Blog

sabia

Vendo Artigos etiquetados em: sabia

ABRIL PRA ANGOLA 2009

SUGESTÃO DE PROGRAMAÇÃO DO ABRIL PRA ANGOLA 2009 

SEXTA FEIRA 17/4/2009 

08:00h – Café da Manhã.

09:00h – Recepção e Credenciamento dos (às) participantes

Local: séde do centro cultural Capoeira Água de Beber. Av. Pessoa Anta 218;

10:00h – espaço livre para convivência e intercâmbio (Roda);

Local: centro cultural Capoeira Água de Beber;

12:00h – Almoço – restaurante credenciado pelo evento

14:00h – Sessão de vídeo sobre à capoeira e cultura afro descendente

Local: centro cultural Capoeira Água de Beber ;

16:00h – Roda com os participantes do curso;

Local: centro cultural Capoeira Água de Beber;

18:00h – Jantar.

19:30h – Apresentação dos Mestres e Convidados

19:40h Apresentação de Eder

Local: SESC Iracema – Dragão do Mar

20:00h – Roda de Abertura no SESC Iracema

21:00h – Lançamento do CD quando o Tempo se Destina do Mestre Pernalonga – SP

22:00h encerramento 

SÁBADO 18/4/2009 

07:30h – Café da Manhã.

09:00h – Aula com os Mestres Naldinho – PB e Pernalonga – SP

Local: centro cultural Capoeira Água de Beber e SESC Iracema – Dragão do Mar

12:00h – Almoço

14:00h – Aula com os Mestres Sabiá – PB e Cobrinha Mansa  – BA;

17:00h – Intervalo

17:20h – Mostra da pesquisa ”O Arco Musical” – Mestre Cobrinha Mansa – BA

18:00h – Jantar

20:00h – Roda de Papoeira e Capoeira

22:00h – Encerramento da noite 

DOMINGO 19/4/2009 

07:30h – Café da Manhã;

09:00h – Aula com os Mestres Cobrinha Mansa,  Naldinho, Pernalonga e Sabiá;

Local: centro cultural Capoeira Água de Beber e SESC Iracema Dragão do Mar;

13:00h – Almoço;

14:30 – Entrega dos certificados e Confraternização (roda);

 

AGRADECIMENTOS: 

    À DEUS POR TODA MINHA EXISTÊNCIA;

    MINHA FAMÍLIA;

    AOS MESTRES (AS) COBRINHA, SABIÁ, NALDINHO, PERNALONGA, LULA, CARLA, RATTO E TODOS OS QUE ACREDITARAM E NÃO ACREDITARAM;

    MEUS AMIGOS (AS): DOUTORA VIRLÊNIA, CM DERY E PROFª DARLYANE, FABIANO DE CRISTO CARLINDA, LUCIENE E VICENTE, VIRGÍNEA E PAULO;

    À TODOS E TODAS OS ALUNOS E ALUNAS DOS GRUPOS E ASSOCIAÇÕES PARTICIPANTES;

    AO SESC IRACEMA.

REALIZAÇÃO

GRUPO CULTURAL DE CAPOEIRA BADAUÊ

ORGANIZAÇÃO – MESTRE RAFAEL MAGNATA / SUPERVISÃO – MESTRE SABIÁ

A mão que ajuda é mais sagrada que a boca que reza!

Bahia: Salvador sedia Encontro Internacional de Capoeira

Berço cultural da capoeira, Salvador sedia entre os dias 28 e 31 de janeiro, nas principais praças do Pelourinho, o IV Encontro Internacional de Capoeira – o Ginga Mundo. O evento, patrocinado pela Petrobras e organizado pelo projeto Mandinga – Associação Integrada de Educação, Artes e Esportes, reunirá representantes de vários países do mundo e já é considerado um divisor de águas na história dessa manifestação cultural. O encontro começa no Forte de Santo Antonio, dia 28, às 9h, com um café da manhã, e contará com a presença de autoridades do governo, mestres da capoeira, orquestra de berimbaus e representantes internacionais. Segundo o coordenador do Encontro, Jair Oliveira de Faria Júnior (mestre Sabiá), o evento vem fortalecendo os segmentos diferentes da capoeira, além de divulgar mais intensamente a arte no Brasil, uma vez que já ganhou reconhecimento internacional. "Já conseguimos um efeito multiplicador e o encontro será em abril na Bélgica", informa Sabiá. Um dos destaques do evento mais uma vez será o mestre de capoeira João Grande, que já conquistou o título de doutor honoris causa em Nova York pela divulgação da capoeira naquele país.

Mais de 163 países, segundo Sabiá, já desenvolvem estudos sobre a capoeira, principalmente nas universidades. Representantes do Japão, Rússia, Canadá, Suiça, Suécia, Inglaterra, Estados Unidos, entre outros países, e capoeiristas de diversos estados brasileiros, estarão se apresentando nos palcos e praças do Pelourinho. Manifestação afro-brasileira, desenvolvida por africanos escravos que viveram no Brasil, a capoeira está ajudando também a revitalizar outras lutas e danças africanas, a exemplo da Bassula – uma luta originária da Ilha de Luanda – e do moringue – luta inspirada na briga de galo e desenvolvida pelos africanos que trabalhavam nos canaviais. “O moringue estava esquecido na Ilha de Madagascar e de Reunion, mas a conquista de espaço alcançado pela capoeira ajudou a revitalizar essas e outras manifestações culturais africanas, que serão apresentadas também nesse evento”, diz Sabiá.

Estarão presentes também em Salvador os capoeiristas Lua Rasta, Cobra Mansa, Boca Rica, Neneu, Capixaba, entre outros. Uma homenagem será prestada aos capoeiristas João Grande e João Pequeno pela contribuição e serviços prestados à arte da capoeira. Serão apresentadas também as manifestações intituladas Ladja e Belé (da Martinica). O Brasil estará representado pelos grupos Berimbraw, Ganhadeiras de Itapuã, Samba de Lata, Samba Pandeiro e Viola, Maculelê de Santo Amaro, Frevo e Filhos de Gandhy. Ao longo do evento serão realizados palestras e seminários sobre a capoeira, sua história, importância cultural, social e econômica, levando em conta sua abrangência no Brasil e no mundo. Cada oficina terá a participação de aproximadamente 400 pessoas. No dia 31 será realizado o encerramento, que contará com a participação do Bando de Lua Rasta e o Afoxé Filhos de Gandhy. | O Mestre Sabiá atende pelo telefone (71) 9984-1278.

Fonte: Revista Fator – São Paulo – BR
http://www.revistafator.com.br

PASTINHA

Resumo do texto de Mestre Álvaro Sucuri
Grupo Mocambo – Aracajú/SE
 

 

Mestre Pastinha descende de pai espanhol e mãe baiana, foi batizado em 1889 com o nome de Vicente Joaquim Ferreira Pastinha, na cidade de Salvador-Ba. Conta-se que o princípio de sua vida na roda de capoeiragem aconteceu quando tinha 8 anos, sendo seu mestre o africano Benedito, o que ao vê-lo apanhar de um garoto mais velho, resolveu ensinar-lhe as mandingas, negaças, golpes, guardas e malícias da Angola. O resultado veio logo aparecer, Pastinha nunca mais fora importunado por ninguém.
Mestre Pastinha serviu na Marinha de Guerra do Brasil, onde permaneceu por um período de 8 anos .Mestre Pastinha de tudo fez um pouco,trabalhou como pedreiro, pintor, entregava jornais, tomou conta de casa de jogo; no entanto, o que mais gostava de fazer era ensinar "a grande arte ".Pastinha conhecia a capoeira , sabia como era importante continuar aquela cultura, aconselhava que era preciso ter calma no jogo "quando mais calma melhor pró capoerista", e que a capoeira "ela é o pai e mãe de todas as lutas do Brasil. Sabia muito bem os fundamentos e os segredos existentes na capoeiragem, cantava, tocava os instrumentos e ensinava como um verdadeiro mestre deve fazer. Pastinha foi nas rodas de capoeira um autêntico mestre, um bamba na luta.
Saindo da Marinha em 1910, inicia sua fase de professor de capoeira,seu primeiro aluno foi Raimundo Aberê, este se tornou um exímio capoeirista, conhecido em toda Bahia.
Segundo Mestre Pastinha, sua primeira academia ficava localizada no Largo do Cruzeiro do São Francisco, na Rua do Meio do LargoTerreiro de Jesus. Pastinha dizia: "A capoeira tem muitas coisas.Primeira parte; a capoeira tem seu dicionário; segunda parte: tem seu dicionário; terceira parte : tem seu dicionário e quarta parte ; tem seu dicionário ".
Ensinava que quando alguém fosse falar sobre a capoeira dissesse somente o que sabia, "não vá dizer que a capoeira é o que ela não é , nem vá contar o que não viu ninguém falar , então, não vá contar aquilo que não pode contar. Não é todo mundo que vá abrir a boca e dizer eu conheco a capoeira, a capoeira é isso.Nem todos mentais, nem todos sujeitos pode abrir a boca para cantar o que é capoeira não."
Mestre Pastinha era uma pessoa bem humorada, descontraída, bastante receptivo , rico em conhecimento, seu saber transcendia as rodas de capoeira. Era uma pessoa do mundo ideal, camarada amigo, pai e irmão dos discípulos.Viveu intensamente seus longos anos dedicados à capoeira de Angola, classificou-se na história da maladragem, da malícia, como ás. Manteve em sua academia de Angola, a originalidade da eficiência da luta em momento algum fora perdido na Academia de Pastinha.
Ele contribuiu categoricamente com o seu talento e dedicação à capoeira para que a sociedade baiana e brasileira percebessem a capoeiragem como uma luta-arte imbatível, guerreira, que está além dos paupérrimos preconceitos que há na sociedade.Vicente Pastinha, foi filmado ,fotografado , entrevistado , gravou disco e deixou um livro , a capoeira nunca mais poderá esquecer este ás, o guardião da capoeira d’Angola.
Foi lá na casa 19, no Largo do Pelourinho, que funcionava a sua academia, o Centro Esportivo de Capoeira Angola fundada em 1941.
Milhares de pessoas estiveram na academia, ficavam impressionadas com as cantorias, com o som dos berimbaus , pandeiros e agogôs e principalmente, com os jogos que lá rolavam.
Por fim, foi feita uma reforma no sobrado, disseram ao Mestre que ele não tinha com o que se preocupar, após terminadas as obras, ele voltaria para lá, seu lar, sua academia.
Nunca mais se ouviu a voz de Pastinha dentro do sobrado, o povo não mais assistiu a uma maravilhosa roda de capoeira de Angola naquele velho sobrado.
O Mestre Pastinha não voltou, morreu na escuridão de um quarto decadente no bairro Pelourinho em Salvador.

Mestre Bimba um visionário

Mestre Bimba
 
 
 
Um visionário…. em meados da década de 30 ele ja sabia o valor da "Publicidade!"
 
 
 
Em 1932, Mestre Bimba funda a primeira Academia de Capoeira do mundo em recinto fechado.
 
 
 
Criou a primeira metodologia de ensino através de Seqüências de Ensino que permitia um aprendizado mais racional e num espaço de tempo menor.
 
{mos_sb_discuss:8}

Besouro Magangá… uma lenda

Besouro (Manoel Henrique Pereira), também conhecido como Besouro Cordão de Ouro, Besouro Mangangá. Um de seus discípulos aqui em Salvador, Cobrinha Verde (Rafael Alves França) informa ter sido ele filho de João Grosso e Maria Haifa, bem como discípulo do capoeirista escravo chamado Tio Alípio. O nome lhe veio da crença, de muitos que diziam que quando ele entrava em alguma embrulhada e o número de inimigos era grande demais, sendo impossível vencê-los, então ele se transformava em besouro e saía voando. Certa vez estava sem trabalho e foi procurar um ganha pão. Foi à Usina Colônia, hoje Santa Elisa. Deram-lhe trabalho. Trabalhou uma semana.
Quando foi no dia do pagamento ele sabia que o patrão tinha o hábito de chamar o trabalhador uma vez, e na Segunda dizia: "quebrou para São Caetano", que quer dizer: não recebe mais; e se o fulano reclamasse era chicoteado e ficava preso no tronco de madeira com o pescoço, os braços e as pernas no tronco, por um dia e depois era mandado embora; no dia do pagamento, deixou que o patrão o chamasse duas vezes sem responder. O patrão disse o seu quebrou para São Caetano. Todos receberam o dinheiro menos Besouro.
Besouro invadiu então a casa do homem, pegou-lhe pelo cavanhaque e gritou: Pague o dinheiro de Besouro Cordão de Ouro! Paga ou não paga? O patrão, com voz tremula, mandou que pagassem o dinheiro daquele homem e o mandassem embora. Besouro tomou o dinheiro e caminhou.
Passados uns tempos, depois de muitas brigas, Besouro foi empregar-se de vaqueiro na fazenda de um senhor de nome Dr. Zeca. Este homem tinha um filho de nome Meneu que era muito genioso. Ele teve uma discussão com Besouro. O fazendeiro tinha um amigo que era administrador da Usina de Maracangalha, de nome Baltazar. Besouro não sabia ler, então mandaram uma carta para Baltazar, pelo próprio Besouro, pedindo ao administrador que desse fim dele por lá mesmo. Baltazar recebeu a carta, leu, e disse a Besouro que aguardasse a resposta até o dia seguinte. Besouro passou a noite por lá; no outro dia foi buscar a resposta. Quando chegou na porta foi cercado por uns 40 homens, que o iam matar. As balas nada lhe fizeram; um homem o feriu a traição com uma faca de tucum (faca de difícil sicatrização). Foi como o conseguiram matar.


Besouro Magangá… uma lenda, um figura inesquecivel dentro do universo da Capoeira…
Pesquisei durante horas, e não encontrei nada na internet que pudesse publicar.
A pesquisa se resumiu a músicas de domínio público e algumas outras menos conhecidas…
Infelizmente esta personagem tão especial da Capoeira tem tão pouca informação disponibilizada na internet!
Se alguém puder ajudar e enviar algum material sobre Manoel Henrique Pereira, o Besouro Magangá, terei o enorme prazer de publicar este material.
 


Besouro Mangangá
Autor: Perninha
 
Besouro Mangangá
Besouro Mangangá
Cidade de Santo Amaro
Terra do Maculelê
Viu os Mestres Popo e Vavá
E viu Besouro a nascer
coro
Besouro cordão de ouro
Manoel Henrique Pereira
Desordeiro pra polícia
Uma lenda pra capoeira
coro
A lenda diz que Mangangá
Também sabia voar
Transformando em besouro
Pra da polícia escapar
coro
Mataram Besouro Preto
Não foi tiro nem navalha
Com uma faca de tucum
Na velha Maracangalha
 
{mos_sb_discuss:12}

Mestre Pastinha

Mestre Pastinha
 

Mestre Pastinha, nasceu em 5 de abril de 1889, descendente de pai espanhol e mãe baiana, foi batizado em 1889 com o nome de Vicente Joaquim Ferreira Pastinha na cidade de Salvador-Ba. Conta-se que o princípio de sua vida na roda de capoeiragem aconteceu quando tinha 8 anos, sendo seu mestre o africano Benedito,
o que ao vê-lo apanhar de um garoto mais velho, resolveu ensinar-lhe as mandingas, negaças, golpes, guardas e malícias da Angola. O resultado veio logo aparecer, Pastinha nunca mais fora importunado por ninguém.
Mestre Pastinha serviu na Marinha de Guerra do Brasil, onde permaneceu por um período de 8 anos. Mestre Pastinha de tudo fez um pouco, trabalhou como pedreiro, pintor, entregava jornais, tornou conta de casa de jogo; no entanto, o que mais gostava de fazer era ensinar "a grande arte".
Pastinha conhecia a capoeira, sabia como era importante continuar aquela cultura, aconselhava que era preciso ter calma no jogo "quando mais calma melhor pró capoeirista", e que a capoeira "ela é o pai e mãe de todas as lutas do Brasil". Sabia muito bem os fundamentos e os segredos
existentes na capoeiragem, cantava, tocava os instrumentos e ensinava como um verdadeiro mestre deve fazer.

Read More