RJ: III FÓRUM DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A CAPOEIRA
01 Jun 2007

RJ: III FÓRUM DE POLÍTICAS PÚBLICAS PARA A CAPOEIRA

Em parceria com a Fundação Municipal de Educação de Niterói, Secretaria Municipal de Educação e Câmara Municipal de Niterói, a Liga de

01 Jun 2007

Em parceria com a Fundação Municipal de Educação de Niterói, Secretaria Municipal de Educação e Câmara Municipal de Niterói, a Liga de Capoeira do Estado do Rio de Janeiro – LICAERJ e a Liga Niteroiense de Capoeira – LINC, estarão realizando, de 15 a 17 de junho de 2007, o III Fórum de Políticas Públicas para a Capoeira, que tem como objetivo principal apontar para os governos municipais e estadual as demandas hoje existentes relativas a uma política pública que reconheçam o valor da Capoeira como uma atividade cultural, social educacional e política que muito tem contribuído no Estado do Rio de Janeiro em particular e em todo o Brasil para a inserção da criança e do adolescente em atividades esportivas e culturais que tem como principal meta trabalhar a auto estima e a identidade destes atores sociais.

Este Fórum pretende, ainda, mostrar para os governos a importância do Profissional da Capoeira para todo o conjunto da sociedade. Em seguida apresentamos a nossa programação e esperamos poder contar com a participação de todos e todas na construção de uma política pública que contemple de fato todo o conjunto da sociedade que envolve hoje o trabalho da Capoeira no Estado do Rio de Janeiro. Apresentação A formulação de políticas públicas garante com que os anseios da sociedade organizada sejam trabalhados em conjunto pelas organizações governamentais, propiciando, assim, o desenvolvimento de um determinado segmento social.
 
A capoeira, fruto do encontro de nossas matrizes étnicas, se encontra hoje difundida na grande maioria dos municípios brasileiros, bem como em 164 países, sendo praticada por milhões de pessoas. Só na internet são encontradas mais de 470.000 páginas sobre o tema. Em virtude de suas complexidades advindas do jogo, da luta, da arte, da dança, assim como sua penetração em todos os segmentos sociais, tas como clubes, academias, igrejas, sindicatos, escolas, universidades, clínicas, spas, ong\'s, centros esportivos, culturais, educacionais e de assistência social, desde as favelas até as mansões, bem por sua inserção no ensino fundamental, médio e superior, assim como nos sistemas de desportes: nacional, estadual, municipal, se tornam necessários mecanismos de compreensão e de preservação desta que é uma das mais importantes manifestações culturais brasileiras.
 
A Capoeira chegou ao terceiro milênio. Torna-se necessário que repensemos seu futuro, numa época em que temos que conviver com a globalização e os efeitos fragmentadores das sociedades: pós-moderna, pós-tradicional, pós-industrial, que aliados às novas linguagens e tecnologias, geram múltiplas ressignificações culturais, gerando inúmeras formas de interpretações distintas, assim como saberes e fazeres diferenciados. No entanto se torna necessário que possamos entender a Capoeira enquanto um patrimônio cultural, o qual necessita ser estudado e preservado em sua integridade. Sendo assim, vimos pelo presente solicitar os relevantes préstimos da sociedade brasileira, em particular a fluminense, organizada em suas Prefeituras e Câmaras Municipais, Governos e Secretarias Estaduais e Municipais de Esporte, Cultura, Educação, Turismo, Igrejas, Organizações Não Governamentais, Instituições de Ensino e Sindicatos, entre outras, assim como Grupos e Associações de Capoeira do Município de Niterói e de todo o Estado do Rio de Janeiro, Núcleos de Prática Desportiva e Cultural da Capoeira, bem como a todos os capoeiristas, para que possamos, num esforço conjunto, repensar a Capoeira em todos os seus aspectos, de forma ampla e democrática, e, portanto crescermos fortes rumo aos novos desafios do novo milênio.
 
Busquemos, pois, o entendimento e a harmonia entre todos os segmentos da Capoeira, para que possamos retribuir à mesma, seu justo e merecido lugar, enquanto elemento de referência dos valores e tradições do povo brasileiro. Objetivos – Ouvir dos participantes seus anseios e expectativas em relação ao futuro da Capoeira, cujos resultados servirão de subsídios para os legisladores e gestores públicos; – Propiciar a interação e integração entre todos os segmentos praticantes da Capoeira; – Rediscutir a Capoeira com toda a sociedade civil de forma democrática, respeitando-se as diversidades e interesses dos segmentos sociais: culturais, desportivos, educacionais, étnicos, profissionais e outros. – Apresentar para o Poder Público constituído propostas de valorização da Capoeira como um instrumento de inclusão e transformação social.
 
* Texto de Autoria do Professor Sérgio Vieira – FICA
 
PROGRAMAÇÃO:
 
Dia 15 de Junho de 2007 – 6ª Feira
Câmara Municipal de Niterói – Endereço: Avenida Amaral Peixoto, 625 – Centro 19h – Abertura Ato político com a presença de representantes das Secretarias de Educação; Cultura; Esporte e Lazer; Meio Ambiente; Desenvolvimento, Ciência e Tecnologia, da Câmara de Vereadores, do Gabinete do Prefeito, além de outras personalidades do mundo político, esportivo educacional e cultural.
 
16 de Junho de 2007 – Sábado
Auditório da Fundação Municipal de Educação de Niterói – Endereço: Rua Visconde de Uruguai, 414 – Centro 09h – Mesa Redonda * Capoeira Adaptada para os Portadores de Deficiências e Necessidades Especiais • Professora Rosangela Ruffato Pereira (Mestre em Ciência da Motricidade Humana (UBC) em 2007; Pós Graduada em Psicomotricidade (UCM) em 2000; Licenciatura em Educação Física (UBC); Especialista em Educação Física Adaptada; Professora de Educação Física na disciplina de Capoeira da EEFD – UFRJ em 2007; Professora de Educação Física do CETEP Santa Cruz / FAETEC desde 2000; Mestre de Capoeira). • Daise Rosas da Natividade (Mestre em Educação pela UERJ em 2002 (bolsista CNPq); MBA em Planejamento Estratégico em Recursos Humanos pela UFF em 2004; Especialista em Psicologia Jurídica pela UERJ em 1995; Extensão em Direito Social pela UERJ em 2001; Graduada em Psicologia e Licenciatura pela Federação das Faculdades Celso Lisboa 1987/91). 10h – Palestra • As Áfricas Presentes no Brasil • Mônica Lima (Professora de História da África e Doutoranda em História pela UFF (Universidade Federal Fluminense). 10h30min – Palestra * Capoeira como Instrumento de Inclusão Social • José Machado dos Santos (Professor de Literatura Brasileira e Português/Inglês; Advogado; Mestre de Capoeira e Presidente da Liga Gonçalense de Capoeira). 11h às 12h – Debate 12h às 14h – Intervalo 14h às 15h – Vídeo: “Heróis de Todo o Mundo” 15h – Palestra • História da Capoeira em Niterói • Antoane Rodrigues do Carmo (Bacharel, com Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal Fluminense, Pesquisadora da História de Niterói com ênfase na História Cultural. Trabalha com diversos temas, entre os quais: Escravatura e Abolição, Patrimônio Cultural e Educação Patrimonial, Feminismo, entre outros). 15h30min – Palestra • Capoeira Como Patrimônio Cultural Brasileiro • Pierre Guerra Domingues (Bacharel, com Licenciatura Plena em História pela Universidade Federal Fluminense, Pesquisador da História de Niterói com especial interesse em História Social. Desenvolveu trabalhos de pesquisa sobre Escravatura e Abolição, Patrimônio Cultural e Educação Patrimonial). 16h – Palestra • Capoeira na Escola e suas múltiplas contribuições • Paulo Henrique Menezes da Silva (Presidente da Liga de Capoeira do Estado do RJ; Responsável pela implementação da Capoeira nas Escolas da Fundação Municipal de Educação de Niterói; Conselheiro de Cultura de São Gonçalo; Mestre de Capoeira e Militante do Movimento Negro). 16h30min – Debate 17h –

17 de Junho de 2007 – Domingo
Auditório da Fundação Municipal de Educação de Niterói – Endereço: Rua Visconde de Uruguai, 414 – Centro 09h às 11h – Propostas e Sistematização • Apresentação das propostas a serem encaminhadas aos órgãos competentes e a aprovação da comissão do Fórum que acompanhará estes encaminhamentos. 12h – Votação das Propostas 12h30min – Carta ao Povo Brasileiro • Leitura e aprovação de manifesto ao povo brasileiro em defesa da cultura, história e identidade nacional representadas pela capoeira. 13h – Roda de Encerramento no Jardim São João

 

 

MAIORES INFORMAÇÕES: Mestre Paulão 55 21 8135-9232 meste_paulao@yahoo.com.br – mestrepaulaoriobrasil@hotmail.com

 

Leave a comment
Mais Artigos
comentários
Comentário

12 + 4 =