Blog

Outubro 2008

Vendo Artigos de: Outubro , 2008

Capoeirista Borracha pede mais apoio do poder público

O capoeirista piauiense Rômulo Wagner Trindade Marques, o "Borracha", 32 anos, começou na capoeira em 1979 e de lá para cá tem praticado essa arte e forma de cultura divulgado a capoeira Brasil afora. Rômulo esteve na redação do 45Graus onde falou sobre a falta de apoio do poder público para com a capoeira. "Tudo o que é em prol da capoeira recebe o meu apoio, mas é preciso que seja muito bem feito e eu não estou vendo o apoio do poder público para a capoeira local e para mim enquanto capoeirista", comenta.

Borracha está com um projeto para a abertura de um Centro de Formação de Capoeira Zumbimba em Teresina com o objetivo de formar capoeiristas. "O centro deve atuar diariamente na formação dos capoeiristas e para isso precisamos do apoio do poder público", disse.

Borracha segue para a Europa no dia 12 de dezembro para participar dos Jogos Europeus e espera contar com a ajuda do governo do Estado, Prefeitura e secretarias de Esporte Municipal e Estadual para concretizar sua viagem. "Estarei viajando para representar o Piauí através da capoeira lá fora e espeto ter o apoio necessário das autoridades piauienses", comenta.

O capoeirista diz que um apaixonado pela arte e a ginga presente na capoeira "Nossa meta é sempre a capoeira, tudo o que faço, só penso em capoeira, luto por ela e pela Filosofia do mestre Camisa, um dos grandes mestres da capoeira", finaliza.

Fonte:  http://45graus.com.br

X FIC de Brasília exibe filme de Joel Zito sobre exploração sexual

Cinderelas, Lobos e um Príncipe Encantado tem o apoio da Fundação Cultural Palmares

O documentário "Cinderelas, lobos e um príncipe encantado" – dirigido pelo cineasta Joel Zito Araújo e financiado pela Fundação Cultural Palmares, debate algumas das mazelas sociais mais preocupantes do cenário brasileiro, como o turismo sexual, o racismo e a pedofilia.

O diretor percorreu algumas capitais nordestinas, chegando à Itália e Alemanha, revelando a trajetória e o sonho de muitas meninas em encontrar seu príncipe encantado, o que na maioria das vezes se torna um grande pesadelo.

Não só a prostituição faz parte do cenário de Cinderelas, lobos e um príncipe encantado, como também o tema do racismo é fortemente abordado. Afinal, a maioria das "cinderelas" são mulheres negras. "Meu filme é sobre mulheres pobres, três quartos das quais são afro-descendentes", afirma o diretor.

Mas não se trata só disso. O documentário faz uma abordagem geral sobre a emigração de mulheres brasileiras. "Algumas se tornam trabalhadoras do sexo, outras não. Meu filme também trata sobre a imigração na Europa e muitos outros assuntos", ressalta.

O filme será exibido em quatro sessões durante o FIC Brasília, confira:

Dia 31/10 – sexta-feira – Sala 10, Academia de Tênis, às 17h.
Dia 02/11 – domingo, Sala 10, Academia de Tênis, às 19h40.
Dia 04/11 – terça-feira – Sala 10 – 19h50
Dia 07/11 – sexta-feira – Sala 03 – 19h20

Na última exibição do documentário (07/11) haverá também, um debate com o diretor Joel Zito Araújo.

Sobre o diretor

Joel Zito é professor da Escola de Comunicações e Artes da USP, e já em 2000, havia transformado sua tese de doutorado no filme "A Negação do Brasil" – onde documentou a histórica discriminação racial na televisão brasileira. Retomou a temática com um longa-metragem de ficção formado por um elenco todo negro: "As Filhas do Vento" – de 2004 – que recebeu seis prêmios em Gramado, inclusive melhor filme, diretor e prêmio da crítica.

Joel Zito coordenou também, a pesquisa "Onde está o negro na TV pública?" – encomendada pela Fundação Cultural Palmares, cujo objetivo é discutir a democratização da tv pública brasileira e a participação do negro nesse meio de comunicação.

Filme recebeu 6 prêmios no Festival de Gramado

Serviço:

X Festival Internacional do Cinema de Brasília

Data: 29 de outubro a 09 de novembro de 2008
Local: Academia de Tênis José Farani (Setor de Clubes Esportivos Sul – SCES Trecho 4, Conjunto 05, Lote 1B)
Quanto: Abertura: R$20 (inteira) / R$10 (meia);
Demais sessões: R$12 (inteira) / R$6 (meia)
Informações: www.ficbrasilia.com.br ou (61) 3316-6475/6227/6887.

Assessoria de Comunicação
Inês Ulhôa – assessora de imprensa (9966-8898) ines.ulhoa@palmares.gov.br
Jacqueline Freitas – jacqueline.freitas@palmares.gov.br
Marília Matias de Oliveira – marilia.oliveira@palmares.gov.br
Marcus Bennett – marcus.bennett@palmares.gov.br
Telefones: (61) 3424-0164/ 0165/ 0166
wwww.palmares.gov.br

Oficina de Capoeira Angola Mestre Jogo de Dentro

Encontro de camarados, organizado por alunos responsáveis por núcleos do Grupo de Capoeira Semente do Jogo de Angola, em Campinas e Piracicaba.
Serão realizados treinos com o mestre, em Campinas, Limeira e Piracicaba, além de oficinas com convidados e de rodas abertas a todos os interessados.

informações: www.sementedojogodeangola.org.br

 

Oficina de Capoeira Angola Mestre Jogo de Dentro
11 a 14 de Dezembro — 2008

Programação

5 f- dia 11/12
E.C. Semente – Campinas
16h -18h: treino com M. Jogo de Dentro
19h: roda
Av. Santa Isabel, 2070 – Barão Geraldo F. 19-3289-8011

6 f- dia 12/12
CESET(Unicamp) – Limeira:
10h-12h – treino com M. Jogo de Dentro
R. Paschoal Marmo, 1888, Jd. Nova Itália,
F. 19-21133492, 2113-3368

C.C. Monte Alegre – Piracicaba:
16h-18h: treino para crianças/iniciantes
18h-19h: apresentação de resenhas
19h-21h: roda aberta
Av. Com. Pedro Morganti, sn- Monte Alegre

sáb.- dia 13/12
CDHU- Campinas
9h -11h: treino com M. Jogo de Dentro
11h -12h: rítmo
14h -16h: oficina de afinação de atabaque e
encouramento de pandeiro (Toshiro)
16h -18h: treino para crianças/iniciantes
19h: roda

dom.- dia 14/12
CDHU- Campinas
9h -11h: treino com M. Jogo de Dentro
11h -12h: oficina de maculele (G.
Cordão de Ouro)
14h -16h: oficina de danças regionais
16h: roda aberta / samba de roda
R. José Mendonça, 341 – CDHU

Contribuição
R$20/dia de atividade; ou
R$60 todos os dias + camiseta
Inscrições Limitadas

Contatos:
Danny – 19-91170194
Cristiano – 19-96421397
Guga – 19-81622492

Capocabana: idosos do DF fazem aulão na orla carioca

Associação Brasileira de Capoterapia realiza o curso para capoeiristas que desejam atuar com terceira idade

Uma caravana de grupos de terceira idade do Distrito Federal visita o Rio de Janeiro de 28 a 30 de novembro. Mas não é apenas mais um passeio turístico. Eles participarão da demonstração prática do curso de Capoterapia, que será ministrado por Mestre Gilvan, idealizador dessa terapia e presidente da Associação Brasileira de Capoterapia (ABC).

Com 15 horas de duração, o curso terá a participação de 50 idosos que freqüentam, na capital federal, oficinas de capoterapia em centros de saúde, ongs e instituições de ensino. Durante o curso, serão qualificados e licenciados para atuação, profissionais interessados em difundir a proposta da capoterapia em sua região.

Promovido pela ABC, o Capocabana – como está sendo chamado o curso – acontecerá na orla carioca e nas dependências do Sesc Ramos, onde ocorre a parte teórica. O evento tem o apoio da Federação de Capoeira Desportiva do Rio de Janeiro. Confira a programação e conheça mais o trabalho da ABC no site www.capoterapia.com. Inscreva-se e não deixe de participar desse importante curso.

Programação do Curso Teórico e Prático de Capoterapia

28 de novembro, sexta

18 h – Aulão de Capoterapia em Copacabana (em frente ao Copacabana Palace)

Dia 29 de novembro, sábado

9 as 12 h – Aulão de Capoterapia em Ipanema (em frente ao Barril)

14 às 19 h – Curso de Capoterapia no SESC Ramos

Dia 30 de novembro, domingo

9 às 12 h – Capoterapia em Copacabana (em frente ao Copacabana Palace)

Informações e inscrições

GILVAN ALVES DE ANDRADE
Presidente da ABC (61) 9962 2511 – 3475 2511

MANO LIMA
Assessor de Comunicação da Associação de Capoeira Ladainha
(61) 8407 7960 – mano.lima@yahoo.com.br

BID seleciona projetos culturais de pequena escala

O Centro Cultural do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anuncia sua convocatória de propostas para concessões de ajuda financeira em 2009 a projetos de desenvolvimento cultural de pequena escala. As propostas devem ser enviadas antes de 31 de janeiro de 2009 para as Representações do BID nos 26 países da América Latina e do Caribe que são membros mutuários do Banco. As doações únicas, em valores que variam de US$ 3.000 a US$ 10.000, serão concedidas a propostas que satisfaçam uma necessidade local, contribuam para os valores culturais, estimulem a atividade econômica e social de forma inovadora e bem-sucedida, apóiem a excelência artística e contribuam para o desenvolvimento dos jovens e da comunidade.

O Programa de Desenvolvimento Cultural foi concebido para estimular o desenvolvimento de projetos inovadores, preservar e recuperar tradições e conservar o patrimônio cultural, entre outros objetivos. Os projetos são avaliados de acordo com sua viabilidade, alcance educativo, uso eficaz de recursos, capacidade de mobilizar recursos financeiros adicionais e impacto de longo prazo sobre a comunidade. O BID pode financiar até dois terços de um projeto. As organizações locais são responsáveis por proporcionar o resto dos recursos e apoiar o projeto de modo sustentável. Desde 1996, o Programa de Desenvolvimento Cultural tem demonstrado a eficácia de microinvestimentos em empresas culturais comunitárias para a geração de empregos e desenvolvimento de capacidade.

Fonte: http://www.comunicante.jor.br/

Letícia Núñez Almeida
Núcleo de Políticas Públicas para o Povo Negro
Coordenação de Direitos Humanos
SMDHSU- Prefeitura de Porto Alegre

Tels: 51 32897037, 32897049, 32897017

Macapá-AP: Capoeira, Teatro e Comunidade

Capoeira e teatro acompanham crianças e adolescentes dentro das vertentes culturais, tendências artísticas presentes na comunidade do bairro Brasil Novo em Macapá-AP.

Quem tem a oportunidade de freqüentar o bairro Brasil Novo percebe que a representação da cultura é uma das principais características do local. Para oferecer lazer gratuito à população, várias famílias se dividem em grupos para oportunizar a difusão da capoeira, artesanato, música e dança.

É por meio dessas tendências artísticas que crianças, adolescentes e adultos se divertem todos os dias e aprendem como acontece as vertentes culturais. Acompanhe um pouco sobre a história que já rende bons frutos para a comunidade:

CAPOEIRA

No Brasil Novo essa modalidade esportiva é representada, através da Associação de Capoeira Brilho da Liberdade. Os ensinamentos do contra mestre Chicão e dos professores Gerson e Pedro Henrique são passados todos os dias para os alunos. Para efetivar as ações duas turmas compostas por 80 alunos, participam de aulas de segunda a sexta, nas dependências da Escola Estadual Maria Cavalcante e Escola de Música Amilar Arthur Brenha.

As dificuldades para participar do grupo são muitas, uma vez que boa parte dos alunos da Associação não possui condições de obter as roupas recomendadas para a prática da capoeira. Apesar de tudo isso, os alunos freqüentam fielmente as aulas e sempre agradecem pelos ensinamentos.

A iniciativa deu tão certo, que várias pessoas já foram beneficiadas diretamente com as ações da Associação. " O nosso trabalho é fundamental na comunidade. Vários jovens que estavam em situação de risco saíram do mundo da marginalidade, por conta da capoeira, e isso não tem preço. Somos felizes por ajudar o Brasil Novo e todas as nossas crianças e adolescentes" , afirmo o contra mestre Chicão.

TEATRO

Circo, teatro e dança. Essas características culturais são bem representadas no bairro, por meio dos artistas que integram o famoso grupo " Da Trupe Leões da Arte" . Desde o ano 2000, dançarinos, palhaços, malabaristas e atores se apresentam nas comunidades da cidade de Macapá.

Para o artista Eudo Augusto, a junção de todas essas peças culturais resulta na alegria da população, que diariamente é prejudicada com a falta de oportunidades. O trabalho dos seis artistas que compõe o " Da Trupe" chega ao Brasil Novo com muito louvor e reconhecimento, por parte dos moradores do Brasil Novo.

Para este segundo semestre, o grupo promete várias oficinas de iniciação ao teatro e arte circense. " Queremos colocar a comunidade em contato direto com esse mundo mágico" , diz Eudo.

Adeus, adeus: mestre Chico Batista, o Chico Calungueiro

No último dia 10, o Ceará perdeu o talento de mestre Chico Batista, o Chico Calungueiro. Artesão e entusiasta do maracatu, criador de figuras da cultura cearense na versão calunga, como Cego Oliveira, Patativa do Assaré, Muriçoca e Irmãos Aniceto ele será lembrado hoje, às 19h, na Igreja de N. Sra. de Nazaré, no Montese. O pesquisador Calé Alencar dá seu depoimento sobre o artista de múltiplos talentos

Conheci Chico Batista em 1999, quando iniciei minha participação como brincante e membro da diretoria do Maracatu Az de Ouro. Sua figura franzina, lembrando um Dom Quixote cearense, em nada se assemelhava ao seu imenso talento para artes e ofícios na feitura de alegorias, adereços e muitas outras demandas de maracatus, blocos e escolas de samba de relevante presença no carnaval de Fortaleza. Seu porte magrelo logo me chamou a atenção pelo contraste entre o calibre de menino nascido em Senador Pompeu e os afazeres estafantes dos desfiles carnavalescos.

Descobri em Chico Batista um artista para muito além de cocares, saiotes, esplendores, cetros, estandartes, penachos e coroas. A um meu pedido, feito em tom de sugestão com o objetivo de preencher a necessidade de termos, no maracatu, uma representação a nos servir de produto revelador do folguedo, respondeu-me com uma miniatura de rainha, logo seguida de um conjunto completo, representando o figural desta expressão afro-brasileira tão bem assentada no corso carnavalesco. Desde os maracatus do Morro do Moinho, da Apertada Hora, da rua de São Cosme, do Outeiro e do Manoel Conrado, registrados em ´Através dos Folk-lores´ por Gustavo Barroso, passando pelo pioneirismo de Raimundo Alves Feitosa, no corso fortalezense a partir de 1937, até os cortejos atuais.

Exímio jogador de futebol nos rachas dos times de subúrbio, onde fez fama e muitos gols pelos campos do Montese, Itaoca, Jardim América e Bom Futuro, Chico foi também craque na linha de frente do grupo fundador do Maracatu Nação Fortaleza, ocupando cargo na diretoria desde o início das atividades do Nação. E concorrendo com criatividade e suor para construir um abrigo acolhedor do nosso brinquedo, emprestando sua sensibilidade na montagem das exposições de adereços, figurinos, instalações e fotografias do maracatu.

Aos seus diminutos bonecos, confeccionados em madeira, fio de cobre, alumínio, algodão, durepox, tecidos, agulhas, linha, plástico e cola quente, dei o nome de calungas. E aí virou Chico Calungueiro, meu estimado mano Pichico. Criador de figuras representativas da cultura cearense na versão calunga, a exemplo de Cego Oliveira, Patativa do Assaré, Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto, Muriçoca e Dragão do Mar, além de sua marca registrada – o maracatu e os estandartes dos grupos participantes do carnaval de rua.

Amigo, moleque, irmão, companheiro, confidente, presepeiro, camarada, um dia me trouxe um seu irmão, de nome Carlos, meu xará e ainda por cima nascido em 20 de outubro, mesma data de meu aniversário. Colega de café, cajuína, refresco de murici, gomos de ata e tangerina, Maria maluca, sarrabulho e panelada com arroz e muito caldo, em apenas um aspecto divergimos, enquanto estivemos pisando o mesmo chão, com a força de Oxum, Xangô, Oxalá, Pomba Gira, Jurema e Zé Pilintra: em seu coração batia um tambor alvinegro, enquanto o meu não sabe bater outra coisa a não ser um batuque tricolor de aço.

Obras e acervo

Chico Batista, mestre artesão registrado e freqüentador das feirinhas do Sesc, nas praças São Sebastião, Murilo Borges e do Ferreira, tem peças espalhadas por casas de amigos e admiradores. Destacadas personalidades do mundo das artes e da política foram agraciadas com seus trabalhos, a exemplo de Fernanda Montenegro, Matheus Nachtergaele, Ednardo e Raimundo Aniceto. Eu mesmo entreguei ao presidente Lula, na solenidade de outorga da Medalha da Ordem do Mérito Cultural, em 2007, uma réplica da Banda Cabaçal dos Irmãos Aniceto.

Outras peças de sua autoria enfeitam estantes no Memorial da Cultura Cearense, do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, e em São Paulo, Rio, Porto Alegre, Olinda, Santana do Acaraú, Nova Iorque, Paris, Buenos Aires, Pequim, Ilha do Sal, Roma, Salvador, Crato e Juazeiro do Norte. O acervo da Casa da Memória Equatorial tem algo em torno de 300 peças, adquiridas desde o início de Mestre Chico na confecção das calungas.

O Centro Cultural Banco do Nordeste Fortaleza abriu espaço para exposição de seu trabalho em 2001, época em que Tibico Brasil realizou oportuno registro fotográfico do material exposto. Em 2005, conquistou o primeiro lugar no I Salão Municipal de Artesanato, realizado pela Prefeitura de Fortaleza, ocasião na qual fez jus a um prêmio jamais recebido, apesar de idas e vindas à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, responsável pelo concurso.

Despedida

Pai do Alexandre, primogênito herdeiro de seu talento, da Sandra e do Lucas, avô da Maiara e do Pedro Alex, a quem chamo Chico Neto, Francisco Batista de Oliveira, o mestre artesão das calungas, completava seus ganhos levantando paredes, pintando portas, caiando muros, consertando canos, instalando redes elétricas e jogando no bicho, quase todo santo dia. Na quinta-feira, dia 9 de outubro do ano da graça de 2008, cinco dias após haver completado 54 anos, pisou em falso no alto do telhado de uma casa onde trabalhava, no Montese, nas proximidades da igreja de Nazaré, perdeu o equilíbrio e a vida, pelo menos esta vida compreendida no plano material, real e visível. No plano dos encantados, virou luz. Vestiu-se com o estandarte do Maracatu Nação Fortaleza, uma de suas mais belas peças, e foi entrar na morada de Olorum.

Axé, querido amigo. Até um dia. Saravá, meu querido irmão e mestre. Mestre Chico Batista. Prometo a você fazer soarem os tambores como saudação à sua chegada na nova casa. Receba meu abraço musical e alencarino e os aplausos de todos os brincantes do Maracatu Nação Fortaleza, a calunga mais bonita feita com a arte de suas mãos.

P.S.: Quem sabe os organizadores do carnaval de rua em Fortaleza acolham a idéia de trabalhar com a arte de Chico Batista para ilustrar o tema do desfile em 2009. Será uma preciosa oportunidade de fazê-lo permanecer lembrado e presente no ambiente ao qual dedicou a vida.

CALÉ ALENCAR
especial para o Caderno 3
(*) Cantor, compositor, produtor musical, fundador do Maracatu Nação Fortaleza.

REPERCUSSÃO
"A partida de mestre Chico Batista foi uma surpresa pra todos. Ele fazia todo o material do Az de Ouro, junto com Mestre Juca. Tinha um talento enorme, para o maracatu e outros trabalhos".
Pingo de Fortaleza
Cantor, compositor e produtor

"Chico Batista começou no maracatu ainda nos anos 70. Deu uma enorme contribuição com sua inteligência. Era um grande apaixonado pelo maracatu, independente de agremiações"
Marcos Gomes
Presidente do Maracatu Az de Ouro

(Foto: ACERVO CALÉ ALENCAR/KARLO KARDOZO)

Fonte: http://diariodonordeste.globo.com/

Capoeira e Cantoria para todos

INFORMATIVO CULTURAL DO BRASIL REAL

Bom dia a todos, Saúde e Paz Sempre…

SÃO BENTO GRANDE E SANTA MARIA… (Homens e mulheres de bem com a vida )

O COURO NA MARCAÇÃO, AI O BERIMBAU APARECE, JUNTO COM O CAPOEIRISTA…

O gunga pergunta e a viola arenga, somente se souber o tocador.

Todos os jogadores, tocadores e mandingueiros estão convidados.

Todas as jogadoras, tocadoras e mandingueiras estão convidadas.

A praça é do povo que quer a praça. É assim a capoeira, do povo para o povo…

Neste sábado 25 de outubro das 16 as 18 horas,
continuamos com capoeira, ritmo, cantoria e jogo de camaradas.

ESTAMOS NA DÉCIMA RODA DO PASSEIO…

PUBLICAREMOS UMA RELAÇÃO DOS QUE JÁ ESTIVERAM NESTA FESTA.

VAMOS ATÉ DEZEMBRO DESTE ANO…

Um abraço Fraterno a todos e a todas…
Walter Júnior ( Capoeirista )

I Ginga Arembepe – ABOLIÇÃO CAPOEIRA

ABOLIÇÃO CAPOEIRA – Apresenta:

I° Ginga Arembepe – Educação,cultura e cidadania

Programação:

01/12/08/

18:00h/Barracão Cultural Arembepe

Cursos de capacitação:
Como gerenciar mudanças-Facilitadora:Profª Célia Peridiz
Ludomotricidade-Facilitador-Prof°Fernando Martins

02/12/08/

18:00h/Barracão cultural-Arembepe

Oficina de capoeira Infantil
Contra mestre Brisa-Grupo Gueto-salvador-ba

03/12/08/18:00h/Barracão Cultural-Arembepe

Curso de capacitação:
Primeiros socorros-Traumatologia
Facilitador:Técnico do Samu:Facilitadora:Carina Oliveira

04/12/08/

16:00h/Barracão Comunitário

Oficina de percussão-Facilitador:Prof° Bolinho-Grupo Abolição

18:00-Oficina de capoeira-Facilitadores:

Mestre Léo Pivete-Capoeira Brasil-Rj

Formado Careca-ACCB-Espanha

05/12/08

9:00h-Aldeia Hippie

Curso de Capoeira Regional-Facilitador:Mestre Salário Mínimo-Abolição

16:00hBatizado infantil-Quadra poliesportiva Arembepe

06/12/08

9:00h-Mutirão de Limpeza nas praias

07/12/08/9:00h/Pousada Caminho do sol

Batizado,Formatura e troca de cordões

13:00h-Confraternização e comemoração :Aniversário Contra Mestre Bobô

Contatos:

boboabolicao@hotmail.com/ patricialcasadosol@ig.com.brTel:36242198/8781-3847

João Pessoa sedia Encontro de Capoeira

João Pessoa, PB – Capoeiristas de todo o Brasil estarão presentes neste sábado 25, e domingo 26, em João Pessoa, para o nono Encontro Nacional de Capoeira.

Cerca de 500 praticantes do esporte se inscreveram para o evento que tem como objetivo graduar e observar o desempenho dos atletas além de promover a inclusão de 200 atletas do Centro Integrado de Apoio ao Portador de Deficiências, FUNAD.

No primeiro dia da competição, a atração será uma grande roda de rua realizada às 19h30, na Feirinha de Tambaú. Mestres de capoeira de todo o país estarão presentes, como: Hulk, Portes, e Fabinho, todos do Rio de Janeiro, além do paulista Pinatte.

O organizador do Encontro, Márcio Rodrigues, revelou que este é o maior trabalho de inclusão realizado no Brasil, tendo a participação de 200 capoeiristas da FUNAD, alunos das redes municipal e estadual de ensino, como também de universitários e integrantes de academias.

Ele ainda assegurou que portadores de várias deficiências estarão competindo ao lado dos demais alunos. Todos juntos, num clima de descontração, brincadeira e muito respeito.

O evento é organizado pela Associação de Capoeira Terra Firme e conta com o apoio da direção da FUNAD e da Secretaria de Educação do Estado.

A entrada é gratuita.

Fonte: http://www.agoraesportes.com.br