XVII Encontro Internacional de Capoeira Angola FICA-Bahia
15 Jun 2011

XVII Encontro Internacional de Capoeira Angola FICA-Bahia

A Capoeira Angola está entre as mais importantes manifestações culturais do povo brasileiro, dentre as diversas contribuições africanas na formação da identidade

15 Jun 2011

A Capoeira Angola está entre as mais importantes manifestações culturais do povo brasileiro, dentre as diversas contribuições africanas na formação da identidade e legado cultural de nosso país. Como arte e filosofia, ela ganhou amantes, praticantes e seguidores por todo o planeta. Com o tema “Capoeira Angola: 16 anos de História”, o núcleo da Fundação Internacional de Capoeira Angola de Salvador (FICA-BA) realiza, em 2011, a 17ª edição do Encontro Internacional de Capoeira Angola, no estado da Bahia.

O encontro é uma oportunidade de relacionamento e intercâmbio entre capoeiristas de diversas localidades, além de ampliar a difusão e o acesso a um saber tradicional, fundamentado em prática e reflexão. A expectativa é que representantes de mais de dez países estejam presentes, como ocorreu na última edição do evento, realizado em Belo Horizonte, em 2009, contando com a participação de capoeiristas, historiadores, pesquisadores e admiradores da arte.

A programação prevê atividades durante quatro dias, com a realização de oficinas e rodas de Capoeira Angola (movimentos, instrumentos e canto), apresentações culturais, palestras, que darão atenção especial para a relação entre da Capoeira Angola e as tradições africanas, além de visita histórica à cidade de Cachoeira/BA. Entre os convidados para ministrar as oficinas, estarão os mestres Valmir Damasceno (FICA-Salvador-BA), Cobra Mansa (FICA-Salvador-BA), Jurandir (FICA-Belo Horizonte-MG), os contra-mestres Rogério (FICA-Rio de Janeiro-RJ) e Silvinho (FICA-Seatle), a Treinel Gegê (FICA-Salvador-BA), como representante feminina. Contará, ainda, com a participação especial dos mestres Felipe, de Santo Amaro, e Virgílio, de Ilhéus.

O tema “Capoeira Angola: 16 anos de História” busca preservar e fortalecer os princípios, símbolos e fundamentos da Capoeira Angola, observando sua continuidade nos diferentes contextos históricos e sociais. Propõe ainda uma reflexão sobre a herança cultural deixada pelos mestres da FICA, ao longo dos 16 anos de trabalho voltado à continuidade dessa tradição.

 

A Fundação Internacional de Capoeira Angola

 

Criada em 1995, pelos mestres Cobra Mansa, Jurandir e Valmir, a Fundação Internacional de Capoeira Angola (FICA) é uma entidade não governamental, sem fins lucrativos, que tem como objetivo preservar a originalidade filosófica e cultural da capoeira angola. A FICA realiza, ao longo de 16 anos de existência, um trabalho profícuo de preservação, valorização e difusão da cultura afro-descendente no âmbito nacional e internacional, unindo ações sociais e culturais para promover a cidadania e o desenvolvimento humano.

No Brasil, as sedes principais da entidade concentram-se em Salvador (BA), Belo Horizonte (MG), e Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Brasília e Goiânia (GO), mas a FICA também está presente nos EUA (em Nova Iorque, Washington, Chicago, Filadélfia, Havaí, Portland, Texas, Seattle e Oakland), Alemanha, Colômbia, Costa Rica, Dinamarca, Finlândia, França, Itália, Japão, México, Moçambique, Rússia, Suécia e Ucrânia.

Em Salvador, a FICA é presidida pelo Mestre Valmir Damasceno, responsável pela organização do encontro nessa edição. Entre os diversos projetos sócio-culturais já realizados pela FICA na capital, ela atualmente mantém o projeto “Nena dengue kilondokilo” (Crianças que têm alegria de viver), na comunidade de Massaranduba (Cidade Baixa), em parceria com o Grupo de União e Consciência Negra – GRUCON, tendo se iniciado em 1987.

Já o Encontro Internacional de Capoeira Angola da FICA é realizado anualmente, com edições bienais no Brasil, intercaladas com a realização em um dos seus núcleos no exterior. Este será o quarto ano sediado na Bahia, sob a coordenação de Mestre Valmir Damasceno (FICA-BA). A primeira e a sexta edições do encontro em Salvador foram realizadas respectivamente no Quartel de Amaralina (1997) e na Escola de Dança da UFBA (2000). A última edição realizada em Salvador aconteceu no ano de 2005, no Centro Municipal de Educação Cid Passos, situado no bairro de Coutos (Suburbana), reunindo uma média de 200 participantes ao longo dos 4 dias de evento.

Local do 16º Encontro Internacional

Sendo a Bahia intensamente procurada pelos capoeiristas, devido ao seu reconhecimento como a fonte da Capoeira, a expectativa para este encontro de 2011 é grande. Este ano, o 17º Encontro será realizado em Cachoeira, cidade histórica do Recôncavo Baiano, que apresenta uma importância na formação cultural e social do povo brasileiro. O intuito é proporcionar a ampliação do acesso à diversidade cultural baiana aos seus participantes e valorizar a região para a qual se atribui a condição de berço das origens das culturas da diáspora africana.

 

Apesar da importância desta região, por sua riqueza cultural, o interior baiano, em geral, não é tão visitado pelos capoeiristas de outros estados e países, se comparado à capital, Salvador. Em função disso, os mestres de capoeira e de outras artes, e as diversas manifestações tradicionais que lá se encontram, acabam sendo menos conhecidos. Esse evento será uma oportunidade de contribuir com a mudança dessa realidade, incluindo a apresentação de grupos tradicionais na programação do evento e realizando atividades como palestras e mostras culturais abertas e gratuitas para a comunidade local.

 

17º Encontro Internacional de Capoeira Angola – FICA-Bahia

Data: 28 a 31 de julho de 2011

Informações: (71) 3321-7365 (FICA-BA) / (71) 8797-6272 (Mestre Valmir)

gungaogum@hotmail.com

 

  • Visite para mais informações: www.ficabahia.com.br

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

4 × 3 =