Blog

representar

Vendo Artigos etiquetados em: representar

Amazonas: Capoeirista vende “quase” tudo para competir no Brasileiro

Lucas (centro) vendeu eletroeletrônicos para viajar – foto: arquivo pessoal

Algumas pessoas cometem loucuras para ir a um show, comprar ‘aquela’ roupa ou realizar a viagem dos sonhos. No caso de Lucas Urquizes, 18, vender quase tudo o que tem foi a saída encontrada para representar o Amazonas no 16˚ Campeonato Brasileiro de Capoeira, de quinta-feira à sábado (5 a 7), em Belém (PA).

“Já vendi celular, notebook e emprestei dinheiro dos familiares. Até agora, arrecadei R$ 500 para as passagens (ida e volta), que custam R$ 1.600 por causa do feriado prolongado”, disse. Além dele, mais dez atletas de Manaus estão classificados para a competição, porém, esbarram na falta de recursos para garantir presença.

“Não vamos nem pela premiação, mas pela vontade de representar o Amazonas, que nunca ficou fora dessa competição”, disse o pentacampeão estadual.

Segundo o diretor-técnico da Federação Amazonense de Capoeira (FAC), mestre ‘Chaguinha’, 61, a pretensão era levar o grupo completo de capoeiristas. “A capoeira é um patrimônio cultural brasileiro e somos bicampeões (2008 e 2012). Já conseguimos passagem para mais longe. Não acredito que não iremos conseguir, pelo menos, duas para ir ao Estado vizinho”, lamentou.

Fonte: http://www.emtempo.com.br/

Carta Aberta: Grupo Botequim

O Grupo Botequim, fundado há 5 anos, tem feito um movimento de valorização do samba brasileiro através das rodas de samba que realiza em vários locais da cidade de Salvador.

As rodas são gratuitas e com uma participação crescente de pessoas interessadas na valorização de nossa cultura. Todos podem cantar, sambar, tocar instrumentos, e muitas vezes até compartilhar da comida servida pelos anfitriões dessas rodas. Esse é o verdadeiro sentido de comunidade, e é nisso que o Grupo Botequim acredita: a força do samba como manifestação agregadora de pessoas e de valores.

O Grupo Botequim foi convidado recentemente para representar a cultura brasileira num Festival Internacional de Música na cidade de Munique – Alemanha que acontece agora em julho. Além disso, o grupo já tem agenda em algumas casas noturnas de Paris – França, para o mesmo período.

Vários contatos foram feitos com instituições públicas e privadas, governos federal, estadual e municipal, editais públicos, etc…e não conseguimos o apoio para a compra das passagens aéreas, já que o festival não se responsabiliza pelas mesmas.

Em função disso, o Grupo Botequim tem feito várias ações no sentido de tentar levantar fundos para essas passagens como: passar o chapéu nas rodas de samba, eventos, venda de CDs, etc… e graças a esse esforço, e com a contribuição da comunidade que nos acompanha, já conseguimos comprar metade das passagens.

Porém ainda faltam algumas passagens para que o grupo possa viajar completo, e por essa razão, nos dirigimos à comunidade na tentativa de solicitar àqueles que se disponham, a contribuir com algo muito simples: A TRANSFERÊNCIA DE SUAS MILHAS DE EMPRESAS AÉREAS, para a compra dessas passagens que faltam.

Acreditamos que com a força de nossa comunidade, conseguiremos o nosso objetivo de representar com dignidade a cultura brasileira através do samba, que tanto respeitamos e valorizamos.

Àqueles que se disporem a contribuir, pedimos que entrem em contato com Daniela, nos números: 91357966 e 34994744 ou pelo e-mail: grupobotequim@yahoo.com.br

Nossos sinceros agradecimentos

 

Grupo Botequim

Capoeirista Borracha pede mais apoio do poder público

O capoeirista piauiense Rômulo Wagner Trindade Marques, o "Borracha", 32 anos, começou na capoeira em 1979 e de lá para cá tem praticado essa arte e forma de cultura divulgado a capoeira Brasil afora. Rômulo esteve na redação do 45Graus onde falou sobre a falta de apoio do poder público para com a capoeira. "Tudo o que é em prol da capoeira recebe o meu apoio, mas é preciso que seja muito bem feito e eu não estou vendo o apoio do poder público para a capoeira local e para mim enquanto capoeirista", comenta.

Borracha está com um projeto para a abertura de um Centro de Formação de Capoeira Zumbimba em Teresina com o objetivo de formar capoeiristas. "O centro deve atuar diariamente na formação dos capoeiristas e para isso precisamos do apoio do poder público", disse.

Borracha segue para a Europa no dia 12 de dezembro para participar dos Jogos Europeus e espera contar com a ajuda do governo do Estado, Prefeitura e secretarias de Esporte Municipal e Estadual para concretizar sua viagem. "Estarei viajando para representar o Piauí através da capoeira lá fora e espeto ter o apoio necessário das autoridades piauienses", comenta.

O capoeirista diz que um apaixonado pela arte e a ginga presente na capoeira "Nossa meta é sempre a capoeira, tudo o que faço, só penso em capoeira, luto por ela e pela Filosofia do mestre Camisa, um dos grandes mestres da capoeira", finaliza.

Fonte:  http://45graus.com.br

Capoeiristas participam de encontro em Belém do Pará

O grupo de Capoeira Angola Pai e Filho, juntamente com outros mestres e contramestres de capoeira de Salvador, irão participar do I Encontro de Capoeira Norte e Nordeste, com o apoio do Governo do Estado da Bahia, através da Secretaria de Cultura. O evento será realizado entre os dias 14 e 21 do mês corrente, em Belém do Pará.

O I Encontro de Capoeira Norte e Nordeste tem o objetivo de promover a troca de experiências entre os participantes. Durante o encontro serão realizadas oficinas de capoeira, batizados e palestras com grandes mestres de capoeira do Brasil.

Veja abaixo relação dos mestres que irão representar a Bahia:

Pelé da Bomba / Tonho Matéria
Baixinho / Angola
Santa Rosa / Carlinhos
Faísca / Máximo / Sasá
Pequeno Mestre / Já Morreu

Consciência Negra e Capoeira – prática constante

Nesta crônica estão apresentadas algumas considerações sobre o "Dia da Consciência Negra", chamando-se a atenção para a presença da Mulher – negra ou não – na luta pelas igualdades. Mestra Dandara (Por que não?) recebe justa homenagem!
Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br
Edição 51 – de 27/nov a 3/dez de 2005
Manchinha – GCAIG
Colaboração: Moleza
Nov-05, São Paulo SP


O dia da Consciência Negra passou. Mais uma data no calendário oficial, que nos sugere um dia especial no meio de semanas e dias de puro trabalho e pouca reflexão. Apesar de cada vez mais termos meios de acessar as informações, o que se pode fazer com elas é ainda muito pouco, uma vez que os esforços e espaços para debates e trocas são limitados.
Eleito o dia 20 de novembro para representar toda nossa História Negra, por ser o dia da morte do líder Zumbi da república quilombola dos Palmares, fundada em 1597 onde hoje é o Estado de Alagoas e Pernambuco, no período auge de nossa vida colonial, essa data tem muito a representar. Gostaríamos de falar brevemente sobre o que essa representação pode oferecer ao debate da Capoeira como uma manifestação dessa parte da nossa História e que só agora, passados séculos de debates não-oficiais, está entrando nos mecanismos de divulgação da História Oficial.
Se uma data como essa permite pensarmos a vida de uma grande liderança como foi Zumbi, gerando a idealização de sua figura como a de um herói que deve ser colocado entre os heróis de nossa pátria-mãe tão pouco gentil com seu povo oprimido, também deveria permitir a conscientização do papel dos que estiveram atuando ao lado dessa figura, especialmente as mulheres, às quais fazemos questão de destacar aqui nesse texto e em outros que temos assinado sobre a presença feminina nos contextos de que participamos.