Blog

paulistas

Vendo Artigos etiquetados em: paulistas

Capoeirista de Rio Claro fica entre os melhores de São Paulo

Baianinho encerrou a participação na 9ª edição dos Jogos Paulistas de Capoeira, promovida pela Abadá Capoeira, na 8ª colocação

O Centro de Cultura e Lazer (CCL), na cidade de Americana, foi palco de muita capoeira no último fim de semana. A 9ª edição dos Jogos Paulistas, promovida pela Abadá Capoeira, contou com a presença de mais de duas mil pessoas.

Participaram do evento capoeiristas de mais de 40 cidades do estado de São Paulo e, representando a cidade de Rio Claro, o instrutor Baiano (Agnaldo Lima da Silva, 30). Baiano, capoeirista há 15 anos, ficou entre os 8 melhores do estado dentre os 214 capoeiristas inscritos.

Para prestigiar o evento, vieram representantes de vários estados brasileiros (Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Distrito Federal, Goiás, Rio Grande do Norte, Rio de Janeiro, Minas Gerais). Esteve presente também José Tadeu Carneiro, o Mestre Camisa, do Rio de Janeiro, um dos fundadores da Abadá Capoeira.
A Abadá (Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte – Capoeira) é a mais nova escola de capoeira de Rio Claro. Com a abertura da Abadá no município, Rio Claro passa a integrar o grupo que tem mais de 40 centros de ensino da arte no estado de São Paulo.

A subsede de Rio Claro está instalada na Academia Impacto, à Rua 14, 3.290, no Alto do Santana, e responde a Americana, onde fica a sede da Abadá Capoeira do interior do Estado de São Paulo. As aulas são ministradas pelo professor Baianinho todas às terças e quintas-feiras das 20h às 21h. Ele também ministra aulas na Academia Ramom Lemos – Rua 6 entre Avenidas 18 e 20.

Quem e quando inventou a Graduação?

Irapuru Iru Pereira, colunista do Jornal do Capoeira, lança um desafio interessante à nossa comunidade capoeirística: QUANDO PASSAMOS A USAR Corda, Cordel ou Cordão?
Nós sabemos que Mestre Bimba, em determinado momento, instituiu o uso de Lenços de Seda, com variadas cores em função "do grau" de cada aluno.
 
Mas a questão é: Quando passamos a usar as cordas e variantes como graduação?
Em que momento se deu esta "instituição"?
Isto teria acontecido ainda na Bahia, ou é resultado do Regulamento Nacional de Capoeira, organizado por Damianor Ribeiro de Mendonça, no Rio de Janeiro, em 1972, quando a capoeira estava sob a tutela da Confederação Brasileira de Pugilismo? Ou seria ainda que os capoeiras paulistas, inspirados por outras artes marciais – que adotavam faixas como graduação – acabaram "colocando na cintura" suas graduações de mestres?
 
 
A matéria do camarada Irapuru Iru, intitulada "Maranhão – E A CORDA, QUEM INVENTOU?" está disponível no www.capoeira.jex.com.br 
 
 
Vamos ver que "jogo dá" esta pesquisa!