Blog

Notícias – Atualidades

Vendo Artigos de: Notícias – Atualidades (categoria)

Nota de Falecimento: Mestre Joel

Nota de Falecimento: Mestre Joel

MESTRE JOEL DE MENEZES FALECEU EM SALVADOR – 03/06/2020

Diagnosticado com covid-19, esteve internado em Salvador; sogros também tiveram doença

Um dos responsáveis por levar a capoeira para São Paulo, o mestre Joel de Menezes, 76 anos, faleceu após ter testado positivo para o novo coronavírus. O mestre esteve internado em estado grave no Hospital Ernesto Simões, em Salvador desde o dia 12/05/2020.

Pioneirismo

Nascido em Santo Amaro e criado em Feira de Santana, Mestre Joel residiu em Salvador, mas sempre fazia viagens para São Paulo, onde formou grupos de capoeira.

Segundo Mestre Dadá, Joel aprendeu a arte com o Mestre Arara, que era aluno do Mestre Bimba, e sempre tentou preservar as raízes e tradições da capoeira.

Em 1972, Joel foi reconhecido como mestre de capoeira por Mestre Bimba. O baiano é presidente do grupo Organização Onças de São Paulo e da Associação de Capoeira Ilha de Itapuã.

Além de expandir o alcance da capoeira, Mestre Joel foi um dos primeiros a gravar discos com músicas de capoeira. “Ele gravou discos nos chamados bolachões. Ele foi um dos pioneiros nessa gravação, com músicas que sempre falam da Bahia”, explicou Dadá.

Em 1979, o mestre lançou Capoeira, que foi seguido de Capoeira Raiz, de 1993. Por fim, foi lançado o disco Capoeira Volume 1, datado de 1994.

Desejemos os mais siceros pêsames, muita força e luz à família, amigos e a comunidade capoeira…

Mestre Cobra Mansa: O outro lado da moeda…

O outro lado da moeda

Mestre Cobra Mansa, emitiu um comunicado oficial sobre a “denúncia de Dandara Baldez”. Após diversas conversas, aceitou nosso convite para o diálogo.

O Portal Capoeira, como um dos mais relevantes e democrático meio de comunicação especializado, pública em primeira mão o comunicado oficial, com o objetivo de entender a situação através dos olhos e dos sentimentos de “Cobrinha Mansa”.

Acreditamos que toda história deve ser contada e ouvida…

COMUNICADO OFICIAL MESTRE COBRA MANSA

Peço apenas que me ouçam (antes de me julgar)

Eu reconheço a luta das mulheres, pois tenho a convicção e conhecimento de que lutam por uma causa legítima, no sentido de impedir que atuem como coadjuvantes quando, em verdade, deveriam também ser protagonistas.

Isso não quer dizer que consegui me livrar totalmente dessa cultura machista na qual fui educado desde pequeno.


Gente, em relação ao assunto que diz respeito à Dandara, tudo não passou de um grande mal entendido. Foi um erro de julgamento meu, e só. O erro de julgamento veio do contexto no qual nos encontrávamos, que eu não quero tornar público para não expor mais pessoas e causar a estas pessoas o mesmo dano pelo qual venho sofrendo diante das conclusões e indagações completamente equivocadas.

Mestre Cobra Mansa

Nunca pensei que passaria por um “julgamento social” sem sequer ser ouvido; será que hoje sou eu quem precise lutar para comprovar minha idoneidade, que sou uma pessoa íntegra?! Pois bem, o contexto no qual se deu o mal entendido pode explicar a situação pela qual me julgam sem saber, mas admito, nunca adotei, nem insisti, em qualquer postura inapropriada que viesse a ferir a honra da Dandara.

É fato que nós homens precisamos escutar nossas irmãs e companheiras, e tento escutar. Como é que nós mudamos?  Como é que podemos juntos mudar essa cultura de masculinidade falsa? 

Eu não sei as respostas certas, mas eu sei que é o trabalho de todos nós, e como mestres e mestras, temos mais responsabilidades, inclusive para não disseminarmos a cultura do ódio e do banimento social sem que antes seja dada a oportunidade do diálogo, e não do monólogo.

Então não omito que houve um grande mal entendido com a Dandara, de modo que este mal entendido foi rapidamente corrigido, tanto assim que tivemos uma reunião com ela e três outras pessoas em 2017, na qual demos o assunto por encerrado, mas neste momento – quase 03 anos depois -, começou essa campanha contra mim, por razões que não me parecem idôneas. Estão me transformando num assediador sistemático. Até pessoas que não me conhecem estão me julgando e me massacrando.

Se coloquem no lugar do outro, usem a empatia; vocês gostariam desse tipo de julgamento sem ao menos serem ouvidas, sem que os fatos fossem apurados? Claro que não!

A pergunta que eu gostaria de colocar para quem me conhece: De todos os eventos que eu participei ao longo de muitos anos, de todos os mestres e mestras que organizaram esse eventos… tem alguma mestra ou mestre que pode reclamar do meu comportamento com suas alunas?

Peço que se manifestem para que as pessoas que estão me julgando possam ouvir outras vozes. Eu tenho plena consciência do que realmente aconteceu, e do que são acusações falsas.

Agradeço sua atenção e a possibilidade de falar a minha versão dos eventos.

Mestre cobra mansa

Abuso de menor: Professor de capoeira é condenado a 8 anos por estuprar aluna em Brasiléia – Acre

Abuso de menor: Professor de capoeira é condenado a 8 anos por estuprar aluna em Brasiléia – Acre

O Juízo da Vara Criminal da Comarca de Brasiléia condenou um professor de capoeira (ELWIS JHONNATAN MARTINS FERREIRA) a oito anos de reclusão, em regime inicial semiaberto, por ele ter cometido o crime de estupro de vulnerável, previso no artigo 217-A do Código Penal.

 

NOTA DO EDITOR:

Após receber diversas mensagens de amigos próximos, cuja a coerêcia e respeito pela nossa arte e por este meio de comunicação ficam claros na forma polida e frontal que me abordaram, venho esclarecer e retratar informação da imagem que ilustra esta matéria(1).

Nunca é facil ou simples publicar uma matéria como esta… Existem inumeras situações e arestas que tem de ser averiguadas antes de simplesmente “lançar a bola ao alto”, dito isto, foi feita por parte deste site uma pesquisa mais abrangente aos fatos relatados em 4 meios de comunicação, cujo os dois mais relevantes estão referidos nas fontes da notícia, assim como o site da Justiça do Estado do Acre, onde encontrei o original da edição n°6.559, do Diário da Justiça Eletrônico, da segunda-feira, 23. Depois de ler e reler as informações, tentei validar a imagem, que em ambos os sites é apresentada (Acredito que os interessados também devam procurar a edição destes sites para corrigirem a imagem), porém não encontrei nada mais claro ou incontestável. Descobri que o condenado (ELWIS JHONNATAN MARTINS FERREIRA) é proprietário de uma empresa denominada Blackout Films (ver link)  Entretanto após ler diversos comentários e chegar até o Perfil do condenada através de uma das respostas do post na rede social, posso confirmar que a nova imagem desta matéria reflete a verdade e o compromisso deste importante meio de comunicação de fazer valer a seriedade e coerência dos fatos!

Muito obrigado pela parceria e confiança – Luciano Milani – Editor

 

Conforme é relatado nos autos, a adolescente tinha 13 anos de idade, na época dos fatos, e foi à casa do acusado assistir um filme, quando eles foram para o quarto. A vítima relatou, em seu depoimento, que mudou de ideia quanto a ter relações com ele.

Seguindo a legislação, que enfatiza que relações sexuais com menores de 14 anos de idade configura estupro de vulnerável, o acusado foi condenado. A sentença está publicada na edição n°6.559, do Diário da Justiça Eletrônico, da segunda-feira, 23.

O juiz de Direito Clóvis Lodi, titular da unidade judiciária, foi o responsável pelo julgamento. O magistrado relatou que o réu não compareceu a audiência, tendo sido decretada à revelia do acusado. Mas, o juiz rejeitou a tese da defesa dele.

“Portanto, não assiste razão à tese defensiva pela absolvição, pois as provas são robustas em demonstrar que manteve relação sexual com a vítima, mesmo sabendo ser menor de 14 anos de idade, sendo a condenação a única medida cabível ao caso.

Abuso de menor: Professor de capoeira é condenado a 8 anos por estuprar aluna em Brasiléia - Acre Notícias - Atualidades Portal Capoeira 1

 

MAIS INFORMAÇÕES: Texto retirado da Edição n°6.559, do Diário da Justiça Eletrônico, da segunda-feira, 23.

EDITAL DE INTIMAÇÃO DE ADVOGADOS – RELAÇÃO Nº 0180/2020

ADV: FRANCISCO VALADARES NETO (OAB 2429/AC), ADV: GISELI ANDRÉIA GOMES LAVADENZ (OAB 4297/AC), ADV: HADIJE SALIM PAES CHAOUK (OAB 4468/AC) – Processo 0001187-06.2018.8.01.0003 – Ação Penal – Procedimento Ordinário – Estupro de vulnerável – RÉU: Elwis Jhonnatan Martins Ferreira – Leandro Marcolino de Oliveira – (..) Ante o exposto, JULGO PARCIALMENTE ELWIS JHONNATAN MARTINS FERREIRA PROCEDENTE os pedidos formulados na denúncia para:

A) CONDENAR o réu pela prática do crime previsto no artigo 217 – A, do Código Penal; e B) ABSOLVER o réu LEANDRO MARCOLINO DE OLIVEIRA, com fundamento no art. 386, I, do CPP. Atento ao disposto no art. 68, caput, do mesmo diploma legal, passo à dosimetria da pena.

DOSIMETRIA DA PENA DO RÉU ELWIS JHONNATAN MARTINS FERREIRA

Analisando as circunstâncias do art. 59 do Código Penal, verifico : A) culpabilidade: o réu agiu com culpabilidade normal à espécie, nada tendo a valorar. B) bons antecedentes: o réu é portador de bons antecedentes. C) personalidade: não há elementos acerca de sua personalidade, logo não há o que ser valorado; D) conduta social: nada há a respeito da sua conduta social, razão que não será valorado; E) motivo do crime: é punido pelo próprio tipo penal, razão pela qual deixo de valorá-lo; F) circunstâncias: nada há a valorar. G) consequências do crime: normal à espécie, nada tendo a valorar. H) comportamento da vítima: em nada influenciou na prática do delito.

À vista das circunstâncias analisadas individualmente, fixo a pena base em 8 (oito) anos de reclusão. Ausente circunstâncias atenuantes e agravante, razão pela qual fixo a pena provisória em 8 (oito) anos de reclusão. Ausentes causas de aumento ou de diminuição de pena, pelo que torno definitiva e concreta a pena do réu ELWIS JHONNATAN MARTINS FERREIRA de 8 (oito) anos de reclusão. Na esteira do que determina o art. 33 do Código Penal, fixo, como regime inicial de cumprimento de pena, o SEMIABERTO, observada a hediondez do crime (art. 1º, VI, da Lei 8072/90). Verifico que, na situação em tela, não é cabível a aplicação da substituição da pena privativa de liberdade por restritiva de direitos, uma vez que o réu não preenche os requisitos do art. 44, do Código Penal. Impossível aplicar ao caso em tela suspensão condicional da pena, posto que o réu não preenche os requisitos do art. 77, do Código Penal.

Após o trânsito em julgado, lance-se o nome do sentenciado no rol dos culpados, oficie-se à Justiça Eleitoral para os fins do artigo 15, inciso III, da Constituição Federal, expeça-se o necessário para execução da pena e efetivem-se as demais formalidades legais.

Condeno o réu Elwis Jhonnatan Martins Ferreira pelo pagamento das custas processuais, pois defendido por advogado particular. Publique-se. Registre-se. Intimem-se.

Brasiléia-(AC), 18 de março de 2020. Clovis de Souza Lodi Juiz de Direito

 

Fontes:

Professor de capoeira é condenado a 8 anos por estuprar aluna no Acre

https://folhadoacre.com.br/policia/professor-de-capoeira-e-condenado-a-8-anos-por-estuprar-aluna-em-brasileia/

https://diario.tjac.jus.br/edicoes.php

 


(1) REPERCUSSÕES

* Para esclarecer a questão: (RESPOSTA DADA NA REDE SOCIAL)

  1. A imagem utilizada é a imagem referida na matéria original citada nas fontes da notícia.
  2. Fiz uma pesquisa exaustiva e não consegui encontrar outra imagem com o indivíduo condenado. Inclusive citei isso na legenda da foto no PortalCapoeira.com
  3. Já recebi diversas informações de amigos próximos que fazem parte do ABADA me informando do assunto e ajudando a resolver o problema.

Obrigado pela atenção e pela disponibilidade… Irei reavaliar a imagem utilizada na matéria pois parece que não reporta a verdade…

 

Professor Perninha: (através da rede social)

Boa noite Milani, tudo bem? Nos conhecemos em uma roda do Fantasma no Porto e o motivo deste contato é lhe pedir um favor. Foi veiculada uma reportagem hoje pelo seu canal Portal da Capoeira sobre um grave crime envolvendo um professor de capoeira no Acre, relacionado a abuso de um menor. Equivocadamente, a foto da reportagem é claramente de um evento da Abadá-Capoeira e inclusive encobre o rosto do rapaz que está jogando (também com uniforme da Abadá), o que induz ao pensamento de que seja ele o autor de tal crime. Este fato não é verdade, pois na reportagem cita o nome do acusado, que por acaso tem perfil no Facebook com diversas fotos, o que contraria a legenda de sua reportagem com relação a dificuldade de uma imagem do acusado. Acredito que tenha sido involuntário o erro e peço que seja corrigido o quanto antes (removendo a foto), para não prejudicar pessoas que não tem nada a ver com esse crime. Agradeço a atenção. Professor Perninha.

Obrigado também aos amigos: Cau, Marcelo Lampanche e Boiadeiro pela educação e compromisso com a verdade.

Ações & Repercussões: Coronavírus – COVID-19

Ações & Repercussões: Coronavírus – COVID-19

Uma das definições mais utilizadas na capoeiragem para descrever a essência da nossa arte: CAPOEIRA É PERGUNTA E RESPOSTA…

Sempre acreditei na preservação e na valorização da arte e da cultura popular, acredito que o universo da capoeira é parte integrante deste contexto, um elemento “vivo” e multifacetado, envolto na mágica e no mistério da oralidade, entranhado no corpo e na memória de todo brasileiro… acredito também que  “A toda ação sempre há uma reação de mesma intensidade e direção, porém sentidos opostos.”

Terceira Lei de Newton (princípio da ação e reação): 

Quando um capoeirista “negaceia ou aplica um golpe”, ele consegue mudar a trajetória/comportamento do companheiro de jogo pois exerce uma força/ação sobre ele. No entanto é razoável pensar que outro capoeirista também exerce uma força/ação sobre o 1º capoeirista, afinal ele sente o impacto ou reage ao “movimento”, criando um novo contexto e uma infinidade de possibilidades daquilo que entendemos por “PERGUNTA E RESPOSTA”.  Ao sentar sobre uma cadeira, a gravidade exerce uma força sobre nós da mesma forma que cadeira também o faz, pois não atravessamos a cadeira e caímos no chão – a cadeira nos “segura”.

Então, podemos concluir que cada vez que um corpo A exerce uma força sobre um corpo B, este mesmo corpo B exerce uma força sobre o corpo A. Essa, então é a Terceira Lei de Newton (ou princípio da ação e reação ou capoeirísticamente falando “PRINCIPIO DA PERGUNTA E RESPOSTA”).

É claro que esta reflexão nos leva ao outro lado da moeda: Toda a expansão da capoeira, que encontrou um amplo nicho de mercado, a ser explorado pelos grupos de capoeira, que em meados da década de 70 iniciaram o processo de “internacionalização da capoeira” que incluia rodas, apresentações e shows, em hotéis, pousadas, resorts e praças públicas, culminou em uma massiva globalização da nossa cultura e da nossa arte-luta. Hoje somos milhões de praticantes e estamos espalhados pelos quatro cantos do mundo… grande parte desta enorme comunidade (os profissionais), vive exclusivamente da capoeira (eventos, aulas, viagens, workshops, etc…).

SERÁ UMA DURA BATALHA SOCIAL E ECONÔMICA PARA TODOS NÓS!

Nossa capoeiragem é patrimonio imaterial… é cultura… é desporto… é cidadania… é social… é digital… é tradição… é amor… enfim a capoeira é VIVA…

Toda nossa comunidade tem agora um duro e importante passo pela frente: TEMOS DE LUTAR COM AFINCO, GINGAR E NEGACEAR, PARA CONTER O SURTO E A PANDEMIA DO COVID-19.

Chegou o momento de dar uma resposta clara, de agir com ética e responsabilidade social!!!

 

Fica a reflexão, na certeza que depois da tempestade virá a calmaria e melhores dias virão…

Luciano Milani

 

 

A RESPOSTA:
Ações & Repercussões: Coronavírus – COVID-19

Ações & Repercussões: Coronavírus - COVID-19 Capoeira Portal Capoeira

 

Por todo o mundo nossos amigos e companheiros vem dando sua “RESPOSTA”, agindo de forma coerente e responsável… parabéns a todos os profissionais que estão lutando e fazendo sua parte para ajudar nesta luta contra o coronavírus.

Nota Oficial:

A Associação Herança Cultural Capoeira tem acompanhado as notícias sobre o COVID-19 (Coronavírus), e seus impactos na rotina e saúde de todos. Focada na segurança e no bem-estar não só de seus participantes, mas de toda a comunidade com quem também a associação está bastante preocupada estamos seguindo os conselhos e orientações da Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.
Neste sentido segundo decreto nº 64.862, de 13 de março de 2020 de São Paulo o governador JOÃO DORIA, GOVERNADOR DO ESTADO DE SÃO PAULO, no uso de suas atribuições legais e considerando a existência de pandemia do COVID-19 (Novo Coronavírus), nos termos declarados pela Organização Mundial da Saúde, Decreta:

Artigo 4º – No âmbito de outros Poderes, órgãos ou entidades autônomas, bem como no setor privado do Estado de São Paulo, fica recomendada a suspensão de: Ver tópico

I – aulas na educação básica e superior, adotada gradualmente, no que couber; Ver tópico

II – eventos com público superior a 500 (quinhentas) pessoas. Ver tópico

Assim, por ser o XIV Encontro Associação Herança Cultural Capoeira um espaço que reunirá número expressivo de participantes, por ter a participação de alguns dos grupos de risco da pandemia como Mestres com mais de 60 anos de idade o conselho de Mestres da Associação, na pessoa de seu presidente senhor Carlos Alberto Lanatovitz, Mestre Catitu, vem com pesar por meio desta nota informar que o XIV Encontro Associação Herança Cultural Capoeira está ADIADO.

 

A Associação prima pela saúde e bem-estar de todos e está comprometida em encontrar uma nova data para realização desta festa, que é tão importante no cenário da capoeira. Adotamos as medidas necessárias, e seguiremos tomando decisões de acordo com as diretrizes dessa associação.

Qualquer dúvida ou informação, favor entrar em contato pelos emails: [email protected] e [email protected], telefones: (11) 983818056 e (11) 9 84549924.

Atenciosamente,

Associação Herança Cultural Capoeira

 


 

Espero que estejam todos bem…

Temos um grande problema e uma enorme responsabilidade pela frente…

Todos somos diretamente responsáveis por este processo e devemos ter muita atenção e coerência…

Atitudes, que segundo aquilo que acredito, devem ser tomadas de imediato:

  • Cessar imediatamente as aulas
  • Cancelar todo e qualquer tipo de evento.
  • Deixar de viajar.
  • Respeitar as remomendacões da OMS e do Governo local.
  • Nas próximas semanas restringir ao máximo os contatos sociais.

Sei que tudo isso é algo muito difícil de digerir e implementar, visto que nossa classe profissional depende em sua grande maioria desta relação aula/evento/viagens para ganhar o sustento diário.

Estamos passando por uma fase nuclear e muito complicada… Tenho quase a certeza de que ainda vai piorar antes de melhorar… (historicamente documentado).

Cabe a cada um de nós fazer a nossa parte…

Atitudes corajosas e responsabilidade social… Este é nosso norte!

Parabéns aos amigos e aos responsáveis por trabalhos que já se posicionaram de forma coerente…

Todos vamos sofrer e não será fácil, mas tenho a certeza que estamos unidos em prol da superação…

Axé

CAL – Capoeira Arte e Luta
Luciano Milani

 


 

Por motivos de prevenção e de aconselhamento por parte das entidades competentes, as aulas e treinos de Capoeira Regional do CCCB-GMR em Guimarães, Portugal estão encerradas a partir de “12 de Março” (Quinta-Feira) até que a situação do Covid-19 se estabilize. Relembramos a todos que é importante seguir as orientações da Direção Geral da Saúde, neste momento difícil que estamos a atravessar, adotando medidas básicas de prevenção tais como:

-Desinfectar e lavar bem as mãos com álcool 70 ou desinfetante apropriado.
– Evitar locais fechados e aglomerações de pessoas.
Se tiver sintomas suspeitos, tais como febre ou tosse, mantenha-se em casa em resguardo e ligue para a linha saúde 24 do SNS (808 24 24 24), para que lhe sejam dadas as devidas orientações, caso tenha dificuldades respiratórias dirija-se as urgências mais próxima de si e evite o máximo o contato com outras pessoas, principalmente idosos.

Em breve mais informações sobre o retorno das atividades. Tentaremos compensar todos os alunos quando retomarmos o normal funcionamento.

Obrigado pela compreensão.

Att,

Centro Cultural Capoeira Baiana-CCCB
Mestre Careca
Guimarães, Portugal

 

Todos somos responsáveis!!! Faça sua parte!!!

 

Ver também: OMS https://www.who.int/

Guarujá-SP: Uma comunidade à procura do mestre

Guarujá-SP: Uma comunidade à procura do mestre

Um exemplo de ser e estar… Capoeira uma escola de cidadania… Um verdadeiro MESTRE na arte da capoeiragem e da vida!!!

Nos trabalhos de resgate do Morro do Macaco Molhado, no Guarujá, no litoral de São Paulo, chama a atenção a presença de jovens na faixa dos 20 anos. Grande parte está ali à procura daquele a que se referem como “padrinho”, “irmão” ou “mestre”, com quem aprenderam sobre a capoeira, a cultura afro-brasileira e a vida: o líder comunitário Rafael Rodrigues, de 33 anos, um dos desaparecidos no temporal que atingiu a Baixada Santista. Até a noite desta quarta-feira, 4, eram 25 os mortos na Baixada Santista por causa das fortes chuvas.

Rafael estava preocupado com os efeitos da chuva desde a noite de segunda. Naquele dia, às 23h59, fez a última publicação em uma rede social, na qual alertava sobre a situação, e saiu de casa em plena madrugada para ajudar no resgate de vítimas em uma encosta do bairro vizinho, no Morro do Macaco Molhado, também chamado de Morro Bela Vista.

O professor de capoeira Rafael Rodrigues subiu o morro, em Guarujá, no dia do temporal e tentava ajudar pessoas soterradas. Houve um segundo desmoronamento e ele foi um dos atingidos. No mesmo morro, outro Rafael, marido de Gisele, também perdeu a vida tentando salvar outras pessoas. Ele levou os 7 filhos para um lugar seguro e decidiu voltar para ajudar os demais moradores.

Chuvas na Baixada Santista: conheça a história de duas vítimas que tentaram ajudar outras pessoas

Foi atingido por um segundo deslizamento com outro voluntário e dois bombeiros, os cabos Moraes e Batalha. Com exceção de Moraes, os demais estão desaparecidos, soterrados sob a lama e o entulho.

Rafael se tornou o mestre de outros tantos meninos e meninas ainda adolescente, quando começou a dar aulas de capoeira em um abrigo há mais de 20 anos. O projeto cresceu e mudou de nome algumas vezes até se tornar a Associação Cultural Afroketu, de capoeira, percussão e danças afro-brasileiras, que atende hoje mais de cem crianças e adolescentes. “Ele é um pai para todo mundo, um amigo, irmão. Dá conselho, briga quando precisa, faz tudo”, diz mestre Sandro, de 41 anos, outra liderança do Afroketu. “Vieram (pessoas do projeto para o resgate) porque ele sempre se doou para todo mundo.” Hoje professor do Afroketu, Daniel de Moura, de 28 anos, começou como aluno há 12 anos. “(A associação)é uma família, um pelo outro até hoje. E o Rafael é um pai para todo mundo.”

Atuação

Produtor cultural, Rafael tem filhos e estava no último ano da graduação em Direito. É assessor de Políticas Públicas Para a Juventude na prefeitura do Guarujá há três anos. “Encontrei com ele na última semana e estava feliz, empolgado com os conhecimentos que ganhava (no curso de Direito), em como isso poderia ajudar mais a comunidade”, diz a professora Roseli Alexandre, de 54 anos, que acompanha o trabalho de Rafael desde a adolescência. “Todo dia, passava às 21, 22 horas na frente da sede do projeto e via aquela gente toda envolvida. Agora nem imagino como vai ser.”

Também professor, Luiz Alexandre, de 60 anos, diz que Rafael tem atuação que vai além do Guarujá, envolvendo-se em projetos em outras cidades da Baixada e do Estado. “É um verdadeiro Zumbi da modernidade, ele nos dignifica, nos representa. Um cara que não espera acontecer.”

 


TRAGÉDIA: Guarujá registra 26 mortes

Na Baixada Santista, foram contabilizados 32 óbitos e 47 desaparecidos

A Defesa Civil do Estado informa que as chuvas extremas que incidiram sobre a região da Baixada Santista na madrugada de terça-feira, 3 provocaram, até o momento, 32 óbitos e 47 não localizados, nos seguintes municípios: Guarujá (26 óbitos e 42 não localizados), Santos (4 óbitos e 4 não localizados) e São Vicente (2 óbitos e 1 não localizados). O número atual de desabrigados é de 249 em Guarujá e 185 em Santos.

Foram disponibilizadas 30,5 toneladas de materiais de ajuda humanitária aos municípios afetados, sendo: 15,6 toneladas (colchões, cobertores, cestas básicas, roupas, água sanitária, kits de limpeza, kits de higiene e água potável) para o depósito do Fundo Social de Santos de onde serão distribuídos, mediante solicitação, às defesas civis municipais; 11 toneladas (colchões, kits higiene, vestuário e limpeza, cestas básicas, água potável e fita de isolamento) a Guarujá; 2,9 toneladas (colchões, cestas básicas, kits de higiene, limpeza e vestuário) a Peruíbe; 1 tonelada (colchões) a Santos.

Além disso, foram disponibilizados equipamentos de proteção individual (luvas de raspa e capacetes) e baldes para o mutirão de voluntários que está atuando em apoio às equipes de salvamento nos cenários de ocorrência de Guarujá.

O Diretor do Departamento Estadual de Proteção e Defesa Civil, Tenente-Coronel PM Henguel Ricardo Pereira, e equipe, permanecem na região, em reuniões com o Gabinete de Crise, avaliando as necessidades e a atuação das equipes de salvamento.

No Diário Oficial do Estado do último dia 4, o Governador João Doria homologou sumariamente os decretos municipais de situação de anormalidade de Guarujá (estado de calamidade pública), Santos e São Vicente (situação de emergência). No dia seguinte, esses decretos foram reconhecidos sumariamente no Diário Oficial da União.

Nas últimas 24 horas, a contar das 6h de hoje (6), foram registrados mais 2mm em Guarujá (65mm em 72h), 12mm em Santos (46mm em 72h) e 7mm em São Vicente (53mm em 72h).

A sexta-feira (6) começou com sol na Baixada Santista. No entanto, devido aos ventos úmidos que continuam soprando do oceano em direção à costa, continua a previsão de chuva fraca no período da tarde e noite, porém sem risco de temporais e grandes acumulados. Já para amanhã (7), a mesma condição permanecerá e, no período da noite, haverá condição para chuviscos bem isolados por toda a região.

Professor de capoeira desaparece ao tentar socorrer vítimas de deslizamento em Guarujá

Professor de capoeira desaparece ao tentar socorrer vítimas de deslizamento em Guarujá

A assistente social Antônia Marques, 51 anos, caminhava no início da tarde desta terça-feira (3), em meio ao alagamento de uma avenida em Guarujá (86 km de SP), para buscar água potável e notícias de conhecidos que sumiram durante o temporal que provocou o deslizamento de parte do morro do Macaco Molhado —as chuvas no litoral sul paulista provocaram a morte de 16 pessoas e outras 33 estão desaparecidas.

Antônia afirmou que sua casa, que fica no morro, foi invadida por água até a altura da cintura, por volta das 2h desta terça-feira. “Só tive tempo de salvar mantimentos. O restante de minhas coisas, perdi tudo”, disse.

Ela contou que conhecia uma das pessoas desaparecidas. Seu amigo, o professor de capoeira Rafael Rodrigues, idade não informada, sumiu no meio do barro e de escombros quando tentava ajudar a retirar pessoas soterradas no local, segundo Antônia. “Até agora não acharam ele. Isso é uma tragédia”, afirmou. 

A filha da assistente social, a recepcionista Tainá da Silva, 27, afirmou conhecer duas vítimas que morreram soterradas.

“Acharam o corpo da Tatiana [amiga dela] e do filhinho dela, 1 ano, agora pela manhã”, afirmou, sem saber informar o sobrenome e a idade da conhecida.

O porteiro Yago Wesley Gonçalves, 27 anos, mora no bairro Vila Elma, ao lado do morro. Ele contou que quando soube do desmoronamento, entre 1h30 e 2h, correu para lá.

“Vi que tinha um braço para fora do barro. Gritei e quatro pessoas [incluindo um bombeiro] vieram ajudar a desenterrar [com as mãos]”, relembra.

O açougueiro Djalma Valentim, 23, foi uma das pessoas que auxiliou.

Gonçalves afirmou que pelo fato de de o barro estar muito instável, usaram tábuas para conseguir até onde estava soterrado o cabo dos bombeiros Rogério de Moraes Santos, 43 . “Levamos uns dez minutos para desenterrar o bombeiro com as mãos”. O bombeiro morreu no local.

A reportagem apurou que por volta das 15h30 desta terça começou a vazar gás de um botijão de uma das casas destruídas pelo desmoronamento. Por isso, a rede elétrica de alguns pontos da comunidade foi cortada, para evitar eventuais explosões.

Na tarde desta terça, 23 voluntários ajudavam bombeiros com três baldes de 20 litros cada, que eram passados de mão em mão, para retirada de lama do morro.

O trabalho voluntário foi interrompido pouco antes das 15h, por ordem dos bombeiros, por causa de dois pequenos desmoronamentos de terra.

Um funcionário da Defesa Civil afirmou que técnicos encontraram, durante sobrevoo, uma cratera no morro. Segundo ele, há novo risco de desabamento.

Quatro cães farejadores da Polícia Militar ajudam na busca por desaparecidos.

 

Fonte: https://agora.folha.uol.com.br/

por Alfredo Henrique

Juliette Binoche se esbalda na quadra da Mangueira e arrisca na ginga em roda de capoeira

Juliette Binoche se esbalda na quadra da Mangueira e arrisca na ginga em roda de capoeira

Ganhadora de um Oscar e conhecida por filmes como “O Paciente Inglês” (1996) e “A Liberdade É Azul” (1993), Juliette Binoche visitou o Brasil pela primeira vez nesse final para ser a madrinha do aniversário de 30 anos da distribuidora cinematográfica Imovison. E a atriz francesa deu um show de simpatia para o público brasileiro. Juliette aproveitou para conhecer mais sobre a cultura do país e até se arriscou a sambar e a jogar capoeira.

Juliette Binoche se esbalda na quadra da Mangueira e arrisca na ginga em roda de capoeira Capoeira Portal Capoeira

Binoche e o cineasta Cédric Kahn foram visitar a comunidade do Morro do Palácio, no Ingá, Zona Sul de Niterói. Ao ver uma roda de capoeira, a atirz francesa não resiste e se arrisca em alguns movimentos, demostrando ter ginga.

 

Mestre Bimba: O Sonho de Salomão

Mestre Bimba: O Sonho de Salomão

Salve, salve comunidade. Deixa eu me apresentar: Sou João Pitoco, capoeirista da cidade de João Pessoa na Paraíba, e estou aqui pedindo licença aos mais velhos para falar um pouco de capoeira, esta arte que nos encanta e ao mesmo tempo nos intriga com seus mistérios.

Muitos aspectos de nossa luta geram infindáveis debates, o que vejo de forma bastante saudável, pois essas discussões nos fazem refletir e evoluir como praticantes. Bom, venho pesquisando sobre capoeira há alguns anos, especificamente a Capoeira Regional e Mestre Bimba, e é o resultado dessa pesquisa que pretendo mostrar para vocês na forma do livro historiográfico chamado Mestre Bimba: O Sonho de Salomão.

Mestre Bimba: O Sonho de Salomão Capoeira Portal Capoeira

Nosso livro traça uma linha cronológica da trajetória do Rei da capoeira, apontando os principais acontecimentos através das décadas com diversos registros, incluindo fontes primárias. O leitor ou leitora encontrará artigos de jornais e revistas, depoimentos, imagens e detalhamento da obra áudio visual do Mestre Bimba. Dessa maneira pretendemos fomentar, estimular o debate, não traremos respostas, ao contrário, despertaremos a dúvida, pois acreditamos que o essencial é o discernimento que as pessoas irão elaborar depois da leitura.

 

Dentro de todo material que apresentamos no livro, gostaria de chamar a atenção para um em especial. O trabalho duro da pesquisa nos fez colher frutos maravilhosos que eu fico imensamente grato e feliz por poder dividir com todos. No começo do texto falei de debates profundos, um deles gira em torno dos toques da Capoeira Regional, e nesse ponto a obra acrescenta mais um ingrediente.

É que encontrei alguns registros de áudio inéditos com o Mestre Bimba executando toques de berimbau, e o que mais se destaca é um totalmente desconhecido dentro da obra do Mestre, chamado SONHO DE SALOMÃO. Notem que o nome não é Cinco Salomão, que já é conhecido e registrado inclusive no Livro de Waldeloir do Rego.
A revelação desse arquivo vem somar conhecimento para enriquecer nossa nobre arte e espero sinceramente ter contribuído com a capoeira.

Salve Capoeira. Salve Mestre Bimba

 

João Paulo de Araújo Pereira (João Pitoco)

João Pessoa, 15 de outubro de 2019

https://www.facebook.com/Paratibeemacao

“Operação Berimbau” – Polícia Civil apreende mais de 65kg de cocaína pura em Nova Veneza

“Operação Berimbau” – Polícia Civil apreende mais de 65 kg de cocaína pura em Nova Veneza

Droga apreendida na “Operação Berimbau”, renderia com o usuário final mais de R$ 6 milhões.

Policiais da Divisão de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Criciúma, prenderam no fim da tarde dessa terça-feira, 24, Ramom Ouriques Laurindo, de 29 anos.

 

Natural de Criciúma, Ramom era professor de capoeira em oito escolas da região e estava sendo monitorado há um mês pelos investigadores.

Nesta terça-feira, saiu de uma das escolas onde trabalhava às 17h45min, foi até sua residência no bairro Jardim Florença em Nova Veneza, tomou um banho, pegou aproximadamente 2kg da droga e foi fazer uma entrega. Ele acabou sendo preso no bairro Santa Luzia em Criciúma.

Em sua residência os policiais encontraram um alçapão no assoalho que dava acesso aos 65,3Kg de cocaína pura, além de outra quantidade de pasta base, que provavelmente seria utilizada para a fabricação de crack.

O professor é considerado pela polícia um distribuidor, ele entregava a droga para o traficante final, este por sua vez, fazia a venda aos usuários.

Conforme o delegado que comandou a operação, Jorge Giraldi, esta é a maior apreensão de cocaína na região. “Era um cara simples, não ostentava, tinha um carro popular. Ele intercalava a entrega das drogas com suas aulas de capoeira em várias escolas da região,” revelou Giraldi.

Prejuízo milionário para o crime organizado

A cocaína apreendida é pura, e cada quilo é comercializado por até R$20 mil. Assim que chegasse no traficante final seria ‘batizada’ e renderia no mínimo o dobro do peso, sendo adquirida pelo usuário por R$50 o grama. Vendido o entorpecente apreendido renderia mais de R$6,5 milhões.

Na operação também foram apreendidos R$6,4 mil em dinheiro e uma carabina de pressão com mira telescópica, além de objetos para pesagem e embalagem da droga.

 

"Operação Berimbau" - Polícia Civil apreende mais de 65kg de cocaína pura em Nova Veneza Notícias - Atualidades Portal Capoeira

 

Nota do Editor: 

Temos de deixar de pensar que este tipo de exposição mancha ou denigre nossa capoeiragem… Isto acontece em todas as esferas da sociedade… Temos de expor e limpar nosso meio… A capoeira é muito mais do que isso e são as pessoas que escolhem o seu caminho. Não é escondendo ou fazendo vista grossa que iremos melhorar nossa cumumidade capoeiristica…

Luciano Milani

 

Por Willians Biehl – portalveneza

Polícia Civil apreende mais de 65kg de cocaína pura em Nova Veneza

Professor de crianças autistas é condenado por abuso sexual infantil

Ele filmava e fotografava estupros de alunos e divulgava imagens na dark web, parte da internet profunda que promete anonimato

Jovem e educado. Morador de um bairro nobre de São Paulo. Indicado por uma psicóloga e referendado pela passagem por uma escola especializada no ensino de crianças com autismo. O professor de música e capoeira Pedro Henrique Barbosa, 33, parecia ser alguém acima de qualquer suspeita.

Era nesta condição que ele ministrava aulas particulares para crianças atípicas em São Paulo, cujas famílias, de classe média alta, abriram suas casas e confiaram em seu trabalho.

Nesta semana, Barbosa foi condenado a 90 anos, 6 meses e 20 dias de prisão pelo estupro de dois alunos. Ele gravava, em foto e vídeo, os abusos e divulgava essas imagens na chamada dark web, espécie de abismo da internet profunda, ou deep web, que promete anonimato e, portanto, concentra atividades criminosas.

O professor de capoeira e música Pedro Henrique Barbosa, condenado por estupro de crianças autistas

Foi a partir do cruzamento e comparação das imagens dos abusos divulgadas por Barbosa na dark web com fotos postadas por ele em seu perfil no Facebook que a Polícia Federal chegou à autoria dos crimes e a suas vítimas. Entre elas, João (nome fictício), 11.

 

Barbosa já estava preso desde outubro do ano passado, quando foi alvo da Operação Mestre Impuro .

 

Advogada experiente, sua mãe, Patrícia (nome fictício), 50, se sentou diante do delegado do caso como se fosse sua primeira vez numa delegacia. Dele, ouviu que seu filho autista havia sido abusado pelo professor.

“Eu surtei. Chorava. Não conseguia levantar da cadeira. Não tinha força física”, lembra ela, que diz ter voltado a si apenas oito horas depois.

Desesperada, ela levou o filho ao pronto-socorro no hospital Albert Einstein para obter um kit profilático para vítimas de violência sexual. Trata-se de um coquetel de medicamentos para prevenir doenças sexualmente transmissíveis.

“Cheguei lá e descobri que eles não tinham protocolo médico para o atendimento de criança abusada. Isso em um dos hospitais mais renomados do país”, diz.

Procurado, o hospital Albert Einstein diz que tem protocolo de atendimento para vítimas de violência sexual.

Patrícia agonizou por 21 dias até ver os resultados de exames de sífilis, Aids e hepatite.

Ao buscar atendimento psicológico para abuso sexual de crianças atípicas, outra decepção.

“Simplesmente não existe! A gente não está nada preparado para a realidade. E a realidade é essa tragédia que eu estou vivendo.”

Ela conta que, desde que seu filho foi diagnosticado como autista aos dois anos, sua casa passou a ser frequentada por um “exército de terapeutas”, que contratava depois de aferir competências e antecedentes criminais.

Barbosa foi indicação de uma psicóloga que fazia a coordenação das terapias de João. “Fiquei culpada porque aceitei a indicação e não fui atrás das informações que geralmente buscava”, admite. “E tento me consolar pensando que, se o tivesse investigado, não encontraria nada porque ele era réu primário.”

Professor de crianças autistas é condenado por abuso sexual infantil Notícias - Atualidades Portal Capoeira

A mãe conta que sempre teve um pé atrás com quem lidava diretamente com João porque a comunicação dele é ruim. “Eu temia os maus-tratos porque a gente ouve relatos sobre crianças autistas que sofrem violência, mesmo em escolas caríssimas”, diz. “Em casa, a porta estava sempre aberta, com alguém de olho.”

Em 2017, dois anos depois das primeiras aulas de Barbosa, o professor sugeriu um encontro semanal na praça da vizinhança, para que João interagisse com outras crianças. A mãe consentiu.

“Vimos que estava tudo bem e baixamos a guarda. Foi nosso maior erro”, lamenta.

O professor era vizinho do local e levava João para sua casa às escondidas. Era lá que os abusos ocorriam.

“Não tenho como não sentir culpa. Até isso acontecer, minha maior preocupação era como meu filho ficaria depois que eu morresse. Depois disso, passei a pensar: ‘de que adianta eu estar viva se uma coisa dessas aconteceu debaixo do meu nariz?’.”

Em retrospecto, Patrícia percebe que João deu os sinais que pôde para indicar que havia algo errado.
“Ele começou a ficar nervoso e irritadiço. Gritava muito e se agredia”, conta ela, que o levou ao médico e recebeu a indicação de aumento na dosagem de antidepressivo.

“Eu silenciei a reação dele, e isso me corrói. Mas sou apenas a mãe de um menino atípico. Como é que nenhum dos terapeutas ou médicos levantou outras hipóteses para aquela alteração?”, revolta-se.

Segundo especialistas, entre os sinais apresentados por crianças abusadas, a mudança repentina de comportamento é o principal.

“Claro que você pensa que esse tipo de coisa não acontece com a sua família. E eu descobri que acontece com todo mundo, que é sempre alguém próximo, em geral familiar. E que o que as pessoas fazem é jogar pra debaixo do tapete.”

Patrícia diz que a condenação não lhe trouxe satisfação. “Só fez voltar a raiva. Ainda que seja bom saber que ele está atrás das grades, me dá medo imaginar que, em 30 anos, ele estará de volta às ruas e poderá fazer novas vítimas.”

Fernanda Mena – Folha de São Paulo – https://www1.folha.uol.com.br