Blog

professores

Vendo Artigos etiquetados em: professores

I Encontro de Música Percussiva

O I Encontro de Música Percussiva é uma iniciativa do Núcleo de Música Percussiva da UFC com o apoio dos estudantes, professores do curso de Música e PET, envolvidos na temática percussiva da cultura, da arte e da educação musical na cidade de Fortaleza.

O evento contará com palestras, mesas-redondas, oficinas e aulas-shows, tendo a participação especial do mestre de cultura Descartes Gadelha artista plástico, ritmista e colaborador dos grupos de maracatus e escolas de samba na cidade. Além da presença privilegiada de professores, grupos percussivos, profissionais e estudantes que compartilham desta formação contínua.

Aberto ao público interessado em Refletir, Debater, Fazer e Tocar a Música Percussiva, sendo esta a proposta de cultivarmos no espaço acadêmico aliado as manifestações culturais já existentes, uma propagação legítima e sonora dos Nossos Tambores de Cada Dia.

 

  • Datas: 08 a 10 de dezembro.
  • Horário: 08:00 as 18:00.
  • Local: Auditório da PROGRAD- PICI e Curso de Música – PICI.

 

Informações:

Catherine Furtado 8793 2601

[email protected]

 

OFICINEIROS:

Notação para Percussão- Erwin Schrader

Construção de Instrumentos- Tauí e Equipe

Percussão Corporal- Alessandra Araújo

Ritmos do Maracatu- Catherine Furtado

Bateria- João Luís

 

*ESPAÇO PARA RELEASE NA PROGRAMAÇÃO

Capoeiristas do Sul e Sudeste fazem roda de discussão no Rio

Rio de Janeiro – Capoeiristas dos estados do Sul e Sudeste se preparam para uma roda de discussão, a partir de hoje (27), no Rio. A meta é levantar sugestões para um plano nacional de salvaguarda, com medidas principalmente para a profissionalização. No evento, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) lança um prêmio para os mestres da modalidade.

Capoeirista há 40 anos, mestre Levi Tavares de Souza, de 53 anos, diz que os professores querem empregos formais e aposentadoria. Com a profissionalização, ele acredita que ficam protegidos os saberes tradicionais da prática, conhecida por aliar arte, cultura e história. O mestre lembra que desde que a capoeira deixou de ser crime, na década de 30, a questão não foi discutida.

“A capoeira não sofre mais o preconceito de antes – não é mais associada à marginalidade”, disse, lembrando que a luta que mistura golpes rápidos e movimentos acrobáticos à dança, ao som de atabaques, foi criminalizada dois anos depois da Abolição da Escravatura (1888). “Mas os mestres esbarram na exigência do diploma de educação física e na formalização”, reclamou.

No encontro chamado Pró-Capoeira, os participantes também debatem a internacionalização da prática, levada para fora do país por vários mestres, além de formas de organização social, ações que estimulam o uso da capoeira na educação e no lazer e maneiras de garantir a preservação do meio ambiente na elaboração de instrumentos musicais como o berimbau.

“Os instrumentos são fabricados de madeira e sementes. São materiais que exigem formas adequadas de manejo”, destaca a coordenadora-geral de salvaguarda do Departamento de Patrimônio Imaterial do Iphan, Teresa Paiva Chaves. “A roda de capoeira precisa da musicalidade, precisa desses instrumentos, mas com sustentabilidade”, acrescenta.

Considerados Patrimônio Cultural Imaterial pelo Iphan há dois anos, a Roda de Capoeira e o Ofício dos Mestres passaram a exigir políticas públicas de promoção e de preservação. Nesse sentido, o instituto também lança hoje o prêmio Viva meu Mestre, que oferecerá R$ 15 mil para os professores mais velhos, em situação de vulnerabilidade social.

O edital será conhecido no encontro e contemplará professores escolhidos pelos próprios alunos. Podem participar do lançamento do prêmio e do encontro  praticantes e instituições ligadas à capoeira no Sul e Sudeste. O evento será realizado no Centro de Convenções SulAmérica, no centro, e contará com representantes da Fundação Palmares e do Ministério da Cultura.

As sugestões aprovadas no Rio para o plano nacional de salvaguarda  se somarão a contribuições de todo o país, que voltarão a ser discutidas no ano que vem em Brasília. O documento ainda contará com contribuições da roda de discussões da Região Centro-Oeste, que se reúne em  novembro. O Pró-Capoeira no Nordeste foi realizado em setembro, em Recife.

Edição: Graça Adjuto

Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br

Nota de Falecimento: Mestrando Provolone

 

A Federação Alagoana de Capoeira – FALC – Vem por meio desta, informar o Falecimento de Jorge Lourenço dos Santos, 32 anos- Mestrando Provolone – Da Associação de Capoeira Guerreiros de Aruanda, residente na cidade de Luziápolis – Alagoas.

 

O falecimento ocorreu após acidente de moto na cidade de Luziápolis – Alagoas.

 

 

O Mestrando Provolone iniciou a prática da Capoeira em 1996 com o Mestre Metralha em Santa Barbara do Oeste – São Paulo. Em Alagoas, começou a ensinar capoeira em 2002 na cidade de seu nascimento, dividindo a responsabilidade do grupo, aqui em Alagoas, com o Contra-Mestre Ceará e Instrutor Alemão.

 

 

Aos seus familiares, alunos, professores e Mestre da Associação Guerreiros de Aruanda o nosso pesar e profundos sentimentos.

 

A Capoeira de Alagoas perde um excelente capoeirista, ser humano e cidadão.

 

 

Marco Baiano

Presidente da Federação Alagoana de Capoeira – FALC

Professor divulga revista Educação em Debate e seu trabalho sobre capoeira

O professor José Geraldo Vasconcelos, conhecido nas rodas de capoeira como “Bob”, visitou a redação do Portal AZ na manhã desta quarta-feira (13) para divulgar a coletânea “Educação em Debate”, que se trava na verdade de uma revista do programa de pós-graduação em educação brasileira.

O lançamento da Revista Educação em Debate integra a programação do II Congresso Internacional de História e Patrimônio Cultural na Universidade Federal do Piauí (UFPI). E contará com a presença dos autores piauienses, e acontece hoje (13/10) de outubro de 2010 a partir das 18h no Espaço de Convivência do Congresso que será montado no CCHL da UFPI

decisivamente no processo de formação de forma positiva bem como amplia a capacidade crítica dos alunos. “A compreensão sobre a educação ampliou, hoje não é somente resumido às escolas, como a capacitação de professores. Hoje a educação é mais ampla, multicultural, multidimensional. Nesta revista a gente vê trabalhos sobre poesias, mulher, sexualidade, política, estudos culturais, movimentos sociais e também sobre o nosso tema, que é a capoeira. Este foi um projeto de tese que eu fiz. Sou mestre de capoeira e sempre me interessou em fazer a articulação da capoeira como fenômeno sócio cultural”, relata.

Bob afirma ainda que começou a estudar a capoeira como uma cultura e a fazer um apanhado de como ela aparecia nos livros de história. “Isso tudo dá uma visibilidade sócio-cultural à capoeira. Estudei a sua contribuição para a educação. As primeiras impressões são de que ela aproxima o aluno da escola, estimula, ajuda no aprendizado, e dá uma visão diferenciada sobre a história do Brasil. A mente da criança se abre muito mais, e ajuda a pensar de crítica. A capoeira dentro da escola ajuda a dar outra visão de mundo”, complementa.

O professor Bob disse que a “Revista Educação em Debate” teve avaliação 4 pela CAPS.
A Revista Educação em Debate surgiu há 35 anos na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Ceará com o objetivo de divulgar a produção de alunos e professores dos cursos de Mestrado e Doutorado daquela faculdade, mas com o passar dos anos assumiu tal importância no meio acadêmico que adquiriu também a função de publicar textos que retratam o cotidiano e experiências educacionais de outros estados brasileiros.

O último número da Revista traz cinco artigos de professores piauienses: Shara Jane Costa Adad (UFPI), Cassandra Franco (ICF), Vivian de Aquino Brandim (SEDUC-PI) e Cleto Sandys (FAP-Parnaíba).

A professora Cassandra Franco afirma que “foi uma oportunidade inigualável ter seu texto selecionado para publicação, até porque a sua escrita contemplou uma das inovações do currículo do curso de Serviço Social piauiense que é a inclusão de disciplinas de Gerontologia Social, em geral, restritas a cursos de especialização. E que esta inovação faz o diferencial dos nossos futuros assistentes sociais que saem da faculdade já sabendo como agir diante das demandas apresentadas pelos idosos que é o grupo que mais cresce dentro da população brasileira nos últimos anos.”

E, finalizando, a professora Vivian de Aquino Brandim afirma que “em seu texto busca mostrar como a lei que introduziu o ensino de história e cultura afro-brasileiras no cotidiano da educação básica gerou transformações no ensino e que, por isto professores de todas as áreas de conhecimento, mas especialmente da disciplina História, têm de procurar se integrar a nova realidade educacional através da formação continuada autônoma e, também, por meio dos cursos oferecidos pelas órgãos gestores da educação.”

Capoeira Baiana divulga Manifesto

A capoeira foi elevada à condição de Patrimônio da Cultura Brasileira pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). Um dos desdobramentos desse processo, é a discussão chamada por esse órgão a nível nacional, para discutir as POLÍTCAS DE SALVAGUARDA da Capoeira, ou seja, as ações a nível governamental que deverão garantir a preservação da capoeira enquanto patrimônio nacional, denominadas PRÒ-CAPOEIRA

 

Foram convocados três encontros regionais, Recife (região nordeste), Brasília (regiões centro-oeste e norte) e Rio de Janeiro (regiões sul e sudeste) além do encontro final a ser realizado em Salvador no ano que vem. Porém, alguns fatos aconteceram no primeiro encontro regional em Recife, que fez com que houvesse uma insatisfação por parte da delegação que representou a Bahia, que na sua volta à “boa terra” convocou os capoeiristas baianos para uma assembléia geral, que resultou no seguinte manifesto:

 

MANIFESTO DA BAHIA

 

Nós, mestres, contra-mestres, professores, alunos e pesquisadores da Capoeira da Bahia, reunidos no último dia 22 de setembro de 2010, no Forte da Capoeira na cidade de Salvador, em assembléia amplamente convocada para avaliar questões referentes ao PRÓ-CAPOEIRA, decidimos manifestar publicamente nossa posição, nesse momento que julgamos fundamental para o destino das políticas públicas sobre capoeira no Brasil, a partir dos seguintes pontos:

 

  1. Não temos acordo com a FORMA DE DEFINIÇÃO DOS PARTICIPANTES do Encontro Regional Nordeste, realizado em Recife nos dias 8, 9 e 10 de setembro, pois em NENHUM MOMENTO foram explicitados claramente os critérios de seleção dos consultores responsáveis pela articulação em cada região, nem muito menos os critérios de seleção adotados para a definição dos representantes de cada estado para participarem dos Grupos de Trabalho do referido encontro

 

  1. Não temos acordo com a FORMA DE DISCUSSÃO estabelecida no encontro de Recife, onde as propostas discutidas em cada GT NÃO PASSARAM PELA APROVAÇÃO DA PLENÁRIA FINAL, causando muito desconforto entre os participantes, que não se sentiram contemplados com muitas das propostas apresentadas pelos GTs

 

  1. Manifestamo-nos firmemente CONTRA algumas propostas apresentadas pelos Grupos de Trabalho, que não refletem o pensamento da comunidade da capoeira como um todo, mas APENAS UMA PARCELA dessa comunidade, no que diz respeito a:

 

  • Formalização de um modelo oficial da capoeira como ESPORTE DE ALTO RENDIMENTO, visando a sua inclusão nas Olimpíadas. Vale observar que não nos opomos a quem queira conduzir a capoeira como esporte. Nosso posicionamento é contrário a FORMALIZAÇÃO LEGAL E OFICIAL da capoeira como esporte olímpico, o que naturalmente negaria a diversidade de suas práticas.
  • Regulamentação da profissão a partir da LÓGICA DO MERCADO, engessando a capoeira num modelo pré-estabelecido e submetendo toda a comunidade de mestres e professores a um Conselho Federal que será o responsável por determinar quem pode e quem não pode exercer essas funções
  • Submeter a formação do capoeirista ao ensino universitário como obrigatoriedade, QUEBRANDO ASSIM AS FORMAS TRADICIONAIS de transmissão desses saberes, onde o mestre tem papel central.

 

Diante do exposto, EXIGIMOS que o processo de discussão encaminhado pelo PRÓ-CAPOEIRA, seja mais DEMOCRÁTICO, possibilitando que a DIVERSIDADE de opiniões e visões sobre capoeira possam se fazer representar.

 

Exigimos também que os CRITÉRIOS DE DEFINIÇÃO DOS REPRESENTANTES dos estados possam ser explícitos, e que possam garantir que as discussões nos GTs e plenárias sejam qualificadas com a presença de mestres, professores e pesquisadores que possam contribuir de forma efetiva na elaboração das propostas, tanto nos ENCONTROS REGIONAIS, como na PLENÁRIA FINAL, marcada para a Bahia no próximo ano.

 

Salvador, 22 de setembro de 2010.

Faculdade realiza V Copa CEUT de Capoeira

O encontro propõe a interação de capoeiristas entre diversos alunos de diferentes cursos acadêmicos

A Faculdade CEUT, o Grupo de Capoeira Raízes do Brasil e o Mestre Touro, realizam a V Copa CEUT de Capoeira. A atividade que comemora 10 anos de capoeira no CEUT se estenderá durante uma semana, no período de 06 a 11 de setembro.

Durante o evento acontecerão jogos, batizados de alunos, troca de corda, ciclo de palestras e cursos voltados ao conhecimento mais aprofundado da cultura piauiense, através da capoeira. A Copa contará com a participação da comunidade capoeirista, alunos de diversas faculdades e universidades, além de atletas de várias cidades do Piauí e de outros Estados e professores renomados.

De acordo com o Mestre Touro, professor de Capoeira do CEUT, um dos objetivos da Copa comemorativa aos 10 anos de capoeira no CEUT é a qualificação e formação de novos professores e alunos de vários grupos de capoeira do Estado.

O encontro, ainda propõe a interação de capoeiristas entre diversos alunos de diferentes cursos acadêmicos, promovendo assim, um conhecimento mais aprofundado da capoeira no Brasil.

A comunidade em geral poderá se inscrever até o dia 04 de setembro. A taxa de inscrição é de R$ 20,00. Os participantes das palestras e cursos receberão certificado de 40h.

Didimo de Castro
[email protected]

http://www.cidadeverde.com

Aconteceu: Capoeira Ginga Arandu

No dia 22 (domingo), aconteceu em Arandu, o 3º Batizado e Encontro de Capoeira do Grupo Ritmo Baiano, realizado pelo Contra Mestre Marcão, com supervisão do Mestre Gildo. O evento marcou a comemoração do Ginga Arandu 2010, que é a comemoração de três anos de trabalho na cidade, que hoje tem seu reconhecimento em toda a região.

Segundo professor Marcão, neste evento os alunos realizaram as trocas de graduações com muita movimentação de jogo, além de também fazer parte do objetivo do evento integrar professores, alunos e convidados para uma capoeira positiva no sentido de socializar. “Hoje podemos usar a capoeira como um meio de inclusão social na comunidade”, comentou Marcão. Também foi conferida a graduação de Contra Mestre ao professor Marcão pelas mãos de Mestre Gildo e aprovação de todos os mestres e professores presentes, e durante a programação rolou muita capoeira com a presença de grandes capoeiristas entre eles Mestre Gildo (Ourinhos), Mestre Baianinho (Bauru), Mestre Jorge (Barra Bonita), Mestre Zulu (Pratânia), Contra Mestre Bozzo (Lençóis Paulista), Professor Binho (Itaberá), Professor Alex (Avaré), Monitor Cézinha (Avaré), entre outros capoeiristas e convidados. Para coroar o evento, foi encerrado com um jantar de confraternização que contou com a colaboração da Distribuidora de Bebidas Menegazzo.

 

Fonte: Folha de Avaré – http://www.folhadeavare.com.br/

Vila Real: 5º Festival Internacional de Capoeira

Portugal: Nos próximos dias 30, 31 de Julho e 1 de Agosto terá lugar, no Centro Histórico de Vila Real, o 5º Festival Internacional de Capoeira. Esta iniciativa, a cargo da Associação Comercial e Industrial de Vila Real (ACIVR), terá início com a “Roda de Abertura”, na próxima sexta, dia 30 de Julho, às 18h30, no Largo da Capela Nova.

No dia 31 de Julho, às 11 horas, o evento prossegue com um “Arrastão” nas várias artérias do centro histórico, culminando a apresentação com o “Baptizado troca de cordas”, no Largo do Pelourinho. Às 15h30, realizar-se-á o workshop “Aulões” no Ginásio Miracorgo e, mais tarde, efectuar-se-á uma nova apresentação na Discoteca Andromeda. O Festival de Capoeira terá o seu término no domingo, dia 1 de Agosto, com a realização de “Rodas de rua”, no Centro Histórico, ao longo de toda a manhã.

Este festival conta com a participação especial de vários mestres e professores de capoeira, oriundos de diversos países. Em representação da Bélgica e Holanda, o festival contará com a presença do Mestre “Vulcão”, de Espanha, dos professores “Marcha Lenta” e “Caju” e, em representação de Portugal e Brasil, estarão presentes os professores “Papagaio” e “Lesma” e o Mestre “Pernalonga”.

Através da realização deste festival, a ACIVR reforça o seu apoio ao Comércio Tradicional e contribui para a divulgação desta arte marcial. A Capoeira é uma expressão cultural afro-brasileira que mistura luta, dança, cultura popular e música. Desenvolvida no Brasil por escravos africanos e seus descendentes caracteriza-se por golpes e movimentos ágeis e complexos.

Fonte: Notícias de Vila Real – http://www.noticiasdevilareal.com

Brincando com a Arte do Movimento

Projeto inédito de capoeira do Objetivo Sorocaba extrapola a sala de aula e vira livro e CD

  • Intitulado “Brincando com a Arte do Movimento”, projeto visa transmitir valores culturais e educacionais aos estudantes através da capoeira.
  • Mestre Moraes, reconhecido internacionalmente, encanta-se com o projeto realizado por alunos, pais e professores.

Um projeto inédito envolvendo alunos, pais e professores do Objetivo Sorocaba extrapolou os muros da escola e ganhou um seleto espaço junto dos livros e CDs educativo-culturais.

Intitulado “Brincando com a Arte do Movimento”, o projeto consiste em aulas de capoeira voltadas a alunos da Educação Infantil até o Ensino Médio, com o intuito de transmitir valores educacionais e culturais através da prática desse esporte.  Diferentemente de como acontece na capoeira comum, as aulas não são ministradas com o objetivo único de se ensinar a jogar o esporte, mas sim de passar uma nova arte aos estudantes e ensinamentos importantes à convivência pacífica e harmoniosa entre todos.

Os resultados positivos desse trabalho, que vem sendo realizado há cinco anos, superaram as expectativas e acabaram por dar origem a um livro e um CD com ilustrações e letras de músicas feitas por alunos, pais e professores.  Pela sua relevância cultural e ineditismo, o trabalho também ganhou a atenção e o apadrinhamento do mestre capoeirista “Ginga”, do Centro Cultural de Capoeira Irmãos Unidos, parceiro da escola nesse projeto.

O Mestre Moraes, conhecido internacionalmente e considerado o maior divulgador da capoeira no mundo, também tomou conhecimento do projeto e interessou-se, inclusive, por sua divulgação. Capoeirista preocupado com a musicalidade da capoeira, Mestre Moraes já recebeu uma indicação, em 2004, para concorrer ao Grammy com um disco do gênero. “A importância do projeto está, justamente, no resgate de um elemento de suma importância na prática da capoeira: a musicalidade, que tem sido colocada em segundo plano graças à supervalorização dispensada à vertente esportiva da capoeira. O Projeto pode contribuir para que a história da nossa sociedade seja contada às nossas crianças de forma lúdica, mas objetiva”, afirma o Mestre.

Moraes ainda ressalta a importância da obra extraída no “Brincando com a Arte do Movimento”, pois, segundo ele, o objeto da música de capoeira é a comunicação de fatos relacionados a um determinado grupo social através de códigos, só conhecidos por aqueles que pertencem a um grupo identitário. “Comungo com a ideia do projeto e pretendo divulgá-la para que outros professores de capoeira possam formar capoeiristas completos. Aqui na Bahia já temos várias escolas que têm a capoeira em sua grade curricular, mas observo que a preocupação da maioria dos professores é com a formação de atletas”, avalia.

Sobre o CD, o professor Cristiano Aparecido Amancio dos Santos, coordenador das atividades com capoeira da unidade Portal da Colina do Objetivo Sorocaba e idealizador do projeto, conta que se tratou de atividade interdisciplinar. “Para elaborar a capa do CD com as músicas cantadas pelos alunos, um professor fez o desenho, as crianças do Infantil foram as responsáveis pela pintura e o Ensino Médio é quem fez o acabamento, tudo isso durante as aulas, o que integrou várias disciplinas”, conta.

Cristiano ressalta a importância dessa iniciativa para a formação das crianças e jovens. “No ‘Brincando com a Arte do Movimento’, a capoeira vem como estratégia de contribuição na formação educacional desses alunos. Eu costumo dizer que, no trabalho com a capoeira durante as aulas, não estou formando capoeiristas, estou formando cidadãos, pessoas e que esses aprendem brincando o que ninguém consegue ensinar”, diz.

O professor ainda comenta que a ideia da produção de um livro e um CD surgiu de uma necessidade encontrada durante as aulas de capoeira. “No início, as crianças tiveram certa dificuldade em entender a cultura capoeirista. Por exemplo, muitas músicas apresentavam letras antigas com as quais os alunos não se identificavam e não entendiam. Foi dessa oportunidade que surgiu a ideia de realizarmos um trabalho onde eles próprios pudessem criar as letras das músicas para jogarem nas aulas. Eles inventam, cantam e adéquam isso a algumas coisas já prontas da capoeira, contando também com a ajuda dos pais na elaboração das letras”, revela.

O “Brincando com a Arte do Movimento”, continua o professor, também chega com a missão de quebrar tabus e preconceitos. “Insisti nesse projeto, principalmente, porque as pessoas julgam a capoeira sem conhecer. Existe, de fato, um preconceito sobre o esporte, mas a capoeira pode sim ser um agente de formação pessoal. Por isso mesmo, trouxemos os pais dos estudantes interessados para mais perto de nós para que pudessem conhecer o intuito dessas aulas e eles também se encantaram”, expõe.

O CD e o livro “Brincando com a Arte do Movimento” poderão ser encontrados nas unidades do Objetivo Sorocaba – Centro e Portal da Colina – e pelo site da editora Publit (www.publit.com.br).

 

Fernanda Burattini
Q! Notícia Comunicação
15 81191331
15 33262224

Fortaleza: Prefeitura apoia Festival de Capoeira e Tradições Afro

Cerca de três mil pessoas devem participar do evento

A Prefeitura de Fortaleza, através da Secretaria de Esporte e Lazer (Secel) e Secretaria de Direitos Humanos (SDH), apoia, desta segunda, 12, até o próximo domingo, 18 de julho, a realização do III Festival Internacional Capoeira e Tradições Afrodescendentes no Centro Cultural Água de Beber, no Centro.

O festival tem o objetivo de difundir e ampliar as capacidades de compreensão e profissionalização das práticas da arte da capoeira e demais manifestações socioculturais baseadas nas tradições afrodescendentes.

As atividades envolverão alunos, professores, mestres de capoeira, brincantes de folguedos, artistas, educadores, pesquisadores da cultura popular, militantes do movimento negro, além de alunos e professores da rede pública de ensino. A estimativa é de que cerca de três mil pessoas participem do evento, ao longo de sete dias.

Serviço

III Festival Internacional Capoeira e Tradições Afrodescendentes

Período: Desta segunda, 12, até domingo, 18 de julho
Local: Avenida Pessoa Anta, 218, ao lado do Centro Cultural Dragão do Mar – Centro
Horário: As atividades serão realizadas no horário de 8h às 22h.
Contato para a imprensa: Mestre Ratto (85) 8866.5835 – Coordenador do Festival

Fonte: Assessoria de imprensa da Secel

http://www.vermelho.org.br/