da consciência negra, momento estratégico para reflexão sobre a conjuntura sócia-política do povo negro e exaltação das manifestações afro-culturais.

O NADEC iniciou suas atividades em 2003 e busca incentivar a formação dos capoeiristas e perpetuar as informações repassadas por mestres de capoeira experientes. A entidade é formada por profissionais das mais diversas áreas, professores universitários e da rede pública de ensino; estudantes; capoeiristas de vários grupos de Maceió e outros municípios, além de simpatizantes. Dentre as atividades já desenvolvidas destacam-se a realização de palestras, debates, oficinas de capoeira e encontro de capoeiristas.

De acordo com José Carlos Pereira da Silva, historiador e professor de capoeira, a entidade. "A Praça Palmares já foi palco de importantes eventos promovidos por representantes do movimento negro. E o NADEC, na busca pelo resgate dos grandes momentos da capoeira em Alagoas, tem como objetivo realizar uma roda de capoeira toda a segunda sexta-feira de cada mês", afirmou o coordenador do núcleo.

A capoeira é uma das principais riquezas da cultura afro-brasileira, uma mistura de dança, música, esporte, arte, brincadeira, enfim, considerada uma filosofia de vida para muitas pessoas. Praticada em 164 países, a capoeira é dividida em estilos: angola, regional e contemporânea (criada recentemente) – executados por capoeiristas das mais variadas classes sociais e faixa etária, sem descriminação quanto à religião, raça e gênero

por Assessoria – Alemtemporeal – Alagoas
http://www.alemtemporeal.com.br

Núcleo de Apoio e Desenvolvimento da Capoeira é instalado em Alagoas

Praticantes alagoanos de capoeira terão mais um espaço para a exaltação e debate desta luta que se disfarça de dança. O Núcleo de Apoio e Desenvolvimento da Capoeira (NADEC), entidade de fomento e debate da capoeira, será instalado oficialmente neste sábado (29.09) a partir das 16hs na escola Alfredo Gaspar de Mendonça, localizada no conjunto Eustáquio Gomes de Melo.
 
Na ocasião, serão ministradas palestras sobre: "A conjuntura da capoeira em Alagoas" e "A participação do negro no contexto sócio-político alagoano", respectivamente conduzidas pelo mestre de capoeira Marcelo Cardoso (Girafa) do Grupo Muzenza e por Helcias Pereira, militante do movimento negro há 20 anos e Secretário de Cultura da ONG ANAJÔ. Às 17h, acontecerá a roda de confraternização entre os presentes.
 
De acordo com José Carlos Pereira da Silva, historiador e professor de capoeira, a entidade iniciou suas atividades em 2003, busca incentivar a formação dos capoeiristas e perpetuar as informações repassadas por militantes do movimento negro e mestres de capoeira experientes. "O NADEC nasceu da necessidade que um grupo de capoeiristas tinha em discutir a capoeira além dos limites da roda e das academias, ou seja, explorar as diversas vertentes de trabalho que a capoeira oferece, bem como buscar mais informações das relações entre capoeira e sociedade em forma de pesquisa e leitura", afirmou o coordenador do núcleo.
 
O NADEC é formado por historiadores; enfermeiros; professores universitários e da rede pública de ensino; estudantes; capoeiristas de vários grupos de Maceió e outros municípios, além de simpatizantes. Dentre as atividades já desenvolvidas destacam-se a realização de palestras, debates, oficinas de capoeira e encontro de capoeiristas.
 
A Federação Alagoana de Capoeira (Falc) é a instância superior dos grupos de capoeira, no entanto, a presença do NADEC só vem para contribuir no desenvolvimento da capoeira no estado. "Nossa relação com a FALC é saudável, já que temos entre nós um dos diretores dela, e buscamos preencher uma lacuna deixada por ela no que diz respeito a formação e integração dos capoeiristas em Alagoas, mas sem espírito de competição e sim de colaboração com a entidade maior da capoeira", afirmou José Carlos Pereira da Silva.
 
A capoeira é uma das principais riquezas da cultura afro-brasileira, uma mistura de dança, música, esporte, arte, brincadeira, enfim, considerada uma filosofia de vida para muitas pessoas. Praticada em 164 países, a capoeira é dividida em estilos: angola, regional e contemporânea (criada recentemente) – executados por capoeiristas das mais variadas classes sociais e faixa etária, sem descriminação quanto à religião, raça e gênero.
 
Contatos:
 
José Carlos Pereira da Silva: 8844-4838
Contra-mestre Leto: 9381-7765
Monitor Carlinhos (Grupo Muzenza): 8823-0299.
 
Fonte: GAZETAWEB.COM – http://gazetaweb.globo.com

Malungos: 25 anos de Capoeira Angola

Uma Homenagem aos 25 anos de Capoeira Angola dos Mestres Valmir, Paloca, Janja, Paulinha e Boca de Rio.
 
Convidado: Mestre Cobra Mansa
 
 
 
Contatos:
 
FICA Bahia:
 
Rua Carlos Gomes, 111, Ed. Esther Moura Franco, 5° andar, Salvador – Ba
CEP 40060 333 – tel.: 0055 (71) 3321-7365 – cel.: 0055 ( 71) 9133-4048
e-mail: ficasalvador@ficabahia.com.br
 
NZINGA Núcleo Salvador:
 
Rua Alto da Sereia, 2 – 3º a – Rio Vermelho – Salvador BA
tel. (71) 9973 8970
e-mail: institutonzinga@uol.com.br