Blog

coquinho

Vendo Artigos etiquetados em: coquinho

Grupo Coquinho Baiano lança CD

Foi lançado nesta quinta-feira o CD Produção de Saberes – Cantigas de Capoeira, do Grupo de Capoeira Coquinho Baiano.

O grupo de Campinas, interior paulista, produziu o CD com apoio do Fundo de Investimentos Culturais da cidade e da Prefeitura de Municipal.

A partir da segunda-feira, dia 12 os interessados poderão adquiri o CD por R$ 7 pelos telefones (19) 9227-2948, 9212-4824 e 3521-7147, pelos e-mails macacocoquinho@gmail.com, stu@stu.org.br ou pessoalmente no STU.

Fonte: http://capoeiradevenus.blogspot.com

 

Grupo de Capoeira Coquinho Baiano – Historia

Ao longo da década de 60 vieram para São Paulo muitos capoeiristas baianos, que chegando aqui, na dura batalha pela sobrevivência estabeleceram-se nos mais diversos ofícios. Por volta de 1967, os mestres Suassuna e Brasília abriram juntos uma academia de capoeira, a Cordão de Ouro. Na medida em que foram conseguindo alguma estabilidade, os migrantes baianos incentivaram parentes e amigos a fazerem o mesmo.
Suassuna, baiano de Itabuna, pretendendo, no início dos anos 70, abrir uma frente de expansão do ensino da capoeira em Campinas, enviou para essa cidade o capoeirista Tarzan que tinha acabado de migrar da Bahia para São Paulo.

Era 1974 quando os mestres Godoy e Maya iniciaram o aprendizado de capoeira. Ambos treinaram durante um tempo relativamente curto com o mestre Tarzan, pois este se desentendeu com a proprietária da academia e resolveu desenvolver trabalho autônomo com o nome de “Academia Beira-Mar”. O Jurema, que era professor formado pelo mestre Suassuna, ficou no lugar, com o nome de “Academia Senhor do Bonfim”. Quando o Professor Jurema parou com a prática de capoeira, em 1975, Godoy, Maya e Wilton assumiram a função de professores no mesmo espaço físico, ainda sob o nome de “Academia Senhor do Bonfim”. O trabalho cresceu e, em 1976, Godoy e Maya decidiram fundar a “Academia de Capoeira Coquinho Baiano”.

Desde então, passaram inúmeros capoeiristas, dentre os quais muitos se formaram a mestres, contramestre e instrutores. A Academia de Capoeira Coquinho Baiano tornou-se referência de capoeira e palco para encontros e discussões das mais variadas manifestações culturais brasileiras.
Desde 2005, o Grupo de Capoeira Coquinho Baiano passou a ser representado pelos Mestres Paulão, Tozinho e os contramestres Dito, Tuim, Macaco, Marcelo, preservando sua própria história como uma das poucas Associações formadas na década de 70 que resistiram ao tempo.

Atualmente a Coquinho Baiano mantém vários núcleos principalmente no Estado de São Paulo e em alguns paises da Europa, contribuindo para a valorização e o reconhecimento social, cultural e educacional da Capoeira, cultivando a relação Mestre-discípulo, vivenciando a complexidade da Capoeira luta, jogo, dança, música, esporte, expressão corporal, filosofia de vida.


“Não diga o que a Coquinho Baiano pode fazer por você e sim o que você pode fazer por ela”

Sucesso
Mestre Carlos Macaco
Fone: 19 92124824 – 92272948

http://www.coquinhobaiano.org.br/

Aconteceu: Presidente Prudente – Campeonato Brasileiro de Capoeira

Capoeira de C. Mourão em destaque

Campo Mourão foi destaque no Campeonato Brasileiro de Capoeira, disputado neste final de semana em Presidente Prudente (São Paulo). Através do professor Coquinho, e com apoio da Fundação de Esportes de Campo Mourão (Fecam), a equipe mourãoense garantiu o segundo lugar na categoria profissional.

Além de Coquinho, a equipe foi composta por mais seis competidores: Mestre Paulinho, Mauricio, Daniele, Gustavo, Sara e Fátima. A competição reuniu capoeiristas de vários estados brasileiros, como São Paulo, Mato Grosso, Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina, entre outros. "Foi um resultado muito bom, graças a Deus. É o resultado de todo um trabalho de preparação e muito esforço de todos", reconhece mestre Paulinho.

No próximo dia 16 de dezembro, a equipe se dirige a Londrina, no encontro Brasileiro de Capoeira, promovido pelo grupo Geração Brasil, de Londrina. Ainda este mês, no dia 22, mais um compromisso, desta vez na 1ª etapa da Copa Paraná de Capoeira, em Tuneiras do Oeste. Professor Coquinho já havia conquistado a medalha de ouro na etapa do Brasileiro disputada em Campo Mourão, no mês de outubro.

Fonte: http://www.tribunadointerior.com.br

UNIFESP, Transplantados & Capoeira – Conhecer para Contribuir…

TRANSPLANTADOS: CONHECER PARA PODER CONTRIBUIR. – A CAPOEIRA DÁ SUA CONTRIBUIÇÃO.
 
Neste mês de abril a Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo está dando melhor ênfase a divulgação do seu programa permanente de divulgação e orientação visando levar a conhecer a realidade e necessidades das pessoas portadoras de órgãos transplantados.
 
O Grupo de Capoeira Berimbau Brasil, dirigido por Mestre João Coquinho, conta com, a colaboração do estagiário Ademar Mires Antunes, 26, anos Nemo, ou Sapo. Ademar é transplantado renal. operado pela equipe do Médico Dr. Medina, em 21-08-2003, cujo sucesso possibilitou Ademar a ingressar no Berimbau Brasil já em janeiro seguinte, 2004.
 
Dia 12  deste  o Berimbau Brasil apresentou uma Roda na  Associação dos Transplantados da mesma Universidade, com a participação “estrela” do estagiário Ademar. Mestre João Coquinho levou alguns “capoeiras”, e mesmo sendo em dia de semana, valeu a apresentação e o intercambio.
 
Ademar, transplantado renal,  de camisa preta“Demonstrar que as necessidades do transplantado em nada diminui suas aptidões nem as possibilidades de realização profissional, paralelamente a um esforço a convencer ao mundo empresarial, explicou a Profa. Carmem Rosa Pujol, Coordenadora da Associação, a  contratar transplantados”. Conta Mestre Coquinho: ”Ademar treina normalmente, nestes três anos evoluiu como qualquer outro, hoje ministra capoeira tanto no Grupo, como na Academia Up-Fitiness Center, (a quem agradecemos), onde é monitor titular”, frisou.
 
Dia 28 deste mês de abril, a Assistente Social Carmem Pujol, em nome da Associação dos Transplantados convidou Mestre João Coquinho a voltar e apresentar uma Roda, “uma grande Roda” nas dependências da Universidade, parte integrante do encerramento dessa etapa da campanha.
 
Obrigado, Carmem. Estaremos lá.
Mestre João Coquinho.

Campinas sedia Encontro Regional de Cultura Popular

 
Quem mora em São Paulo e aprecia a beleza do jongo, do maracatu e da capoeira, não pode deixar de prestigiar o Encontro Regional de Cultura Popular Coquinho Baiano, que acontece na cidade de Campinas, no dia 9 de dezembro.
Promovido pela Associação de Capoeira Coquinho Baiano, o evento acontece na Plataforma da Estação Cultura Praça Floriano Peixoto, s/n, no centro da cidade.
Entre os destaques da programação estão várias oficinas gratuitas e um grande Batizado/Troca de Graduações. Na ocasião, estarei autografando a 2a. edição do Dicionário de Capoeira e o recém-lançado livro infantil “Eu, você e a capoeira”.

O encontro termina a noite, com uma deliciosa feijoada, animada por apresentações de samba de roda e dos oficineiros Jongo Dito Ribeiro, Savuru, Nação Congo e Urucungos
Confira a programação:
9:30 – Alongamento, Oficinas de Puxada de Rede e Maculelê
11:00 – Oficina de Jongo com o grupo de Dito Ribeiro
12:00 – Intervalo
13:10 – Oficina com o grupo Urucungos
14:10 – Oficina de Maracatu
15:00 – Apresentação dos Mestres e convidados
– Roda de Capoeira
– Batizado e Troca de Graduações

Informações: Contramestre Tuim (Capoeira Coquinho Baiano)
(19) 3208-4281 ou 8145-7603, tuim.capoeira@ig.com.br ou tuim_capoeira@hotmail.com


(*) O autor é colunista do nosso site, editor da revista Capoeira em Evidência, e autor dos livros “Dicionário de Capoeira” e “Eu, você e a capoeira”

Mano Lima – (61) 8407 7960
www.manolima.portalcapoeira.com
manolima@portalcapoeira.com