Blog

institucionalização

Vendo Artigos etiquetados em: institucionalização

Cultura da Capoeira: Refletindo sobre a construção de Práticas Organizacionais em Organizações Sociais

Cultura da Capoeira: Refletindo sobre a construção de Práticas Organizacionais em Organizações Sociais

 Resumo

Este trabalho apresenta uma análise da influência da cultura da capoeira na construção de práticas de gestão nas organizações sociais. Para tanto, o texto versa sobre os estudos sobre cultura organizacional e especificamente do contexto cultural e tradicional da capoeira, enquanto manifestação alicerçada em valores civilizatórios africanos. Em seguida, se conceitua as organizações sociais e suas práticas de gestão, para então criar algumas categorias de análise para estudar a relação da gestão e a cultura da capoeira. As constatações realizadas indicam o quão distantes estão os diálogos entre estes campos de conhecimento, e o quão urgente é a necessidade de aprofundamento dos estudos organizacionais no campo das culturas populares e de suas comunidades tradicionais de matriz africana como condição elementar para que gestores sociais, cientistas e alunos, possam compreender os desafios propostos para este cenário.

Palavras-chave: capoeira, gestão social, cultura organizacional

Gingando na Lusofonia: A institucionalização da capoeira em Portugal

Gingando na Lusofonia: A institucionalização da capoeira em Portugal

 Resumo

A capoeira é uma prática cultural e esportiva de origem afro-brasileira que chega a Portugal no final dos anos oitenta com a emigração brasileira e hoje é praticada em todo país. O presente artigo pretende analisar o impacto decorrente do processo de institucionalização da capoeira em Portugal, iniciado pelo Estado português em 2010, junto à comunidade luso-brasileira de praticantes. Tenciona ainda: verificar as contradições do processo no que toca à compreensão dos diversos atores sobre o que é a capoeira e como deve ser concebida, bem como perceber as relações de poder entre o Estado e as instituições desportivas representativas dos capoeiristas. A fim de realizar esta tarefa, foram entrevistados os diferentes atores envolvidos e analisada a documentação referente ao tema.

Palavras-chave: Capoeira. Esporte. Cultura. Institucionalização.

Dancin’ within Lusophony: capoeira’s institutionalization in Portugal

Abstract

Capoeira is a cultural and sports activity of african-Brazilian origin that arrived in Portugal in the late eighties with the Brazilian emigration and which is practiced today throughout the country. This article aims to analyze the impact of the capoeira institutionalization process in Portugal, initiated by the Portuguese state in 2010 together with the Luso-Brazilian community of practitioners. It intends to: (a) verify the contradictions of the process regarding the understanding of the various actors about what capoeira is and how it should be conceived, as well as (b) identify power 1 Professor-Doutor do Instituto de Humanidades e Letras da Universidade da Integração Internacional e da Lusofonia Afro-brasileira (UNILAB), Brasil.

 

Keywords: Capoeira. Sports. Culture. Institutionalization.

 

[email protected] RICARDO NASCIMENTO

 

Camaradagem, Democratização e Institucionalização do Instituo Jair Moura

Com o projeto premiado pelo "CAPOEIRA VIVA" em 2006, o Instituto Jair Moura busca, através do merecido fomento democratizar e disseminar seu extenso acervo.
Partindo daquela velha máxima que uma vez um grande capoeirista, médico e ser humano ímpar me falou: "Boa informação é aquela que é divulgada" os responsáveis pela Institucionalização do Instituo Jair Moura, começam a arregaçar as mangas para encarar esta penosa porém gratificante missão.
Apoios, colaborações e boa vontade não iraão faltar… Tudo em prol da CAPOEIRAGEM!!!
Luciano Milani

 
Biblioteca Organizada:
 
Com o objetivo de agilizar a recuperação e a disseminação da informação, a biblioteca do Instituto Jair Moura passa por um processo de organizacão das suas coleções de aporximadamente 35 mil ítens. São eles: livros, fotografias, revistas, jornais, DVD`s, Cd`s, VH`s, fitas cassetes, recortes, dissertações, teses, entre outros.
 
Essas coleções estarão disponíveis para pesquisa, indexidas e catalogadas, em base de dados a partir de setembro de 2007.
 
Novo sítio na Internet,  O Blog do INSTITUTO JAIR MOURA linkado em vocês…
 

Aí turma!
 
Oxalá encontre todos numa boa!
 
Este é o Blog do INSTITUTO JAIR MOURA linkado em vocês…
http://institutojairmoura.blogspot.com
 
Espero que já saíbam: O projeto de institucionalização do Instituo Jair Moura foi premiado pelo Capoeira Viva, programa apoiado pelo Ministério da Cultura. Ainda é hora de agradecermos à todos que enviaram cartas com boas recomendações que foram anexadas ao projeto. Com certeza foram essenciais para o prêmio. Como foi decisivo a generosidade de Sabiá, que acolheu o IJM nas dependências do Projeto Mandinga.
 
Ganhamos R$ 75.000,00 ( setenta e cinco mil reais). Uma boa nota! Com essa grana adequamos espaços físicos para a instalação do acervo e sala de leitura; contratamos bibliotecárias para catalogação de toda documentação, adquerimos equipamentos eletrônicos tendo em vista a implantação e divulgação do acervo e aumentamos razoávelmente o número de títulos. 
 
Camaradagem, Democratização e Institucionalização do Instituo Jair MouraSe Deus quiser em breve o IJM vai ampliar o seu raio de ação. Logo estaremos disponibilizando (por meios digitais), na medida do possivél, parte significativa do acervo, estimado em mais de trinta mil títulos, que da sua casa você poderá acessar.
Nem núcleo, nem centro, nem pólo, o Instituto Jair Moura é um ponto de apoio nesta empreitada, a favor de fazer a LIGA MUNDIAL DA CAMARADAGEM.
 
 
Instituto Jair Moura – Capoeira
 

Rua Comendador José Alves Ferreira, 160, Garcia
Salvador-Bahia-Brasil
[email protected]
 

Capoeira, Comunidade, Instituição, Sociedade e Indíviduo

 Capoeira, Comunidade, Instituição, Sociedade e Indíviduo

Nos capoeiristas, no Brasil e em todo mundo, somos na maioria,trabalhadores da construção, professores, estudantes, esposas, maridos,doutores, advogados, banqueiros, administradores, desempregados, músicos,artistas, etc. Em resumo, fazemos parte ?desta coisa? que chamamos SOCIEDADE. Logo, vivemos e seguimos muitas ou a maioria das práticas que esta sociedade possui. Somos, inevitavelmente, o elemento básico que constitui a sociedade; ela existe porque estamos nela. Mas ao mesmo tempo, não somos absorvidos ou assimililados a força por esta sociedade e, pessoalmente, acredito que é ai que nos capoeiristas, como qualquer outro grupo na sociedade, podemos fazemos diferença, pois, cumprimos com o que nos cabe como parte desta sociedade, contudo, tem uma outra parte das nossas vidas que simplesmente não se "enquadra" dentro desta mesma sociedade que seguimos.

Somos, por natureza e/ou por escolha, um tipo diferente de indivíduos: desejamos a liberdade no nível mais profundo de nosso ser. Um Homem disse uma vez: "Se você deseja ser livre, você tem apenas que começar a ser livre." A liberdade é um estado mental e não um estado do corpo. Nós somos e continuaremos a ser parte desta sociedade, contudo, nao de forma passiva, pois, devemos também continuar a aumentar o que temos de melhor dentro dela. Nenhum sistema ou sociedade pode engolir o que um indíviduo tem de melhor, uma vez que este tenha tomado consciência destas suas virtudes. Por isso o conceito de institucionalização da Capoeira não cresceu tão profundamente dentro da maioria das comunidades de adeptos desta arte, especificadamente nas comunidades de Capoeira Angola. O estilo de vida da Capoeira é música para os nosso ouvidos, porque criamos o nosso próprio espaço com esta sociedade da qual fazemos parte, mas que muitas vezes desprezamos.

A Capoeira, como Mestre Pastinha disse, é tudo que a boca come. E como o ar, sabemos que está lá, respiramos e precisamos dele; contudo, não podemos capturá-lo. A Capoeira não pode ser limitada a um grupo de praticantes, por uma organização formal e muito menos por um grupo de Mestres que clamam o monópolio sobre ela. A Capoeira vai além de todos nós. Nenhuma sociedade, comunidade, ou indivíduo jamais irá controla-la.

Então, se praticamos a capoeira para nos afastarmos daquilo que ha de tradicional e repressivo dentro da sociedade e que desaprovamos tão fortemente, porque quereriamos institucionaliza-la? Nos parece um tanto contraditorio, já que institucionalização significa seguir profundamente todos os protocolos e leis detalhadas da sociedade para que nos enquadremos nos esquemas administrativos e corporativos com alguma prática e sentido reais: independência fiscal, oportunidades de doações, coesão administrativa e grupal, etc. Grupos diferentes de Capoeira, dentro da história e mais ainda nesta útimas décadas, tentaram criar uma instituição ou organização paralela somente para a Capoeira, e se tornaram tão restritas e repressivas como a instituição original da qual eles haviam tentado se afastar.

Em todas as partes do mundo nós vemos a corrupção e escandalos que instituições e indivíduos fazem. O sistema controla vários setores da sociedade com um número pequeno de pessoas tendo o monopólio absoluto sobre estes. Se olharmos para o Brasil como exemplo, vemos o carnaval e outras manifestações criadas pelo povo que foram institucionalizadas.
O povo que originalmente os criou foram os que mais perderam com isso.

Antes de pensarmos em institucionalização da Capoeira, nós temos que perguntar porque querem nos ?organizar?? Porque quereriamos uma instituição para controlar o nosso estilo de vida? Quem vai ganhar com isso? A Capoeira? O capoeirista? Os burocratas? Será que estas instituições são realmente necessárias? Quem as controlara? Porque elas tem que ser tam repressivas, elitistas e ditatoriais? Podemos confiar nestas instituições e nos seus líderes moralmente, financeiramente, fisicamente e espiritualmente? O que é que nós queremos? Nós queremos a institucionalização da Capoeira, ou uma comunidade de Capoeira que trabalhe com "o sistema"para obter honestamente o que precisamos sem nos inclinarmos para o que este sistema tem a nos oferecer?

Embora estejamos abertos para crescermos no espírito e conhecimento da Capoeira, queremos evitar a imposição de valores de um grupo de pessoas e burocratas que já tenham criado as suas próprias escalas de valores. Queremos uma comunidade que celebre e encoraje a individualidade e a cooperação entre seus membros; uma comunidade mundial de capoeira que respeite diferentes valores, crenças, pontos de vista, práticas, etc; em resumo, o que queremos e uma comunidade que respeite as nossas diferentes estórias e histórias, as nossas vidas diferentes e o nosso crescimento em direções variadas para o seu próprio fortalecimento. Pois, e isto o que nós todos teremos para oferecer através do entedimento e do amor sob a prática e o espírito da Capoeira.

Mestre Cobra Mansa

[email protected]

Ps: Por favor nao altere o sentido desse texto e mande para todos os
capoeiristas e individuo que acreditar na liberdade e em uma sociedade
alternativa e mais justa.