Blog

troca

Vendo Artigos etiquetados em: troca

10º Batizado de Capoeira e Formatura Companhia Pernas Pro Ar

Na semana da Consciência Negra:

Nos dias 18 a 21 de novembro de 2010 a Associação Cultural Companhia Pernas Pro Ar (CPPA) realizará  nas cidades de Belo Horizonte e Pedro Leopoldo, o 10º Batizado e Troca de Cordas e Formatura.

O evento organizado pelo Contra-Mestre Boca de Peixe (Danny Lopes) tem como objetivo realizar um encontro esportivo-cultural, comemorar os dez anos da Associação e celebrar a semana da Consciência Negra. Além dos capoeiristas de Belo Horizonte, o evento receberá convidados de outras cidades e estados; e como convidado especial, o Contra Mestre Porquinho da Alemanha.

Participarão do 10º Batizado e Troca de Cordas cerca de 400 crianças e adolescentes de vários projetos sociais: Projeto Jabuti e Ação Social Paula Francinette de Belo Horizonte, Projeto Vem Ser e Educação com Arte de Pedro Leopoldo.

A programação conta com Festival de musicas, exposição de fotos dos 10 anos da CPPA, exibição de vídeos,

workshops de capoeira, Batizado, Troca de cordas e Formatura. O grande atrativo do evento é a formatura do Contra Mestre Boca de Peixe como Mestre e do Instrutor Jabuti como Professor.

Mais informações pelo site www.cppa.com.br ou twitter @Boletim_CPPA.

 

A Associação Cultural Companhia Pernas Pro Ar

A Associação Cultural Companhia Pernas pro Ar foi fundada em 24 de março de 2000, pelos Contra-Mestres Boca de Peixe (Danny Alexandro Lopes de Oliveira) – graduado em Educação Física pelo UNI-BH e pós-graduado em Ed. Física Escolar pela UGF, e Porquinho (Nayro Ângelo Lopes de Oliveira) – residente em Köln (Alemanha) desde 1997, onde desenvolve um importante papel na divulgação da cultura Brasileira.

No Brasil, está presente em Belo Horizonte, Pedro Leopoldo, Confins, Sete Lagoas, Mateus Leme, Matozinhos e São João Del Rei. No exterior, está presente na Alemanha, Polônia, Grécia, Síria e Bulgária.

Grupo de Capoeira Nosso Senhor do Bonfim comemora 10 anos de atividades

Foi com muita alegria que o Grupo de Capoeira Nosso Senhor do Bonfim e a Associação Desportiva e Cultural de Capoeira “Filhos de Cananéia” completou 10 anos de Batizados e Troca de Cordas. O evento que marcou essa data aconteceu nos dias 15, 16 e 17 de outubro em Cananéia – SP e contou com a participação de capoeiristas de diversas cidades, como: Passos (MG), Franca, Jundiaí, São Paulo, Santos, Registro, Iguape, Juquiá, Pariquera-Açu e até do Estado de Alagoas, com a participação do Mestre Girafa, que usa uma prótese em uma das pernas.

O evento começou na sexta-feira (15) com uma roda de capoeira na Colônia de Pescadores para os participantes que chegaram nesse dia. No sábado (16) as atividades aconteceram no Ginásio Mário Covas com rodas de mestres e troca de graduação de alunos e professores e continuou noite a dentro na Praça da Tiduca, com apresentações culturais do Grupo de Dança Órus coordenado pela professora Cláudia, roda livre de capoeira, mostra do vídeo “Iê – Na volta que o mundo deu…” produzido pelos alunos do Grupo de Capoeira Nosso Senhor do Bonfim e fechou com o grupo de forró “Trio Pé do Morro” de Iguape. Já no domingo (17) ocorreu o Batizado dos alunos iniciantes e a tradicional “peixada com capoeira”, almoço de confraternização entre os participantes.

“Foi um evento bem significativo para o Grupo de Capoeira Nosso Senhor do Bonfim, que apesar das dificuldades encontradas diariamente, vem desenvolvendo um belo trabalho esportivo, cultural, inclusivo e principalmente educacional, como foi o vídeo produzido pelo alunos do grupo que conta a história de um garoto usuário de drogas que muda sua vida quando conhece a capoeira e o acolhimento que ela proporciona…” desta Cleber Rocha Chiquinho, aluno estagiário do grupo de capoeira.

Vale ressaltar o apoio que a Colônia de Pescadores Z-9, o Ponto de Cultura Caiçaras, a Associação Rede Cananéia e todos que direta e indiretamente ajudaram na concretização desse evento.

Fonte: http://diariodeiguape.com

RJ: 10º Batizado e Encontro Ecológico de Capoeira

O nosso X BATIZADO e ENCONTRO ECOLÓGICO DE CAPOEIRA ocorrerão nos dias 18 e 19 de setembro no Clube do Condomínio Novo Leblon e no Bosque da Barra, ambos situados na Barra da Tijuca.

O ENCONTRO ECOLÓGICO é um evento cultural e de educação ambiental, criado pelo professor Feinho em 2001 e visa despertar valores como a preservação e valorização da cultura popular bem como dos indivíduos da sociedade e do meio ambiente.

O BATIZADO é um evento tradicional onde o aluno iniciante é reconhecido como capoeirista pela comunidade da capoeira. No evento, mestres e professores são convidados para batizar os alunos, reconhecendo os esforços dedicados por este à capoeira. O Batizado ocorre juntamente com a troca de graduações (corda), que indica o nível do aluno nesta arte.

Juntamente com o BATIZADO e o ENCONTRO ECOLÓGICO, faremos um SHOW DE CULTURA POPULAR PARA A PAZ no Restaurante do Clube do Condomínio Novo Leblon logo após o Batizado.

No domingo teremos uma RODA em comemoração às novas graduações recebidas por nossos aprendizes. À tarde acontecerá uma atividade extra, nós faremos parte do evento Aldeya Jacarepaguá, na Escola SESC de Ensino Médio, onde ministraremos uma oficina de berimbau (cada participante construirá e levará o seu berimbau para casa – vagas limitadas –

 

inscrições através do e-mail assessoriadeculturaesem@gmail.com

 

PROGRAMAÇÃO:

18/09 – Sábado

Manhã

Encontro Ecológico – Bosque da Barra

9:00 – Chegada

9:15 – Oficina de Cultura Popular  Brasileira

( p/pais e filhos)

10:30 – Lanche

10:45 – Aula de Capoeira c/ M.Peixinho p/ adultos

e Prof Renata p/ crianças.

11:45– Roda das manifestações populares brasileiras

12:40 – Encerramento manhã

Tarde

Batizado e Troca de Cordas – Novo Leblon

15:00 – Batizado e Troca de Graduações

17:00 – Lanche e Entrega de Certificados

18:00 – Show de Cultura Popular para a Paz

19/09 – Domingo

Manhã

Praia da Barra Posto 7

10:00 ás 12:00 –  Roda Comemorativa

Tarde (Atividade Extra)

Escola SESC de Ensino Médio – Aldeya Jacarepaguá

14:00 – Oficina de Berimbau  

(vagas limitadas)

Projeto da prefeitura de Quatis forma capoeiristas

A Secretaria Municipal de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo, realiza neste sábado (4), a cerimônia de Batizado e Troca de Cordas dos alunos que participam do projeto de capoeira, mantido pela prefeitura de Quatis.

O evento, realizado em parceria com o Grupo Muzenza, tem como objetivo a formação de novos profissionais da capoeira, bem como novos cidadãos.

Segundo o supervisor do grupo Muzenza em Quatis, André Nascimento, também conhecido como Mestre Quati, este é um momento único para aluno, que oferece oportunidade de crescimento cultural e profissionalizante.

“O batizado e a troca de corda possibilitam ao capoeirista o conhecimento cultural e aprimoramento técnico, pois a capoeira é uma luta e a cultura, uma sabedoria”, disse André.

A abertura da cerimônia será às 18h, com um curso de roda aberta ministrado pelo diretor nacional do Grupo Muzenza de Capoeira, Mestre Burguês, e apresentação de saltos. Logo após, haverá o batizado dos novos capoeiristas, que receberão das mãos do Mestre Quati, a corda de cor cinza – representando o primeiro estágio de um lutador de capoeira.

“Depois dos iniciantes, os graduados trocarão as cordas. Aí, um a um fará uma apresentação ao Mestre Burguês, que avaliará o ritmo e a parte técnica do atleta, entre outros”, explicou o supervisor do grupo.

De acordo com o secretário de Esporte, Cultura, Lazer e Turismo, Carlos Vagner, este momento é muito válido para o aluno, porque, além de trazer cultura e educação, aplica ganhos como a valorização pessoal e a propagação da capoeira.

“Para a cidade, um evento como este proporciona a busca da valorização e o resgate da arte da capoeira. Sem falar em lazer e entretenimento para a população”, destacou o secretário.

A cerimônia de Batizado e Troca de Corda do Grupo Muzenza de Capoeira acontecerá no Ginásio Poliesportivo, no bairro Nossa Senhora do Rosário.

 

http://www.diariodovale.com.br/noticias/4,27477.html

Valentim Gentil: Associação “Anjos Guerreiros” realiza batizado de capoeira

Integrantes dos projetos sociais Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil) e Renascer, do município de Valentim Gentil, participam, no dia 18 de julho, do 11º Batizado de Capoeira e Troca de Cordas, promovido pela Associação Desportiva e Cultural de Capoeira “Anjos Guerreiros”. O evento será na quadra coberta da EMEF Vicente Santoro, a partir das 9h.

Segundo um dos organizadores, o monitor de capoeira Elvis Gonçalves Silvestre, o evento contará com a participação de 52 integrantes dos projetos e apresentações de algumas academias da região. “Será uma boa integração entre mestres e alunos. Ocasião para a troca de energia, cultura e informações”, comentou.

Além disso, os alunos terão a oportunidade de mostrar o que aprenderam ao longo das aulas e participar do ritual do batizado, que é caracterizado por uma festa e tem como principal intuito motivar o “lado social” dos jovens.

O batizado será realizado com o respaldo da Prefeitura de Valentim Gentil. “É um projeto de inclusão social que vamos incentivar, pois nosso maior objetivo é ver estes jovens cada vez mais longe das ruas e das drogas”, declarou o prefeito Adilson Segura.

 

Fonte: Região Noroeste – www.regiaonoroeste.com

Paulínia: Festival Nacional de Capoeira e Cultura Popular

Terceiro Festival Nacional de Capoeira e Cultura Popular acontece em abril e maio em Paulínia

O primeiro dia do Terceiro Festival Nacional de Capoeira e Cultura Popular acontece dia 24 de abril, em Paulínia, na Câmara Municipal. O evento começa às 9h e se estende ao longo do dia.

Na ocasião, os participantes vão debater o reconhecimento da capoeira enquanto profissão, meios de inclusão social por meio da prática do esporte e os horizontes da capoeira no Brasil e exterior.

No dia 9 de maio, no Theatro Municipal Paulo Gracindo,  das 14h às 21h, será comemorado o 36° Festival e haverá o “Primeiro Aulão de Capoeira Aberto de Paulínia”. Iram participar os mestres Tucano Preto, Marrudo, do Ceará, Tupeta, Cláudio e Tubarão, convidado especial da Suécia. Após as rodas de capoeira, apresentações individuais, troca de formatura e troca de cordas grupos de pagode vão encerrar o evento.

As atividades estão sendo organizadas pela Associação Educacional e Cultural de Capoeira Rainha do Engenho, com coordenação geral do Mestre Domingos.

Para outras informações ligue para (19) 3933-2003, 8152-1874, 9203-4435, ou mande e-mail para: mestre.domingos@hotmail.com.

 

Fonte: Paulinia News – http://www.paulinianews.com.br/

Vivendo do Escambo

Da terra quente e seca, os artistas viram colorir com suas fitas imaginárias uma cidade em calamidade. Era em 1991 em Janduís-RN, quando um grupo de atores, bailarinos e músicos tiveram a ideia de trocar água por arte. E trocaram mais. Além das gotas que encheram baldes e esperanças, os artistas criaram o Escambo. O movimento artístico que virou referência Brasil afora, acontece esta semana, de 15 a 18, em São Miguel do Gostoso, município do litoral norte potiguar, a 90 km de Natal.

“O movimento é a troca de experiências, de arte, de oficinas. É quando podemos apresentar nossos trabalhos e ter acesso a outros. Estamos aguardando 300 artistas vindos de diferentes partes do Brasil como São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará e Maranhão”, contou Filippe Rodrigo, ator e organizador do Escambo. Filippe já nasceu no Escambo. Filho de Santos, fundador do grupo Alegria Alegria, o artista não lembra de outra forma de trabalhar com arte que não seja através da troca.

O Escambo segue a filosofia de troca de serviços. Por exemplo, quando o grupo faz uso de uma escola pública para se instalar, no lugar eles consertam os encanamentos, a parte elétrica e o que puderem fazer para aquele espaço melhorar. “Tudo é possível no Escambo. E a troca é o grande trunfo. É quando podemos experimentar a arte e recebê-la”, contou Rodrigo.

Ele lembra que até hoje já foram realizados 14 escambos, desde 1991, inclusive fora do Rio Grande do Norte quando aconteceram escambos no Ceará.

Como em São Miguel do Gostoso, o escambo acontece geralmente em quatro dias, período em que os artistas participam de oficinas, cortejos, apresentações e discussões sobre a arte e suas perspectivas. “Eles estarão aqui durante quatro dias realizando vivências, rodas de filmes, música, dança. Mesmo o movimento tendo começado com teatro, o que mais reúne gente nas praças é o cinema”, disse o organizador.

O VIVER conversou com Rodrigo uma semana antes do início do Escambo e constatou que mesmo com um aparente “deixe acontecer”, o Escambo é um movimento organizado e planejado. “Sempre seguimos um esquema de chegar antes na cidade e conhecer a comunidade e os possíveis lugares para instalações. Aqui em São Miguel estamos em parceria com a prefeitura que nos cedeu as escolas. E além da estrutura, esse primeiro contato é importante para conhecermos melhor as atividades culturais da cidade”, conta o artista.

Em São Miguel, a capoeira é um dos pontos fortes da comunidade, por isso o Escambo dará atenção especial ao grupo já formado. “É quando poderemos levar um outro grupo de capoeira com linguagem diferente para discutir sobre a atividade”.

Toda preocupação do Escambo vai além da arte. Junto às oficinas, as discussões e as aulas teóricas e práticas fazem parte da programação. Além dos grupos e mestres de folguedos, o convidado do Escambo desta temporada é o ator Ami Haddad, do grupo “Tá na Rua” do Rio de Janeiro. “Ele fará rodas de conversa com a comunidade e com os artistas e ficará em São Miguel até o dia 20 de janeiro.

Depois de tanta troca e de ecoar pelo Brasil inteiro, o movimento foi homenageado recentemente em São Paulo e tem em seu cadastro mais de 1.500 artistas de rua. Na visão de Rodrigo, o movimento é transformador de mundos e lembra muito a chegada do circo nas cidades. “É uma mudança interior”.

Ele lembra que muitas pessoas das comunidades visitadas ensaiam em fugir com os grupos de teatro. “Até hoje ninguém teve coragem, mas o interessante é quando a gente volta aos lugares e percebe que aquelas pessoas que desejavam sair, hoje transformam suas cidades com arte. Por isso é um movimento infinito”, finalizou Rodrigo.

Programação

15/01 sexta-feira
12h Chegada do grupo
14h grande reunião que é a chamada saudação e o fechamento de algumas comissões, organização e segurança;
16h30 – cortejo
17h20 – espetáculos que são três por noite
20h00 – mostra de filmes
Escambar – movimento da chegada nos bares com leitura de poesia,
música, até 2 da manhã

Dia 16/01 sábado
8h até 12h – vivências até
tarde: reunião de avaliação
16h – deslocamento dos grupos para comunidades vizinhas e assentamentos
Centro: espetáculos, mostra de filmes.

Dia 17/01 domingo:
8h30 até 12h – Vivência com Amir Haddad
13h30 – Vivência
16h40 – cortejo, espetáculos
20h00 – mostra de filmes

Dia 18/01 – segunda-feira
08h00 – Feira com espetáculo de teatro, música e bonecos
Roda de avaliação
Finalização dos Escambos

 

Fonte: Tribuna do Norte – http://tribunadonorte.com.br/

Ilê de Bamba realiza batizado de capoeira e ritual de cordas neste domingo

O Centro Cultural Ilê de Bamba se prepara para um ‘batizado’ de capoeira entre os seus alunos. O ritual, que também inclui a ‘passagem de corda’, acontece anualmente entre os membros da entidade. No domingo, dia 13 de dezembro, mais de 40 alunos farão parte do evento. O 1º Festival de Capoeira – Batizado e Troca de Corda terá início às 13 horas e será aberto à comunidade.

Desde que o grupo existe, anualmente é realizado um ‘batizado’, ou ‘passagem de corda’ entre os integrantes do Ilê de Bamba. Na capoeira, esse ritual representa que o aluno ‘progrediu’, como passar de ano na escola, por exemplo.

“Eu acho que a corda não é o que faz o capoeirista, mas ela é um símbolo de que a gente evoluiu”, explica o capoeirista Ruly Lino Laurentino (foto), que pratica capoeira há quase dois anos.

A capoeira, assim como algumas artes marciais, possui o ritual da passagem de corda como uma ‘aprovação’ para seus alunos. Segundo o professor de capoeira do grupo Ilê de Bamba, Marcelo Aparecido de Barros, há um número oficial de cordas na capoeira, que muda de acordo com a capacidade do aluno.

“Nós não seguimos o modelo da federação. Preferi acrescentar um número maior de cordas, para dar mais tempo ao aluno”.

Conforme o tempo de aprendizagem, ou a melhora no desempenho do capoeirista, a corda, que é amarrada ao uniforme usado na luta, é trocada por uma corda de outra cor. Assim como existe o judoca “faixa preta”, na capoeira há a corda que representa a maior posição, que no caso, é a branca.

“A capoeira não é como o karatê, que você aprende os movimentos e troca de faixa. O ritual de trocar a corda é uma prova de que você adquiriu ali uma experiência de vida”, afirma o aluno Gilmar Henrique Rodrigues, que pratica capoeira há 10 anos, e trocará de corda este ano.

Este ano, cerca de 40 alunos participam do ritual do batizado. “Primeiro o aluno é batizado, o ritual da troca de cordas vem depois. Apenas os mestres têm direito de batizar os novatos”, diz Marcelo.

O evento será realizado no dia 13 de dezembro, no teatro PAX, a partir das 13 horas. Toda a comunidade está convidada a assistir.

Fonte: http://www.portalcomunitario.jor.br

Por: Camila Stuelp, Hortênsia Franco e Lígia Tesser

Mestre Brasília, um dos precursores da capoeira em São Paulo, lança CD e DVD e faz batizado

Mestre Brasília, um dos precursores da capoeira em São Paulo, lança CD e DVD e faz batizado e troca de cordas

Mestre Brasília, ao lado de pouco mais de uma dúzia de mestres de capoeira, é um dos precursores dessa manifestação cultural na capital paulistana. O jogo/dança/luta ganhou força em São Paulo no início dos anos 70 quando Mestre Bimba, o pai da capoeira regional, veio da Bahia especialmente para entregar um certificado de reconhecimento ao trabalho de nove mestres. No sábado, 20, Mestre Brasília reúne nomes importantes da capoeira de São Paulo para lançamento do CD e DVD Vivências e Fundamentos de um Mestre de Capoeira e também para troca de cordas e batizado do seu grupo, o Ginga Brasília. O evento acontece das 14h às 18h na Escola Vera Cruz, na Vila Leopoldina.

O CD, produzido por Mestre Brasília, sob direção de Mestre Tiê, é uma coletânea de oito músicas de domínio público, exceto pela primeira faixa 3 Mestres, composta por Paulo dos Anjos. São clássicos das rodas de capoeira cantadas na voz de Mestre Brasília que toca também berimbau e pandeiro. Mestre Tié responde pela tumbadora, caxixi e agogô e Clóvis Venâncio faz o violão em uma homenagem do capoeirista Pedro Calasso, na faixa 4, aos mestres do Grupo dos 9 – Aílton Onça, Brasília, Joel, Limão, Gilvan, Pinatti, Silvestre, Suassuna e Zé de Freitas – e a Mestre Ananias, outra figura importante do início da capoeira na cidade de São Paulo.

O DVD, além de trazer uma rápida biografia de Mestre Brasília, baiano, nascido em Alagoinhas e discípulo de Mestre Canjiquinha, traz algumas apresentações como samba de roda e maculelê feitas pelo Mestre e seu grupo nos anos 80 em teatros da cidade de São Paulo. O DVD apresenta momentos de grande beleza como o que Mestre Brasília ensina a japoneses os fundamentos das Chamadas de Angola ou ainda em que, em um batizado nos Estados Unidos, faz um jogo memorável com Mestre Cobrinha Mansa.

Aulas, participações em batizados e apresentações pelo mundo – entre elas uma apresentação pelas ruas do Japão -, além de fundamentos da capoeira angola e também da regional, também dão um recheio saboroso ao DVD.

No sábado, além da troca de cordas e batizado do Grupo Ginga Brasília, estão previstas apresentações de maracutu, maculelê, samba e miudinho, este último um jogo de capoeira desenvolvido por Mestre Suassuna, de quem Mestre Brasília foi sócio em 1966, quando juntos abriram a Academia Cordão de Ouro. No ano seguinte, ele deixou a sociedade para abrir sua própria academia.

Serviço:

Lançamento de CD e DVD Vivências & Fundamentos de um Mestre de Capoeira – Mestre Brasília; batizado e troca de cordas e apresentações de maculelê, maracatu, samba de roda e miudinho de Mestre Suassuna

  • Local: Escola Vera Cruz
  • Rua Bauman, 73 – Vila Leopoldina´
  • Data: sábado, 20 de dezembro
  • Horário: 14h às 18h
  • Preço do kit com CD e DVD: R$ 35,00 (CD: 15,00 e DVD: 20,00)
  • Maiores Informações: (11) 9395-3907

Bahia: Evento deve reunir 600 capoeiristas em Salvador

O 2° Encontro Internacional de Capoeira e 27° Troca de Graduação do Grupo Raça acontece de hoje até o dia 23 de novembro, em Salvador. Com o apoio do Lar Fabiano de Cristo e patrocínio da Capemisa, o evento reunirá na Bahia alunos, professores e mestres de sete estados e quatro países.

Entre as atividades previstas na programação estão oficinas, palestras, cursos, exames de troca de cordão e, para fechar o Encontro, um "aulão" seguido de uma grande roda no Farol da Barra, com mais de 600 capoeiristas.

Programação:

Confira abaixo a programação completa do evento:

Mestre Medicina

  • Quarta-feira (19/11)

Local: Mansão do Caminho, Pau da Lima
08h30 – Oficina de confecção de berimbau para os alunos da Mansão do Caminho, com mestre Olavo da Bahia.
10h30 – Curso de primeiros-socorros para pais e alunos.
14h30 – Recreação com movimentos de capoeira com contra mestre Batata, do Grupo raça de Maceió, Alagoas.
16h – Curso de primeiros-socorros para pais e alunos.

  • Quinta-feira (20/11)

Local: Auditório do Centro Universitário Jorge Amado, Paralela
19h – Fórum de palestras e debates
Palestrantes: Dr. Benício Boyda – professor de Medicina da UESC, Dr. Hélio Campos – mestre Xaréu, mestre Jean – professor de Educação Física, Dr. Tatiana Blandy, Márcia de Carvalho Rocha – administradora do Lar Fabiano de Cristo.
Temas: "A capoeira e a inclusão social", "Capoeira na escola e na universidade", "A capoeira e a sociedade atual" e "A capoeira como agente de superação de limites e transformação na vida de quem pratica".

 

  • Sexta-feira (20/11)Sexta-feira (20/11)

Local: Ginásio do Centro Universitário Jorge Amado, Paralela
19h – Aula com mestre Suassuna, um dos mais importantes mestres de capoeira do mundo, seguido de um bate-papo com mestre Medicina, coordenador geral do Grupo Raça.

  • Sábado (21/11)

Local: Mansão do Caminho, Pau da Lima
08h30 – Batizado e troca de cordão dos alunos do Grupo Raça. Neste dia estarão presentes todos os alunos, professores, contra mestres e mestres que fazem parte ou são amigos do Grupo Raça para uma verdadeira celebração da capoeira. São esperados capoeiristas de sete estados e quatro países.

  • Domingo (21/11)

Local: Farol da Barra
08h30 – O domingo na capital baiana vai ser de capoeira. Neste dia, mais de 600 capoeiristas, todos vestindo a tradicional roupa branca, comparecerão ao Farol da Barra para um "aulão" do mestre Medicina, seguido de uma roda que promete entrar para a história. Todos os capoeiristas e admiradores do esporte símbolo da Bahia estão convidados.