Blog

nao

Vendo Artigos etiquetados em: nao

18º Batizado e Troca de Graduações Lagoa da Saudade

Um dos pioneiros da capoeiragem no Porto, Mestre Barão, da Associação de Capoeira Lagoa da Saudade, trás a beleza e a magia da capoeira Santista para terras Lusitanas… 
Um encontro de amigos uma festa de camaradas… onde a capoeira se sente em casa e tem como principal objetivo a união e o Coletivo Capoeira.

 

Sexta-feira:

 

  • Roda no Cais da Ribeira do Porto, que marca o inicio do evento as 20 horas

 

 

Sábado:

 

  • Aula em frente a estação de Ermesinde, worshop com início as 10:00 hs até as 12:30 hs
  • Paragem para Almoço
  • Mega aulas das 14:00 as 16:00 hs
  • 3 Rodas: uma as 16:30 hs outra as 17:30 hs e outra as 18:00 hs todas em Ermesinde mas em locais diferentes.

 

 

Sábado a noite, churrasco na casa do Piu – com limitação de lugares e preço de 5 euros, quem quiser ir que avise ja porque depois pode nao ter vaga.

 

Domingo:

 

  • Baptizado e Troca de Cordas com inicio as 15:00 hs no parque urbano de Ermesinde.

 

 

Participação:

Mestres Barão, Pernalonga, Caramúrú e Magoo.

Contramestres Milani, Careca e Fantasma

Professores Pelé e Stress

 

Participação Grupo União na capoeira e Arte Popular de Lisboa.

 

http://www.facebook.com/lagoadasaudade.capoeira

Nota de Falecimento do Mestre Liminha

Caros colegas,

Hoje dia 03 de novembro 2005, a capoeira amanheceu mais triste em Geneve na
Suiça, pois veio Falecer na noite de ontem nosso irmao Antonio Carlos de Lima,
conhecido nos meios da Capoeira como Mestre Liminha.
 
O Grande Mestre Liminha muito conhecido na baixada Santista, Brasil e no mundo, ontem nos deixou!
 
Ontem à noite, eu estive com um colega fazendo uma visita na Academia de Capoeira do Mestre Liminha na cidade de Geneve, mesmo estando se sentindo mau, ele foi a sua academia para nos recepcionar. Apesar de muitas dores, o Mestre Liminha colocou todo o seu sentimento de um verdadeiro Capoeira, nao se deixando abater pela dor, mostrando a felicidade por reencontrar os colega da Capoeira, porem falou da tristeza nao poder vadiar com nos naquele momento. Apesar de tudo foi uma longa conversa e uma velha vadiaçao, com muito amor no coraçao.
 
Logo apos Mestre Liminha se despediu de nos, e tomamos caminhos inversos um
ao outro.
E nesta manha, recebo a noticia que Mestre Liminha tomou um caminho mais
distante, aonde eu nao poderei o acompanha-lo.
 
Descanse em Paz e que o Senhor lhe acompanhe!
 
"Tudo tem seu tempo determinado, e ha tempo para todo o proposito debaixo do céu"
 
Vibraçoes Positivas do seu colega,
 
Mestre Faisca

Gravações históricas

Gravaçőes históricas

No início da década de 1940, os pesquisadores Lorenzo Turner e Franklin Frazier – dois dos primeiros acadęmicos negros norte-americanos – desceram de navio a costa da América, coletando fragmentos de cultura negra nos EUA, Haiti, antilhas inglesas (Jamaica) e Brasil. A idéia era produzir um estudo comparativo entre as culturas dos lugares visitados, e identificar padrőes de continuidade cultural entre a África Ocidental e a América – mas os artigos produzidos pela dupla foram considerados superficiais, e praticamente caíram no esquecimento.

A boa notícia para nós, capoeiras e capoeiristas, é que entre setembro de 1940 e março de 1941, os dois pesquisadores aportaram na Bahia. E além de visitarem o Gantois e outros terreiros, conseguiram gravar músicas de capoeira regional e angola. Entre as 10 faixas disponíveis, 4 săo cantadas por ninguém menos que Mestre Bimba e sua charanga. As outras 6 faixas săo cantadas por Mestre Cabecinha – citado na própria gravaçăo como angoleiro, mas cujo nome e fama se perderam no tempo (até onde eu sei).

As gravaçőes ficaram juntando poeira na Universidade de Indiana (EUA) até 2003, quando o amigo Matthias as encontrou e enviou para o Mestre Decanio. Trabalhando em conjunto com o mestre, eu remasterizei e digitalizei as faixas em formato MP3, removendo ruídos e equalizando o som (năo é um trabalho profissional, mas acredito que ficou aceitável).

Uma vez pronto, o Mestre Decanio me pediu que distribuísse o material – e com a ajuda do amigo Luciano Milani, aqui estamos. Para baixar as faixas em seu computador, basta clicar nos títulos das músicas – depois é só se deleitar com essa jóia do passado, que continua tăo atual. Divirta-se !

Axé,
Teimosia

 

Read More

Capoeira Virtual – Homenagem

Homenagem a um dos percursores da "Capoeiriagem Virtual"
 
Mestre Jerônimo é o mentor e inventor da Rod@ Virtual, ou Capoeira internet. uma das primeiras ferramentas de distribuição de informações e debates virtuais.
 
Perfil:
Nasceu em Manaus, AM em 24 de dezembro de 1959. Comecou a gingar na Capoeira de Rua com 13 anos de idade em Manaus. É musico profissional e professor de musica, foi contrabaixista das Orquestras da EMB e do Teatro Nacional de Brasília, Orquestra do estado do RJ, Orquestras em Sydney. Guitarista e percussionista ginga em ‘bares da vida’ também com a MPB, Jazz, no Brasil, Europa, e Austrália, etc. Em 1985 parte para a Europa aonde vive e estuda na Franca e Alemanha e visita varios países da Europa. Em outubro de 1987 imigra para a Austrália e introduz a Capoeira oficialmente para o povo australiano na praia de Bondi (Bondi Beach) em Sydney. Mestre Jerônimo mantem uma Roda de Rua na praia aonde nasceu a Capoeira na Austrália desde 1988 e sua escola de Capoeira Angola com aulas regulares esta localizada no Centro Cultural Comunitário do Bondi Pavilion, em Bondi Beach. Em 1990 Mestre JC adotou a cidadania australiana. A partir de 1995 Mestre JC escreveu e publicou 2 livros de Capoeira e produziu 3 Cds de Capoeira na Austrália.


 
» Insert: Capoeira e Sites Dinâmicos – Miltinho Astronauta –
www.capoeira.jex.com.br
 
 
"A internet é um mar sem fim. Mas alguns se afogam antes de encontrar boas praias informativas. Mas existem algumas "Bibliotecas Virtuais" que merecem especial destaque, dado ao riquíssimo volume de "arquivos" alí depositados. Para ficar em três bons exemplos cito o do Dr. Decânio, do Capoeira do Brasil e do Capoeira Mogadouro (Portugal). Este último, aliás, com tecnologia de ponta e considerável dinamismo de informação.
 
Acredito que esta é a grande dificuldade que passa a grande maioria dessas Bibliotecas Virtuais: falta de dinamismo, falta de informações com prismas inovadores e falta de atualizações periódicas. É uma pena que alguns destes sítios-virtuais, são bem elaborados, bem organizados quando a "layout", com boa apresentação, mas não saem do status "em construção…"."


Antes deste fenomemo acontecer… antes deste universo de sites e mecanismos sobre a nossa arte…  a capoeira, que nos remetem a infindáveis pesquisas… e numerosas surpresas… as vezes agradáveis as vezes não… mais como diz a música….
 
"Capoeira é uma fonte infinita de saber…. mata a minha e a sua sede…. e a de quem quiser beber…"
 
… Antes disto tudo Mestre Jeronimo ousou iniciar um jogo virtual… por onde ja gingaram personalidades e desconhecidos… Mestres e alunos iniciantes… Capoeiristas de todos os lugares do mundo…
 
Na RoD@ Virtual do JC já se discutiu e debateu muita coisa importante para a capoeira!!!

Read More

Mestre Curió

Jaime Martins dos Santos, discípulo de Pastinha nacido en 1939, continua ensinando e difundindo a capoeira angola.
“Capoeira é arte, danca, malícia, filosofia, malandragem, teatro, música coreografia e nao violencia. Só passa a ser perigosa na hora da dor…”
“Existem muitas partes da mandinga, existem a mandinga da magia negra e a mandinga da malícia do capoerista, quando ele se diz realmente capoerista . Mandinga é isso, é sagacidade, é voce poder bater no adversário e não bater , você mostra que não bateu porque não quiz.”
“O aluno é reflexo do mestre e o mestre e reflexo do aluno”
“O aluno nao compete com o mestre e o mestre que se respeita nao compete com o aluno”
 “Para mostrar que é bom o capoerista nao precisa bater”
“Morro e dou a minha alma pela capoeira”
“Meu pai sempre me ensinou que a gente nao deve ensinar tudo o que sabe, porque senao, os alunos vao embora”
“Capoerista é calmo. Divagar para o angoleiro ainda é pressa. Eu só tive pressa para nascer pois sou de sete meses.”
“Tem pessoas que sao grandonas, fortes, fazem tres anos de capoeira e já se autodenominam mestres. Para alguns deles o aviao é o que os forma como mestres, quando chegan a outro país dizem eu sou mestre e como ninguém lhes conhece, acreditam neles. Essas pessoas lesam a consciencia da gente.”
“Eu tenho 56 anos de capoeira e ainda nao sei nada; meu pai tem 102 anos e ainda diz que nao sabe. Tem “doutores” que tem 5 anos de capoeira e falam que já conhecem “as duas”.”

Mestre CurióEscola de Capoeira Angola Irmãos Gêmeos de Mestre Cúrio-ECAIG 
Rua Gregório de Mattos,n° 09,2° andar,Pelourinho-Salvador/Ba 
Cep:40.025.060 – Telefax:(71) 3210396

Manduca da Praia

Manduca da Praia, homem de negócios, respondeu a 27 processos por ferimentos graves e leves, sendo absolvido em todos eles pela sua influência pessoal e de amigos.
 
Era pardo claro, alto, reforçado, usava barba grisalha. Sua figura inspirava temores para uns e confiança para outros. Vestia-se com decência, chapéu na cabeça, usava um relógio que era preso por uma corrente de ouro, casaco grosso e comprido que impressionava as pessoas com seu porte, usava como arma uma bengala de cana-da-índia e a ele deviam respeito.
 
Certa vez na festa da Penha brigou com um grupo de romeiros armados de pau, ao final da briga deixou alguns inutilizados e outros estendidos no chão, entre outras brigas e confusões. Ganhava bastante dinheiro, seu trabalho era uma banca de peixe que tinha no mercado, vivia com regalias e finais de semana saia para as noitadas.
 
Morador da Cidade Nova, era capoeira por conta e risco assim disse Nulo Moraes. Manduca não participava da capoeiragem local, não recebia influência nem visitava outras rodas, pode-se dizer que ele era um malandro nato. Manduca da Praia conquistou o título de valentão, subestimando touros bravos, que sobre os quais saltava quando era atacado.
 
Por volta de 1850, Manduca "iniciou sua carreira de rapaz destemido e valentão,  dotado de enorme força física e "destro como uma sombra", Manduca cursou a escola de horários integral da malandragem e da valentia das ruas do Rio de Janeiro na época de perigosos capoeiras como, Mamede, Aleixo Açougueiro, Pedro Cobra, Bemetevi e Quebra Coco. Desde cedo destacou-se no uso da navalha e do punhal; no manejo do petrópolis – um comprido porrete de madeira-de-lei, companheiro inseparavel dos valentões da época – na malícia da banda e da rasteira; e com soco, a cabeçada e o rabo de arraia tinha uma intimidade a toda prova. Tinha algo que o destacava e diferenciava de seus contemporâneos – facínoras, valentes e rufiões – fazendo que se tornasse uma lenda viva, e mais tadre um mito cantado e celebrado até os dias de hoje:uma inteligência fria, calculista e implacável; uma sede de poder, de status e de dinheiro; tudo isso aliado a uma visão de comerciante e de homens de negócios. Fez fama e dinheiro. Foi famoso temido e respeitado.
 

Mandingueiro era Manduca da Praia
 
No Rio de Janeiro, a minha memoria nao falha,
O melhor capoeira foi Manduca da Praia
No Rio de Janeiro, a minha memoria nao falha,
O melhor capoeira foi Manduca da Praia
Mandingueiro era Manduca da Praia
Mandingueiro era Manduca da Praia
Le le le le le le le le la la la la
Le le le le le le le le la la la la
Comecou sua carreira la no lavadinho,
Dentro do curral com touro bravio,
Homem de negocios da freguesia de Sao Jose,
Tinha uma banca, uma banca de peixe,
La no mercado perto do seu ze,
Manduca da Praia era homem brigao,
Alto parto, forte e valentao,
Feriu muita gente, leve e suavemente,
De todos processos, ele se safou, mandingueiro!
Mandingueiro era Manduca da Praia
Le le le le le le le le la la la la
Le le le le le le le le la la la la
{mos_sb_discuss:8}