Blog

Janeiro 2005

Vendo Artigos de: Janeiro , 2005

Músicas do Mestre Toni Vargas

Mestre e Poeta Toni Vargas

Berimbal tocou sereno
na ladeira da lapinha
e o pandeiro sussurrando
me pediu uma ladainha
foi se embora um grande mestre
angoleiro de valor
trocou esse mundo triste
pelos campos do Senhor
foi buscar paz da inquietude
que a vida lhe roubou
Bahia chora e reclama
Bahia chora e Reclama
por esse Mestre que era nosso
hoje se chora de tristeza
quase que por um remorso
mas a morte é uma glória
e não é o fim da linha
a medalha da história
foi no peito de Pastinha
Ê, viva pastinha

A saudade
No coração do capoeira
é igual a uma rasteira
faz o berimbau parar
oi então vai
tocar o toque de angola
onde o capoeira chora
mesmo sem querer chorar
ai se vê
o lamento do guerreiro
sem rumo sem paradeiro
o poeta que aparece
ele se esquece
que é forte e perigoso
tira o lenço do pescoço
e joga um verso no ar
e diz amor espere um pouco
não vá me trocar por outro
eu vim aqui já volto já.

Antigamente,
Tudo era diferente,
No Rio a gente era gente,
Que beleza de lugar,
Ali na Lapa ,
Tinha toda a malandragem,
Do Samba e da capoeira,
Vale a pena recordar,
A malandragem,
Não era como hoje em dia,
Havia mais poesia,
No jeito de malandrar,
O bom malandro,
De branco era boa praça,
Cantava e fazia graça,
Era um tipo popular,
Mas respeitado,
Porque bom da capoeira,
Derrubava de rasteira,
Sem nem mesmo se sujar,
E de noitinha,
Embaixo dos lampiões,
Lindas moças ruquiões
Olhavam onde passar,
Lá pelos arcos,
Desenhando de beleza,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
O céu que a mãe natureza
Reservou pra esse lugar,
Ê viva meu Deus
Iê viva meu Deus camará
Iê que me ajudou
Iê quem me ajudou camará
Iê viva meu Mestre
Iê viva meu Mestre camará

A Arte de “Morcegar”

  • Treinamento de aperfeiçoamento "Morcegar" no trabalho
1. Nunca caminhe sem um documento nas mãos
– Pessoas com documentos em uma das mãos parecem funcionários ocupadíssimos que se dirigem para reuniões importantes.
– As pessoas de mãos vazias parecem que estão se dirigindo para a cafeteria.
– As pessoas com um jornal nas mãos parecem que estão se dirigindo para o banheiro.
– Sobretudo, leve algum material para casa, isso causa a falsa impressão de que você trabalha mais horas do que você costuma trabalhar.
2.Use o computador para parecer ocupado
– Quando você usa um computador, parece que você está "trabalhando" para quem observa ocasionalmente. Você pode emitir e receber e-mail pessoal, ficar no bate papo ou ter uma explosão sem que isso tenha alguma coisa a ver com trabalho.
3. Mesa bagunçada
– Quando sua mesa está bagunçada parece que você está trabalhando duramente.
– Construa pilhas enormes de documentos em torno de seu espaço de trabalho.
– Ao observador, o trabalho do ano passado parece o mesmo que o trabalho de hoje; é o volume que conta. Se você souber que alguém está vindo à sua sala finja que está procurando algum papel.
4.O correio de voz
– Nunca responda ao seu telefone se você tiver o correio de voz. As pessoas não te ligam para te dar nada além de mais trabalho.
– Selecione todas suas chamadas através do correio de voz.
– Se alguém deixar uma mensagem do correio de voz para você e se for para trabalho, responda durante a hora do almoço quando você sabe que eles não estão lá.
5. Pareça impaciente e irritado.
– Você deve estar sempre parecendo impaciente e irritado, para dar ao seu chefe a impressão de que você está realmente ocupado.
6. Sempre vá embora tarde
– Sempre deixe o escritório mais tarde, especialmente se o seu chefe estiver por perto.
– Sempre passe na frente da sala do seu Chefe quando estiver indo embora.
– Emita e-mails importantes bem tarde (por exemplo 21:35, 6:00, etc…) e durante feriados e finais de semana.
7. Reclame sozinho
– Fale sozinho quando tiver muita gente por perto, dando a impressão de que você está sob pressão extrema.
8. Estratégia de empilhamento.
– Empilhar documentos em cima da mesa não é o bastante.
– Ponha vários livros no chão. (os manuais grossos do computador são melhores ainda)
9. Construa um vocabulário.
– Procure no dicionário palavras difíceis. Construa frases e use-as quando estiver conversando com o seu chefe. Lembre-se: ele não tem que entender o que você diz, desde que o que você diga dê a entender de que você está certo.
10. O MAIS IMPORTANTE!!!:
– Não envie isto ao seu chefe por engano!!!!!
Read More

Orientação de Antena SAT

Nome

Distancia
(km)

Região

Latitude

Longitude

Elevação

Mogadouro

Bragança

 

41.333

-6.717

670 m

Zava

1.9

41.317

-6.717

694 m

Figueira

3.3

41.317

-6.750

746 m

Vale da Madre

3.7

41.367

-6.717

721 m

Vale de Porco

4.0

41.300

-6.700

737 m

Vilar de Rei

4.6

41.300

-6.683

742 m

Est. Mogadouro

5.6

41.333

-6.650

722 m

Paradela 

5.6

41.333

-6.783

614 m

Brunhoso 

5.6

41.367

-6.767

657 m

Azinhoso

6.2

41.383

-6.683

667 m

Castelo Branco 

6.2

41.283

-6.750

567 m

Remondes 

7.0

41.383

-6.767

630 m

Salgueiro 

7.0

41.333

-6.800

586 m

Santiago 

7.0

41.333

-6.633

731 m

Paço 

7.2

41.317

-6.633

752 m

Viduedo 

7.4

41.400

-6.717

535 m

Os melhores de 2004 do AEsp

  • Os melhores de 2004
AEsp escolhe o Kaspersky como melhor antivírus de 2004

Mais um ano que vai chegando ao fim e, como no final de 2003, o AEsp escolhe os melhores de 2004.

Antivírus: Kaspersky 5
Antivírus gratuito: Avast 4.5 Home
Antispyware: Spyware Doctor
Navegador: Firefox 1.0
Servidor de email: GMX
Game: Half Life 2
Programa P2P: Shareaza
Site de informática brasileiro: ForumPCS
Revista do ano: PC&CIA
Sistema Operacional: Windows XP SP2
Compactador de arquivos: Winrar 3.41
Tocador de MP3: WMP 10
DVD Player: Media Player Classic
Cliente de email: Thunderbird

*AEsp colaborou nos jornais  Estado de Minas, Jornal de Minas e Suplemento do "Minas Gerais".  Escreveu  dicas para Windows  no encarte da revista Info Exame
{mos_sb_discuss:16}

Manuscritos e desenhos de M.Pastinha

Manuscritos e desenhos de Mestre Pastinha
 
Mestre Pastinha escrevia aos seus pensamentos num caderno de capa dura, que apelidava carinhosamento de "caderno-albo", em alusão ao fato de que nele eram lançados seus manuscritos ("caderno"), e seus desenhos (album de desenhos ou simplesmente "albo" no dialeto capoeirano afro-brasileiro em que se expressavam os antigos capoeiristas baianos).
Como será verificado pelo exame dos textos do Mestre da Capoeira Ângola a grafia usada pelo mesmo é a transcrição fonética do linguajar popular do baiano, que tomo a liberdade de apelidar de "dialeto capoeirano afro-brasileiro", que Valdeloir Rego analisa com perfeição na sua "Capoeira Angola".
 
 
O Mestre Pastinha costumava filosofar, seja em conversas, seja em reflexões que registrava em anotações avulsas ou cadernos, que orgulhosamente exibia aos amigos e visitantes, pintar ou desenhar movimentos da sua grande paixão, a capoeira.

Publicação seriada dos manuscritos e desenhos do Mestre conforme editados por A. A. Decânio Filho, no site:
{mos_sb_discuss:8}

A Herança de Pastinha

Titulo do livro: A herança de Pastinha.

Autor: Angelo A. Decanio Filho.

Copyright by Angelo A. Decanio Filho.

Editoração electrônica do texto; revisão; criação e arte final da capa:

Angelo A. Decanio Filho.

2a Edição:  com dicionário dialetal, 1997

Endereço para correspondência:

Angelo A. Decanio Filho

Rua Eduardo Dotto, s/n – Vivenda Iemanjá

Praia de Tubarão – Paripe

Salvador – Bahia – Brasil

CEP 40801-970

Para baixar esta publicação, clique aqui.

{mos_sb_discuss:12}

A Herança de Mestre Bimba

Titulo do livro: A Herança de Mestre Bimba
Autor: Angelo A. Decanio Filho
Copyright by Angelo A. Decanio Filho
Editoração electrônica do texto; revisão; criação e arte final da capa: Angelo A. Decanio Filho
2a Edição (revisada, acrescida de glossario dialetal) 1997

Endereço para correspondência:
Angelo A. Decanio Filho
Rua Eduardo Dotto, s/n – Vivenda Yemanjá
Praia de Tubarão – Paripe
Salvador – Bahia – Brasil
CEP 40801-9700

Para baixar esta publicação, clique aqui

 

{mos_sb_discuss:12}

Instrumentos

INSTRUMENTOS
 
BERIMBAU
 
Instrumento de percussão, em formato de arco, retesado por um fio de arame, tendo, na sua extremidade inferior, uma cabaça que funciona como caixa de ressonância. O arame é percutido com uma vareta de madeira, chamada de vaqueta, que o tocador segura com a mão direita, juntamente com um caxixi, acentuando o ritmo através do chocalhar e modificando a intensidade do som com a aproximação e o afastamento da abertura da cabaça na barriga. A mão esquerda, que segura o arco e a moeda (dobrão), encosta ou afasta do arame com o objetivo de obter os mais variados sons.  
 
PANDEIRO
 
Instrumento de percussão, composto de um aro circular de madeira, guarnecido de soalhas, sobre o qual se estica uma pele, preferencialmente de cabra ou bode, e que se tange batendo com a mão, com os cotovelos, nos joelhos e até nos pés.
 
 
ATABAQUE
  
Tambor primário, feito com pele de animal, distendida em uma estrutura de madeira com formato de cone vazado nas extremidades. Percutindo com as mãos, é bastante usado no candomblé e nas danças religiosas e populares de origem africana.
 
 
 
 
CAXIXI
 
Instrumento em forma de pequena cesta de vime com alça, usado como chocalho pelo tocador de berimbau, o qual segura a peça com a mão direita, juntamente com a vaqueta, executando o toque e marcando o ritmo.
 
 
 
 
VAQUETA ou BAQUETA
 
É uma vareta de madeira de, aproximadamente 30 a 40 centímetros, tendo uma extremidade mais grossa que a outra. A vareta é normalmente feita de biriba ou bambú
 
 
 
 
 
AGOGÔ
 
Instrumento de percussão, feito de metal ou castanha (coco), também utilizado nos cultos e festas de candomblés.
 
 
 
Dobrão

 
 
 
 
 
 
Tipos de Cabaças

Fechada; Gunga ou Berra-Boi; Média; Viola

 

 

{mos_sb_discuss:5}

Graduação

GRADUAÇÃO
 
O Capoeirista sempre é chamado por um apelido que é dado na roda. Foi assim que ficaram famosos os mestres João Gande, João Pequeno,
Cobrinha Verde, Camisa e Canjiquinha. Esse nome de guerra é dado geralmente no Batizado, nome em que o aspirante jogará pra valer pela primeira vez. Segundo Aristeu Oliveira dos Santos, o paraense Mestrinho, a ocasião serve para testar os conhecimentos de quem está sendo batizado.O ritual foi inventado por mestre Bimba para marcar o fim da etapa de inciação. Na época, o criador da capoeira Regional entregava um lenço ao seu discípulo, baseado no costume dos antigos valentões de salvador que protegiam o pescoçocom um pedaço de seda para que a navalha do inimigo escorregasse. Esse costume, influenciado pelas faixas coloridas das artesmarciais orientais, inspirou os cordéis da capoeira. Os ortodoxos não aceitam o sistema de graduação. Acreditam que alguém só pode ser chamado de mestre quando sua vocação de educador e sua sabedoria de conselheiro, além da hablilidade, "aparecerem naturalmente". Mas muitas academias adotaram o sistema hierárquico montado pela Confederação Nacional Brasileira de Capoeira(CNBC), com a combinação das cores da bandeira do Brasil. Nos termos definidos pela Confederação Brasileira de Capoeira, conforme a aprovação no 1°. Cogresso Técnico Nacional de Capoeira, 21/03/93 – SP e no 1°. Seminário Técnico de Elaboração do regulamento Nacional de Capoeira, 19/05/93. o Sistema de Graduação Oficial está estabelecido conforme segue:
 
Alunos
 
1°. Estágio aluno iniciante sem cordão
2°. Estágio aluno batizado verde
3°. Estágio aluno graduado amarelo
4°. Estágio aluno graduado azul
5°. Estágio aluno intermediário verde/amarelo
6°. Estágio aluno adiantado verde/azul
7°. Estágio aluno estagiário amarelo/azul
8°. Estágio aluno formado verde/amarelo/azul
 
Instrutores
 
9°. Estágio monitor verde/branco
10°. Estágio professor amarelo/branco
11°. Estágio contra-mestre azul/branco
12°. Estágio mestre branco
 
Conselho Superior de Mestres
 
13°. Estágio mestre aspirante branco/bronze
14°. Estágio mestre efetivo branco/prata
15°. Estágio mestre de honra branco/ouro
16°. Estágio mestríssimo ouro
{mos_sb_discuss:12}

A verdadeira Capoeira…

A verdadeira capoeira de cada um de nós e
aquela que mora no corpo de cada qual.
Existem padrões éticos, técnicos
e musicais, porém a capoeira é
a manifestação comportamental
de cada ser
expressão maior da individualidade humana.
Só é capoeirista quem se liberou de todas as amarras culturais e bloqueios psicodinâmicos, inclusive dos mestres e deixa apenas a "capoeira"
fluir livre e suavemente pelo próprio corpo, aparecendo nos seus movimentos e estado de espírito.
Os fundamentos estratégicos da capoeira são simples
música, esquiva, parceria e amor.
Sem dúvida alguma, o primado pertence ao amor…
Pela vida, pela capoeira, pela arte, pelo prazer de apenas "jogar" com a pureza e a inocência da eterna criança que existe escondida no coração
de cada um de nós.
A postura comportamental de esquiva ao impacto de movimentos, simulados ou não, de ataque ou que envolvam perigo de qualquer natureza trás
no bojo a segurança da sua prática, ao lado de reflexos inconscientes de preservação da integridade física e da vida, gerando um sistema de
defesa pessoal "sui generais", "instintivo" nas palavras de Mestre Bimba.
A parceria é fundamental.
Sem o parceiro não se pode jogar, nem aprender, a capoeira.
Somente a presença do parceiro permite o desenvolvimento da autoconfianca na capacidade de improvisar os movimentos de esquiva ante a
movimentos partidos doutro alguém cuja vontade e intenção não controlamos.
Para conhecermos os pensamentos e movimentos subsequentes de alguém precisamos deste alguém como parceiro-adversário.
A música é a própria essência, a raiz mística da capoeira. Responsável e guia do estado modificado de consciência do capoeirista, comanda a
natureza e a dinâmica dos seus movimentos. Controla a agressividade, desfaz os bloqueios psico-dinâmicos e gera o prazer lúdico da sua prática.
A associação destas forças primárias comanda o ritual,
garante o cavalheirismo e esportividade do jogo da capoeira!
O mestre é apenas o maestro,
comanda o balé da vida que chamamos de capoeira!
"Falando em capoeira" encerra minhas observações pessoais, depoimentos, pesquisas, experiências e lições (que recebi de mestres, de
capoeiristas e da vida) como médico e como criatura.
Axé!
Mestre Decanio.
 
{mos_sb_discuss:12}