ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA
31 Dez 2018

ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA

Download Version 1 Download 136 File Size 1.28 MB File Count 1 Create Date 31 Dezembro, 2018 Last Updated 31 Dezembro, 2018

31 Dez 2018
Fabio Araújo Fernandes
  • Version 1
  • Download 136
  • File Size 1.28 MB
  • File Count 1
  • Create Date 31 Dezembro, 2018
  • Last Updated 31 Dezembro, 2018

ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA

“ELE GINGA QUE NEM BRASILEIRO!”: TRANSNACIONALIZAÇÃO CULTURAL E A NEGOCIAÇÃO DOS ESPAÇOS DE SUBJETIVIDADE NA ALEMANHA

 

RESUMO:

O artigo visa contribuir com o debate sobre o processo de transnacionalização cultural na contemporaneidade, como também a produção de identidade e as subjetividades deles possíveis, utilizando como foco o universo da capoeira e o seu deslocamento para a Alemanha. Movimento que teve início na década de 1970, com as apresentações de capoeira na Europa e Estados Unidos, influenciando os rumos desta prática cultural.

O desafio deste artigo é lançar mão das experiências dos capoeiristas em seus processos de reconstrução de si e dos discursos sobre a capoeira, porém sem perder de vista as forças hegemônicas que atuam e impõem as “regras do jogo”. Dentro de uma visão interdisciplinar, foi priorizada uma abordagem qualitativa, tendo o método etnográfico como base metodológica de onde os tópicos mais significativos emergiriam como “fios” a serem puxados e aprofundados. Sendo assim, foi considerado como ponto fundamental os discursos dos próprios sujeitos da pesquisa, dos nossos diálogos e da minha experiência de campo de onde as disciplinas como Antropologia, História e Estudos das Migrações serviriam como suporte epistemológico para uma melhor contextualização das experiências vividas e significados produzidos, ou seja, para melhor dar conta dos lugares de fala apresentados.

Os resultados da minha pesquisa apontam a uma exaustão do conceito de nação para definir identidades e culturas na contemporaneidade. Baseado em minha experiência e análise, defendo também que os alicerces do universo da capoeira são estabelecidos e legitimados como um espaço relacional de negociação simbólica “in Between”. Ao mesmo tempo me apropriei do termo “Capoeiragem” para denominar um modus operandi que seria o aspecto fundante do universo da capoeira que paradoxalmente, por seu posicionamento de fronteira, produz e mistura culturas.

Palavras-chave: Antropologia. Migrações Contemporâneas. Capoeira. Capoeiragem.
In between. Subjetividades.

 

Autor: Fabio Araujo Fernandes

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

%d bloggers like this: