Blog

curso

Vendo Artigos etiquetados em: curso

Curso gratuito de Formação Continuada de Capoeira no Cepeusp

Curso gratuito de Formação Continuada de Capoeira no Cepeusp

Estão abertas as inscrições para o II Curso de Formação Continuada de Capoeira do Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp), que será realizado nos dias 11 e 12 de fevereiro. Nesta edição, o tema central será a musicalidade na Capoeira: estratégias de ensino, ritualística e construção de instrumentos. Haverá oficinas, atividade com Instituto Tambor e roda de saberes.

O curso de Formação Continuada de Capoeira é um evento de formação, capacitação e atualização. Destina-se a profissionais e praticantes de Capoeira que buscam continuamente melhorar sua prática de ensino para poderem auxiliar na transformação dos praticantes, através do ensino empoderador e atualizado. O tema Musicalidade da Capoeira na Aquisição de Bem-Estar e Qualidade de Vida será abordado por Mestres renomados, aptos para contribuir com a melhora de sua percepção deste artifício tão importante durante a prática da Capoeira.

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pela internet até o dia 4 de março. O Centro de Práticas Esportivas da USP fica na Praça 2, Prof. Rubião Meira, 61, Cidade Universitária, em São Paulo.

 

 

Programa

Sábado – 11/03/2017

9:00 – 12:00 – Workshop: Professora Ana Paula Guimarães
Técnicas Vocais: Ferramentas para o ensino e melhora da Musicalidade da Capoeira.
(Aquecimento, respiração, ritmo, afinação e possibilidades do canto coral).
12:00 – 13:30 – Almoço – (Haverá almoço no restaurante do CEPEUSP, não incluído no valor da inscrição)
13:30 – 16:00 – Aula: Mestre Piter – Grupo Ninga-SP
A Orquestra de Berimbaus do Nzinga: Estratégias diferentes de ensino da musicalidade às novas e antigas gerações de alunos.
(Explorando Ritmos e variações).
16:00 – 16:30 – Coffee Break
16:30 – 17:30 – Oficina de Instrumentos: Mestre Artesão Luiz Poeira – Instituto Tambor-SP
O Processo de Construção dos Instrumentos de Capoeira e o Trabalho e Importância do Artesão em nossa Arte.
17:30 – 20:00 – Curso: Mestre Moraes – Grupo de Capoeira Angola Pelourinho-Salvador-BA
Ritualística e Fundamento da Musicalidade na Capoeira Angola.

Domingo – 12/03/2017

8:00 – 13:00 – Oficinas Simultâneas:
Contra Mestre Rafael Dia Lemba – Mbuntu-SP;
Capoeira e Musicalidade: O Antigo através da Visão da Nova Geração.

Professor Caverna – Escola de Capoeira Regional Filhos de Bimba/Fundação Mestre Bimba -SP (Discípulo de Mestre Nenel, Filho do Mestre Bimba);
Ritualística e Fundamento da Musicalidade na Capoeira Regional Tradicional: Ensino da Musicalidade na Regional de Mestre Bimba.

Minhoca – Casa Mestre Ananias
A Musicalidade e Linguagem Antiga e Popular da Capoeira: De Cachoeira-BA à Praça da República-SP – Viva Mestre Ananias!

8:00 – 9:30 – Oficina 1
Turma A – CM Rafael
Turma B – Prof Caverna
Turma C – Minhoca

9:30 – 11:00 – Oficina 2
Turma A – Minhoca
Turma B – CM Rafael
Turma C – Prof Caverna

11:00 – 12:30 – Oficina 3
Turma A – Prof Caverna
Turma B – Minhoca
Turma C – CM Rafael

12:30 – 14:00 – Almoço
14:00 – 15:30 – Roda de Saberes: O Canto e a Musicalidade na Visão do Mestre Pernalonga.
15:30 – 16:30 – Roda de Capoeira e Encerramento: Sob Comando do Mestre Pernalonga e dos Convidados.

Obrigatório trazer instrumento de Capoeira para participar dos Cursos. Instrumentos podem ser adquiridos com os artesãos/participantes do Evento (desde que solicitado com antecipação).

it-680x254Apoio Cultural Instituto Tambor   

Fonte: http://www.usp.br/

Fortaleza: Guardas Municipais recebem aulas de capoeira e técnicas de defesa pessoal

Aumentar a sensação de segurança da população nos equipamentos públicos municipais. Com esse objetivo, a Secretaria Municipal de Segurança Cidadã (Sesec) ministra aulas com técnicas de defesa pessoal para as guardas municipais. O curso, Defesa Pessoal com Manuseio de Tonfa para Mulheres, receberá a Escola de Capoeira Fortaleza, nesta sexta-feira (19), das 9h30 às 11 horas. O encontro ocorrerá no jardim da instituição.

A aula contará com a participação de 15 integrantes da Escola de Capoeira Fortaleza. Atabaque, berimbau e pandeiro farão a percussão e emprestarão ritmo ao encontro. Márcio Wagner Mesquita de Paulo, contra-mestre da Escola, explica que a Capoeira aumenta a autoconfiança, o equilíbrio, a coordenação motora e a agilidade na resposta a ataques. “As técnicas reúnem golpes como Vingativa, Tesoura, Pisão e Martelo, que são muito eficientes para serem aplicados por mulheres, por serem contundentes e atingirem diversos pontos do corpo, em uma luta”, ressalta Wagner, conhecido na capoeira como Tropeço.

Cerca de 30 mulheres, incluindo integrantes de Guardas Municipais da Região Metropolitana de Fortaleza, participam do curso, que ocorre de 15 de julho a 9 de agosto, às segundas, quartas e sextas-feiras. As aulas incluem, além da Capoeira, técnicas de imobilização com a tonfa (cassetete), Muay Thai, Judô, Krav Magá, Luta Olímpica, Karatê e Hapkido. A coordenadora do curso, Denice Braga, é guarda municipal, faixa preta em Hapkido e instrutora Nível 2 de tonfa.

 

http://www.fortaleza.ce.gov.br

“MUSICAPOEIRA” – consciência musical para capoeiristas

O que é?

Capoeira é Musica em Movimento. O curso de MUSICAPOEIRA se baseia nessa premissa e cria condições para o desenvolvimento da consciência musical para capoeiristas, possibilitando assim o aumento da conexão ritmo-jogo.
A partir de exercicios e dinâmicas corporais em grupo, o curso de Musicapoeira fornece ferramentas para que cada um consiga reconhecer e superar suas dificuldades, mensurar seus conhecimentos e aprimorar sua performance assim como as rodas em que participa, construindo um instrumental prático e teórico para aprendizagem autônoma.

Como?

A partir de exercicios de canto,  toque e jogo que necessitam de pouquíssima experiênica musical, democratizando o conhecimento e permitindo a evolução invdividualizada, tanto de principiantes quanto de professores. O estudo de discos e videos clássicos de Mestres como Pastinha, Bimba e Caiçara é feito em profundidade, utilizando como suporte teórico as notações corporais e escritas do renomado método de educação musical “O Passo”.

{youtube}rbdlAiyEWdA{/youtube}

Quem?

Ferradura é capoeirista formado pela Escola de Capoeira Angola do Mestre Marrom e desenvolve o Projeto Brincadeira de Angola, referência em Educação Infantil. O curso de Musicapoeira foi criado a partir da experiência do autor com o circo-teatro, a dança e a música.

Faculdade Zumbi dos Palmares: primeira Faculdade de inclusão do negro da América Latina

A Faculdade Zumbi dos Palmares é mantida pelo Instituto Afro-brasileiro de Ensino Superior com sede à Av. Santos Dumont, 843, Ponte Pequena, na cidade de São Paulo, no Estado de São Paulo.

Zumbi dos Palmares: primeira Faculdade de inclusão do negro da América Latina – Criada pela Organização Não-Governamental AFROBRAS – Sociedade Afrobrasileira de Desenvolvimento Sócio Cultural. O mantenedor, o Instituto Afrobrasileiro de Ensino Superior, inaugurou em 2003, na cidade de São Paulo, as atividades da Faculdade Zumbi dos Palmares, oferecendo o Curso Superior de Administração.

Esta foi a primeira fase do Projeto Global que tem como fundamentos a inclusão do negro no ensino superior do país, a produção e a difusão dos valores da cidadania e, em especial, do respeito à diversidade e da equalização de oportunidades sociais. É uma proposta nova de inclusão das classes menos favorecidas no ensino superior e, neste perfil, é a primeira da história do Brasil e da América Latina.

Como nasceu – Desenvolvida ao longo de quatro anos, em parceria com o Núcleo de Políticas e Estratégias da Universidade de São Paulo e Universidade Metodista de Piracicaba, a Faculdade Zumbi dos Palmares nasceu como um dos vários projetos da AFROBRAS com a finalidade de valorizar, qualificar, capacitar, formar, informar e dar visibilidade ao negro paulista e brasileiro.

Vanguardismo – A Faculdade Zumbi dos Palmares é a primeira faculdade do Brasil e da América Latina que visa à inclusão e manutenção do negro no ensino superior do País, e, com este perfil, uma das poucas no mundo. Conta atualmente com cerca de 1.800 jovens cursando o ensino superior de Administração, Direito, Pedagogia, Publicidade e Propaganda e Tecnólogo em Transportes Terrestre. Embora 50% de suas vagas sejam reservadas para negros, estes preenchem 87,3% das mesmas.

Inovação – A Faculdade Zumbi dos Palmares é uma instituição de excelência, preocupada com a formação humanística e técnica do seu corpo discente e oferece apoio ao estudante em diversas áreas de nivelamento, como Laboratório de Reforço Extracurricular nas matérias: português, matemática, inglês e informática; Núcleo de Apoio e Assistência Social e Psicológica; Orientação Vocacional e Profissional, além da oportunidade de aprender música, dança e arte afro-brasileiras.

Transversalidade – Em seu currículo, a Faculdade Zumbi dos Palmares apresenta o seu grande diferencial – a transversalidade focada na história, cultura e economia do negro no Brasil, considerando suas raízes africanas nas disciplinas do núcleo básico, como nas Oficinas de Comunicação e Expressão, onde se estudam textos de autores e temática negra; em Economia, com as disciplinas História Econômica do Negro no Brasil e Cenários Econômicos Contemporâneos do Mercado Afro-Étnico no Brasil; em Sociologia, com discussão das relações inter-raciais e de classe; no Direito, a Justiça e a Igualdade; e na Filosofia, a Ética, a Isonomia e a Equidade.

Qualificação para o mercado – O aluno da Faculdade Zumbi dos Palmares tem a oportunidade de imersão em um treinamento prático através dos intercâmbios firmados entre a instituição e várias empresas; cursos de Capacitação e Qualificação pessoal e profissional, além do acesso a estágios remunerados em programas de convênios com instituições privadas.

Qualificação em Língua Inglesa – A Faculdade Zumbi dos Palmares oferece o acesso e capacitação na língua inglesa. Os alunos contam com aula do idioma desde o primeiro ano, na própria faculdade, adequada ao projeto pedagógico, além de curso extra curriculares dados por professores super capacitados e experientes na língua inglesa.

Estágios e os Parceiros – Paralelamente à formação acadêmica, os alunos da Faculdade Zumbi dos Palmares estão sendo preparados para o mercado de trabalho, através de treinamento realizado em parcerias com empresas e instituições financeiras. Atualmente, 85% dos alunos da faculdade estão no mercado de trabalho. Entre os principais parceiros figuram: Bradesco, Itaú-Unibanco, HSBC, Nestlé, Citibank, Santander, Mercedes Benz, Ford, entre outros. Atualmente 30% dos alunos da Faculdade Zumbi dos Palmares estão contratados como Executivos Juniores nos Bancos Bradesco, Itaú, Santander e Citibank.

Ação Institucional – O eixo da ação Institucional da Faculdade é despertar nos alunos a consciência do direito à vida em sua plenitude. Para tal, não importa a cor ou a raça, vale o ser humano. Nesta direção, a Faculdade Zumbi dos Palmares trata abertamente, através de projetos e do elenco das disciplinas da grade curricular, a cidadania, a ética, os direitos e deveres do homem brasileiro.

“Abordamos não somente a história social do brasileiro, mas também os reflexos da pobreza e de suas causas que incidem sobre toda a população; privilegiamos sim, o homem negro enquanto marcado historicamente por este percurso sustentado por um modelo de exclusão político-social”, afirma o Presidente do Instituto Afrobrasileiro de Ensino Superior, José Vicente.

A Faculdade Zumbi dos Palmares é um divisor de águas na luta pela inclusão social dos negros brasileiros, oferecendo uma oportunidade rara de acesso à educação superior para as classes econômicas menos privilegiadas, e, acima de tudo, a liberdade de escolher uma vida melhor através da luz do conhecimento. Sua missão é garantir acesso à educação superior para um número crescente de negros, 50% dos brasileiros ou 90 milhões de cidadãos que representam apenas entre 11 a 13% da população universitária do País. Quarenta por cento dos Professores, Mestres e Doutores são negros autodeclarados.

Responsabilidade social – A Faculdade Zumbi dos Palmares desenvolve forte trabalho de responsabilidade social, procurando incluir o afro-brasileiro na sociedade através da educação. Os principais projetos desta área são:

A. Centro de Inclusão Digital – Atende o aluno da Faculdade no período noturno e a comunidade da região nos períodos da manhã e tarde. Em parceria com a Fundação Bradesco.

B. Alfabetização de Jovens e Adultos – Desde 2005, em parceria com o Ministério da Educação (MEC), já alfabetizou mais de 6.000 paulistanos moradores de bairros periféricos, das quatro regiões da cidade.

C. CEDOC – Centro de Documentação da Cultura Afro-Brasileira que tem como objetivo pesquisar, registrar, catalogar e armazenar a história do negro no Brasil e no mundo. Para divulgar este acervo, a Faculdade Zumbi dos Palmares utiliza-se dos seguintes meios:

a. Rádio Zumba, passando por período de re-organização;

b. Revista Afirmativa Plural, de periodicidade bi-mensal, publicada desde 2004;

c. Os sites: www.afrobras.org.brwww.zumbidospalmares.edu.br

d. Programas de TV: Negros em Foco (em três versões – feminina, masculina e jovem) na TV RBI -Rede Brasileira de Integração/Rede Mundial de Televisão. TV Apoio (Brasília) e TV Aberta (NET), além de ser exibido em vários canais espalhados pelo Brasil, como em Santa Catarina, Rezende (RJ), entre outros.

D. Cultura – Para introduzir a inserção de seu público-alvo em ambiente de valorização comunitária, a Faculdade Zumbi dos Palmares manteve:

a. Radio Zumba (2005/2006);

b. Centro de Artes;

c. Núcleo de Capoeira;

d. Núcleo de Danças Samba-Rock;

e. Coral Zumbi dos Palmares;

f. Curso de Alfabetização de Adultos (2004/2006);

g. Pólo Zumbi dos Palmares do Projeto Guri (2005/2008), em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, atendendo cerca de 200 jovens, de 8 a 16 anos, nas qualificações: música, orquestra e coral.

Esportes – Projeto de Inclusão e qualificação esportiva nas modalidades de vôlei, basquete, handebol, judô e capoeira.

Novo Campus: a Consolidação do Projeto – Hoje a Faculdade ocupa uma área total de 15 mil m2, propiciando espaço para salas de aula dirigidas ao empreendedorismo, quadras de esportes, Biblioteca, Centro de Inclusão Digital em parceria com a Fundação Bradesco, amplas áreas de convivência. Este espaço só foi possível graças ao esforço dos parceiros, instituições e mantenedores, que acreditam no projeto.

Primeiro Curso: Administração de Empresas – Em fevereiro de 2004, a Faculdade iniciou o curso de Administração, cuja primeira turma formou-se em 2007. A cerimônia de Colação de Grau aconteceu dia 13 de Março de 2008, com a presença do Presidente da República, Luís Inácio Lula da Silva como Patrono.

Curso de Direito e Tecnólogo em Transportes Terrestre: Em agosto 2007 teve inicio a primeira turma do Curso de Direito, autorizado pelo INEP/MEC e recomendado pela Ordem dos Advogados do Brasil sendo, neste período, o único na cidade de São Paulo a receber esta recomendação. Atualmente o curso já é Reconhecido pelo MEC.

No segundo semestre de 2008, teve inicio a primeira turma do curso Superior Tecnólogo em Transportes Terrestre, autorizado pelo INEP/MEC em 2007.

Hoje conta também com os cursos de Pedagogia e Publicidade e Propaganda, com um viés para o negro e a história da África.

Missão, Objetivos e Metas da Instituição em sua Área de Atuação

A Faculdade Zumbi dos Palmares, com limite territorial circunscrito ao município de São Paulo, no Estado de São Paulo, é um estabelecimento isolado de ensino superior mantido pelo Instituto Afrobrasileiro de Ensino Superior, pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos, com sede e foro em São Paulo, Estado de São Paulo.

A Faculdade Zumbi dos Palmares tem como missão atuar no ensino superior de São Paulo desenvolvendo os aspectos culturais, sociais, econômicos e políticos da sociedade afro-descendente local, regional e nacional, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida. A Instituição nasce com a missão de tornar concretas as ações afirmativas propostas pela Presidência da República e que vêm por fim as desigualdades raciais ainda presentes na sociedade e desta forma possibilitar a maior inserção e interação da população afrodescendente com o meio em que vive.

A Faculdade Zumbi dos Palmares, como instituição educacional, destina-se a promover a educação sob múltiplas formas e graus, a ciência e a cultura geral, e tem por finalidade:

I. Estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo;

II. Formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para a inserção em setores profissionais e para a participação no desenvolvimento da sociedade brasileira, e colaborar na sua formação contínua;

III. Incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura, e, desse modo, desenvolver o entendimento do homem e do meio em que vive;

IV. Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber através do ensino, da publicação ou de outras formas de comunicação;

V. Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar a correspondente concretização, integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cada geração;

VI. Estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os do Brasil e da África, concentrando seu eixo nas questões da afrobrasilidade, além de nas especificidades do momento histórico em que vivemos, nos desafios humanos, econômicos e tecnológicos internacionais, nacionais e regionais;

VII. Prestar serviços especializados à comunidade local e regional, especialmente aos afro-brasileiros, estabelecendo com estes uma relação de reciprocidade; e

VIII. Promover a extensão, aberta à participação da população, visando a difusão das conquistas e benefícios resultantes da criação cultural e da pesquisa científica e tecnológica geradas na Instituição.

A Faculdade Zumbi dos Palmares é a primeira Instituição de Ensino Superior do Brasil que visa à inclusão do negro no ensino superior do país. É uma proposta inédita e consistente para minimizar a questão da dificuldade de inclusão étnico-racial e das classes menos favorecidas no ensino superior.

A Instituição pretende consolidar o acesso e a permanência da população negra no ensino superior, assim como, viabilizar a integração de negros e não-negros em ambiente favorável à discussão da diversidade racial, no contexto da realidade nacional e internacional.

PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL
A Faculdade Zumbi dos Palmares tem como missão, através de seu projeto pedagógico institucional, atuar no ensino superior de São Paulo desenvolvendo os aspectos culturais, sociais, econômicos e políticos da sociedade afrodescendente local, regional e nacional, assim contribuindo para a melhoria da qualidade de vida desta população.

A Faculdade fundamenta-se na constatação de que a educação é a única alavanca para o desenvolvimento nacional, para a inclusão de grupos excluídos e para a realização pessoal. Seu lema é “Sem educação não há liberdade”, ao qual os construtores deste projeto – corpo diretivo, técnico-administrativo, professores e alunos- acrescenta: a educação liberta e a liberdade educa.

O público alvo da Faculdade é o jovem de baixa renda e de exíguo usufruto dos benefícios sociais, com enfoque preferencial no segmento dos afrodescendentes, sem apoiar uma nova forma de intolerância às diferenças. O projeto pedagógico constitui-se em sólida contribuição à formação dos jovens brasileiros, tornando-os capazes de ocupar postos de carreira em corporações nacionais e, dependendo de suas vocações, tornarem-se empresários bem sucedidos.

O projeto pedagógico, não considera apenas a capacitação teórico-científica e técnica oferecida aos alunos, mas também a formação humanística, ética e cidadã. A formação de profissionais capacitados ao exercício das demandas do mercado de trabalho é garantida por corpo docente qualificado, programas formativos adequados, aprendizagem teórica e prática concomitante de forma a habilitar os egressos como agentes multiplicadores dos ideais de equidade entre os homens.

Para cumprir sua missão institucional a Faculdade Zumbi dos Palmares, apóia-se em suas atividades complementares e nos projetos sociais: NÚCLEO DE APOIO PSICOLÓGICO – NAP é encarregado de estudos, pesquisas e difusão do conhecimento na área de Psicologia. Atende cerca de 100 educandos que recebem assistência terapêutica, participam de grupos de estudos e pesquisas, promovem seminários e encontros, com o objetivo de oferecer à comunidade da Zumbi suporte psicopedagógico e social. S

SITEMA DE ACOMPANHAMENTO PARALELO – Programa de recuperação simultâneo ao semestre cursado, destinado aos alunos que apresentam dificuldades de aprendizado ou defasagem de apropriação de conteúdos. Esses alunos devem ser indicados pelos professores para um ou mais módulos nas disciplinas em que já demonstram dificuldade para atingir a média mínima exigida para a aprovação. São oferecidas oficinas de Português, Matemática e Informática.

NÚCLEO DE ESTUDOS E PESQUISAS SOBRE EQÜIDADE RACIAL – NEPER. Objetiva ampliar e aprofundar os estudos e pesquisas que investigam a situação socioeconômica, cultural e de saúde da população negra e assim contribuir para a implementação de projetos que permitam modificar o quadro de discriminação. É responsável pela iniciação científica de alunos e professores.

Também a EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA da Zumbi merece destaque. O programa De volta ao Quilombo pretende estabelecer um elo entre a Faculdade Zumbi dos Palmares e as comunidades remanescentes quilombolas no Estado de São Paulo. Para isto desenvolve ações de âmbito acadêmico, cultural e artístico, proporcionando um elo entre o conhecimento formal e a tradição e herança material e imaterial dos afro-descendentes das comunidades quilombolas. Atividades já realizadas: Visitas técnicas e inventário cultural das comunidades de Ivaporunduva, São Pedro (Iporanga), Camburi, Caçandoca (São Sebastião); Produção de documentação das visitas aos quilombos visitados (projeto em construção); artigos e entrevistas na mídia sobre o projeto. Atividades futuras: formar grupos de trabalhos multidisciplinares envolvendo profissionais e alunos da instituição; efetivar convênios e parcerias com as comunidades quilombolas, agencias financiadoras e instituições públicas e privadas.

PROJETO RONDON – A Faculdade Zumbi dos Palmares tem como proposta um trabalho multidisciplinar com professores e alunos para alcançar uma maior abrangência do trabalho de campo a ser realizado. Desde 2007 alunos e professores da Zumbi participam ininterruptamente do Projeto Rondon visando a capacitação de servidores em gestão pública; gestão de projetos; gestão do Plano Diretor, elaboração de propostas de infra estrutura, Oficinas de Reciclagem, Meio Ambiente e Sustentabilidade, entre outros temas.

O Projeto Pedagógico da Faculdade Zumbi dos Palmares tem os seguintes princípios norteadores:

– Elaborar e executar projetos de ação social e cultural em nível local e regional, incentivando a participação dos professores, alunos e administrativos;

– Empenhar-se em ações visando aumentar o número de convênios, intercâmbios e parcerias técnico-científicas e culturais objetivando manter a instituição em consonância com os variados cenários sociais, econômicos e culturais nacionais e internacionais;

– Estimular, através de todos os meios possíveis, a formação continuada, nos níveis de pós-graduação, especialização e/ou atualização dos docentes de seus quadros;

– Elaborar programas de atualização profissional para todo o pessoal da IES em suas -respectivas áreas de atuação;

– Incentivar os professores e alunos para que se dediquem a pesquisas, definindo em conjunto com a comunidade acadêmica as linhas preferenciais de investigação da Faculdade;

– Elaborar projetos de cursos de pós-graduação e extensão compatíveis com os cursos oferecidos e com as linhas de pesquisa definidas;

– Compatibilizar o programa de iniciação científica às linhas de pesquisa já definida.

Ciclo de Debates “Negras Histórias no Sul da Bahia”

CICLO DE DEBATES: NEGRAS HISTÓRIAS NO SUL DA BAHIA convida

Para a Mesa “HISTÓRIAS DE CAPOEIRAS”


Participantes:

Gissele Raline Fernandes Moura

Graduada em História (UESC) e Mestre em História Social (UFBA)

Paulo Andrade Magalhães Filho

Graduado em Comunicação Social (UFMG), Especialista em Educação e Relações Étnico Raciais (UESC) e Mestre em Ciências Sociais (UFBA)

 

Mediadora:

Luiza Reis

Graduada em História (UESC), Mestre e doutoranda em Estudos Étnicos e Africanos (UFBA), Professora Assistente da UESC

O Ciclo de debates Negras Histórias no Sul da Bahia é um projeto do Grupo de Estudos do Atlântico e da Diáspora Africana (GPEADA), aprovado no Programa Prodocência, e articula professores e estudantes de Pós-Graduação egressos da UESC com discentes do curso de História para discutir uma revisão historiográfica sobre a presença negra no sul da Bahia.

Dia 09.07.2012, segunda feira, no auditório Jorge Amado (UESC), às 9:00h

 

Haverá emissão de certificados!

 

Venha discutir conosco!

Santos: Capoeira Inclusiva

Acontece hoje, grande evento que contará com a graduação de crianças do Grupo Amigo do Lar Pobre, Escola Especial 30 de Julho, portadores de deficiência visual do Lar das Moças Cegas, Escolas PArticulares, fazendo parte da Extensão Comunitária da FEFIS UNIMES.

A capoeira teve origem da necessidade do negro escravo,no Período do Brasil-Colonial em se libertar e buscar uma igualdade social, no decorrer do tempo transformou-se em dança, esporte e hoje é um grande processo educacional que pode oferecer a formação corporal e do caráter dos eeducandos, mais de 150 países desenvolvem a nossa cultura que aqui em Santos conta com uma referência inclusiva, pois tivemos a honra de ministrar curso “Capoeira Para Todos” na USP, durante o Congresso Nacional de Capoeira Escolar. São 16 anos contribuindo para a inclusão e o resgate sócio-cultural brasileiro. Hoje ministramos aula desde aEducação Infantil até o Ensino Superior onde a Capoeira é disciplina do curso de Educação Física da UNIMES, incluindo todos os poprtadores de necessidades especiais.

 

Data: Sexta, 11/11/2011 as 19h pontualmente

Local: FEFIS UNIMES Av Conselheiro Nébias, 536 32283400 – Ginásio 4.º andar

 

Por favor o ingresso são donativos de alimentos ou produtos de higiene para o Grupo Amigo do Lar Pobre, conto com a colaboração de vocês.

 

www.capoeiraescola.com.br

Curso Gênero, Raça e Etnia

Tem início nesta quarta-feira, dia 31 de agosto, o Curso Gênero, Raça e Etnia Para Jornalistas, resultado da colaboração da Federação Nacional dos Jornalistas – Fenaj e ONU Mulheres. Tendo como local o Sindicato dos Bancários, das 18h às 22h, haverá parte teórica e outra prática, com a jornalista Cleidiana Ramos. O mini-curso segue na quinta-feira, no mesmo local e horário. Esta era uma antiga reivindicação do Núcleo de Jornalistas Afrobrasileiros doSindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, que está completando dez anos de existência.

A procura por parte de jornalistas e estudantes de Jornalismo superou a expectativa, criando uma lista de espera. O número de vagas inicialmente previsto de 50 participantes, aumentou para 60 visando atender um universo maior de interessados. A cobertura em tempo real vai estar no portal do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul – www.jornalistas-rs.org.br, no blog do curso – generoracaetniaparajornalistas.wordpress.com, e respectivas redes sociais.

 

A redação fala sobre gênero, raça e etnia: Folha de S. Paulo, Correio Braziliense, CBN, TV Brasil, Rádio Nacional e Grupo RBS

Este material foi gerado para o Curso de Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas. Agradecemos às/aos colegas pelo tempo cedido no meio da correria do trabalho e pela riqueza do debate: Eliane Cantanhede, Jacqueline Saraiva, Jorge Freitas, Luiz Armando Vaz, Mara Régia, Maria Honda, Rosana Hessel, Tereza Cruvinel e Vicente Nunes. A “conversa entre jornalistas” faz parte da metodologia do Curso de Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas, que tem o objetivo de evidenciar os desafios e as possibilidades traçadas por profissionais com atuação em redações de jornal, rádio, TV e internet. A “conversa entre jornalistas” é bastante objetiva e não foge do assunto nem mesmo quando a cobertura de gênero, raça e etnia parece uma questão difícil de responder. Disponível também no www.youtube.com/grejornalistas.

 

Eliane Cantanhede – colunista da Folha de S. Paulo e colaboradora da Globo News

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diária | | Vídeo 3 – mulher no Jornalismo Vídeo 4 – raça e etnia no noticiário

Jacqueline Saraiva – repórter do Correio Web

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diária | | Vídeo 3 – mulher no JornalismoVídeo 4 – mulheres negras no Jornalismo

Jorge Freitas – repórter de Economia do Correio Braziliense

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diária Vídeo 3 – pauta de gênero, raça e etnia |

Mara Régia – jornalista e apresentadora da Rádio Nacional Amazônia

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diária | | Vídeo 3 – mulher no Jornalismo |

Maria Honda – produtora da Rádio CBN

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diáriaVídeo 3 – melhoria da cobertura diária 2Vídeo 4 – povos indígenasVídeo 5 – mulher no jornalismo

Luiz Armando Vaz – radialista e repórter fotográfico do Grupo RBS

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diária |

Rosana Hessel – repórter especial do Correio Braziliense

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 -melhoria da cobertura diária | | Vídeo 3 – papel das mulheres no jornalismo |

Tereza Cruvinel – diretora-presidenta da EBC (Empresa Brasil de Comunicação) | Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diária |

Vicente Nunes – editor de Economia do Correio Braziliense

Vídeo 1 – notíciaVídeo 2 – melhoria da cobertura diária |

TCC: “Ensaio de Capoeira”

“Ensaio de Capoeira” é um documentário que busca a capoera além do esporte.

Ao Longo da história, os capoeiristas passaram de geração em geração o sentido profundo da capoeira e atransmitiram através de suas tradições a importância do pensamento crítico, da reflexão sobre a vida e da luta pelo que se acredita.

O filme da voz à mestres de capoeira e compartilha com o público experiências e reflexões acerca dessa arte.

 

Video enviado por Marcella Nogueira, recém formada em Rádio e TV e que apresentou este Vídeo/Documentário como Trabalho de Conclusão de Curso.

 

{youtube}lLhSR_yk7Lw{/youtube}

Cenarte abre vagas para o 2º semestre

O Centro de Belas Artes de Alagoas (Cenarte), equipamento da Secretaria de Estado da Cultura (Secult) vai iniciar na próxima segunda-feira (04), as matrículas para preencher 390 vagas nos cursos oferecidos pela escola no 2º semestre do ano.

As vagas disponíveis são para os cursos de atabaque, pandeiro, artesanato criativo, sopro, teatro, teoria musical, dança afro, violino, artes plásticas e história da arte. “Nosso objetivo é preencher todas as vagas desses cursos que são gratuitos e ofertados à população alagoana”, destacou o secretário de Estado da Cultura, Osvaldo Viégas.

Para o curso de atabaque estarão disponíveis 50 vagas, já para o de pandeiro serão 40 vagas. Serão 50 vagas para o curso de história da arte, mas os alunos deverão ser maiores que 18 anos. Os maiores de 10 anos poderão aprender sopro ou violino. Para as aulas de sopro estarão disponíveis 25 vagas e 60 vagas para as de violino.

Serão 80 vagas para as aulas de artesanato criativo e 20 para as aulas de artes plásticas, nessas duas turmas os alunos deverão ser maiores de 15 anos. Os maiores de 17 anos poderão participar das aulas de teatro para preencher as 30 vagas disponíveis. As 15 vagas para o curso de teoria musical poderão ser preenchidas com crianças maiores de 12 anos e as 20 vagas do curso de dança afro pelos maiores de 13 anos.

Criado há 27 anos, o Cenarte tem como objetivo promover o acesso aos bens culturais e a prestação de serviços em artes, dança, música e teatro. O secretário Osvaldo Viégas, destaca que como as vagas são limitadas os interessados devem fazer a matrícula com a maior brevidade.

Para se inscrever, os interessados deverão procurar a secretaria do Cenarte, na Rua Pedro Monteiro, no Centro de Maceió, com a cópia e original da carteira de identidade, do CPF, comprovante de residência, certidão de nascimento e uma fotografia 3×4.

Os alunos menores de idade devem estar acompanhados pelos pais ou responsáveis e munidos de cópia da certidão de nascimento e dos documentos de identificação dos adultos. As matriculas serão realizadas na secretaria do Centro até o dia 23 de julho, das 8h às 17h.

Mirella Costa

Secretaria de Estado da Cultura
Assessoria de Comunicação
(82) 8833-9056

Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente – CEDCA
Rua Ladislau Neto, 367, Centro 57.020-010
Maceió-Alagoas Fone/Fax: (82) 3315. 1739 Cel. (82) 8883.7564
cedca_alagoas@hotmail.com/ www.conselhodacrianca.al.gov.br
21º. Ano de aprovação do Estatuto da Criança e do Adolescente

Congresso Mundial de Educação Física FIEP 2011 – Curso de Capoeira Pedagógica

Curso de Capoeira Pedagógica, que iremos ministrar em Janeiro no Congresso Mundial de Educação Física FIEP 2011.

O curso é destinado à profissionais de Educação Física, e de Capoeira, que trabalham ou estão buscando trabalhar com a Capoeira em nível pedagógico, tem a chancela da FIEP – Federação Internacional de Educação Física, e é um grande avanço da nossa Capoeira dentro da Educação, mais especificamente dentro da Educação Física, uma vez que este é o maior congresso de Educação Física da América Latina, e um dos maiores do mundo!

Maiores informações:

O link para acesso à página do evento é o seguinte:

http://www.congressofiep.com/cursos.asp?a=cursosfiep&link=capoeira-pedagogica

EMAIL: castilhafabio@hotmail.com
SITE: www.capoeirapedagogica.com.br

PROF. MS. FÁBIO ANDRÉ CASTILHA
CREF. 8600 – G/PR
INSTRUTOR DE CAPOEIRA DO GRUPO MUZENZA

DOCENTE: Prof. Ms. FÁBIO A. CASTILHA/PR – CREF 008600-G/PR

CURRÍCULO: – Mestre em ciência da Motricidade Humana pela Universidade Castelo Branco (2008); Graduado em Educação Física pelo Centro Universitário Diocesano do Sudoeste do Paraná (2004); Professor de Capoeira Certificado, filiado à Superliga Brasileira de Capoeira e ao Grupo Muzenza de Capoeira, grupo fundado no Rio de Janeiro em 1972 e atualmente esta em todos os Estados do Brasil e em mais de 20 paises; Professor de Educação Física em diversas escolas no Rio de Janeiro (2006/2010 e na cidade de Foz do Iguaçu (2010) nas Séries Iniciais; Coordenador de estágios Internacionais – organização inglesa Travelquest Limited, Delegado Adjunto da FIEP no Paraná. Possui vários anos de experiências no Ensino da Capoeira, em Escolas, Clubes e Academias.

OBJETIVOS:

Apresentar uma proposta de Capoeira Pedagógica, à ser instituída dentro da Educação Regular, que vise o aprimoramento de diversas condutas nos alunos, utilizando a arte da Capoeira como uma ferramenta afim de supri as carências biofísicas, biosociais e biopsíquicas dos alunos.
– Visem o desenvolvimento da Capoeira dentro do contexto escolar, fomentando a interdisciplinariedade, e a interrelação entre instituição “Escola” e arte “Capoeira”
– Apresentar subsídios para o ensino da Capoeira, desde os primeiros níveis, até níveis mais elaborados, para diferentes grupos etários.
– Apresentar e discutir estratégias de trabalho com a Capoeira como oficina extra-curricular, ou como disciplina inserida dentro da proposta pedagógica da escola, ou como mais uma ferramenta para a Educação corporal.

CONTEÚDOS:

1) Capoeira Pedagógica – um breve histórico;
2) Capoeira como educação;
3) Subsídios para implantação de um projeto de Capoeira Pedagógica dentro de instituições e privadas;
4) Estratégias de trabalho: preparação, elaboração e utilização de material didático;
5) Metodologia e planejamento de aulas: propostas de educativos para exercícios gerais e expecíficos em diferentes níveis – teoria e prática; planejamento semanal, bimestral, semestral e anual;
6) A musicalidade dentro da escola – teoria e prática;
7) Organização de eventos de cunho capoeirístico e pedagógico: rodas infantil, apresentações intra e extra escolares, organização de campeonatos, festivais, cerimônias de troca de graduação, etc;
8) O marketing da capoeira – relação professor x aluno x pais.

SITE DE INTERESSE: www.capoeirapedagogica.com.br