Blog

vieira

Vendo Artigos etiquetados em: vieira

Projeto Vozes de Mestres será apresentado pela primeira vez em Curitiba

Cultura popular pede passagem no CCBB Itinerante: Projeto Vozes de Mestres será apresentado pela primeira vez em Curitiba, entre 22 e 29 de outubro

No mês de outubro, Curitiba se transforma na capital nacional da cultura popular, com shows, oficinas, ideias e exposições, eventos gratuitos ou a preços populares. Entre os dias 22 e 29, o Centro Cultural Teatro Guairá (CCTG) recebe a caravana do “Vozes de Mestres – Festival Internacional de Cultura Popular. O festival é o destaque da programação da etapa do segundo semestre de 2009 do CCBB Itinerante, projeto cultural idealizado pelo Banco do Brasil, com propósito de levar arte, cultura e lazer a várias cidades e capitais do país. Música, oficinas, ideias e exposição

O grupo Mundaréu, filho da casa, abre os trabalhos no dia 22 de outubro (quinta-feira), às 20h, com o show “Forféu do Mundaréu” no Guairinha (Auditório Salvador de Ferrante), com entrada franca. No dia 28, Elba Ramalho sobe ao palco do Guairão para celebrar 30 anos de carreira, com grandes sucessos e temas da cultura popular nordestina. Quem abre o show da cantora paraibana, às 20h, é o grupo Meninas de Sinhá, formado por senhoras de 45 a 90 anos, que redescobriram na periferia de Belo Horizonte (MG) a arte de dançar e relembrar antigas cantigas de roda, cirandas e brincadeiras. Os ingressos custam R$ 15 e R$ 7,50 (meia-entrada).

O grupo mineiro também participa dia 29 da oficina “Vivência com Meninas de Sinhá”, quando terá a oportunidade de compartilhar com o público experiências que transformaram angústias e carências em arte. A artesã Efigênia Ramos Rolim, mestra na criação com bala de papel, é a convidada especial. A cantora mineira Déa Trancoso ministra de 26 a 28 a oficina “Corpo e Voz”, uma das atividades mais procuradas do festival, ao lado do “Mural em Cerâmica”, oficina ao ar livre da artista plástica Germana Arthuso. Já os integrantes do Mundaréu promovem dia 23 uma grande festa na oficina “Fuzuê de Batuques – Cacuriá do Tatá”. Essas atividades são todas gratuitas e as inscrições podem ser feitas pelo site www.vozesdemestres.com.

Como o festival também é um espaço para reflexões, haverá no dia 27 a mesa-redonda “Brasil: quem somos nós? E como chegamos a ser o que somos…?” com os mestres do Fandango Paranaense Martinho dos Santos e Leonildo Pereira, e o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. A artista plástica e pesquisadora Rejane Nóbrega será a anfitriã do evento, que terá mediação de Déa Trancoso.

A exposição “Caminhos do Jequitinhonha”, do fotógrafo e documentarista Marcelo Oliveira, também integra a programação. A mostra revela a riqueza do Vale do Jequitinhonha (MG) e será apresentada entre os dias 22 e 29 no Guairinha. O festival ainda terá a presença de Ghustavo Távora, coordenador do projeto Imaginautas, com intervenções de artecomunicação em vários cantos da cidade. A programação completa está no site www.vozesdemestres.com.

Vozes de Mestres

O “Vozes de Mestres – Festival Internacional de Cultura Popular”, idealizado pela Jardim Produções, tem caráter itinerante e amplia o intercâmbio entre artistas, trabalhadores da teia produtiva das artes em geral e mestres das culturas populares do Brasil e da América Latina, potencializando um dos aspectos mais significativos da cultura brasileira e latino-americana: a diversidade.

A primeira edição, realizada em Belo Horizonte/2008, contou com mais de 25 atrações, e, neste ano, o projeto já visitou Ouro Branco/MG, dentro da programação do IV Festival de Inverno de Ouro Branco, promovido junto com o governo local. Depois de passar por quatro cidades brasileiras chega agora a Curitiba, através do Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB Itinerante), com patrocínio do Banco do Brasil.

Sobre o CCBB Itinerante

O CCBB Itinerante visa democratizar a cultura e revelar novas tendências artísticas, proporcionando a valorização das culturas locais. Os eventos realizados abrangem as áreas de música, teatro, literatura, mostras de cinema e vídeo, dança e artes plásticas.  Este ano o projeto percorrerá 18 cidades localizadas nas cinco regiões do país. Durante 95 dias (mais de um quarto do ano), o CCBB Itinerante realiza projetos sócio-culturais, beneficiando jovens, crianças e adultos de todo o Brasil.

PROGRAMAÇÃO GERAL – CURITIBA – 22 A 29 DE OURUBRO

IDEIAS

“Brasil: quem somos nós? E como chegamos a ser o que somos…?”, com os mestres do Fandango Paranaense Martinho dos Santos e Leonildo Pereira, e o escritor e dramaturgo Ariano Suassuna. Anfitriã: artista e pesquisadora Rejane Nóbrega. Mediação: jornalista e cantora Déa Trancoso.

27 de outubro (terça-feira), às 19h

Local: Teatro Guaíra – Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guirão)

Rua Conselheiro Laurindo, s/nº (Avenida José Vieira, 315)

Entrada gratuita (senhas serão distribuídas 1 hora antes do evento)

Classificação indicativa: Livre

MÚSICA

Mundaréu

22 de outubro (quinta-feira), às 20h

Local: Teatro Guaíra – Auditório Salvador de Ferrante (Guairinha)

Rua Conselheiro Laurindo, s/nº (Avenida José Vieira, 315)

Entrada gratuita (senhas serão distribuídas 1 hora antes do evento)

Dia 24 de setembro (quinta-feira), às 20h

Classificação indicativa: Livre

Elba Ramalho

Abertura: Meninas de Sinhá

28 de outubro (quarta-feira), às 20h

Local: Teatro Guairá -Auditório Bento Munhoz da Rocha Netto (Guairão)

Rua Conselheiro Laurindo, s/nº (Avenida José Vieira, 315)

Entrada: R$ 15,00 (inteira) e R$ 7,50 (meia-entrada) para estudantes, idosos. Clientes e funcionários do Banco do Brasil também pagam meia (benefício válido, inclusive, para o acompanhante).

Classificação indicativa: Livre

OFICINAS – Inscrições gratuitas no site www.vozesdemestres.com

Fuzuê de Batuques – Cacuriá do Tatá, com integrantes do Mundaréu

23 de outubro (sexta-feira), de 10h às 13h

Local: Auditório Salvador de Ferrante (Guairinha)

Rua Conselheiro Laurindo, s/nº (Avenida José Vieira, 315)

Entrada gratuita

Vagas: capacidade do teatro

Vivência com Meninas de Sinhá. Mestra convidada: Efigênia Ramos Rolim

29 de outubro (quinta-feira), às 10h às 13h

Local: Auditório Salvador de Ferrante (Guairinha)

Rua Conselheiro Laurindo, s/nº (Avenida José Vieira, 315)

Entrada gratuita

Vagas: capacidade do teatro

Mural em cerâmica, com Germana Arthuso

26 de outubro (segunda-feira), de 9h às 12h e 14h às 17h

Local: Rua XV de Novembro esquina com Conselheiro Laurindo (CCTG)

Entrada Franca

Vagas: ilimitadas

Corpo e Voz, com Déa Trancoso

26 a 28 de outubro (de segunda a quarta-feiras), de 9h às 12h

Local: Auditório Salvador de Ferrante (Guairinha)

Rua Conselheiro Laurindo, s/nº (Avenida José Vieira, 315)

Entrada gratuita

Vagas: 30

Faça parte de nossa comunidade: www.vozesdemestres.com

Informações: (41) 3304-7982

Outras Informações: Assessoria de Imprensa em Belo Horizonte – Zu Moreira (31)9243-2512

Jardim Produções: (31)3486-7848 / Idealizadora e Coordenadora: Geovana Jardim – (31)9243-2575

Comunicação SID/MinC

Telefone: (61) 2024-2379

E-mail: identidadecultural@cultura.gov.br
Site: http://www.cultura.gov.br/sid
Blog: http://blogs.cultura.gov.br/diversidade_cultural/
Twitter: http://twitter.com/diversidademinc

DANCEBRAZIL & Mestre Jelon no New York Times

There was enough appreciative whistling to make a construction worker blush at Skirball Center at New York University on Saturday night, when DanceBrazil rolled through town with its crowd-pleasing style of high-octane, high-flying, pelvis-swiveling choreography. And let’s not forget the revealing costumes: the phrase “six-pack abs” doesn’t begin to do these folks justice.

Act II of “Ritmos,” or rhythms, by DanceBrazil’s artistic director, Jelon Vieira, was true to its title. Accompanied by Tote Gira’s live, percussive feast of a score, the work moved between silky samba sections and explosions of capoeira, Brazil’s martial arts dance. The performers, all men save for two women, might spend a bit less time hamming it up for the crowd and a bit more focusing on the intimate social dynamics that can make capoeira — with its spinning, lashing kicks and power moves executed in close quarters — so captivating. Still, it’s hard to be grumpy in the face of such an unabashed display of bravado, especially by dancers like these, whose rhythmic intelligence elevates sometimes stock material.

“Inura,” a premiere by the former Alvin Ailey dancer Carlos dos Santos Jr., is more ambitious, described in program notes as an exploration of the energy associated with the Yoruba deity Exu. Tania León’s score, which she conducted, features a spookily strange chorus and intriguing orchestration, creating a richly ritualistic mood. Here the women are given more to do, often taking central roles in sensual, impressionistic passages that meld capoeira with a modern fusion of styles reminiscent of Ailey.

These passages, like Manny Vega’s costumes, are sometimes more fussy than complex. Yet the eye and ears are drawn in and inclined to linger. CLAUDIA LA ROCCO

LAURA PAWEL

Dance Company

Baryshnikov Arts Center

“This is old school,” my neighbor said to me in a stage whisper during intermission at Laura Pawel’s dance program at the Baryshnikov Arts Center on Friday night. “Very Sarah Lawrence.” Ms. Pawel, who formed her company in 1968 after graduating from Sarah Lawrence College, approaches movement from a pedestrian, post-Judson Dance Theater aesthetic. There is a good deal of talking while moving; and the dancing, characterized by skipping, walking and shuffling, isn’t strenuous but deftly composed. Ms. Pawel experiments with improvisation within set choreographic structures.

Dancing with Ms. Pawel in the short trilogy of dances, “Sphinx,” “Phoenix” and “Griffins,” Pamela Finney was a grounded, austere counterpart to the choreographer’s lissome walks on demipoint and wiggling fingers. But the majority of works were for the group. In “Brambles,” from 2007, the dancers slyly commented on the aging process while contrasting off-kilter phrases with stillness. “I didn’t bump my head on the corner of anything today, and it doesn’t hurt,” Ms. Finney observed with deadpan flair.

The approach of talking and dancing extended to Ms. Pawel’s “There Might Be Mangoes,” a premiere for six brightly costumed performers set to live jazz music by the Cecilia Coleman Quartet. While the lines were funny in “Brambles” because the dancers seemed unaware of their humor, the dialogue was overly self-conscious in “Mangoes.” For Ms. Pawel to succeed in making an old form look alive, innocence can’t be sacrificed for a laugh. GIA KOURLAS

 
DanceBrazil members performing Jelon Vieira’s “Ritmos.”
By THE NEW YORK TIMES
Published: March 22, 2009

Skirball Center
for the Performing Arts

 
Fonte: http://www.nytimes.com

Mestre de capoeira recebe condecoração na Casa Branca

O baiano Jelon Vieira (mestre Jelon) foi agraciado com o National Endowment for the Arts – NEA, em Washington – DC

A National Endowment for the Arts – (NEA) anunciou em maio desse ano os agraciados com o NEA National Heritage Clubes, a condecoração do gênero mais alta do país. As 11 Eleven fellowships, which include a one-time award of $20,000 each, are presented to honorees from eight states and Puerto Rico.bolsas, que incluem um prêmio de US$ 20 mil cada, foram distribuidas entre residentes em oito estados, incluindo Porto Rico. Ente ano, entre os agraciados está o mestre de capoeira Jelon Vieira, radicado nos Estados Unidos desde meados da década de 70. A cerimônia de entrega dos prêmios ocorreu em setembro e teve lugar em Washington – DC, capital norte-americana.

The NEA National Heritage Fellowships program is made possible through the support of the Darden Restaurants Foundation and family of Red Lobster, Olive Garden, LongHorn Steakhouse, The Capital Grille, Bahama Breeze, and Seasons 52 restaurants.O NEA National Heritage Fellowships programa é possível graças ao apoio da Fundação Darden Restaurants & Family, Red Lobster, Olive Garden, Longhorn Steakhouse, O Capital Grill, Bahama Breeze, e Seasons 52 restaurantes.

These awardees were chosen for their artistic excellence and contributions to our nation’s cultural heritage.foram escolhidos pela sua excelência artística e contribuições ao património cultural da nação. They represent a cross-section of ethnic cultures and traditions including Native American, Peruvian, Ethiopian, Brazilian, and Korean and art forms ranging from saddlemaking and dance to bluegrass music and drum making. Eles representam uma mistura de culturas e tradições étnicas, incluindo nativos norte-americanos, peruanos, etíopes, brasileiros, e coreanos, variando desde a fabricação de selas para cavalos à confecções de tambores e composições musicais.

National Endowment for the Arts Chairman Dana Gioia said, “It is important to recognize the diverse traditional arts that enrich America’s cultural landscape and to award those whose dedication and artistry are so integral to the continuation of these art forms.”Dana Gioia, presidente da National Endowment for the Arts – (NEA), comentou que “é importante reconhecer que as diversas artes tradicionais enriquecem a cultura Norte-Americana e, por isso, é importante reconhecer aqueles que trabalham para a manutenção dessas formas de arte”.

Nascido na Bahia, Mestre Jelon Vieira estudou a arte afro-brasileira aprendendo capoeira com os mestres Giovanni Bussandri, Eziquiel, e Bobo, assim como dança afro-brasileira na Escola de Ballet Teatro Castro Alves. Since his arrival in the United States in the 1970s, Vieira has been at the forefront of promoting and presenting traditional capoeira through performing, teaching, and providing a wealth of knowledge and expertise on Brazilian culture to scholars and historians.Desde sua chegada nos Estados Unidos, na década de 1970, Vieira tem estado na vanguarda da promoção e apresentação de capoeira tradicional, realizando, no ensino, e proporcionando uma riqueza de conhecimentos e experiências sobre cultura brasileira para estudiosos e historiadores. In 1977, he founded DanceBrazil, a professional company of contemporary and traditional dancers and musicians that has performed throughout the US and abroad, including performances at the Festival of Vienna, Austria; Spoleto USA in South Carolina; South Bank Theatre in London, England; the Kennedy Center in Washington, DC; and Avery Fisher Hall in New York City.

Em 1977, ele fundou a DanceBrazil, uma companhia profissional de dança contemporânea e tradicional e músicos que tem se apresentado em todos os Estados Unidos e no exterior, incluindo performances no Festival de Viena, Áustria; Spoleto E.U.A. na Carolina do Sul; South Bank Theater, em Londres, Inglaterra; o Kennedy Center em Washington, DC; e Avery Fisher Hall, em Nova Iorque. Vieira also founded the Capoeira Foundation in the 1980s to promote Afro-Brazilian cultural forms —— particularly dance and music — through educational,presenting, and producing activities.

Vieira também fundou a Fundação Capoeira na década de 1980 para promover formas culturais afro-brasileiras – especialmente dança e música – através da educação, apresentando e produzindo atividades. Inherent in capoeira is the music that accompanies the movement. Inerente à capoeira é a música que acompanha o movimento. A gifted mover in his day, Vieira still performs the berimbau on stage. Um ágil capoeirista na adolescência, Jelon ainda toca o berimbau no palco, A single-stringed instrument that is an integral part of the art form, the berimbau is often referred to as the soul of capoeira.o único instrumento de-corda integrante da capoeira e algumas vezes referido como a “sua alma”. In 2000, Vieira was recognized by the Brazilian Cultural Center in New York City for being the “Pioneer of Capoeira in the United States.”

Em 2000, Jelon Vieira foi reconhecido pela Associação Brasileira Centro Cultural na cidade de Nova York por ter sido o “Pioneiro da Capoeira nos Estados Unidos.”

Primeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito Santo

Primeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito Santo, realizado no dia 09/08/2008, promovido pela Secretaria da Cultura do Espírito Santo e que contou com a presença do Prof. Dr. Sergio Luiz de Souza Vieira, antrópólogo e Presidente da Federação Internacional de Capoeira e do Prof. Dr. Luiz Renato Vieira, sociólogo e assessor técnico do Senado Federal, além dos mestres: Cabral, Luiz Paulo, Capixaba, Bert e Fábio.

Ressaltamos que o processo de reconhecimento da Capoeira como patrimônio cultural imaterial brasileiro, promovido pelo IPHAN teve início em 19/05/2004 e foi arquivado em 22/10/2004 em função do encaminhamento não atender a legislação vigente. Tal processo foi reaberto no dia 23/02/2006 ocasião em que foi juntada a Tese de Doutorado em Antropologia: Da Capoeira: Como Patrimônio Cultural – PUC/SP, 2004, de autoria do Prof. Sergio Vieira. O mesmo também encaminhou para o IPHAN o relatório de conclusão de seu Pós-Poutorado em Administração (Gestão Socioambiental) FEA/USP denominado: Preservação das Espécies Vegetais para a Confecção de Berimbaus no Brasil, o qual é o mais completo estudo sobre madeiras utilizadas na fabricação de berimbaus.

Primeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito SantoPrimeiro Seminário Cultural de Capoeira do Espírito Santo

 

I SEMINÁRIO CULTURAL DE CAPOEIRA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

TEMA: A POLÍTICA CULTURAL DA CAPOEIRA NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO:

REALIDADES E POSSIBILIDADES

Local: Centro de Educação Física e Desportos da Universidade Federal do Espírito Santo

Avenida Fernando Ferrari s/n. Goiabeiras – Vitória / ES.

Data: 9 DE AGOSTO DE 2008 (SÁBADO)

Horário: 12h30 às 18h

PROGRAMAÇÃO:

 

12h30Cadastro SECULT – Cadastro oficial dos Grupos de Capoeira e seus respectivos Mestres e Professores.
13hAbertura – Secretaria de Estado da Cultura.
13h15

13h15

13h40

14h20

Mesa de debate – Capoeira como Patrimônio Cultural

Ana Teles da Silva – IPHAN, Antropóloga, Técnica de Ciências Sociais.

Prof. Mestre Sergio Vieira – Pós-Doutor em Administração (Gestão Socioambiental) – FEA/USP, Doutor em Antropologia – PUC/SP, Mestre em Antropologia – PUC/SP, Especialista em Educação Física Infantil – UNIFIG, Especialista em Ginástica de Academia – UNIFIG, Professor de Educação Física – UNIFIG, Presidente da Federação Internacional de Capoeira – FICA

Mestre Luiz Renato Vieira – Doutor em Sociologia da Cultura e Consultor Legislativo do Senado Federal, na área de Assistência Social e Minorias(atua nas áreas de políticas sociais, minorias e direitos humanos).

15:00Intervalo
15h20

15h30

16h00

16h30

Mesa de debate – Políticas públicas para a Capoeira no Espírito Santo: Realidades e Possibilidades.

Coordenadora: Christiane Wigneron Gimenes – Subsecretária de Estado de Patrimônio Cultural

Mestre Rogério Medeiros (Mestre Capixaba) – Mestre de Capoeira do Grupo A CAPOEIRA;

Mestre Luiz Paulo – Mestre de Capoeira: – A capoeira no Espírito Santo

Professor Aminthas Loureiro Júnior – Mestre em Economia / Consultor: Elementos constitutivos da Carta de Vitória.

17h00Plenária Final:

  • Apresentação da “Carta de Vitória” – A Capoeira no Espírito Santo.
  • Políticas Públicas da Capoeira e mobilização sócio-política dos Capoeiras.
18hEncerramento do Evento.

 

Federação Internacional de Capoeira

Assembléia Geral da FICA – Principais Deliberações

ASSEMBLÉIA GERAL DA FICA – PRINCIPAIS DELIBERAÇÕES

1- Aprovada por unanimidade a prestação de contas do período anterior e o regimento financeiro para 2008

2- As Federações Nacionais aprovam o reconhecimento da FICA pelo COI

3- Aprovou-se a proposta da Presidência e não será mais exigido o uso de graduação oficial para a filiação na FICA , nem em suas filiadas. As graduações serão de responsabilidades dos próprios grupos e demais entidades. Com isto abre-se a possibilidade de filiação dos grandes grupos e dos praticantes de Capoeira Angola. Com isto a FICA dá o primeiro passo para a unificação e o fortalecimento mundial da Capoeira.

4- Lançado o Plano Mundial de Capacitação Técnica, Desportiva e Cultural, que será implantado já em 2008, através de convênios com institutos educacionais.

5- A FICA realizará o Primeiro Congresso Técnico Mundial de Capoeira Contemporânea e irá inserir esta prática nas competições mundiais;

6- Aprovou-se a filiação direta na FICA nos locais onde não houver entidades filiadas ou reconhecidas. Bastará consultar por e-mail em capoeira.fica@gmail.com .

7- Somente a FICA formará árbitros estaduais, nacionais e internacionais. Nenhuma outra entidade terá tal prerrogativa.

8- Prof. Dr. Sergio Vieira foi eleito por aclamação pela quarta vez consecutiva. Vice-Presidente Geral será o Sr. E. Javier Rubierta Cuervo (Espanha). O Vice-Presidente Técnico-Desportivo: Mestre Valentim Rodolfo Mussarelli (Tim) e o Vice-Presidente Cultural (Mestre Miguel Machado).

9- Aprovada a instalação da Sede Geral da FICA na Suíça, da Sede Européia na Espanha e da Sede Executiva na Brasil.

FICA – Prof. Sergio Vieira – capoeira.fica@gmail.com

 

Documentário Brasil Paz no Mundo: Capoeira & Homenagem ao Diplomata morto

Brasil Paz no Mundo: Filme em homenagem ao diplomata Sérgio Vieira de Mello será exibido pela Radiobrás

Será exibido no próximo domingo, dia 19 de agosto, às 19h, na Radiobrás, o documentário Brasil Paz no Mundo. Realizado com o apoio do Ministério da Cultura, o filme documenta uma homenagem ao diplomata Sérgio Vieira de Mello, morto num atentado terrorista no dia 19 de agosto de 2003, em Bagdá, na sede local da Organização das Nações Unidas (ONU).

O documentário – que apresenta cenas de um ato em homenagem ao embaixador brasileiro realizado no Victoria Hall Theatre, em Genebra, um ano após o atentado – destaca a importância da Capoeira ser apoiada por uma política pública específica. Por ocasião do evento, o ministro Gilberto Gil relacionou a ação diplomática e a manifestação cultural como capazes de construir espíritos de camaradagem, inclusão, diálogo e paz no mundo.

"O nosso país celebra a arte do encontro, da resistência cultural e da fraternidade. É por isso que trago hoje à ONU capoeiristas de todo o mundo para homenagear a Sérgio Vieira e seus campanheiros e companheiras. Afinal, ninguém luta só, ninguém dança só", destacou Gil.

Ainda durante o encontro, o ministro da Cultura propôs a criação do Programa Nacional e Mundial da Capoeira: um projeto participativo que, além de levar em conta as demandas e necessidades dos capoeiristas, pretende difundir e valorizar a prática em todos os seus aspectos.

Leia o discurso que o ministro da Cultura proferiu em Genebra.

Documentário

Ao longo do filme também são exibidos depoimentos de alunos e mestres de capoeira que descrevem a importância que ela possui em suas vidas como fator de integração em suas comunidades. De acordo com o secretário executivo do MinC, Juca Ferreira, "é necessário fazer um movimento no sentido de resgate, de recuperação, de mudança de postura; e reconhecer a capoeira como uma manifestação cultural das mais importantes".

Juca também destacou o dever de preservar o saber dos mestres da capoeira ao invés de desapropiá-lo de suas verdadeiras origens. "A capoeira esta indissoluvelmente ligada ao saber de seus mestres. Devemos fortalecer esse saber e reconhecer a sua importância cultural", completa.

Brasil Paz no Mundo: Filme em homenagem ao diplomata Sérgio Vieira de Mello será exibido pela Radiobrás Combate permanente à violência

Sérgio Vieira de Mello foi um diplomata brasileiro que dedicou 34 anos da sua vida ao serviço das Nações Unidas. 
 
Sua atividade profissional foi relacionada à reconstrução de comunidades que sofreram as conseqüências de guerras e de violências extremas. O caráter humanista de sua formação associado ao talento para a negociação e defesa da democracia foram responsáveis pelo sucesso de muitas de suas iniciativas.

Seu desempenho é hoje a maior fonte inspiradora da perpetuação de sua memória e do permanente debate do seu pensamento. No site www.usp.br/svm/tnp é possível conferir vários artigos, pronunciamentos e entrevistas do diplomata, em vários momentos de sua carreira.

 

Fonte:

http://www.cultura.gov.br/noticias/noticias_do_minc/index.php?p=28824&more=1&c=1&pb=1

(Renato Paiva)
(Comunicação Social/MinC)

Aracajú: Mestre Lucas fala sobre capoeira e lançará livro em Sergipe

“Percebo que minha relação com a capoeira não surgiu de forma aleatória, mas sim como a continuação de uma luta em busca da liberdade, já que o seu surgimento deve-se ao desejo de aceitação do negro diante de uma sociedade que, de forma gradual, distancia-se dessas suas raízes culturais”.
 
As palavras são de Luiz Carlos Vieira Tavares, ou Mestre Lucas, que desde a década de 70 começou a praticar a capoeira em Aracaju, no Cotinguiba Esporte Clube. Em 1977, ele já fundava, com alguns amigos, o grupo de capoeira ‘Os Molas’.
 
Hoje, com 43 anos, ele já está em seu terceiro livro sobre o assunto, fruto de sua dissertação de mestrado. ‘O Corpo que Ginga, Joga e Luta – A Corporeidade da Capoeira’ já foi lançado em Salvador e em São Paulo, mas Sergipe ainda aguarda ser brindado com a obra.
 
Luiz Carlos Vieira Tavares, ou Mestre Lucas“Em breve o livro será lançado em Aracaju, provavelmente em um evento da Universidade Tiradentes”, diz. O material trabalha, dentre outros temas, a musicalidade, instrumentos, canções, a natureza e cultura da capoeira, abordando também as dicotomias ‘corpo e alma’ e ‘mente e espírito’.
 
“O homem não é uma máquina. O corpo se movimenta com intencionalidade, o corpo sente prazer, chora, sorri, ao contrário da máquina. É essa uma das relações que eu faço com a capoeira na obra”, declara o autor.
 
“Muitos colegas de capoeira enxergam o corpo como uma máquina. Mas observei em minhas pesquisas que boa parte também diz que corpo é vida, corpo é movimento. E isso é bom”, complementa.
 
Mestre Lucas faz questão de destacar que seu livro não é uma obra técnica sobre capoeira e não vai ensinar como praticar a arte, mas faz um resgate da cultura e da história da capoeira para que se possa compreender o corpo e as transformações sócio-culturais.
 
"Eu busco abrir caminhos para o jogo, a luta, a dança de paradigmas que nos permitam, de ‘cabeça para baixo’ ter corpos capazes de desfrutar da beleza dos movimentos de vida que emanam da capoeira", diz.
 
Currículo
 
Luiz Carlos Vieira Tavares é licenciado em Educação Física pela Universidade Católica de Salvador (Ucsal), pós-graduado em Didática do Ensino Superior e em Capoeira na Escola pela Universidade de Brasília. Seu mestrado é na linha de pesquisa Corporeidade e Pedagogia do Movimento e Lazer, pela Universidade Metodista de Piracicaba (SP).
 
Ele é autor do ensaio ‘Nomenclatura na Capoeira’ e co-autor do livro ‘A capoeira no contexto histórico nacional’. Tem também dois CDs de capoeira gravados. Atualmente é professor de universidades sergipanas e do Centro Federal de Educação Tecnológica, unidade de Lagarto.
 
Por Andreza Azevedo
http://www.infonet.com.br

Portugal: IV Festival de Capoeira

Arte marcial, música e dança no IV Festival de Capoeira
 
Vieira do Minho acolhe, a partir de hoje e até o próximo domingo, mais uma edição do Festival Internacional de Capoeira. Um evento assente numa modalidade que conjuga luta, dança, arte marcial, musica, cultura, e muito boa disposição.
Patrícia Sousa

Dança, arte marcial, musica, cultura, e muito boa disposição são os ingredientes indispensáveis para mais uma edição do Festival Internacional de Capoeira que arranca hoje em Vieira do Minho. “Este evento constituiu uma excelente oportunidade para contactar com outras culturas e outros modos de vida”, atirou o presidente da Câmara Municipal, Albino Carneiro.
 
Trata-se da 4ª edição do Festival, e a segunda realizada no concelho. O Festival Internacional de Capoeira, que se prolonga até domingo, realiza-se em três locais: Centro da Vila, Parque de Campismo e Piscinas municipais. Este festival é uma das muitas actividades que integra um vasto programa cultural organizado pela Câmara Municipal para animar o concelho e seus visitantes durante a época estival.
Albino Carneiro adiantou, ainda” que este Festival Internacional “vai proporcionar momentos de grande convívio, unindo culturas, usos e costumes promovendo laços de fraternidade entre pessoas de todo o país e também do estrangeiro”. E admitiu: “É, pois, com muita honra que Vieira do Minho volta a ser palco deste evento”
 
Refira-se que a capoeira foi desenvolvida por escravos africanos levados para o Brasil. Caracteriza-se por movimentos ágeis e complicados, feitos com frequência junto ao chão ou de cabeça para baixo, tendo, por vezes, uma forte componente acrobática. Distingue-se das outras lutas pelo facto de ser sempre acompanhada por música .
Na edição deste ano participam cerca de 200 pessoas oriunda de várias zonas do país, e até estrangeiro.
Recorde-se que ano passado o evento teve lugar nas piscinas municipais e reuniu cerca de 400 pessoas, desde alunos a professores e mestres da referida modalidade, num convívio descontraído e educativo. Estiveram representados países como a França, Espanha, Bélgica, Brasil, Holanda e Alemanha.
 
Tendo como pano de fundo esta arte marcial brasileira, o evento contou, ainda, com a realização das mais variadas actividades de âmbito cultural, desportivo e lúdico.
 

II Campeonato Municipal de Capoeira – SP

A todos os capoeiristas e interessados
 
Em apoio à Secretaria Municipal de Esportes da Cidade de São Paulo, vimos pelo presente encaminhar as fichas de inscrições para o II Campeonato Municipal de Capoeira.
 
As inscrições são gratuítas e poderão ser efetuadas até o dia 18 de novembro no horário das 12:00h na Rua Pedro de Toledo 1591 – Vila Clementino, São Paulo – SP – fone 5088-6479.
 
O Campeonato ocorrerá no dia 19 de novembro, no Clube da Cidade da Lapa (Pelezão) – Rua Belmont 957 – Alto da Lapa – São Paulo – SP – fone 3834-0032. A pesagem ocorrerá entre 08:00 e 09:00 h.
 
O regulamento adotado será o da FICA e que também é o adotado para os Jogos Regionais e Abertos do Estado de São Paulo.
 
Atenciosamente
 
Prof. Sergio Vieira