Blog

contramestre

Vendo Artigos etiquetados em: contramestre

Contramestre e não mestrando:Mestrando em Capoeira?

Historicamente a Capoeira vem se estruturando, saindo do mágico ao marcial. E buscando dar finalidades acadêmicas a Capoeira. Sendo a Capoeira valorizada até como a própria educação física no século passado, antes da própria organização da educação física no país. Outro cuidado que devemos ter é os termos “luta” e “arte marcial”, ambos são diferentes entre si, mas não entraremos em detalhes aqui, pois o tema é o termo “mestrando” e “contramestre”.

Não se deve esquecer que sempre estamos em continua aprendizagem. Muitos eram chamados de “professores de capoeira”, quando começavam seu trabalho ensinado a outros, em seguida por um período de pratica eram chamados de mestres e eram respeitados e temidos por todos, mas historicamente não havia qualquer graduação na Capoeira.

O primeiro a criar um sistema de graduação foi Mestre Bimba, onde usava lenço para graduar seus alunos. Este lenço era a maneira do mestre homenagear os capoeiristas do passado que utilizavam um lenço de esguião de seda no pescoço para evitar o corte da navalha do inimigo. A graduação máxima era lenço branco. Segundo Mestre Edinho, os únicos a receberem o título de Mestre da Regional Baiana pelas próprias mãos de Mestre Bimba foram, Jair Moura, Miranda, Decânio e o próprio Edinho.

Na década de 70, quando a Capoeira passa a ser aceita como “Esporte Nacional”, para que fossem possíveis as competições, e introduziram-se as Graduações de Capoeira no Brasil. Ainda por aprovação não-formal pelo próprio Mestre Bimba, o Mestre Mendonça adota a corda (cordel) de capoeira, organiza o sistema de graduação seguindo o sistema oficial desportivo do país, onde a graduação era baseada na Bandeira brasileira. Outros grupos adotaram outros sistemas, cordas ou cordões, filosofias de cordas e cores diferentes.

Depois de muita polemica com o termo “professor de capoeira”, que passa na risca por ser de tradição pelos praticantes antigos de capoeira e não fere a docência dos profissionais da educação. Mas agora o termo “mestrando” está mostrando a desvalorização da tradição, um termo que não soou bem, onde depois de “Professor de capoeira” o profissional da capoeira passa a ser “Contra-Mestre de capoeira” e futuramente “Mestre de capoeira”. Muitos Profissionais das Universidades perguntam, quando foi que a CAPES (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) aprovou o “mestrado em Capoeira”? Daqui a pouco vão está substituindo o Grão-mestre por “Doutorando” e logo “Doutor em Capoeira”.

O estágio de “Contra-Mestre de Capoeira”, é o titulo alcançado pela busca do crescimento e do reconhecimento popular. Essa “graduação de capoeira” simboliza a fase da malicia, do carisma capoeirístico e da transmissão dos segredos da capoeiragem, seja na roda ou na vida. É uma etapa alcançada, que antecede a formação do futuro “Mestre de Capoeira”.

Segundo CAPOEIRA LUTA DO BRASIL, “Originalmente, não havia graduação na capoeira. O próprio Mestre Bimba, somente quando considerava um aluno APTO, ou seja, realmente sabedor do que lhe fora ensinado, é que o considerava formado e, seguindo uma tradição, dava-lhe um lenço de seda azul que deveria ser usado amarrado ao pescoço sempre e somente quando o capoeirista ia para a roda jogar. Atualmente, a graduação é usada para distinguir as várias fases do aprendizado do aluno, sendo que cada grupo ou associação adota o critério e as cores que mais lhe convierem seguindo suas preferências em fitas, cordéis, cordas, faixas ou lenços de seda em conformidade com o sistema de cores da Bandeira Nacional, das religiões Afro, do Candomblé, dos elementos da natureza (fauna, flora, etc.). Hoje existem diferenças inclusive na nomeação da graduação. Onde alguns chamam de CORDA e alguns de CORDÃO”.

Na Capoeira Angola não existe um sistema de cordas, alguém depois de aluno alcança seu titulo, de professor, de contramestre ou de mestre de acordo com seu trabalho na comunidade, acompanhados pelos mestres antigos. Por sua vez na Capoeira Regional existe um sistema de graduação onde as cores das cordas/cordéis/cordões variam de entidade para entidades capoeirísticas e sendo decretado por sistemas de graduações, variando os números de estágios e programas propostos pelos seus mestres superiores.

Nossa inquietude foi à tentativa da mudança do termo contramestre (Contra-Mestre) para mestrando, onde não tem nenhum tipo de coerência ou fundamentos concretos ou capoeirísticos, onde fomos bastante criticados pelo meio acadêmico universitário, que faziam gozação de nossas pessoas e diziam que nós não tínhamos leitura, para isso que resolvi dar esta resposta e mostrar que temos fundamentos e tradição e cada dia através de nossas pesquisas mostramos os valores dos profissionais da capoeira, somos cientistas da capoeira e pesquisadores.

Vamos entender melhor os termos e não ficar dando equívoco, motivos de irrisão, mostramos que temos leitura e somos profissionais qualificados em nosso meio acadêmico-capoeirístico. Então, o mestrado é o primeiro nível de um curso de pós-graduação Stricto Sensu, que tem como objetivo, além de possibilitar uma formação mais profunda, preparar professores para lecionar em nível superior, seja em faculdades ou nas universidades. Um curso de pós-graduação se destina a formar pesquisadores em áreas específicas do conhecimento. Seu passo seguinte será o doutorado, onde se capacitará como um pesquisador, assim como as suas especializações, o Pós-Doutorado e/ou a livre-docência.

Note-se, entretanto, que o mestrado não é pré-condição obrigatória para o ingresso no doutorado, alunos com um desempenho muito bom na graduação podem ser aceitos diretamente no doutorado. Esta aceitação depende da legislação particular de cada Universidade. Mesmo assim, não existe um titulo de “mestrando” específico e sim Mestre em qualquer área do conhecimento.

Mestrando não é um título. Como alguém poderá receber um diploma de Mestrando? Se ao final de um Curso de Mestrado se receber o Diploma de Mestre. Existe diploma de Contramestre de Capoeira (Contra-Mestre) reconhecida por todas as entidades capoeirísticas, com incentivo até por instâncias governamentais e não-governamentais, como um profissional, sendo acima do grau de “Professor de Capoeira” (este por sua vez, deve-se ter a docência).

No Brasil se organiza da seguinte forma: Os cursos de mestrados, assim como os de doutorado, são formados exclusivamente por professores doutores, com suas respectivas linhas de pesquisa e profunda experiência na sua área. O aluno propõe um projeto de pesquisa para ser aceito num determinado programa de seu interesse.

Sem pesquisa, podemos ser levado ao erro, temos que está sempre embasado em pesquisas teóricas e nas bibliotecas vivas que são os mestres antigos da Capoeira. Na qual devemos respeitar suas opiniões e manter viva seus ensinamentos e as sabedorias deixados pelos pioneiros da Capoeira, desde a época de Zumbi até Mestre Bimba.

No mestrado, além de freqüentar disciplinas avançadas, que incluem uma parcela significativa de pesquisa bibliográfica individual, de leitura e de trabalho de interpretação, é desenvolvido um trabalho de pesquisa científica, que deve ser apresentado em forma dissertativa. Esta pesquisa pode ser realizada através de estudo de caso, de pesquisa de campo, em laboratório, etc. Através dela, acompanhando as últimas informações sobre o assunto, o aluno irá se introduzir em determinado tema.
Este deverá ter sido aceito e considerado relevante pelos professores do curso de pós-graduação que esteja cursando, assim como deve estar em consonância de interesse com as linhas de pesquisa dos professores pesquisadores do curso e estar informado das principais conquistas do campo do estudo a nível internacional, o que exige o conhecimento de mais uma língua.

Além das disciplinas, o final do processo é marcado por uma avaliação na qual o candidato ao “título de mestre” deverá apresentar seu trabalho a uma banca examinadora, em geral de três professores, que o julgará medindo se o aluno adquiriu capacidade de desenvolver um trabalho autônomo, seguindo as regras da pesquisa e se desenvolveu um trabalho de destaque no campo escolhido.

A banca examinadora é formada pelo professor orientador e dois professores convidados, especialistas no assunto tratado. Necessariamente um deles deverá ser de instituição de ensino superior distinta daquela em que se está cursando. Poderão ser convidados especialistas no assunto que não tenham título de Doutor, mas que tenham evidente contribuição naquele campo.

O tema aqui em questão é a polemica entre o termo Contramestre e Mestrando. Na Capoeira usa-se o termo Contramestre para designar alguém com uma graduação inferior a de um Mestre e Superior a um Professor de Capoeira. Segundo o Dicionário on-line Wikipédia <<a href=”http://pt.wiktionary.org/wiki/contramestre”>http://pt.wiktionary.org/wiki/contramestre>, a palavra contramestre (con.tra.mes.tre), masculino (feminino: contramestra), tem como definição: “1. O imediato ao mestre ou ao seu substituto; 2. Abaixo do mestre ou do chefe.” Sendo que, tradicionalmente é um grau abaixo de Mestre, um título, uma graduação, uma etapa alcançada, uma conquista. Não podendo ser substituído por mestrando, que é alguém que está estudando o mestrado em qualquer área científica, não podendo ser um título, sendo no final o título de Mestre (MSc).
Outro exemplo do contramestre, “o contramestre mais antigo, encarregado da limpeza e conservação e da disciplina da tripulação do convés de embarcação mercante, Marinha Mercante (fonte: Decreto-Lei nº 280/2001, de 23 de Outubro).” Mesmo porque a Capoeira teve sua propagação nos Cais de vários portos do Brasil, sendo os capoeiras, que eram tripulantes de embarcações, atrações de rasteiras e vadiação dos grandes portos no século passado, ficando o titulo aos capoeiras respeitados tradicionalmente como um grau maior ao “Professor” de Capoeira e abaixo do Mestre de Capoeira.

Por muitos anos, os Contramestres de Capoeira vem sendo diplomado nas entidades capoeirísticas pelos seus Mestres e não podemos mudar de uma hora para outra, um titulo sem fundamentos teóricos ou tradicionais. Este nível de graduação na capoeira é concedido quando é reconhecida no praticante sua capacidade técnica, seu conhecimento sobre a capoeira, sua atuação no universo da capoeira, na comunidade na qual está inserido e só pode ser efetivado pelas mãos de Mestres de Capoeira.

A lista dos programas de pós-graduação no Brasil, com seus respectivos conceitos se encontra na página da CAPES. Ao iniciar os estudos, sob a orientação de um doutor na área escolhida e durante um período, usualmente de dois a dois anos e meio, o aluno realiza pesquisas que deverão resultar em uma dissertação sobre um determinado assunto escolhido, com metodologia adequada ao desenvolvimento do trabalho.

Para aprofundar melhor os termos com referencia ao curso de pós-graduação, apresentaremos de maneira compreensiva para não confundir o nosso profissional da capoeira com graduações afins. Os cursos de pós-graduação se dividem em duas categorias: latu sensu, na qual se enquadram os cursos de especialização e boa parte dos MBAs ofertados no Brasil, e stricto sensu, que são os cursos de mestrado, doutorado e pós-doutorado, como veremos a seguir:

LATO SENSU: Os cursos de pós-graduação lato sensu, oferecidos por instituições de ensino superior ou por instituições especialmente credenciadas para atuar nesse nível educacional, independem de autorização, reconhecimento e renovação de reconhecimento e devem atender ao disposto na Resolução CNE/CES 01/2001. Incluem-se nesta categoria os cursos designados como MBA (Master Business Administration) ou equivalentes. A duração mínima é de 360 horas.
ESPECIALIZAÇÃO: Curso com carga horária superior a 360 horas/aula. Destinado ao aperfeiçoamento profissional, tem uma abordagem específica. Para obter o diploma de especialista, o aluno deve apresentar, ao final do curso, uma monografia ou um trabalho de conclusão do curso (TCC).
MBA Júnior: O MBA Júnior é destinado a pessoas que estão saindo da universidade e precisam associar o conhecimento teórico à prática profissional. Algumas instituições oferecem estes cursos em dois anos – um deles quando o aluno ainda está no último período da graduação.
MBA: Destinado a profissionais de diversas áreas interessados em aprofundar seus conhecimentos na área de gestão empresarial. A diferença dos cursos de especialização está na metodologia adotada, uma vez que o MBA abrange várias áreas do conhecimento. Os MBAs norte-americanos equivalem a um curso de mestrado, por se enquadrarem na categoria stricto sensu.
STRICTO SENSU: Os cursos de pós-graduação stricto sensu, compreendendo programas de mestrado e doutorado, são sujeitos às exigências de reconhecimento e recredenciamento previstas na legislação.
MESTRADO ACADÊMICO: Voltado à qualificação de professores universitários, tem como objetivo estimular a pesquisa acadêmica. Para obter o título de mestre, os alunos devem apresentar uma dissertação sobre um tema que se enquadre em seus interesses e ainda nas linhas de pesquisa da instituição. Tem duração média de dois anos.
MESTRADO PROFISSIONAL: É destinado a profissionais que estão no mercado de trabalho e querem aprofundar seus conhecimentos em uma determinada área, conciliando-os à sua atividade profissional. Ao final do curso, o aluno deve apresentar uma dissertação, abordando um tema específico. Tem duração média de dois anos.
DOUTORADO: É o aprofundamento da pesquisa científica sobre um determinado tema – que, muitas vezes, já pode ter sido estudado no mestrado – só que com um enfoque inédito. Ao final do curso, o aluno apresenta uma tese sobre o assunto pesquisado. Dura, em média, quatro anos.
PÓS-DOUTORADO: É uma forma de permitir ao pesquisador atualizar, consolidar ou ampliar seus conhecimentos ou, ainda, rever sua pesquisa. Esse trabalho é feito com um grupo de pesquisa consolidado na área de especialização do candidato.
O Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), um dos órgãos que concedem bolsas para o financiamento dessas pesquisas, estabelece uma série de exigências para concessão dessas bolsas. Além do título de doutor, o pesquisador deve se dedicar integralmente às atividades programadas na instituição de destino.

Com toda essa gama de informação agora poderemos compreender a veracidade da confusão feita por influencias de modismo sem fundamentos teóricos. Apesar de nosso Dicionário Capoeirístico não oferecer este termo, não soou bem aos amantes da Capoeira e nem sentido do uso por parte de nossos antigos mestres.

Não podemos esquecer que Mestre Bimba é hoje o mestre mais reconhecido entre todos, em 1996 tendo recebido o tardio titulo de Doutor Honoris Causa, concedido pelo corpo universitário da Bahia. Seu nome é conhecido no mundo inteiro, pois é a primeira coisa que qualquer calouro aprende, em qualquer lugar do mundo em que se ensine a capoeira regional.

Vale apenas salientar que só existem dois estilos, Angola e Regional, o resto é complemento para embelezar a capoeira, exemplo, o miudinho criado por Mestre Suassuna, bem como outros não são estilos, são complementos, como as acrobacias e etc. Não existe um estilo contemporâneo, termo sem fundamentação teórica que querem implantar. A regional perdeu sua essência mais continua sendo a base dos que praticam o lado marcial da capoeira, apesar da sua descaracterização.

Até a própria Confederação Brasileira de Capoeira vem cometendo erros em querer divulgar outros nomes como criadores de novos estilos, onde por tradição não existem linhagens fundamentadas por todo o Brasil, onde a ultima aceita é a Regional Baiana de Mestre Bimba. Sendo uma confusão da Capoeiragem, uma técnica da capoeira sem rotulo ou estilo, fazendo da capoeira uma arte cheias de diversidades, fazendo ela a própria diversidade local-nacional, um pouco de cada região.

Portanto, devemos respeitar os títulos de Doutor Honoris Causis dados pelas Universidades aos grandes nomes da Capoeira, aos Grandes Mestres de Capoeira de nossa História, isso não quer dizer que aderimos o Curso de Doutorado e que estes Mestres não foram doutorandos, não passaram por doutoramento e nem defesas de alguma tese ou descobertas cientificas, simplesmente foram ou são magníficos. Enfim, A Capoeira é muito mais que isso tudo e tem seu valor científico e cultural para seus verdadeiros praticantes que buscam na pesquisa cientifica dar qualidade a capoeira e não se prender ao puro modismo ou rótulos influenciados pela mídia.

1. Estudante de Licenciatura e Bacharelado em Educação Física na Universidade do Estado do Amazonas; Licenciado em Geografia pela Universidade do Estado do Amazonas. Ativista e Pesquisador de Relações de Fronteira pelo Núcleo de Estudos Estratégicos Pan-Amazônicos. Conhecido no mundo da Capoeira como Mestre Dedão (AM), com 24 anos de pratica em 2009, sendo 14 anos educando mentes e formando cidadãos comprometidos com a comunidade, tendo discípulos espalhados pela Colômbia, Peru e Amazônia Brasileira, transmitindo sua filosofia. É uma representação da Associação de Capoeira Ave Branca, discípulo do Grão-Mestre Kall (DF).

Referência

CAPES. Disponível em: <<a href=”http://www.capes.gov.br”>www.capes.gov.br>. Acessado em: 11 de setembro de 2009.
CAPOEIRA, Nestor. Capoeira, Pequeno Manual do Jogador. Rio de Janeiro: Record, 1992.
CAPOEIRA LUTA DO BRASIL. Graduação. Disponível em: <<a href=”http://www.capoeiralutadobrasil.hpg.ig.com.br/capoeira_Graduacao.htm”>http://www.capoeiralutadobrasil.hpg.ig.com.br/capoeira_Graduacao.htm>. Acessado em: 11 de setembro de 2009.
DICIONARIO WIKTIONARY – WIKIPEDIA. Contramestre. Disponível em: <<a href=”http://pt.wiktionary.org/wiki/contramestre”>http://pt.wiktionary.org/wiki/contramestre>. Acessado em: 10 de setembro de 2009.
KOSTER, Henry. Viagens ao Nordeste do Brasil – Tradução e notas de Luís da Câmara Cascudo. São Paulo: Cia. Ed. Nacional, 1942, [p.316-7,333]. In: REGO, Waldeloir. Capoeira Angola. São Paulo: Itapoã, 1968.
MACHADO, José Pedro. Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa – Com a mais antiga documentação escrita e conhecida de muitos dos vocábulos estudados. Lisboa: Editorial Confluência, 1956 [v. I, p.461]. In: REGO, Waldeloir. Capoeira Angola. São Paulo: Itapoã, 1968.
MENDONÇA, Renato. A Influência Africana no Português do Brasil. 4a. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1972. [p.49]

Fonte: http://redenacionaldacapoeira.ning.com/profiles/blogs/contramestre-e-nao-mestrando

Por: Edney da Cunha Samias (Mestre Dedão)*
E-mail: [email protected]

*Artigo de minha inteira responsabilidade.

Portugal: Organização e União em busca de uma Identidade

Mestres, Contramestres, Professores e responsáveis de Grupos, Associações e escolas de capoeira de Portugal,

Segundo Lei que regulamenta a prática de atividades físicas em Portugal (onde se inclui a capoeira), Dec. Lei 272 de Outubro de 2009, lei esta que obriga todo profissional que queira dar aulas ter um curso superior em Educação Física ou um registro federativo em órgão competente e reconhecido pelo Estado Português sob pena de não pode exercer, profissionalmente, a atividade.

Em função dessa nova realidade surge a necessidade da existência de uma Federação de Capoeira em Portugal, legitimada pelos mestres, contramestres e professores que aqui residem e trabalham, independentemente do grupo, estilo, graduação e indumentária, afim de que possamos, em parceria e transparência, garantir, perante as leis de Portugal, o pleno exercício de uma atividade que transcende, a todos nós capoeiristas, as barreiras limitantes do simples desporto.

Com cariz de urgência foram realizadas anteriormente três reuniões com o intuito de debater a lei vigente e a possível criação de uma Federação de capoeira.

Nesta reuniões estiveram presentes:

  • Mestre Nininho – G. Agbara
  • Mestre Sargento – G.Muzenza
  • Mestre Tucas – GUC
  • Mestre Umoi – GUC
  • Contramestre Marco Antonio – A.Astral
  • Contramestre Nago – GUC
  • Contramestre Neguinho – G.Gingarte
  • Contramestre Nil – G.Muzenza
  • Contramestre E.T Arte Pura
  • Prof. Birita – G.G.Brasil
  • Prof. Papilon – GUC
  • Formado Carcará – E.B.
  • Formado Cogumelo – A.Astral
  • Instrutor Goiaba – G.C.Brasil

Foram, ainda, informados e são conhecedores da situação os seguintes responsáveis:

  • Mestre Alexandre Batata – G.G.Contemporânea
  • Mestre Barão – G.L.Saudade
  • Mestre Caramuru – G.P.Barra
  • Mestre Chapão – A.Capoeirarte
  • Instrutor Cangaceiro – G.G.Brasil
  • Prof. Luciano Milani – Capoeira Mogadouro

Está marcada uma próxima reunião para o dia 06 de dezembro às 15:00hs, na Escola Preparatória de Alfornelos para que possamos definir estratégia da criação e modelo de funcionamento dessa possível Federação de capoeira de Portugal com a seguinte ordem de trabalho:

a) Preenchimento de formulário para se dar inicio, formal, à criação da Federação;

b) Escolha do nome;

c) Elaboração do Estatuto (pedimos que quem tenha conhecimentos de causa, leve, se possível, algum modelo de estatuto para servir de base);

d) Possível escolha de um pequeno grupo de trabalho para elaboração, com data a ser marcada, de departamentos e modelos de funcionamento da Federação como por ex.: departamento desportivo, técnico, jurídico, patrimonial, de pesquisa, cultural, outros.

De acordo com três reuniões anteriores, que deram origem a essa próxima e mais importante, ficou-se, antecipadamente, definido que:

1. A Federação não será um órgão fiscalizador de grupos de capoeira em Portugal;

2. Não existirá ingerência nos grupos de capoeira, reservando aos seus representantes a definição e manutenção de seus uniformes, graduações e filosofia.

3. Cada grupo de capoeira facultará à direção da federação informações sobre o sistema de graduação, estatutos existentes (monitores, instr. Prof. Etc.), requisitos para obtenção de cada estatuto existente no grupo e também fará chegar à direção da federação o currículo de todo aluno que aspira a um registro técnico, expedido pela federação.


Com os melhores cumprimentos,

Grupo (provisório) de trabalho

Umoi Souza – coord.

Portugal: Projeto 24 Horas – Grande Roda de Capoeira

PROJECTO 24 HORAS – GRANDE RODA DE CAPOEIRA

O Grupo União na Capoeira torna público que nos dias 26 e 27 de Abril, estará realizando a 4º edição da Grande Roda de Capoeira de 24 horas.

Portugal: Projeto 24 Horas - Grande Roda de Capoeira

Sob a coordenação do contramestre Nagô, o objectivo principal do evento é a interacção entre os participantes que durante as 24 horas se propõe a uma troca de conhecimentos, aulas de capoeira Angola, Dança e muita capoeiragem num clima de camaradagem objetivando o crescimento colectivo.

Fica o desafio para capoeiristas dos diferentes grupos, escolas e associações para se juntarem a nós nesta festa que, também, se torna, a cada ano, um marco na capoeira desenvolvida em Portugal, entrando na lista de eventos mais esperados.

Para este ano estão confirmados: Mestre China, Mestre Braga, Mestre Umoi, Mestre Nilson, Mestre Tucas, Mestra Jerusa, Mestra Pitu, Mestre Birrila,  entre muitos outros.

O evento irá decorrer  de 26 a 27 de Abril de 2008 na Escola Básica 2,3 de Alfornelos, Amadora.

Não perca tempo! Os primeiros 100 inscritos têm direito a uma t-shirt!

Informações:

www.cmnago.com – +351 964593999

Contramestre Nagô – Grupo União na Capoeira

 

Aconteceu: RJ – Oficina de Capoeira Angola Grátis

Mestre Jeronimo, de passagem pela Cidade maravilhosa, nos envia artigo sobre a visita ao contra-mestre Caixote (Grupo Muzenza) e ao Mestre Arerê (Quilombo Arerê)

Axé!

Estou de passagem no RJ, e fui convidado para prestigiar mais um evento.
Agradeço ao contramestre Caixote e o mestre Arerê pelo convite.

foto: mestre JC + grupo Muzenza

O evento desta quinta-feira faz parte de uma série de oficinas (grátis!) que o contramestre Caixote, grupo Muzenza, oferece durante toda a semana para acrescentar para a celebração do Batizado e Troca de Cordas do grupo que se realizará dia 2710/07 as 14hs.

O convido especial para a oficina de Capoeira Angola foi o mestre Arerê. O evento contou com a presença de alunos do Quilombo Arerê, da Pro. Darlem Costa, (filha do mestre Derli Ariri – Cidade de Deus), e outros graduados de outros grupos.

A Capoeira do RJ, do Brasil, está de parabéns por mais um evento que VISA acrescentar para a educação do povo, para o povo. A aula do mestre arerê, a Roda, foi um sucesso!

Muito me agradou ver em particular as crianças presentes ter uma aula aonde são direcionados para ter consciência dos deveres e direitos do cidadão, dos fundamentos da Capoera, exaltando a família, e a educação escolar, etc.

O mestre Arerê, com seu carisma “ de carioca” contando estorias da capoeragem do RJ, e outros fatos, fundamento de jogo, etc, o que faz com muita alegria, inspirando a criançada e os presentes a dar rizadas, aprendendo e curtindo ao mesmo tempo.

Durante o evento, mestre Arerê ressaltou entre outras coisas sobre a função dos nomes que são próprios da capoeragem, seus significados, inclusive, da origem do nome do Grupo Muzenza no RJ, que nasceu com o mestre mentirinha que passou para o irmão, mestre paulão, em seguida até chegar ao mestre burguês.

O contramestre caixote está convidando a todos que queiram participar desta celebração do Batizado do Grupo Muzenza.

Quando: dia 25/10/07, na Ciep Tancredo Neves, Rua do Catete, 77.

Informações: c. mestre caixote – Muzenza RJ [email protected]

Vamos rodar esse jogo pra ‘7 mares’.

Axé!

Mestre Jeronimo Capoeira – ‘Iconoclast JC’
www.myspace.com/mestrejeronimo

Aconteceu: Vadiação na Varanda do Cazuá

A Família Cazuá estava em festa…

Mais uma vez recebeu os camaradas: Mestre Roberval e contramestre Dorado e também contou com a presenca de 2 alunas do Brasil, as treinéis Malvadeza e Pecadinho que no momento estão no Cazuá pra reforcar o time .

O evento contou com varias pessoas de todos os lados forão 3 dias de muita vadiação e muita festa !

Para quem perdeu esta festa não precisa se preocupar pois em outubro iremos realizar o 3º aniversário do do Nucleo Irmão Guerreiros na Alemanha, nos dias 5, 6 e 7 de outubro.

Todos estão convidados.

Cazuá

Abraços e muito obrigado irmão, a família Cazuá agradece

axé
ctr perna

www.capoeira-angola-bremen.de

 

Contramestre Perna Longa, o responsável pelo Grupo Irmãos Guerreiros, núcleo Alemanha, covida todos pra vadiar na varanda do Cazuá (Nome carinhoso e cheio de significado para o pessoal da família IG) em Bremem, Alemanha.
Dia 27, 28 e 29 Mestre Roberval, Contramestre Perna Longa, Contramestre Dorado e mais duas alunas do Brasil, trenéis Pecadinho e Malvadeza irão comandar a festa e a vadiação…

Um evento importante cujo destaque é a presença de Mestre Roberval e a qualidade de capoeira praticada e ensinada pela família Irmãos Guerreiros.

Luciano Milani
Cazuá
Visite o site oficial do Cazuá do Contra Mestre Pernal Longa:
www.capoeira-angola-bremen.de

Capoeira Ibeca promove Festival na Holanda

A terra dos moinhos de vento vai vibrar sob o ritmo da capoeira nos dias 25, 26 e 27 de maio. O II Internacional Capoeira Ibeca Festival acontece em Roermond, por iniciativa do Instituto Brasileiro de Esporte, Cultura e Arte (Ibeca), dirigido pelo Contramestre Tiago de Camargo (Formiga). O evento foi realizado pela primeira vez em 2006 e o sucesso motivou os organizadores a manter este importante encontro no calendário europeu de capoeira.
Durante três dias o clima temperado dos Países Baixos vai esquentar com a presença de representantes de vários grupos de capoeira que atuam no Brasil e no exterior. Entre os convidados estão os mestres Gato (Senzala, Rio de Janeiro), Mauro (Capoeira de Berimbau, São Paulo) e Ratto (Água de Beber, Ceará). Os mestres Vladimir (Capoeira Batuque, Holanda) e Amendoim (Senzala, Brasília).
 
A abertura do encontro acontecerá no centro de Roermond com uma animada roda de rua. Os mestres presentes se revezarão nas oficinas de capoeira e percussão para alunos iniciantes e graduados. No dia 26, os participantes do Festival caem no samba numa típica festa brasileira de confraternização. O encerramento acontece no domingo, com um show de atabaques e a tradicional cerimônia de Batismo e Troca de Cordas.
 
Dicionário de Capoeira (3a. edição) será lançado durante o Festival
 
Atendendo a convite do Contramestre Formiga, estarei no Festival para divulgar duas obras: a 3a. edição revista e ampliada do Dicionário de Capoeira e a história em quadrinhos “Eu, você e a capoeira” , destinada aos capoeiristas que atuam com o público infantil. Aproveitarei a ocasião para entrevistar mestres brasileiros que atuam no Velho Mundo e estreitar contatos com os camaradas que difundem a nossa arte.
 
Contra Mestre FormigaServiço – As inscrições e informações sobre o Festival podem ser obtidas com Contramestre Formiga, nos telefones + 3177 352 1858 e  + 3164 300 7058, ou nos seguintes endereços eletrônicos: www.capoeiraibeca.com e [email protected].
 
(*) O autor é colunista dos sítios www.portalcapoeira.com, www.jornalmundocapoeira.com e www.temoniticia.com.br e edita a revista Capoeira em Evidência

Rio: 13º Conferência da Fundação Internacional de Capoeira Angola

A FICA-RIO tem o enorme prazer de convidá-lo para 13º Conferência da Fundação Internacional de Capoeira Angola com o tema: Homenagem aos cultos africanos, a realizar-se no Rio de Janeiro / Brasil, no período de 26 a 29 de julho deste ano.
 
Para maiores informações entre em contato conosco pelo site www.ficario.org ou envie-nos um e-mail para [email protected]
 
cordialmente,
 
Contramestre Rogério Teber.

Capoeira: na essência da informação

É com imenso orgulho e felicidade que nós do Portal Capoeira, site Irmão e parceiro do Jornal do Capoeira (www.capoeira.jex.com.br) publicamos esta  Crônia especial de inauguração do contramestre Eurico para o Jornal do Capoeira, onde o jovem mestre relata de forma apaixonada e integral a sua dedicação e seu respeito pela nossa arte…
O Contra Mestre Eurico está iniciando uma parceria em prol da capoeiragem com o excelente Jornal do Capoeira, que esperamos que seja duradoura e que os frutos sejam suculentos e saborosos!!!
Boa Sorte Eurico, sucesso em sua jornada que esta experiencia de troca e soma possa fomentar a vontade e a "sede" de saber em nossos camaradas.
Aproveitando para agradecer a inclusão de nosso Portal como referencia de Informação e seriedade.
Luciano Milani

Jornal do Capoeira – www.capoeira.jex.com.br

Edição 70 – de 23 a 29 de Abril de 2006
 
Nota do Editor:
 
        Há algum tempo que o professor de Educação Física e contramestre de Capoeira Eurico Barreto Viana, do grupo Cordão de Ouro de Brasília, DF, tem acompanhado e contribuído com "releases" para este nosso Semanário Capoeirístico. Neste processo, Eurico e eu passamos a "papoeirar" sobre assuntos diversos envoltos à nossa arte. Fiz o convite para que Eurico passasse a compor nosso time editorial e ele, de pronto, assumiu um dos gungas deste Jornal. O contramestre Eurico assumiu, mais precisamente, uma coluna para escrever sobre assuntos diversos de nossa arte e, é claro, escreverá também um pouco sobre as capoeiras que acontecem em Brasília. Nas próximas edições Eurico escreverá sobre o "Projeto Social Aprendendo com a Cultura Brasileira"; sobre a Capoeira como instrumento de integração social, num contexto de intercâmbio Brasil-Suécia; e sobre a Capoeira como elemento de Educação e Inclusão Social.
        Aos camaradas do Distrito Federal, nosso grande Axé! Ao camarada Eurico, bem vindo à Roda da Informação!
 
            Capoeiristicamente,
 
                    Miltinho Astronauta

Crônia especial de inauguração do contramestre Eurico:

Eurico Barreto Viana
Brasília, Distrito Federal
 – 16 de Abril de 2006 –
Camaradas,
 
É com grande prazer que escrevo ao nosso Jornal do Capoeira. Após acompanhar algumas publicações e receber apoio deste Jornal para divulgação de um evento que realizamos ano passado, passei a acompanhar mais de perto as notícias e artigos publicados no site.
 
Recentemente estive em contato com o Miltinho, e aproveite a oportunidade para parabenizá-lo pelo excelente trabalho em prol da Capoeira. Acabamos por discutir a escassez de periódicos que levassem mais a sério a Capoeira como meio de educação e expressão cultural. Dessa conversa surgiu a idéia de realizarmos uma parceria para noticiar assuntos referentes a esses temas, numa tentativa de incentivar outras iniciativas e a troca de experiências que tanto fortalecem a nossa cultura.
Com a massificação da Capoeira e a reprodução de modelos opressivos, do mais forte contra o mais fraco, veiculados em alguns meios de comunicação, os jovens perdem a chance de se expressar dentro da cultura da capoeira. O que contribui para a perda gradativa de sua cultura de resistência e sapiência popular. A informação veiculada sobre esses aspectos da Capoeira não pode ser igualmente alienada. Faltam-nos periódicos que tratem da capoeira de modo a desfazer este processo adverso que de tempos em tempos se instaura na capoeira.
 
Temos excelentes trabalhos de mestres e pesquisadores que se dedicam a produzir material de qualidade com a esperança de contribuir para o crescimento e evolução da Capoeira. Mas a maioria dos canais de divulgação que atingem o público jovem e disposto a aprender são também desprovidos de integridade no que compete à formação dos referenciais culturais pela experiência e dedicação. Nestes, a capoeira torna-se pouca e a propaganda muita!
 
Apesar de estar havendo uma comercialização de subprodutos atrelados à informação inexpressiva da cultura da capoeira, é possível ter acesso a material de qualidade sem sermos expostos à tanta propaganda! Exemplos disto são portais como o do Mestre Doutor Decânio – Capoeira da Bahia – ( paginas.terra.com.br/esporte/capoeiradabahia ), o Portal Capoeira, Editado por Luciano Milani ( www.portalcapoeira.com ) e este Jornal do Capoeira ( www.capoeira.jex.com.br ), que disponibilizam notícias e textos gratuitamente, incluindo obras completas.
 
Muitos capoeiristas ainda não possuem os recursos que a Internet exige, mas o meio virtual tem sido importante na divulgação da prática e trabalho com a Capoeira. Divulgar trabalhos sérios como o deste Jornal deve ser uma atitude freqüente em prol de uma Capoeira mais inteligente, mais educativa e informativa.
A essência da Capoeira transmitida pelos mestres que fazem desta arte-educação um ofício precisa de mais meios de comunicação para chegar aos vários praticantes e educadores que se formam a cada dia. Veicular esta informação a todos os capoeiras sem perder a qualidade depende de uma estratégia simples!: Tratar da capoeira com o mesmo respeito – sagrado – que os Mestres mais antigos têm, buscando seus fundamentos e filosofia, com ética e cidadania.
 
Através da divulgação de eventos de intercâmbio, aulas práticas, periódicos, portais ou qualquer outra forma de fruição do conhecimento, o importante é que os meios de comunicação possibilitem que todos fiquem em sintonia com os Mestres de Capoeira, com suas agendas de atividades e eventos, com seus objetivos e linhas de trabalho e com sua produção cultural. É assim que ficamos sabendo dos trabalhos sérios que se desenvolvem em cada lugar, através da mídia que possui responsabilidade com o seu público e com o objeto  noticiado.
 
Em Brasília são vários os Mestres que estão trabalhando com artigos, palestras e movimentos de conscientização sobre a Capoeira, seja como instrumento de arte-educação, ou como objeto de pesquisa histórica. Dentre eles podemos citar o Mestre Squisito (Cia Terreiro) que têm batalhado junto ao governo para a implantação do ensino obrigatório da Capoeira em todos os níveis do ensino público e o Mestre Cláudio Danadinho (Fundador do Grupo Senzala) que tem promovido em suas aulas e palestras um conhecimento histórico específico sobre a Capoeira Carioca, o Batuque e os trabalhos dos Mestres Waldemar e Bimba, com os quais conviveu muito em sua juventude. Além destes podemos citar ainda, os bate-papos informais com o Mestre Angoleiro (aluno do Mestre Bimba) que são verdadeiras aulas de cultura popular.
 
Coloco-me, desta forma, à disposição dos camaradas que acessam o Jornal do Capoeira, para discutirmos estes e outros assuntos tão importantes à formação de nossos profissionais e capoeiras juntamente com todos os colunistas e Mestres parceiros deste Jornal. Será um prazer discutir e somar para uma prática mais consciente da Capoeira.
 
Parabéns ao Jornal do Capoeira pelo seu compromisso e qualidade de trabalho com a Capoeira.
Grande abraço e axé a todos os irmãos de jornada!


Contra-Mestre Eurico
O Contramestre Eurico Neto é Professor de Educação Física, com especialização pela Universidade de Brasília. Aluno do Mestre Suassuna, coordena o Grupo Cordão de Ouro em Brasília. Fundou o Instituto Volta Por Cima – Capoeira, Educação e Cultura, através do qual realiza o Projeto Social – Aprendendo com a Cultura Brasileira e o Programa de Intercâmbio Brasil – Suécia. Para mais informações visite www.cordaodeouro.org
 
Academia Cordão de Ouro | Instituto Volta por Cima | CLN 107, Bloco "A", Ap. 208
CEP 70743-510 Brasília DF, Brasil | +55 61  3443.8450 | 8111.0647
 

Angolas em São Paulo

Sugestão do Jornal do Capoeira, para o final de semana… confira!!!
 
 

Neste final de semana – 26 à 28 de Agosto-, São Paulo oferece diversas opções para quem gosta de um bom jogo de angola.
Vejamos as alternativas:
 
 
1. Sexta (26), Mestre Zé Baiano, em Caraguatatuba, inicia o evento "Tributo a Mestre Gato Preto", que contará com o lançamento de um DVD com o mesmo título. No DVD, Zé Baiano conta sua vida e sua vivência com José Gabriel Góes (M. Gato Preto) – o Berimbau de Ouro da Bahia. Além de depoimento pessoal de Zé Baiano, o DVD inclui diversos momentos da vida de Mestre Gato. Contatos: (12) 3887-2346.
 
2. O contramestre Pernalonga, do Irmão Grupo de Capoeira Angola Irmãos Guerreiros estará comemorando o aniversário de sua academia (Núcleo Castilho), Jardim Pirajussara, Zona Sul da capital paulista. Pernalonga, logo após o evento, retornará à Bremen (Alemanha), onde desenvolve um trabalho de Capoeira Angola desde 2001. Para maiores informações leiam matéria no Jornal do Capoeira, ou então entrem em contato com as angoleiras Moleza (11) 9380-0494 ou Manchinha (11) 9735-2593.  Sitio do grupo: www.irmaosguerreiros.com.
 
3. O contramestre Saci, da Escola de Capoeira Angola Raiz Negra (M.Dominguinhos) convida a todos para participar de uma oficina de Capoeira Angola com Mestre Cláudio de Feira de Santana (BA) – Angoleiros do Sertão. A oficina será realizada no Espaço Cultural do Vila Paiva, as 16 horas do dia 28 (domingo). Taxa de inscrição: R$ 20,00. Contatos: CM Saci ou Trenel Charles Brown (autor das fotos desta matéria).
 
4. Mestre Cavaco e o Grupo Negaça Capoeira Angola estarão realizando Roda no Parque do Trianon – São Paulo, domingo (dia 28), a partir das 15h00. Maiores informações pelo telefone (55 11) 6901-1365, por e-mail com o Ratão ou então diretamente no sitio virtual www.negaca.com. Detalhes do convite podem ser encontrados também no Jornal do Capoeira.
 
 
Impossível comparecer a todos estes "campos de mandinga". De qualquer forma, enviamos nosso grande axé a todos os angoleiros e amantes da boa vadiagem que desenvolvem os trabalhos em nosso Estado de São Paulo.
 
                        Iêê dá volta ao mundo.
                        Iêê mundo dá volta, camará..