Aula de capoeira resgata a cidadania
26 Fev 2011

Aula de capoeira resgata a cidadania

Mais de 150 crianças de diversas comunidades da Ilha, como Colônia Z-10, Guarabu, Dendê e Querosene, participam do projeto social do Grupo

26 Fev 2011

Mais de 150 crianças de diversas comunidades da Ilha, como Colônia Z-10, Guarabu, Dendê e Querosene, participam do projeto social do Grupo de Capoeira Rainha do Mar em uma pequena vila na Rua Pereira Alves, no Cocotá. Dentro da roda, ao som do berimbau e do batuque do atabaque, os pequenos aprendem valores como união, respeito, disciplina e amizade.

Mestre Ruben do Nascimento criou a oficina de capoeira há 13 anos. “Esta é a nossa maior riqueza. Ganho sorrisos em troca do meu trabalho”, frisou Mestre Ruben, que é baiano, mas mora há quase 15 anos na região. E a alegria e empolgação das crianças contagiam as famílias. Ao levar seus filhos para os treinos, as mães acabam se encantando pela arte marcial de raízes africanas. “A capoeira não tem preconceito. Acho que o ritmo e a dança mexem muito com as pessoas. Afinal, quem não gosta de uma batucada?”, indagou Mestre Ruben.

Mas ele garante que os pais dos alunos confiam em seu trabalho porque os professores cobram dedicação e aplicação na escola. “Não basta apenas se esforçar em quadra. Eles precisam ter boas notas no colégio”, destacou. Crianças a partir de cinco anos estão convidadas a participar do projeto.
Márcio Ramos, que acompanha o Mestre Ruben há 12 anos, disse que o maior presente em trabalhar com crianças carentes é ver todas brincando. Fábio Ferreira, contramestre, acrescenta: “A capoeira é um ótimo exercício para a mente. Às vezes eles estão com problemas dentro de casa e ao lutar esquecem de tudo. Capoeira é paz”.

Quando ainda morava na Bahia, Mestre Ruben foi criado sem pai e sua mãe nunca estava em casa. Com 12 anos, ele resolveu morar na rua. Por isso, ele acredita conhecer as dificuldades enfrentadas pelos pequenos e faz questão de ajudar sempre que pode. “Eu conheço a história de cada criança e sei pelo o que elas estão passando. É muito bonito ver todos deixando a energia fluir dentro da roda”, contou.
Apesar da paixão do Mestre Ruben pelo projeto, o Grupo Capoeira Rainha do Mar está com dificuldades financeiras. Muitas crianças ainda precisam de blusas e calças para brincar em quadra. Os interessados em ajudar podem ligar para Ruben no 8387-8861.

Mesmo sem dinheiro, Mestre Ruben ainda faz festa do aniversariante do mês. “Compro refrigerante, bolo e algumas balinhas para agradar as crianças. Tudo com a ajuda dos próprios integrantes do grupo”, disse. Neste sábado (26), a turma vai se apresentar a partir das 19h, no Festival de Acarajé do quiosque da baiana Rose, próximo ao Assaí.

 

Fonte: http://www.ilhanoticias.com.br/

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

11 + seven =