Blog

reconhecida

Vendo Artigos etiquetados em: reconhecida

Estadual de Capoeira define equipe capixaba para o Campeonato Brasileiro

Disputado no último fim de semana, em Vitória, o 13º Campeonato Estadual de Capoeira reuniu cerca de 360 capoeiristas, nos Ginásios Jones Santos Neves e Jayme Navarro de Carvalho, na sede da Secretaria de Estado de Esportes e Lazer (Sesport), em Bento Ferreira, Vitória. Além de apontar os melhores na modalidade no Espírito Santo, a competição serviu de base para convocação da equipe que representará o Estado, no 13º Campeonato Brasileiro, que acontecerá nos dias 24, 25 e 26 de setembro, em Campo Grande (MS).

Em dois dias de competição, atletas de 15 municípios “duelaram” em busca de vagas para o torneio nacional. Ao todo, 29 capoeiristas foram convocados para representar o Estado no Centro-Oeste.

Na disputa por equipes, o título ficou com a Associação de Capoeira Aliança, de Vitória, com 18 medalhas, sendo 15 de ouro e três de prata. A equipe da capital somou ao todo 435 pontos, seguido da Associação Nossa União Capoeira, com 179 pontos e a Associação Capoeira São Salvador, com 142.

Vista como uma dança, a capoeira quer ser reconhecida como esporte de alto rendimento. Por isso, os duelos do Estadual desse ano serviram como uma espécie de laboratório para modalidade. Em vez de avaliar detalhes como vestimentas, por exemplo, os árbitros foram orientados a valorizar aspectos táticos e físicos ligados à luta.

Informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação da Sesport
(27) 9901-9914
(27) 3235-7192

Site: www.sesport.es.gov.br

Capoeira é reconhecida como desporto de criação Nacional

Com a aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, na noite de ontem, que Estabelece o combate a discriminação racial e as desigualdades estruturais e de gênero que atingem os afro-brasileiros, incluindo a dimensão racial nas políticas públicas e outras ações desenvolvidas pelo estado. 

DA CULTURA
ART. 21 O poder público garantirá o registro e proteção da capoeira, em todas as suas modalidades, como bem de natureza imaterial e de formação da identidade cultural brasileira. 
Parágrafo único. O poder público buscará garantir, por meio dos atos normativos necessários, a preservação dos elementos formadores tradicionais da capoeira nas suas relações internacionais. 

Do Esporte e Lazer
ART. 23 O poder público fomentará o pleno acesso da população negra ä prática desportiva, consolidando o esporte e o lazer como direitos sociais. 

ART. 24 “A capoeira é reconhecida como desporto de criação nacional nos termos do art. 217 da CF.” 
Parágrafo 1 A atividade de capoeira será reconhecida em todas as modalidades em que a capoeira se manifesta, seja como esporte, luta, dança ou música, sendo livre o exercício em todo o território nacional. 
Parágrafo 2 Ë facultado o ensino da capoeira nas instituições públicas e privadas pelos mestres tradicionais, pública e formalmente reconhecidos.

Onde estão as capoeiristas da história?

Quem já teve curiosidade, interesse, ou mesmo sentiu necessidade de conhecer mais sobre a história das mulheres na capoeira, sabe o que é frustração.

Com um pouco de persistência se encontram nomes como Rosa Palmeirão, Maria Doze Homens, Nega Didi, Calça Rala e Maria Pára o Bonde, mas as informações não vão muito além.

Mesmo sobre o pouco que encontramos há muitas dúvidas, pois não se sabe situar com precisão a linha que divide o que é história real e o que é lenda.

Até mesmo sobre Dandara, grande guerreira do Quilombo de Palmares e esposa de Zumbi, atualmente não há mais do que duas linhas na Wikipédia, tão conceituada enciclopédia online.

Mas a falta de informação não é de espantar quando lembramos da discriminação sofrida pelo negro e sua cultura, e do preconceito sofrido pelas mulheres. Na soma, a mulher capoeirista recebeu discriminação em dobro, e sua importância para a história não foi reconhecida.

Trata-se de um erro que não deve ser relevado. A capoeirista de ontem ainda pode e deve ser tema de muita pesquisa. As histórias devem ser contadas e as informações precisam ser reunidas, documentadas e disponibilizadas a quem tem interesse de conhecer e passar a diante.

E a capoeirista que batalha hoje deve ser valorizada e ter seus trabalhos e conquistas reconhecidos, pra que seu nome e seus feitos constem na história de amanhã.

Fonte: capoeiradevenus.blogspot.com