Blog

empresa

Vendo Artigos etiquetados em: empresa

adidas apoia evento de capoeira em São Paulo

Empresa é parceira do IV Encontro Zungo Capoeira

Presente em 35 modalidades esportivas, a adidas também contribui para uma das principais manifestações artísticas e esportivas da cultura brasileira, a capoeira. Esse ano, a empresa apoiará a quarta edição do Encontro Zungu Capoeira – “Batendo Tambor”, que acontece de 16 a 19 de setembro, em São Paulo.

Para o evento, a adidas doará os uniformes que serão utilizados durante as apresentações, além de organizar um intercâmbio com a ONG Associação Internacional de Interesses da Humanidade  (AIIH). As crianças da instituição, apoiada pela empresa, conhecerão um pouco mais da cultura e da realidade da capoeira.

“Queremos colaborar com o crescimento e com o desenvolvimento de outros esportes no País. É fundamental estarmos ao lado de uma manifestação tão importante e antiga do Brasil”, afirma Rodrigo Messias, diretor de marketing da divisão esportiva da companhia.

Além do apoio ao evento, a adidas possui produtos específicos para a prática da capoeira como os tênis Mactelo e Escorao. Desenvolvidos para auxiliar na performance dos atletas, os modelos foram criados com o  acompanhamento e supervisão de mestres e capoeiristas. De couro, os tênis possuem alta flexibilidade para auxiliar durante a prática do esporte.

O Encontro Zungu Capoeira desse ano é um grande evento que busca a divulgação e a preservação da arte popular por meio de palestras, cursos, oficinas e rodas abertas ao público. O tema de 2010, Batendo Tambor, sugere como foco principal o ritmo, a musicalidade da cultura afrobrasileira e as danças populares.

Nessa edição estarão presentes consagrados mestres do esporte, historiadores, pesquisadores e capoeiristas famosos e respeitados ao redor do mundo. Durante os quatro dias de evento serão ministradas palestras e cursos teóricos.

Nota aos editores

Mactelo e Escorao

A adidas possui tênis específicos para o esporte. De couro e com solas que possuem máxima flexibilidade e super finas, os modelos Mactelo e Escorao dão máxima proteção para o pé. Suas solas com cortes no estilo navalha possibilitam a máxima aderência durante a prática da capoeira.

Serviço


IV Encontro Zungu Capoeira

Data: 16 a 19 de setembro

Horários: 16 e 17/9 – 7h às 23h

18 e 19/9 – 9h às 19h

Local: Escola Cultural Zungu Capoeira – Rua Almirante Marques Leão, 787 – Bela Vista

Contato: (11) 2308-1306


Informações para imprensa:

Comcept Marketing e Comunicação Esportiva

55-11-3045-4610

www.comcept.com.br

adidas Brasil
Alice Lima – alice.lima@adidas.com

FSM aborda impactos e disputas no território quilombola

“A política para os negros no Brasil e no mundo e os impactos causados no território quilombola” foi o tema de uma palestra ontem (29), na Universidade Rural do Pará (UFRA). A atividade reuniu entidades negras de todo o país, como a Associação das comunidades negras rurais quilombolas do Maranhão (Aconeruc-MA) e o Quilombo de Jambuaçú, do município paraense de Mojú.

Durante o evento o professor Kabemgele Munanga, que nasceu na República Democrática do Congo e que há 35 anos vive no Brasil e ministra as disciplinas de Antropologia e Relações Raciais na Universidade de São Paulo falou sobre a demarcação do território quilombola e das leis que legitimam a posse dessas terras, ressaltando que a questão é polêmica.

“Entre a lei e o cumprimento existe um abismo, apesar de em alguns estados as famílias já terem a titulação. Mas, existem cerca de 2000 comunidades quilombolas no Brasil e menos de 10% tem o registro das terras. Ter o registro da terra não resolve muita coisa porque faltam escolas, saneamento básico, energia elétrica e muitos já foram expulsos por falsos donos e vivem sob ameaças de empresários”, conta.

De acordo com Benedito Cunha, coordenador da Aconeruc-MA, nos anos 80 o governo federal desapropriou do município de Alcântara terras de 300 famílias de 10 comunidades, para a implantação de um centro espacial. Atualmente, existem 22 mil habitantes distribuídos em 162 comunidades quilombolas nas imediações do centro, que lutam para receberem o título das terras, já que existe o projeto para a construção de uma base para lançamentos de foguetes no local.

Benedito Cunha, Coordenador da Aconeruc, falou sobre a luta pelas terras das comunidades quilombolas do Maranhão:

“Várias famílias foram deslocadas para propriedades menores e inférteis e sem terem emprego tiveram que ir para a capital morar em bairros periféricos. Interditamos as obras da base, tirando as máquinas e o Incra já fez o levantamento e nos deu a possa das terras, mas nosso medo é que tenhamos que sair por causa dos impactos, já que o centro fica praticamente nos nossos quintais”, esclarece.

Benedito Cunha ressalta ainda que “a empresa responsável pelas obras da base culpa as comunidades quilombolas, dizendo que elas atrasam o desenvolvimento do país”. “O Roberto Amaral, que é dono da empresa binacional ACS, que surgiu por causa de uma acordo firmado entre o Brasil e a Ucrânia tem espaço na mídia para dizer que somos culpados pelo atraso nas obras, mas queremos apenas nossos direitos”, destaca.
 
 
Texto e Fotos: Emanuelle Oliveira
Jornalista e integrante da Cojira-AL

Fonte:  www.cojira-al.blogspot.com

Amapá: Operadora de telecomunicações aposta no Social e na Capoeira

Em visita aos dez maiores colaboradores da TIM no estado do Amapá, o coordenador estadual da companhia de telefonia móvel, Márcio Leite, fala sobre estratégias, ações sociais e sobre a importância da interção da comunidade em sua estratégia de negócios, utilizando a nossa capoeira como um importante meio de interarir e se comunicar com a sociedade da região.

Interessada não só em estender o seu mercado de negócios, a TIM visa estabelecer uma estreita relação com o público através de participações em ações sociais. Para exemplificar isso é só lembrar das lixeiras que foram doadas pela empresa multinacional durante a última edição do Macapá Folia. Ocorrida na Orla do Santa Inês, com o intuito de que o rio amazonas e a orla da cidade não fossem degradados. " Eu acredito que uma empresa como a nossa, hoje, não pode deixar de ter parceiros, até para estreitar esse vínculo de parceria, não só no fim do ano, mas durante ele todo. Nós tivemos, ao longo do ano, parcerias com bairros, interagindo diretamente com a comunidade, então, para nós, isso é bastante importante." Afirma Márcio.

Entre as ações sociais realizadas pela empresa, aconteceram também aulas de capoeira para a comunidade e serviços de orientação aos jovens, com a finalidade de fazer com que compreendessem o perigo das drogas. O Coordenador acredita que tal dedicação pode ser explicada pelo tipo de mercado que o país possui. " O mercado maranhense, por exemplo, é um mercado de troca. Lá, um aparelho serve como entrada na aquisição de outro. Aqui, o mercado é muito mais forte. Aqui o que ocorre é um mercado de venda. Aqui, em média se vende cerca de 50 mil aparelhos por mês e adquirimos mais ou menos 15 mil clientes novos. É um mercado que gira com um capital muito alto, apesar de toda essa crise que se fala." explica o coordenador estadual.

A longa conversa não ficou só no mercado da telefonia móvel. Otaciano Júnior apresentou os novos projetos que o Jornal do Dia prepara para o mercado local, em termos de investimentos tanto no seu pessoal quanto no seu maquinário. O aniversário da cidade e concomitantemente do Jornal, a festa do Prêmio Nossa Gente, a aquisição de uma nova rotativa – fator que prepara o Primeiro Diário do Amapá para uma alavancada frente às informações que vão ser repassadas em 2009.

O Diretor comentou em poucas linhas como o mercado consumidor costuma se comportar em determinadas épocas do ano, lembrando que o fato de não se melindrar tanto com a crise mundial se deve aos dois piores meses, considerado pela classe empresarial. " Julho e Novembro são considerados os piores, uma vez que a compra no comércio diminui. O consumidor se prepara nos meses anteriores para esse período de férias, e no caso das empresas é necessário se manter firme devido a queda nas vendas. Por isso, eu acredito que o amapaense não sentiu tanto quando a crise foi informada.

Márcio explica que a crise não intimidou os empresários amapaenses. " Esse temor foi passado pela televisão. Aqui, o mercado não se intimidou mesmo! Isso mostra a força do comércio amapaense e, principalmente, do consumidor." , diz. Até fevereiro de 2009, pelo menos nove antenas vão estar instaladas em Macapá buscando garantir um melhor sinal para os clientes da Operadora.

Troféus para Capoeira

*** O nosso site não tem nenhum vínculo com esta empresa, o anúncio apenas foi colocado como uma referencia e uma forma de melhorar e facilitar a pesquisa e informações aos capoeiristas.
 
Luciano Milani


A Empresa ZANOELLO está no mercado há 15 anos trabalhando com
premiações, trabalhamos com modelos personalizados e exclusivos para
qualquer tipo de evento ou competição, nossa industria fornece troféus
e medalhas para diversos clientes espalhados por todo Brasil.

Confiança qualidade e preços acessíveis são as marcas que
consagram a Zanoello como a maior e melhor empresa de troféus e
medalhas do país.
Estamos a sua disposição para qualquer exclarecimento ou informações.

Cordialmente,

Guilherme Antunes

Tele vendas  0(**) 49 3222-1313
Cel.               0(**) 49 8403-0068
Visite nosso site: www.zanoello.com.br
E-MAIL/MSN: guilherme@zanoello.com.br
SKYPE.: guilherme84.a

Site www.capoeirista.com.br FORA DO AR

Salve Meus amigos,
 
Infelismente estamos tendo alguns problemas com o serviço de hospedagem do nosso site (WWW.CAPOEIRISTA.COM.BR).
Devido a inumeras quebras de serviço… e inadivertidamente a empresa responsavel pelo hosting de nosso site nos tirou fora do ar, alegando que o capoeirista.com.br estava causando problemas ao servidor…
 
Como deve ser do conhecimento de todos, o site é gerenciado pro mim, Luciano Milani e pelo Wellington Fernandes (Rabo de Arraia), e ambos temos uma postura bastante seria e carinhosa em relação ao site… portanto não podemos permitir abusos por parte da empresa contratada para hospedar o serviço!
 
Imediatamente o Wellington contratou outra empresa, que nos prometeu um atendimento e um serviço muito melhor.
 
Pedimos a todos os membros do site e a todos os visitantes que tenham mais um pouquinho de paciencia pois tudo esta sendo resolvido e pretendemos retornar a roda o mais breve possivel!!!
 
Um grande axé!!!
Paz e União na capoeira.
Equipe Capoeirista.com.br
 

França quer projeto para se opor a biblioteca do Google

Ø      A França está fazendo campanha em favor de um projeto para disponibilizar obras literárias na internet e dessa maneira se contrapor ao crescente domínio cultural dos Estados Unidos no mundo.

o        A iniciativa de criar uma biblioteca virtual foi divulgada depois que a empresa americana Google tornou 15 milhões de obras acessíveis por meio de seu site.

o        O chefe da Biblitoteca Nacional Francesa, Jean-Noël Jeanneney, recentemente defendeu um “contra-ataque” europeu contra o projeto do Google.

§         O presidente da França, Jacques Chirac, vai discutir o projeto com ministros da União Européia em maio.

 

Herança cultural

Chirac disse em um comunicado que “um grande movimento para tornar o conhecimento acessível na internet por todo o mundo está ocorrendo agora”.

Ele participou nesta quarta-feira de uma reunião com o ministro francês da Cultura, Renaud Donnedieu de Vabres, e Jeanneney para discutir o assunto.

Chirac pediu a eles que avaliem maneiras pelas quais as grandes bibliotecas da França e da Europa “poderiam ser tornadas mais amplamente e rapidamente acessíveis na internet”.

Para ele, a França e a Europa “precisam ter um papel central” no desenvolvimento da internet por causa de sua “excepcional herança cultural”.

Em janeiro, Jeanneney disse que o projeto do Google, estimado em US$ 200 milhões (cerca de R$ 531 milhões), poderia resultar no “domínio esmagador dos Estados Unidos na moldagem da forma como as futuras gerações vêem o mundo”.

O plano da Google consiste na disponibilização de 15 milhões de volumes que fazem parte de quatro renomadas bibliotecas americanas – as das Universidades de Stanford, Michigan, Harvard e Nova York – e da Universidade de Oxford, na Grã-Bretanha, a partir de 2015.

Donnedieu de Vabres negou, porém, que o projeto francês seja uma “operação anti-Google”.

Ø      O Google disse que recebe com braços abertos o projeto francês.

o        “Nós apoiamos todos os esforços para tornar a informação acessível por todo o mundo”, disse a empresa ao jornal francês Le Monde.

Fonte:BBC-Brasil

Redação/Editoração/Formatação modificadas por AADF

Evitando golpes na Internet

  • Evitando golpes na Internet

    Por Tecnociencia



    Trabalho como gerente em um departamento de compras e já faz uns três anos que efetuo compras pela internet, no inicio fui enganado algumas vezes. Com o tempo e o amargo aprendizado, acabei elaborando uma série de rotinas para prevenir nosso departamento contra os golpistas. A primeira coisa que efetuei foi buscar o máximo de informação sobre o assunto. Depois elaborei um perfil dos golpes e parti para a prevenção. Gostaria de compartilhar com os membros da comunidade minha vivencia e as observações conforme abaixo:

    Normalmente existem dois tipos de problemas encontrados na comercialização pela internet. O primeiro e mais sério são os golpistas, (pessoas especializadas em lesar o consumidor) O segundo e igualmente sério são os comerciantes inexperientes que acabam calculando erroneamente seus negócios e não conseguem muitas vezes entregar um produto e nem devolver o dinheiro pago. Montar um site ou até mesmo uma loja na internet possui um custo muito baixo e até mesmo gratuito em algumas vezes. Esta característica tecnológica que possui vantagens inquestionáveis para a evolução cultural também acaba sendo um forte atrativo para pessoas inexperientes em gerenciamento ou administração comercial, estas pessoas ao montarem seus negócios gerenciados erroneamente acabam lesando o consumidor não intencionalmente e sim forçado pelo erro de gestão.

    Já o golpista é um individuo que trabalha sem se preocupar com a lei e quando especializado consegue comprovar e convencer aos seus "clientes" sobre a seriedade e honestidade do trabalho ou produto ofertado. Em ambos os casos o prejuízo acaba quase sempre no bolso do consumidor e a imagem de uma ferramenta fantástica como a internet é abalada pelo mau uso.

    É simples evitar este problema e garantir sucesso nas negociações pela rede, basta apenas algum cuidado.

    1. Verifique se o domínio é comercial ou gratuito. Se o domínio for comercial verifique o endereço da empresa e os contatos, examine também o tempo em que o site está no ar. (Normalmente empresas quebram no primeiro e segundo ano por erro de administração)
    2. Utilize algum buscador para obter informações sobre a empresa e veja se existem comentários nos fóruns e listas de discussão.
    3. Se a empresa oferecer serviços gratuitos use os mesmos para testar o nível de atendimento e idoneidade.
    4. No site da Receita Federal é possível verificar a situação de uma empresa pelo CNPJ e saber se ela esta apta para o comercio ou se existem problemas. (Normalmente golpistas não se preocupam com a lei ou burocracias governamentais)
    5. Se a empresa é nova e não dispõe de serviços gratuitos ou o domínio não é comercial (provedor gratuito), procure efetuar compras com valores baixos, só para testar a qualidade e credibilidade. É melhor ser lesado em R$ 10,00 do que em R$ 100,00.

    Mesmo que a empresa tenha uma credibilidade inquestionável fique atento para NUNCA fornecer dados importantes por e-mail. Semana passada recebi um e-mail do banco do Brasil solicitando que eu efetuasse um acesso em minha conta para completar um cadastro. Examinei o e-mail e o suposto link para acessar minha conta apontava para um provedor fora do país. (Fique atento: Nenhum banco solicita informações por e-mail). Este é um exemplo de golpistas especializados usando "emprestado" a credibilidade de um banco para lesar o consumidor.

    Lembre-se:
    A internet não é a mesma coisa que o comercio convencional, O alicerce da internet é o RELACIONAMENTO e a regra geral pode ser resumida em uma única frase "NUNCA COMPRE DE ESTRANHOS". Se a empresa que você pretende negociar não possui uma área de relacionamento e atividades para futuros ou possíveis clientes onde seja possível gerar certa "amizade" antes de negociar então esta empresa não esta de acordo com os fundamentos da internet.

    Observe que mesmo na compra de um software a primeira coisa que ocorre é o download de uma demonstração do aplicativo para que o usuário não compre algo desconhecido.

    Quem assina esta matéria é Alfeu Narciso.