Blog

brincadeiras

Vendo Artigos etiquetados em: brincadeiras

Aconteceu: Festival Infantil Abadá-Capoeira 2011

Ocorreu no final de maio, 28/05/2011 (Dia Internacional do Brincar), o Festival Infantil Abadá-Capoeira. O evento foi realizado nas dependências da Câmara Municipal de Paulínia e contou com a presença de diversos capoeiristas do estado de São Paulo. Cerca de 60 crianças receberam nova graduação, representada pela corda a ser amarrada na cintura e cujas cores são baseadas em elementos da natureza e com significados relativos ao estágio de aprendizado.

Embalado pelo tema “Resgatando brincadeiras antigas”, o festival foi decorado com pipas, bexigas, bambolês e outros brinquedos. Além da tradicional troca de corda, teve uma encenação de um teatro cujo tema era a diferença entre as brincadeiras antigas e os jogos modernos. Também houve participação do público presente, em que muitos adultos tiveram a oportunidade de relembrar suas infâncias. Foi uma verdadeira interação entre pais e filhos e no final eram notórias a alegria e a satisfação de todos os que assistiam ao evento.

O trabalho é ministrado pelo professor Rato no salão da Igreja do Belo Ramo – Jardim Monte Alegre. As aulas para crianças acontecem às segundas e quartas das 19:00 às 20:00. Os adultos podem treinar às segundas, quartas e sextas das 20:00 às 21:00. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone (19) 8145-8570.

A Equipe Abadá Paulínia agradece  às pessoas que compareceram ao Festival e àqueles que ajudaram a realizá-lo. “A todos, nosso sincero muito obrigado”

 

Fonte: http://www.paulinianews.com.br

Rio: III Capocabana

Associação Brasileira de Capoterapia realiza III Capocabana

A III Copacabana (Capoterapia em Copacabana) será realizada de 19 a 24 de outubro de 2001 na cidade do Rio de Janeiro. A promoção é da Associação Brasileira de Capoterapia, fundada por Mestre Gilvan.

Participarão grupos de terceira idade e capoeiristas do DF, GO e MG, mas a excursão é aberta a pessoas de todas as idades. A viagem inclui passeios a Petrópolis, Corcovado/Cristo Redentor, Pão de Açúcar, Maracanã, Sambódromo.

A programação inclui oficinas de capoterapia nas praias de Ipanema, Copacabana e Leblon, com mestres Gilvan e Cafunga. E muitas brincadeiras, forró e sorteio de brindes.

 

Reserve sua vaga! Inscrições e informações com:

 

a) Mano Lima (61) 9190 4256    e    (61) 8101 0915   [email protected]

b) Sônia e Mestre Gilvan (61) 9962 2511   (61) 3475 2511

c) Mestre Cafunga (38) 3675 1615 e 9996 2790

Site de Capoeira para Crianças

SITE DE CAPOEIRA PARA CRIANÇAS – MÉTODO BRINCADEIRA DE ANGOLA

Em 2009, escrevi um pequeno artigo aqui no portal da capoeira (https://portalcapoeira.com/Publicacoes-e-Artigos/metodo-brincadeira-de-angola-capoeira-para-criancas-a-partir-de-um-ano) sobre como trabalhar com criancas de 1 ano de idade. O artigo provocou uma grande procura por pessoas interessadas no método que chamo de “Brincadeira de Angola”.

O método “Brincadeira de Angola” é uma sistematização de conhecimentos aplicados nas aulas de capoeira para crianças e, acima de tudo, uma filosofia pedagógica. A base do método “Brincadeira de Angola” começou a ser desenvolvida em 1988 pelo Mestre Marrom (RJ) e ao longo do tempo o sistema vem sendo continuamente aprimorado, com influências de diversas áreas do saber, acadêmicas ou não.

Estamos disponibilizando, on-line, uma ferramenta para auxiliar os professores de capoeira infantil. O site www.brincadeiradeangola.com.br traz uma seção de vídeos explicativos do método, textos e músicas para download e se propõe a ser um pólo de trocas de informação.

Os princípios norteadores, no processo de ensino-aprendizagem proposto, são:

  1. Princípio da Naturalidade – os movimentos da capoeira devem acompanhar a motricidade natural da crianca, permitindo movimentacoes despadronizadas e autonomas.
  2. Princípio da Criatividade – o jogo de capoeira sera tao mais criativo quanto maior for a liberdade da crianca para descobrir as possibilidades artisticas oferecidades pela capoeira.
  3. Princípio da Cooperatividade – o combate indireto, a oposicao a um “camarado” (nao a um inimigo)  e a necessidade de um grupo fazem a cooperacao ser parte essencial das aulas de capoeira.
  4. Princípio da Historicidade – o contexto historico-cultural da capoeira embasa toda sua pratica e, por isso, funciona como uma “cama” para a montagem das aulas.

Estes eixos definem o objetivo pedagógico, mas o como fazer nasce da prática, das atividades e brincadeiras do dia-a-dia. Como é riquíssima a quantidade de atividades possíveis, criamos uma Biblioteca De Jogos e Brincadeiras, onde cada professor de capoeira interessado em dividir sua descobertas, poderá postar suas idéias, democratizando o conhecimento.

Em breve o site estara integrado automaticamente ao Portal Capoeira e todas as novidades serao informadas on-line!

Esperamos a visita e a participação de todos!

Um abraço,

Ferradura – RJ [email protected]

CÓDIGO DE ÉTICA DA ABPC

Anteprojeto de A. A. Decanio Filho
Pedimos análise crítica e sugestões

Introdução

  1. Definição:
    ética [Fem. substantivado do adj. ético.] S. f. Estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto. (Dic.Aurélio)
  2. Conceito:
    conjunto de normas e preceitos, escritos ou consuetudinários, de conduta pessoal interpares ou entre grupamentos sociais, pedagógicos, esportivos e etários.
  3. Justificação:
    determinação da Assembléia Geral da ABPC de 19 de Novembro de 1997 em Natal/RN.
  4. Fundamentos:
    1. Normas de higiene pessoal
    2. Normas de conduta gerais
      1. Os 3 erres fundamentais: Capoeira é uma palavra estranha, que se escreve com um "rê" suave e se pratica com três "erres". O primeiro é o RITMO, o segundo o RITUAL e o terceiro é o RESPEITO, sem os quais não se joga nem ensina a capoeira!
    3. Normas de conduta social interpares
    4. Normas de conduta entre grupos
    5. Normas de relacionamento entre mestre e alunos
    6. Normas de condutas em competições
  5. Texto:
    1. Estrutura e Organização
      1. Generalidades
      2. Conceitos gerais
      3. Disposições gerais
      4. Disposições específicas
      5. Disposições especiais
      6. Disposições finais

REDAÇÃO INICIAL (Decanio)

GENERALIDADES

Justificação

Mediante proposta de Reginaldo da Silveira Costa "Squisito" decidiu a AG da ABPC, em sessão de 18/11/98, em Recife/PE, elaborar um Código de Ética para regulamentar o comportamento dos seus associados e encarregar AADF "Decanio" da redação do seu anteprojeto.

Conceitos e definições

Definição: ética [Fem. substantivado do adj. ético.] S. f. Estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível de qualificação do ponto de vista do bem e do mal, seja relativamente a determinada sociedade, seja de modo absoluto. (Dic.Aurélio)
Conceito: conjunto de normas e preceitos, escritos ou consuetudinários, de conduta pessoal interpares ou entre grupamentos sociais, pedagógicos, esportivos e etários.

Fundamentos

O presente CE abrange preceitos de higiene pessoal, normas gerais de conduta social e esportiva, bem o ritual específico da capoeira, com objetivo precípuo de manter a prática da capoeira nos limites da cidadania, esportividade, educação e segurança.

Normas de higiene pessoal

São obrigatórios os cuidados fundamentais de higiene corporal, tais como banho geral de asseio e aparo de unhas, além daqueles específicos do vestuário.

Normas de conduta gerais

Durante a prática da capoeira deverá ser rigorosamente observada a obediência ao ritmo e ao ritual específico da escola, do evento ou da roda atual, bem como o respeito a todos os presentes de modo geral e em especial aos mestres, orquestra, árbitros. dirigentes e autoridades outras presentes ou participantes.

Ficam expressamente proibidos

  • Uso de adereços ou objetos pessoais de qualquer natureza capazes de gerar lesões corporais no usuário ou qualquer participante do evento.
  • Uso e venda de bebidas alcoólicas de qualquer natureza dentro do recinto.
  • Participação, em competições, treinos ou rodas, de atleta sob efeito de bebida alcoólica ou com estado de humor alterado por emoção violenta.
  • Conduta ofensiva à moral ou agressões de qualquer natureza

Normas de conduta social interpares

  • Respeito aos seus pares independente de graduação, hierarquia, profissão, nível cultural, raça, religião ou qualquer outro atributo pessoa; ou social, princípio fundamental da cidadania.
  • Comedimento nos comentários e alusões, termos ofensivos, desairosos ou depreciativos.
  • Moderação nos gestos e brincadeiras, evitando ridículo a quebra do decoro.

Normas de conduta entre grupos

  • Respeito às normas jurídicas e sociais que regem o relacionamento entre entidades correlatas.
  • Comedimento nos comentários e alusões, termos ofensivos, desairosos ou depreciativos.
  • Moderação nos gestos e brincadeiras, evitando o ridículo e a quebra do decoro.

Normas de relacionamento entre mestre e alunos

  • Respeito recíproco.
  • O mestre deve:
    • manter conduta sóbria ante os alunos,
    • evitando comentários, gestos e brincadeiras ofensivos ou depreciativos;
    • demonstrando e justificando as técnicas e condutas ministradas,
    • esclarecendo as dúvida surgidas entre os discípulos.
  • Os alunos devem:
    • guardar respeito aos docentes,
    • apreciar os ensinamentos com atenção,
    • executar cuidadosamente os exercícios prescritos
    • guardar disciplina, evitando comentários, gestos e brincadeiras ofensivos, depreciativos ou capazes de promoverem riscos ou danos.

Normas de condutas em competições

  • Árbitros
    • Manter serenidade, moderação de linguagem e isenção de animo
    • Observar atentamente todos os lances do jogo
    • Não comentar os lances dos jogos
    • Obedecer estritamente as regras e instruções em vigor
    • Não revidar a ofensas de quaisquer natureza, exercendo poder de registro na súmula para julgamento posteriorpelo poder competente
    • Não usar estimulantes alcóolicos ou de qualquer outra natureza
  • Mestres
    • Comportar-se com dignidade e compostura, obedecendo aos princípios de conduta esportiva
    • Manter serenidade, moderação de linguagem e isenção de animo
    • Observar atentamente todos os lances do jogo
    • Não comentar os lances dos jogos
    • Não usar estimulantes alcóolicos ou de qualquer outra natureza
  • Atletas (durante as competições e nos seus intervalos)
    • Manter serenidade, moderação de linguagem e isenção de animo
    • Observar atentamente todos os lances do jogo
    • Não comentar os lances dos jogos
    • Obedecer estritamente às regras e instruções em vigor
    • Não revidar a ofensas de quaisquer natureza, exercendo poder de comunicação à Comissão de Ética para providências legais.
    • Obedecer estritamente às regras e regulamentos de competições, respeitando as decisões dos árbitros, reservando-se o direito aos recursos e protestos legais.
    • Evitar qualquer conduta capaz de perturbar o bom andamento dos eventos.
    • Não usar estimulantes alcóolicos ou de qualquer outra natureza