Blog

tradicional

Vendo Artigos etiquetados em: tradicional

Mestre Virgílio: Meio Século de Capoeira

Virgílio Maximiano Pereira, o popular Mestre Virgílio, recebeu nesta segunda-feira 15-09-08, na Câmara Municipal de Salvador, uma homenagem aos seus 50 anos de capoeira. A Sessão Especial será realizada a partir da 18:00 no auditório do Centro Cultural da Câmara e contará com a presença de diversos mestres antigos da ABCA (Associação Brasileira de Capoeira Angola). Fundada em 1989, a ABCA atua na defesa a promoção da capoeira tradicional baiana, e tem Mestre Virgílio como seu presidente.

Mestre Virgílio foi iniciado na capoeira angola por seu pai, o célebre Mestre Espinho Remoso, na década de 50, na Jaqueira do Carneiro, atrás do Retiro. ‘Ele não tinha escola de capoeira, tinha um quiosque e dia de domingo todos os amigos dele iam lá jogar’ relata Mestre Virgílio. Tendo treinado brevemente com Mestre Caiçara, Virgílio recebeu o título de Mestre de Capoeira Angola das mãos do finado Mestre Paulo dos Anjos, discípulo de Mestre Canjiquinha. Após o falecimento de seu pai, ele começou a dar aulas de capoeira na comunidade da Fazenda Grande do Retiro.

Há mais de 30 anos, desenvolve um trabalho social na Escola Profissional 1º de maio, na Fazenda Grande do Retiro. Em relação à homenagem, alegria e reservas: ‘Homenagens são boas, mas passam. Eu preciso hoje é de uma aposentadoria honesta pra levar o resto de minha vida’. A fala de Mestre Virgílio denuncia a sina dos antigos mestres de capoeira, reverenciados em seu auge e abandonados na velhice. Mestre Pastinha, em 1980, seu penúltimo ano de vida, cego, já denunciava: ‘A capoeira de nada precisa. Quem precisa sou eu!’. O registro da capoeira angola como patrimônio cultural brasileiro fortalece uma antiga bandeira de luta da ABCA, a aposentadoria especial para os antigos mestres, além do reconhecimento do seu notório saber para que possam dar aulas em escolas e universidades.

Quem quiser ver mestre Virgílio jogar a capoeira tradicional, que depois da criação por mestre Bimba da capoeira regional, em 1930, passou a ser chamada de capoeira angola, vá à sede da ABCA, na Rua Gregório de Mattos, 38, no coração do Pelourinho. Virgílio com seus velhos companheiros, como mestre Bigodinho, Nô, Boca Rica, Ângelo Romano, Pelé da Bomba, Augusto Januário, Pelé do Tonel, Raimundo Dias e tantos outros, mantém a tradição dos cantos e dos toques de berimbau, na formação da bateria e nos rituais da capoeira-mãe. Todas as SEXTAS FEIRAS ÀS 19 HS.

Paulo A. Magalhães Fº – DRT 11.374
Lucia Correia Lima – DRT 1046

Bahia: Golpes da boa malandragem

Evento realizado no Pelourinho tenta resgatar os macetes e trejeitos típicos da capoeira angola

A história da capoeira angola é tema do evento Linguagem da Malandragem iniciado ontem, no Pelourinho. O encontro, promovido pela Escola de Capoeira Angola Irmãos Gêmeos de mestre Curió, inclui oficinas programadas até quarta-feira, sempre nos mesmos horários – das 10h às 12h, e das 14h às 16h, na sede da escola, na Rua Gregório de Mattos. Com intuito de mostrar a importância da arte, mestres baianos renomados realizam, na quinta-feira, às 18h, uma mesa-redonda para uma discussão, que tem como alvo a forma mais tradicional da arte, que mistura luta e dança.

Integrante da mesa de discussões, mestre Curió, que dá nome à escola, afirma que encontros parecidos foram promovidos outras 19 vezes, sempre com o objetivo de resgatar os valores e a tradição da capoeira angola. “Aquela boa malandragem na capoeira já não é mais vista hoje em dia”, diz o mestre. Segundo Curió, a arte de raíz africana está quase desaparecendo. “Não vamos permitir que ela caia no esquecimento. Afinal, a capoeira está na nossa história e é parte do nosso passado”, lembrou Curió.

Aluna de Curió, a mestra Jararaca considera muito importante a realização de um evento deste porte. “Os macetes, os trejeitos, a verdadeira malandragem da capoeira angola está sendo esquecida”, avalia a seguidora da arte. De acordo com o atual gestor do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (Ipac) e administrador do Forte de Santo Antônio, Magno Neto, o novo projeto de gestão prevê a valorização de ações educativas, socais e culturais. “Planejamos desenvolver eventos das mais diversas linguagens e manifestações culturais e artísticas”, enfatizou Neto.

A programação continua na sexta-feira, às 18h, quando será celebrada uma missa na Igreja de São Francisco. Às 19h, os participantes farão rodas de capoeira, no Forte de Santo Antônio. No sábado, o evento será encerrado com a realização do tradicional caruru, a partir das 14h. Interessados em participar da programação devem se inscrever no local e obter mais detalhes através do telefone: 3321-0396. Outras informações sobre o Forte de Santo Antônio são através dos telefones 3117-1488 e 3117-1492, do e-mail fortesantoantonio@ipac.ba.gov.br ou pelo blog http://fortesantoantonio.blogspot.com.

Programação do evento

Hoje e amanhã: Oficinas de capoeira – das 10h às 12h e das 14h às 16h, na Escola de Mestre Curió, no Pelourinho.
Quinta-feira, às 18h, será realizada uma mesa-redonda com o tema Capoeira angola: Linguagem da malandragem.
Sexta-feira, às 19h, missa na Igreja de São Francisco, seguida de rodas de capoeira no Forte de Santo Antônio.
Sábado, às 14h, o evento será encerrado, com a realização do tradicional caruru, também no Forte de Santo Antônio.

Fonte: Correio da Bahia – Salvador, Brasil – http://www.correiodabahia.com.br

Uma homenagem aos noventa anos de vida e setenta e cinco anos de capoeira do “Mestre João Pequeno”

Uma homenagem aos noventa anos de vida e setenta e cinco anos de capoeira do "Grande" Mestre João Pequeno de Pastinha

Noventa anos não é brincadeira, é história…

Em 27 de dezembro 1917 nasceu em Araci no interior da Bahia João Pereira do Santos, filho de Maria Clemença de Jesus, ceramista e descendente de índio e de Maximiliano Pereira dos Santos cuja profissão era vaqueiro na Fazenda Vargem do Canto na Região de Queimadas. Aos quinze anos (em 1933) fugiu da seca a pé, indo até Alagoinhas seguindo depois para Mata de São João onde permaneceu dez anos e trabalhou na plantação de cana de açúcar como chamador de boi, então conheceu Juvêncio na Fazenda são Pedro, que era ferreiro e capoeirista, foi aí que conheceu a capoeira.

Aos 25 anos, mudou-se para Salvador, onde trabalhou como condutor (cobrador) de bondes e na construção civil como servente de pedreiro, pedreiro, chegando a ser mestre de obras. Foi na construção civil que conheceu Cândido que lhe apresentou o mestre Barbosa que era um carregador do largo dois de julho, Barbosa dava os treinos, juntava um grupo de amigos e nos finais de semana ia nas rodas de Cobrinha Verde no Chame-chame.

Inscreveu-se no Centro Esportivo de Capoeira Angola, que era uma congregação de capoeiristas coordenada pelo Mestre Pastinha.

Desde então, João Pereira passou a acompanhar o mestre Pastinha que logo ofereceu-lhe o cargo de treinel, isso foi por media de 1945, algum tempo depois João Pereira tornou-se então João Pequeno.

No final da década de sessenta quando Pastinha não podia mais ensinar passou a capoeira para João pequeno dizendo: “João, você toma conta disto, porque eu vou morrer mas morro somente o corpo, e em espírito eu vivo, enquanto houver Capoeira o meu nome não desaparecerá”.

Na academia do Mestre Pastinha, João Pequeno ensinou capoeira a todos os outros grandes capoeiristas que dali se originaram e mais tarde tornaram-se grandes Mestres, entre eles João Grande, que tornou-se seu Grande parceiro de jogo, Morais e Curió.

Foi aconselhado pelo Mestre Pastinha a trabalhar menos e dedicar-se mais a capoeira. Embora pensasse que não passaria dos 50 anos percebeu que viveria bem mais ao completar tal idade.

Tendo que enfrentar a dureza da cidade grande João Pequeno também foi feirante, e carvoeiro chegou a ser conhecido como João do carvão, residiu no Garcia, e num barraco próximo ao Dique do Tororó.

Sua primeira esposa faleceu, mas, um tempo depois conheceu Dona Mãezinha no Pelourinho, nos tempos de ouro da academia de seu Pastinha, constituíram família, e com muito esforço construíram uma casa em fazenda Coutos, Lá no subúrbio, bem longe do Centro onde foram morar e receber visitas de capoeiristas de várias partes do mundo.

Para João Pequeno o capoeirista deve ser uma pessoa educada “uma boa arvore para dar bons frutos”. Para quem a capoeira é muito boa não só para o corpo que se mantém flexível e jovem, mas também para desenvolver a mente e até mesmo servir como terapia, alem de ser usada de várias formas, trabalhada como a terra, pode-se até tirar o alimento dela.

João Pequeno vê a capoeira como um processo de desenvolvimento do indivíduo, uma luta criada pelo fraco para enfrentar o forte, mas também uma dança, cuja qual ninguém deve machucar o par com quem dança, defende a idéia que o bom capoeirista sabe parar o pé para não machucar o adversário.

Algum tempo após a morte do mestre Pastinha, em 1981, o mestre João Pequeno reabre o Centro Esportivo de Capoeira Angola no Forte Santo Antônio Alem do Carmo(1982), onde constitui a nova base de resistência, onde a capoeira angola despontaria-se para o mundo, embora encontrando várias dificuldades para manutenção de sua academia, conseguiu formar alguns mestres e um vasto numero de discípulos.

Na década de noventa houve várias tentativas por parte do governo do estado em desocupar o forte Santo Antônio para fins de reforma e modificação do uso do forte, paradoxalmente em um período também em que foi amplamente homenageado recebendo o titulo de cidadão da cidade de Salvador pela câmara municipal de vereadores, Doutor Honoris Causa pela universidade de Uberlândia, e Comendador de Cultura da República pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Mestre João Pequeno ”É uma doce pessoa” é o que afirmam todos que tem a oportunidade de conhecer o Mestre João Pequeno, cuja simplicidade, a espontaneidade e o carisma seduz a todos que vão até o Forte Santo Antonio conferir suas rodas, é um bricalhão, mas que também não deixa de dar uma baquetada nos que se exaltam e esquecem dos fundamentos da brincadeira e da dança.

A festa anual comemorativa de seu aniversário é um verdadeiro evento espontâneo da capoeira, onde se realiza uma grande roda,com a participação de vários mestres e membros da comunidade capoerana.

Alem de ser de impressionar a todos que tem a oportunidade de vê-lo jogar com a sua excelentíssima capoeira e mandigagem, João Pequeno destaca-se como educador na capoeira, uma autoridade maior na capoeiragem de seu tempo, um referencial de luta e de vida em defesa da nobre arte afrodescendente.

Bibliografia:
Santos, João Pereira dos. Mestre João Pequeno, Uma vida de Capoeira.

Leias Mais…

SEMINÁRIO:

90 Voltas ao Mundo de Capoeira e Sociedade.

Programação:

Nos finais de semana do mês de dezembro, dias 1, 7, 15, 22 serão promovidas atividades que evidenciem a importância da capoeira na cultura brasileira, e sua expansão por todos os continentes, pontuando a contribuição do Mestre João Pequeno de Pastinha neste fenômeno histórico cultural brasileiro. Culminando com a tradicional roda de capoeira e os parabéns no dia 27 do mesmo mês, em homenagem ao seu aniversário.

1º final de semana, dia 1° de dezembro de 2007.

As mulheres homenageiam João Pequeno, falando de nascimento “O natal de João”:

13:00 – Abertura da exposição Fotográfica em homenagem aos 90 anos de vida e 75 anos de capoeira de João Pequeno de Pastinha. De 1º de dezembro de 2007 a 30 de janeiro de 2008.

13:15 as 14:00 – Banda Didá canta Hino Nacional e outras canções.

14:00 as 14:20 – Recital performático com o grupo Importúnio Poético – Nascimento;

14:20 – Homenagem a Srª. Edelzuita, popularmente Dona Mãezinha, esposa do mestre João Pequeno – Uma heroína ao lado de um herói a mais de quarenta anos.

14:25 as 16:00 – Seminário:

Tema: Gênero e capoeira, a mulher na capoeiragem nos tempos passado e atual.

Compondo a mesa Janja Araujo, Adriana Albert Dias e Christian Zonzon.

Mediadora – -Janja Araújo – Mestra em história

14:25 as 15:00 – expositora –Adriana Albert – Mestra em história.
15:00 as 15:30 – expositora – Christian Zonzon – Mestra em sociologia.
15:30 as 16:00 – aberto a questionamentos e esclarecimentos da platéia.

16:00 as 17:00 Roda de Mulheres – 90 voltas ao mundo de João.

17:15 as 18:00 – Alice de Sanayá – Canções para ninar o Menino João Pequeno;
19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno

2º final de semana, dia 7 de dezembro de 2007.

13:00 as 15:00 – Workshop de sons e ritmos da berimbau ( Aranha e Nani).

15:00 as 17:00 – Seminário

Tema: Diversidade Cultural

Composição da mesa: Jorge Conceição, Pedro Abib, Sérgio Guedes.

Mediador: Jorge Conceição
15:00 as 15:40 – expositor – Pedro Abib. – Doutor em História,
15:40 as 16:00 – intervenção da platéia
16:00 as 16:40 – expositor – Sérgio Guedes.
16:40 as 17:00 – intervenção da platéia

17:15 as 18:00 – Apresentação do Grupo de Samba Botequim.

19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno.

3º final de semana, dia 15 de dezembro de 2007.

13:00 as 15:00 – Workshop de toque e arranjos com o pandeiro.
Músico Naoya Sawada.

15:00 as 17:00 – Seminário

Tema: Capoeira, economia e turismo étnico
Composição da mesa: Luiz Vitor, Billy Arquimimo, Mestre Moraes.

Mediador: Luiz Vitor Castro:
15:00 as 15:40 – Billy Arquimimo – ( Secretaria de Turismo étnico).

15:40 as 16:00 – Aberto a questionamentos e esclarecimentos.

16:00 as 16:40 – Mestre Moraes (Grupo GCAP- Grupo de Capoeira Angola Pelourinho).

16:40 as 17:00 – Aberto a questionamentos e esclarecimentos.

*Exibição do Filme cultural.
19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno.

4º final de semana, dia 22 de dezembro de 2007.

13:00 as 15:00 – Workshop de confecção de caxixi- Com os professores Aranha e Zoinho.

Tema:
Onde está o capoeira e a capoeira:

Composição da mesa: representações da academia e dos núcleos de formados do Mestre João Pequeno:
Academia de AJPP- CECA – Forte Santo Antonio, Núcleo de Pernambués – Mestre Ciro, Núcleo do Rio Vermelho – Mestre Faísca.

14:00 as 14:40 – Nas revoltas e lutas Nacionais, *Enfatizando na Independência da Bahia;- AJPP

14:40 as 15:00 – Questionamentos e esclarecimentos

15:00 as 15:40 – Nas festas e manifestações populares nacionais. – década de 30 a 60. –
Núcleo de Pernambués

15:40 as 16:00 – Questionamentos e esclarecimentos.

16:00 as 17:40 – Na ascensão social do negro (afro descendente).- Núcleo do Rio Vermelho

17:40 as 18:00 – Questionamentos e esclarecimentos

185:00 – Mostra de sons e ritmos do resultado do Workshop.

19:00 Tradicional roda de capoeira – sob o comando do mestre João Pequeno.

27 de dezembro Aniversário do Mestre João Pequeno.

15:00 15:10 – Abertura – Noventa Voltas ao mundo de capoeira e mandinga – Na trilha do Cobra Mansa que rasteja pelo chão, esse mestre João.

Compondo a mesa João Pequeno, Aranha (Isac Damasceno), Zoinho (Everaldo) Cristiane Miranda (Nani).

15:10 as 15:20 – Exposição dos objetos da oficina de reciclagem (todos os educandos envolvidos no processo de formação de todas as oficinas). Responsável: Nildes Sena / Elaboração – toda a equipe pedagógica.

15:20 – 16:00 – Poesia – (crianças, adolescentes e jovens) – Recital performático – Criação coletiva. _ Direção: Lutigarde Oliveira – Célia Alves.

16:00 as 30 Teatro – (adolescentes e jovens) Nasceu pra ser Doutor – Texto e Direção: Nildes Sena/ Coreografia Alexandre Moraes; Figurino: Nildes/Alexandre.

16:30 as 17:00 – Mostra de Sons e ritmos de berimbau: (Adolescentes) – Direção e concepção Isac Damasceno (Aranha) e Cristiane Miranda (Nani)

17:00 as 17:40 – Capoeira angola – roda com as crianças – Educadores Everaldo (Zoinho), Marcos (Grito), Marcos Manoel (Marquinhos) e Benilton.

17:40 as 18:00
Samba de roda (crianças e adolescentes) Responsáveis: Alexandre Moraes e Lucilene Assis. Realização de toda a equipe pedagógica.

18:00 – Tradicional roda de capoeira.
Parabéns para você.- partir o bolo e confraternizar.

Contatos:
Nildes Sena // Zoinho(Everaldo)
71- 33262366 // 71 -99255830.
71 33230708 – AJPP – CECA.

Mestre Ras Ciro Lima (BA)
Tel de Contato : publico 71 34315161.

Terreiro realiza Maratona de Capoeira em Guadalajara

Capoeiristas brasileiros e mexicanos participam de um importante intercâmbio cultural e esportivo, que acontece de 15 a 25 de novembro, no México. É a tradicional Maratona 13 Horas de Capoeira México, evento promovido pela Companhia Terreiro, com o apoio da Universidade de Guadalajara. A Terreiro foi fundada e é presidida por Reginaldo Silveira da Costa, Mestre Skysito, e há 13 anos atua no México.

Entre os convidados da Maratona estão o Mestre Tambor, de Tocantins e capoeiristas dos grupos Abadá e Raízes do Brasil. Como representante deste site, provavelmente estarei no evento, fazendo a cobertura on-line da programação, que inclui oficinas, curso de percussão e o tradicional batismo. E farei o lançamento dos meus livros “Dicionário de Capoeira” e “Eu, você e a capoeira”.

A unidade mexicana da Terreiro é sediada em Guadalajara, cidade que ficou famosa no Brasil, por sediar a final da copa de 1970, quando a seleção Canarinho foi tricampeã. Hoje, é a ginga da capoeira que faz a terra vibrar na cidade que abriga o famoso Estádio Jalisco.

A coordenação do núcleo de capoeira do Terreiro no México está a cargo do professor Ganso, que deixou o seu Tocantins, para ensinar capoeira na terra de maias e astecas. A Companhia Terreiro tem núcleos de atuação, também, em vários estados brasileiros e em países como Angola, Alemanha e Irlanda.

Informações:

Mestre Skysito (Brasil)
e Instrutor Ganso gansocapoeira@hotmail.com (México)

INSTITUTO TERREIRO

Sede: SHGN 712 bloco L apt. 203, Brasília, Brasil

Telefone: 0055 (61) 9211 0147

Aconteceu: Mestre Nininho e o Grupo “Agbara” participam de Feira Tradicional na Região do Algarve

Feira de Setembro com mais animação
Autarquia São-Brasense deu Festa à Feira
Com a Feira de Setembro, São Brás de Alportel dá continuidade ao espírito festivo do mês de Agosto. Artesanato, doçaria, folclore e animação marcaram os ritmos da despedida do Verão, em mais um dia recheado de surpresas e boa disposição. 
 
No primeiro domingo do mês, 2 de Setembro, as ruas circundantes ao Mercado Municipal encheram-se de vendedores de todo o Algarve. Os produtos serranos, como o mel, os figos secos, as amêndoas foram os convidados especiais, não faltando a saborosa doçaria e o artesanato tradicional, num encontro para relembrar o passado em dias de presente.
 
Empenhada em valorizar as tradições culturais, a Câmara Municipal de São Brás de Alportel, tem procurado dinamizar esta Feira Tradicional, mediante a criação de um espaço dedicado aos produtos e produtores locais, e a aposta num programa de animação, que constituem novos atractivos de uma Feira, cuja história se perde na memória das gerações.
 
Assim o visitante pôde aliar as habituais compras, à diversão, desfrutando de uma tarde repleta de animação musical, com a participação do Rancho Típico Sambrasense, o Grupo de Capoeira Agbara, e a actuação do conhecido artista “Gil Rosa”, acompanhado pelas suas bailarinas.
 
Os sons tradicionais do folclore deram início a esta tarde de festa, com o Rancho Típico Sambrasense, um grupo que dedicado a preservar as tradições do barrocal e da Serra algarvia, com um repertório de corridinhos e animados bailes de roda.
 
Da cultura tradicional, para as culturas de outras terras. Do folclore para a capoeira, no palco prossegue a festa, com um espectáculo de dança pelo Grupo “Agbara”, que conjuga a luta, a dança, o desporto e a música numa só actividade – capoeira.
 
O grupo, formado por jovens desportistas, fará diversas demonstrações de capoeira, dando a conhecer alguns aspectos culturais da modalidade, como o Maculele e a Capoeira Regional. Enquanto que o maculele consiste num tipo de dança rítmica, bastante movimentada, que recorre à utilização de grimas na sua execução; a dança regional é constituída por movimentos acrobáticos, ao som dos instrumentos típicos da cultura brasileira, como o berimbau, o pandeiro ou o “atabaque”.
 
Culminado em animação, o palco deu lugar à música popular, com o conhecido artista Gil Rosa e suas bailarinas, num espectáculo pleno de alegria e boa disposição , que promete contagiou o público, e o convidou a um pezinho de dança!
 
 
 Jornal Regional – Portugal – Porto – http://www.jornalregional.com

Cambuci ganha “nova Roda de Capoeira”

O Tradicional bairro do Cambuci, em São Paulo, acaba de ganhar uma importante "atração" em um dos seus endereços mais famosos: O Largo do Cambuci.
Trata-se de Uma Roda de Capoeira Angola organizada pela Associação Cultural de Capuera Angola Paraguaçu, sob a batuta do carismático Mestre Jaime de Mar Grande.
 
Parabéns a todos os envolvidos pela escolha deste importante espaço!
Esperamos que esta roda torne-se um encontro tradicional de grandes figuras e assim como a a Roda da Republica, seja um celeiro de grandes nomes da capoeira.
 Cambuci ganha nova Roda de Capoeira
Roda Realizada no dia 11 / 03 / 2007 – Largo do Cambuci – SP
 
Associação Cultural de Capuera Angola Paraguaçu
Organizada Por Mestre Jaime de Mar Grande e seus Amigos

4ª Semana da Capoeira em Porto Alegre

PROCESSO SELETIVO PARA PARTICIPAÇÃO DA PROGRAMAÇÃO DA 4ª SEMANA DE CAPOEIRA DE PORTO ALEGRE
 
Convite:
A Secretaria Municipal da Cultura torna público que estará recebendo sugestões da comunidade capoeiristica para a organização da 4ª Semana da Capoeira em Porto Alegre e no Brasil. Os interessados em participar, deverão entrar em contato com a Coordenação da Descentralização, sito na Avenida Presidente João Goulart, 551, Usina do Gasômetro, pessoalmente ou através do fone 32126373 ou e-mails mestregaviao@gmail.com ou brancaprs@gmail.com no período de 10 de julho a 04 de Agosto de 2006.
Titulo:
“A cor da capoeira, em Porto Alegre e no Brasil”.
Módulo I
Palestrante/Oficineiro
Módulo II
Mostra de Capoeira
Módulo III
Encontro de Música de Capoeira
Ladainha, Chula e Corrido
PROCESSO SELETIVO
INSCRIÇÕES
 
Programação da 4ª Semana de Capoeira de Porto Alegre
“A Cor da Capoeira em Porto Alegre e no Brasil”
 
A Prefeitura Municipal de Porto Alegre, por meio de ação integrada da Secretaria Municipal da Cultura, Secretaria Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Segurança Urbana, Secretaria Municipal de Esporte, Fundação Assistência Social e Comunitária, abre inscrições, no período de 10/07 à 04/08/06, para participarem da programação da 4ª Semana de Capoeira de Porto Alegre, Os interessados (as) em participar devem inscrever-se através de projeto encaminhado para a Secretaria Municipal da Cultura na Coordenação de Descentralização, conforme Plenárias realizadas nos dias 09/05/06 e 07/07/06 às 19h, na sala 209/400 da Usina do Gasômetro.
ETAPAS DO PROCESSO DE SELEÇÃO
 
1ª Etapa – de 10/07 à 04/08/2006. Os candidatos deverão entregar currículo, proposta de trabalho e release, contendo objetivos gerais e específicos, justificativa e etapas. A entrega do material deverá ser feita por temática específica no horário do serviço público – das 8h30min às 12h e das 13h30min às 18h – na Coordenação de Descentralização (Usina do Gasômetro, Avenida João Goulart, 551, 6º andar), fone para informações (51) 3212-5979, ramal 227.
 
2ª Etapa – A escolha dos Mestres naturais ou residentes do Estado do Rio Grande do Sul bem como pessoas residentes e naturais de outros Estados dar-se-á por meio de voto direto na plenária do dia 08 de agosto na sala 209. Somente o proponente que fizerem indicações dos convidados terá direito a voto.
 
ATIVIDADES NÃO REMUNERADAS
 
* Mostras dos grupos de capoeira de Porto Alegre;
* Festival de Música
* Jurado do Festival
FICHA DE INSCRIÇÃO DOS GRUPOS
 
FICHA DE INSCRIÇÃO N. º.
Nome do responsável pelo grupo:
Endereço:                                                                             nº                  compl.
Bairro:                                                                                   CEP:
Cidade:                                                                                  Fone:
E-mail:
Nome do Projeto:
Área de interesse:  Oficina/Palestra (    )       Mostra (    )       Festival (    )
Entidade:
Indicação do Homenageado
Indicação de um nome para ser homenageado, sendo natural do Estado, que tenham contribuído com a capoeira de Porto Alegre.
Apelido: ___________________________Grupo: ________________________________
Nome: __________________________________________________________________
Telefone: _________________________E-mail: _________________________________
 
Processo de escolha será por meio de voto direto, na Plenária do dia 08 de Agosto.
Os mestres Churrasco e Cerqueira já foram homenageados no ano de 2005.
 
Torneio de integração
Grupo: __________________________________________________________________
Nome dos Atletas : ________________________________________________________
________________________________________________________________________
Torneio integração: vôlei misto (  ) futsal (  ) OBS: regras oficiais brasileiras
Para realização deverá ter no mínimo 4 inscrições em cada modalidade.
Módulo I
Palestrante/Oficineiro
Palestrante e Oficineiro:
Os mesmos indicado deverão participar do evento como Palestrantes e Oficineiros, indicação essa de pessoas residentes e naturais de estado que não seja o Rio Grande do Sul, com número de telefone ou E-mail para contato.
  Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira ANGOLA – (pessoa do sexo feminino ou masculino, residente e natural de estado que não seja o Rio Grande do Sul).
  Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira REGIONAL – (pessoa do sexo feminino ou masculino, residente e natural de estado que não seja o Rio Grande do Sul).
  Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira TRADICIONAL– (pessoa do sexo feminino ou masculino, residente e natural de estado que não seja o Rio Grande do Sul).
  Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira (pessoa do sexo feminino, residente e natural de estado que não seja o Rio Grande do Sul).
  Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira RS ANGOLA, REGIONAL E TRADICIONAL– (três pessoas do sexo masculino) *.
  Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira RS (uma pessoa, sexo feminino)
  Estes mestres deverão estar ligados em algumas das seguintes áreas de capoeira: Angola, Regional e Capoeira Tradicional.
OBS: todos participarão do evento como palestrantes e oficineiro.
 
OFICINEIRO/PALESTRANTE
 
Oficineiro/Palestrante RS: Os interessados deverão manifestar-se por meio de projeto conforme modelo em anexo. Será selecionada uma pessoa por modalidade, Angola, Regional e Tradicional.
Obs: O total de vagas disponíveis será disposto da seguinte forma:
4 pessoas  (quatro) convidadas RS
4 pessoas  (quatro) convidadas de fora do estado.
  Capoeira Angola
  Capoeira Regional
  Capoeira Tradicional
  Oficinas de capoeira para crianças, metodologia de ensino para criança.
 
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO PARA PALESTRANTE E OFICINEIRO
 
Cada grupo deverá inscrever-se com apenas um (01) projeto. Indicando os candidatos para preenchimento das vagas.
Todos os proponentes habilitados a votarem, poderão manifestar o interesse no momento da leitura dos nomes, para escolha dos mestres RS e de fora do estado.
Por intermédio do voto direto, serão eleitos os 4 primeiros colocados, com o maior número de votos, denominados titular e os 4 seguintes denominados suplentes.
INFORMAÇÕES GERAIS
 
  O cachê dos Palestrantes e Oficineiros selecionados serão pago pela Secretaria Municipal de Educação – SMED, sendo da seguinte forma:
  Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira ANGOLA, REGIONAL E TRADICIONAL – (pessoa do sexo feminino ou masculino, residente e natural de estado que NÃO seja o Rio Grande do Sul). Valor R$ 800,00 (oitocentos reais).
   Mestre/Professor/ ou pessoa que tenha conhecimento inerente na área da capoeira ANGOLA, REGIONAL E TRADICIONAL – (pessoa do sexo feminino ou masculino, residente e natural do estado do Rio Grande do Sul). Valor R$ 700,00 (setecentos reais).
OBS: Em Seminário aberto, que se realizará no dia 08/08/2006, às 19 horas, na sala 209 da Usina do Gasômetro, dar-se-á a apresentação dos indicados bem como o processo de votação.
REQUISITOS GERAIS:
 
* Ser brasileiro ou estrangeiro residente no país;
* Maior de 18 anos;
* Notório saber na área do projeto apresentado;
* Experiência condizente com a proposta de trabalho;
* Disponibilidade de tempo;
* Iniciativa para resolver problemas e propor ações criativas na área de atuação;
* Documentação em dia para contratar (currículo, cadastro no INSS ou PIS ou PASEP, comprovante de residência, RG, CPF, Certidão Negativa de Regularidade Fiscal da Secretaria Municipal da Fazenda) e Material de Imprensa (jornal, folder, certificado, etc).
* Disponibilidade para participar das atividades a que se propõe no período de 09 a 15 de outubro de 2006.
Declaração de Inidoneidade (conforme modelo em anexo)
OBS: A apresentação dos documentos se dará após a confirmação pela Secretaria Municipal da Cultura, do resultado final.
Candidato Palestrantes e Oficineiro de pessoas residentes e naturais de estado que não seja o Rio Grande do Sul, nome completo com número de telefone ou E-mail para contato.
Capoeira Angola: _____________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
Telefone: ___________________e-mail: ___________________________________
Capoeira Regional: ____________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
Telefone: __________________e-mail: ___________________________________
Capoeira Tradicional: __________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
Telefone: __________________e-mail: ____________________________________
Capoeira Feminina: ___________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
 Telefone: __________________e-mail: ___________________________________
Candidato a Palestrantes e Oficineiro do RS
Nome completo com número de telefone ou E-mail para contato.
Capoeira Angola: _____________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
Telefone: ___________________e-mail: ___________________________________
Capoeira Regional: ____________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
Telefone: __________________e-mail: ___________________________________
Capoeira Tradicional: __________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
Telefone: __________________e-mail: ____________________________________
Capoeira Feminina: ___________________________________________________
Sugerir tema da Palestra: _______________________________________________
Telefone: __________________e-mail: ____________________________________
OBS: Candidato a Palestrantes e Oficineiro do RS:
Serão selecionadas três pessoas do sexo masculino e uma do sexo feminino.
Deverá conter em sua proposta as seguintes especificações:
  Currículo;
  Proposta de trabalho referente ao tema, para os palestrantes;
  Texto contendo todo o conteúdo da palestra;
Módulo II
Mostra de Capoeira
MOSTRA
  Mostra dos grupos de capoeira de Porto Alegre, com gravação de DVD.
A mostra caberá ao grupo inscrito em realizar uma apresentação artística cultural que será registrada em DVD posteriormente será entregue um DVD para cada grupo. O proponente que optarem em participar apenas da Mostra NÃO terá direito a voto. Posteriormente ambos, passarão por entrevista. O PROPONENTE, que não comparecer no dia e horário marcados da entrevista será desclassificado.
 
INFORMAÇÕES GERAIS:
A Mostra de Capoeira se destina as entidades, ligadas à capoeira, será observado o seguinte critério:
Ordem de inscrição
Disponibilidade técnica
 
CONSIDERAÇÕES GERAIS:
  A reunião de avaliação das propostas não será aberta ao público;
  Será aprovado apenas um projeto por grupo;
  Este procedimento é aberto a todos os interessados que se enquadrem nos termos dos requisitos gerais.
  A Secretaria Municipal da Cultura, não receberá projetos, com falta total ou parcial das exigências deste processo seletivo.
MOSTRAS DOS GRUPOS DE CAPOEIRA DE PORTO ALEGRE
Deverá conter em sua proposta as seguintes especificações:
  Currículo;
  Texto, contendo objetivos gerais e específicos, justificativa e  etapas;
  Proposta de trabalho, qual a atividade que irá desenvolver;
  Recursos técnicos necessários para o desenvolvimento da atividade (palco, som, luz, etc);
  Data e horário, de interesse para realizar a sua atividade (indicar duas datas e dois horários).
OBS: O proponente que optarem por inscrever-se apenas na Mostra, NÃO terá direito a voto no Seminário para escolha dos mestres convidados.
FICHA DO GRUPO
Nome do responsável pelo grupo:
Endereço:                                                                             nº                  compl.
Bairro:                                                                                   CEP:
Cidade:                                                                                  Fone:
E-mail:
Nome do Projeto:
Área de interesse:        Mostra (    )     
Entidade:
Módulo III
Encontro de Música de Capoeira
Ladainha, Chula e Corrido
  3º Edição “ENCONTRO DE MÚSICAS DE CAPOEIRA DE PORTO ALEGRE”
ENCONTRO DE MÚSICA DE CAPOEIRA
O Encontro terá como objetivo a integração dos grupos de capoeira, além de proporcionar a gravação de um CD em estúdio. As músicas de capoeira deverão ser tradicionais e inéditas.
ENCONTRO DE MÚSICA DE CAPOEIRA
 LADAINHAS, CHULAS E CORRIDOS
REGULAMENTO
I – Da Promoção
A Prefeitura Municipal de Porto Alegre, por meio de ação integrada da Secretaria Municipal da Cultura, Secretaria Municipal de Educação, Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Segurança Urbana, Secretaria Municipal de Esporte, Fundação Assistência Social e Comunitária realiza o 4ª Encontro de Ladainhas, Chulas e Corridos evento este que compõe a programação da 4ª Semana de Capoeira de Porto Alegre, no dia 30/09, das 19h às 22h, na sala Gênio Peres da Câmara Municipal de Porto Alegre.
II – Dos Objetivos:
O Encontro de Ladainhas, Chulas e Corridos têm como objetivo.
a) Valorizar a produção musical da cidade, através do incentivo à participação de artistas e suas criações.
b) Proporcionar a descoberta de novos talentos.
c) Promover a integração entre capoeiristas de um modo geral
d) Garantir a pratica da musicalidade de uma forma democrática.
III – Da Característica:
O Encontro de Ladainhas, Chulas e Corridos será de música brasileira, mantendo as tradições e rituais sagrados da capoeira. As letras deverão ser em português.
IV – Das Inscrições:
Poderão se inscrever no Encontro de Ladainhas, Chulas e Corridos, todas as pessoas interessadas, devendo ser obedecida uma inscrição de no Máximo 3 (três) músicas por pessoa ( inscrito).
As fichas de inscrição e o regulamento estarão disponíveis na Coordenação de Descentralização da Cultura, na Usina do Gasômetro, (Av. João Goulart, nº551, 6º andar) ou através do e-mail – mestregaviao@gmail.com ou brancaprs@gmail.com
1.  As inscrições estarão abertas de 10/07 a 04/08 do corrente ano.
2.  As composições deverão ser inéditas, letra e música, entendendo-se por inéditas aquelas composições que não tenham sido gravadas e/ou comercializadas em discos ou fitas e/ou veiculadas em rádios, comerciais ou similares.
3.  Aos concorrentes não será cobrado taxa de inscrição.
4.  As composições deverão ser entregues em envelope contendo:
a) Ficha de inscrição;
b) 05 (cinco) cópia da(s) letra(s) contendo o(s) nome(s) da(s) obra(s) e autor (es).
Parágrafo 1. As composições não deverão exceder o limite de 03 (três) minutos, na apresentação. Os casos que excederem este tempo serão decididos pela comissão julgadora não cabendo nesta decisão qualquer tipo de recurso;
V – DA COMISSÃO JULGADORA DO ENCONTRO
A comissão julgadora será composta por 3 (três), mestres de capoeira e 3 (três), suplentes, indicados pela comissão organizadora da 4ª Semana de Capoeira.      
VI – Da Seleção e Julgamento
 – Serão selecionadas 18 (dezoito) composições que falem do fundamento, raízes e origens da capoeira, do total de inscritos. Para comporem o CD do festival A divulgação das 18 músicas vencedoras e suas ordem de classificação será anunciada após a apresentação de todas, no mesmo local.
– A gravação em CD, será previamente agendada e divulgada.
VII – Da Apresentação
a) Coral: estarão disponíveis 04 (quatro) microfones, posicionados conforme indicação do titular da inscrição, independentemente do número de integrantes e respeitadas a capacidade física do palco;
b) Bateria de Capoeira deverá se posicionar no palco.
c) A comissão organizadora não disponibilizará, bateria de capoeira, devendo o concorrente levar a sua.
d) As músicas apresentadas em palco não poderão exceder o limite de 03 (três) minutos, com tolerância de 30 (trinta) segundos;
e) O mesmo proponente não poderá defender mais de 02 (duas) músicas.
 
Da Premiação
 1 – A premiação se dará em forma de Troféu e medalha, sendo da seguinte forma:
• 1º lugar – prêmio Troféu
• 2º lugar – prêmio Troféu
• 3º lugar – prêmio Medalha
• Todos os classificados receberão 5 (cinco) cópias do CD do Festival
VIII – Da Gravação do CD
1. A gravação do CD será realizada em estúdio, com dia e hora previamente marcada e divulgada.
2. O CD será produzido pela Coordenação de Descentralização da Cultura.
IX – Observações finais:
1. O Município de Porto Alegre fica autorizado a veicular as músicas e imagens selecionadas do evento, em peças promocionais ou em sua propaganda institucional referente à suas realizações atinentes à música, sem ônus para o mesmo, no prazo de dois anos.
2. Os concorrentes deverão preencher uma declaração, autorizando o Município de Porto Alegre a veicular as músicas inscritas e as selecionadas e imagens do evento. Declarando também que a composição é inédita. (ver anexo 3)
3. O Município poderá revogar o presente concurso, por interesse público ou invalidá-lo em caso de vício insanável, em ambos os casos, justificadamente, não ensejando indenização, a qualquer título, pelo município, aos participantes.
4. O presente regulamento poderá ser impugnado pelo Art. 41 § 1º e 2º da Lei 8666/93.O.
5. O presente encontro rege-se pelas disposições da Lei 8666/93, no que couber, e os casos omissos serão decididos pela Organização, observadas as disposições deste regulamento e da legislação pertinente.
 
Obs: OS JURADOS NÃO PODERÃO DEFENDER MÚSICAS;
ENCONTRO DE MÚSICA DE CAPOEIRA
LADAINHA, CHULAS E CORRIDOS
PORTO ALEGRE – 2006
Ficha de Inscrição
Nº de Inscrição: ___________
Nome da composição: ______________________________________________
Nome do Autor: ____________________________________________________
Endereço: ________________________________________________________
Entidade: _________________________________________________________
Cidade: ________________________ Cep: _____________________________
Telefone: ______________________ Celular: ___________________________
E-mail: ___________________________________________________________
Porto Alegre, ____ de _______________de 2006.
______________________________ Assinatura  O declarante assume total responsabilidade pela veracidade das informações, tanto no tocante ao Festival quanto às implicações legais dela decorrentes.
AUTORIZAÇÃO 
 Eu, _______________________________________________ declaro que o Município de Porto Alegre fica autorizado a veicular a(s) música(s) e imagens selecionadas do evento, em peças promocionais ou sua propaganda institucional, referente à suas realizações atinentes a música, sem ônus para o mesmo, no prazo de dois anos.
Declaro também que a composição concorrente é inédita.
Porto Alegre, _____ de ______________ de 2006.
____________________________
Assinatura
_____________________________
RG N. º
Autorização
 Eu, _________________________________________________, autorizo o menor de idade, sob minha responsabilidade, a participar do Encontro de Musicas da Capoeira, evento esse realizado pela Prefeitura Municipal de Porto Alegre por intermédio da Secretaria Municipal da Cultura.
Nome do menor:____________________________________________
Nome do responsável: _______________________________________
Porto Alegre, _____ de ______________ de 2006.
_________________________________
Assinatura

Evento da Ecaig – Escola de Capoeira Angola Irmãos Gêmeos de Mestre Curió

Evento da Ecaig – Escola de Capoeira Angola Irmãos Gêmeos de  Mestre Curió
                          
                                    De 23 a 28 de janeiro 2006

 Tema – Capoeira Angola: Elemento de Educação e Inclusão Social Rumo ao Ensino Formal 
                        
Programação:
De 23 a 25, Oficina de Capoeira Angola com M.Curió
Horarios, 10 as 12 e 14 as 16hs.
26, Paletra sobre tema abordado 18:00hs.
27, Missa em comemoracao ao aniversario de M. Curio
na Igreja de Sao Francisco 18;00hs. e Roda de Capoeira Angola no Cruzeiro de S.Francisco 19:00hs.
28, Festividades finais do evento com tradicional caruru de S. Cosme e S. Damiao, alem do Samba de roda.
Inscricoes e informacoes: ( 71 ) 3321-0396 ou 99633562 M. Curio
E-mail: mestrecurio@ig.com.br ou mestrecurio@yahoo.com.br 
 
Procurar – M. Curió ou Mestra Jararaca

Mestre Ananias

Aos 80 anos, Mestre Ananias é a síntese da herança africana do povo brasileiro. Vive a Capoeira, o Samba e o Candomblé sem dissociá-los, esclarecendo no seu comportamento questões sobre a ancestralidade do nosso povo. Nascido no ano de 1924, em São Félix, região do Recôncavo Baiano cuja fertilidade cultural merece estudo aprofundado. Absorve o contexto no qual está imerso e na metade do século XX vem para São Paulo a convite de produtores do teatro paulistano. Trabalha com Plínio Marcos, Solano Trindade e outras personalidades, em todos os teatros da cidade. Em 1953, ano de sua chegada, Mestre Ananias funda a roda de capoeira mais tradicional de São Paulo, a Roda da Praça da República. Essa ganha força com a chegada de seus conterrâneos e nesse ínterim a capoeira exerce de fato um dos seus principais fundamentos, integrar à sociedade, classes desfavorecidas frente às imposições e preconceitos raciais e sociais.

CD’s – Lançamentos

Lançamentos:
Mestre Jogo de Dentro chega com seu 3º Cd, para os amantes da Capoeira. Sem duvida imperdivel
80 anos com MESTRE ANANIAS
Mestre Ananias é a síntese da herança africana do povo brasileiro. Vive a Capoeira, o Samba e o Candomblé sem dissociá-los, esclarecendo no seu comportamento questões sobre a ancestralidade do nosso povo. Nascido no ano de 1924, em São Félix, região do Recôncavo Baiano cuja fertilidade cultural merece estudo aprofundado. Absorve o contexto no qual está imerso e na metade do século XX vem para São Paulo a convite de produtores do teatro paulistano. Trabalha com Plínio Marcos, Solano Trindade e outras personalidades, em todos os teatros da cidade. Em 1953, ano de sua chegada, Mestre Ananias funda a roda de capoeira mais tradicional de São Paulo, a Roda da Praça da República. Essa ganha força com a chegada de seus conterrâneos e nesse ínterim a capoeira exerce de fato um dos seus principais fundamentos, integrar à sociedade, classes desfavorecidas frente às imposições e preconceitos raciais e sociais.