Blog

Abril 2006

Vendo Artigos de: Abril , 2006

São Paulo – Mestre Ananias, 81 anos, patrimônio vivo da capoeira

Mestre Ananias é o pai da capoeira paulistana, um dos mais importantes mestres em atividade no país. Baiano de São Félix herda a ancestralidade africana, um conjunto completo de valores expressados pelo tripé da cultura popular, a capoeira, o samba de roda e o candomblé. Há mais de 50 anos perpetua esse legado de resistência dos excluídos no capital econômico do país, assimilado em sua terra natal junto aos maiores expoentes da cultura tradicional, Mestres Waldemar, Pastinha, Canjiquinha e muitos outros.
 
Ordem do Mérito Cultural
 
        Para cidadãos e cidadãs que destacam-se na prestação de serviços à Cultura Brasileira.
 
        A Ordem do Mérito Cultural foi instituída pelo Ministério da Cultura, em 1995, por decisão do Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, por meio do Decreto nº 1.711 de 22 de novembro de 1995. Seu objetivo é tornar público o empenho de cidadãos e cidadãs que, de maneira significativa, destacaram-se na prestação de serviços à Cultura Brasileira. As indicações vão até dia 28 de abril.
 
        Estamos indicando o Mestre Ananias para este reconhecimento, capoeiristas e grupos que desejam que o Mestre receba, coloque o nome abaixo e encaminhe para o e-mail rodrigo@uirapurubr.com.br
 
        As indicações vão até dia 28 de abril. Axé
 
 
Rodrigo Bruno Lima
Uirapuru Assessoria Cultural
 
    Ilustração: Mestre Ananias na Praça da República. Ananias, hoje com seus 81 anos de vida, é o mestre em atividade mais antigo do mitiê paulistano. A foto é de autoria de Roberto Bonomi e capa da Revista Expressão, sendo tal revista dedicada aos Mestres Ananias e Paulo Gomes.
 

Mestre Pinatti comemora 76 voltas do mundo

 
O internacionalmente conhecido Mestre Djamir Pinatti, um dos veteranos da capoeira paulistana, comemorou no dia 13 de abril sua 76a. Volta do Mundo.
 
Apesar do aniversário ter sido no dia 13, foi somente ontem, dia 26, que o Terreiro de São Bento Pequeno realizou a festa.
 
Foi uma Roda-festa mais precisamente. Sua roda de aniversário já se tornou tradição na cidade.
 
 
A cada ano que passa mestre Pinatti faz questão de jogar com um número maior de convidados. Neste ano, por completar 76 anos de vida, Pinatti realizou 76 jogos ininterruptos, sendo alguns na base da malandragem, outros na base do jogo mesmo.
 
 
 Por e-mail, mais precisamente de Nova Iorque, recebemos em nossa Redação a solicitação de informações de como adquirir um exemplar do livro que mestre Pinatti está editando. Tão logo a obra "Capoeiras de São Paulo: da gestão federativa a capoeiragem livre como o vento" fique pronta, mestre Pinatti enviará alguns exemplares para serem sorteados entre nossos amigos leitores.
 

 

        Sobre a roda-festa de ontem, segundo nosso correspondente em exercício, Luciano Milani – do Portal Capoeira -, estiveram presentes na São Bento Pequeno os seguintes camaradas: Bugalu & alunos, representando o Mestre Aberrê; Barriga, Coruja, Cói, Carlos Caboclo, algumas "meninas" do Mestre Adelmo, os formados da casa e, é claro, o próprio Milani.
 


 
Mestre Pinatti e Milani
 
Miltinho Astronauta
Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br
2006 – Ano Internacional da Mulher Capoeirista no Jornal do Capoeira

Rio Preto é a primeira colocada em Encontro Estadual de Capoeira

A equipe de capoeiristas da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer conseguiu a primeira colocação no 14º Encontro Estadual de Capoeira em Catanduva.

Os atletas trouxeram à cidade o troféu de 1º lugar na classificação geral da competição. Participaram do evento 32 alunos do Projeto Cidadão, para crianças de 7 a 14 anos. As lutas aconteceram no ginásio de esportes do Gaviolli.

Os atletas rio-pretenses treinam nos núcleos do João Paulo 2º, Planalto e Eldorado. Pelo Projeto Cidadão, desenvolvido pela Prefeitura de Rio Preto, as crianças são atendidas diariamente em horário contrário ao escolar, recebendo alimentação, reforço escolar, atividades culturais, esportivas e musicais.

Participaram da competição atletas de cidades como Frutal, Tabapuã, Matão, Fernandópolis, e outras.

 

Jornal do Capoeira: I Intercâmbio Sócio-Cultural-Esportivo de Capoeiragem ITÁLIA & BRASIL

Nosso grande parceiro e camarada Miltinho Astronauta, publicou no Jornal do Capoeira uma vasta cobertura do evento que aconteceu no Rio de Janeiro, no qual esteve presente.

O Portal Capoeira convida a todos os leitores para conhecer e saber uma pouco mais sobre este importante acontecimento.
Segue parte de uma das várias matérias sobre o tema! No final do artigo voce irá encontrar os links para as demais matérias da série.

Luciano Milani


CAPOEIRAGEM ITÁLIA & BRASIL # 1
 

I Intercâmbio Sócio-Cultural-Esportivo de Capoeiragem ITÁLIA & BRASIL : Visita ao Mestre André Lacé, Leblon, RJ

Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br 
Edição 69 – de 16 a 22 de Abril de 2006
São José dos Campos, São Paulo
Jornal do Capoeira – 16/04/06

 

O economista Edgardo Santaniello, Mestre Coruja, presidente da Federação Italiana de Capoeira, acaba de promover o I Intercâmbio Sócio-Cultural-Esportivo de Capoeira Itália & Brasil. Com pequeno grupo de capoeiras, Mestre Coruja está de 9 a 17 de abril, na Cidade do Rio de Janeiro.

Fomos convidados para a Mesa Redonda, prevista na programação do Intercâmbio e que foi realizada no dia 12 de abril.  Aceitamos e, para tanto, tivemos que enfrentar verdadeira maratona, viajando num dia e voltando no outro. A "delegação" de São Paulo inicialmente contaria com a presença dos Mestres Pinatti e Valdenor, presidente da Federação Paulista de Capoeira, entretanto, na tradicional  e mandingueira "volta que o mundo dá e volta que o mundo deu", presos a compromissos inadiáveis, os dois mestres tiveram que declinar do convite.  Alberto de Carvalho Pereira Sobrinho, ou simplesmente Alberto de Bauru, gerenciador do grupo de discussão virtual Capoeira-CBC, em boa hora, resolveu nos acompanhar no "safári".

O esforço, adianto logo, valeu a pena. Claro que houve, como sempre tem havido (parece ser a sina das reuniões capoeirísticas) algum improvisos gerenciais, mas houve, também, excelentes surpresas e avanços substanciais.

Sobre essa Mesa Redonda escreveremos em outro artigo ainda nesta edição. Mas, de saída, contrariando a natural lógica cronológica, começaremos pelo final. Ou seja, a visita de algumas boas horas ao "quilombo" residencial do jornalista, escritor, mestre em administração e de capoeira André Luiz Lacé Lopes.

Sabíamos que grande parte do evento tinha contado, embora informalmente, com a sua experiência, sabíamos também que André Lacé não estaria presente em nenhum momento, por isso mesmo, ainda em São Paulo tratamos de agendar com ele um almoço no dia 13, o "day after" da Mesa Redonda.

Na Rio-São Paulo telefonamos para confirmar e combinar detalhes e Mestre André Lacé, lamentando a ausência dos Mestres Pinatti e Valdenor, confirmou o combinado e estendeu o convite para almoço em sua casa ao Alberto de Bauru.   E assim aconteceu, no dia seguinte, por volta das 11 horas estávamos adentrando o seu confortável e marcante apartamento no novelesco bairro do Leblon.  Passamos, "de passagem", pelo salão principal, com piano, violão, mesas de bar e muitos quadros em uma das paredes (inclusive, é claro, um sobre Capoeira, assinado pelo genial e saudoso Redi),  e nos instalamos na sala ao lado, ainda mais especial, com complexo aparato de som, tv, projetos de slides, dvd e, no canto, uma senhora adega comandada e trancada a sete chaves pela simpática Dra. Arly, sua esposa.

O casal Arly & Lacé, ladeados por dois turistas paulistas

Daí para frente, Alberto de Bauru, é testemunha, participamos de uma apresentação indescritível, com o foco maior, obviamente, na Capoeiragem.  A rigor, entretanto, falou-se sobre tudo, da cultura popular brasileira à cultura popular do mundo, passando pelo Candombe no Uruguai, pelas culturas afro-brasileiras (Kitábu, de Nei Lopes!), pela cultura afro-americana  (jazz, blue note, uncle tom …) e muito mais. Tudo entremeado com pequenas preleções sobre vinhos (Dona Arly), charutos, ópera e, evidentemente, reflexões sobre o custo de vida, os governos e a Ética no Mundo em Geral e dentro da Capoeira.


Leia Mais:

CAPOEIRAGEM ITÁLIA & BRASIL # 1
CAPOEIRAGEM ITÁLIA & BRASIL # 2
CAPOEIRAGEM ITÁLIA & BRASIL # 3
CAPOEIRAGEM ITÁLIA & BRASIL # 4

 www.capoeira.jex.com.br

 

Santa Catarina: “Projeto Volta Ao Mundo”

Com o objetivo de contribuir para a construção da autodeterminação positiva de nossos valores culturais e sociais como um todo, já está funcionando numa sala do segundo piso (1º. andar) da Arena Multi-uso Antônio “Neco” Heil a etapa inicial do “Projeto Volta Ao Mundo”, que pretende abrigar no mesmo local inicialmente a prática do jogo da Capoeira e mais adiante também um acervo multimídia com documentação escrita, fotográfica, fonográfica e videográfica sobre a Capoeira e assuntos correlatos como história do Brasil, cultura negra, música, cidadania, infância e adolescência, etc. Estes trabalhos pretendem contribuir para tornar a cidade de Brusque conhecida também como importante referência na pesquisa e documentação sobre Capoeira
 

   A criação do Centro Catarinense de Consulta E Capacitação Em Capoeira é uma iniciativa bastante audaciosa, pois prevê uma programação contínua de mostra de vídeos, debates, shows culturais, oficinas de percussão e de instrumentos, exposições artísticas, campanhas solidárias, apresentações, intercâmbios culturais, etc. Segundo o coordenador do Projeto, o professor de Educação Física Marcelo Backes Navarro Stotz, conhecido nas rodas de Capoeira como mestre K.B.Lera, “Esse projeto é o resultado do esforço para garantir a continuidade das turmas de aprendizado de Capoeira iniciadas durante o “Projeto Iniciação à Capoeira” (realizado nas escolas de ensino fundamental de Brusque durante os anos de 1998 a 2005). Esse projeto, PIá Capoeira, em novembro do ano passado foi agraciado com uma menção honrosa de destaque entre centenas de outras iniciativas de cunho social, vindas de todas as partes do globo e reunidas num encontro mundial de agentes culturais na cidade de Trento, na Itália”.
 

 

   Para freqüentar as aulas e participar das demais atividades não há cobrança de mensalidades, apenas uma taxa única de R$10,00 reais para receber a carteira de identificação de aluno-capoeirista, válida como matrícula para o primeiro semestre de 2006 (até agosto). O valor da inscrição é usado para a manutenção básica da infra-estrutura do local (material de divulgação, limpeza, correio, ampliação do acervo, instrumentos, etc.).

 

   O Centro Catarinense de Consulta E Capacitação Em Capoeira oferece aulas nos seguintes horários: Matutino: segundas e quartas feiras das 09h00min às 10h15min horas. Vespertino: segundas, quartas e sextas feiras das 16h00min às 17h15min horas. Noturno: segundas e quartas feiras, duas sessões: das 20h00min às 21h15min horas e das 22h15min às 23h30min horas; e às sextas feiras, das 20h00min às 22h30min. Maiores informações diretamente com o professor Marcelo (mestre K.B. Lera) no telefone 9909-4513.
 

   O projeto "Volta Ao Mundo" também estabeleceu uma parceria com a UNIFEBE e oferece aulas gratuitas aos interessados às terças e quintas feiras, das 21h50min até às 22h50min, no ginásio do Colégio Potencial, no bairro Jardim Maluche.

Bauru – SP: Workshop de Capoeira, com o Grupo Cordão de Ouro

 Workshop de capoeira neste mês
 
Nos dias 29 e 30 de abril Botucatu vai sediar o Workshop de Capoeira, com o Grupo Cordão de Ouro. O evento tem apoio da Prefeitura Municipal, através das secretarias de comunicação, turismo, esportes e cultura, e será realizado na Estância Jacutinga.

O Workshop está incluído na agenda de eventos da Secretaria de Cultura do mês de abril, e tem por objetivos principais a valorização e expansão desta modalidade cultural e esportiva no contexto da cidade de Botucatu.

As aulas serão de duas modalidades de capoeira praticadas no nosso município: regional e de angola. Durante os dois dias serão ministradas também aulas de Maculelê, dança afro-brasileira conhecida nas rodas de capoeira.

Durante o curso serão realizadas, ainda, aulas de execução dos seguintes instrumentos musicais utilizados nas apresentações: atabaque, pandeiro e berimbau, sob a supervisão dos instrutores Pinóquio, Curiango, Chaves e Rodrigo.

Grupo – O Grupo de Capoeira Cordão de Ouro atua em Botucatu há vários anos, e está em todo o território brasileiro através de suas representações. Está em vários países, não só com a capoeira mas também com a divulgação da cultura brasileira em geral. “Da Polônia veio para Botucatu há 8 meses um aluno, com objetivo específico de ampliar e aperfeiçoar seus conhecimentos sobre a capoeira. A contrapartida deste intercâmbio é a ida de dois capoeiristas de Botucatu para a Polônia, onde deverão estar por um período de três meses”, informou Giuliana Magalhães, aluna e integrante do Grupo Cordão de Ouro, e que auxilia também na organização do evento.

Evento – Para participar do workshop os interessados deverão fazer reserva junto aos organizadores do evento, e o valor estabelecido é de R$ 25 reais. As vagas são limitadas, e há somente 50 inscrições disponíveis. O evento é aberto não só a conhecedores e praticantes da capoeira, mas a todos os interessados, inclusive crianças. A exigência para eventuais inscrições de crianças é a permanência de um responsável no local, durante os dias de curso.
 

http://www.entrelinhas.com/portal/index.php?CAT=13&DET=7354

Seletiva: Seleção Baruense de Capoeira

Roda de irmãos:
Mestre responsável pela seleção bauruense de capoeira convoca todos os praticantes para seletiva; objetivo é fortalecer a modalidade
 

“A capoeira de Bauru está muito fraca, precisa se reerguer”. A declaração é de Paulo César Ferreira, o Mestre Amaral, o responsável pela seleção da cidade que disputa os Jogos Regionais.

A preparação da equipe que vai para Piracicaba, sede dos Jogos de 2006, começa efetivamente na primeira quinzena de maio. “Vamos realizar uma seletiva e todos os capoeiristas de Bauru estão convidados”, fala Mestre Amaral.

E ele faz muita questão que o convite seja aceito. “Andaram falando que a seleção de capoeira era uma coisa fechada. Mas não é. Todos os grupos de capoeiristas da cidade podem comparacer”, diz.

O Mestre amplia o convite. “Treinamos no clube Fortaleza todas as quartas-feiras, às 20h. É só ir e treinar com a equipe”.

O responsável pela modalidade acredita que a união de todos os diferentes grupos de capoeiristas ajudaria a levantar o esporte. “Tem muito capoeirista na cidade que só pratica o esporte para sair por aí brigando na rua. Isso denegriu muito a imagem da capoeira em Bauru. Precisamos recuperar nosso prestígio”, afirma, “explicando” o porquê da necessidade de se reerguer.

Se a curto prazo a maior participação de todos na montagem da seleção bauruense será um caminho, a longo prazo existe um projeto ambicioso.

O capoeirista Alberto de Carvalho Pereira Sobrinho, um dos técnicos da equipe bauruense, tem a intenção de construir um centro especializado na modalidade.

“Seria uma espécie de casa da capoeira. O local pretendido é próximo ao Camélias. O projeto custaria R$ 100 mil. Faria isso com dinheiro do meu próprio bolso”, fala. O som do berimbau pode ecoar mais alto em Bauru.
 

http://www.bomdiabauru.com.br/index.asp?jbd=3&id=84&mat=24855

Rio de Janeiro: I Intercâmbio Brasil/Itália de Capoeira

I Intercâmbio Brasil/Itália de Capoeira que está se realizando aqui no Rio de Janeiro.
 
Temos tido vários eventos onde nos confraternizamos  com o Presidente da Federação Nacional da Itália, Mestre Coruja, e sua delegação.
Realizamos como surpresa, uma Grande Roda de Capoeira em sua chegada ao Aeroporto Tom Jobim no sábado dia 08/05/06.
 
Nos outros dias levamos o Presidente da Federação Italiana de Capoeira e sua delegação, para participar de uma Grande Roda n de Capoeira de Angola no Quilombo do Mestre Arerê, situado no Circo Voador nos Arcos da Lapa, em uma Gravação de um CD comemorativo Brasil/Itália na Fundação Progresso, e sessões de filmes (Mestre Bimba Capoeira Iluminada), e no próximo dia 15 – sábado faremos uma Grande Roda nas Pedras do Arpoador em despedida da delegação Italiana constando com todos os grupos de capoeira do Rio de Janeiro dàs 10 às 13 horas.
 
Ontem tivemos uma Teleconferência com a participação de todos os países da Europa (via satélite) no CONI – Comitê Olímpico Nacional da Itália, com a participação de seu Presidente Srº Alfredo Apicella e os Mestres:
Mestre Celso, Mestre Genaro, Mestre Mendonça, Mestre Zé maria, Mestre Mintirinha, Mestre Zudo, Mestre Teco, Mestre Régis, Mestre Palhaço, Mestre Berg, Mestre Camurça, Mestra Cigana, Mestre Chico, representando a Organização Mundial dos Esportes seu Presidente Mestre Onça Preta, o Chefe do Gabinete da Prefeitura do Estado do Rio de Janeiro , o representante do Sindicato dos Capoeiristas do Estado do Rio de Janeiro Mestre Bonfim, o Presidente da Federação Internacional e Nacional de Capoeira Srº Edgardo Santaniello (Mestre Coruja) e eu Mestre Baiano.
 
Tivemos um debate de alto nível onde discutimos como tema principal "O Desenvolvimento da Capoeira na Europa" e os Projetos "Centro de Memória e "Atlas da Capoeiragem", ou seja,  a importância de registrar e preservar a Memória da Arte Afro-Brasileira da Capoeiragem.
Os Mestres acima citados se comprometeram dar continuidade a esse trabalho, unindo todo o material existente para ser digitalizado (reportagens, matérias, filmagens, depoimentos, etc.)

É de suma importância a divulgação deste sério evento para que o mundo capoeiristico veja como os países da Europa estam se organizando e apoiando um trabalho para resgatar a capoeira e trabalhando para montar um forte laço entre os dois países.

 

Mestre Baiano/RJ

A CAPOEIRA ESTÁ EM FESTA, É ANIVERSÁRIO DE MESTRE PINATTI

Para comemorar o aniversário deste Gigante da Capoeira Paulista, um dos principais precursores da capoeiragem na terra da Garoa, o Portal Capoeira separou dois textos:

O Primeiro de autoria de Marta Sales, onde o Mestre é homenageado e o segundo de Autoria de Miltinho Astronauta onde o autor nos leva a decada de 60 e conta um pouco da história da criação da famosa "Academia de Capoeira Regional de Elite de São Paulo" e dos treinos de Pinatti e Suassuna no fundo do quintal da Familia Pinatti.

Um grande abraço meu Amigo Djamir, muita saúde e capoeira e que venham mais e mais voltas ao mundo…. Um dos meus maiores prazeres nesta viagem de férias ao Brasil é poder estar com o senhor e dar este abraço pessoalmente…
Luciano Milani

A CAPOEIRA ESTÁ EM FESTA, É ANIVERSÁRIO DE MESTRE PINATTI

Queremos registrar o aniversário de um dos mais conceituados e respeitados Mestres de Capoeira e aproveitar para desejar muita paz, saúde e muitos anos de vida e de Capoeira. Que Deus lhe abencoe Mestre e muito obrigado por toda a contribuição que o senhor deu e ainda está dando para esta arte. Feliz aqueles que lhe tem como orientador, amigo, companheiro e pode desfrutar de sua presença. Seja Feliz, o senhor merece tudo de bom, que a sua postura sirva de exemplo para todos os capoeiristas deste maravilhoso planeta terra.

Marta Sales – Portugal


CA P O E I R A G E M – Da "Volta do Mundo" no fundo de um quintal paulista à  "Volta ao Mundo de Meu Deus"
"O que é isto meu amor
Venha me dizer
Isto é Fundo de Quintal
É pagode (Capoeira?) pra valer"
 
Assim seria a versão de um dos sambas da grande compositora mangueirense (Grêmio Recreativo Estação Primeira da Mangueira, Rio de Janeiro) Leci Brandão (foto, à direita) , caso tivesse passado pela Rua Comendador João Gabriel, 56-fundos, Bairro Mirandópolis, no ano de 1965, São Paulo.
 
Acontece que naquele endereço, mais precisamente no quintal, a céu aberto da casa de dona Alice Furtado Pinat (Mãe de Mestre Pinatti), estava se formando um dos primeiros grupos de Capoeira paulista.
 
Tratava-se na verdade de um espaço cedido pela família dos Pinatti – tradicional família italiana que veio da região de Ribeirão Preto para a capital paulista " para que um de seus filhos, o Djamir, juntamente com seu novo amigo Reinaldo, fundasse a "Academia de Capoeira Regional de Elite de São Paulo".
Mestre Pinatti " ou mais precisamente Pinat " guarda com carinho uma carteirinha remanescente daquela época, sendo que a mesma ilustrará o livro que ele está escrevendo sobre a Capoeira Paulista. Conhecendo-o bem, como estou aprendendo a faze-lo, certamente o título deverá ser algo como "Capoeira Paulista " do Fundo do Quintal ao Fundo da Alma".
 
No seu livro, de maneira emocionada, Pinatti começa contando como foi sua iniciação na Arte da Capoeiragem. Com detalhes preciosos que vão surpreender o mundo, como, por exemplo, a o perfil do seu primeiro parceiro na ousada empreitada, um jovem chamado Reinaldo, de sobrenome Ramos Suassuna, hoje, mundialmente conhecido como Mestre Suassuna.
Na ocasião Pinat trabalhava em um banco, e convenceu a família a permitir que alguns amigos se reunissem, duas ou três vezes por semana, para aprender, com eles, as artimanhas da Capoeiragem.
 
Suassuna, de maneira apaixonada, era o responsável por grande parte dos treinos. Estivesse frio ou calor, lá estava ele e os alunos treinando e se aperfeiçoando na rasteira, na cabeçada, no aú e na armada. Exímio jogador e também grande na cantoria.
 
Até em dia de chuva, lá no quintal, estavam os intrépidos capoeiras. Para não perder tempo, eles se protegiam na entrada de uma das portas da casa, onde, numa parte coberta tinha um tanque de lavar roupa, e ali ensaiavam toques de berimbau e pandeiro e ensaiavam cantos de capoeira. Cessando a chuva a roda recomeçava.
Vez ou outra, apareciam convidados especiais, grandes capoeiras como Paulo Gomes, Paulão, Marcão, Lopes, Brasília, Zé de Mola e outros. Nomes que, diga-se de passagem, merecem também um espaço próprio.
 
Em outras ocasiões, parte do grupo, normalmente sob o comando de Suassuna e do próprio Pinatti, caiam para as bandas do Brás (Rua Bresser), onde iam visitar a "academia" do Mestre Zé de Freitas, ou então testavam suas capoeiras na academia do Mestre Waldemar Alfaiate " vindo do Rio de Janeiro, com academia na Rua Bela Cintra, Bairro do Bexiga.
 
Mestre Zé de Freitas, aliás, que hoje vive em Alagoinha, na Bahia, é um dos pioneiros da Capoeira em solo paulista e merece ser devidamente entrevistado, tendo seus depoimentos documentados para que parte da Memória da Capoeira Paulista não se perca com o tempo. Chegaremos lá.
Este "modelo de treinamento", registre-se, não é, nem foi exclusividade paulista. A bem da verdade, esses tipos de treinos aconteciam bem antes da era das Academias de Capoeira. O uso de locais improvisados para treino e rodas foi comum nos tempos antigos. Senão, vejamos.
Mestre Waldemar da Liberdade tinha seu Barracão de Capoeira Angola (década dos 50), onde mestres como Nagé, Traira e o próprio João Grande vadiavam nos finais de semana, mormente nos dias de domingo e dias santos.
 
Antes disso, no Rio de Janeiro, o saudoso Mestre Sinhô (o paulista-carioca Agenor Sampaio), natural de Santos, conhecido também, simplesmente como Sinhozinho, formava alguns campeões em diversas modalidades de luta e/ou esportiva.
André Lace, em seu livro "Capoeiragem no Rio Antigo" (2002) relata que, nos idos de 1930, Sinhozinho preparava seus alunos em um terreno baldio, improvisando equipamentos de forma simples e engenhosa. Por exemplo, um cabo de vassoura com um sapatão acoplado na base transforma-se em perfeito equipamento para se treinar e aperfeiçoar as entradas e saídas das rasteiras.
 
O mesmo livro, registra a importância do livro de Zuma Burlamaqui (1928), o confronto do campista Cyríaco Macaco Velho (1909) , e o misterioso livro de ODC (1907)
Voltando à atualidade paulista, dia desses, Suassuna e Pinatti, ambos consagrados pela excelência de seus trabalhos e pelas incessantes lutas pela causa Capoeira, tiveram um encontro inesperado no saguão do aeroporto de Guarulhos. Suassuna estava regressando de Israel. Pinatti indo para uma de suas freqüentes viagens internacionais, talvez Amsterdã.
 
Mestre Pinatti, em tom emocionado, comenta ao colega das antigas: "Suassuna, você já parou para pensar que daquele quintal da… você e eu alcançamos fama e glória com nossa Capoeira?".
E mais ainda, que se imortalizariam na História da Capoeira Paulista!