Blog

olodum

Vendo Artigos etiquetados em: olodum

Bahia: Morre Mestre Neguinho do Samba, inventor do samba-reggae

Morreu no início da tarde deste sábado, 31, por volta das 14 horas, o baiano criador do samba-reggae, Antonio Luís Alves de Souza, mais conhecido como Neguinho do Samba, 54 anos, em decorrência de uma parada cardíaca. O músico deixou sete filhos e uma legião de admiradores e alunos.

O corpo do artista, que foi um dos fundadores do Olodum e criador da Escola Didá, está sendo velado na Câmara dos Vereadores. O local e horário do enterro ainda não foram definidos, pois a família aguarda a chegada de um dos filhos, que mora na Itália.

Segundo informações da família, Neguinho já vinha reclamando da saúde nos últimos 15 dias. Nesta madrugada, por volta das 3 horas, o músico sentiu um mal estar e foi de táxi ao posto médico de Pernambués. No local, ele foi medicado e retornou à sua residência, no Pelourinho, voltando a se sentir mal no início desta tarde, quando veio a falecer.

Neguinho do Samba era diabético e cardiopata. Há três meses perdeu uma irmã. Pessoas próximas afirmaram que, em virtude disto, andava triste. Mas ele morreu onde queria: em sua residência, um casarão no Pelourinho, onde também funciona a Escola Didá.

“Ele deixou um legado, uma marca de como se faz samba na Bahia. Eu acompanhei o processo de desenvolvimento do Olodum e ele já experimentava as novas fusões do reggae com o samba. Depois, acompanhei o trabalho cultural que ele fez com a Banda Didá. E por ironia do destino faleceu dentro da própria escola”, declarou Gerônimo.

Perda irreparável – A Secretaria da Cultura suspendeu toda a programação cultural do Pelourinho, nestes sábado e domingo. Uma faixa preta permanecerá hasteada no Largo do Terreiro de Jesus, durante três dias, simbolizando o luto.

“A dor é enorme. Foi uma perda irreparável. Não perdemos somente um músico excepcional, mas uma personalidade. Ele foi muito generoso com todos à sua volta. Não dá para acreditar. É um astro que vai continuar vivo aqui com a gente“, declarou, emocionado, João Jorge, presidente do Olodum.

Neguinho do Samba – Fundador da escola de percussão do Olodum e do bloco Didá, ele também foi o inventor do ritmo “samba-reggae”, modificando tambores para conseguir afinações e sonoridades diferentes, criando um ritmo musical único, com a cara da Bahia.

Filho de um tocador de “bongô” e de uma lavadeira, Neguinho desde cedo treinava percussão tocando nas bacias de alumínio de sua mãe. Foi eletricista, ferreiro e camelô. Sua música chegou a ser internacionalmente reconhecida. Maestro do Olodum, tocou com David Byrne, Paul Simon e Michael Jackson. Com Simon, o Olodum gravou o CD The Rhythm of the Saints, em 1990. Feliz com o resultado do trabalho, Simon procurou o músico e lhe ofereceu um carro importado como forma de agradecimento. Neguinho agradeceu a oferta, mas preferiu mudar o presente, e, em vez de um carro, escolheu uma casa no Pelourinho, no mesmo valor, onde fundou sua escola.

Neguinho do Samba aparece no clipe de Michael Jackson They Don’t Care About Us, vestido nas cores do pan-africanismo (verde, amarelo e vermelho) regendo os percussionistas do Olodum.

Didá – O projeto nasceu pelas mãos de Neguinho, que via a necessidade de oferecer para as mulheres, principalmente as negras, um espaço para expor suas idéias e desenvolver atividades. Didá é uma associação cultural e sem fins lucrativos fundada em 1993 e que atua promovendo gratuitamente atividades educativas com base na arte e nas manifestações populares criadas e mantidas pelos africanos e por seus descendentes.

Atualmente, a instituição oferece 11 cursos – percussão, dança afro, teatro, capoeira, artesanato, canto, bateria, violão, cavaquinho, teclado e sopro, e chega a atender entre 600 a 800 crianças e adolescentes por ano.

Além dos cursos, o projeto se estende ao bloco afro carnavalesco, loja de artigos Didá e o projeto Sòdomo, centro de aprimoramento feminino Didá Banda Feminina.

Vídeo do grupo Olodum e Neguinho do Samba em homenagem a Michael Jackson, após a morte do astro:

{youtube}dO7l9oro__A{/youtube}


Fonte: http://www.atarde.com.br/cultura

Olodum é atração na Serra da Barriga

Banda baiana se apresenta domingo, 19 de abril

Dando sequência ao projeto sociocultural Parque Memorial Zumbi dos Palmares, a banda Olodum, de Salvador (BA), será a grande atração de domingo, 19, na Serra da Barriga. Várias atrações de renome nacional já se apresentaram no palco armado no topo da Serra, a exemplo de Jorge Aragão, Luiz Melodia, Tribo de Jah, AfroReggae, Rappin Hood, entre outros. O projeto é realizado por meio de uma parceria da Fundação Sônia Ivar com a Fundação Cultural Palmares, do Ministério da Cultura, com apoio da Prefeitura de União dos Palmares e contribuição do Comitê Gestor do Parque Memorial. O show tem previsão para começar às 15 horas, mas antes acontecem apresentações de grupos de capoeira e de bandas locais. A apresentação da banda Olodum encerra a primeira fase do projeto na parte de shows, que deverá ser retomado em novembro, em função das chuvas que castigam a região nesse período.

O público-alvo do projeto são estudantes de escolas públicas municipais e estaduais de Alagoas; profissionais da área da educação formal e não-formal, diretores e coordenadores da rede estadual e municipal de ensino; representantes da sociedade civil, artistas e movimento negro; comunidade de União dos Palmares e sociedade em geral. Além da parte de shows, diversos projetos socioeducativos estão sendo desenvolvidos pela parceria da Fundação Sônia Ivar e Fundação Cultural Palmares em União dos Palmares.
 

Origem da banda

Em 1979, um grupo de amigos do Maciel-Pelourinho – Centro Histórico de Salvador – criou o Bloco Olodum, que mais tarde se tornaria uma das mais importantes expressões da música mundial. Eles não sabiam, mas aquele bloco daria origem à maior banda de percussão do planeta. Quem desejar que se arrisque a citar outra. Graças a mestre Neguinho do Samba foi criado um novo ritmo, o samba-reggae. A música Faraó: “Ê Faraó, ê Faraó/ Que Mara mara mara, maravilha ê/ Egito Egito ê” transformou os foliões de Salvador em profundos conhecedores da cultura egípcia, que era cantada em verso e prosa, nas ruas e becos da cidade.
 
Atualmente, com 22 anos de carreira (o grupo Olodum tem 30 anos), a banda Olodum é composta por 18 músicos (dois cantores, dez percussionistas, três metais, um guitarrista, um tecladista e um baixista). À frente dessa turma estão Lucas Di Fiori e Nadjane Souza, que dividem os vocais. A banda Olodum já gravou 15 CD, dois DVD e quatro coletâneas. Gravou especialmente com artistas nacionais e internacionais, como Simone, Gal Costa, Ney Matogrosso, Jimmy Cliff, Sadao Watanabbe, Paul Simon e Michael Jackson, entre outros. Já excursionou por mais de 35 países no mundo e há 20 anos excursiona religiosamente pela Europa. Na opinião da critica especializada internacional, a banda Olodum é quem melhor representa o Brasil no exterior.
 
A Banda está finalizando os acertos com o seu agente na Europa, para a partir de julho, excursionar mais uma vez pelo velho continente. Provavelmente por isso, a Banda já se apresentou oficialmente na programação musical das três últimas copas do mundo e está convidada para participar da programação de abertura da próxima, na África do Sul.

Assistir ao show da banda Olodum é uma experiência singular, sentir a vibração do samba-reggae e receber o axé dos tambores afro-baianos de inspiração pan-africana é a receita ideal perfeita para um grande evento. A banda Olodum inspirou a formação de vários grupos em Maceió e em União dos Palmares, onde se apresenta, mas também no Rio de Janeiro, como é o caso do AfroReggae, e em outros estados e países.

A Banda promete realizar um show inesquecível e preparou uma grande surpresa para os alagoanos.

* Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
www.palmares.gov.br

Costa do Sauípe: I Encontro Mundial de Capoeira

A Costa do Sauípe, um dos destinos turísticos mais visitados do país, realiza nos dias 7 e 8 de setembro o 1º Sauípe Capoeira e Cultura, encontro mundial de capoeira. O empreendimento, localizado a 76 quilômetros do Aeroporto Internacional de Salvador, receberá atletas de diferentes regiões do Brasil e de outros países como Canadá, EUA, Austrália, México e Argentina. O evento contará, ainda, com show de encerramento da Banda Olodum.

Com o objetivo de promover a cultura e as belezas naturais do litoral norte da Bahia, a ação terá oficinas de berimbau, instrumento musical de percussão usado para marcar o ritmo da luta, além de aulas de capoeira, artesanato e axé, gênero musical muito difundido na região. As atrações acontecerão na Praia da Oca, espaço já utilizado pelos hóspedes para a prática de esportes como futebol e vôlei de praia, atividades aquáticas, caminhadas na areia, entre outros. No local, os visitantes assistirão ao Capoeira Show, apresentação com os principais mestres da luta.

Já a Vila Nova da Praia, centro de entretenimento e lazer que reproduz o clima de uma vila do interior da Bahia, traz intensa programação cultural aos visitantes da Costa do Sauípe. No local, ocorrerão rodas de capoeira, oficinas de berimbau e palestras sobre a história da luta que teve origem com os escravos africanos.

Além disso, a programação da Costa do Sauípe reserva noites temáticas com shows e atrações musicais. Um dos destaques será a apresentação do Olodum, no dia 8, a partir das 21h, no Mercado do Dendê. À frente da banda, o vocalista Tonho Matéria, também mestre de capoeira, terá participação especial junto aos demais capoeiristas.

Durante a semana do evento, os hóspedes terão a oportunidade de conhecer os costumes do povo nordestino e da cultura brasileira através de shows de samba, axé e outros ritmos regionais. Além disso, uma Noite de Oferendas reserva momentos especiais e de muita introspecção aos turistas na Vila Nova da Praia. Os visitantes serão apresentados aos orixás, às baianas, aos filhos de Gandhy, tradicional bloco de carnaval baiano formado exclusivamente por homens, além dos capoeiristas e demais personagens da cultura regional.

 
Fonte: Final Sports – http://www.finalsports.com.br