Capoeira é coisa bem brasileira | Capoeira
|

Capoeira é coisa bem brasileira

Capoeira é coisa bem brasileira

Sergio Pardal Freudenthal

Sem pedir licença, resolvi falar de Capoeira, matéria em que sou, há quase quatro décadas, apenas um aluno apaixonado
e relapso, que nunca chegará a mestre.

A Capoeira é um patrimônio cultural brasileiro, como o Samba, e nossa região ocupa lugar importante em sua evolução.
Saúdo três gerações de destaque, Mestre Sombra, Roberto Teles de Oliveira, Mestre Fábio Parada, me apresentou ao esporte, cultura e filosofia, e Mestre Márcio Capoeira dos Santos.

Legítimos representantes da combativa africanidade brasileira, a Capoeira e o Samba fazem suar com paixão, mobilizam, atuam, e exigem parceria. Qualquer exercício individual é valioso, mas, dançar samba e jogar capoeira, e com parceria, é impagável!

A Capoeira é instrumento de luta, musical e histórico. Para escravos fugidos era a dança de bichos, pernadas que os faziam imbatíveis na capoeira, no campo aberto. Para a malandragem de um século atrás, meia lua de compasso podia contar com a navalha nos dedos do pé. Pela metade do Século
XX, alcança academias; Senzala, Movimentos, Capoeira Santista, Capitães da Areia e tantas outras, atingindo ampla diversidade na
sociedade. Queixada, armada, meia lua de compasso, aú, macaco e rabo de arraia, sem encostar no parceiro, um bom jogo, exercício, amizade. Para quem vislumbra qualquer violência, lembro que nas rodas de capoeira, o praticante convida para jogar o capoeirista com quem tem afinidade. Jogar capoeira é um
exercício de amizade.

Nos tempos atuais, a Capoeira, além de salutar exercício físico, é parte de nossa cultura, conquistando seu devido espaço nas escolas. E, sem negar, de forma alguma. sua origem, é importante ferramenta para inclusão social, observando a acessibilidade para os com deficiências, e valorizando a inclusão
dos financeiramente hipossuficientes.

Márcio Rodrigues Santos – formado Mestre de Capoeira por Fábio Parada, que, por sua vez, é o primeiro Mestre
diplomado pelo Sombra, na Associação de Capoeira Senzala – apresenta seus projetos, Capoeira Escola e Capoeira para Todos, há 25 anos. Além de conquistar cada vez as escolas, a Capoeira que todos podem praticar bem representa sua função social. Do Lar das Moças Cegas ao GALP, de Apoio aos Lares Pobres, além da sua efetiva participação nas Universidades, Mestre Márcio Capoeira ainda convence o idoso escrevinhador a seguir
treinando, mesmo que seja on line.

A Capoeira é cultura brasileira presente em todo o mundo. Na Europa e nas Américas, inclusive do Norte, na Ásia e no Oriente Médio, joga-se capoeira, cantando em português, em português do Brasil. E muitos desses mestres, lecionando em todos os rincões do mundo, são formação de nossa Região.

Capoeira é inserção social, abre portas para os que tem suas dificuldades, e exige o antirracismo e o combate a todos os preconceitos. Capoeira é esporte, cultura e filosofia, em defesa dos que mais necessitam. Muito além das lutas físicas, a Capoeira batalha pelo espaço dos com deficiências, físicas, psíquicas ou mesmo econômicas.

Saudação que bem define a Capoeira, Ubuntu, em livre tradução do dialeto quimbundo significa “humanidade para com os outros”.

Sergio Pardal Freudenthal é advogado e mestre em Direito Previdenciário. www.pardaladvocacia.com.br.



Publicado na Tribuna Livre em 11/02/2021

Capoeira é coisa bem brasileira | Capoeira

Artigos Relatados

0 0 votos
Avaliar Artigo/Matéria
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários